Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

LandArt regressa à Quinta do Pisão

Inauguração 20 de abril | 11h00 | Com visita guiada pelos artistas

 

 

Em Cascais, a arte, a música e o ambiente fundem-se durante os próximos meses. A 5.ª edição da LandArt Cascais, exposição de arte na paisagem, arranca dia 20 de abril com a presença de alguns dos artistas participantes: José Pedro Croft, André Banha e Orlando Franco. Até 7 de julho na Quinta do Pisão, em Cascais, além das instalações artísticas, cujo usufruto está intrinsecamente ligado à paisagem deste espaço natural, a LandArt Cascais será intensificada pelos concertos “Jazz na Quinta” que decorrem ao longo da exposição.

 

Este ano, a exposição de arte na paisagem convida os visitantes a apreciarem as obras de José Pedro Croft, um dos artistas nacionais de maior renome que se junta a André Banha, Orlando Franco e Miguel Ângelo Rocha, para apresentar instalações artísticas pensadas especialmente para a Quinta do Pisão.

No dia da abertura, às 11h00, realiza-se uma visita guiada às obras com os artistas, que irão explicar, na primeira pessoa, os conceitos por detrás da criação das suas instalações. Às 12h30 terá lugar o primeiro concerto “Jazz na Quinta”, onde atuará Paula Oliveira (voz) e Carlos Barreto (contrabaixo). Para domingo, 21 de abril, o “Jazz na Quinta” reserva um grande final de tarde com as performances de Edu Miranda (guitarra e bandolim) e Carlos Lopes (acordeão), apresentando um repertório diversificado que irá do jazz ao chorinho brasileiro, tendo sempre presente a capacidade de reinventar melodias e ritmos. Os concertos e visitas são abertos ao público.

 

Ao longo de cerca de três meses, passarão pelo palco da Quinta do Pisão outros artistas de jazz, a saber Paula Sousa (teclados), João Moreira (trompete), Susana Santos Silva (trompete), Tobjorn Zetterberg (contrabaixo) e José Valente (viola d’arco), sempre nas tardes de domingo.

 

A LandArt Cascais reserva ainda outras atividades, destacando-se um workshop de desenho de paisagem, dirigido pelo artista Nuno Mendonça, que inicia a 4 de maio, dividindo-se em quatro módulos evolutivos. O workshop tem um valor de inscrição de 8 euros (um módulo) ou 25 euros (os quatro módulos). Pela segunda vez consecutiva, a LandArt Cascais promove um workshop de fotografia lomográfica, sob a coordenação da Embaixada Lomográfica, que se realiza a 29 de junho, às 14h00. O valor de participação é de 15 euros e as câmaras “Lomo” que o workshop irá dar a conhecer serão a Sprocket Rocket, La Sardina e Fish Eye, sendo as mesmas facultadas pela embaixada aos participantes durante o workshop. As inscrições para os workshops estão disponíveis em www.cm-cascais.pt, devendo ser efetuadas até à quinta-feira que antecede cada um deles.

 

Em exibição estará também a mostra Lomo Landart, na qual serão expostas as fotografias captadas neste espaço pelos participantes do workshop e concurso lomográfico da edição de 2012 da LandArt Cascais.

 

Estão ainda programadas várias visitas guiadas às instalações, com particular enfoque para os percursos que terão lugar em noite de lua cheia, trazendo outro brilho e perspetiva à contemplação das obras. O programa completo pode ser consultado em anexo. (estas visitas guiadas não exploram necessariamente os elementos da quinta do pisão, havendo outras visitas com um custo associado que o fazem. Daí ser melhor referir visitas guiadas às obras da Landart)

 

A LandArt Cascais é uma organização conjunta da Câmara Municipal de Cascais e da Fundação D. Luís I, que pretendem assim fomentar o gosto pela arte na sua forma mais pura e em pleno espaço natural, bem como dar a conhecer a Quinta do Pisão, espaço natural que está aberto à visitação do público durante todo o ano.

 

Sobre o movimento LandArt:

LandArt foi um movimento que surgiu durante a década de 60 e que resultou do reencontro artístico do Homem com a natureza, como resposta ao contexto socioeconómico vivido nos EUA. Desse reencontro surgiram obras impossíveis de confinar numa galeria ou num museu, efémeras e construídas essencialmente com materiais provenientes da paisagem onde se inseriam. A LandArt Cascais pretende, longe de um espírito revivalista, promover uma ligação íntima entre a paisagem, o Homem e a obra. Simboliza assim a aliança entre a fruição do ambiente natural e a descoberta de novos temas culturais, que impulsionam a criação de espaços de interação e conhecimento, sustentando a memória coletiva da população na sua dimensão histórica, cultural, ambiental e artística.

 

• LandArt Cascais 2013

• Inauguração: 20 abril 2013, 11 horas

• José Pedro Croft, André Banha, Orlando Franco e Miguel Ângelo Rocha, Paula Oliveira e Carlos Barreto

• Quinta do Pisão - Parque Natural de Sintra-Cascais