Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Festim 2015: Brasil, samba e lotação esgotada

O próximo concerto no Cine-Teatro de Estarreja tem o carimbo do Festim - Festival Intermunicipal de Músicas do Mundo. Hamilton de Holanda e Diogo Nogueira são os protagonistas e apresentam “Bossa Negra”, distribuindo imagens de um Brasil contemporâneo por uma plateia já sem lugares disponíveis. Dia 3 de julho, sexta-feira, Estarreja rende-se a tanto Brasil.

image002.jpg

 

São dois gigantes, dois nomes maiores da música brasileira. Por um lado Hamilton de Holanda, o “Jimi Hendrix do bandolim”, acompanhado pelo seu instrumento inovado com 10 cordas; por outro Diogo Nogueira, cantor e estrela do samba. Dupla que se vai sentir em casa, não fosse o concelho de Estarreja conhecido pelo majestoso desfile de Carnaval e brilho das escolas de samba. Em sete edições, é a primeira vez que o Festim garante casa cheia no CTE, reflexo da pertinência do concerto e ligação às características do território.
A união destes músicos chama-se “Bossa Negra”, disco e espetáculo que a 7ª edição do Festim transporta até ao CTE esta sexta-feira, 3 de julho, pelas 22 horas, prometendo elevar a sala de espetáculos a um mini sambódromo ao som de um alinhamento mestiço, de fusão e carregado de alma brasileira. São temas originais da dupla e versões de outros artistas como Caetano Veloso, Arlindo Cruz, Ary Barroso, Vinicius de Moraes e Pixinguinha, com duetos de voz e bandolim acompanhados pelo contrabaixo de André Vasconcellos e percussões de Thiago da Serrinha.
“Salamandra”, “Brasil de Hoje” e “Bossa Negra”, single homónimo do disco lançado em agosto passado, são alguns dos temas que vão ecoar este Brasil universal, sempre com o morro no coração.
Tertúlia com Hamilton de Holanda no mesmo dia do concerto
Às 15 horas, também no dia 3 de julho, o CTE e o Festim promovem um workshop, num ambiente de tertúlia e conversa informal, com o instrumentista Hamilton de Holanda, virtuoso do bandolim nascido na tradição do choro. Poucas horas antes do concerto com Diogo Nogueira, o “Jimi Hendrix do bandolim” quer partilhar com a comunidade as suas conquistas no universo artístico e partilhar conhecimentos. Para músicos ou curiosos, esta tertúlia revela-se uma fantástica oportunidade de privar cara a cara com um dos melhores.
Com duração de 90 minutos, as inscrições são gratuitas e válidas até 2 de julho. Os interessados devem preencher o formulário de inscrição disponível online ou contactar o CTE para o 234811300 ou 925651668.
Único festival português a integrar a rede europeia European Forum of Worldwide Music Festivals, o Festim chegou ao público no verão de 2009, recebendo a herança do “Festival Temático de Músicas do Mundo” (2002-2008). Estruturado numa programação em rede, composta atualmente por seis municípios da Região de Aveiro, este festival é coordenado pela d’Orfeu Associação Cultural e representa uma mais-valia em termos de oferta artística, qualificação de públicos e aproximação de culturas. Estarreja associa-se ao Festim desde a primeira instância. Com palco privilegiado no CTE, este festival levou no total 20 concertos e distantes geografias às terras do Antuã.

 

SEX 3 JUL 22H00 Bossa Negra
Diogo Nogueira voz Hamilton de Holanda bandolim André Vasconcellos contrabaixo Thiago da Serrinha percussão [MÚSICA] 6€ / 4€ (Cartão Amigo, Cartão Sénior e Jovem Municipal, Cartão d’Orfeu e Sócios da Fundação Inatel)

 

Polémicas Europeias em discussão no Museu do Oriente

 

 

O%20rapto%20de%20Europa_Simone%20Cantarini_ca%2016

 

As polémicas europeias estão na base de um ciclo de quatro conferências que se realiza no Museu do Oriente, de 7 de Maio a 10 de Setembro, às 18.30.

 

O conflito na Ucrânia, a volatilidade dos comportamentos políticos, a força das correntes populistas e as divisões persistentes na União Europeia, antecipam uma transformação cujo sentido final não está ainda decidido. Portugal não tem alternativa à integração europeia mas necessita de uma visão nacional e uma posição própria, perante as principais questões políticas, para poder definir autonomamente o seu lugar na União Europeia.

 

A primeira sessão, no dia 7 de Maio, aborda o tema “A União Europeia e a crise na Grécia” e conta com a participação de Jorge Sampaio (antigo Presidente da República) e Vítor Bento (membro do Conselho de Estado), numa conversa moderada por Carlos Monjardino, presidente da Fundação Oriente.

 

Os próximos encontros contam com as participações de figuras de referência na análise do panorama social e político europeu como Chris Patten (chanceler da Universidade de Oxford), António Vitorino (presidente da Notre Europe - Institut Jacques Delors), Jaime Gama (antigo Presidente da Assembleia da República), Ulrich Brandenburg (Embaixador da República Federal da Alemanha em Portugal), João Ferreira do Amaral (membro do Conselho Económico e Social) e Maria João Rodrigues (antiga Ministra do Trabalho e da Solidariedade Social), para debater temas como “Portugal e o futuro da Europa” (11 de Junho), “A crise na Ucrânia e a defesa europeia” (2 de Julho) e “O declínio europeu é reversível?” (10 de Setembro).

 

De entrada livre, este ciclo de conferências é organizado pela Fundação Oriente, o Instituto Português de Relações Internacionais da Universidade Nova de Lisboa e o jornal Público.

 

Ciclo de Conferências

Polémicas Europeias

 11 de Junho; 2 de Julho; 10 de Setembro

Horário: 18:30

Entrada livre, sujeita à capacidade da sala

 

Museu do Oriente, Avenida Brasília | Doca de Alcântara (Norte) | 1350-362 Lisboa

Tel.: 213 585 200 | E-mail: info@foriente.pt

www.museudooriente.pt

Exposição Contrastes - NH Campo Grande

HOTEL NH LISBOA CAMPO GRANDE ACOLHE EXPOSIÇÃO DE MARIA JOSÉ PUERTO

 

“Contrastes” da pintora Maria José Puerto exibida até 30 de Junho

image002.jpg

 

A exposição é gratuita e está aberta ao público até ao dia 30 de junho.

A mostra convida os visitantes a uma descoberta pelas obras abstratas da artista, que tornam a paisagem, luz e cor numa nova imagem lírica conseguida pela atividade interior da pintora. Através de cores vibrantes e sedutoras, Maria José Puerto utiliza as telas como um meio de expressar sentimentos e emoções.

Paisagens, campos, efeitos de sombra ou luz da noite, água do lago e montanhas, são algumas das temáticas que compõem o vasto trabalho da artista.

Maria José Puerto conta com diversas exposições individuais e coletivas por diversos lugares, como Hong Kong, Barcelona, Londres, Nova Iorque e Estocolmo. As obras presentes na exposição, distribuídas pelo lobby e restaurante do Hotel estão disponíveis para venda, podendo ser adquiridas no próprio local.

Avenidas Novas abre portas ao Teatro

 

Dois euros e cinquenta cêntimos é o valor que os residentes da Junta de Freguesia de Avenidas Novas vão começar a pagar por uma ida ao teatro.

 

Com o objetivo de promover e dinamizar o acesso à cultura, a Junta de Freguesia de Avenidas Novas firmou um protocolo com o Teatro Aberto. Celebrado no dia 9 de junho, este protocolo, dirigido de forma equitativa a toda a população residente na freguesia, permite que todos os residentes, devidamente credenciados, tenham acesso a bilhetes por um valor simbólico de €2,50.

Para ter acesso aos bilhetes, basta que os recenseados se dirijam às delegações da Junta de Freguesia de Avenidas Novas, na Avenida Marquês de Tomar, 106 A, ou na Rua de S. Sebastião, 158 A, onde receberão um documento a ser trocado pelo bilhete, na bilheteira do Teatro, efetuando assim o pagamento. Todo e qualquer pagamento é efetuado, direta e exclusivamente no Teatro.

Para marcações de grupo, a reserva terá de ser feita previamente no Teatro (pessoalmente ou por telefone) para validar a existência do número de lugares pretendidos. O restante processo decorre tal como indicado para os individuais.

Em cena no Teatro Aberto até ao dia 26 de julho, encontra-se a peça “As Raposas”, de quarta a sábado, pelas 21h30, e aos domingos pelas 16h00.

 

Junho nos parques e monumentos de Sintra

 

 

  • Dia Mundial do Ambiente: workshops de comedouros e caixas-ninho para aves
  • “Pão, Coentros e Bicharada” na Quintinha de Monserrate
  • Viagem à Corte do Século XVIII no Palácio Nacional de Queluz
  • Visitas sensoriais, com língua gestual e para pessoas com mobilidade condicionada

 

 O mês de junho, nos parques e monumentos de Sintra, é marcado pela celebração do Dia Mundial do Ambiente com dois workshops: o de “Comedouros para Aves” e o de “Construção de Caixas-ninho para Aves”, ambos na Quintinha de Monserrate.

Ainda na Quintinha de Monserrate, decorrerão “Sessões de Horticultura Biológica” e as atividades “O Mundo das Abelhas e Outros Insetos Polinizadores”, a “Caça ao Tesouro” e a “Pão, Coentros e Bicharada”.

Continuam a decorrer as visitas guiadas integradas no projeto “Parques de Sintra Acolhem Melhor”, que permitem a fruição do património a visitantes cegos ou amblíopes, surdos e pessoas com mobilidade condicionada: “Sentir o Património”, “Jardins de Monserrate sem Barreiras” e “Património em Gestos” (no Parque de Monserrate) e a “História com Gestos” (no Palácio Nacional da Pena).

No Palácio Nacional de Queluz terá lugar a “Viagem à Corte do Século XVIII” e em Monserrate a “Caça ao Tesouro” e o “Concerto para Bebés”.

 

 

Exposição 180 anos da morte de D. Pedro IV

Todos os dias, 09h00 – 17h00, Palácio Nacional de Queluz

Projeto museológico do Quarto D. Quixote, no âmbito dos 180 anos da morte de D. Pedro d’Alcântara de Bragança. O objetivo deste projeto museológico prendeu-se com o estudo e valorização do Quarto D. Quixote e os espaços adjacentes, bem como a figura de D. Pedro IV, através de uma nova museografia e de vários suportes interpretativos, com destaque para os digitais. Foram reunidas peças do Palácio Nacional de Queluz e protocolados empréstimos com outras instituições: Museu Nacional de Arte Antiga, Palácio Nacional da Ajuda, Museu Nacional dos Coches, Museu Militar de Lisboa e Museu Nacional Soares dos Reis. Estão expostas 48 peças, incluindo 15 pinturas e miniaturas, 15 objetos pessoais de D. Pedro IV e 9 peças de mobiliário.

- Tarifário: bilhete para o Palácio Nacional de Queluz

- Saber mais: www.dpedroiv.parquesdesintra.pt

 

 

Exposição - Melhores Imagens do BIO+Sintra

Todos os dias, 10h00 – 17h00, Info Parques de Sintra

Exposição das imagens premiadas pelo júri na sessão de Verão dos Concursos de Fotografia “Captar Sintra – A Biodiversidade das estações”, promovidos no âmbito do projeto BIO+Sintra. No espaço Info Parques de Sintra é possível ver os três vencedores da última sessão dos concursos e as quatro menções honrosas atribuídas pelo júri. Adicionalmente estão expostas no Palácio de Monserrate todas as imagens vencedoras do 1º ano do “Captar Sintra”.

- Tarifário: gratuito

  

Passeios a Cavalo e de Pónei

Todos os dias, Parque da Pena

Passeios a cavalo em que o visitante percorre, de uma forma diferente, os caminhos e trilhos do Parque da Pena. A duração dos passeios a cavalo pode variar entre os 30 e os 90 min., ou as 3h e as 6h. No programa mais longo existe a possibilidade de visitar outros polos sob gestão da Parques de Sintra e mesmo agendar um almoço em local a especificar. Todos os passeios são feitos mediante acompanhamento dos tratadores dos cavalos, que guia os visitantes através do percurso.

A pensar nas crianças, a Parques de Sintra dispõe também de uma atividade que permite aos mais novos terem a sua primeira experiência a cavalo num pónei, treinado especialmente para o efeito e acompanhados também por um dos seus tratadores.

- Passeios a cavalo: 10€/30 min, 25€/90 min, 50€/3h, 100€/6h (acresce o bilhete de entrada no Parque da Pena)

- Passeios de pónei: 5€/15 min (acresce o bilhete de entrada no Parque da Pena)

- Para garantir disponibilidade, é recomendável efetuar reserva prévia: info@parquesdesintra.pt ou +351 21 923 73 00

- A realização do passeio depende das condições meteorológicas

- Saber mais: www.parquesdesintra.pt/experiencias-e-lazer/passeios-a-cavalo/

 

 

Passeios de Charrete

Parque da Pena

Os passeios de charrete no Parque da Pena proporcionam uma verdadeira viagem no tempo num percurso entre o Vale dos Lagos e o Chalet da Condessa d’Edla, passando pela Quinta da Pena e o Jardim da Condessa d’Edla. Este passeio pode ser livre ou acompanhado por um guia especializado. Conduz os visitantes à descoberta da História deste Parque e dos seus criadores, das espécies botânicas e animais que surgem ao longo do percurso e dos edifícios históricos e recantos do jardim que se encontram no trajeto.

- De 1 de maio de 2015 a 28 de setembro de 2015, disponível de 5ª feira a domingo e feriados. É possível reservar visitas privadas em outros dias.

- O passeio pode incluir até 6 adultos ou 4 adultos e 4 crianças

 

- Percursos:

Lagos → Chalet da Condessa d’Edla (duração: 20 minutos)

Chalet da Condessa d’Edla → Lagos (duração: 20 minutos)

 

- Tarifário por percurso:

Adultos: 3,5€

Crianças e jovens (dos 4 aos 17 anos): 2€

Crianças até 3 anos: gratuito

Visitas privadas (1h): 75€ (necessário efetuar reserva prévia)

*A todos os valores acresce o bilhete de entrada no Parque da Pena, onde os programas decorrem

 

- A realização da atividade depende das condições meteorológicas

- Saber mais: www.parquesdesintra.pt/experiencias-e-lazer/passeios-de-charrete/

 

 

Exposição “Vitrais e Vidros: Um Gosto de D. Fernando II”

Todos os dias, Palácio Nacional da Pena

Exposição de um notável conjunto de vitrais dos séculos XIV a XIX, no qual se insere o mais antigo vitral conhecido em Portugal. Inclui também elementos da coleção de vidros do Palácio da Pena, uma das mais representativas coleções da história do vidro europeu existente no nosso país. Recentemente, passou também a englobar algumas peças que pertenceram à coleção de vidros do rei D. Fernando II e que são das reservas do Museu Nacional de Arte Antiga.

- Tarifário: bilhete para o Palácio Nacional da Pena

- Saber mais: www.parquesdesintra.pt/evento/exposicao-vitrais-e-vidros-um-gosto-de-d-fernando-ii/

 

João Araújo ganha a 7ª edição dos Monstros do Ano

A 7ª edição dos Monstros do Ano ficou marcada pela extensa lista de nomeados e pelo extraordinário nível qualitativo de todos.

Ao todo 11 categorias, mais de 60 nomeações e um prémio especial para a Heroína do Ano atribuído à Dona Maria Nery que apanhou a Vaca Brava em Moldes (http://cmtv.sapo.pt/atualidade/detalhe/fim-do-pesadelo-de-moldes-a-vaca-brava-ja-foi-capturada144553500.html )

A lista completa e todas as imagens referentes aos nomeados estão alojados na página oficial do evento: www.facebook.com/monstrosdoano

Aqui ficam as categorias e os respectivos vencedores:

Categoria Frase do Ano
Vencedor: Bruno Carvalho com " O futebol português é como um ânus"

Categoria Sócrates
Vencedor: General Palhaço

Categoria Praga do Ano
Vencedor: Kizomba

Categoria Duelo do Ano
Vencedor: Paulo Núncio vs Eduardo Cabrita

Categoria Monstro em Directo
Vencedor: Banhista de Carcavelos

Categoria Trip do Ano:
Vencedor: Gustavo Santos

Categoria Vilão do Ano:
Vencedor: Manuel Palito

Categoria Música do Ano:
Vencedor:Ana Malhoa

Categoria Vítima do Ano:
Vencedor: Senhor Dionísio

Categoria Herói do Ano:
Vencedor: Dona Maria Nery

Categoria Monstro do Ano:
Vencedor: João Araújo

João Araújo, advogado de José Sócrates, fez chegar à organização uma carta de agradecimento que mais uma vez vai de encontro ao espírito de enorme fair play e diversão que se pretende para a cerimónia. É a versão integral da mesma que aqui deixamos no final deste comunicado.

A Guronsan e Xarão Licores patrocinam os Monstros do Ano. O Canal Q e a Antena 3 são os seus media partners. A 7º edição, apresentado por Ana Markl e Fernando Alvim, foi realizada na sala principal do Cinema São Jorge com o apoio da EGEAC.

A organização agradece a divulgação da presente notícia e relembra que no mundo somos todos monstros, mas há uns que são mais monstros do que outros.



Mensagem de agradecimento de João Araújo:

''Dá-me Você a saber ter eu sido escolhido – espero que democraticamente e por um júri alargado – Monstro do Ano. Agradeço-lhe, e ao júri, comovido e emocionado, até porque nunca na vida ganhei alguma coisa que se visse, ou mesmo que se não visse. E logo Monstro e do Ano!

Como Você sabe, Monstro não significa (ao contrário do que pensam os ignorantes) uma criatura horrível, de ignominiosa feiura e bruto feitio, um ogre, que nem um beijo de uma princesa consegue converter em objecto comestível. Monstro é, pelo contrário, um ser ou um evento maravilhoso, que prova, isto é que demonstra a existência de Deus ou de outras divindades, à escolha do freguês.

Muito obrigado, portanto, por esta distinção, que até acho merecida (o lema da minha família é “Para sermos perfeitos, só nos falta ser modestos”). Infelizmente, não a poderei aceitar. E não poderei comparecer à gala de entrega dos prémios. Deixe-me explicar o porquê, da não aceitação e da ausência.

Começando pela ausência, sem menosprezo pela importância desse evento, já estou comprometido com o meu Neto, que faz anos no apontado dia 26, e que não me perdoaria, como também eu não me perdoaria, preterir a qualquer outra coisa esse um dos prémios da minha vida (ele, sim, é um Monstro).

Quanto à não aceitação, não me parece adequado deixar que se associe a pessoa e a circunstância do meu Constituinte (porque, afinal, é por causa dele, e só por causa dele, que eu sou um Monstro) a uma distracção, ainda que legítima e inofensiva.

É que tudo isso, e muito mais, torna inadequada e dasaconselhável a distracção – pelo contrário, penso que é necessária e urgente a concentração absoluta, a preocupação toda, com o que se passa neste País. O bem mais precioso que existe, para alguns mais precioso do que a própria vida, a Liberdade (de todos, não apenas de um) está gravemente posta em causa e em risco: uma associação funesta de corporações mesquinhas e ambiciosas, de poder e de dinheiro, tem vindo a abocanhar esse bem precioso e a abocanhar o País. Para isso, usa tudo, usa as invejas que semeia, usa o ódio que constrói, usa a cobardia em que descansa, usa a distracção que impede que se veja o País triste, amargo e doente em que nos tornaram.

Porque, em momento nenhum me largam esta amargura e este luto, mal me ficaria ir estragar-lhe a festa com a minha presença triste. Daí, a ausência.

Mas não perderá Você pela demora. Se continuarmos a lutar contra tudo isto, se mais gente se concentrar na necessidade de resistir, tudo isto terminará brevemente e em bem. E Você terá oportunidade, então, de distinguir muitos Monstros, os verdadeiros (como eu espero ser) e os mostrengos, que ficarão, então, à mostra, nus e revelados.

Até lá, as minhas cordiais saudações
João Araújo''
 
 

Mais informações:
www.facebook.com/monstrosdoano
E. monstrosdoano@gmail.com

Passeio com a Lua nas Serras do Louro e Gaiteiros

Câmara apoia Passeio com a Lua nas Serras do Louro e Gaiteiros

 

 

A Câmara Municipal de Palmela apoia o Passeio com a Lua, nas Serras do Louro e Gaiteiros, uma iniciativa da Arrábida Dreams que decorrerá no dia 4 de julho, às 20h00.

Com partida  do Castelo, a caminhada dirige-se à Ribeira do Livramento, seguindo em direção à Serra do Louro e com regresso a Palmela, de volta ao Castelo, à Taverna Bobo da Corte, onde os caminheiros poderão contar com uma mesa de vinhos, queijo, pão e enchidos, para degustação.

Mais informações em www.arrabidadreams.com.

 

 

Distância: 12,5 Km | Nivel III (Ia III)

Valor por pessoa: 12,5 euros (crianças até aos 12 anos: 7,5 euros) | Inclui seguro de responsabilidade civil, percurso guiado e petisco, no final

Informações e reservas: 914212397 ou 938262684 | info@arrabidadreams.com

 

Le Chazz + Le Chat Noir (Janelas Verdes) - Programação Junho 2015

cartaz_web_noir_junho.png

 

 
Le Chat Noir Junho 2015:
 
Sex 05 - Justin Case
Sáb 06 - Dedy Dread
 
Sex 12 - Isac Ace
Sáb 13 - D.J. B.R.O.S
 
Sex 19 - Camboja Selecta
Sáb 20 - Orlando Carter
 
Sex 26 - Yugo Dee
Sáb 27 - Emylis
 

HORÁRIOS: 22h - 03h.

ENTRADA LIVRE

MORADA: Jardim 9 de Abril (ao lado do Museu Nacional de Arte Antiga), Lisboa (Janelas Verde)

LINKS: Le Chat Noir Facebook

Pág. 1/22