Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Arteviva estreia a 24 de novembro “O Inspector”

 

 

 

o inspector.jpg

 

A Arteviva - Companhia de Teatro do Barreiro estreia, na próxima sexta-feira, dia 24 de novembro, pelas 21h30, no Teatro Municipal do Barreiro, a peça “O Inspector”, uma comédia de Nikolai Gógol, com encenação de Jorge Cardoso. A peça sobe ao palco às sextas e sábados, pelas 21h30. No Teatro Municipal do Barreiro, a Arteviva tem também em cena a peça infantil “João e o Pé de Feijão”, aos sábados, pelas 16h00, e domingos, às 11h00.

 

Na passagem do 20º aniversário da inauguração do Teatro Municipal do Barreiro, escolhemos um texto com influência decisiva na história do teatro e por muitos considerado um clássico. É a nossa 75ª produção.


“O Inspector” estreou a 19 de abril de 1836, em São Petersburgo, então capital do império russo, na presença do czar, que terá comentado: “Que peça! Todos levam por tabela, e eu em primeiro lugar!”
Numa cidade de província, perdida nos confins da Rússia, o governador local recebe uma carta a avisá-lo da chegada iminente de um inspector, vindo da capital, e que viaja incógnito, com instruções secretas.

Eis o detonador da comédia, que Vladimir Nabokov qualificou como “a maior peça de teatro jamais escrita em russo (e nunca superada)”.

O governador convoca os seus subordinados. O medo instala-se: a chegada do inspector ameaça pôr a descoberto os pequenos arranjos, cumplicidades e trapaças, desleixos e violências, em suma, a ordem reinante…

Impressiona a actualidade desta comédia. Muitos diálogos parecem ter sido escritos hoje. Aliás, um passeio pela internet permite constatar como El Inspector General, Le Revizor, The Government Inspector, Der Revisor, etc. continua a ser representado por esse mundo fora indiferente às polémicas sobre a sua natureza… 


Interpretação - Alexandre Antunes, Carla Carreiro Mendes, Catarina Santana, Gonçalo Cardoso, Henrique Gomes, Hugo Pires, João Parreira, Manuel Alpalhão, Manuela Ramos Félix, Patrocínia Cristóvão, Ricardo Guerreiro, Rui Félix, Rui Martins, Rui Quintas, Vanda Robalo e Vítor Nuno

Autor Nikolai Gógol | Tradução Orlando Neves | Encenação Jorge Cardoso | Ass. Encenação Catarina Santana | Cenografia João Pimenta | Figurinos Ana Pimpista | Música Miguel Félix | Construção de Cenário António Santinho | Apoio aos Figurinos Oficina de Costura Criativa e O Dedal | Apoio Caracterização Manuela Ramos Félix | Luminotecnia João Oliveira Júnior | Operação Técnica Maria Inês Santos | Design Gráfico João Pimenta | Produção Executiva Catarina Santana | Fotografia Cláudio Ferreira | Apoio Geral João Henrique Oliveira | Este espetáculo é dedicado ao nosso querido Eugénio Silva.

Classificação M/12 anos

 

João e o Pé de Feijão

 

joão e o pé de feijão.jpg

 

 

A história que nós vamos representar

Tem... magia e é de pasmar!

Tem uma canção que vão poder cantar

Mas atenção! Sem desafinar!

Aconteceu há muitos anos atrás

São as aventuras dum pobre rapaz

Vivia na aldeia com a sua mãe

Eram só os dois?

Não tinham mais ninguém!

 

João vivia com a sua mãe. Viviam só os dois e como estavam cada vez mais pobrezinhos, decidiram tentar vender a sua vaca Branquinha. João vai até à feira e consegue vender a vaquinha. Mas em vez de dinheiro, o João trocou a Branquinha por feijões! O que vai o João fazer com os feijões?

Vem descobrir as aventuras do João!

 


Obra original "João e o Pé de Feijão" 

Adaptação Fernando Gomes

Encenação Luís Pacheco

Interpretação Ângela Farinha, João Silva, Manuela Ramos Félix e Vítor Nuno

 

Cenografia João Pimenta | Figurinos Graça Santa Clara | Adereços Manuela Ramos Félix | Construção de cenário  António Santinho | Luminotecnia João Oliveira Júnior | Operação técnica Joana Gabriel | Contra-Regra Maria Inês Santos |Design gráfico João Pimenta | Fotografia Rui Martins | Produção Executiva Catarina Santana | Apoio Geral João Henrique Oliveira

 

 

 

Classificação M/3

Adaptação de Fernando Gomes. Encenação de Luís Pacheco.

 

 

Reservas
arteviva.reservas@gmail.com | Tel.910 093 886 

Bilheteira
Abre uma hora antes das sessões


Teatro Municipal do Barreiro, Rua Vasco da Gama, C.C.Pirâmides, 2830-365 Barreiro

Mais informações em http://artevivactb.wixsite.com/teatro

Ou https://www.facebook.com/ArteVivaCTB/

STOLEN BYRDS - JETPLANE TOUR

O ROCK DOS STOLEN BYRDS CHEGOU A PORTUGAL

 

image007.jpg

 

Os Stolen Byrds têm o Rock na alma e comprovaram-no com o single “In My Head”, primeiro excerto do mais recente álbum da banda, “2019”. Agora a banda vem finalmente a Portugal mostrar a sua identidade rockeira.

 

Oriundos do Brasil, os Stolen Byrds têm o seu espaço bem demarcado na cena independente brasileira. A sua identidade musical inspirada no Hard Rock da década de 70, no Rock e Stoner Rock mas também no Blues.

 

A banda do Paraná tem dividido palcos com nomes do calibre de Sepultura, Cachorro Grande ou Casa das Máquinas e, chegou a hora de tomarem de assalto os palcos portugueses. A Jetplane Tour conta já com quatro datas no nosso país, com o apoio da Music For All.

 

29.11| Tokyo, Lisboa, 23h30, 5€

30.11| Hard Rock Café, Porto, 22h30, Entrada livre

01.12| Fábrica dos Ofícios, Porto, 23h, Entrada livre

02.12| Estudantino Café, Viseu, 23h, Entrada livre

Nando Reis ganha grammy e actua em Portugal com o projecto Trinca de Ases

Nando Reis,
Vencedor de Grammy para Melhor Álbum Rock em Língua Portuguesa


ACTUA EM PORTUGAL EM MARÇO COM PROJECTO MUSICAL - TRINCA DE ASES

14d5ce92-74b4-4a95-988a-cc4f831cf086.jpeg

 

Nando Reis, Ex- Titãs. Vencedor de um Grammy!

Nando Reis venceu o 18° Grammy Latino na categoria Melhor Álbum de Rock ou de Música Alternativa em Língua Portuguesa, com o disco “jardim-pomar”.

Integra juntamente com Gal Costa e Gilberto Gil o recente projecto Musical  - Trinca de Ases!

Nando Reis é o menino impetuoso e viril. Gilberto Gil, o rapaz maduro calejado pela idade, Gal Costa, a moça. Gil compôs a canção "Trinca de Ases". “Trinca de Ases” é a música inédita de Gil, que batizou o trio, são assim “Três mosqueteiros, três patetas, três poetas da canção”, como descritos no verso da mesma, juntaram-se não só para celebrar a história de cada um, como também para cantarem os novos temas que nasceram deste feliz encontro.

O projecto musical nasceu no ano passado como uma homenagem ao centenário de Ulysses Guimarães (um dos principais opositores à ditadura militar brasileira), idealizada pelo jornalista brasileiro Jorge Bastos Moreno, nasceu apenas com as vozes do trio e os violões. Deste encontro nasce um espetáculo intimista que ganhou uma nova cara e que também encorpou, houve desde o início uma identificação musical e uma química que funcionou entre os três artistas. Depois de se estrear-se em São Paulo e Rio de Janeiro em agosto de 2017, foram várias as cidades por onde passou, chega finalmente a Portugal em Março para dois concertos inéditos com um repertório de músicas inéditas e sucessos.  Dia 9 de Março no Campo Pequeno e dia 11 de Março no Coliseu Porto.

76d83d85-334c-4efc-968c-520deb15f146.jpeg

 


“Trinca de ases” ganha não só quando lança as antigas e infalíveis canções dos repertórios dos três craques da música popular, como também, a base são as obras sólidas de Gil e Nando, revividas com as tramas dos violões dos artistas. A audácia de três mosqueteiros, a leveza de três patetas, e a grandeza de três poetas – “Trinca de Ases", em concerto, chega  finalmente a Portugal já em Março.


 



 

 

Iberdrola arranca com segunda fase do Programa Românico Atlântico, em Boticas e Guimarães

As iniciativas têm como objetivo conservar, restaurar e valorizar o património cultural do Norte de Portugal

 

 

A Fundação Iberdrola Espanha, o Ministério da Cultura Português e os autarcas de Boticas e Guimarães assinaram hoje o protocolo de colaboração para a restauração das igrejas românicas em Covas do Barroso (Boticas) e a Igreja de Serzedelo (Guimarães). Esta colaboração surge no âmbito do Plano Românico Atlântico, uma iniciativa que nasceu em 2010, como resultado do acompanhamento do Sistema Eletroprodutor do Tâmega, o maior projeto hidroelétrico levado a levado a cabo na Europa, desde os últimos 25 anos, da Iberdrola.

 

Este plano tem como objetivo conservar, restaurar e valorizar o património cultural, de forma a estabelecer as bases para um crescimento sustentável e para o desenvolvimento do território, através da criação de emprego, dinamização socioeconómica, promoção do turismo e a redistribuição do investimento nas áreas rurais em que é implementado.

 

Desta forma, nesta segunda fase de execução do projeto, a Fundação Iberdrola Espanha, o Ministério da Cultura Português e municípios de Boticas e Guimarães irão disponibilizar um financiamento total de 180.000€, dos quais 60.000€ serão destinados para o restauro da Igreja de Covas do Barroso, em Boticas, e os restantes 120.000€ ao restauro da Igreja de Serzedelo, em Guimarães.

 

O Plano Românico Atlântico é um projeto de cooperação transfronteiriça para a Cooperação do Património Cultural, que surgiu em setembro de 2010, e que inclui projetos de restauração de edifícios religiosos românicos situados nas províncias espanholas de Zamora e Salamanca e nas regiões portuguesas do Porto, Vila Real e Bragança.

 

Esta iniciativa público-privada pressupõe uma estreita colaboração, desde 2010, entre distintas entidades de ambos os países: Consejería de Cultura y Turismo de la Junta de Castilla y León, o Ministério da Cultura Português, a Fundação Iberdrola Espanha, a Igreja Católica de Portugal e as dioceses espanholas de Ciudad Rodrigo, Salamanca, Zamora e Astorga.

 

Com um investimento inicial total de 4,5M €, este programa assiste, desde 2015, a uma nova fase, que consiste na difusão cultural e no desenvolvimento de novos modelos de gestão para a dinamização cultural e económica do território, e que irá prolongar-se até 2018.

 

Além disso, a Iberdrola, com este tipo de iniciativas, consolida o seu compromisso para com a Responsabilidade Social e Preservação Patrimonial, ao apostar no desenvolvimento de ações conjuntas com as autarquias e entidades de administração envolvidas na iniciativa.

 

 

Nas imagens: Ramón Castresana, Diretor da Fundação Iberdrola Espanha, António Ponte, Diretor Regional de Cultura do Norte de Portugal, e os Presidentes das Câmaras Municipais de Boticas, Fernando Queiroga, e Guimarães, Domingos Bragança.

Museu do Oriente | Programa comemorativo celebra toda a exuberância da Ópera Chinesa

Espectáculo de ópera, conferências e workshop no Museu do Oriente

 

Programa comemorativo celebra toda a exuberância da Ópera Chinesa

 

Para assinalar o primeiro aniversário da exposição “A Ópera Chinesa”, o Museu do Oriente organiza um programa de actividades em torno deste tesouro cultural da China, entre os dias 1 e 3 de Dezembro. Serão três dias para celebrar, tanto a exuberância em palco como os segredos dos bastidores, com o espectáculo de ópera chinesa “O Pavilhão das Peónias”, conferências e um workshop com a autora de óperas Wang Yan e o actor Dong Fei. No dia 3 de Dezembro (domingo) a entrada no Museu é gratuita.

 

CONF_OPERA-min.jpg

 

A apresentação dos excertos “You Yuan” (Um passeio no jardim) e “Jing Meng” (Um sonho interrompido), da ópera “O Pavilhão das Peónias”, da autoria do poeta Tang Xianzu, acontece nos dias 1 e 2 de Dezembro, às 21h00. Trata-se de uma representação de ópera Kunqu, uma das mais antigas formas de ópera chinesa ainda em existência, reconhecida pela UNESCO como obra-prima do património oral e intangível da Humanidade.

 

“O Pavilhão das Peónias” é a obra-prima de Tang Xianzu, o maior dramaturgo da dinastia Ming (1368-1644). Escrita num estilo poético erudito e lânguido, a peça revela os anseios e desgostos amorosos dos jovens na rígida sociedade feudal chinesa. Bastante ousado para a época, o tema central é o triunfo do amor sobre a razão, contra a força opressiva da tradição. A defesa da liberdade de amar, bem como o lirismo emotivo da linguagem, faz desta peça uma referência incontornável na história da literatura e do teatro da China.

 

No sábado, dia 2, às 17.00, numa conferência de entrada livre, Wang Yan, autora de óperas, explica a arte da ópera chinesa Kunqu. No domingo, 3 de Dezembro, às 10.00, o actor Dong Fei orienta um workshop sobre “Caracterização, guarda-roupa e adereços na Ópera Chinesa”, em que desvenda os truques de guarda-roupa e maquilhagem que transformam um actor masculino numa personagem feminina – na ópera chinesa, todas as personagens, mesmo as femininas, são interpretadas por homens. Pelas 17.00, Dong Fei fará uma conferência sobre Mei Lanfang, um dos mais reconhecidos artistas de Ópera de Pequim da história do teatro moderno chinês.

 

Ocupando todo o piso 2 do Museu do Oriente, “A Ópera Chinesa” oferece uma visão abrangente deste género performativo, em toda a sua diversidade e exuberância, através de 280 peças, como trajes, perucas, toucados, modelos de maquilhagem, marionetas, gravuras, pinturas e instrumentos musicais, bem como fotografias e vídeos. 

 

Ópera Chinesa Kunqu

“O Pavilhão das Peónias”

1 e 2 de Dezembro

21.00

Duração: 50’, sem intervalo

Preço: 10 € [descontos em vigor]

Co-organização: CICA

 

Conferência por Wang Yan, autora de óperas Kunqu

“A Arte da Ópera Chinesa Kunqu”

2 de Dezembro

17.00

Gratuito (mediante levantamento de bilhete no próprio dia

e sujeito à capacidade da sala.)

Duração: 75’, sem intervalo

Co-organização: CICA

 

Workshop com o actor Dong Fei

“Caracterização, Guarda-roupa e Adereços na Ópera Chinesa”

3 de Dezembro

10.00

Gratuito (mediante levantamento de bilhete no próprio dia

e sujeito à capacidade da sala.)

M/6 anos

Duração: 180’

Co-organização: CICA

 

Conferência pelo actor Dong Fei

“Um Actor para a História: Mei Lanfang”

3 de Dezembro

17.00

Gratuito (mediante levantamento de bilhete no próprio dia

e sujeito à capacidade da sala.)

Duração: 75’

Gratuito

 

Co-organização: CICA -  China International Culture Association

 

LX Connect é uma aplicação dedicada aos serviços de carácter social, cultural, educativo e desportivo existentes em Lisboa.

 

916a3783-5d18-4c60-a9c9-85b388120986.jpg

 

O Centro Social da Musgueira (CSM) e o Banco Social de Comunicação (BSC) em parceria desenvolveram dentro do âmbito do programa municipal BIP/ZIP, uma plataforma digital que visa reforçar a operacionalidade, a notoriedade e o impacto dos projetos desenvolvidos pelas instituições sociais que operam na cidade de Lisboa.
 
Em formato mobile e web, com parceria da Carbon do grupo tecnológico português BOLD International, foi desenhada a melhor arquitetura e estrutura para a aplicação LxConnect que visa promover e facilitar o acesso à informação sobre as instituições e serviços que rodeiam os cidadãos, numa óptica de reciprocidade e cooperação entre pessoas e instituições.
 
O projeto que, inicialmente incidiu na freguesia do Lumiar, estendeu-se rapidamente às freguesias limítrofes, tais como a Ameixoeira, Carnide e Benfica, bem como a outras zonas da cidade. Atualmente, estão presentes 130 instituições, prevendo-se um trabalho de permanente actualização até cobrir a cidade toda.

Através desta ferramenta, é possível descobrir e reavivar laços de vizinhança, participar em ações de voluntariado e eventos, conhecer os apoios, as acções de formação e as atividades de ocupação de tempos livres disponíveis, ou ficar a par do trabalho comunitário que é desenvolvido.

LxConnect é um exemplo do que se consegue quando a intervenção social anda de mãos dadas com a tecnologia, na optimização e facilitação do acesso à informação sobre as instituições e serviços que rodeiam os cidadãos.
 
Foi concebida com um design simples e uma interface intuitiva, a pensar no conforto dos utilizadores, sejam eles os cidadãos ou as instituições. A nova aplicação está disponível para os sistemas operativos iOS e Android e pode ser descarregada nas respectivas lojas de aplicações.

 

Como funciona? 

É muito fácil de utilizar. São 4 botões que integram toda a informação sobre as instituições sociais em Lisboa: quem são, que serviços prestam, de que necessitam e que eventos comunitários desenvolvem. 
Se quer ajudar, carregue no botão azul - dar - e fica a saber quais são as instituições que necessitam de bens materiais, como fazer donativos materiais ou doar o seu tempo. 
 
Para saber quais são os serviços que as instituições têm para oferecer, carregue no botão cor de laranja - receber - e descubra um pouco mais sobre a sua missão, que serviços prestam e em que projectos estão envolvidas. Aqui também tem acesso aos contactos destas instituições e pode visualizar no mapa a sua localização.
 
Se pretende conhecer a agenda de eventos na sua comunidade, carregue no botão cor de rosa - agenda - e fique a par dos eventos, formações ou atividades de ocupação de tempos livres, para todas as idades e gostos, que se realizam no seu bairro.
 
Por fim, se carregar no botão verde, fica a conhecer as associações que actuam na sua vizinhança, ou seja, as que estão mais perto de si.
 
Crie elos mais fortes com a sua comunidade ao fazer o download da aplicação:

iOS: http://bit.ly/LXConnect

GPlay: http://bit.ly/LXConnectGPlay

LxConnect. A cidade solidária.

Sobre nós:
 
Centro Social da Musgueira
O Centro Social da Musgueira (CSM) é uma IPSS – Instituição Particular de Solidariedade Social que responde às necessidades educativas, sociais, culturais e recreativas dos moradores do antigo bairro da Musgueira Norte, hoje residentes na Alta de Lisboa. Aposta na promoção social e humana, na capacitação, desenvolvimento e integração na comunidade através das valências Jardim de Infância, ATL – Actividades de Tempos Livres, Centro de Dia, Serviço de Apoio Domiciliário, Mediateca, Salas de Estudo, TPC Media e Formação continuando a adaptar as suas respostas sociais às necessidades de cada momento. Fomenta junto da sociedade em geral, um espírito de solidariedade social.
 
Site: http://www.csmusgueira.org/
Facebook: https://www.facebook.com/csmusgueira/
 
Banco Social de Comunicação
O Banco Social de Comunicação é um parceiro das instituições sociais que desenvolve projectos de comunicação que acredita que podem fazer deste mundo um local melhor para todos. Apresentam e constroem soluções sociais que beneficiam as Associações.
 
Facebook: https://www.facebook.com/bancosocialcomunicacao/
 
Carbon
Nasceu em 2008 em Portugal e tem como core business criar aplicações mobile (apps) e consultoria tecnológica às empresas que conciliam a estratégia de negócio com a mobilidade digital. Atualmente com uma equipa de cerca de 30 colaboradores, a Carbon foi adquirida, em 2012, pela BOLD International, passando a ser um centro de competência especializado e fazendo desde então parte deste grupo tecnológico português que atua globalmente.

Site: http://www.carbonbybold.com
Facebook: https://www.facebook.com/carbonbybold
LinkedIn: https://www.linkedin.com/company/carbon-by-bold

Santander Totta e Fundação Banco Santander organizam exposição de pintura e escultura ibéricas

image001.png

 

ALMADA NEGREIROS, PICASSO E VIEIRA DA SILVA ENTRE OS ARTISTAS EXPOSTOS  

 

25 NOV 2017 | 17 DEZ 2017

 

O Banco Santander Totta promove juntamente com a Fundação Banco Santander, uma exposição de pintura e escultura Ibéricas, subordinada ao tema: “Luzes e Sombras, Diálogos e Perspetivas Ibéricas”.

 

Nesta exposição, poderão ser apreciadas algumas das melhores obras de cada uma das duas coleções (Banco Santander Totta e Banco Santander), refletindo o cruzamento do pensamento intelectual e das expressões e movimentos artísticos que marcaram o séc. XX ibérico, através das obras de artistas como Almada Negreiros, Picasso, Solana, Vieira da Silva, Sorolla, Malhoa, entre outros. Trata-se de duas coleções em contraste, reveladoras dos mestres que marcaram o Século XX em Portugal e Espanha.

 

Esta exposição destina-se ao público em geral, associando-se ao facto de Lisboa ser a Capital Ibero-Americana da Cultura 2017, e pode ser visitada aos sábados e domingos das 10h00 às 16h00, entre os dias 25 de Novembro e 17 de Dezembro, no edifício sede do Banco Santander Totta, localizado na Rua do Ouro, 88, em Lisboa.

 

A entrada na exposição está associada a uma causa social, uma vez que os visitantes realizam um donativo mínimo de 2€ que reverterá integral e diretamente para o Serviço de Pediatria do IPO de Lisboa.

 

Festa 1º Aniversário Hard Rock

1º ANIVERSÁRIO DO HARD ROCK CAFE PORTO

25 de novembro, 19h, @ Hard Rock

 

 

imagem.png

 

Parece que foi ontem, mas já lá vai um ano. Um ano em que duas culturas fortes e cheias de personalidade se encontraram: a da cidade do Porto e a do Hard Rock Cafe. Neste ano, o Hard Rock foi tornando-se cada vez mais invicto e a cidade cada vez mais Hard Rock. É essa união que pretendemos celebrar e reforçar neste dia, convocando a comunicação social como testemunha.

Um dos momentos mais altos dessa união é a entrega e apresentação da primeira peça de memorabilia de uma banda portuense a ser colocada nas paredes do Hard Rock Cafe Porto, onde ficará ao lado de peças de artistas como David Bowie, Madonna ou Prince.

Claro que a irreverência não podia faltar e, para celebrar a data, faremos logo em seguida um dos mais famosos cerimoniais do Rock, um Guitar Smash(sim, vamos destroçar umas quantas guitarras) onde envolveremos os responsáveis do Hard Rock Café Porto e alguns convidados especiais como Álvaro Costa e Rui Moreira(sujeito ainda a confirmação).


Também não faltará aquela que é uma das mais reconhecidas e acarinhadas missões do Hard Rock em todo o mundo, a filantropia. Associado ao Guitar Smash, o Hard Rock Cafe Porto irá entregar à associação Música nos Hospitais uma doação de 5 mil euros, como forma de apoiar, reconhecer e incentivar o trabalho que têm vindo a fazerjunto da população de doentes e acamados em hospitais e Lares Séniores, trabalho para o qual procuramos chamar a atenção dos Sres. Jornalistas com alguma informação em anexo.


Detalhes da festa | Timeline

19:00 – Press Conference

Cerimónia de doação da primeira peça de memorabilia de uma banda portuense

20:00 – Início do evento / Welcome cocktail

20:30 – Guitar Smash (junto à entrada principal)

20:45 – Entrega de doação à associação Música nos Hospitais


Concertos | DJ

21:00 – The Oafs (2º Piso – Elvis)

22:00 – Capicua (2º Piso – Elvis)

23:00 – Expensive Soul (Piso de entrada – Kiss)

00:00 – DJ Session – Miguel Rendeiro (todo o edíficio)

02:00 – Fim do evento


Sobre o Hard Rock Cafe Porto

Desde o dia de abertura, em novembro de 2016, o Hard Rock Cafe Porto já vendeu mais de 14 mil T-shirts clássicas, o que significa que o nome da cidade do Porto se reforçou pelo mundo e em especial por entre os milhares de colecionadores do merchandising do Hard Rock Cafe. Curiosamente, o número de hambúrgueres vendidos – uma das nossas mais procuradas especialidades – foi sensivelmente o mesmo este ano, ou seja, 14 mil unidades. E pelo palco do Hard Rock Cafe Porto já passou cerca de uma centena de bandas, algumas das quais tiveram oportunidade de se apresentar ao público do Porto pela primeira vez.


Hard Rock International

Com estabelecimentos em 73 países, incluindo 178 Cafés, 24 hotéis e 11 casinos, o Hard Rock Internacional (HRI) é uma das marcas mais reconhecidas à escala global. A partir de uma guitarra doada por Eric Clapton, o Hard Rock Internacional transformou-se atualmente na maior coleção de memorabilia musical do mundo, um verdadeiro santuário da música, disseminado por 73 países e onde cada objecto é único e conta um pedaço da história dos pais e dos filhos do rock. Por tudo isto, Hard Rock é sinónimo de experiências únicas. O Hard Rock é também conhecido pelo seu merchandise associado à moda e à música, espetáculos de música ao vivo e pelo seu site premiado. O HRI detém, opera e franchisa Cafes em cidades icónicas, incluindo Londres, Nova Iorque, São Francisco, Sydney e Dubai. A marca global Hard Rock é detida pela Tribo Seminole da Flórida e encontra-se disseminada em todas as latitudes, incluindo Bali, Chicago, Cancun, Ibiza, Las Vegas ou San Diego. Brevemente deverão abrir novos Hard Rocks em Phnom Penh, Cairo, Bratislávia ou Chengdu. Novos Hard Rock hoteis ou hotéis/casino devem surgir em Atlanta, Atlantic City, Berlim, Budapeste, Londres, Los Cabos, Maldivas, Nova Iorque, Davos, Otava, Dalian e Haikou, na China. Para mais informação, por favor visite www.hardrock.com.


Música nos Hospitais (APMHIS)

É um projeto de intervenção musical, inovador e com a perspetiva de Humanização e Melhoria da qualidade de vida em contextos de cuidados de Saúde.

A APMHIS forma músicos para trabalharem junto de crianças e idosos que estão institucionalizados devido a questões de fragilidade de saúde e/ou social.


A Associação é presidida pela ex Ministra da Saúde, a Dra Ana Jorge, e os nossos públicos alvo são as crianças e os idosos, embora cada vez mais estejamos a abranger outros públicos, como por exemplo, pessoas que se encontram internadas em cuidados paliativos, área na qual os nossos músicos tiveram formação recente.


A APMHIS tem como objeto principal o desenvolvimento de projetos e intervenções musicais enquanto meio de humanização em contextos comunitários e institucionais. Procura ainda elaborar, implementar e desenvolver projetos e ações musicais em instituições hospitalares, instituições de educação e de cuidados especiais, estabelecimentos prisionais e instituições de terceira idade, públicas e privadas, no domínio da saúde, da educação, da ação social e da integração social, particularmente dirigidas a crianças, idosos e grupos de risco.


Em todos os serviços de saúde os objetivos dos músicos envolvidos neste projeto, são:


§ Humanizar os espaços de convivência e trabalho;

§ Melhorar a qualidade de vida das pessoas (utentes e seus familiares e todos os profissionais que trabalham nas instituições de saúde protocoladas);

§Facilitar os procedimentos médicos junto das crianças otimizando o tempo despendido pelos profissionais de saúde em cada procedimento

§ Melhorar o ambiente sonoro;

§ Usar a música como mediadora das relações humanas;

§ Possibilitar ruturas na rotina desumanizante;

§ Criar tempos e espaços de criatividade e interação artística em que haja uma comunicação harmónica e partilha construtiva de emoções;

§ E, finalmente, que a música possibilite o encontro interpessoal para além dos espaços institucionais fortalecendo redes de convivência solidária no quotidiano das pessoas.


Assim, pretende-se que as intervenções musicais semanais regulares, em consonância com as equipas multidisciplinares de saúde realizadas pelos músicos deste projeto, permitam o contacto e também experiências e vivências de várias ordens e de inclusão social, a crianças e idosos em geral, que se encontrem em instituições de cuidados de saúde, bem como a crianças e jovens portadores de deficiências, ou a indivíduos com deficits cognitivos, tornando os últimos ativos e participantes em atividades que, em diversas áreas das suas vidas sociais, lhes estariam vedadas.

Não se intenta uma ação terapêutica, mas sim o uso da música na sua plenitude estética - sensorial e como recurso psicossocial, para a promoção da qualidade de vida dos espaços institucionais de cuidados de saúde.

A Associação Música nos Hospitais, remunera os seus músicos pelo trabalho que desempenham nos hospitais, estes músicos têm uma formação própria dada pela associação para puderem estar nestes espaços e essa formação implica que saibam relacionar-se com o doente e respeitar o seu espaço, bem como saberem relacionar-se com o profissional de saúde ou perceberem a importância das questões relacionadas com a higiene em meio hospitalar, entre muitos outros fatores.

Os locais onde atuamos atualmente são: IPO de Lisboa e Porto, Mansão de Marvila, Lar Granja Luís Rodrigues, Creche Arco Iris, We Care (Póvoa do Varzim), e vamos entrar em breve no Hospital Garcia de Orta (Almada) e no Hospital Pedro Hispano (Porto), para o qual precisamos de apoio.


https://www.facebook.com/ http://musicanoshospitais.wix.

Verão Danado

23360c11-050f-4b6c-974f-9ec20505aa88.jpg

 

 

Estreia nacional dia 30 de Novembro (salas actualizadas)
Lisboa - Cinema Nimas e UCI El Corte Inglés
Porto - Cinema Trindade e UCI Arrábida 20

Outras cidades
Estão já confirmadas igualmente, as seguintes exibições noutras cidades:
Coimbra - Teatro Académico Gil Vicente (TAGV), 4 de Dezembro
Figueira da Foz - Centro de Artes e Espectáculos (CAE), 8 de Dezembro
Braga - Theatro Circo, 11 de Dezembro

Sinopse
Estamos no princípio do Verão e Chico acabou a faculdade. Sem grandes perspectivas e com as férias por diante, começam as brincadeiras, os jantares, as festas e as noitadas. A música acompanha Chico nestas tardes de ócio, drogas, desilusões amorosas e momentos psicadélicos. Verão Danado é um ímpeto de adrenalina com Lisboa como pano de fundo de uma juventude à deriva.

Classificação:
M/16