Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Programa infanto juvenil de animação continua em agosto

 

 

Nas Bibliotecas Municipais


 

A Câmara Municipal de Palmela continua a promover, em agosto, o Programa infanto juvenil de animação de verão. Destinado aos utilizadores mais jovens da Rede Municipal de Bibliotecas Públicas do concelho, este programa integra várias sessões da “Hora do Conto”, com a dramatização de contos atuais de diversos autores, e ateliers educativos, ecológicos e solidários, sempre às 15 horas.

Inscrições gratuitas na Biblioteca Municipal de Pinhal Novo, através do telefone 212336638 ou do email db@cm-palmela.pt.

 

 

AGOSTO

 

 

Atelier “És capaz de ajudar o ambiente? Então, reutiliza e contribui para a reciclagem”

Construção de brinquedos criativos com materiais recicláveis.

Dia 1 – Biblioteca de Pinhal Novo

Dia 2 – Biblioteca de Palmela

Dia 3 –Pólo de Marateca

 

Hora do Conto “Vem aí o Zé das Moscas”

Dia 8 - Biblioteca Municipal de Quinta do Anjo

Dia 9 – Biblioteca Municipal de Pinhal Novo

Dia 10 – Biblioteca Municipal de Palmela

 

Atelier “Descobre a alegria que é brincar com meninos diferentes de ti.” | Jogo das diferenças.

Dia 16 – Biblioteca Municipal de Pinhal Novo

Dia 17 – Biblioteca Municipal de Palmela

 

Hora do Conto “Os meninos de todas as cores”

Dia 22 - Biblioteca Municipal de Quinta do Anjo

Dia 23 – Biblioteca Municipal de Pinhal Novo

Dia 24 – Biblioteca Municipal de Palmela

 

Atelier “Partilha alimentos, roupa e brinquedos com quem mais precisa. Reinventa uma peça de roupa usada, dando-lhe nova vida”.

Dia 29 – Pólo de Poceirão

Dia 30 – Biblioteca Municipal de Pinhal Novo

Dia 31 – Biblioteca Municipal de Palmela

 

Oficinas de Canto Tradicional em Palmela

Com Celina da Piedade


 

A partir de 3 de setembro, o Cineteatro S. João, em Palmela, recebe oficinas de Canto Tradicional com Celina da Piedade. De carácter semanal, estas aulas de canto serão desenvolvidas em torno dos repertórios tradicionais e do património imaterial, com o objetivo de criar um ponto de encontro para quem gosta de cantar e se interessa pelo cancioneiro popular português.

Dinamizadas por Celina da Piedade – artista de renome, que tem trabalhado, entre outros, com Rodrigo Leão, Attambur, Dazkarieh, Virgem Suta ou Homens da Luta – estas oficinas destinam-se a maiores de seis anos e decorrerão às terças feiras, entre as 19 e as 20 horas.

A mensalidade terá um valor de 20 euros (15 euros para munícipes do concelho de Palmela). Inscrições abertas através do telefone 212336630.

 

Varinas de Lisboa

 

Arquivo Municipal, Rua da Palma 246, Martim Moniz

2ª-sáb das 10h às 19h

Canastra à cabeça, rodilha sobre o chapéu, roupas demasiado gastas, pés descalços… Assim eram as varinas no início do Século XX. Gente simples, trabalhadora, pobre... Ao fundo, o Tejo e as faluas. O peixe acabadinho de chegar, os pescadores e as reivindicações sociais compõem o resto do cenário da vida daquelas mulheres, algumas ainda crianças, e dão-nos um vislumbre da Lisboa daquela época. As 23 fotografias de Joshua Benoliel, considerado o primeiro fotojornalista português, estiveram expostas noutras ocasiões e aterram agora no Arquivo Municipal de Lisboa. Uma oportunidade para ligar a máquina do tempo e conhecer o trabalho do homem que retratou a realidade portuguesa daqueles anos, incluindo a Revolução de 1910 e as campanhas do nosso exército durante a Primeira Guerra Mundial. / Cláudio Braga

Fonte: leCool

Feira do Príncipe Real

30 de julho

 

Jardim do Príncipe Real, Príncipe Real

Das 10h às 19h - último sab do mês e segunda seguinte

 

Ao batente de cada último sábado do mês e da segunda feira seguinte, a orla do Jardim do Príncipe Real preenche-se de artífices, de artistas  e de vendedores, fazendo crer que os vendilhões do templo - aqui o templo é em verde vegetal - foram injustamente expulsos. Jardim pleno de história, outrora chamado de Alto da Cotovia, ou de Praça Rio de Janeiro e agora nomeado como do Príncipe Real ou Jardim França Borges, é ainda mais merecedor de visita quando se lhe acrescenta objetos de arte e bugigangas à espera de ocasião. / Farfaleta

Fonte: LeCool

Venham mais cinco - Homenagem a Zeca

29 de Julho

16h

 

Baixa-Chiado PT Bluestation, Estação de Metro Baixa-Chiado

 

 

Zeca Afonso figura do imaginário referencial. Facilitou-nos abril ao amanhecê-lo com Grândola Vila Morena; todos os dias podemos (re)começá-lo. Zeca, em 1984: “Os jovens, digo os jovens de todas as classes, estão um pouco à mercê de um sistema que não conta com eles, que hipocritamente fala deles. O 25 de abril não foi feito para esta sociedade, para aquilo que estamos agora a viver. [...] Eu creio que a única atitude foi aquela que nós tivemos, nós, refiro-me à minha geração, de recusa frontal, de recusa inteligente, se possível até pela insubordinação, se possível até pela subversão do modelo de sociedade que lhes está a ser oferecido. [...] Tal como nós, eles têm de a combater, têm que a destruir, têm que a enfrentar, com todas as suas forças, organizando-se, para criarem a sociedade que têm em mente, que não é, com certeza, estou convencido, a sociedade de hoje.” Homem de Homen-agens. / Inês Pires

Fonte: LeCool

André Fernandes - Motor

29 de Julho

17h

 

Parque Eduardo VII,

Um momento para mais uma devida homenagem e uma prolongada vénia a um dos génios musicais desaparecidos, Bernardo Sassetti. Com André Fernandes gravou e rodou Motor, que desagua em quarteto a mais um momento Out Jazz. A composição conta com Óscar Graça no piano, Demian Cabaud no contrabaixo, Marcos Cavaleiro na bateria, José Pedro Coelho no sax e Susana Santos Silva no trompete. De fecho, a batida selecionada por Mr. Mute. / Fernando Mondego

Fonte: LeCool

20ª Feira Urbana da Graça

 

Das 9h às 19h | 28 e 29 jul

Largo da Graça, Graça

Glamour na sua etimologia gramarye, gram e/ou grammar, refere-se a magia ou uma espécie de encantamento, ao peso de determinados ingredientes numa poção mágica ou ainda o conjunto de regras que pautam a linguagem. Agora imagine-se o encontro destas origens nos tempos subsequentes. Os ingredientes que vêm regulando o belo e do tendencialmente belo, ondeglamour, na sua protuberância exponencial, veio vender o encantamento às nossas portas da perceção. O glamour puxou o lustre à aparência, à linguagem e às relações objetais e enfeitiçados vestimos, compramos, trocamos, vendemos, despimos, montamos, mostramos e exibimos. Nos próximos dias 28 e 29 de julho vai acontecer a Feira Urbana da Graça e diz que terá moda, fotografia, ilustração, joalharia, reciclagem e produtos típicos portugueses e imaginem, sob o tema glamoourrr.  / ~

Fonte: LeCool

Pág. 1/11