Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Parques de Sintra cria peça de madeira para apoiar a recuperação do Parque da Pena

 

No seguimento do violento temporal que assolou Sintra a 19 de janeiro, e que derrubou mais de 2.000 árvores nas áreas sob gestão da Parques de Sintra, causando prejuízos que ascendem a 3 milhões de Euros, a empresa lança agora, no Dia Mundial da Floresta (21 de março) um produto para venda em loja que foi desenhado especialmente para que as receitas das suas vendas apoiem a recuperação do Parque da Pena (área mais afetada pelo temporal).

 

O lançamento deste produto (que consiste em 4 tipos diferentes de castiçais, totalmente em madeira e com uma gravação a laser na base, a referir o temporal de Sintra) foi pensado para o Dia da Floresta relacionando a temática da data com o número de árvores que caíram aquando do temporal, e utilizando a sua madeira como forma de angariação de receitas para a recuperação do Parque.

 

A madeira das Acácias caídas foi cortada e retirada do Parque, seguindo para serração, onde foi transformada em tábuas e posteriormente torneada com o objetivo de ganhar a forma final – castiçais.

 

O design é da autoria de Gonçalo Prudêncio, convidado pela Parques de Sintra para participar neste projeto. Gonçalo Prudêncio trabalha frequentemente com base no design sustentável e, para a Parques de Sintra, desenhou quatro tipos diferentes de castiçais, com a particularidade de poderem ser usados em conjunto, encaixando perfeitamente uns nos outros. Na base da peça, está inscrita a laser uma referência ao temporal, marcando assim o acontecimento.

 

A sustentabilidade ambiental está ainda presente na embalagem, fabricada integralmente em papel reciclado, e cujas quantidades iniciais foram produzidas de forma graciosa pela gráfica Orgal, que se uniu à Parques de Sintra nesta causa.

 

Cada castiçal terá um PVP de 5,50 Euros, e o conjunto de dois castiçais será 10 Euros.