Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Exposição de arquitetura “Um Destino; Coisa Simples” patente no Roca Lisboa Gallery

 

ATT00005.png

 

   O reconhecimento da arquitetura moderna enquanto património é muito recente. São, assim, tarefas primordiais e urgentes, o levantamento e o conhecimento aprofundado deste universo, bem como a sua divulgação a um público cada vez mais alargado. Pretende-se aproximar e divulgar este património edificado de qualidade inegável junto da sociedade civil, assim como dar a conhecer algumas das figuras mais importantes da arquitetura portuguesa do século XX com obra construída no concelho do Fundão.

 

Este processo de inventariação, por motivos diversos, entre os quais se contam o simples desconhecimento e a proximidade temporal, encontra-se desprotegido e longe de estar devidamente considerado e acautelado. Tanto mais grave, que grande parte deste património é hoje sujeito às pressões da especulação fundiária e imobiliária, correndo o risco generalizado de efetivo desaparecimento ou brutal descaracterização.     A inauguração contou com a presença do curador e arquiteto Pedro Novo, do arquiteto José Pires Branco, do pintor Pedro Chorão (filho do arquiteto Raul Chorão Ramalho, cuja obra está integrada nesta exposição), bem como da Vereadora da Cultura da Câmara Municipal do Fundão, Alcina Cerdeira, e de Ricardo Fernando Santos, em representação da Ordem dos Arquitetos da Secção Regional Sul.     A exposição estará patente no Roca Lisboa Gallery até 19 de setembro de 2015 e a entrada é gratuita. O Roca Lisboa Gallery está aberto ao público de segunda a sexta das 10h às 20h e sábado das 10h às 17h (encerra ao domingo).     Créditos da exposição:     Curador: Pedro Novo  Comissão científica: Ana Martins \ Pedro Salvado  Projeto expositivo e montagem: Pedro Novo Arquitectos, Adriana Soares  Design Gráfico: Hugo Landeiro Domingues  Parceiros: Câmara Municipal do Fundão; Secção Regional Sul da Ordem dos Arquitectos; Delegação de Castelo Branco da Ordem dos Arquitectos; Faculdade de Arquitectura da Universidade da Beira Interior; Jornal do Fundão; Arquivo João Barroca; Arquivo Fotográfico -  Rosel; Biblioteca do Seminário do Fundão 

Trienal de Arquitectura no Marquês

14 de Janeiro de 2011
Bes Arte & Finança
Lisboa
© Mundo Universitário
Dia 14 de Janeiro, às 18h30, o espaço BES Arte & Finança (Lisboa) inaugura um ciclo de cinema dedicado à Arquitectura. Em exibição vão estar obras que fazem parte da ‘Representação Oficial Portuguesa – 12ª Exposição Internacional de Arquitectura, La Biennale de Venezia’. A entrada é livre.
Comissariada de Julia Albani, José Mateus, Rita Palma e Delfim Sardo, a exposição ‘No place like – 4 houses, 4 films’ centra-se na representação de quatro projectos habitacionais através da ficção cinematográfica de quatro realizadores portugueses (Filipa César, João Onofre, João Salaviza e Julião Sarmento). As casas apresentadas nos filmes localizam-se em Portugal e correspondem a diferentes topologias, situações e contextos.
Entre 17 e 21 de Janeiro, às 13h e às 18h30, o BES Arte & Finança, no Marquês de Pombal, em Lisboa vai promover sessões diárias de visionamento. A entrada é gratuita mas, a lotação é limitada ao espaço disponível. ‘A exposição No place like – 4 houses, 4 films acompanha o tema da segunda edição da Trienal de Arquitectura, o debate sobre casas e as questões da habitação.’