Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Ageas Seguros promove cultura com apoio ao Festival Doclisboa e Festival Literário Internacional de Óbidos

A Ageas Seguros, no âmbito do trabalho desenvolvido em prol da cultura nacional, patrocina dois dos festivais importantes do panorama português: o Festival Doclisboa 2017 e o FOLIO -  Festival Literário Internacional de Óbidos. A marca estará presente no Doclisboa 2017 como seguradora oficial e através da promoção de um Cocktail Ageas na sessão de abertura Heart Beat no Cinema São Jorge.

Haverão ainda duas sessões Ageas Seguros no sábado e domingo:

Dia 21/10 pelas 21h: Documentário “Becoming Cary Grant” – Grande Auditório da Culturgest - http://www.doclisboa.org/2017/filmes/becoming-cary-grant/

Dia 22/10 16h15: Documentário “Cantores de Paris” - Sala Manuel de Oliveira no Cinema São Jorge - http://www.doclisboa.org/2017/filmes/os-cantadores-de-paris/

 

No FOLIO 2017, além do patrocínio ao evento, a Ageas Seguros marca ainda presença através do seu stand dinamizado pelos Agentes Ageas Seguros na Praça da Criatividade do recinto.

 

“A Ageas Seguros tem o objetivo de estimular o potencial artístico e cultural. Iniciativas de elevado valor como o Doclisboa e o Folio são para nós uma honra apoiar. Queremos estar ao lado daqueles que colocam o seu talento à disposição dos outros – um gesto que se traduz num ato generoso de partilha das suas sensibilidades no âmbito da música, cinema, literatura, design e muitas outras formas de expressão artística”, refere Alexandra Catalão, Diretora de Marketing da Ageas Seguros.

 

De 19 a 29 de outubro, o Doclisboa pretende promover, uma vez mais, o cinema como um modo de liberdade. O evento recusa a categorização da prática fílmica e procura novas problemáticas presentes na imagem cinematográfica, nas suas múltiplas formas de implicação no contemporâneo e procura ser um lugar de imaginação da realidade.

Também de 19 a 29 de outubro, desenrola-se o Festival Literário Internacional de Óbidos, um evento organizado pelo Município de Óbidos, que este ano tem a Revolução como tema principal. Na edição de 2017, Óbidos coopera com outras cidades literárias criativas, declaradas pela UNESCO, num programa que combina a música, a literatura e o design.

Óbidos apresenta Ópera em Setembro - Concertos dias 16 e 23, na Cerca do Castelo

Concertos dias 16 e 23, na Cerca do Castelo

Óbidos apresenta Ópera em Setembro 

 

OPERA.jpg

 

Em Setembro, Óbidos será palco de Concertos onde a música lírica será protagonista, unindo o cenário natural da Cerca do Castelo à melodia das orquestras e dos solistas, numa produção que promete surpreender as noites de final de Verão.

 

Assim, no dia 16, pelas 21h30, o concerto será composto por dois «Intermezzos»: “Il Maestro di cappella” e “La Serva Padrona” e será levado a cabo pela Orquestra Filarmonia das Beiras, sob direção do Maestro Vassalo Lourenço, em versões semi-encenadas, tendo como solistas Nuno Dias (baixo), Vera Silva (soprano) e Leandro Alves como personagem de Vespone (La serva Padrona).

 

Já no dia 23, com início às 21h30, a Cerca do Castelo recebe a Gala de Ópera, com a soprano Alexandra Bernardo, o barítono Armando Possante, os Coros Coral Nascente e Coral Alma Nova e a Orquestra Sinfónica Juvenil. Direção de Bernardo Marques.

 

Local e Bilhetes

Cerca do Castelo | Anfiteatro de Cima | Espaço semi-coberto

Bilhetes à venda nos locais habituais.

Preço por pessoa e espetáculo: 22,00€ - Plateia (cadeiras) e 18,00€ - Balcão (bancada)

 

Os concertos:

 

16 Setembro

Dois intermezzos (versão original): Il Maestro di Capella, de Domenico Cimarosa, e La Serva Padrona, do compositor italiano Giovanni Battista Pergolesi.

 

Il Maestro di Cappella de Domenico Cimarosa

O Mestre de Música está a ensaiar com a sua própria orquestra. Declara que quer executar uma ária em “estilo sublime”, referindo-se à autoridade dos antigos mestres “que sabiam tanto”. Quando finalmente a orquestra inicia a execução da ária, o resultado é desastroso. Cada um dos instrumentos entra no momento errado, estragando a música e obrigando o mestre a cantar, ele próprio, a parte de cada um. E assim o mestre continua, ensinando um a um, até que todos os músicos dos diferentes instrumentos aprendam a sua parte.

Depois de aprenderem, experimentam, enfim, tocar todos juntos a música proposta. Têm sucesso. O mestre de música, satisfeito, decide então que a orquestra toque uma “grande peça”, de grande efeito. Será que vão conseguir?

 

Intervenientes:

Músicos - Orquestra Filarmonia das Beiras

Mestre de Música – Nuno Dias (baixo)

Maestro – António Vassalo Lourenço

 

La Serva Padrona de Giovanni Battista Pergolesi

Sinopse:

Serpina, criada atrevida de Uberto, que dele, no entanto, faz os encantos, serve-o com demora e sobranceria e leva o seu atrevimento a ponto de, primeiro, querer condicionar as saídas do seu patrão e, depois, de se lhe impor como noiva, o que ele recusa. Um criado mudo, Vespone, também ao serviço de Uberto e nem sequer muito bem tratado por Serpina, será dela, porém, precioso comparsa na farsa que levará o amo a aceitar a criada em casamento: tomando a “máscara” de Capitão, numa autêntica rábula de “commedia dell’arte”, faz-se passar por noivo de Serpina, a quem o patrão deverá dar um dote, ou, se o não fizer, tomá-la então para si. A recusa de Uberto em pagar é o triunfo de Serpina, que de criada passa a patroa, desposando Uberto, que acede de bom grado ante a ameaça do terrível Capitão Tormenta.

 

Intervenientes:

Serpina – Vera Silva (soprano)

Uberto – Nuno Dias (baixo)

Vespone – Leandro Alves

 

Ficha Técnica e Artística:

Orquestra Filarmonia das Beiras (OFB)

Direção Artística e Musical - António Vassalo Lourenço

Encenação - Leandro Alves

Produção OFB – Messias Simões, Bruno Marques, Belinda Morais, Margarida Mendes, Rita Carvalho

Classificação etária: maiores de 3 anos

Coprodução- Estúdio de Ópera do Centro/Orquestra Filarmonia das Beiras (uma estrutura financiada pelo Ministério da Cultura / Direção Geral das Artes.

 

23 Setembro

Gala de Ópera

MOZART | As Bodas de Fígaro – Abertura (1756 – 1791)

PUCCINI | Gianni Schichi - O mio Babbino caro (1858 – 1924)

MOZART | As Bodas de Fígaro - Non più andrai (1756 – 1791)

VERDI | Nabucco - Coro dos Escravos Hebreus (1813 – 1901)

VERDI |Rigoletto - Caro nome (1813 – 1901)

ROSSINI | O Barbeiro de Sevilha - Largo al factótum (1792 – 1868)

ROSSINI | O Barbeiro de Sevilha - Dunque io son… tu non m’inganni (1792 – 1868)

VERDI | Traviata – Brindisi (1792 – 1868)

 

 

Ficha Técnica e Artística:

Orquestra Sinfónica Juvenil (OSJ)

Direção – Bernardo Marques

Produção OSJ – Vítor Mota

Óbidos | Semana Internacional de Piano volta a trazer a beleza da música a Óbidos

Concerto com Manuela Gouveia - SIPO - Arquivo MO.j

 

 

De 8 a 21 de Agosto

Semana Internacional de Piano volta a trazer a beleza da música a Óbidos

 

A XXII Semana Internacional do Piano de Óbidos (SIPO) decorre de 8 a 21 de Agosto. A SIPO 2017 reúne, mais uma vez, em Óbidos, grandes personalidades do mundo da música e, especialmente, do piano. É atualmente um dos eventos musicais mais destacados do nosso País, com largas repercussões a nível internacional.

 

A SIPO vai trazer, à vila de Óbidos, músicos de renome internacional num encontro com jovens estudantes de música, vindos de todo mundo, reunidos num desejo de aperfeiçoarem os seus conhecimentos musicais.

 

Durante estes dias, a música de piano enche por completo o burgo medieval de Óbidos: tanto pelos cursos dos Master Classes, que durante o dia decorrem paralelamente em vários locais, como pelos 11 concertos que integram o Festival deste ano e que, à noite, chamam um público cada vez mais numeroso e entusiasta.

 

Uma das novidades de 2017 passa pelo primeiro concerto se realizar no Centro Cultural de Congressos das Caldas da Rainha, dia 9 de Agosto, com Fausto Neves. Outra novidade passa pela atribuição, pela primeira vez, do “Prémio ACIM” à melhor interpretação de uma obra de um compositor português. 

 

A SIPO é promovida pela Associação de Cursos Internacionais de Música de Óbidos (ACIM) com o apoio da Câmara Municipal de Óbidos e do Governo Português, através do Ministério da Cultura, entre outros.

 

Cursos de Formação e Aperfeiçoamento

O programa da SIPO 2017 segue o mesmo conceito pedagógico dos anos anteriores, facto que até agora tem provado atrair tanto os alunos das Master Classes como o público assistente. Os participantes das Master Classes têm dado especial importância ao facto da SIPO lhes permitir uma formação continuada com excelentes pedagogos. 

 

Concertos

Os programas dos concertos abrangem obras do repertório musical de todas as épocas. Os executantes são os professores/pianistas da SIPO, artistas convidados e os alunos participantes das Master Classes. 

Durante os concertos dos alunos participantes será atribuído o prémio “Antena 2” aos estudantes que mais se destacarem. Este prémio será atribuído pelo voto do público e dos professores das Master Classes. Será atribuído pela primeira vez o “Prémio ACIM” à melhor interpretação de uma obra de um compositor português.

 

Atividades paralelas

Para além dos Cursos de Formação e dos Concertos do Festival, têm lugar uma Exposição de Fotografia de Ana Carvalho e uma Conferência a cargo de Joaquim Pinto da Silva. 

 

Sobre a ACIM

A Associação de Cursos Internacionais de Música (ACIM), com sede em Óbidos, foi constituída em 1996 como uma associação sem fins lucrativos. Os objetivos a longo prazo que presidiram à sua constituição basearam-se na criação, em Portugal, de um núcleo de atividades artístico-culturais de renome internacional que apostasse na qualidade e na continuidade das iniciativas tomadas, sublinhando a importância do elemento internacional na formação de jovens músicos. 

 

A nível local, a ACIM tem desempenhado um importante papel no desenvolvimento cultural e turístico da Região Oeste já que, entre outras atividades culturais em que predomina a formação musical, a ACIM promove, desde 1996, a Semana Internacional de Piano de Óbidos (SIPO).

 

Em 2000, a ACIM decidiu juntar a Música às Belas Artes, iniciando um ciclo de exposições paralelas à SIPO.

 

A SIPO visa trazer a Portugal, e mais concretamente à vila de Óbidos, local de valor histórico mundialmente reconhecido, músicos de renome internacional num encontro com jovens estudantes de música. Assim, a SIPO é atualmente um dos eventos musicais mais destacados do nosso País, com largas repercussões a nível internacional.