Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

“Portugal das Bifanas”, um espetáculo que conta com oito personagens encarnadas por um só Telmo Ramalho

Portugal das Bifanas.jpg

 

Com 8 personagens, música, filmes e sketches ao vivo que prometem encher as noites de um humor puro e bem nacional. Não se deixe enganar pela descrição, “Portugal das bifanas”, é um divertido one man show de Telmo Ramalho que anima os Sábados do teatro Tivoli-BBVA, já a partir de dia 4 de Novembro.

 

Telmo conta: “Sempre adorei representar, contar histórias e criar personagens. Tive a sorte de ter um contacto constante com portugueses caricatos, brilhantes e únicos, durante a minha experiência profissional, a quem posso ter tirado algumas inspirações para a minha bipolaridade em palco, aliás, octopolaridade”.

 

Escolher qual a personagem capaz de provocar mais gargalhadas, não deverá ser uma tarefa fácil. Este também é um espetáculo com influências humorísticas internacionais que trazem uma originalidade e reconhecimento memoráveis. Telmo Ramalho, dá vida a 8 papéis repletos de carácter, com uma capacidade de improviso e transformação já aplaudida por todo o país. 

 

"Portugal das bifanas” promete um tempero bem português com uma boa dose de… personalidade. 

Bilhetes aqui: https://ticketline.sapo.pt/en/evento/portugal-das-bifanas-22345

No próximo sábado estamos no Teatro Vírginia em Torres Novas com A NOITE DA DONA LUCIANA de Copi.

No próximo sábado estamos no Teatro Vírginia em Torres Novas com A NOITE DA DONA LUCIANA de Copi.

imgnw-imgnw-2470-2.jpg

 

A NOITE DE DONA LUCIANA 
de Copi

Tradução ISABEL ALVES Encenação RICARDO NEVES-NEVES Assistência de encenação CATARINA RÔLO SALGUEIRO Elenco CUSTÓDIA GALLEGOJOSÉ LEITEMÁRCIA CARDOSORAFAEL GOMESRITA CRUZ e VÍTOR OLIVEIRA Figurinos JOSÉ ANTÓNIO TENENTE Luz ELDUPLO Técnico de Luz SIMÃO SOARES Música SÉRGIO DELGADO Fotografias ALÍPIO PADILHA Vídeo Promocional EDUARDO BREDA Apoio ao espectáculo EMANUEL SANTOS Comunicação MAFALDA SIMÕES Um espectáculo TEATRO DO ELÉCTRICO M16 Duração 70 min

O espectáculo já foi apresentado em Lisboa, Leiria, Vila Velha de Ródão, Funchal, Matosinhos. Tem sessões agendadas para Loulé e Torres Novas.

O espectáculo teve duas nomeações para os Prémios da Sociedade Portuguesa de Autores: Melhor Espectáculo do Ano e Melhor Actriz do Ano (Rita Cruz).

Teatro Virgínia – Torres Novas (21 de Outubro, 21H30)
249 839 309 | bilheteira@teatrovirginia.com

Espectáculo apoiado pela Fundação GDA, apoio à Circulação de Espectáculos.

 

imgnw-imgnw-2472-1.jpg

 

KARL VALENTIN KABARETT
de Karl Valentin

Textos KARL VALENTIN Tradutores ALMEIDA FARIA, JORGE SILVA MELO, LUÍZA NETO JORGE, MARIA ADÉLIA SILVA MELO, OSÓRIO MATEUS Encenação RICARDO NEVES-NEVES Assistência de encenação RAFAEL GOMES Elenco ELSA GALVÃO, FERNANDO GOMES, JOANA CAMPELO, JOSÉ LEITE, MÁRCIA CARDOSO, RAFAEL GOMES, RITA CRUZ, SÍLVIA FIGUEIREDO, TADEU FAUSTINO, TÂNIA ALVES e VÍTOR OLIVEIRA Direcção musical RITA NUNES Apoio Vocal JOÃO HENRIQUES Orquestra FRANCISCO ANDRADE (Saxofone tenor), IVO RODRIGUES (Trompete), JOSÉ ALMEIDA (Baixo), JOSÉ MASSARRÃO (Saxofone alto), MARCOS LÁZARO (Violino), RITA NUNES (Saxofone alto e Barítono), RUI PEREIRA (Bateria), SIMON WADSWORTH (Piano), TOMÁS PIMENTEL (Trompete), XAVIER RIBEIRO (Trombone) Cantor TIAGO AMADO GOMES Sonoplastia SÉRGIO DELGADO Coreografia TIAGO CARETO Figurinos RAFAELA MAPRIL Assistência de Figurinos ANA SABINO Costureira  CLÁUDIA MONTEIRO Adereços PESSOA JR. Luz ELDUPLO Técnico de Luz SIMÃO SOARES Fotografias ALÍPIO PADILHA Vídeo promocional EDUARDO BREDA Apoio ao espectáculo EMANUEL SANTOS Produção/Comunicação MAFALDA SIMÕES Um espectáculo TEATRO DA TRINDADE, FESTIVAL DE ALMADA e TEATRO DO ELÉCTRICO M6

Karl Valentin Kabarett cruza várias peças curtas de Karl Valentin com músicas de repertório popular alemão do início do século XX, cantadas ao vivo em alemão pelos onze actores e um cantor lírico, acompanhados de uma orquestra de dez elementos.

Teatro Virgínia – Torres Novas (13 de Janeiro, 21H30)
249 839 309 | bilheteira@teatrovirginia.com 

Há teatro infantil no Festival ORIENTE-SE e os mais pequenos não pagam! - 21 Outubro

ORIENTE-SE – Festival de Teatro | 30 de Setembro a 4 de Novembro

 

Há teatro infantil no ORIENTE-SE e os mais pequenos não pagam!

 

ORIENTE-SE.jpg

 

No dia 21 de Outubro, o ORIENTE-SE – Festival de Teatro Amador é dedicado aos mais pequenos. O Kaspiadas – Grupo Cénico da Casa do Povo de Pontével traz a peça “Farruncha”, de autoria de Jaime Gralheiro, que fala aos mais jovens das ilusões, fantasias e medos que marcam a infância. É já este sábado, às 16h00, no Auditório Fernando Pessa, em Lisboa, e as crianças até aos 12 anos não pagam.

O Festival ORIENTE-SE teve início no dia 30 de Setembro e prolonga-se até 4 de Novembro, acolhendo seis grupos oriundos de várias zonas do País. O anfitrião deste Festival é o Teatro Contra-Senso, grupo de teatro amador, sediado em Marvila, que este ano celebra duas décadas. A criação desta festa do teatro é a forma de comemorar o seu vigésimo aniversário.

O actor Pedro Górgia é o Padrinho desta primeira edição de Oriente-se.

 

FARRUNCHA

 

"Farruncha” é uma peça dedicada especialmente às crianças, composta por um prólogo e três quadros adicionais, da autoria de Jaime Gralheiro, escrita em 1964. Foi publicada nos Cadernos de Juventude e Cultura do Ministério da Educação e Investigação Científica, em 1975. Um Faz-Tudo, o Zico, o Toneca, outros colegas de escola, uma mãe e um espantalho divertido que está farto da sua tarefa compõem uma peça que retrata as ilusões, fantasias e medos associados à infância, recriando momentos de lazer e diversão, que farão as delícias de miúdos e graúdos.

 

Historial do Kaspiadas

 

O Kaspiadas – Grupo Cénico da Casa do Povo de Pontével foi fundado no final do ano de 1967, por um grupo de rapazes que frequentavam o Centro de Orientação de Leitura. E se nos primeiros anos a apresentação das peças estava limitada a um elenco exclusivamente masculino, mais tarde deu-se o ingresso de elementos femininos no grupo. Uma das peças de maior sucesso do grupo foi "O Gato", de Henrique Santana, que foi levada à cena mais do que uma vez, tendo percorrido o país de norte a sul. O Kaspiadas é responsável pela organização do Festével, festival de teatro amador do concelho do Cartaxo.

 

Ficha técnica e artística

Texto: Jaime Gralheiro | Encenação e Direcção: Mário Júlio Reis | Interpretação: José Falagueira, Tiago Santos, Gonçalo Sereno, Daniela Vintém, Filipa Silva, Manuela Calisto, Filomena Calisto, Fátima Calado

 

ORIENTE-SE – Festival de Teatro Amador

Sábados | 30 de Setembro a 4 de Novembro de 2017

Auditório Fernando Pessa

Rua Ferreira de Castro

1900-697 Lisboa



--

Passatempo | TODA A CIDADE ARDIA 15OUT @ Teatro Aberto

O Blog Cultura de Borla em parceria com o TEATRO ABERTO tem bilhetes duplos para a peça TODA A CIDADE ARDIA para o dia 15 de Outubro aos primeiros leitores que de 5 em 5 participações:

 

 Enviem um email para o culturadeborla@sapo.pt com a frase "Eu quero ver TODA A CIDADE ARDIA com o Cultura de Borla" com nome, BI e nº de telefone.

 

 

20171007135322_F0A18J4311UA6T8W95EI.jpg

 

Toda a Cidade Ardia, texto e encenação de Marta Dias, baseado em poemas de Alice Vieira, e estará em cena até ao dia 29 Outubro.

Estaremos em cena de 4ª a Sábado às 21h30 e Domingo às 16h

SINOPSE
                Quando começamos a dizer “Naquele tempo…”, é porque tudo mudou. O mundo mudou. Somos outros, agora.

E agora? O amor, que um dia nasceu, sobrevive? O que é, ao compasso dos dias e dos anos, dos segundos que suportam a nossa vida? O que é o amor, através da distância, guardado na memória, enquanto se espera (e se tem esperança)?

Ana tem uma história, feita de muitas histórias, que atravessa a História. Ela vai levar-nos através da cidade cinzenta, da cidade em chamas, de revoluções e cantigas de embalar, pelo barulho das rotativas, pelo cheiro a tinta e pelas palavras escolhidas com cuidado. Ela vai abrir todos os livros, dobrar as esquinas de todas as ruas e levar-nos pelo meio dos retratos desfocados do passado, pela alegria e pela serenidade dos dias em família, pela poeira do tempo que escorre, pelo silêncio da noite… vendo os ramos das árvores balouçarem e crescerem.

 

FICHA ARTÍSTICA
Texto de Marta Dias
Baseado em poemas de Alice Vieira
 
Encenação Marta Dias
Cenografia Marisa Fernandes
Desenho de Luz | Vídeo Aurélio Vasques
Figurinos Dino Alves
Coreografia Cláudia Nóvoa 
Desenho de Som Sandro Esperança
COM Ana Guiomar | André Patrício | António Fonseca | Catarina Moreira Pires | Emanuel Rodrigues | Madalena Almeida | Miguel Lopes Rodrigues | Sílvia Filipe | Vítor d’Andrade

 

ESPECTÁCULOS 
4ª a Sábado às 21h30 
Domingo às 16h 

O espectáculo estará em cena até 29 OUT

 

M/12

 
BILHETEIRA
4ª a Sábado das 14h às 22h00; Domingo das 14h às 19h 
Reservas 213 880 089 ou bilheteira@teatroaberto.com  
www.bol.pt | FNAC | ABEP | CTT | El Corte Inglés (Lisboa e Gaia)

  

Passatempo BOEING BOEING - Teatro Armando Cortez

O Blog Cultura de Borla em parceria com  a YELLOW STAR COMPANY tem bilhetes duplos para a peça Boeing Boeing para o dia 18 de Outubro no TEATRO ARMANDO CORTEZ aos primeiros leitores que de 5 em 5 participações:

 

 Enviem um email para o culturadeborla@sapo.pt com a frase "Eu quero ver Boeing Boeing com o Cultura de Borla" com nome, BI e nº de telefone.

 

20672815_BLFM6.jpeg

 

 

Comédia

Sinopse

Uma hilariante comédia de enganos sobre a trajetória de um Casanova da Era do Jacto, Bernardo um arquiteto que está noivo de três mulheres, Janete, Julietta e Judite, três hospedeiras de bordo, de diferentes países com quem vive sem que saibam a existência uma das outras.

Berta, a fiel empregada doméstica de Bernardo, é cúmplice neste jogo amoroso, trocando as fotografias, roupas de cama e ementas para que nenhuma das noivas desconfie da presença de outras mulheres.

Até que um dia os seus amores vão chegar à sua casa ao mesmo tempo…

Dada a azáfama vivida na casa de Bernardo, Berta está à beira de um ataque de nervos! Um amigo de longa data do arquiteto, Roberto Seguro, veio visitá-lo e vê-se apanhado na maior trama amorosa que alguma vez viu e que terá um fim inesperado...

História do Cerco de Lisboa a partir de 12 de Novembro no TMJB em Almada

Luís Vicente e Ana Bustorff em  História do Cerco de Lisboa

 

Uma História do Cerco de Lisboa

 

 

image001.jpg

image002.jpg

 

História do Cerco de Lisboa, a partir de José Saramago, com dramaturgia de José Gabriel Antuñano e encenação de Ignacio García, vai estar em cena no Teatro Municipal Joaquim Benite a partir de 12 de Outubro e até 3 de Novembro. O espectáculo teve antestreia durante o último Festival de Almada e foi considerado pelo crítico da Artez Blai como “um grande espectáculo, emotivo, poético e educativo.

Nos sábados 14, 21 e 28 de Outubro haverá Conversas com o público sobre a obra de José Saramago que contam com a presença de vários convidados, entre eles Pilar del Río, Miguel Real, João Tordo e Manuel Frias Martins. O espectáculo conta com o apoio da Fundação José Saramago.

 

A capacidade de dizer “não” é um dos temas abordados por Camus no seu Homem revoltado. E colocar um “não” onde estava escrito um “sim” é o que faz Raimundo Silva, o revisor que protagoniza a História do Cerco de Lisboa. Só que a afirmação (pela negação) desta personagem saramaguiana servirá de ponto de partida para a criação: no caso, a escrita de uma História do Cerco de Lisboa na qual os cruzados “não” auxiliem D. Afonso Henriques na conquista da cidade. E deste “não” surgirá também uma história de amor, entre o revisor e a directora literária Maria Sara – plasmada, de certo modo, nas personagens do soldado Mogueime e da barregã Ouroana. A adaptação de José Gabriel Antuñano vai ao encontro (e vai além) do tema central do romance de Saramago: a fronteira entre a realidade e a ficção, bem como a redenção pelo amor.


Formado pela Real Escuela Superior de Arte Dramático de Madrid, Ignacio García foi adjunto do director artístico do Teatro Español. É director artístico do Festival Dramafest, no México, e tem desenvolvido uma carreira como encenador de teatro e ópera na Europa, na Ásia e na América Latina. Entre os autores que tem levado à cena encontram-se nomes como Kataiev, Juana Inés de la Cruz, Rodriguez Méndez, Ernesto ou Dario Fo.


Intérpretes Ana Bustorff, Elsa Valentim, João Farraia, Jorge Silva, José Peixoto, Luís Vicente, Pedro Walter, Rui Madeira e Tânia Silva
Assistente de encenação Marco Trindade
Cenografia José Manuel Castanheira, assistido por Pedro Silva e pelos estagiários Filipe Fernandes, Francisca Castro, Inês Carrillo, Maria Luís e Sofia Lacerda
Figurinos Ana Paula Rocha
Música Ignacio García
Luz Guilherme Frazão
Som Miguel Laureano

Co-produção: ACTA – A Companhia de Teatro do Algarve, Companhia de Teatro de Almada, Companhia de Teatro de Braga e Teatro dos Aloés

 

TEATRO MUNICIPAL JOAQUIM BENITE | SALA PRINCIPAL | M/12

12 OUT a 3 NOV | QUA a SÁB às 21H00 | DOM às 16H00

 

 

PREÇO: 6,5€ a 13€  (Clube de Amigos: entrada livre)

 

RESERVAS: +351 212 739 360
COMPRAR: http://cta.bilheteiraonline.pt/