Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

GRANDES TEXTOS | LEITURAS ENCENADAS

28 de Julho

18H30

 

Salão Nobre
Teatro Nacional D. Maria II

 

"NÃO ME LEMBRO DE NADA" de Arthur Miller
 
A peça passa-se nos anos 70, em Conneticut, tendo como protagonistas Carmen Dolores (Leonora) e Sinde Filipe (Leo). Ela é uma viúva rica, cuja vida parece ter sido suspensa após a morte do seu marido; ele é um desenhista retirado, um comunista convicto, amigo e colega de trabalho do seu marido.
Ambos lamentam a passagem do tempo e a perda da memória que vai retirando qualquer significado à vida. Diogo Infante coordena a leitura de um texto da autoria de um dos principais autores do teatro norte-americano contemporâneo. Uma peça curta, de quotidiano, em que dois muito velhos amigos preparam a partida para o outro lugar do tempo, cruamente, causticamente, num jogo de palavras e silêncio forjado na amizade de muitos anos. 

Arthur Miller começou a sua carreira como escritor de comédias para a rádio, mas foi como autor de teatro que se tornou mais conhecido. Em 1949, escrevia a sua peça mais importante, Morte de um Caixeiro Viajante, pela qual acabaria por receber o Prémio Pulitzer. A sua obra, de profundo conteúdo social, centra-se no conflito entre a responsabilidade individual do protagonista e as pressões sociais que o levam a adoptar uma atitude
conformista. Um exemplo disso é o drama As Bruxas de Salém (1953), onde apresenta uma crítica ao Comité de Actividades Anti-Americanas dirigido por McCarthy.

 Inserida no âmbito da TEIA, esta actividade consiste na leitura de textos da dramaturgia mundial, desde a origem do Teatro a obras contemporâneas, menos conhecidos e interpretados em Portugal. Segue-se uma conversa sobre a contextualização e a riqueza de cada obra.
 

1 comentário

Comentar post