Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Joana Lobo Anta -unlabeled artist | Exposição de pintura 30 de Maio | Faktory Club

 

EXPOSIÇÃO:

No dia 30 de Maio, O FAKTORY CLUB abre as portas ao público para a exposição individual de pintura da artista Joana Lobo Anta. Estarão presentes as últimas obras da artista, que também contará com uma performance musical, temas originais que têm vindo a ser produzidos nos últimos meses, uma panóplia de sons, desde o jazz ao deep house. Apelida-se como UNLABELED ARTIST devido ao facto de não se cingir a apenas uma arte, pinta, canta, compõe, representa e nesta exposição poderemos ver duas das facetas da artista.

 A exposição UNLABELED ARTIST será fora dos padrões normais das exposições em galerias de arte, será apenas nesse dia, um "Happening" cultural. As portas abrem às 19h e encerram às 02h, pretende-se com este horário criar um ambiente propício a vários públicos, desde os pais com obrigações familiares, aos boémios da quinta-feira nocturna lisboeta!...

Joana Lobo Anta é uma adepta do DIY e uma crente do bem essencial que é a ARTE, a artista espera que este dia inspire outros, na esperança que o público venha com os olhos e ouvidos saciados.


BIOGRAFIA:

Joana Lobo Anta nasceu a 28 de Fevereiro de 1978 e aos 3 anos já se fazia ouvir de sua sentença, que quando crescesse queria ser artista plástica. Determinada em seguir esta sua vocação inata, aos 7 começou as suas primeiras aventuras em tela, mas o gosto pela experiência no mundo das artes não a deixou ficar por ali. Aos16 anos, e numa atitude contestatária de quem nasce sem medo de ser o que quer, Joana Lobo Anta resolveu que já tinha idade para dar asas a outra das suas grandes paixões, o canto, ao iniciar-se numa banda de “hardcore”, os “Un-submission”, mais tarde ´"No Class Youth". Entre muitas outras bandas. nascem os «Micky Eight», com um rock melódico e alegre. Cativam o apoio de fãs por todo o país, tocam no Paradise Garage, Hard Club, Ritz Club, Teatro Gil Vicente, em bares e festivais. Gravam o álbum «Why Tomorrow», apadrinhados pelo músico Miguel Ângelo («Delfins»). 

Em 1998 decidiu frequentar a Escola de Musica Crescendo Musical, onde teve aulas particulares de canto com a professora Cristina de Castro e o seu primeiro contacto com o Jazz através de workshops em que participou. 

Feitos 23 aniversários, Joana já era licenciada em Design Gráfico pelo Instituto Superior de Arte e Design (IADE) e acabado o curso, sediou-se um ano na Itália onde fez uma especialização de pintura na Universidade de Belas Artes Pietro Vannucci, “Scuola Libera del Nudo”, em Perugia. Das várias exposições que tem realizado desde então, destacam-se a do Palácio das Artes (Porto), a do Palácio dos Anjos (Algés), Fábrica Features (Lisboa) e a da Lapa Gallery (Lisboa).

Pintou e continuou a cantar onde amadureceu um novo amor chamado Jazz que a levou a festivais como o “Outjazz”, salas como as dos Casinos Estoril e Lisboa, Hotéis de Luxo, Santiago Alquimista, Hard Club, ao Silk, Palácio de Seteais, Palácio Ribeiro da Cunha, entre outras, sem descurar o seu lado de mulher apaixonada com que nos continua a brindar nas suas performances de Música House.