Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

MÁRCIO VILELA | Exposição "Estudo cromático sobre o azul"

marcio vilela_burst.jpg

 

Inaugura no próximo dia 14 de setembro, às 19 horas, a exposição Estudo Cromático sobre o Azul, de MÁRCIO VILELA.

 

A exposição, com produção da Ocupart, vai estar patente no Espaço Camões da Livraria Sá da Costa, de 15 de setembro a 13 de outubro, de segunda a sexta-feira, das 12 às 19 horas.

O Espaço Camões está localizado na Praça Luís de Camões, 22, no 4º andar, em Lisboa.

A partir de 22 de agosto ll Exposição "O Mundo Fantástico de Paula Rego" vai ter uma novidade - "Peter Pan"

A partir de 22 de agosto

 

Exposição “O Mundo Fantástico de Paula Rego” vai ter uma novidade – “Peter Pan”

image013.jpg

 

No próximo dia 22 de agosto, a Exposição “O Mundo Fantástico de Paula Rego” – que se encontra patente ao público na Praça Central do Centro Colombo e já recebeu mais de 120.000 visitas – irá contar com 21 novos quadros inspirados na obra literária “Peter Pan.

 

Estas novas obras irão substituir os atuais 26 quadros criados por Paula Rego e que são inspirados na obra literária “Jane Eyre” (em exibição desde 27 de junho até esta data), dando assim a conhecer um novo conjunto de obras da artista, igualmente relevantes, e inspiradas na obra universal “Peter Pan”.

 

Para a realização desta nova série de quadros, Paula Rego recuou à sua infância e às memórias desse seu tempo mágico, de aventuras e mistérios, e à época em que leu, pela primeira vez, o livro “Peter Pan”, oferecido pela sua ama. A artista distancia-se propositadamente das descrições pormenorizadas que fazem parte da obra literária e apresenta-nos, nesta série de 21 quadros, a sua interpretação pessoal da história e das personagens que a integram.

 

Os seus quadros refletem, assim, alguns episódios assustadores e de extrema crueldade, conforme explica a artista: “Sabia que Peter Pan era verdadeira magia, foi essa magia que tentei captar, e ela também inclui o sofrimento das crianças. Não acho que o livro de Peter Pan trate de assuntos encantadores. É como as cores bonitas das gravuras que servem para atrair o olhar do espetador. Na verdade, a história leva-nos a um mundo subterrâneo que tem um mar dentro de si, um Inferno para crianças. A doçura de Wendy maternal é um veneno e o Capitão Gancho é tolo, mas perigoso. Tem tudo a ver com magia e medo”.

 

“The Neverland”, “Learning to Fly”, “Wendy’s Song” e “Peter in the Bird’s Nest” são alguns dos quadros que integram esta nova série de obras da artista e que podem ser conhecidos, já a partir de 22 de agosto, na Exposição “O Mundo Fantástico de Paula Rego”. A mostra – que assinala este ano a 7ª edição do projeto “A Arte chegou ao Colombo” – integra um total de 59 obras, expostas pela primeira vez num espaço comercial, que englobam uma diversidade artística muito grande - gravuras, pintura, pastel (pintura) e litografias.

 

Catarina Alfaro, Curadora da Exposição “O Mundo Fantástico de Paula Rego”, salienta a propósito da nova série de quadros que irá estar patente ao público, no Centro Colombo, que “é, sem dúvida, uma oportunidade única para poder apreciar a riqueza e diversidade artística de Paula Rego, num espaço que é acessível a todos. Estes 21 quadros inspirados na obra Peter Pan mostram-nos um lado diferente da história, introduzindo-nos magicamente nesta aventura do “Rapaz que não queria crescer” e das crianças que o acompanham até à Terra do Nunca. Paula Rego mostra-nos também o lado terrífico desta história, as lutas com os piratas, um mundo subterrâneo, que corresponde a um confronto entre adultos e crianças, entre a realidade e a fantasia”.

 

Desenvolvida em parceria com a Casa das Histórias Paula Rego, com a Fundação D. Luís I e com a Câmara Municipal de Cascais, a Exposição “O Mundo Fantástico de Paula Rego” pode ser visitada até ao dia 27 de setembro, todos os dias, das 10H00 às 24H00.

 

🔺PRÓXIMOS EVENTOS 🔺 13 ▶ 17 ▶ 18 ▶19 ▶ 20 AGOSTO

6ffc67cc-16de-4f83-b433-d5dd81ec6dca.jpg

 

PRÓXIMOS EVENTOS: / UPCOMING EVENTS:
Agosto 13 Δ Curated Curators (III) > LAST DAY < Δ Amanhã 19h
Agosto 13
Δ Ciclo Ñ-Dj #45 /// ÑDj Zigur Δ Amanhã 18h 
Agosto 17-18-19-20
Δ Festival Múltiplo 2017 Δ Das 16h às 24h
 
 

81b7ffd7-90e9-458d-8d77-b6f8d8130cfb.jpg

 

 

CURATED CURATORS (III)

Curadoria de Sara & André

13. 08. 2017 | Encerramento / Closing

No dia 13 de Agosto, pelas 19h, a Zaratan- Arte Conteporânea convida para a finissage de Curated Curatos (III), o terceiro e último capítulo de uma série de exposições comissariadas por Sara & André
.

Com/With: ADELAIDE GINGA, ALDA GALSTERER, ANTONIA GAETA, CATARINA ALFARO, CATARINA ROSENDO, DAVID SANTOS, EMÍLIA TAVARES, INÊS GROSSO, JOÃO PINHARANDA, LÍGIA AFONSO, LOURENÇO EGREJA, LUÍSA ESPECIAL, MARIANA PINTO DOS SANTOS, MARKÉTA STARÁ, MARTA JECU, MARTA MESTRE, MIGUEL VON HAFE PÉREZ, NUNO FARIA, PEDRO LAPA, PENELOPE CURTIS, RAQUEL GUERRA, RUI PRATA, SANDRA VIEIRA JÜRGENS.

 

b0ba0b02-da71-498c-bcee-146736533b6a.jpg

 Ciclo Ñ-DJ

#45 /// ÑDjs Zigur

>>> Festival Múltiplo extra special sunset warm up party <<<

13 de Agosto das 18h às 22h / August 13 from 6pm to 10pm
Entrada livre / Free entry


Apesar de se ter formado na viragem da década em Lamego, o colectivo Zigur tem hoje ramificações um pouco por todo o país. Colectivo, editora, promotora e tudo o mais que for preciso fazer para agitar as águas, tem procurado encontrar a verdade e a liberdade artística através da música – seja ela de que género for. Neste set, como no catálogo da editora ou no festival que promove na terra de Nossa Senhora dos Remédios, a Zigur promete apresentar-se volátil na forma e conteúdo, descomprometida de géneros, estilos, técnicas ou fronteiras. Em vésperas de Múltiplo, multiplica-se também a boa onda generalizada no pátio mais garboso de Lisboa. >>> O ciclo Ñ-DJ*s é organizado por Boris Nunes.

 

5c156d30-20f4-469c-a7ae-467ab85136f8.jpg

 FESTIVAL MÚLTIPLO 2017

17-18-19-20 Agosto

Das 16H00 às 24H00 / From 4pm to 12pm
Entrada livre para sócios (quota anual 3 €) / Free entry for members (3€ annual fee)


Nos dia 17-18-19-20 de Agosto de 2016, a Zaratan - Arte Contemporânea e a Associação Terapêutica do Ruído apresentam a terceira edição do Festival MÚLTIPLO, um evento organizado por identidades plurais e referências cruzadas que promove a disseminação, a materialização e a multiplicação de experiências artísticas e partilhas culturais.
O festival é “Múltiplo” no sentido de variado e diferente, mas também por ser uma unidade que contém várias outras: o evento acontece em sinergia com uma série de parceiros e envolve de uma forma sustentável e interdisciplinar uma selecção de sujeitos e entidades dos mais interessantes no panorama artístico independente.
O Festival Múltiplo 2017 caracteriza-se uma forte componente de produção criativa DIY, com lançamentos de múltiplos, publicações e edições gráficas, e conta com uma programação intensa de performances, apresentações e tertúlias, incluindo a participação de dezenas de artistas nacionais e internacionais.

Co-organização: Zaratan - Arte Contemporânea e Associação Terapêutica do Ruído
Parceiros: A Besta, ZigurArtists. Alienação, Edições Senhora do Monte, Stolen Prints


PROGRAMAÇÃO

Concertos e música: Em colaboração com os nossos parceiros Associação Terapêutica do Ruído, a Besta, Alienação e ZigurArtists, o Festival Múltiplo apresenta uma programação musical ecléctica de concertos experimentais, improvisações musicais e intervenções sonoras. O Festival contará com actuações de: LEITMOTIV (MARIA DO MAR, PAULO CHAGAS, TIAGO SILVA, AUDE BARRIO), dOISsEMIcIRCUITOSiNVERTIDOS, OR SOBRE BLAU, LLAMA VIRGEM, THE CAGE CABARRETT & SILVESTRE/ALEGRIA, EARTHLY BEAST, CARDÍACO & PAULO ALEXANDRE JORGE, [UN]STABLE, ECSTASY SPACE STATION, FARWARMTH, LIMINAL, PEDRO E DIANA, CAPITÁN BAZOFIA, BISONHO (PAULO ALEXANDRE JORGE, PEDRO ARELO, JOÃO SOUSA), SHANAWAARA, AFTA 3000.

Edições Gráficas:
Movida pelo desejo de intensificar as relações entre a música e as artes visuais, a programação de concertos é acompanhada por um projecto específico de edições gráficas impressas em risografia em parceria com a Stolen Prints. Os artistas visuais convidados
, TIAGO DA BERNARDA, RUI MOURA e ANDRÉ SANTOS,, realizarão um artwork inspirado no som de cada banda a actuar durante o festival.
Com a colaboração editorial das Edições Senhora do Monte, durante o Festival Múltiplo haverá o lançamento da pasta final do ciclo LEITMOTIV, que reúne 18 publicações com intervenções de mais de 50 artistas e músicos. O ciclo aconteceu mensalmente na Zaratan entre Junho 2015 e Novembro 2016, com curadoria de BERNARDO ÁLVARES.

Ciclo Ñ-Djs
O ciclo Ñ-DJ*s,mais underground que o underground, este ciclo surge como uma prática de exploração musical compartilhada: a Zaratan convida artistas cujo trabalho seja de alguma forma relacionado com música e que não tenham pretensões ou actuações anteriores como dj´s, para seleccionarem o som que acompanha as noites de eventos, utilizando para tal qualquer artifício mecânico/digital (k7´s, leitores de mp3´s, smartphones, pda´s, rádios, etc) que não os utilizados pelos "dj´s de carreira".  Na edição do Festival Múltiplo 2017 teremos 2 Ñ-Djs convidados por cada dia, nomeadamente:
Ñ-Djs FIM COLECTIVO [TÉO PITELLA E FRANCISCA VEIGA](17 Agosto), Ñ-Djs Bertrand San & Rodrigo Araújo (18 Agosto),Ñ-Djs DAILY MISCONCEPTION [SARA ESTEVES E JOÃO M. SANTOS] (19 Agosto),N-Djs PEDRO SARAIVA E SUSANA BORGES (20 Agosto).

Lançamento de Múltiplos:
A produção de múltiplos de artistas, de pequenas publicações e edições tem sido uma parte importante da prática curatorial da Zaratan – Arte Contemporânea, com o objectivo de solidificar, materializar, dilatar e multiplicar as experiências compartilhadas com os artistas. Durante o festival Múltiplo apresentamos duas novas obras em edição limitada dos artistas visuais STÉPHANE BLUMER e MARTA ALVIM.

Eventos interdisciplinares:
Prossegue também no Domingo o ciclo de performances titulado DO LIMINAR, com curadoria de Bruno Humberto, que envolve na sua essência a produção de um ensaio fotográfico e de um ensaio textual. No mesmo dia haverá também a projecção do film
e “POGŁOS / REVERBERATION” de RADEK SIRKO, um documentário sonoro experimental ambientado nas localidades suburbanas da Silesia (Polónia).
Ainda, as artistas em residência na Zaratan, BELINDA CAMPBELL e PAULA SCAVAZZINI apresentam as suas pesquisas artísticas numa conversa informal.

Arena Shopping convida a desvendar os mistérios dos dinossauros

Exposição Mega Jurássica - Arena Shopping.png

 

Até ao dia 15 de agosto, crianças e adultos vão poder recuar milhares de anos no tempo e conhecer alguns dos mais impressionantes dinossauros no Arena Shopping. A Exposição Mega Jurássica transporta para esse universo pré-histórico através de réplicas em tamanho real, fósseis das mais variadas espécies e oficinas para todas as idades.

 

Vestir o papel de paleontólogo e partir à descoberta de como eram os dinossauros através da observação de fósseis e réplicas é o desafio do Arena Shopping, que organiza a Exposição Mega Jurássica, em parceria com o Museu da Lourinhã, reconhecido pelo seu impressionante acervo de vestígios arqueológicos da região Oeste.

 

Numa autêntica “viagem exploratória”, a mostra apresenta fósseis e réplicas de ossos de dinossauros, incluindo de crânios e peças únicas mais antigas do que os famosos T-Rex, sendo até possível tocar em ossos com mais de 150 milhões de anos. Além disso, é possível ver fósseis originais de tartarugas, crocodilos, plantas e conchas, entre outros seres pré-históricos.

 

Quem quiser ser cientista por um dia pode ainda participar num programa de atividades especiais programadas para 29 e 30 de julho e, posteriormente, para 5 e 6 de agosto. Estão previstos ateliers, com a duração de uma hora, que desafiam a “colocar a mão na massa”, escavando ossos de dinossauros na areia, criar moldes de pegadas e pinturas. Além disso, vão existir laboratórios para extração de fósseis de dinossauros da rocha, com recurso a várias ferramentas e colas, numa iniciativa para toda a família.

 

Para completar a experiência, um dinossauro articulado de forma realista, permite ainda que o público conheça detalhes e curiosidades destes répteis, despertando o fascínio pelo período jurássico.

"O tempo..." - Exposição de pintura de Ana Paula Gaspar | Galeria da Biblioteca Municipal de Palmela

_MG_0362.JPG

 

Exposição “O tempo…”

Pintura de Ana Paula Gaspar patente na Biblioteca Municipal de Palmela

 

 

Abre ao público no dia 3 de junho, às 18h30, na Galeria da Biblioteca Municipal de Palmela, a exposição de pintura de Ana Paula Gaspar, intitulada “O tempo…”, numa organização da Câmara Municipal.

Docente nos cursos de Design de Comunicação e Design de Animação e Multimédia da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Portalegre desde 1998, Ana Paula Gaspar é doutorada em Design pela Faculdade de Arquitetura da Universidade de Lisboa e mestre em História da Arte.

A sua exposição pode ser visitada em Palmela até 12 de agosto, no horário de funcionamento da Biblioteca.

 

 

«As palavras que dão voz à Poesia. A caligrafia na dança e na arte da escrita emocional. A paixão dos ritmos, no ciclo da vida, o tempo que se repete infinitamente… As viagens continuam e as palavras fluem como rios… O Sol, a Lua, o Tempo na criação, o universo da matéria. O espaço vazio e espaço preenchido, no cruzar dos dois encontra- se o equilíbrio.»

 

 

Programação AMAC | setembro

As exposições de Pedro Espanhol e de Marios Stavrou e o Teatro de Revista “Tempestade num Copo d’Água” fazem parte da programação do Auditório Municipal Augusto Cabrita (AMAC) em setembro. Recorde-se que, em agosto, o AMAC está encerrado ao público para a sua manutenção e limpeza.

 

pedro espanhol 2.jpg

 

16 setembro a 22 outubro | Exposição de pintura de Pedro Espanhol

Piso 1 | Galeria Branca

Inaugura no dia 16 de setembro, pelas 17h00

 

Nasceu em Cascais em 1980. Obteve Licenciatura em Artes Plásticas pela ESAD das Caldas da Rainha. Fez várias exposições coletivas e individuais. Tem participado em vários projetos de Artes Visuais. Atualmente divide residência entre Borba e Barreiro. É professor e proprietário do Atelier de Artes Visuais Pedro Espanhol, no Barreiro. 

 

16 setembro a 22 outubro | Exposição de Marios Stavrou

Piso 1 | Galeria Amarela

Inaugura no dia 16 de setembro, pelas 17h00

 

Nasceu a 2 maio de 1985, em Limassol no Chipre.

Entre 2003 e 2008 estudou design em França e UK.

Nos últimos 5 meses, viajar, conhecer pessoas, ouvir histórias tem sido a sua prioridade na vida com o seguinte roteiro: da França aos Balcãs, Istambul através do Chipre e de volta ao frio da Europa.

 

23 setembro | sábado | 21h30 | “Tempestade num Copo d’Água”, Marina Mota | TEATRO DE REVISTA

M/12 anos

Duração: 120 min. c/intervalo

Ingressos:

Da Fila B à Fila I – 15,00€

Da Gila J à Q -  12,50€

Venda de ingressos (durante o mês de agosto): Posto de Turismo do Barreiro (21 206 8287).

 

Uma comédia de Roberto Pereira, com Marina Mota, Carlos Cunha, Rui de Sá, Érica Mota e Nuno Pires.

A ação decorre "durante um copo d’água de um casamento. Através de um sem número de personagens, e de um ritmo constante de entradas e saídas, vamos conhecendo a história de vários casais, de várias idades, que, embora apaixonados, escondem terríveis segredos uns dos outros, mas que durante o copo d’água vão sendo revelados.

Passando-se em ambiente casamenteiro, os mesmos casais de várias idades vão desmistificando o casamento, mostrando como este é geralmente entendido nas diferentes fases da vida. Para isso, temos um casal de namorados que ambiciona casar; um casal acabado de casar; um casal casado há quase quarenta anos; e outro casal que já nem se lembra há quantos anos estão casados (o Alzheimer também ajuda…).

Num dia repleto de fotografias, apita o comboio, cascatas de camarão, e muita loucura, o amor vai andar no ar. É preciso é que alguém o faça descer à terra…"

Do elenco constam Marina Mota, que assume também a encenação e direção de atores, Carlos Cunha, Rui de Sá, Érica Mota e Nuno Pires. Já a direção plástica está a cargo de Helena Reis e a direção musical é assinada por Ménito Ramos.

 

Exposições patentes no AMAC até outubro

 

Até 1 outubro | Contos Por um Fio, Petrushka, Exposição de Marionetas de Olga Neves

Piso 0 – Galeria Vermelha

 

A história passa-se durante a celebração do Maslenitsa, uma festa russa que acontece antes da Páscoa e que celebra o regresso do sol.

Nesse dia, na agitação da feira, um baterista anuncia o aparecimento de um Charlatão que encanta o povo com o seu pequeno teatro de três bonecos: Petrushka, a Bailarina e o Mouro. Estes ganham vida quando o charlatão toca a sua flauta. Saltam do pequeno palco e executam as vigorosas danças russas enchendo de espanto e satisfação os curiosos observadores.

Quando o pequeno teatro termina, a vida de Petrushka resume-se a uma vida sombria. Confinado a viver numa pequena sala com cores escuras, decorada com estrelas, uma meia-lua e montanhas cobertas de neve. Petrushka é um boneco que embora seja feito de palha tem emoções, sente-se angustiado por ser aprisionado pelo Charlatão numa caixa pequenina e horrível, mas também sente um grande amor pela Bailarina.

Petrushka tenta expressar o seu amor, mas o Charlatão coloca a Bailarina no quarto do Mouro, impedindo-o de manifestar os seus sentimentos para com a sua amada. Os sentimentos de Petrushka são tão fortes que se consegue libertar da caixa onde vive e irrompe pelo quarto do Mouro, contudo quando entra fica chocado, descobre que o Mouro é um boneco que vive com muitas mordomias, o seu quarto é espaçoso e ricamente decorado com cores alegres e desenhos bonitos. A bailarina sente-se fascinada pela bela aparência do Mouro que tudo faz para a atrair.

Petrushka invade o quarto e inicia uma luta com o seu rival, no entanto cedo descobre que o Mouro é um lutador experiente. Os dois prosseguem numa luta violenta que se prolonga para fora do pequeno teatro, o Mouro trespassa Petrushka com a sua espada e o boneco cai por terra sem vida, às mãos do insensível Mouro. Todos ficam horrorizados.

O Charlatão fica desorientado, afinal aquele boneco era o mais engraçado, o que mais cativava as crianças… e dançava com tanta energia. Era o fim! O Charlatão punha as mãos na cabeça e andava em volta do corpo do boneco.

Quando a polícia aparece e indaga sobre o pequeno cadáver, o Charlatão justifica que é apenas uma marioneta e toca em vão a flauta encantadora na esperança de restaurar a vida do boneco.

Quando a noite cai e a multidão dispersa, o Charlatão carrega o corpo inerte de Petrushka, de repente, o fantasma de Petrushka aparece no telhado do teatro e grita sob a forma de desafio. O Charlatão tem pavor de ver o fantasma de Petrushka e foge olhando assustado por cima do ombro.

 

Até 15 de outubro | ÁGUAS SONORAS - Exposição 80 Anos de Abastecimento de Agua no Barreiro – Associação Out.ra

Piso 0 | Galeria Azul

 

Por ocasião das comemorações do 80º Aniversário da Água Pública no Barreiro, “mergulhámos” durante alguns meses na complexa rede que sustenta o abastecimento e saneamento de águas na cidade, à procura dos sons que a caracterizam – dos locais, dos processos e da maquinaria, das pessoas.

O resultado desta documentação sonora é um amplo arquivo que ilustra uma dimensão quase toda ela oculta, um retrato feito de sons de estruturas invisíveis das quais conhecemos quase só o resultado final – quando abrimos a torneira lá de casa e a água, esse bem supremamente essencial a todos aparece, como por magia, à medida das nossas necessidades.

Esta exposição ilustra esse processo de documentação e coloca em evidência as relações possíveis entre a Água e o Som, enquanto paisagem auditiva, enquanto retrato daquilo que não se vê, e enquanto matéria para a música.

 

 

CMB 2017-08-10

 

A reprodução textual da informação implica a referência da sua autoria: CMB

Caprichos de Goya em Sintra | Exposição

CAPRICHOS DE GOYA
MU.SA até 10 de Setembro

563_2555_1.jpg

 

Uma crítica social em 80 gravuras!
Francisco de Goya y Lucientes (1746-1828), pintor e gravador espanhol, fundador do movimento Romântico e percursor do Impressionismo, foi um dos mais importantes artistas plásticos do final do século XVIII. Embora pintor oficial da corte de Carlos IV, de Espanha, foi um crítico feroz à sociedade em que viveu, como demonstrou em CAPRICHOS, uma colecção de 80 gravuras onde censurou os vícios humanos e as instituições políticas, denunciou as injustiças sociais e satirizou os comportamentos da sociedade, sobretudo das classes da nobreza e clero. Passados quase duzentos anos, a necessidade de justiça social manteve-se pelo que a UNESCO, em paralelo com o plano Objectivos de Desenvolvimento do Milénio (ONU), promove o projecto Dancing for the Millennium Goals (A Dançar pelos Objectivos do Milénio), no qual a presente exposição se insere.

Apresentada pela Câmara Municipal de Sintra e Fundação Cultursintra FP, é um projecto UAU, em parceria com o Museo Casa Palácio e conta com o apoio da UNESCO e da Fundació Fórum Universal de les Cultures.

Até 10 Setembro
3ª a 6ª | 10h às 20h
Sábados e Domingos | 14h às 20h

 

Exposição de JOÃO DUARTE – MEDALHA e Conversa com o artista sobre a "Medalha Contemporânea" I 8 Setembro 21h I Galeria de Arte Imargem

Exposição JOÃO DUARTE – MEDALHA

Galeria de Arte da Imargem

8 a 26 de Setembro 2017

Inauguração 8 de Setembro às 21h00

Conversa com o artista sobre a “Medalha Contemporânea” às 21h30

João Duarte, 2014.jpg

 

João Duarte, já conhecido pelas suas intervenções na arte pública em Portugal, é também um dos mais prestigiados escultores da arte da medalha a nível nacional e internacional. É Licenciado em escultura pela Faculdade de Belas Artes de Lisboa, onde lecionou como Professor Auxiliar de Escultura. É também Membro Fundador do Grupo Anverso Reverso – Medalha Contemporânea e Director do Centro de Investigação e de Estudos Volte Face e membro efectivo do FIDEM e do Sculptors Guild Inc. Nova Iorque. João Duarte obteve o 2º Prémio no Concurso Internacional de Medalha Contemporânea e foi  recentemente galardoado com a ‘Medallist Honoris Causa’ no Congresso Mundial de Arte da Medalha.

 

MAAT | Sete exposições para visitar gratuitamente este fim de semana

Este domingo, 06 de agosto, das 12h às 20h poderá visitar as sete exposições patentes no MAAT e na Central.  

  • Branco e Azul | Bai Ming – Lisboa, de Bai Ming
  • Fernanda Fragateiro: dos arquivos, à matéria, à construção, de Fernanda Fragateiro
  • Prémio Novos Artistas Fundação EDP – 12ª Edição, de Ana Cardoso, Bernardo Correia, João Gabriel, Ana Guedes, Igor Jesus e Claire de Santa Coloma
  • APQHome-MAAT de Ana-Pérez Quiroga
  • Yo Nunca He Sido Surrealista Hasta el Día de Hoy de Carlos Garaicoa
  • Untitled (Orchestral) de João Onofre
  • Utopia/Distopia– Mudança de Paradigma (exposição coletiva)

 

Casino Estoril inaugura XXXVII Salão Internacional de Pintura Naif a 29 de Julho

Dulce Ventura 2.jpg

 

 

A Galeria de Arte do Casino Estoril inaugura, no próximo dia 29 de Julho, às 17 horas, o XXXVII Salão Internacional de Pintura Naïf. Trata-se de mais uma edição deste emblemático Salão Internacional que, este ano, presta homenagem a Conceição Lopes.

 

“É inquestionável que se deve à Galeria de Arte do Casino Estoril a exclusividade da divulgação da valia e da importância da linguagem Naïf no contexto da nossa Arte Contemporânea. Os números são deveras significativos. Nas 36 edições realizadas participaram 558 artistas, que apresentaram cerca de 4700 obras”, sublinha Nuno Lima de Carvalho, Director da Galeria de Arte.

 

“O trabalho desenvolvido por esta Galeria na promoção da Arte Naïf tem dado frutos. É significativo que todos os anos esta é a exposição mais visitada de todas as organizadas por esta Galeria. De sublinhar, também, o facto de muitos dos nossos grandes artistas serem apreciadores convictos da Pintura Naïf: Francisco Relógio, Carlos Botelho, Martha Telles, Thomás de Mello/Tom, Artur Bual, Manuel Cargaleiro e Júlio Pomar reconheceram-lhe mérito e estatuto artístico, ao lado de todas as outras correntes. “É uma Arte concebida sem pecado”, como tão magnificamente a definiu Júlio Pomar”, recorda Nuno Lima de Carvalho.

 

No Salão Internacional de Pintura Naïf, do corrente ano, já na 37ª edição, é homenageada Conceição Lopes, artista nascida em 1942, em Panoias, Ourique, e que é uma referência nacional dentro desta modalidade. No seu currículo constam exposições individuais e colectivas realizadas, além de, obviamente, em Portugal, em Espanha, Brasil, Bélgica, Turquia e Luxemburgo. Foi distinguida com numerosos prémios, em grandes exposições internacionais e está representada em exigentes coleções particulares portuguesas e estrangeiras. O quadro “Migrantes”, é um perfeito exemplo da Pintura Naïf no seu estado puro, trabalho que retrata o fenómeno dos fluxos migratórios, utilizando cores primárias, falta de perspectiva e a atenção dispensada aos pormenores, tudo características fundamentais desta modalidade pictórica.

 

O XXXVII Salão Internacional de Pintura Naïf é um dos melhores desde a sua criação em 1980, e vem provar-nos que esta modalidade evoluiu e que está bem viva.

 

Esta exposição estará patente ao público, de 29 de Julho até 12 de Setembro, todos os dias, das 15 às 24 horas. Por imperativo legal, o acesso aos espaços do Casino Estoril é reservado a maiores de 18 anos.