Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

História do Cerco de Lisboa em cena nos Recreios da Amadora

 

d4c14243-4b83-4bcb-8add-20418ae73fb8.jpg

 

HISTÓRIA DO CERCO DE LISBOA a partir de José Saramago 
21 a 24 de Setembro nos Recreios da Amadora
(qui. 21h30, sex 15h* e 21h30, sáb. 21h30, dom.16h)


Uma co-produção: Acta – A Companhia de Teatro do Algarve, Companhia de Teatro de Almada, Companhia de Teatro de Braga e Teatro dos Aloés.
 

Esta criação é uma adaptação do romance História do Cerco de Lisboa de José Saramago, no ponto de partida desta história encontra-se um acto de rebeldia criativa: o revisor Raimundo Silva escreve um “não” nas provas de um livro de História onde se afirmava que em 1147 os cruzados tinham ajudado os portugueses na conquista de Lisboa aos mouros. O transtorno causado na editora por este acto “inexplicável” serve de pretexto para que a gestora Maria Sara lance um desafio ao revisor: a escrita de um romance no qual a ficção se imponha à verdade histórica, isto é, no qual D. Afonso Henriques conquiste Lisboa sem a ajuda dos cruzados.E é à escrita desse novo romance que o público irá assistir: Raimundo Silva, que receberá a visita em cena do próprio José Saramago, será confrontado com os problemas da criação literária. Tal qual um encenador, convocará as personagens históricas (D. Afonso Henriques, o Cavaleiro Henrique, Mogueime e Ouroana) para montar um espectáculo – que é a escrita de um romance, diante dos nossos olhos.
 

f81ebded-b926-4b87-87ab-f8d31a59f4c7.jpg

 

Ficha Artística: Dramaturgia José Gabriel Antuñano  | Encenação Ignacio García  | Intérpretes Ana Bustorff, Elsa Valentim, João Farraia, Jorge Silva, José Peixoto, Luís Vicente, Pedro Walter, Rui Madeira e Tânia Silva  | Cenografia José Manuel Castanheira, assistido por Pedro Silva e pelos estagiários Filipe Fernandes, Francisca Castro, Inês Carrillo, Maria Luís e Sofia Lacerda  | Figurinos Ana Paula Rocha  | Música Ignacio García  | Luz Guilherme Frazão  | Som Miguel Laureano 
 

3af8a3c0-d6c6-41c2-9dbb-5a3cf27d1535.jpg

 

"A palavra de que mais gosto é “não”. É o “não” de alguém que diz “basta”, como o revisor da História do Cerco de Lisboa. É o “não” de alguém a quem contam a História e se revolta, para perguntar porquê, para quê e para quem. Se encontrássemos respostas para estas perguntas, se calhar acabávamos por entender o Mundo."


* para escolas e grupos de mais de 10 pessoas mediante marcação prévia.
Reservas: 916 648 204 ou teatrodosaloes@sapo.pt
Mais informações em: www.facebook.com/teatro.dosaloes

 
 

3.ª Edição "Conversas na Rua"

15eKOOmHqv8Ko6EMprj8Ubnk-rzpbJUgpKXdLICgBbT0gcvn0X

 

A cidade da Amadora acolhe a 3.ª edição do "Conversas na Rua", entre Agosto e Setembro de 2017! Lançámos o desafio a um grupo de artistas portugueses para intervir em diferentes locais da cidade!
 
Organizada pela Câmara Municipal da Amadora, a iniciativa conta com a participação: Odeith, o artista da Damaia que integra a iniciativa desde a sua primeira edição, Kruella d'Enfer, que se estreia na cidade com uma das suas carismáticas ilustrações, Draw & Contra, a dupla do Porto que propõe dar uma nova face à Amadora, Ana Dias e Nuno Alecrim, que, em conjunto, recuperam a memória histórica da cidade, e o Coletivo Altura, cuja tela fará jus à sua reputação de «gigantes da ilustração». 
 
Esta edição procura continuar o legado da pintura mural já existente na cidade (contam-se mais de 100 registos entre monumentos de arte pública, painéis de azulejo, murais de foro político-ideológico, e expressões artísticas urbanas contemporâneas, entre as quais o graffiti e a street art - Mapa do Graffiti na Amadora). Mantém-se o mesmo objetivo: democratizar o acesso à prática artística e sensibilizar as comunidades locais para a importância dos fenómenos artísticos e culturais na identificação com os lugares e com o tecido urbano. Importa continuar a refletir o posicionamento destas práticas nas cidades contemporâneas, nomeadamente o seu legado nas memórias simbólica e histórica.
 
Nesta edição, procuramos estabelecer diálogos com o património cultural local. As características demográficas, sociais, e culturais tornam a cidade da Amadora uma referência da expressão artística no espaço público e da cultura urbana, considerando a sua localização na periferia da Grande Lisboa. 
 

 

 

Passatempo - AmadoraMostra - 7 a 9 de Julho nos Recreios da Amadora

O Blog Cultura de Borla em parceria com TEATRO DOS ALOÉS tem bilhetes duplos para o AmadoraMostra para os dias 7 a 9 de Julho nos Recreios da Amadora  aos leitores que de 5 em 5 participações:

  

- enviarem um mail para culturadeborla@sapo.pt com a frase "Eu quero ver ir ao AmadoraMostra com o Cultura de Borla" com nome, BI e nº de telefone e a sessão que pretende.

 

 

- façam like na página do Teatro dos Aloés no Facebook;

 

 

 

c9e09556-2009-404d-bb20-f1467f9d9e80.jpg

 

AmadoraMostra
7 a 9 de Julho nos Recreios da Amadora


AmadoraMostra é uma pequena mostra de jovens criadores teatrais que têm a particularidade de criar os seus próprios textos ou de ser capazes de trabalhar sem rede a partir do improviso. Três espectáculos originais para diversas faixas étarias.

Morrer é Divertido -  "Ele estava a morrer, querias um livro feliz?". Morrer é Divertido trata a relação entre a vida e obra de Vladimir Nabokov. Através da análise da polémica que surgiu com a publicação do seu último livro, "O Original de Laura", questionamos a sociedade onde vivemos. Um espetáculo inconclusivo, um debate de consciências sobre ética e o valor da arte, onde a realidade e a ficção não se confundem.

E AGORA? -  Actores improvisam diversas cenas baseadas em ideias do público. O público lança dois dados gigantes e sugere, a partir do que lhe dita a sorte, inspirações para lhes dificultar a vida. Tudo é criado no momento, sem guião nem cenas previamente combinadas.

A Princesa Aborrecida - Num reino muito afastado vivia uma Princesa que estava sempre aborrecida (…) Quem nos conta o caso curioso da Princesa Beatriz é Sebastião, o simpático guarda do Palácio Real. Uma história muito divertida, cheia de venturas e de cores que nos mostra a força da amizade e faz-nos lembrar os nossos amigos de infância… e quem não os teve!

Informações e reservas: 916 648 204 ou teatrodosaloes@sapo.pt

Dolce Vita Tejo promove o conceito de horta urbana

image001.jpg

 

Dolce Vita Tejo promove a criação de hortas urbanas durante os meses de maio e junho. Crianças e adultos vão poder participar em workshops de agricultura biológica e aprender os benefícios desta forma de cultivo. 

Estas atividades vão estar disponíveis todos os sábados. No primeiro sábado de maio e no último de junho, o workshop é exclusivo para as crianças. Os mais pequenos vão ter a oportunidade de plantar hortícolas em canteiros, plantar em horta vertical e semear em tabuleiro. E vão poder acompanhar o crescimento e fazer a colheita do que plantaram. *Consultar programa completo abaixo

Os adultos vão aprender a plantar aromáticas na sua horta urbana, conhecer as técnicas de produzir numa horta vertical e saber combinar diversas plantas em vaso. *Consultar programa completo abaixo

A experiência adquirida pelos visitantes que realizem os workshops do Dolce Vita Tejo vai permitir que eles próprios, sozinhos, consigam criar e manter hortas nas suas casas, baseadas nos princípios básicos da agricultura biológica.

image002.jpg

image003.jpg

 

BAMBA, VAMBA, WAMBA de Nuno Pino Custódio - 23 a 25 de Junho nos Recreios da Amadora

5006c5f8-57fb-4187-8c29-a79a7896943c.jpg

 

Mais recente criação de Nuno Pino Custódio:  BAMBA,VAMBA,WAMBA nos Recreios da Amadora 
O Teatro dos Aloés acolhe nos dias 23, 24 e 25 de Junho (sexta e sábado às 21h30/domingo às 16h)  a  ESTE - Estação Teatral.  

 

“Três actores e um palco vazio. A evocação do mesmo rei, perpassando uma paisagem cultural ibérica pelo mito revisitado de Bamba (Vamba ou Wamba - c. 643-687/688 DC). Mito fundacional, revelador da circunstância humana, ontem como hoje. Um período muito concreto da história política peninsular, onde o teatro, enquanto arte do espectáculo, só pode contribuir para a sua universalidade.  É este o desafio da Estação Teatral, quando se busca sempre o compromisso de que uma nova encenação se estabeleça, antes de mais, como um dispositivo que só pode funcionar em conexão directa com o público, no reconhecimento de que o teatro se desdobra num verbo que, na verdade, são dois: ver-fazer. São doze anos de actividade explorando uma linguagem integral que possibilite afirmar esta arte do espectáculo como uma manifestação viva, ante a complexidade e os desafios de um Século XXI que redefine, por exemplo, algo tão híbrido quanto o estatuto do agente e do espectador." (Nuno Pino Custódio)
 
Ficha Artística:
Dramaturgia e encenação: Nuno Pino Custódio em co-criação com Pedro da Silva, Roberto Querido e Tiago Poiares;  Apoio dramatúrgico; Pedro Miguel Salvado;  Interpretação: Pedro da Silva, Roberto Querido e Tiago Poiares;  Espaço e Figurinos: Estação Teatral;  Dispositivo cénico: Pedro Novo;  Desenho de luz e montagem: Pedro Fino;  Produção: Alexandre Barata; Cartaz e design de comunicação: Hugo Landeiro Domingues; Fotografia: Miguel Proença

 
Informações e reservas: 916 648 204 ou teatrodosaloes@sapo.pt
 

BAMBA, VAMBA, WAMBA de Nuno Pino Custódio nos Recreios da Amadora

fe087202-86ff-4af5-b79d-f4e908b6c096.jpg

 

BAMBA,VAMBA,WAMBA nos Recreios da Amadora 
O Teatro dos Aloés acolhe A ESTE - Estação Teatral nos dias 23, 24 e 25 de Junho
(sexta e sábado às 21h30/domingo às 16h)

 

“Três actores e um palco vazio. A evocação do mesmo rei, perpassando uma paisagem cultural ibérica pelo mito revisitado de Bamba (Vamba ou Wamba - c. 643-687/688 DC). Mito fundacional, revelador da circunstância humana, ontem como hoje. Um período muito concreto da história política peninsular, onde o teatro, enquanto arte do espectáculo, só pode contribuir para a sua universalidade.  É este o desafio da Estação Teatral, quando se busca sempre o compromisso de que uma nova encenação se estabeleça, antes de mais, como um dispositivo que só pode funcionar em conexão directa com o público, no reconhecimento de que o teatro se desdobra num verbo que, na verdade, são dois: ver-fazer. São doze anos de actividade explorando uma linguagem integral que possibilite afirmar esta arte do espectáculo como uma manifestação viva, ante a complexidade e os desafios de um Século XXI que redefine, por exemplo, algo tão híbrido quanto o estatuto do agente e do espectador." (Nuno Pino Custódio)

Ficha Artística:
Dramaturgia e encenação: Nuno Pino Custódio em co-criação com Pedro da Silva, Roberto Querido e Tiago Poiares;  Apoio dramatúrgico; Pedro Miguel Salvado;  Interpretação: Pedro da Silva, Roberto Querido e Tiago Poiares;  Espaço e Figurinos: Estação Teatral;  Dispositivo cénico: Pedro Novo;  Desenho de luz e montagem: Pedro Fino;  Produção: Alexandre Barata; Cartaz e design de comunicação: Hugo Landeiro Domingues; Fotografia: Miguel Proença

 

Informações e reservas: 916 648 204 ou teatrodosaloes@sapo.pt

Passatempo - Amor de D.Perlimplim com Belisa em Seu Jardim - Recreios da Amadora

O Blog Cultura de Borla em parceria com TEATRO DOS ALOÉS tem bilhetes duplos para a peça  Amor de D.Perlimplim com Belisa em Seu Jardim  para os dias 5 a 9 de Abril nos Recreios da Amadora  aos leitores que de 5 em 5 participações:

  

- enviarem um mail para culturadeborla@sapo.pt com a frase "Eu quero ver Amor de D.Perlimplim com Belisa em Seu Jardim com o Cultura de Borla" com nome, BI e nº de telefone e a sessão que pretende.

 

 

- façam like na página do Teatro dos Aloés no Facebook;

 

20333245_VCUBr.jpeg

 

 

 

22 de Março a 9 de Abril nos Recreios da Amadora
(Quarta a Sábado às 21h30, Domingo às 16h)

 
Um texto de Federico Garcia Lorca com encenação de Jorge Silva e interpretação de Carolina Campanela, Elsa Valentim, Jorge Silva, Patrícia André, Rui Ferreira Macedo e Teresa Faria.
 
Nome maior da cultura espanhola e universal, homem da poesia, do drama, da pintura, da música, barbaramente assassinado pelas tropas franquistas tornando-se assim uma das primeiras vítimas da Guerra Civil Espanhola, Federico Garcia Lorca (1898-1936) foi o autor escolhido pelo Teatro dos Aloés para iniciar a programação deste ano dedicado à cultura ibérica.

Dom Perlimplim velho com uma alma pura, virginal como um menino, fechado nos seus livros, sem sair de casa, do seu jardim, nunca conheceu a vida. Belisa, a branca Belisa magnificamente bela, não é mais do que um animal sem alma. Indiferente à sua própria crueldade e egoísmo, é no entanto uma personagem atraente porque o são sempre a juventude e a beleza. Marcolfa e a Mãe de Belisa tratam de os unir. Dá-se início a um magnífico ritual dramático de iniciação ao amor.


Ficha Artística: 
Texto: Federico Garcia Lorca Tradução: Eugénio de Andrade Encenação: Jorge Silva Interpretação: Carolina Campanela, Elsa Valentim, Jorge Silva, Patrícia André, Rui Ferreira Macedo, Teresa Faria Dramaturgia: José Peixoto Cenografia: Rui Francisco Figurinos: Maria Luiz Desenho de Luz: Tasso Adamopoulos Selecção Musical, Ambiente Sonoro e Interpretação: Miguel Tapadas Fotografia: José Frade Design Gráfico: Rui A.Pereira Produção Executiva: Daniela Sampaio Produção: Teatro dos Aloés; M/12

 
Informações e Reservas: 916 648 204 ou teatrodosaloes@sapo.pt
Mais informações emwww.facebook.com/teatro.dosaloes

Passatempo - Amor de D.Perlimplim com Belisa em Seu Jardim - Recreios da Amadora

O Blog Cultura de Borla em parceria com TEATRO DOS ALOÉS tem bilhetes duplos para a peça  Amor de D.Perlimplim com Belisa em Seu Jardim  para os dias 29 de Março a 2 de Abril nos Recreios da Amadora  aos leitores que de 5 em 5 participações:

  

- enviarem um mail para culturadeborla@sapo.pt com a frase "Eu quero ver Amor de D.Perlimplim com Belisa em Seu Jardim com o Cultura de Borla" com nome, BI e nº de telefone e a sessão que pretende.

 

 

- façam like na página do Teatro dos Aloés no Facebook;

 

20321744_ocySk.jpeg

 

22 de Março a 9 de Abril nos Recreios da Amadora
(Quarta a Sábado às 21h30, Domingo às 16h)

 
Um texto de Federico Garcia Lorca com encenação de Jorge Silva e interpretação de Carolina Campanela, Elsa Valentim, Jorge Silva, Patrícia André, Rui Ferreira Macedo e Teresa Faria.
 
Nome maior da cultura espanhola e universal, homem da poesia, do drama, da pintura, da música, barbaramente assassinado pelas tropas franquistas tornando-se assim uma das primeiras vítimas da Guerra Civil Espanhola, Federico Garcia Lorca (1898-1936) foi o autor escolhido pelo Teatro dos Aloés para iniciar a programação deste ano dedicado à cultura ibérica.

Dom Perlimplim velho com uma alma pura, virginal como um menino, fechado nos seus livros, sem sair de casa, do seu jardim, nunca conheceu a vida. Belisa, a branca Belisa magnificamente bela, não é mais do que um animal sem alma. Indiferente à sua própria crueldade e egoísmo, é no entanto uma personagem atraente porque o são sempre a juventude e a beleza. Marcolfa e a Mãe de Belisa tratam de os unir. Dá-se início a um magnífico ritual dramático de iniciação ao amor.


Ficha Artística: 
Texto: Federico Garcia Lorca Tradução: Eugénio de Andrade Encenação: Jorge Silva Interpretação: Carolina Campanela, Elsa Valentim, Jorge Silva, Patrícia André, Rui Ferreira Macedo, Teresa Faria Dramaturgia: José Peixoto Cenografia: Rui Francisco Figurinos: Maria Luiz Desenho de Luz: Tasso Adamopoulos Selecção Musical, Ambiente Sonoro e Interpretação: Miguel Tapadas Fotografia: José Frade Design Gráfico: Rui A.Pereira Produção Executiva: Daniela Sampaio Produção: Teatro dos Aloés; M/12

 
Informações e Reservas: 916 648 204 ou teatrodosaloes@sapo.pt
Mais informações emwww.facebook.com/teatro.dosaloes
 
 

Passatempo - Amor de D.Perlimplim com Belisa em Seu Jardim - Recreios da Amadora

O Blog Cultura de Borla em parceria com TEATRO DOS ALOÉS tem bilhetes duplos para a peça  Amor de D.Perlimplim com Belisa em Seu Jardim  para os dias 22 a 26 de Março nos Recreios da Amadora  aos leitores que de 5 em 5 participações:

  

- enviarem um mail para culturadeborla@sapo.pt com a frase "Eu quero ver Amor de D.Perlimplim com Belisa em Seu Jardim com o Cultura de Borla" com nome, BI e nº de telefone e a sessão que pretende.

 

 

- façam like na página do Teatro dos Aloés no Facebook;

 

 

20321522_Shpsc.jpeg

 

22 de Março a 9 de Abril nos Recreios da Amadora
(Quarta a Sábado às 21h30, Domingo às 16h)

 
Um texto de Federico Garcia Lorca com encenação de Jorge Silva e interpretação de Carolina Campanela, Elsa Valentim, Jorge Silva, Patrícia André, Rui Ferreira Macedo e Teresa Faria.
 
Nome maior da cultura espanhola e universal, homem da poesia, do drama, da pintura, da música, barbaramente assassinado pelas tropas franquistas tornando-se assim uma das primeiras vítimas da Guerra Civil Espanhola, Federico Garcia Lorca (1898-1936) foi o autor escolhido pelo Teatro dos Aloés para iniciar a programação deste ano dedicado à cultura ibérica.

Dom Perlimplim velho com uma alma pura, virginal como um menino, fechado nos seus livros, sem sair de casa, do seu jardim, nunca conheceu a vida. Belisa, a branca Belisa magnificamente bela, não é mais do que um animal sem alma. Indiferente à sua própria crueldade e egoísmo, é no entanto uma personagem atraente porque o são sempre a juventude e a beleza. Marcolfa e a Mãe de Belisa tratam de os unir. Dá-se início a um magnífico ritual dramático de iniciação ao amor.


Ficha Artística: 
Texto: Federico Garcia Lorca Tradução: Eugénio de Andrade Encenação: Jorge Silva Interpretação: Carolina Campanela, Elsa Valentim, Jorge Silva, Patrícia André, Rui Ferreira Macedo, Teresa Faria Dramaturgia: José Peixoto Cenografia: Rui Francisco Figurinos: Maria Luiz Desenho de Luz: Tasso Adamopoulos Selecção Musical, Ambiente Sonoro e Interpretação: Miguel Tapadas Fotografia: José Frade Design Gráfico: Rui A.Pereira Produção Executiva: Daniela Sampaio Produção: Teatro dos Aloés; M/12

 
Informações e Reservas: 916 648 204 ou teatrodosaloes@sapo.pt
Mais informações emwww.facebook.com/teatro.dosaloes
 
 
 

Amor de D. Perlimplim com Belisa em Seu Jardim

4147839f-5cb2-4156-8984-0afb53847121.jpg

 

22 de Março a 9 de Abril nos Recreios da Amadora
(Quarta a Sábado às 21h30, Domingo às 16h)

 
Um texto de Federico Garcia Lorca com encenação de Jorge Silva e interpretação de Carolina Campanela, Elsa Valentim, Jorge Silva, Patrícia André, Rui Ferreira Macedo e Teresa Faria.
 
Nome maior da cultura espanhola e universal, homem da poesia, do drama, da pintura, da música, barbaramente assassinado pelas tropas franquistas tornando-se assim uma das primeiras vítimas da Guerra Civil Espanhola, Federico Garcia Lorca (1898-1936) foi o autor escolhido pelo Teatro dos Aloés para iniciar a programação deste ano dedicado à cultura ibérica.

Dom Perlimplim velho com uma alma pura, virginal como um menino, fechado nos seus livros, sem sair de casa, do seu jardim, nunca conheceu a vida. Belisa, a branca Belisa magnificamente bela, não é mais do que um animal sem alma. Indiferente à sua própria crueldade e egoísmo, é no entanto uma personagem atraente porque o são sempre a juventude e a beleza. Marcolfa e a Mãe de Belisa tratam de os unir. Dá-se início a um magnífico ritual dramático de iniciação ao amor.


Ficha Artística: 
Texto: Federico Garcia Lorca Tradução: Eugénio de Andrade Encenação: Jorge Silva Interpretação: Carolina Campanela, Elsa Valentim, Jorge Silva, Patrícia André, Rui Ferreira Macedo, Teresa Faria Dramaturgia: José Peixoto Cenografia: Rui Francisco Figurinos: Maria Luiz Desenho de Luz: Tasso Adamopoulos Selecção Musical, Ambiente Sonoro e Interpretação: Miguel Tapadas Fotografia: José Frade Design Gráfico: Rui A.Pereira Produção Executiva: Daniela Sampaio Produção: Teatro dos Aloés; M/12

 

Informações e Reservas: 916 648 204 ou teatrodosaloes@sapo.pt
Mais informações emwww.facebook.com/teatro.dosaloes