Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Programação do Bartô de 19 a 30 de Março 2013

 
 

BARTÔ

Como pólo cultural da cidade de Lisboa, o Bar do Chapitô é um espaço aberto às artes, com uma programação variada ao longo da semana: desde música ao vivo, passando pelo jazz, cantautor e fado, mas também ciclos de cinema, projecções de vídeo, espectáculos de teatro, magia e dança, a conferências e debates sobre temas da actualidade.

Aberto de terça a domingo das 22h até às 02h00.

Como chegar ao Bartô (Chapitô):
Eléctrico 28 > Miradouro de Stª Luzia
Metro (Linha Azul) - Rossio (andar em direcção ao castelo)
Metro (Linha Verde) - Martim Moniz (andar em direcção ao castelo)
Parking - Parque das Portas do Sol | Parque do Mercado do Chão do Loureiro

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

 

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::


19 de Março (Terça) 22.00 - Fado no Bartô
Manuel Marçal é natural de Lisboa, 33 anos. Gosta especialmente do fado "à antiga"
mas também canta fados jocosos, da sua sua autoria.

GUITARRAS:
Diogo Lucena e Quadros (Guitarra Portuguesa)
Luís Roquette (Viola)

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

20 de Março (Quarta) 22.00- O que dizem os teus olhos - Saltem para dentro do tanque

- literatura e música de assalto (tragam os vossos poemas preferidos)

 

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

22 de Março (sexta) 23.00 - The Dirty Coal Train
Os Dirty Coal Train têm tudo para ser a nossa nova banda favorita. Com um EP de
estreia em vinil como cartão-de-visita, estes lisboetas não só têm pinta e um nome
muito fixe, como mostram que sabem o que fazem. E o que fazem é um horror-rock
metade Cramps (mas com mais fuzz), metade Sonics (mais uma referência preguiçosa,
devido à versão imaculada de "Have Love, Will Travel"), cheio de referências sci-fi
xunga. Mas depois há outro lado mais garageiro e mais punk que lhes fica bem, o tal
lado Sonics, mas que também lembra, por exemplo, os Gories: ou não houvesse
também uma cover de "Nitro Glycerene". ( VICE)


http://www.youtube.com/watch?v=Os8w4t7npr0

 

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::


23 de Março ( sábado) 23.00 - The Ballard Pond

Até poderiam ter saltado directamente de um esquecido conto de fadas. Mas neste
caso não. The Ballard Pond são oriundos de Lisboa. O recente projecto formado em
2011 por Sara Butler (voz, teclados), Hugo Arco (guitarra, harmónica, melódica e
baixo), Juan Müller (voz, guitarra e baixo), apresenta-se como um poema nascido sob
o luminoso céu português texturado por várias luas e marés sobrepostas.


http://www.youtube.com/watch?v=OJ1gqNT4oi8

 

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

 

26 de Março (terça) 22.00 - Fado no Bartô
Margarida de Noronha nasce em Lisboa em 1982. Desde cedo canta fado entre família
e amigos e logo é convidada a atuar em eventos e faz a sua primeira aparição pública,
com 14 anos, no espetáculo "O Fado dos Câmara". Desde então canta pelas casas de
fado da capital, e em festas.
Diogo Lucena e Quadros (Guitarra Portuguesa)
Luís Roquette (Viola)

 

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

 


28 de Março (quinta) 22.00 - Milonga do Bartô com música
ao vivo

 

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::

 


29 de Março ( Sexta) 23.30 - Quelle Dead Gazelle, primeira
parte com Missing Dog Head

Os Belle Gazelle são Pedro Ferreira na guitarra e Miguel Abelaira na bateria. Fazem
aquilo que eles chamam afro-pop experimental, com influências do post-stonermath-
rock e até do pop.
A banda chegou-nos aos ouvidos pela primeira vez quando tocaram no Vodafone
Mexefest. Post-rock em fase embrionária, uma introdução bem shoegaze e um espírito
maquiavélico na percussão mais.


http://www.youtube.com/watch?v=rrzoHdLizq8

 

:::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::::


30 de Março (Sábado) 23.30 - Tapejunk
Chama-se Tape Junk e é o último lançamento da netlabel Merzbau.
Projecto pessoal de João Correia (voz, guitarras, baixo, percussão e teclados), "Tape
Junk" é como uma colecção de um sem número de influências, daquelas que se vão
atravessando no nosso caminho ao longo dos tempos. No fundo é rock. João Correia
"criou esta identidade com o intuito de expressar tudo aquilo que havia coleccionado
desde tenra idade, consumindo avidamente alguns dos melhores registos rock das
últimas décadas. Óbvias serão as referências a nomes como Sonic Youth, Pixies,
Rapeman, Nirvana, mas o seu desassombro na abordagem às suas composições
acabam por levá-lo, quase que acidentalmente, a criar a sua própria identidade" .
Interessante viagem; interessante rock, entre a melodia e a palavra.
Tudo livre, claro... ( conteúdo do Blog A TROMPA)


http://www.youtube.com/watch?v=VWkTpKwwq7c