Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

À conversa com... João Tordo | 4 de março de 2017

image001.jpg

 

O autor João Tordo é o convidado da terceira Sessão do ciclo “À Conversa com…” agendada para o próximo dia 4 de março, sábado, pelas 16h00, no Auditório da Biblioteca Municipal do Barreiro. 

A Entrada é livre.

 

“À conversa com…” pretende convidar escritores e atores, de forma a proporcionar uma conversa mais abrangente sobre a sua atividade, ou tema escolhido para o dia.

 

Biografia:

“João Tordo nasceu em Lisboa em 1975. Licenciou-se em Filosofia e estudou Jornalismo e Escrita Criativa em Londres e Nova Iorque. Em 2001, venceu o Prémio Jovens Criadores na categoria de Literatura. Publicou os romances O Livro dos Homens sem Luz (2004); Hotel Memória (2007); As Três Vidas (2008), que recebeu o Prémio Literário José Saramago e cuja edição brasileira foi, em 2011, finalista do Prémio Portugal Telecom; O Bom Inverno (2010), finalista do prémio Melhor Livro de Ficção Narrativa da Sociedade Portuguesa de Autores e do Prémio Literário Fernando Namora e cuja tradução francesa foi selecionada para a 6.ª edição do Prémio Literário Europeu; Anatomia dos Mártires (2011), finalista do Prémio Literário Fernando Namora; O Ano Sabático (2013); Biografia Involuntária dos Amantes (2014); e, mais recentemente, O Luto de Elias Gro (2015) e O Paraíso segundo Lars D. (2015).

Os seus livros estão publicados em França, Itália, Alemanha, Brasil, Sérvia e Hungria. Trabalha como cronista, tradutor, guionista e formador em oficinas de ficção”.

 

CMB

Fevereiro | Palmo e Meio

logo 2017 cópia.jpg

 

Em fevereiro, o Barreiro recebe, mais uma vez, o PALMO E MEIO, um ciclo de programação cultural, promovido pela Câmara Municipal do Barreiro, dedicado ao público infantil.

 

 

 

18 fevereiro até maio | VAGA MENTE | EXPOSIÇÃO DE ILUSTRAÇÃO de ANDRÉ LETRIA | Auditório Municipal Augusto Cabrita - Piso 0, Galeria Azul

Nasceu em Lisboa, em 1973. Trabalha como ilustrador desde 1992. Ganhou o Prémio Gulbenkian, o Prémio Nacional de Ilustração, um Award of Excellence for Illustration, atribuído pela Society for News Design (EUA), medalhas de prata e bronze do Children’s Book Annual, da revista americana 3×3, entre outros. Tem livros publicados em diversos países, como EUA, Brasil, Espanha ou Itália. Participou em exposições como a Bienal de Bratislava, a Exposição de Ilustradores da Feira de Bolonha, Sarmede ou Ilustrarte. Realizou filmes de animação e fez cenários para teatro. Foi membro do Júri do Prémio Digital da Feira do Livro Infantil de Bolonha. Em 2010, criou o Pato Lógico. O livro MAR, com ilustrações suas e texto de Ricardo Henriques, recebeu em 2014 uma menção dos Bologna Ragazzi Awards, na categoria Não Ficção.

 

26 fevereiro | domingo | 15h00 e 16h30 | CONCHAS | d´Orfeu AC, Marionetas de Mandrágora, Franzisca Aarflot | Auditório Municipal Augusto Cabrita | Teatro de Marionetas

“Conchas” é uma coprodução internacional para bebés, resultante do projeto «Hands full of Shells and Feet full of Flowers», um processo criativo colaborativo desenvolvido entre Portugal e Noruega.

Partindo da memória coletiva de ambos os países (Portugal e Noruega), misturou-se a música, a expressão dramática e corporal, o movimento e as marionetas e encontrou-se um compromisso cultural identitário. Um espetáculo icónico onde a abordagem não-verbal ganha forma através da fusão fonética das duas línguas, criando novas palavras e sons, aliada à musicalidade e à linguagem corporal. "Conchas" conta a história de viajantes, pintados na tela, reais e imaginários, privilegiando os bebés e as suas famílias, porque este público é a semente que germina.

www.dorfeu.pt/conchas

 

FICHA TÉCNICA: Encenação | Filipa Mesquita

Elenco Portugal: Clara Ribeiro - interpretação e manipulação-Ricardo Falcão - interpretação e música

Elenco Noruega: Idun Losnegård - interpretação e dança Lenka Rozenahl - interpretação e manipulação Apoio à Dramaturgia- Franziska Aarflot Criação musical- Manuel Maio e Ricardo Falcão|Marionetas, cenário e adereços - enVide neFelibata Produção Executiva - Tiago Castro|Coordenação do Projeto - Luís Fernandes

 

Faixa Etária – Dos 0 aos 5 anos

Duração  – 35´aprox.

Ingresso  – 7,50 € (Bebé e adulto)

 

 

CMB

Tertúlias no Convento

Cartaz Tertulias Poéticas 6.jpg

 

A Capela Grande do Convento Madre de Deus da Verderena continuará a receber, em 2017, as Tertúlias no Convento “Ao Encontro de…”, que visam divulgar a Poesia Portuguesa, desde a trovadoresca à contemporânea.

 

As “Tertúlias no Convento” permitem o conhecimento da vida e obra poética de poetas portugueses, fomentar o gosto pela poesia (leitura e escrita), partilhar saberes e gostos, dinamizar a Biblioteca da UTIB e proporcionar momentos de conversa e de convívio.

 

Programa

 

30 de janeiro | 15h00 | “O Livro que marcou a minha infância”

Convidada – Isabel Flório

 

13 de fevereiro | 15h00 |“Histórias de Amor” com apresentação do livro do convidado: “A Margarida e Eu”

Integrada nas comemorações do Dia dos Namorados

Convidado – Agostinho Monteiro

 

27 de março | 15h00 | “Religiões e seu impacto no mundo”

Convidado – Carlos Alberto Correia

 

CMB

“Foral de Coina – 1516” Obra do investigador José Manuel Vargas lançada dia 18 de fevereiro no Catica

LIVRO FORAL COINA+.jpg

 

“Foral de Coina – 1516” é o título da obra de José Manuel Vargas que vai ser lançada no dia 18 de fevereiro, pelas 15h00, no Catica – Centro Comunitário de Coina. Esta iniciativa, com entrada gratuita, inserida nas comemorações do quinto centenário da atribuição do Foral de Coina, contará com a presença do autor responsável pela investigação histórica.

 

Recorde-se que a atribuição do Foral à Vila de Coina, por D. Manuel, data de 15 de fevereiro de 1516. As Comemorações que assinalam este momento histórico, lançadas há um ano, são promovidas numa parceria entre a Câmara Municipal do Barreiro e a União das Freguesias de Palhais e Coina.

 

Nota curricular do autor

José Manuel Vargas, 1948(Lisboa)

  • Licenciado em História e Mestrado (parte curricular) em Paleografia e Diplomática, pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.
  • Professor de História e de História da Arte no Ensino Secundário (1980-2007).
  • Bolseiro da Comissão Nacional para as Comemorações dos Descobrimentos Portugueses (1996-2000) para transcrição e edição da Chancelaria de D. João II, projeto coordenado por Eduardo Borges Nunes.
  • Participação em múltiplos colóquios e congressos com comunicações sobre forais, ordens militares e temas de história medieval, regional e local.

 

Autor e co-autor de diversos estudos, entre os quais se destacam:

  • Pelas Freguesias de Lisboa. Lisboa: Câmara Municipal, 1993-2000. 5 vols.
  • Colaboração com 21 artigos, no Dicionário de História dos Descobrimentos Portugueses. (dir. Luís de Albuquerque). Lisboa: Círculo de Leitores, Caminho, 1994.
  • Foral de Alhos Vedros. Moita: Câmara Municipal, 2000. (reed. 2014).
  • Foral de Lisboa (1500). Lisboa: Grupo de Amigos de Lisboa, 2000.
  • Os Forais de Belmonte. Belmonte: Câmara Municipal, 2000.
  • Livro da Vereação de Alcochete e Aldeia Galega: 1421-1422. Alcochete: Câmara Municipal, 2005.
  • Sabonha e S. Francisco. Alcochete: Camara Municipal, 2005.
  • Aspectos da História de Alhos Vedros: Séculos XIV a XVI. Alhos Vedros: Junta da Freguesia, 2007
  • Os Forais Manuelinos do Distrito de Setúbal. In II Encontro de Estudos Locais do Distrito de Setúbal. Setúbal: Escola Superior de Educação, 2011.
  • Locais do Distrito de Setúbal. Setúbal: Escola Superior de Educação, 2011.
  • O Foral Novo: Torres Vedras, 1510. C.M. Torres Vedras, 2016.
  • Canha e os seus Forais, Junta de Freguesia de Canha (no prelo).

 

Palmo e Meio 2017 | “Contos de Cá Cará Cá Cá”

“Contos de Cá Cará Cá Cá” é proposta da programação Palmo e Meio para o próximo fim-de-semana. Recorde-se que, todos os anos, em fevereiro, o Barreiro recebe este ciclo de programação cultural, dedicado ao público infantil.

 

Programa

 

18 fevereiro | sábado | 11h00 | Contos de Cá cará cá cá de Ângela Ribeiro | Biblioteca Municipal do Barreiro

Contos.jpg

 

Histórias na ponta da língua é um projeto de narração oral criado pela atriz e contadora Ângela Ribeiro. Com o uso da voz, do corpo e dos objetos, a atriz dá-nos a conhecer contos e histórias da tradição oral e escrita. A sessão Contos de Cá, CáRá Cá Cá leva-nos até ao mundo dos contos tradicionais portugueses. Mas a atriz não vai contar sozinha! O público também vai ser contador… Como? Vem ouvir e descobrir.

Para que as histórias fiquem bem vivas nas nossas memórias!

Criação e interpretação: Ângela Ribeiro

Faixa etária: M/4

Duração: 40m

Gratuito

 

25 fevereiro até 21 maio | VAGA MENTE | EXPOSIÇÃO DE ILUSTRAÇÃO de ANDRÉ LETRIA | Auditório Municipal Augusto Cabrita - Piso 0, Galeria Azul

Inauguração no dia 25, às 17h00

Nasceu em Lisboa, em 1973. Trabalha como ilustrador desde 1992. Ganhou o Prémio Gulbenkian, o Prémio Nacional de Ilustração, um Award of Excellence for Illustration, atribuído pela Society for News Design (EUA), medalhas de prata e bronze do Children’s Book Annual, da revista americana 3×3, entre outros. Tem livros publicados em diversos países, como EUA, Brasil, Espanha ou Itália. Participou em exposições como a Bienal de Bratislava, a Exposição de Ilustradores da Feira de Bolonha, Sarmede ou Ilustrarte. Realizou filmes de animação e fez cenários para teatro. Foi membro do Júri do Prémio Digital da Feira do Livro Infantil de Bolonha. Em 2010, criou o Pato Lógico. O livro MAR, com ilustrações suas e texto de Ricardo Henriques, recebeu em 2014 uma menção dos Bologna Ragazzi Awards, na categoria Não Ficção.

 

26 fevereiro | domingo | 15h00 e 16h30 | CONCHAS | d´Orfeu AC, Marionetas de Mandrágora, Franzisca Aarflot | Auditório Municipal Augusto Cabrita | Teatro de Marionetas

“Conchas” é uma coprodução internacional para bebés, resultante do projeto «Hands full of Shells and Feet full of Flowers», um processo criativo colaborativo desenvolvido entre Portugal e Noruega.

Partindo da memória coletiva de ambos os países (Portugal e Noruega), misturou-se a música, a expressão dramática e corporal, o movimento e as marionetas e encontrou-se um compromisso cultural identitário. Um espetáculo icónico onde a abordagem não-verbal ganha forma através da fusão fonética das duas línguas, criando novas palavras e sons, aliada à musicalidade e à linguagem corporal. "Conchas" conta a história de viajantes, pintados na tela, reais e imaginários, privilegiando os bebés e as suas famílias, porque este público é a semente que germina.

www.dorfeu.pt/conchas

 

FICHA TÉCNICA: Encenação | Filipa Mesquita

Elenco Portugal: Clara Ribeiro - interpretação e manipulação-Ricardo Falcão - interpretação e música

Elenco Noruega: Idun Losnegård - interpretação e dança Lenka Rozenahl - interpretação e manipulação Apoio à Dramaturgia- Franziska Aarflot Criação musical- Manuel Maio e Ricardo Falcão|Marionetas, cenário e adereços - enVide neFelibata Produção Executiva - Tiago Castro|Coordenação do Projeto - Luís Fernandes

 

Faixa Etária – Dos 0 aos 5 anos

Duração  – 35´aprox.

Ingresso  – 7,50 € (Bebé e adulto)

 

AMAC Júnior | "Imágini"

 

 

No dia 12 de março, o Auditório Municipal Augusto Cabrita recebe, às 16h00 e às 17h00, o espetáculo de dança infantil “Imágini”, pela Companhia “Passos e Compassos”.

 

1, 2, 3, Ação!

Silêncio, Luz, Câmara...

Minhas senhoras, meus senhores e excelentíssimos BEBÉS, bem-vindos!...

Imágini é um mundo de imaginação, ilusão e fantasia, onde a película se desenrola entre o romance, a fantasia ou a animação.

Nos bastidores do cinema, histórias para rir e para chorar ao som do megafone e ao ritmo da claquete.

Repleto de surpresas e em constante transformação, Imágini convida-vos... a ver, ouvir e sentir. Convida-vos a contemplar, dançar e fazer amigos.

Apreciem, disfrutem e divirtam-se!

 

Ficha Artística

Conceção artística e espaço cénico: António Machado, Ricardo Mondim e Sofia Belchior

Coreografia: Sofia Belchior – colaboração dos intérpretes

Composição musical: António Machado

Adereços e Bonecos: Ricardo Mondim

Desenho de luz: António Machado e Sofia Belchior

Figurinos: Sofia Belchior

 

Faixa Etária – Dos 0 aos 36 meses; Duração –  45m; Ingresso - 3,00 € 

 

Reserva e venda de ingressos

Bilheteira AMAC – 21 206 82 30 | Horário: 3ª a domingo, das 14h00 às 20h00

Posto de Turismo – 21 206 82 87 | Horário: 3ª a sábado, das 9h30 às 13h00 e das 14h30 às 18h00

Aos fins-de-semana e sempre que existam espetáculos agendados, a bilheteira abrirá uma hora antes dos mesmos. 

CMB

Apresentação de livros_ fevereiro

“A Saudade Tem um Nome”, de Leandro Peleja, e “Luar da Serra”, de Luísa de Souza, serão os dois livros apresentados em fevereiro, nos dias 4 e 11 respetivamente, pelas 16h00, no Auditório da Biblioteca Municipal do Barreiro.

A entrada é livre.

 

cartaz_apresentação_Saudade.jpg

 

Biografia:

“LEANDRO PELEJA nasceu em 1997 no Hospital do Barreiro. Cresceu e viveu, desde sempre, na Margem Sul. Muitos chamam-no de “sonhador”. E ele admite que nunca deixa de sonhar. Mesmo quando lhe dizem que “quanto maior o sonho, maior a queda”.

Desde pequenino que é apaixonado pela leitura. Gosta de se perder nos livros que lê. Esta obra é o culminar de uma paixão que surgiu mais tarde, em 2009. Sempre foi conhecido por “menino das composições”. Tinha sempre a melhor da turma. Reza a lenda que raramente fazia a gramática dos testes de português; Para ele, só a composição interessava.

É apaixonado pela vida. Diz não ter sentimentos. É um excelente cozinheiro. E gosta de animais. O seu lema é “Fazer Acontecer”. A única razão para ser ele a fazer a sua própria biografia é o facto de gostar de falar de si na 3ª pessoa, sem soar demasiado pretensioso. Para mais informações, podem visitar a sua conta de instagram (@LPELEJA)”.

 

Sinopse:

“Rodrigo e Ariana tinham uma relação aparentemente feliz. Até que a traição os separou. Para além das memórias, apenas resta a saudade. E um milhão de perguntas na sua cabeça. Deve ele continuar a lutar por uma mulher que já tem outro homem na sua vida?”

 

 

 

Apresentação do livro “Luar da Serra”

cartaz_apresentação_Luar.jpg

 

 

“Luar da Serra”, da autoria de Luísa de Souza, será a obra apresentada a 11 de fevereiro, às 16h00, no Auditório da Biblioteca Municipal.

Haverá, na ocasião, um momento musical com a cantora Beatriz Ferreira.

 

Biografia:

“Luísa de Souza é Socióloga de formação e Marketeer por vocação, que viu a sua vida mudar drasticamente, tal como acontece a muitos portugueses, devido a um longo período de desemprego. Como tantas vezes sucede, é nos períodos mais conturbados da vida que se descobrem gostos e talentos e, para a autora, o tempo que passa a ter veio desenvolver ainda mais o seu gosto pela escrita, culminando neste “Luar da Serra”. A autora já se encontra neste momento a trabalhar e vive com o seu marido e dois filhos em Palmela, repartindo os seus tempos livres entre a Serra da Arrábida e a Serra de Montemuro”.

           

Sinopse:

“Assim que Laura entra na pequena aldeia de Vila Boa de Cima, perdida no cimo da serra de Montemuro, trazendo no seu carro o pouco que possui e tudo o quanto ama, sente a brisa da esperança encher-lhe a alma e sabe que desde que tenha os seus filhos ao seu lado nada mais importa.

Para Sofia, o primeiro vislumbre desta nova realidade para onde é arrastada pela sua mãe é tudo o que não quer e sabe que se certificará que a estadia neste fim do mundo seja o mais curta possível.

O vento da mudança tinha acabado de empurrar ambas para bem longe da vida segura e confortável a que estavam habituadas, em direção a um tornado de emoções e de descoberta delas mesmas”.

 

 CMB

Concerto de Primavera com Camerata Musical do Barreiro | 11 março, 16h00, AMAC | Bilhetes à venda no AMAC, Posto de Turismo e Ticketline

cartaz.jpg

 

À semelhança de anos anteriores, a Câmara Municipal do Barreiro irá promover, no dia 11 de março, pelas 16h00, no Auditório Municipal Augusto Cabrita, o “Concerto de Primavera”, com a participação da Camerata Musical do Barreiro, dirigida pelo Maestro Manuel Lopes da Cruz.

 

No “Concerto de Primavera” serão interpretados temas de compositores clássicos e contemporâneos, conhecidos do público em geral.

 

Ingresso: 2 €

M/6 anos

 

Venda de ingressos:

 

Auditório Municipal Augusto Cabrita - Parque da Cidade (terça a domingo, das 14h00 às 20h00) - Tel. 212 068 230 ou bilheteira@cm-barreiro.pt

 

Posto de Turismo – Mercado 1º Maio (terça a sábado, das 9h30 às 13h00 e das 14h30 às 18h00) – Tel. 212 068 287.

 

www.ticketline.pt

 

 

CMB

Artistas a Brincar | Inscrições abertas

image001.jpg

 

Encontram-se abertas as inscrições para o ateliê de desenho e pintura "Artistas a Brincar - Série Grandes Artistas e Eu!”, agendado para 25 de fevereiro, entre as 14h30 e as 17h30, na Biblioteca Municipal do Barreiro.

 

“O ateliê é dedicado a José de Guimarães.

Passaremos esta tarde na companhia da obra deste grande artista português. Vamos descobrir a sua obra, interesses e vamo-nos divertir enquanto criamos, aprendemos e sentimos a imensa alegria que é desenhar e pintar!” 

 

Contactos 93 502 85 49, ou através do email: sonharacordados@gmail.com. 

 

A iniciativa é orientada por Sofia Jesus, psicopedagoga e arte-educadora e Teodorico Teixeira Mendes, artista plástico e designer de comunicação.

 

Público-alvo: 6 aos 12 anos

 

A ação tem o valor de 10€.

Inscrições e mais informações: 93 502 85 49, ou pelo email: sonharacordados@gmail.com.

 

A Biblioteca Municipal do Barreiro está situada na Rua da Bandeira, Urbanização do Palácio do Coimbra, 2830-330 Barreiro, Telefone: 21 206 86 56 (Receção), email: biblioteca.municipal@cm-barreiro.pt.

 

CMB

AMAC | Inauguração de exposições a 4 de fevereiro, pelas 18h00

Inauguração simultânea das Exposições individuais de Flávio Andrade (Fotografia) e António Delei (Artes Plásticas - tapeçaria)

 

 

No dia 4 de fevereiro, pelas 18h00, inauguram, no Auditório Municipal Augusto Cabrita, as exposições Split, com fotografias de Flávio Andrade (com a curadoria de José Soudo) e Aventura Modernista Brasileira, apresentação de uma série de tapeçarias, com Desenho de Antonio Delei e Bordados de Evelyn Tom Back.

 

 

4 fevereiro a 26 março | Split, Exposição de Fotografia de Flávio Andrade, com Curadoria de José Soudo

Piso 1 | Galeria Branca

 

«Em Split, proponho uma visão sobre despojos que poderiam ser de um qualquer ambiente apocalíptico, como se tratassem de estruturas de um pós-guerra. A luz direta na maioria das fotografias serve como reforço, realçando os aspectos primários dos materiais/instalações, dando-lhes uma impressão táctil, textural. São rasgos de luz, cisões na paisagem, contrapontos. Procurei com a cor, criar ambiências lumínicas, quer pelo espaço organizado - enquadramento, quer pela ausência - sombra, criar momentos psicológicos e estéticos, que garantissem um olhar mais íntimo e pormenorizado sobre o espaço de trabalho. É também uma referência/saudação ao primeiro momento em que a aldeia viu energia elétrica. Certamente um momento sublime e mágico. Projeto realizado tendo como base a Mina de São Domingos, no concelho de Mértola e distrito de Beja em Portugal. Ano 2016. Fotografia digital. »

Flávio Andrade - www.flavioandrade.com

 

 

4 fevereiro a 26 março | Aventura Modernista Brasileira, Exposição de Tapeçaria

Desenho de Antonio Delei, Bordados de Evelyn Tom Back 

Piso 1 | Galeria Amarela

 

Artista Plástico brasileiro.

 

«Variações em seis tapetes de grandes formatos sobre o tema da pintura Abaporu / 1928, de Tarsila do Amaral. Os desenhos transpostos para as tapeçarias são estudos do ícone do Grupo Antropofágico e do modernismo brasileiro iniciado com a Semana de Arte em 1922 / São Paulo.

No quadro original, o personagem é apresentado em primeiro plano, de perfil e com proporções agigantadas, em posição estática e central sobre fundo plano. A pose é “clássica”, mas o tratamento plástico é antiacadémico e tem gerado, ao longo de seus quase 90 anos, uma gama de interpretações para além das recorrentes alusões à escultura: O Pensador (1904) de Augusto Rodin, ou de síntese do universo primitivo da arte indígena.  

Represento a grande figura solar ao abandonar sua postura fixa pela movimentada curiosidade da Aventura Modernista em busca de fontes da Arte Universal. Os tapetes retratam os roteiros da viagem do Abaporu pelos continentes: América do Sul e Central, África, Europa e Ásia. Revelam encontros com o ideal de beleza personificado por figuras femininas em diferentes paisagens culturais.

A arte propaga a sua presença acima das fronteiras geo-ideológicas. Esta apropriação da imagem Tarsiliana coloca o Abaporu como obra-signo que alimenta o imaginário no polémico território das ressignificações artísticas.

Saudações Antropofágicas!»

António Delei

 

 

Mais informações:

Divisão de Promoção Cultural

Auditório Municipal Augusto Cabrita

212 068 230 | cultura@cm-barreiro.pt

CMB