Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

"1908" estreia dia 21 de Abril

Cartaz_A3_Cluedo_Teatral_low.jpg

 

“1908”

Novo Cluedo Teatral estreia em Belas

 

Pela primeira vez em regime de coprodução, a Don’Adelaide juntou-se à Byfurcação Teatro e à Câmara Municipal de Sintra para juntos apresentarem o primeiro Cluedo Teatral histórico, que vai transportar o público até às vésperas do Regicídio do Rei D. Carlos I. “1908” estreia dia 21 de Abril e estará em cena todas as 6ªs e Sábados, às 21h30 até final de Maio, na Quinta Nova da Assunção, em Belas.

 

A 30 de Janeiro de 1908 os planos da Carbonária para assassinar o Rei D. Carlos I estão já numa fase em que há demasiado em jogo para voltar atrás, mas um assassinato de um dos conspiradores na sua sede secreta ameaça deitar tudo a perder. Com o Grão-Mestre preso e a ordem mergulhada em cisões internas e jogos de interesses, a queda da monarquia parece cada vez mais uma miragem.

 

Este é o mote de 1908, o novo cluedo da autoria da Don'Adelaide Produções em coprodução com a Byfurcação Teatro e a Câmara Municipal de Sintra, que convidam os seus espetadores a serem membros de uma ordem secreta por uma noite, podendo interrogar os suspeitos e tentar desvendar o mistério por detrás desta morte inconveniente.

 

A lotação é de 40 espetadores por sessão, que serão divididos por equipas de investigação com um máximo de oito elementos. Aceite o convite da Byfurcação Teatro, da Câmara Municipal de Sintra e da Don’Adelaide Produções e venha conhecer a centenária Quinta Nova da Assunção e viajar no tempo com este “1908”, todas as sextas e sábados de 21 de Abril até 27 de Maio, às 21h30, em Belas.

 

 

 

 

 

 

1908

Coprodução: Byfurcação Teatro e Câmara Municipal de Sintra

Autoria: Don’Adelaide Produções

Com: Carlos Paiva, Guilherme Barroso, Joana Almeida, João Cruz e Paulo Cintrão
Local: Quinta Nova da Assunção – Adro da Igreja, nº27, Belas
Bilhetes: 15€
Descontos: 12€/cada para grupos de seis ou mais pessoas que reservem através do email

Lotação: 40 espectadores, num limite de oito elementos por equipa

Reservas: donadelaideproducoes@gmail.com ou 965892293

 

 

O fantasma das melancias volta a atacar dias 22 e 23 de Abril no TMJB

image001.jpg

image002.jpg

 

João Farraia e Pedro Walter em O fantasma das melancias, dias 22 e 23 de Abril no TMJB

 

 

 

O fantasma das melancias volta a atacar

 

 

A Companhia de Teatro de Almada apresenta nos dias 22 e 23 de Abril, às 16h e às 11h, respectivamente, no Teatro Municipal Joaquim Benite, O fantasma das melancias, espectáculo para a infância com encenação de Teresa Gafeira e textos de Claeyssen, Espina e Acuña.

 

A história que dá nome ao espectáculo é apenas um dos três episódios que o compõem. O primeiro chama-se Sopa de pedras e é protagonizado por um velho avarento que acaba castigado por um cobrador de impostos mais astuto do que ele. O segundo, O galo quer ter dentes, põe em cena um galo rico e influente que tenta convencer um urso dentista da dor causada por uma cárie. O último é, evidentemente, O fantasma das melancias, sobre um ladrão de melancias caçado por um rapazinho trapalhão, mas muito obediente. Todos convidam à interacção entre as crianças e os actores, num cenário colorido e cheio de surpresas.

Juan Enrique Acuña (1915-1988) foi um jornalista e escritor argentino. Assumiu a direcção artística do Teatro La Rueda e foi secretário da Federação de Teatros Independentes da Argentina.

Luis Marcelo Claeyssen é considerado um mestre do teatro de títeres. Integrou a Asociación de Titiriteros da Argentina nos anos 40 e é autor do célebre Churrinche contra o fantasma.

Roberto Espina (n. 1926) é um actor, encenador e mimo argentino, autor de textos como A república do cavalo morto. Ajudou a fundar, em 1951, o Teatro Fray Mocho, em Buenos Aires, e em 1956 criou o Teatro Los Comediantes de La Ruta.

 

FICHA ARTÍSTICA

 

Intérpretes João Farraia, Pedro Walter e Vera Santana
Cenografia Teresa Gafeira
Figurinos Teresa Capitão
Operação de Luz e Som Paulo Horta

 

TEATRO MUNICIPAL JOAQUIM BENITE | SALA DE ENSAIOS | M/3

22 ABR | SÁB às 16H

23 ABR | DOM às 11H

 

PREÇO: 5€ a 10€  (Clube de Amigos: entrada livre)

 

RESERVAS: +351 212 739 360
COMPRAR: http://cta.bilheteiraonline.pt/

A 13 de Abril às 21h30 encontram-nos na Praça do Mar em Quarteira com A FREGUESIA!

A FREGUESIA | Teatro

O encerramento do programa comemorativo do Centenário da Freguesia de Quarteira será assinalado por um espectáculo que cruzará o passado da cidade com a sua actualidade. 

Uma equipa de mais de 50 pessoas trabalham para um espectáculo onde a Memória e a (Multi)Culturalidade de Quarteira estarão em primeiro plano.
 
QUARTEIRA | 13 de Abril às 21H30 na Praça do Mar
 
Dramaturgia e encenação RICARDO NEVES-NEVES 
Assistência de dramaturgia e encenação JOSÉ LEITE
Elenco ANA VALENTIM, BRUNO XAVIER, CATARINA RÔLO SALGUEIRO, ELSA GALVÃO, JOANA ALMEIDA, JOANA CAMPELO, JOANA DE CARVALHO, MÁRCIA CARDOSO, RAFAEL GOMES, RITA CRUZ, RUI MELO, SÍLVIA FIGUEIREDO, TADEU FAUSTINO, VÍTOR OLIVEIRA 

com a participação especial de MARIA JOÃO LUÍS 

Direcção musical RITA NUNES 
Orquestra ALEXANDRE ALVES (Bateria); FRANCISCO ANDRADE (Saxofone Tenor); IVO RODRIGUES (Trompete); JOÃO FRAGOSO (Baixo); JOSÉ MASSARRÃO (Saxofone Soprano e Alto) MARCOS LÁZARO (Violino); NUNO COSTA (Guitarra); ÓSCAR GRAÇA (Piano); RICARDO MENDES (Violino); RITA NUNES (Saxofone Alto e Barítono); TOMÁS PIMENTEL (Trompete); XAVIER RIBEIRO (Trombone) 
Sonoplastia SÉRGIO DELGADO 

Participação ISA DE BRITO, PERIGO PÚBLICO e SINISTRO 

Figurinos RAFAELA MAPRIL 
Assistente de Figurinos ANA SABINO 
Confecção de Guarda-Roupa CLÁUDIA MONTEIRO e MARIA DOS PRAZERES VALENTIM 
Desenho Digital em Tempo Real ANTÓNIO JORGE GONÇALVES 
Desenho de Luz ELDUPLO 
Comunicação do Teatro do Eléctrico MAFALDA SIMÕES 
Designer do Teatro do Eléctrico PEDRO HEITOR 
Segundos assistentes/estagiários ESAD CR. DIOGO GUERRA, EMANUEL SANTOS, RAQUEL MENDES, VÂNIA DINIS 
Uma co-produção CÂMARA MUNICIPAL DE LOULÉ e TEATRO DO ELÉCTRICO
 
Entrada livre.
Duração aproximada: 90 minutos
 
 

A FREGUESIA | CÂMARA MUNICIPAL DE LOULÉ e TEATRO DO ELÉCTRICO

A FREGUESIA_imagem 1.png

 

O encerramento do programa comemorativo do Centenário da Freguesia de Quarteira será assinalado pelo espectáculo A FREGUESIA uma encenação de Ricardo Neves-Neves que cruzará o passado da cidade com a sua actualidade. 
 
Uma equipa de mais de 50 pessoas trabalham para um espectáculo onde a Memória e a (Multi)Culturalidade de Quarteira estarão em primeiro plano.
 
A FREGUESIA | Teatro
 
QUARTEIRA | 13 de Abril às 21H30 na Praça do Mar
 
Dramaturgia e encenação RICARDO NEVES-NEVES 
Assistência de dramaturgia e encenação JOSÉ LEITE
Elenco ANA VALENTIM, BRUNO XAVIER, CATARINA RÔLO SALGUEIRO, ELSA GALVÃO, JOANA ALMEIDA, JOANA CAMPELO, JOANA DE CARVALHO, MÁRCIA CARDOSO, RAFAEL GOMES, RITA CRUZ, RUI MELO, SÍLVIA FIGUEIREDO, TADEU FAUSTINO, VÍTOR OLIVEIRA 
 
com a participação especial de MARIA JOÃO LUÍS 
 
Direcção musical RITA NUNES 
Orquestra ALEXANDRE ALVES (Bateria); FRANCISCO ANDRADE (Saxofone Tenor); IVO RODRIGUES (Trompete); JOÃO FRAGOSO(Baixo); JOSÉ MASSARRÃO (Saxofone Soprano e Alto) MARCOS LÁZARO (Violino); NUNO COSTA (Guitarra); ÓSCAR GRAÇA(Piano); RICARDO MENDES (Violino); RITA NUNES (Saxofone Alto e Barítono); TOMÁS PIMENTEL (Trompete); XAVIER RIBEIRO(Trombone) 
Sonoplastia SÉRGIO DELGADO 
 
Participação ISA DE BRITO, PERIGO PÚBLICO e SINISTRO 
 
Figurinos RAFAELA MAPRIL 
Assistente de Figurinos ANA SABINO 
Confecção de Guarda-Roupa CLÁUDIA MONTEIRO e MARIA DOS PRAZERES VALENTIM 
Desenho Digital em Tempo Real ANTÓNIO JORGE GONÇALVES 
Desenho de Luz ELDUPLO 
Comunicação do Teatro do Eléctrico MAFALDA SIMÕES 
Designer do Teatro do Eléctrico PEDRO HEITOR 
Segundos assistentes/estagiários ESAD CR. DIOGO GUERRA, EMANUEL SANTOS, RAQUEL MENDES, VÂNIA DINIS 
Uma co-produção CÂMARA MUNICIPAL DE LOULÉ e TEATRO DO ELÉCTRICO
 
Entrada livre.
Duração aproximada: 90 minutos

Passatempo - SOFIA - Cine Teatro de Estarreja

O Blog Cultura de Borla em parceria com o CINE TEATRO DE ESTARREJA tem bilhetes duplos para a peça SOFIA para dia 13 de Abrilo às 21h30, no CINE TEATRO DE ESTARREJA aos primeiros leitores que de 5 em 5 participações:

 

 Enviem um email para o culturadeborla@sapo.pt com a frase "Eu quero ir ver SOFIA com o Cultura de Borla" com nome, BI e nº de telefone.

evento_1404_lateral_1.jpg

 

A partir da Obra Infantil de Sophia de Mello Breyner Andresen pela Companhia Teatrão. Este espetáculo é uma viagem. Uma viagem que começa dentro de casa, começa na vontade de descobrir o que está para lá dos muros do quintal, numa manhã de Natal. Os limites do quintal levam-nos para uma floresta densa, povoada por anões e fadas, onde encontramos o caminho do mar e nos encantamos por uma menina muito singular - a Menina do Mar. Embalados pelas marés chegamos até à Terra Santa e ao Oriente onde aprendemos a sentir saudade de casa e a voltar a tempo da Ceia de Natal.

 

Isabel Craveiro direção, Joana Isabella, João Amorim, João Santos, Margarida Sousa elenco, Jonatham Azevedo desenho de luz, Ana Biscaia ilustração, Patrick Murys apoio, pesquisa e manipulação de objetos, Filipa Malva cenário e figurinos, Mariana Pardal comunicação, Paul Hardman grafismo, Carlos Gomes fotografia, José Baltazar construção de cenário, Albertina Vilela, Isabel Félix costureiras, Carlos Gago (Ilídio Design) cabeleireiro, Cátia Oliveira direção de produção, Carlos Pinto produção executiva, João Castro Gomes direção técnica Tiago Moreira montagem e operação luz e som

 

 

Campanha Especial Páscoa e Dia Mundial da Voz

Img_Newsletter_Campanha_Pascoa_II.jpg

 

No próximo Domingo, para além da Páscoa, celebra-se o Dia Mundial da Voz.

Para assinalar a data a Força de Produção lançou uma campanha especial para todos os que desejam passar a tarde de Domingo no Teatro.

Na compra de um bilhete para os espectáculos DOIS HOMENS COMPLETAMENTE NUS (Teatro Villaret), MAIS RESPEITO QUE SOU TUA MÃE! (Auditório dos Oceanos, Casino Lisboa) e QUEM TEM MEDO DE VIRGINIA WOOLF (Teatro da Trindade Inatel) oferecemos o segundo bilhete.


A campanha está activa para compra dos bilhetes na Bol, Ticketline, Fnac, bilheteiras dos teatros e locais habituais.

CTA estreia Migrantes dia 21 de Abril

image001.jpg

 

image002.jpg

 

Migrantes de 21 a 28 de Abril e de 3 a 14 de Maio no TMJB.

 

 

CTA estreia Migrantes

 

 

A Companhia de Teatro de Almada estreia no próximo dia 21 de Abril a mais recente peça de Matéi Visniec: Migrantes.

O espectáculo tem encenação de Rodrigo Francisco e estará em cena na Sala Principal do Teatro Municipal Joaquim Benite, de 21 a 28 de Abril e de 3 a 14 de Maio. No Sábado dia 22 de Abril haverá Conversa com o público, com a presença do autor da peça, Matéi Visniec, às 18h, no foyer do TMJB.

 

A recente crise dos refugiados, que procuram no território europeu uma forma de escapar aos conflitos que dilaceram os seus países de origem, acabou por trazer ao de cima algumas fricções latentes na União Europeia – nomeadamente entre aqueles que se prestam a receber quem foge da guerra e os que constroem muros para deter as populações em fuga. Enquanto jornalista da Radio France, Matéi Visniec contactou de perto (desde a “Selva” de Calais aos campos de refugiados nas ilhas gregas) com a realidade dos que estão dispostos a arriscar a vida para poder viver. A sua mais recente peça (uma estreia absoluta no nosso País) lança o debate sobre um tema que urge debater e solucionar. É também no discurso anti-refugiados que os partidos de extrema-direita europeus têm baseado os seus discursos – e colhido proveitos.

Matéi Visniec nasceu na Roménia em 1956. Desde cedo que a sua dramaturgia se constituiu como uma denúncia do regime de Ceau?escu, acabando o dramaturgo por tomar o caminho do exílio, em 1987. As suas peças são actualmente representadas nos quatro continentes, do Piccolo Teatro di Milano ao Teatro Máximo Gorki, de Berlim, passando por Avignon, Paris, Teerão e Hollywood.

.

O espectáculo tem o apoio do Instituto Cultural Romeno

 

FICHA ARTÍSTICA

 

Intérpretes Adriano Carvalho, Elias Nazaré, João Cabral, João Tempera, Maria Frade, Maria João Falcão, Rui Silva, Sofia Marques e Tânia Guerreiro
Figurinos Ana Paula Rocha
Movimento Francesca Bertozzi
Luz Guilherme Frazão
Som Miguel Laureano

 

TEATRO MUNICIPAL JOAQUIM BENITE | SALA PRINCIPAL | M/14

21 a 28 ABR e 3 a 14 de MAI | QUA a SÁB às 21H30 e DOM às 16H

 

PREÇO: 6,5€ a 13€ (Clube de Amigos: entrada livre) 

 

RESERVAS: +351 212 739 360
COMPRAR: http://cta.bilheteiraonline.pt/

ACTA traz Um espectáculo a Almada

image001.jpg

image002.jpg

 

 

Bruno Martins e Glória Fernandes em Um espectáculo,  a partir de Robert Pinget, com encenação de Elisabete Martins.  No TMJB, dia 15 de Abril, às 21h30.

 

 

 

ACTA traz Um espectáculo a Almada

 

 

A ACTA – A Companhia de Teatro do Algarve vai estar em cena no Teatro Municipal Joaquim Benite, dia 15 de Abril, pelas 21h30, com Um espectáculo, uma encenação de Elisabete Martins a partir de um texto de Robert Pinget

 

Há reminiscências de Beckett no conflito que opõe as personagens de Pinget. Vladimir e Estragon, de À espera de Godot, perfilam-se no horizonte quando assistimos ao confronto entre um encenador obcecado com a materialização do espectáculo que idealizou e uma produtora cuja única função parece consistir em refrear os voos da imaginação alheia. Originalmente, o texto de Pinget chamava-se Abel e Bela, e requeria a participação de dois intérpretes masculinos. Neste espectáculo, a ACTA optou não apenas por alterar o título, reforçando assim a dimensão metafórica do lugar onde decorre a acção, mas também por colocar o feminino na equação, enriquecendo o sentido das reflexões propostas.

Robert Pinget (1919-1997) foi romancista, dramaturgo, contista e ensaísta. Antes de se dedicar à escrita, incentivado por Albert Camus, Alain Robbe-Grillet e Samuel Beckett, trabalhou como advogado na Suíça, o seu país natal, e estudou Belas-Artes em Paris. Em 1965 recebeu o Prix Femina pelo romance Quelqu’un.

Elisabete Martins é actriz, encenadora e formadora, tendo concluído em 2000 o Curso de Formação de Actores, Técnicos e Animadores Teatrais da ACTA. Integrou o elenco da companhia em 2001 e estreou-se na encenação no ano seguinte, com O primeiro, de Israel Horowitz.

 

FICHA ARTÍSTICA

 

Intérpretes Bruno Martins e Glória Fernandes
Dramaturgia, Espaço cénico e Figurinos Luís Vicente e Elisabete Martins

 

TEATRO MUNICIPAL JOAQUIM BENITE | SALA EXPERIMENTAL | M/12

15 ABR | SÁB às 21H30

 

PREÇO: 5€ a 10€  

 

RESERVAS: +351 212 739 360
COMPRAR: http://cta.bilheteiraonline.pt/

 

TMJB acolhe As criadas, de Genet

image001.jpg

 

image002.jpg

 

As criadas, de Jean Genet, com encenação de Rui Madeira, dia 9 de Abril, às 16h, no TMJB.

 

 

TMJB acolhe As criadas, de Genet

 

A Companhia de Teatro de Braga, em co-produção com a Seiva Troupe, apresenta no Teatro Municipal Joaquim Benite As criadas, do dramaturgo maldito Jean Genet. O espectáculo tem dramaturgia e encenação de Rui Madeira e estará em cena no Domingo, dia 9 de Abril, às 16h.

 

 

Genet escreveu As criadas em 1947, enquanto cumpria pena na prisão. Fê-lo tendo em mente o crime perpetrado pelas irmãs Papin alguns anos antes, através do qual estas puseram fim à vida da patroa. Aos olhos de Claire e de Solange, as duas serviçais imaginadas pelo autor francês, a senhora para quem trabalham é a representação de um universo que lhes estará para sempre vedado. Na sua ausência, fecham-se no quarto principal e fingem ser a figura que amam e odeiam, cobrindo-se de jóias, vestindo as roupas mais sofisticadas, imitando todas as suas poses e maneirismos. Entretanto, sonham com a sua morte, porventura a única forma de alcançarem a liberdade.

Jean Genet (1910-1986) foi um dramaturgo, poeta e romancista francês. Começou a escrever em 1942, depois de uma vida dedicada ao crime e à prostituição. As suas obras, entre as quais se destacam as peças A varanda (1956), Os negros (1959) e Os biombos (1961), aproximam-no do Existencialismo e do Teatro do Absurdo.

Rui Madeira (n. 1955) é actor, encenador e director artístico da Companhia de Teatro de Braga. Em 1980 foi um dos fundadores da CENA, o grupo que, em 1984, daria origem à companhia que hoje dirige. Foi administrador do Theatro Circo de Braga e integrou a organização do 1.º FITEI (Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica).

 

FICHA ARTÍSTICA

 

Intérpretes Mariana Reis, Sílvia Brito e Solange Sá
Tradução Eduardo Tolentino e Rui Madeira
Cenografia Acácio de Carvalho
Figurinos Manuela Bronze
Desenho de Luz Nilton Teixeira
Assistência de Encenação Eduarda Filipa

 

TEATRO MUNICIPAL JOAQUIM BENITE | SALA EXPERIMENTAL | M/14

9 ABR | DOM às 16H

 

PREÇO: 5€ a 10€  

 

RESERVAS: +351 212 739 360
COMPRAR: http://cta.bilheteiraonline.pt/

 

Passatempo - "Morto, Mas Pouco!" - Centro Cultural do Cartaxo

O Blog Cultura de Borla em parceria com  a ÁREA DE SERVIÇO tem bilhetes duplos para a peça MORTO, MAS POUCO!para o dia 9 de Abril no CENTRO CULTURAL DO CARTAXO aos primeiros leitores que de 5 em 5 participações:

Enviem um email para o culturadeborla@sapo.pt com a frase "Eu quero ver MORTO, MAS POUCO! com o Cultura de Borla" com nome, BI e nº de telefone.

encenação de Frederico Corado

Centro Cultural do Cartaxo

 

Dias 7 e 8 de Abril às 21.30 

Dias 9 de Abril às 16.00 

 

20355749_IFtzC.jpeg

 

 

Últimas sessões de “MORTO, MAS POUCO!”

Após grande sucesso na estreia!

Comédia sobre a morte e os nossos medos de a enfrentar estreia dia 1

Dias 7 e 8 de Abril às 21.30 | Dia 9 de Abril às 16.00

Foi de pé que o público aplaudiu a companhia da Área de Serviço na estreia de “MORTO, MAS POUCO!”, e foi o mesmo entusiasmo que se repetiu no dia seguinte. As opiniões não se fizeram tardar chegar para este espectáculo que comemora os cinco anos da companhia.

“Texto muito bem escrito, interpretações hilariantes, plateia correspondente com gargalhadas contagiantes, cenário minimalista preto e branco, fazendo realçar o guarda-roupa kish surpreendentemente adequado a um velório (predominantemente vermelho)... mais uma grande produção da Área de Serviço! Parabéns! Cartaxeiros: não deixem de ver este espetáculo de grande qualidade, que orgulha a nossa cidade!”

Fátima Leal

 

“Nova peça da Área de Serviço, Morto mas Pouco. Excelente espectáculo. Recomenda-se vivamente.”

Artur Caetano

 

“Muita diversão. Gostei, recomendo. Vão ver é só rir. Morto mas pouco...”

Carlos Braz

 

“Mais uma produção da Área de Serviço, companhia sediada no Cartaxo. Mais uma peça de teatro do nosso excelente encenador Frederico Corado. Mais um elenco com gente da nossa terra. Mais uma produção da nossa terra. Mais um evento no nosso Centro Cultural. MIL E UMA RAZÕES para sairmos de casa e assistir a um grande espectáculo.”

Pedro Ribeiro

Presidente da Câmara Municipal do Cartaxo

 

“Também fui. Achei diferente do que o habitualmente tem sido feito e gostei ainda mais por isso mesmo. Depois, tem partes muito engraçadas :) Muitos parabéns! Continuem o bom trabalho!”

Sara Louro

No próximo fim de semana serão as três últimas sessões, dia 7 e 8 de Abril às 21h30 e 9 de Abril às 16h00.