Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Braga Parque desafia a lançar a bola e fazer um strike | BStrike vem animar as tardes da cidade de Braga com duas exclusivas pistas de Bowling

Strike vem animar as tardes da cidade de Braga com duas exclusivas pistas de Bowling

 

Braga Parque - BStrike 2017.jpg

 

Este ano, o verão na cidade de Braga será certamente mais divertido. Já a partir do dia 2 de agosto, o BStrike vai invadir a base da escadaria central do Braga Parque com duas pistas de Bowling, uma iniciativa que juntará todos na luta pelo strike perfeito.

 

O shopping de referência minhoto promove uma atividade exclusiva pensada para todas as idades, tanto para crianças (a partir dos três anos) como para adultos, prometendo momentos inesquecíveis de épicas batalhas pelo maior número de pinos derrubados entre amigos e família, honrando assim os exigentes requisitos de animação, descontração e alegria exigidos para a prática deste que é um dos mais populares e entusiasmantes desportos do mundo.

 

“No Braga Parque, procuramos sempre que os nossos clientes tenham uma experiência de compra totalmente diferenciadora. É por esta razão que apostamos no desenvolvimento de atividades como o BStrike, que, além de ser absolutamente inovadora e concebida de forma personalizada para o nosso espaço, convida ao convívio de várias gerações e famílias”, refere Ana Rodrigues, responsável de Marketing do Braga Parque. “O mês de agosto é muito especial para nós, uma vez que o centro comercial é visitado por milhares de imigrantes que aproveitam as férias de verão para visitar os seus familiares. É por isso muito importante contribuir para a criação de momentos únicos que vão, com certeza, ficar na memória de todos aqueles que nos visitam”, conclui.

 

As regras são simples. Cada participante tem direito a três jogadas, sendo que os monitores presentes no espaço ajudarão cada um dos jogadores a escolher a bola com o peso indicado para jogar. Para quem é novo nestas andanças, não há problema: também serão explicadas todas as regras e indicações aos caloiros, não deixando, assim, margem para dúvidas na hora de lançar a bola e derrubar os dez pinos no fundo da pista.

 

E há prémio para os vencedores? Além da garantia de diversão no seu estado mais puro, que poderá ser partilhada nas redes sociais através de inspiradas fotografias e selfies com a hashtag #bowlingbragaparque, os participantes competirão também pelos 50 vales diários para um cone de gelado, cortesia do McDonalds.

 

Para que a competição seja justa, existem duas divisões. A primeira inclui as crianças com idades compreendidas entre os três e os 12 anos de idade, que terão o objetivo de alcançar os 25 pontos, derrubando assim 25 pinos. A segunda divisão, destinada a todos os jogadores com mais de 12 anos, desafia a fazer três strikes, uma vez que terão de chegar aos 30 pontos para se habilitarem a ganhar um delicioso gelado.

 

De 2 a 31 de agosto, o Braga Parque será o palco de todas as emoções, proporcionando, todos os dias, das 14h às 22h, elevadas doses de diversão, desafiando todos a demonstrarem as suas habilidades em animadas partidas de Bowling.

É UM MERCADO À PORTUGUESA, COM CERTEZA, NO BRAGA PARQUE

Uma montra do que de melhor se faz em Portugal, de 27 de julho a 27 de agosto

 

Braga Parque - Mercado à Portuguesa 2017.jpg

 

 

 

Um cabaz repleto dos mais deliciosos exemplares de queijos, enchidos e doces conventuais. Parece irresistível, não parece? O Mercado à Portuguesa está de volta ao Braga Parque já no dia 27 de julho, sendo que, durante um mês, promete apelar aos sentidos dos visitantes do centro comercial minhoto com uma vasta seleção dos mais indulgentes produtos do imaginário gastronómico e cultural português.

 

Retomando o espírito dos tradicionais mercados regionais, o já clássico Mercado à Portuguesa do centro comercial de referência da cidade de Braga volta para mais uma edição plena de sabores e aromas que deixará qualquer um com água na boca, não esquecendo também as mais típicas peças de artesanato e alguns dos produtos mais característicos de Portugal.

 

Distribuídos por pitorescas banquinhas junto à icónica escadaria central, pequenos produtores de várias regiões do país convidam a uma imersão total na tradição lusitana. O palato será o primeiro a ser inevitavelmente seduzido pelos carismáticos queijos nacionais, que conquistam pelo sabor forte e inconfundível, ou os incontornáveis enchidos, como a alheira, a farinheira e o chouriço, que são reis e senhores de qualquer mesa portuguesa. Numa nota mais doce, surgem os suspeitos do costume: os doces conventuais, uma das principais heranças da doçaria e pastelaria nacionais, concluirão com chave-de-ouro as compras para uma refeição única que surpreenderá os familiares e amigos.

 

Mas, porque nem só de iguarias gastronómicas se pode encher este cabaz, a oferta de artesanato é rica e variada. Com vincada regionalidade e uma personalidade única, os bordados revelam os saberes e costumes intemporais de uma arte passada de geração em geração, transportando consigo a história e as lendas dos locais. Presente em variados objetos de decoração para o lar, estará também a cortiça, a matéria-prima portuguesa por excelência, emprestando todo o seu conforto a criações irreverentes. Afirmando-se como uma montra para o que de melhor se faz em Portugal, o Mercado à Portuguesa não esqueceu também os têxteis, as louças e icónicas esculturas pelos quais os pequenos produtores são tão reconhecidos.

 

“Recebemos, no mês de agosto, milhares de visitantes no centro comercial, sendo que muitos deles são emigrantes que aproveitam o verão para visitar a família e o seu país. É, por isso, muito importante para nós podermos oferecer um pouco da portugalidade que não têm lá fora neste Mercado à Portuguesa, uma iniciativa que reúne muita popularidade entre os nossos clientes”, afirma Ana Rodrigues, responsável de Marketing do Braga Parque. “Esta é uma missão que levamos muito a sério: queremos estar próximos das entidades locais e dos bracarenses, quer vivam em Portugal ou além-fronteiras”.

 

Com uma programação preenchida por degustações das mais sofisticadas criações e produtos gastronómicos e demonstrações de técnicas artesanais, a edição de 2017 conta também com algumas surpresas que serão reveladas ao longo do mês. Resta apenas visitar o mercado, junto à escadaria principal, de 27 de julho a 27 de agosto, das 10h às 23h.

ALMIR CHIARATTI EM DIGRESSÃO POR PORTUGAL

 

Depois de meses a explorar a obra e a antecipar a visita a Portugal, é por fim chegada a altura de recebermos Almir Chiaratti de braços abertos! O autor de “É o Fim” dará início à sua digressão lusitana com apresentações ao vivo nas FNAC portuguesas, rumando depois para espaços em Lisboa, Braga, Évora e Vila Pouca de Aguiar.

Na bagagem o músico do Rio de Janeiro trará as canções de “Bastidores do Sorriso”, mas também do seu sucessor ainda sem título, do qual já foi extraído o intrigante “Triz”. Mais datas serão anunciadas brevemente.

 

Conheçam os locais e as datas:

07.07 | FNAC Alfragide, Lisboa, 21h30

08.07 | FNAC Vasco da Gama, Lisboa, 17h

12.07 | B.leza, Lisboa, 19h30

13.07 | TOCA, Braga, 22h

14.07 | Club 11, Vila Pouca de Aguiar, 22h

15.07 | Mói-te Bar, Évora, 22h

JAY-JAY JOHANSON FESTEJA OS 20 ANOS DE "WHISKEY" COM 5 DATAS EM PORTUGAL

dde4684c-17d9-4bb0-957f-03d7028d94e2.jpg

 

Álbum de estreia de Jay-Jay Johanson faz 20 anos e a digressão que o celebra passa por Portugal em Outubro
 

Faro - 10 de Outubro
Lisboa - 11 de Outubro
Leiria - 12 de Outubro
Guarda - 13 de Outubro
Braga - 14 de Outubro

 

Corria o ano de 1996 quando Jay-Jay Johanson resolveu mostrar a todos um novo lado da sua carreira, lançando aquele que seria um dos seus registos mais icónicos, "Whiskey".

A história de "Whiskey" surge em 1994 quando Jay-Jay, músico proveniente do Jazz, ouve uma promo de "Dummy" dos Portishead que havia chegado por correio, naquele dia, à redacção da revista de música POP, onde Johanson trabalhava à noite e aos fins-de-semana para ganhar algum dinheiro extra.

Após escutar exaustivamente aquele trabalho da banda de Beth Gibbons e companhia, Johanson percebeu que era possível fazer algo com que ele sempre sonhara: misturar um estilo de composição típico do jazz com batidas urbanas, herdadas do hip hop, abrandadas de modo a que conseguisse cantar, como no jazz, por cima das mesmas.

Certo dia, já influenciado por este novo registo sonoro, é descoberto pela antiga editora BMG que o convida a gravar alguns temas nos seus estúdios. «It Hurts Me So» e «So Tell The Girls That I Am Back In Town» foram duas delas que tiveram a preciosa ajuda à produção de Magnus Frykberg, o produtor na altura de bandas como os Massive Attack e os próprios Portishead que curiosamente se encontrava em Estocolmo. 

No dia imediatamente a seguir à conclusão da mistura da demo, Jay-Jay Johanson apresentou o produto final ao líder da BMG e assinou ali mesmo um acordo para gravar 3 álbuns com a editora. O lançamento de «Whiskey», em 1996, viria a dar ao artista sueco honras de capa na mítica publicação francesa Les Inrockuptibles. É aqui que Johanson, na 1ª pessoa, assume ter começado “a sério” a sua carreira.

É este brilhante trabalho que 21 anos depois será apresentado em 5 cidades portuguesas. Os bilhetes já estão à venda na Ticketline, BOL, bilheteiras locais e locais habituais com preços entre os 15€ e os 28€.

Inauguração da exposição Os Sete Castelos - D. Rodrigo de Moura Teles: vida e obra, Museu Pio XII, 6 de Julho, às 18 horas

image001.jpg

 

image001.jpg

 

 

O Museu Pio XII, em parceria com o Tesouro-Museu da Sé de Braga e o Instituto de História e Arte Cristãs, tem o prazer de convidar o vosso Órgão de Comunicação Social para a inauguração da exposição Sete Castelos – D. Rodrigo de Moura Teles: Vida e Obra, que terá lugar a 6 de Julho, às 18 horas, no Museu Pio XII.

 

Procurando mostrar de forma particular o património móvel e bibliográfico que D. Rodrigo de Moura Teles legou à Igreja de Braga e a instituições particulares às quais esteve ligado durante a sua prelatura, a exposição Sete Castelos – D. Rodrigo de Moura Teles: Vida e Obra divide-se em dois núcleos: um núcleo expositivo no Museu Pio XII, com peças associadas ao contacto que o arcebispo D. Rodrigo de Moura manteve com as mais diversas instituições bracarenses; e outro núcleo integrado na exposição permanente do Tesouro-Museu da Sé de Braga, que reúne algumas das suas peças mais emblemáticas, como o são os sapatos litúrgicos. 

 

O Museu Pio XII acolherá esta exposição de 6 de Julho a 29 de Outubro. Poderá ser visitada de Terça-feira a Domingo, no período da manhã entre as 09,30 horas e as 12,30 horas, e no período da tarde das 14,30 horas e as 18,00 horas.

 

Música, arte e tradições brindam ao S. João no Braga Parque

Exposição de esculturas do S. João e concertos de música fazem parte da programação

 

Brinde de S. João - Agrupamento de Escolas de Max

 

 

Os martelinhos e o alho-porro já estão a postos, as ruas da cidade engalanadas também não enganam e o entusiasmo dos bracarenses não deixa dúvidas: o São João de Braga já chegou. O dia 22 de junho será o dia de brindar a esta grandiosa festa no Braga Parque, com um concerto único da responsabilidade dos jovens músicos do Agrupamento de Escolas de Maximinos.

 

A partir das 21h30, a escadaria principal do centro comercial recebe o espetáculo “Brinde de S. João” que junta dezenas de alunos dos 5.º e 6.º anos do Agrupamento de Escolas de Maximinos que, em parceria com o Conservatório de Música Calouste Gulbenkian de Braga, vão apresentar os mais icónicos e belos temas de autores tão distintos quanto Antonín Dvorak, Anne Svendsen e de outros compositores clássicos e contemporâneos, sob a direção musical dos professores Marta Pacheco, Manuel Vieira e Jorge Ribeiro.

 

E porque o S. João também é arte e cultura, o shopping de referência do Minho tem patente até ao dia 28 de junho a exposição “O seu nome será João”, integrando mais de 15 peças e representações deste Santo que empresta o seu nome a uma das maiores festas populares do país, que junta milhares de pessoas de todo o país em longos dias e noites de folia e diversão, sendo a noite de 23 para 24 de junho o ponto alto dos festejos.

 

Desde a arte sacra à arte popular, são inúmeras as reproduções de um imaginário infantil do santo que, com o cordeiro e a cana, são as protagonistas inegáveis desta surpreendente mostra que reúne escultores, artistas e importantes instituições da cidade, celebrando, acima de tudo, o orgulho nesta tradição centenária que marca a agenda da cidade e da região norte.

 

O humor alia-se a um profundo respeito e conhecimento pela antiguidade e tradição que esta data transporta, resultando em esculturas e peças de artesanato em que a criatividade e mestria saltam à vista, por entre cores e pormenores que transformam a experiência da visita ao centro comercial numa autêntica viagem pela história e cultura bracarenses.

 

“Orgulhamo-nos de sermos uma instituição da cidade de Braga e de podermos participar de forma ativa nesta que é uma das maiores festas do ano. É uma grande honra receber esta exposição de arte e cultura, que vem homenagear as tradições da cidade e os próprios bracarenses, contribuindo assim para este grande evento que põe o nome da cidade na agenda cultural do país”, afirma Ana Rodrigues, responsável de Marketing do Braga Parque.

 

O dia 23 de junho volta a pertencer à música: os sons típicos do Minho encherão os corredores do centro comercial, com uma divertida e tradicional atuação da Banda Filarmónica de Cabreiros, acompanhada pela reconhecida mascote do S. João de Braga, o Joni, às 16h00.

S. Joões há muitos no Braga Parque | Inaugurada a exposição que celebra o Santo que dá o nome às festas populares de Braga

Exposição de esculturas do S. João reúne artistas e instituições bracarenses

 

Os martelinhos e o alho-porro já estão a postos, as ruas da cidade engalanadas também não enganam e o entusiasmo dos bracarenses não deixa dúvidas: o São João de Braga está a chegar e a cidade prepara-se para se transformar numa verdadeira aldeia minhota em ponto grande. São 12 dias de festa que arrancaram hoje com uma exposição inédita de S. Joões no Braga Parque.

 

“O seu nome será João”, a exposição patente no shopping de referência de Braga até ao dia 28 de junho, integra mais de 15 peças e representações deste Santo que empresta o seu nome a uma das maiores festas populares do país, que junta milhares de pessoas de todo o país em longos dias e noites de folia e diversão, sendo a noite de 23 para 24 de junho o ponto alto dos festejos.

 

Desde a arte sacra à arte popular, são inúmeras as reproduções de um imaginário infantil do santo que, com o cordeiro e a cana, são as protagonistas inegáveis desta surpreendente mostra que reúne escultores, artistas e importantes instituições da cidade, celebrando, acima de tudo, o orgulho nesta tradição centenária que marca a agenda da cidade e da região norte.

 

Desde o Museu Pio XII, o Tesouro-Museu da Sé de Braga, a Basílica dos Congregados, a Capela de S. João da Ponte e a Irmandade de Santa Cruz, até aos escultores e artistas Alberto Vieira, Conceição Sapateiro, Margarida Costa e Isabel Costa, esta é uma exposição transversal às instituições e cidadãos de Braga, que personifica a união sublime entre a cultura, a religião e o património popular desta nossa cidade minhota”, refere Rui Ferreira, presidente da Associação de Festas do São João de Braga.

 

O humor alia-se a um profundo respeito e conhecimento pela antiguidade e tradição que esta data transporta, resultando em esculturas e peças de artesanato em que a criatividade e mestria saltam à vista, por entre cores e pormenores que transformam a experiência da visita ao centro comercial numa autêntica viagem pela história e cultura bracarenses.

 

“Orgulhamo-nos de sermos uma instituição da cidade de Braga e de podermos participar de forma ativa nesta que é uma das maiores festas do ano. É uma grande honra receber esta exposição de arte e cultura, que vem homenagear as tradições da cidade e os próprios bracarenses, contribuindo assim para este grande evento que põe o nome da cidade na agenda cultural do país”, afirma Ana Rodrigues, responsável de Marketing do Braga Parque.

 

A inauguração da exposição teve lugar no Piso 2 do centro hoje, às 11h, e contou com a presença dos seus responsáveis, representantes das instituições e autores das peças presentes na mostra.

 

Mas, esta festa não se faz apenas de arte e, porque a música é essencial, a programação do centro comercial não deixará ninguém indiferente.

 

O dia 17 de junho convida para um pé de dança, com a atuação do Rancho Folclórico São João Baptista de Nogueira, tendo um convidado muito especial: o Joni, a mascote oficial do São João de Braga, animará miúdos e graúdos.

 

Os sons típicos do Minho continuarão a encher os corredores do centro comercial nos dias seguintes, com concertos absolutamente surpreendentes e uma programação cultural digna de mais uma grande edição do São João de Braga, que farão do Braga Parque mais um palco da famosa festa minhota.

S. Joões há muitos no Braga Parque | Exposição de esculturas reúne artistas e instituições bracarenses

Braga Parque -  São João de Braga 2017.jpg

 

Exposição de esculturas do S. João reúne artistas e instituições bracarenses

 

 

Os martelinhos e o alho-porro já estão a postos, as ruas da cidade engalanadas também não enganam e o entusiasmo dos bracarenses não deixa dúvidas: o São João de Braga está a chegar e a cidade prepara-se para se transformar numa verdadeira aldeia minhota em ponto grande. São 12 dias de festa que arrancam já no dia 14 de junho com uma exposição inédita de S. Joões no Braga Parque.

 

“O seu nome será João”, a exposição patente no shopping de referência de Braga até ao dia 28 de junho, integra mais de 15 peças e representações deste Santo que empresta o seu nome a uma das maiores festas populares do país, que junta milhares de pessoas de todo o país em longos dias e noites de folia e diversão, sendo a noite de 23 para 24 de junho o ponto alto dos festejos.

 

Desde a arte sacra à arte popular, são inúmeras as reproduções de um imaginário infantil do santo que, com o cordeiro e a cana, são as protagonistas inegáveis desta surpreendente mostra que reúne escultores, artistas e importantes instituições da cidade, celebrando, acima de tudo, o orgulho nesta tradição centenária que marca a agenda da cidade e da região norte.

 

Desde o Museu Pio XII, o Tesouro-Museu da Sé de Braga, a Basílica dos Congregados, a Capela de S. João da Ponte e a Irmandade de Santa Cruz, até aos escultores e artistas Alberto Vieira, Conceição Sapateiro, Margarida Costa e Isabel Costa, esta é uma exposição transversal às instituições e cidadãos de Braga, que personifica a união sublime entre a cultura, a religião e o património popular desta nossa cidade minhota”, refere Rui Ferreira, presidente da Associação de Festas do São João de Braga.

 

O humor alia-se a um profundo respeito e conhecimento pela antiguidade e tradição que esta data transporta, resultando em esculturas e peças de artesanato em que a criatividade e mestria saltam à vista, por entre cores e pormenores que transformam a experiência da visita ao centro comercial numa autêntica viagem pela história e cultura bracarenses.

 

“Orgulhamo-nos de sermos uma instituição da cidade de Braga e de podermos participar de forma ativa nesta que é uma das maiores festas do ano. É uma grande honra receber esta exposição de arte e cultura, que vem homenagear as tradições da cidade e os próprios bracarenses, contribuindo assim para este grande evento que põe o nome da cidade na agenda cultural do país”, afirma Ana Rodrigues, responsável de Marketing do Braga Parque.

 

A inauguração da exposição terá lugar no Piso 2 do centro no dia 14 de junho, às 11h, e contará com a presença dos seus responsáveis, representantes das instituições e autores das peças presentes na mostra.

 

Mas, esta festa não se faz apenas de arte e, porque a música é essencial, porque a programação do centro comercial não deixará ninguém indiferente.

 

O dia 17 de junho convida para um pé de dança, com a atuação do Rancho Folclórico São João Baptista de Nogueira, tendo um convidado muito especial: o Joni, a mascote oficial do São João de Braga, animará miúdos e graúdos.

 

Os sons típicos do Minho continuarão a encher os corredores do centro comercial nos dias seguintes, com concertos absolutamente surpreendentes e uma programação cultural digna de mais uma grande edição do São João de Braga, que farão do Braga Parque mais um palco da famosa festa minhota.

 

ANA LUÍSA RAMOS Tour Portugal

image001.jpg

 

A cantora paulista de voz melíflua que chegou até nós pela graça e encanto de “Desconstrução”, prepara a sua vinda a Portugal já no início do mês de Julho para uma mini-digressão de apresentação a “Um”, o registo de estreia.

Integrante da nova leva de cantautores MPB, Ana Luísa Ramos recolhe também influências de música erudita e do universo do jazz, uma mistura alada que já lhe valeu elogios de publicações especializadas como as inglesas Folk Radio e Buzzin Music ou as norte-americanas Music For Lunch e The Vinyl District.

A digressão visitará locais como a Pensão Amor e o TOCA, com os restantes espaços a serem confirmados brevemente. Oportunidade ideal para conhecer uma das mais promissoras vozes do panorama musical de São Paulo.

Sé de Braga recebe CAUM e coro escocês de Edimburgo em Junho

image001.jpg

 

Edinburgh University Renaissance Singers liderado pelo maestro Noel O’Regan.

 

A Sé de Braga recebe, a 5 de Junho, o Coro Académico da Universidade do Minho e os Edinburgh University Renaissance Singers para um concerto de canto coral que se inicia às 21,30 horas. Organizado em parceria com o coro escocês com o objectivo de fomentar os laços além-fronteiras, o concerto proporcionará uma viagem por obras litúrgicas da Europa Ocidental. Esta celebração do canto coral a capella terá entrada livre e gratuita.

Com cerca de 30 cantores dedicados ao canto coral, os Edinburgh University Renaissance Singers entoam temas geralmente de música sacra e de música dos séculos XV a XVII. Os seus membros incluem funcionários e alunos universitários, assim como outras pessoas de Edimburgo. O coro canta em concertos em Edimburgo e na Escócia durante todo o ano lectivo, dando a conhecer ao público do seu país grandes obras como as Vésperas de Monteverdi, de 1610.

Celebrando, em Março, 50 anos de existência, os Edinburgh University Renaissance Singers não actuam apenas na Escócia, tendo já apresentado o seu trabalho em tournée pela Europa, o que incluiu a passagem pela Croácia, Portugal, Espanha, Itália, França, Alemanha, Hungria, Áustria, República Checa, Irlanda, Chipre e Arménia, para além das ilhas britânicas.

O coro escocês é dirigido por Noel O’ Regan, regente de Música na Universidade de Edimburgo que se reformará no final do presente ano lectivo. O maestro é uma autoridade munidal na área da música sacra dos finais do século XVI e inícios do século XVII. Em 1995, foi presenteado com o prestigiado prémio Palestrina em reconhecimento do seu trabalho de investigação sobre o compositor italiano Giovanni Pierluigi da Palestrina e sobre a sua obra. Com os Edinburgh University Renaissance Singers, o maestro Noel O’Regan pôs em prática a sua investigação ao dirigir regularmente e em estreia composições modernas de larga escala extraídas de diversos institutos, como a Biblioteca do Vaticano, de Roma.

Na Sé de Braga, o coro de Edimburgo entoará, entre outros temas de compositores portugueses, a obra ‘Commissa Mea Pavesco’, de Filipe de Magalhães (1571-1652), compositor de música polifónica sacra.