Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Marta Moura inaugura exposição no TMJB

Between, de Marta Moura, de 8 de Abril a 25 de Junho, na Galeria do TMJB

 

image001.jpg

 

 

 

image002.jpg

 

 

 

Between, da artista plástica Marta Moura, é a exposição que se segue na Galeria do Teatro Municipal Joaquim Benite. É inaugurada no Sábado, dia 8 de Abril, às 18h, e ficará patente até dia 25 de Junho. Esta exposição é uma colaboração com a Galeria Caroline Pagès.

 

Nas palavras de Marta Moura, “os trabalhos apresentados nesta exposição exploram alusões simbólicas sobre relações e interacções humanas, de encontro e ligação, mutação e permanência, fragilidade e temporalidade, transformação da vida e das coisas. Relações de conexão ou analogia, partilha ou duplicidade, conversão ou passagem... A pintura permeia-se de objectos, marcas e lugares, num encontro simbólico com a vida, figurando-se de novos sentidos.”

Marta Moura (n. 1978) é licenciada em Pintura pela ESAD – Caldas da Rainha e Mestre em Pintura pela Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa. De entre as exposições individuais destacam-se Meet me at the bridge (2016), Vanitas (2014),Velocidade (2013) e Lost and Found (2012). Das exposições colectivas destacam-se Masquerade (2015), Diálogos com as obras do Museu Bienal de Cerveira (2015), Atlas secreto (2014), XV Bienal de Cerveira (2009), Pavilhão de Portugal (2009), Rasura (2007), Opções & futuros (2006) e Controlo remoto (2005). Foi seleccionada para o Jeune Création Européene (2011-13), para o International Call for Young Artists (2009) e para o Prémio de Pintura Ariane de Rothschild (2007). Está representada em diversas colecções públicas e privadas em Portugal, Espanha, França e Áustria.

 

TEATRO MUNICIPAL JOAQUIM BENITE | GALERIA | M/6

8 ABR a 25 JUN | QUI a SÁB das 19h às 21h30 | DOM das 15h às 19h30 | Em dias de espectáculo a galeria está aberta a partir das 19h00

 

PREÇO: ENTRADA LIVRE  

 

INFORMAÇÕES: +351 212 739 360

O fantasma das melancias volta a atacar dias 22 e 23 de Abril no TMJB

image001.jpg

image002.jpg

 

João Farraia e Pedro Walter em O fantasma das melancias, dias 22 e 23 de Abril no TMJB

 

 

 

O fantasma das melancias volta a atacar

 

 

A Companhia de Teatro de Almada apresenta nos dias 22 e 23 de Abril, às 16h e às 11h, respectivamente, no Teatro Municipal Joaquim Benite, O fantasma das melancias, espectáculo para a infância com encenação de Teresa Gafeira e textos de Claeyssen, Espina e Acuña.

 

A história que dá nome ao espectáculo é apenas um dos três episódios que o compõem. O primeiro chama-se Sopa de pedras e é protagonizado por um velho avarento que acaba castigado por um cobrador de impostos mais astuto do que ele. O segundo, O galo quer ter dentes, põe em cena um galo rico e influente que tenta convencer um urso dentista da dor causada por uma cárie. O último é, evidentemente, O fantasma das melancias, sobre um ladrão de melancias caçado por um rapazinho trapalhão, mas muito obediente. Todos convidam à interacção entre as crianças e os actores, num cenário colorido e cheio de surpresas.

Juan Enrique Acuña (1915-1988) foi um jornalista e escritor argentino. Assumiu a direcção artística do Teatro La Rueda e foi secretário da Federação de Teatros Independentes da Argentina.

Luis Marcelo Claeyssen é considerado um mestre do teatro de títeres. Integrou a Asociación de Titiriteros da Argentina nos anos 40 e é autor do célebre Churrinche contra o fantasma.

Roberto Espina (n. 1926) é um actor, encenador e mimo argentino, autor de textos como A república do cavalo morto. Ajudou a fundar, em 1951, o Teatro Fray Mocho, em Buenos Aires, e em 1956 criou o Teatro Los Comediantes de La Ruta.

 

FICHA ARTÍSTICA

 

Intérpretes João Farraia, Pedro Walter e Vera Santana
Cenografia Teresa Gafeira
Figurinos Teresa Capitão
Operação de Luz e Som Paulo Horta

 

TEATRO MUNICIPAL JOAQUIM BENITE | SALA DE ENSAIOS | M/3

22 ABR | SÁB às 16H

23 ABR | DOM às 11H

 

PREÇO: 5€ a 10€  (Clube de Amigos: entrada livre)

 

RESERVAS: +351 212 739 360
COMPRAR: http://cta.bilheteiraonline.pt/

CTA estreia Migrantes dia 21 de Abril

image001.jpg

 

image002.jpg

 

Migrantes de 21 a 28 de Abril e de 3 a 14 de Maio no TMJB.

 

 

CTA estreia Migrantes

 

 

A Companhia de Teatro de Almada estreia no próximo dia 21 de Abril a mais recente peça de Matéi Visniec: Migrantes.

O espectáculo tem encenação de Rodrigo Francisco e estará em cena na Sala Principal do Teatro Municipal Joaquim Benite, de 21 a 28 de Abril e de 3 a 14 de Maio. No Sábado dia 22 de Abril haverá Conversa com o público, com a presença do autor da peça, Matéi Visniec, às 18h, no foyer do TMJB.

 

A recente crise dos refugiados, que procuram no território europeu uma forma de escapar aos conflitos que dilaceram os seus países de origem, acabou por trazer ao de cima algumas fricções latentes na União Europeia – nomeadamente entre aqueles que se prestam a receber quem foge da guerra e os que constroem muros para deter as populações em fuga. Enquanto jornalista da Radio France, Matéi Visniec contactou de perto (desde a “Selva” de Calais aos campos de refugiados nas ilhas gregas) com a realidade dos que estão dispostos a arriscar a vida para poder viver. A sua mais recente peça (uma estreia absoluta no nosso País) lança o debate sobre um tema que urge debater e solucionar. É também no discurso anti-refugiados que os partidos de extrema-direita europeus têm baseado os seus discursos – e colhido proveitos.

Matéi Visniec nasceu na Roménia em 1956. Desde cedo que a sua dramaturgia se constituiu como uma denúncia do regime de Ceau?escu, acabando o dramaturgo por tomar o caminho do exílio, em 1987. As suas peças são actualmente representadas nos quatro continentes, do Piccolo Teatro di Milano ao Teatro Máximo Gorki, de Berlim, passando por Avignon, Paris, Teerão e Hollywood.

.

O espectáculo tem o apoio do Instituto Cultural Romeno

 

FICHA ARTÍSTICA

 

Intérpretes Adriano Carvalho, Elias Nazaré, João Cabral, João Tempera, Maria Frade, Maria João Falcão, Rui Silva, Sofia Marques e Tânia Guerreiro
Figurinos Ana Paula Rocha
Movimento Francesca Bertozzi
Luz Guilherme Frazão
Som Miguel Laureano

 

TEATRO MUNICIPAL JOAQUIM BENITE | SALA PRINCIPAL | M/14

21 a 28 ABR e 3 a 14 de MAI | QUA a SÁB às 21H30 e DOM às 16H

 

PREÇO: 6,5€ a 13€ (Clube de Amigos: entrada livre) 

 

RESERVAS: +351 212 739 360
COMPRAR: http://cta.bilheteiraonline.pt/

ACTA traz Um espectáculo a Almada

image001.jpg

image002.jpg

 

 

Bruno Martins e Glória Fernandes em Um espectáculo,  a partir de Robert Pinget, com encenação de Elisabete Martins.  No TMJB, dia 15 de Abril, às 21h30.

 

 

 

ACTA traz Um espectáculo a Almada

 

 

A ACTA – A Companhia de Teatro do Algarve vai estar em cena no Teatro Municipal Joaquim Benite, dia 15 de Abril, pelas 21h30, com Um espectáculo, uma encenação de Elisabete Martins a partir de um texto de Robert Pinget

 

Há reminiscências de Beckett no conflito que opõe as personagens de Pinget. Vladimir e Estragon, de À espera de Godot, perfilam-se no horizonte quando assistimos ao confronto entre um encenador obcecado com a materialização do espectáculo que idealizou e uma produtora cuja única função parece consistir em refrear os voos da imaginação alheia. Originalmente, o texto de Pinget chamava-se Abel e Bela, e requeria a participação de dois intérpretes masculinos. Neste espectáculo, a ACTA optou não apenas por alterar o título, reforçando assim a dimensão metafórica do lugar onde decorre a acção, mas também por colocar o feminino na equação, enriquecendo o sentido das reflexões propostas.

Robert Pinget (1919-1997) foi romancista, dramaturgo, contista e ensaísta. Antes de se dedicar à escrita, incentivado por Albert Camus, Alain Robbe-Grillet e Samuel Beckett, trabalhou como advogado na Suíça, o seu país natal, e estudou Belas-Artes em Paris. Em 1965 recebeu o Prix Femina pelo romance Quelqu’un.

Elisabete Martins é actriz, encenadora e formadora, tendo concluído em 2000 o Curso de Formação de Actores, Técnicos e Animadores Teatrais da ACTA. Integrou o elenco da companhia em 2001 e estreou-se na encenação no ano seguinte, com O primeiro, de Israel Horowitz.

 

FICHA ARTÍSTICA

 

Intérpretes Bruno Martins e Glória Fernandes
Dramaturgia, Espaço cénico e Figurinos Luís Vicente e Elisabete Martins

 

TEATRO MUNICIPAL JOAQUIM BENITE | SALA EXPERIMENTAL | M/12

15 ABR | SÁB às 21H30

 

PREÇO: 5€ a 10€  

 

RESERVAS: +351 212 739 360
COMPRAR: http://cta.bilheteiraonline.pt/

 

TMJB acolhe As criadas, de Genet

image001.jpg

 

image002.jpg

 

As criadas, de Jean Genet, com encenação de Rui Madeira, dia 9 de Abril, às 16h, no TMJB.

 

 

TMJB acolhe As criadas, de Genet

 

A Companhia de Teatro de Braga, em co-produção com a Seiva Troupe, apresenta no Teatro Municipal Joaquim Benite As criadas, do dramaturgo maldito Jean Genet. O espectáculo tem dramaturgia e encenação de Rui Madeira e estará em cena no Domingo, dia 9 de Abril, às 16h.

 

 

Genet escreveu As criadas em 1947, enquanto cumpria pena na prisão. Fê-lo tendo em mente o crime perpetrado pelas irmãs Papin alguns anos antes, através do qual estas puseram fim à vida da patroa. Aos olhos de Claire e de Solange, as duas serviçais imaginadas pelo autor francês, a senhora para quem trabalham é a representação de um universo que lhes estará para sempre vedado. Na sua ausência, fecham-se no quarto principal e fingem ser a figura que amam e odeiam, cobrindo-se de jóias, vestindo as roupas mais sofisticadas, imitando todas as suas poses e maneirismos. Entretanto, sonham com a sua morte, porventura a única forma de alcançarem a liberdade.

Jean Genet (1910-1986) foi um dramaturgo, poeta e romancista francês. Começou a escrever em 1942, depois de uma vida dedicada ao crime e à prostituição. As suas obras, entre as quais se destacam as peças A varanda (1956), Os negros (1959) e Os biombos (1961), aproximam-no do Existencialismo e do Teatro do Absurdo.

Rui Madeira (n. 1955) é actor, encenador e director artístico da Companhia de Teatro de Braga. Em 1980 foi um dos fundadores da CENA, o grupo que, em 1984, daria origem à companhia que hoje dirige. Foi administrador do Theatro Circo de Braga e integrou a organização do 1.º FITEI (Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica).

 

FICHA ARTÍSTICA

 

Intérpretes Mariana Reis, Sílvia Brito e Solange Sá
Tradução Eduardo Tolentino e Rui Madeira
Cenografia Acácio de Carvalho
Figurinos Manuela Bronze
Desenho de Luz Nilton Teixeira
Assistência de Encenação Eduarda Filipa

 

TEATRO MUNICIPAL JOAQUIM BENITE | SALA EXPERIMENTAL | M/14

9 ABR | DOM às 16H

 

PREÇO: 5€ a 10€  

 

RESERVAS: +351 212 739 360
COMPRAR: http://cta.bilheteiraonline.pt/

 

Concerto de Páscoa no TMJB dia 7 de Abril

image001.jpg

 

image003.jpg

 

 

Henning Kraggerud e João Paulo Santos no TMJB, dia 7 de Abril, às 21h30

 

 

 

Este ano o Concerto de Páscoa do Teatro Municipal Joaquim Benite inclui obras de Beethoven e MacMillan, interpretadas pela Orquestra Sinfónica Portuguesa e pelo Coro do Teatro Nacional de São Carlos. A obra de Beethoven será dirigida por Henning Kraggerud e a obra de MacMillan por João Paulo Santos. O concerto realizar-se-á na Sexta-feira, dia 7 de Abril, às 21h30.

 

 

Pela Páscoa, os espectadores do TMJB terão oportunidade de ouvir o único concerto para violino e orquestra que Beethoven compôs, bem como uma obra coral do escocês James MacMillan, inspirada pela Paixão de Cristo. Seven last words from the cross reunirá, em palco, a Orquestra Sinfónica Portuguesa e o Coro do Teatro Nacional de São Carlos. Quanto ao concerto de Beethoven, trata-se de uma peça frequentemente gravada e interpretada, contemporânea de outras criações de grande fôlego, como o seu Triplo Concerto e os Quartetos Razumovsky. Estreou em Viena, em 1806, para satisfazer uma encomenda do violinista Franz Clement.

João Paulo Santos é pianista e maestro, encontrando-se ligado ao Teatro Nacional de São Carlos há mais de 40 anos. O seu percurso artístico abrange fundamentalmente três áreas: a direcção musical, a interpretação ao piano e a recuperação do património musical nacional.

Henning Kraggerud (n. 1973) é um violinista e compositor norueguês, director artístico da Orquestra Filarmónica de Câmara do Árctico e professor no Conservatório de Música Barratt Due, em Oslo, e na Royal Northeen College of Music de Manchester. Estudou sob a direcção de Camilla Wicks, Emanuel Hurwitz e Stephan Barratt-Due, entre outros, e foi já distinguido com o Grieg Prize e o Sibelius Prize

 

 

FICHA ARTÍSTICA

 

VIOLINO Henning Kraggerud

DIRECÇÃO MUSICAL Henning Kraggerud (obra de Beethoven) e João Paulo Santos (obre de MacMillan)

ELEMENTOS DO CORO DO TEATRO NACIONAL DE SÃO CARLOS Ana Luísa Silva, Carolina Raposo, Sandra Lourenço Santos e Sónia Alcobaça (Sopranos), Ana Ferro, Conceição de Sousa, Madalena Paiva Boléo e Susana Moody (Meio-Sopranos), Arménio Afonso Granjo, Bruno Almeida, João Cipriano e Rui Pedro Antunes (Tenores), Carlos Pedro Santos, Costa Campos, Leandro Silva e João Oliveira (Baixos)

 

 

TEATRO MUNICIPAL JOAQUIM BENITE | SALA PRINCIPAL | M/6

7 ABR | SEX às 21H30

 

PREÇO: 7,5€ a 15€  

 

RESERVAS: +351 212 739 360
COMPRAR: http://cta.bilheteiraonline.pt/

Ricardo Pais: aprender a esquecer

image001.jpg

 

image002.jpg

 

Terceiro volume d’O sentido dos mestres já à venda

 

 

 

Uma das iniciativas com que a CTA assinalou o Dia Mundial do Teatro foi o lançamento de mais um volume da colecção O sentido dos mestres. O livro está agora à venda no Teatro Municipal Joaquim Benite, no Teatro Nacional D. Maria II, em Lisboa, no Teatro Nacional S. João e na livraria Poetria, no Porto, ou em www.ctalmada.pt e tem um custo de 5 euros.

 

 

Ricardo Pais foi o protagonista da terceira edição de O sentido dos mestres, uma iniciativa que o Festival de Almada leva a efeito desde 2014, com o apoio da Fundação Share, e que se destina a promover o contacto de estudantes, profissionais e espectadores de teatro com mestres portugueses e estrangeiros das artes de palco. Neste livro, cujo título reproduz o do ciclo de "sessões terapêuticas" que o encenador e ex-director artístico do Teatro Nacional São João foi convidado a conduzir em Julho de 2016, publicam-se as transcrições de duas aulas que ministrou e uma entrevista concedida recentemente ao jornalista e crítico de teatro João Carneiro.

 

 

PREÇO: 5€ (Clube de Amigos: 2,5€)

"Lysistrata" - Grupo de Teatro Obs Cena

Irá decorrer uma leitura encenada "Lysistrata" que no espaço "Chá de Histórias" (Rua Cândido dos Reis, nº 129), em Almada, no dia 30.03.2017, às 22h00, com entrada livre.

 

Esta leitura encenada faz parte de um dos vários projectos do recém-formado Grupo de Teatro Obs Cena, que surge da união de um grupo de actores profissionais e amadores tendo como principais objectivos, o desenvolvimento e apresentação de produções teatrais e a criação de uma formação de expressão dramática. O Grupo pretende explorar maioritariamente temáticas de comédia, interligando as obras clássicas com projectos inovadores, privilegiando assim a criação artística e abrangendo vários tipos de público e canais, tornando-se numa opção diferenciadora dentro e fora do concelho de Almada.