Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Dia Mundial da Poesia no CCB

phpThumb_generated_thumbnailjpg.jpg

 

25 março | 14:00 às 19:00 | Vários Espaços

Tributo a Mário Cesariny
No CCB o Dia Mundial da Poesia comemora-se a 25 de março. Os espaços vão ser vividos num ambiente de festa com muita poesia, para todas as idades. Neste dia terão lugar várias iniciativas: Feira do Livro de Poesia; Exposição Mário Cesariny: De cor e salteado; Diga lá um poema – espaço aberto para leituras de poesia em voz alta; programação para os mais novos; concertos da Big Band Júnior e da Orquestra Sinfónica Juvenil, num tributo a Mário Cesariny.
Entrada Livre

 

A Calçada Portuguesa no Mundo | Conferência no Museu do Oriente | 24 Março, 18.30, Entrada livre

Brazil_Rio_2015.jpg

 

Nas suas viagens pelo mundo, o fotógrafo Ernesto Matos foi-se deparando com um elo comum em todos os lugares por onde os portugueses andaram ao longo dos séculos, que traduziu em imagens e sobre o qual reflecte na conferência “A Calçada Portuguesa no Mundo”, dia 24 de Março, às 18.30, no Museu do Oriente, com entrada livre.

 

Partindo de imagens soltas, foi construindo um inventário exaustivo sobre este gosto de atapetar o chão com pequenas pedras de duplas cores, talhadas à mão, colocadas conforme um molde passado a escantilhão, cujo resultado final são desenhos elaborados ou de linhas simples e geométricas, de autores anónimos ou grandes mestres. É parte deste trabalho de muitos anos que agora aborda, na perspectiva de divulgar o património existente na Europa, África, América, Ásia e várias ilhas de todo o mundo.

 

Em todos os países visitados, o autor encontrou uma diversidade de motivos, onde os valores étnicos e as culturas autóctones parecem ter sido assimiladas e reinterpretadas, quer pelos calceteiros de então, como pelos de hoje que, em muitos casos, aprendem a recuperar os padrões há muito esboroados.

 

A palestra assenta sobre um conjunto de fotografias que revelam lugares onde a técnica foi aplicada, como Macau, um dos pontos onde a representatividade mais evidencia a presença portuguesa, dotando de requinte e de significados humanistas o espaço urbano, quer no exterior como em interiores.

 

A palestra conta com a presença de dois experientes calceteiros, Mestre Zé da Clara e Manuel Barbosa. Mestre Zé da Clara é um antigo calceteiro da região de Fanhões, local onde se formaram nos anos 40 uma geração dos melhores artífices do nosso país e que levaram esta arte um pouco por todo o mundo. Manuel Barbosa é um calceteiro com larga experiência que, desde cedo, começou a trabalhar no estrangeiro. Participou na execução de calçadas na Alemanha, Espanha, França, Macau e mais recentemente no Qatar. Em Macau trabalhou na elaboração do emblemático Largo do Senado. Foi também, neste local, formador para trabalhadores macaenses.

 

 

“A Calçada Portuguesa no Mundo”

Conferência com Ernesto Matos

24 de Março

Horário: 18.30

Entrada livre

 

Museu do Oriente, Avenida Brasília | Doca de Alcântara (Norte) | 1350-362 Lisboa

www.museudooriente.pt

Palmo e Meio 2017 | últimas iniciativas

contos foto.jpg

 

 

A programação Palmo e Meio 2017 chega ao fim este fim-de-semana com a inauguração da exposição VAGA MENTE, de André Letria, e o Teatro de Marionetas “CONCHAS”.

 

25 fevereiro 21 maio | VAGA MENTE | EXPOSIÇÃO DE ILUSTRAÇÃO de ANDRÉ LETRIA | Auditório Municipal Augusto Cabrita - Piso 0, Galeria Azul

Inauguração no dia 25, às 17h00

 

Nasceu em Lisboa, em 1973. Trabalha como ilustrador desde 1992. Ganhou o Prémio Gulbenkian, o Prémio Nacional de Ilustração, um Award of Excellence for Illustration, atribuído pela Society for News Design (EUA), medalhas de prata e bronze do Children’s Book Annual, da revista americana 3×3, entre outros. Tem livros publicados em diversos países, como EUA, Brasil, Espanha ou Itália. Participou em exposições como a Bienal de Bratislava, a Exposição de Ilustradores da Feira de Bolonha, Sarmede ou Ilustrarte. Realizou filmes de animação e fez cenários para teatro. Foi membro do Júri do Prémio Digital da Feira do Livro Infantil de Bolonha. Em 2010, criou o Pato Lógico. O livro MAR, com ilustrações suas e texto de Ricardo Henriques, recebeu em 2014 uma menção dos Bologna Ragazzi Awards, na categoria Não Ficção.

 

26 fevereiro | domingo | duas sessões: 15h00 e 16h30 | CONCHAS | d´Orfeu AC, Marionetas de Mandrágora, Franzisca Aarflot | Auditório Municipal Augusto Cabrita | Teatro de Marionetas
“Conchas” é uma coprodução internacional para bebés, resultante do projeto «Hands full of Shells and Feet full of Flowers», um processo criativo colaborativo desenvolvido entre Portugal e Noruega.

Partindo da memória coletiva de ambos os países (Portugal e Noruega), misturou-se a música, a expressão dramática e corporal, o movimento e as marionetas e encontrou-se um compromisso cultural identitário. Um espetáculo icónico onde a abordagem não-verbal ganha forma através da fusão fonética das duas línguas, criando novas palavras e sons, aliada à musicalidade e à linguagem corporal. "Conchas" conta a história de viajantes, pintados na tela, reais e imaginários, privilegiando os bebés e as suas famílias, porque este público é a semente que germina.
www.dorfeu.pt/conchas

FICHA TÉCNICA: Encenação | Filipa Mesquita

Elenco Portugal: Clara Ribeiro - interpretação e manipulação; Ricardo Falcão - interpretação e música

Elenco Noruega: Idun Losnegård - interpretação e dança; Lenka Rozenahl - interpretação e manipulação; Apoio à Dramaturgia- Franziska Aarflot; Criação musical - Manuel Maio e Ricardo Falcão

Marionetas, cenário e adereços - enVide nefelibata; Produção Executiva - Tiago Castro

Coordenação do Projeto - Luís Fernandes

 

Faixa Etária – Dos 0 aos 5 anos
Duração – 35´aprox.
Ingresso – 7,50 € (Bebé e adulto)

 

CMB

Exposição Mário Cesariny: De cor e salteado

phpThumb_generated_thumbnailjpg.jpg

 

7 março a 16 abril | Centro de Congressoes e Reuniões
Exposição Mário Cesariny: De cor e salteado
Nos dez anos da sua morte, homenageia-se o grande poeta e pintor, tornando presente a sua obra e a sua vida, criadas uma e outra sob o lema surrealista: Liberdade, Poesia e Amor.
No CCB, e em colaboração com a Fundação Cupertino de Miranda, detentora de um importante e representativo acervo de arte do surrealismo português, apresenta-se a pexposição “De cor e salteado”, com cerca de trinta obras da coleção de Mário Cesariny.

Entrada Livre

Dolce Vita Ovar com noites de fado ao vivo

image007.jpg

 

Entre os meses de janeiro e junho, o Dolce Vita Ovar é palco da iniciativa “Noites de Fado”. Os espetáculos terão lugar na Praça da Restauração, pelas 20h00, sendo o primeiro concerto no dia 20 de janeiro que conta com o fado de Jorge César.

 

As “Noites de Fado” estão reservadas para as sextas-feiras à noite e contam com artistas como Ana Cristina, no dia 17 de fevereiro, a fadista Filomena Silva no dia 31 de março, já no dia 28 de abril, será a vez da fadista Filomena Sousa. No dia 26 de maio, o palco volta a ser de Jorge César, para fechar o programa de fados, o Dolce Vita Ovar conta com a Isa de Castro no dia 30 de junho.

 

Os fadistas, contam também com o apoio de Amável Carneiro na guitarra portuguesa e com Pedro Martins na viola. O Dolce Vita Ovar, pretende estimular o gosto pela música e a cultura juntos dos habitantes da região.

Tertúlias no Convento

Cartaz Tertulias Poéticas 6.jpg

 

A Capela Grande do Convento Madre de Deus da Verderena continuará a receber, em 2017, as Tertúlias no Convento “Ao Encontro de…”, que visam divulgar a Poesia Portuguesa, desde a trovadoresca à contemporânea.

 

As “Tertúlias no Convento” permitem o conhecimento da vida e obra poética de poetas portugueses, fomentar o gosto pela poesia (leitura e escrita), partilhar saberes e gostos, dinamizar a Biblioteca da UTIB e proporcionar momentos de conversa e de convívio.

 

Programa

 

30 de janeiro | 15h00 | “O Livro que marcou a minha infância”

Convidada – Isabel Flório

 

13 de fevereiro | 15h00 |“Histórias de Amor” com apresentação do livro do convidado: “A Margarida e Eu”

Integrada nas comemorações do Dia dos Namorados

Convidado – Agostinho Monteiro

 

27 de março | 15h00 | “Religiões e seu impacto no mundo”

Convidado – Carlos Alberto Correia

 

CMB

Exposição “Quando o vinho encontra a arte” no Espaço Cultura Ageas

 

De 1 de março a 31 de março

Exposição “Quando o vinho encontra a arte” no Espaço Cultura Ageas

 

A Ageas Seguros alia-se à cultura e às artes para a exposição “Quando o vinho encontra a arte”, uma mostra de pintura de Isabel Pinheiro que inaugura no próximo dia 1 de março, às 17h30, no Espaço Cultura Ageas, no Parque das Nações, em Lisboa, e aí ficará patente até dia 31 de março.

Depois de participar em várias exposições tanto em Portugal como no estrangeiro, Isabel Pinheiro acrescentou, há algum tempo, à sua atividade criativa, uma outra da qual era apaixonada desde sempre. O vinho!

Vinho e pintura são ambos arte dada a exposição de cores, o trabalho de pormenor e a sensibilidade necessários para criar qualquer deles. Aliás, neste projeto, prova-se que vinho e arte podem não só coexistir como valorizar-se mutuamente; isto é, uma experiência tão sublime como aquela de saborear um bom vinho, neste caso do Dão, aparece agora aliada à de apreciação de uma obra de pintura, ambos de origem portuguesa.

Isabel Pinheiro iniciou esta atividade em 2006, tendo efetuado diversos trabalhos de pintura específicos para decorações particulares assim como desempenhado várias atividades sempre ligadas à arte, pintura, decoração e design.

Os seus trabalhos centram-se na elaboração de quadros onde aplica técnicas mistas e materiais diversos, que vão desde as tintas acrílicas, óleos, aplicações de sedas e tules, transparências, às colagens com produtos de diverso teor tais como pedras, tecidos, papel de diferentes texturas, areias, cristais, etc.

Diz Isabel Pinheiro que não é necessariamente obrigatório seguir uma linha artística convencionada com esta ou aquela designação para criar. Para criar um trabalho bonito, elegante, com bom gosto basta, muito pura e simplesmente, deixar fluir a imaginação e a inspiração que o trabalho vai nascendo de forma natural, dando origem a um conjunto harmonioso de cores e materiais. O seu lema é: A imaginação é o limite e não há limite para a criação.

De entre as constantes participações em mostras individuais e coletivas, destaque para as exposições em Londres, no Bvlgari Hotel; em Miami na Biennnal de Miami; na Nina Torres Fine Art, em Miami; na Internacional TOP 60 Masters, em Miami; na Merlino Bottega d’Arte, em Florença; entre outras.

A Ageas Seguros continua a investir ao nível da cultura, particularmente através do apoio a artistas nacionais, abrindo-lhes um espaço privilegiado, de entrada livre, que facilita a sua aproximação ao público.

 

 

Tertúlias no Convento

Cartaz Tertulias Poéticas 6.jpg

 

A Capela Grande do Convento Madre de Deus da Verderena continuará a receber, em 2017, as Tertúlias no Convento “Ao Encontro de…”, que visam divulgar a Poesia Portuguesa, desde a trovadoresca à contemporânea.

 

As “Tertúlias no Convento” permitem o conhecimento da vida e obra poética de poetas portugueses, fomentar o gosto pela poesia (leitura e escrita), partilhar saberes e gostos, dinamizar a Biblioteca da UTIB e proporcionar momentos de conversa e de convívio.

 

Programa

 

30 de janeiro | 15h00 | “O Livro que marcou a minha infância”

Convidada – Isabel Flório

 

13 de fevereiro | 15h00 |“Histórias de Amor” com apresentação do livro do convidado: “A Margarida e Eu”

Integrada nas comemorações do Dia dos Namorados

Convidado – Agostinho Monteiro

 

27 de março | 15h00 | “Religiões e seu impacto no mundo”

Convidado – Carlos Alberto Correia

 

CMB

Casino Lisboa recebe Ricardo Gordo na próxima Quinta-Feira

Ricardo Gordo.jpg

 

Ricardo Gordo estreia-se, em concerto, no Arena Lounge do Casino Lisboa, na próxima Quinta-Feira, 23 de Março, a partir às 23h30. Os blues, jazz, swing, hip-pop, folk lusa ou música electrónica são géneros e influências que Ricardo Gordo explora, alargando os horizontes, o ritmo e o timbre único da guitarra portuguesa para lá do fado. A entrada é livre.

 

É da fusão destes diferentes géneros, do diálogo improvável da guitarra portuguesa com o rock e o heavy metal, do experimentalismo do já chamado fado metal, que lhe vem o reconhecimento como “novo valor da guitarra portuguesa”.

 

Natural de Portalegre, o multi-instrumentista e compositor Ricardo Gordo licenciou-se na Escola Superior de Artes Aplicadas do Instituto Politécnico de Castelo Branco, onde se encontra a realizar o mestrado em ensino de música – variante de guitarra portuguesa. 

 

Os avós eram fadistas, mas Ricardo Gordo nunca se imaginou a tocar guitarra portuguesa. Na infância aprendeu a tocar flauta de bisel e violoncelo, mas interessou-lhe mais a guitarra eléctrica que o pai, também músico e docente, lhe ofereceu aos dez anos. 

 

 

Por imperativo legal, o acesso aos espaços do Casino Lisboa é reservado a maiores de 18 anos.