Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Barreiro assinala Jornadas Europeias do Património com Moinho de Vento Nascente reabilitado

Barreiro assinala Jornadas Europeias do Património com Moinho de Vento Nascente reabilitado

 

O Barreiro assinalou as Jornadas Europeias do Património com um conjunto de iniciativas com o tema “Património Natureza: Pessoas, Lugares, Histórias – Moinhos de Alburrica: reabilitação do Moinho de Vento Nascente”.

 

JEP 2017-79_n-Conversa.jpg

 

Ao final da tarde de sexta-feira, 22 de setembro, foi assinado o Protocolo de Doação de Espólio de Augusto Pereira Valegas entre o Município do Barreiro e a Família Valegas. A cerimónia, junto ao recém recuperado Moinho de Vento Nascente de Alburrica, foi abrilhantada por um apontamento musical com Violinista Miguel Vaz.

 

A doação, num “ato simbólico muito importante para nós”, conforme afirmou a filha Amália Valegas, representante da família, reúne o espólio resultado de anos de trabalho do pai. Augusto Valegas, figura incontornável, Medalha de Honra do Concelho, esteve, recorde-se, envolvido na criação e realização dos Jogos Juvenis do Barreiro, um ícone na Região exemplo no País, e foi editor de “Um Olhar Sobre o Barreiro”, Revista não Periódica, nas bancas de 1981 a 1997, um retrato do Concelho, ainda a hoje um contributo para a “reconstrução” da História do Barreiro e para a preservação da memória coletiva. De acordo com Amália Valegas, o espólio será acolhido no Espaço Memória onde será catalogado, digitalizado, e disponibilizado ao público.

O Presidente da Câmara Municipal do Barreiro (CMB), Carlos Humberto de Carvalho, lembrou a personalidade “com quem a gente discutia mas, fundamentalmente, trabalhava, construía” e momentos em que se fez “cultura” mas, também, “resistência” e “democracia” – “momentos muito importantes que nos marcaram para o resto da vida”, disse, fazendo, ainda, questão de assinalar a localização daquela sessão perante “uma vista maravilhosa”, com o Rio como pano de fundo.

 

 

 

Conversa sobre o Património Moageiro e a Classificação de Interesse Municipal

 

Na tarde de sábado, dia 23, realizou-se, igualmente, junto ao Moinho de Vento Nascente de Alburrica, uma Conversa sobre o Património Moageiro e a Classificação de Interesse Municipal do Sítio de Alburrica e do Mexilhoeiro e o seu Património Moageiro, Ambiental e Paisagístico.

 

Na sessão, marcaram presença Jorge Miranda, CEO da Etnoideia, empresa especializada no desenvolvimento Rural, Molinologia e Etnoturismo, responsável pelo projeto de reabilitação do Moinho, os técnicos da Autarquia, do Espaço Memória, António Camarão, e o Chefe da Divisão de Planeamento Ambiente e Mobilidade, João Paulo Lopes, e o Presidente da CMB.

 

António Camarão frisou o caráter “emblemático” e “simbólico” que os moinhos têm para os barreirenses, numa zona paisagem natural, “modelada pelo homem”.

 

João Paulo Lopes falou do território e apresentou o pensamento e visão para o local, onde existe memória da existência de mais de uma dezena de moinhos de vento e de outros tantos de maré. O técnico municipal referiu a orientação para a “preservação e requalificação das frentes ribeirinhas” e os seus patrimónios vários, e enfatizou o caráter turístico daquele local, tão próximo Lisboa, como “algo que pode ser potenciado”, contemplando a “eventualidade de criar redes” ao nível da margem sul – “não competir mas cooptir”, disse.

“Aqueles milhões de pessoas [em Lisboa] não lhes passa pela cabeça a excelência que há aqui”, disse Jorge Miranda. Os moinhos refletem conhecimentos do Sec. XVIII, que, disse, “são, na sua génese:  investigação, tecnologia de ponta”.

O especialista reconheceu, também, o potencial turístico da zona: “É preciso vir a primeira vez… depois vem-se muitas vezes”.

O moinho nascente tem uma inclinação de 4cm, fruto da erosão, pelo que terá que haver alguma intervenção para corrigir esta situação, informou o Presidente da CMB. Carlos Humberto de Carvalho salientou que as velas dos moinhos e as velas da embarcação muleta, nesta altura, em processo de construção, são ícones do Barreiro.

 

Atividades com a comunidade escolar

 

Na sexta-feira, 22 de setembro, decorreram, também, duas sessões do Teatro de Marionetas “O Principezinho visita o Barreiro”, apresentadas pelo técnico da Autarquia João Gomes à comunidade escolar, seguidas de visita ao Moinho de Vento Nascente de Alburrica.

As visitas ao Moinho foram guiadas por um “moleiro do séc. XVIII” e pelo especialista Jorge Miranda, da Etnoideia.

O Moinho de Vento Nascente tem um mastro com cerca de 10 metros e varas de sete metros.

 

O Programa das JEP incluiu, ainda, Passeios de Varino Pestarola diurnos (com circuito pelo património classificado, de Alburrica à Quinta da Braamcamp) e noturno.

Out.Fest de 4 a 7 de outubro abre Mês da Música no Barreiro

Out.Fest de 4 a 7 de outubro abre Mês da Música no Barreiro

 

mes da musica-divulgacao digital.jpg

OUTFEST17_web_4_1000px.jpg

 

Outubro é o Mês da Música no Barreiro. O Out.Fest – Festival Internacional de Música Exploratória do Barreiro, de 4 a 7 de outubro, em vários locais do Concelho, assinala o arranque deste Mês repleto de iniciativas com sons harmoniosamente combinados. Toda a programação atualizada do Mês da Música, assim como novidades, pode ser consultada no Sítio Oficial da Câmara Municipal do Barreiro na Internet – www.cm-barreiro.pt – ou na sua página do Facebook – www.facebook.com/municipio.barreiro.

 

«A 14ª edição do OUT.FEST traz ao Barreiro duas dezenas de concertos de música aventureira, surpreendente e desafiante, em espetáculos a realizar em diversos espaços emblemáticos da cidade – um deles a Igreja de Santa Maria, que acolherá o concerto inaugural no dia 4 de outubro: um projeto especial que junta o compositor Jonathan Uliel Saldanha ao Grupo Coral TAB e Coro B-Voice para um espetáculo inédito.

 

Nas restantes noites do festival, destaque para o compositor Charlemagne Palestine (atua dia 5 no Museu Industrial da Baía do Tejo) e para as lendárias bandas Pere Ubu (atuam a 6 no Auditório Municipal Augusto Cabrita) e This Heat (dia 7, na ADAO).

 

O OUT.FEST é um dos dois únicos festivais nacionais a ter atingido a fase final dos European Festival Awards, em 2016 (lado a lado com o Nós Alive), e tem como principais apoios o Ministério da Cultura / Direção-Geral das Artes, a Câmara Municipal do Barreiro, a Baía do Tejo e a Entidade Regional de Turismo da Região de Lisboa. A programação é uma parceria entre as associações culturais OUT.RA e Filho Único.

 

Todas as informações sobre o programa, bilhetes e locais podem ser consultadas em www.outfest.pt»

Fonte: OUT.RA

 

Programa completo:

4 outubro (4ªf)

Igreja de Santa Maria

Jonathan Uliel Saldanha & Coral TAB + Coro B-Voice

 

5 outubro (5ªf)

Museu Industrial da Baía do Tejo

Caterina Barbieri

Charlemagne Palestine

Quarteto de Sei Miguel

 

6 outubro (6ªf)

Auditório Municipal Augusto Cabrita

Pere Ubu (The Moon Unit)

Casa Futuro (Pedro Sousa, Johan Berthling & Gabriel Ferrandini)

Lolina (Inga Copeland)

 

7 outubro (sáb)

ADAO

Bookworms

Nocturnal Emissions

This is not This Heat

Jejuno

Simon Crab

Colectivo Vandalismo

Gyur

Black Dice

DJ Nigga Fox

Putas Bêbadas

Alex Zhang Hungtai, David Maranha & Gabriel Ferrandini

DJ Problemas

 

CMB

Dia Mundial do Turismo | 27 de setembro

Flyer Turismo.jpg

 

A Câmara Municipal do Barreiro associa-se, no dia 27 de setembro, às comemorações do Dia Mundial do Turismo, com a realização das seguintes iniciativas:

 

- Viagens no Varino Pestarola mediante inscrição | 9h30 – 12h00 e das 14h30-17h00

 - Primeira exibição do “teaser” do documentário Making Of da Muleta no Posto de Turismo | 10h30 – 13h00 e das 14h30-18h00

 

 

Informações e Inscrições no Posto de Turismo.

Horário: 3ªf a sábado das 9h30-13h00 e das 14h30-18h00.

Tel.: 212 068 287.

23 setembro | Principezinho visita o Barreiro | Biblioteca Municipal do Barreiro

principezinho.jpg

 

 

No próximo dia 23 de setembro, sábado, pelas 11h00, terá lugar a estreia da peça “O Principezinho visita o Barreiro”, pelo Animador Sócio Cultural da CMB, João Gomes, na sala multiusos da Biblioteca Municipal do Barreiro.

As inscrições encontram-se abertas e deverão ser efetuadas para o contacto:  212068659.

 

Público-alvo – familiar

Duração: 1h15

Limite de inscrições: 15 crianças acompanhadas pelos pais

 

Sinopse: Apresentação de marionetas de vara com o titulo “Principezinho visita o Barreiro”, uma adaptação da história “O Pequeno Príncipe”, de Antoine de Saint – Exupéry.

Esta peça será apresentada a partir de uma mala de viagem onde as personagens, os cenários e outras peças de cena, como os moinhos de Alburrica, se vão apresentando.

No final da peça será promovido um ateliê de construção de um moinho de vento.

 

CMB

Inscrições abertas | Artistas a Brincar

23 setembro 2017.jpg

 

Ateliê “Artistas a Brincar”

Inscrições abertas

Encontram-se abertas as inscrições para o próximo Ateliê “Artistas a Brincar” agendado para o dia 23 de setembro, sábado, das 14h30 às 17h30, na Biblioteca Municipal do Barreiro.

Neste ateliê vamos brincar com a geometria e perceber como a podemos encaixar nas nossas criações. A brincar com formas e cores, vamos construindo, passo a passo, as nossas obras-primas.

O ateliê, inserido no projeto “Sonhar Acordados”, tem o valor de 10€.

Os participantes deverão levar roupa confortável e lanche.

Inscrições e mais informações: 93 5028549, ou pelo email: sonharacordados@gmail.com.

 

A Biblioteca Municipal do Barreiro está situada na Rua da Bandeira, Urbanização do Palácio do Coimbra, 2830-330 Barreiro, Telefone: 21 206 86 56 (Receção), email: biblioteca.municipal@cm-barreiro.pt .

 

 

A reprodução textual da informação implica a referência da sua autoria: CMB

“Um bouquet de rosas e outros conflitos” na Biblioteca Municipal

A Biblioteca Municipal do Barreiro irá acolher a 23 de setembro, sábado, a exposição de artes visuais “Um bouquet de rosas e outros conflitos”, de Ana Nogueira e Fernanda Martins. A inauguração está agendada para as 17h00.

A exposição estará patente ao público até 30 de outubro. 

 

Cartaz_exposição_Rosas (004).jpg

 

Inserido no projeto “Conhecer a Guerra Defender a Paz”, “o trabalho apresentado em exposição resulta de um processo de interiorização dos conceitos de guerra e de paz por parte das autoras, mobilizando a perceção destes fenómenos através dos sentidos, da experiência vivida e mobilizando competências de expressão criativa. Sendo um tema abrangente, Ana e Fernanda, exploraram-no em diferentes perspetivas pessoais.

É possível traduzir guerra e paz, em conflito e quietude interiores, na relação do eu com o mundo.

Um bouquet de rosas é um recurso estilístico para melhor revelar a complexidade desta dicotomia guerra/ paz. Tal como no poema de Vinicius, a mais bela flor pode servir para representar a fealdade. O prazer da contemplação, o perfume fresco coexiste na mesma figura metafórica com a dor, a decadência humana. Na verdade, a complexidade reside nesta confluência de todos os males com a realização construtiva do ser humano. Caos e sistema coabitam, por vezes inexplicavelmente articulados. A força criativa da exposição está na expressão desta perplexidade sobre a existência humana: individual e coletiva”.

 

Biografias

Ana I.M. Nogueira – “A sua formação profissional/académica abrange as artes visuais e a educação em arte. O desenho e as artes performativas são áreas que têm despertado interesse, tendo realizado intervenções artísticas neste âmbito, como o projeto Home, patente no Pavilhão do Conhecimento em 2014, Lisboa ou a exposição Variações de um Rio, na galeria de exposições da Câmara Municipal de Palmela, em 2015. Artista e professora: na sua atividade criativa recorre a um processo autobiográfico, porque acredita que o desenvolvimento individual é uma fonte de reflexão e produção artísticas”.

 

 

Maria Fernanda C. Martins – “Com formação profissional e académica em Design e Arquitetura, tem desempenhado funções docentes no âmbito das artes visuais. A expressão artística através do desenho e da pintura são as áreas de realização pessoal. As exposições, individuais e colectivas, em Setúbal, em Palmela, no Barreiro e em Lisboa, como, “As imagens da Alma”, em 1995, no ISPA de Lisboa, constituem pontos marcantes na sua atividade artística. O apelo à realização artística constitui desde sempre, uma forma de se interrogar e de desenvolver competências técnicas e criativas no seu envolvimento pessoal e coletivo com o mundo”.

 

 

 

 

 

“Memorias de objetos esquecidos” no AMAC

No próximo dia 16 de setembro, pelas 17h00, será inaugurada a exposição “Memorias de objetos escquecidos”, de Opsis, no Auditório Municipal Augusto Cabrita, no piso 1, na Galeria Amarela.

 

Marios_Stavrou_1_1024_2500.jpg

 

Os trabalhos de ilustração e pintura ficarão expostos até ao dia 22 de outubro.

 

O artista nasceu a 2 maio de 1985, em Limassol no Chipre. Entre 2003 e 2008, estudou design em França e UK.

Nos últimos 5 meses, viajar, conhecer pessoas, ouvir histórias tem sido a sua prioridade na vida com o seguinte roteiro: da França aos Balcãs, Istambul através do Chipre e de volta ao frio da Europa.

 

Para mais informações contacte a Divisão de Promoção Cultural:  21 206 82 30, ou cultura@cm-barreiro.pt, ou www.opsisart.com .

 

CMB

Biblioteca Municipal apresenta os livros “Para além do Impossível” e “Enigma da Mentira: até os santos têm os seus pecados”

“Para além do Impossível”, de C. Gonçalves, e “Enigma da Mentira: até os santos têm os seus pecados”, de Paulo Gonçalves, serão os dois livros apresentados em setembro, no auditório da Biblioteca Municipal do Barreiro. O primeiro no dia 16, às 16h00 e o segundo a 23, pelas 18h00.

A entrada é livre.

 

“Para além do Impossível” - Biografia  

cartaz_apresentação_alem_impossivel.jpg

 

“C. Gonçalves é o pseudónimo desta contadora de histórias, apaixonada pela vida, pelos sonhos, pelas emoções e pelo amor.

Nascida em 1972 no Barreiro, onde vive desde sempre.

Integra o corpo não-docente do Instituto Superior Técnico, desde 1991.

Licenciada em Estudos Europeus, Minor em Arte, Literatura e Cultura, em 2013.

Os livros e a música sempre ocuparam um lugar de destaque na sua vida, ambos associados à expressão dos sentimentos e das emoções, como um bem essencial à sua vida e dos quais não se consegue separar.

Publica desde 2015 na sua página de Facebook, as frases soltas e os pensamentos que guardou para si ao longo do tempo.

Tem dois contos publicados: «O café da minha vida» (2016) e «O tempo, faz de nós o que quer» (2017), através da iniciativa «Um livro num dia», da Chiado Editora.

«Para além do Impossível» é o seu primeiro romance”.

 

Sinopse

“Sara é uma mulher livre, independente e igualmente solitária. Com a aproximação dos quarenta anos, agarra-se à sua profissão para atingir a sua realização pessoal e faz da sua casa o seu refúgio, da sua vida um enigma. E é essa a sua forma de viver, onde usa as suas rotinas para se sentir segura.

Quando Santiago entra na sua perfeita existência e lhe vira a vida do avesso, ela irá perceber que, por vezes, o avesso é o lado certo. Mas quando tudo parece perfeito, os acontecimentos irão mostrar-lhes que a realidade pode mudar num instante e que juntos, terão que ultrapassar as dificuldades impostas pela própria vida.

Conseguirão fintar o destino e reescrever a história à sua maneira?

Um romance que aborda as relações pessoais no emprego, a diferença de idade e a descoberta do amor sem limites”.

 

“Enigma da Mentira: até os santos têm os seus pecados” - Biografia    

cartaz_enigma da mentira.jpg

 

“Paulo Costa Gonçalves - licenciado em Sociologia e Researcher Freelancer em projetos de investigação sociológica, tornou-se um contador de histórias perspicazes, que surpreendessem o leitor e os embrenhassem no passado já esquecido, onde os mistérios da História continuam a influenciar os dias atuais”.                

 

Sinopse

“Baseando-se num dos textos mais fascinantes do estudo das incursões nórdicas no ocidente peninsular e cujo documento original não chegou aos nossos dias, existindo apenas uma cópia datada do século XVII, o autor cria mais um enredo complexo, misterioso e interessante.

Estamos perante uma nova história que, além de voltar a fazer o cruzamento com a História passada, leva inicialmente, e pela primeira vez na sua vida de investigador, o “seu” inspetor Alex a sentir algo parecido com o verdadeiro medo que, no entanto, é superado pela perspicácia e inteligência a que nos habituou nas histórias anteriores.

O livro lê-se com aquele interesse que “obriga” a virar cada página à procura da solução das sucessivas situações de mistério e dúvida, encontradas na página anterior. Novamente, com uma leitura fácil mas, ao mesmo tempo, com a complexidade inerente às ligações ancestrais da História e dos mistérios que passaram pelo que é, agora, território português. O clímax da narrativa é imprevisível e garante emoções fortes mesmo até à última página”.

 

 

CMB

Festas do Barreiro terminaram com mais uma enchente

Terminou, com mais uma enchente, a edição 2017 das Festas do Barreiro. A intemporalidade dos GNR cruzou gerações atraindo ao Palco das Marés públicos de todas as idades. A consagrada banda regressou ao palco duas vezes fruto da exigência dos muitos fãs presentes que não arredaram pé até ouvirem todos os êxitos dos nortenhos.

 

Festas do Barreiro 2017_Concerto GNR-112_n.jpg

 

Milhares de pessoas passaram pelo recinto das Festas, que decorreram de 11 a 20 de agosto, nas suas várias ofertas. Música, Artesanato, Desporto, Exposições, Juventude, Mostra Empresarial e Institucional (MEI), Tasquinhas, Divertimentos, Feirantes e a vertente religiosa caracterizaram este evento, que cumpriu, mais uma vez, a tradição, “recuperada” em 2015, do "Içar do Mastro" (ou “Painel”), no Largo em frente à Igreja Nossa Senhora do Rosário, a, exatamente, um mês do início das Festas, e teve, como novidade, o Espetáculo de Abertura “Ocean Parade”, performance artística em forma de parada, com elementos de grande volumetria a remeter para o universo dos oceanos e dos rios, com o desfile de «glamorosas medusas iluminadas, golfinhos gigantes, entre outras espécies que vivem no oceano», espetáculo assinado pela Paulo Magalhães Produções, responsável pelo evento de Abertura dos Jogos do Futuro da Região de Setúbal, no Barreiro, em junho último.

 

Na noite de 17 de agosto, foi prestada uma homenagem aos Magriços, que alcançaram um brilhante e inédito 3º lugar no Campeonato do Mundo de Futebol, de 1966, em Inglaterra, e no qual se destacou Eusébio como melhor marcador, com nove golos. A sessão decorreu no recinto da MEI, com a presença de José Augusto, António Simões e Hilário da Conceição, três das glórias que integraram a Seleção Nacional da altura.

O momento recordou o percurso da equipa nacional e proporcionou a partilha de algumas “pérolas” do maior feito do futebol português a nível mundial, naquele que foi o primeiro Campeonato a ser transmitido, pela televisão, para todo o mundo, gerando um grande impacto a nível global.

 

Este encontro atraiu muitos populares, desde contemporâneos, que, de imediato, “faziam uma viagem ao passado”, aos mais jovens que se inteiravam das figuras presentes e observavam os objetos em exposição – bola, chuteiras, camisola de guarda-redes – utilizados na competição e que nunca haviam visto (nem imaginado).

 

As Festas do Barreiro, que refletiram preocupações ao nível da mobilidade e acessibilidades, apresentaram uma programação eclética, com nomes que marcam o panorama musical nacional e regional, abrangendo múltiplos estilos, desde o popular ao alternativo.

 

No último dia, o fogo-de-artifício iluminou o céu do Barreiro após o concerto com GNR. No Spot da Juventude, junto à Piscina Municipal do Barreiro, a Festa durou mais umas horas, antes do ponto-final definitivo da edição deste ano.