Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Braga: Uma exposição imperdível | "Nocturnos de La Ventana" de Rafa López | Entrada livre

 

Nocturnos de La Ventana - shair.jpg

 

“Nocturnos de la Ventana” é uma alusão plástica ao poema de Federico Garcia Lorca

SHAIRART ACOLHE PRIMEIRA EXPOSIÇÃO

INTERNACIONAL DE RAFA LÓPEZ

A galeria shairart, em Braga, tem patente até 6 de janeiro, a primeira exposição internacional de Rafa López. O artista plástico espanhol expõe “Nocturnos de la Ventana”, em alusão ao poema homónimo de Federico Garcia Lorca. Comissariada por Helena Mendes Pereira, curadora da shairart, a mostra que reporta à cultura hispânica na sua dimensão ampla e de território mundo, inaugura numa altura em que o país vizinho atravessa um período de grande instabilidade política.

A literatura espanhola é inspiração maior para a primeira exposição internacional de Rafa López. Helena Mendes Pereira acredita até que se estende muito para além daquele poema de Lorca. “A dimensão mágica e utópica de Nocturnos de la Ventana de Lorca, poema escrito no período de residência de estudantes, em 1923, com os companheiros Salvador Dali (1904-1989) e Luis Buñuel (1900-1983), entre outros, é um reflexo revivalista no qual, ainda que inconscientemente, Ráfa Lopez me parece respirar”. A curadora da shairart defende, ainda assim, que as “cores lúcidas e enérgicas de Rafa López, às quais junta um sistema de códigos, de sobreposição e justaposição de conteúdo e narração de uma ideia ou de um conjunto imagético de pensamentos surrealistas” mantêm viva a presença constante de outra indiscutível referência da literatura hispânica, Dom Quixote, “eterno cavaleiro andante da peródia na parábola do homem que vive a fábula da sua imaginação”.

Com “Nocturnos de la Ventana”, a galeria shairart dst será palco de dezenas de pinturas de Rafa López, que se distinguem pela paleta viva de cores, de composição complexa e simbólica. Para além das obras-primas do artista, pintor por natureza, o espaço cultural acolherá ainda uma instalação artística, projetada e personalizada para o espaço da galeria do grupo dst. Mais do que a suma do trabalho de vários anos de López, será possível, então, perceber e analisar o envolvimento do artista com a cultura local, naquela que é a sua primeira experiência internacional.

Rafa López, que trocará, por alguns dias, Dos Hermanas - localidade situada a poucos quilómetros de Sevilha - pela cidade de Braga, é um artista emergente que soma já vários prémios no portfólio. Entre 2009 e 2016 foi galardoado com inúmeros prémios e distinções, como o primeiro lugar no “XXXVI Premio Bancaja”, em 2009, e o honroso segundo lugar no “XVI Premio de Pintura Real Academia de BBAA de San Carlos”, em 2015. Licenciado em Belas Artes pela Universidade de Sevilha, possui ainda mestrado na área das técnicas da ilustração, pela CEA de Sevilha.

As obras de arte de Rafa López encontram-se disponíveis para aquisição na shairart, plataforma online de arte contemporânea, sediada na galeria shairart dst.

shairart: primeira exposição internacional de Rafa López | “Nocturnos de la Ventana” é uma alusão plástica ao poema de Federico Garcia Lorca

shairart_Rafa López.jpg

 

 

“Nocturnos de la Ventana” é uma alusão plástica ao poema de Federico Garcia Lorca

SHAIRART ACOLHE PRIMEIRA EXPOSIÇÃO

INTERNACIONAL DE RAFA LÓPEZ

A galeria shairart, em Braga, inaugura no próximo sábado, dia 18 de novembro, às 16 horas, a primeira exposição internacional de Rafa López. O artista plástico espanhol expõe “Nocturnos de la Ventana”, em alusão ao poema homónimo de Federico Garcia Lorca. Comissariada por Helena Mendes Pereira, curadora da shairart, a mostra que reporta à cultura hispânica na sua dimensão ampla e de território mundo, inaugura numa altura em que o país vizinho atravessa um período de grande instabilidade política.

A literatura espanhola é inspiração maior para a primeira exposição internacional de Rafa López. Helena Mendes Pereira acredita até que se estende muito para além daquele poema de Lorca. “A dimensão mágica e utópica de Nocturnos de la Ventana de Lorca, poema escrito no período de residência de estudantes, em 1923, com os companheiros Salvador Dali (1904-1989) e Luis Buñuel (1900-1983), entre outros, é um reflexo revivalista no qual, ainda que inconscientemente, Ráfa Lopez me parece respirar”. A curadora da shairart defende, ainda assim, que as “cores lúcidas e enérgicas de Rafa López, às quais junta um sistema de códigos, de sobreposição e justaposição de conteúdo e narração de uma ideia ou de um conjunto imagético de pensamentos surrealistas” mantêm viva a presença constante de outra indiscutível referência da literatura hispânica, Dom Quixote, “eterno cavaleiro andante da peródia na parábola do homem que vive a fábula da sua imaginação”.

Com “Nocturnos de la Ventana”, a galeria shairart dst será palco de dezenas de pinturas de Rafa López, que se distinguem pela paleta viva de cores, de composição complexa e simbólica. Para além das obras-primas do artista, pintor por natureza, o espaço cultural acolherá ainda uma instalação artística, projetada e personalizada para o espaço da galeria do grupo dst. Mais do que a suma do trabalho de vários anos de López, será possível, então, perceber e analisar o envolvimento do artista com a cultura local, naquela que é a sua primeira experiência internacional.

Rafa López, que trocará, por alguns dias, Dos Hermanas - localidade situada a poucos quilómetros de Sevilha - pela cidade de Braga, é um artista emergente que soma já vários prémios no portfólio. Entre 2009 e 2016 foi galardoado com inúmeros prémios e distinções, como o primeiro lugar no “XXXVI Premio Bancaja”, em 2009, e o honroso segundo lugar no “XVI Premio de Pintura Real Academia de BBAA de San Carlos”, em 2015. Licenciado em Belas Artes pela Universidade de Sevilha, possui ainda mestrado na área das técnicas da ilustração, pela CEA de Sevilha.

De entrada livre, “Nocturnos de la Ventana” está em exposição na galeria shairart dst até 6 de janeiro de 2018. As obras de arte de Rafa López encontram-se disponíveis para aquisição na shairart, plataforma online de arte contemporânea, sediada na galeria shairart dst.

 

Horário galeria shairart dst

segunda-feira a sábado: 14h às 19h

Encerra em feriados nacionais.

Outros horários mediante marcação.

Entrada livre

 

DIA DE S. GERALDO – 5 DE DEZEMBRO

 

A comemoração do dia de S. Geraldo é já uma tradição na Sé de Braga. S. Geraldo nasceu em Cahors, França. Entrou muito novo para o Mosteiro de Moissac, onde estudou e se tornou famoso pelas suas qualidades humanas e intelectuais. Foi Arcebispo de Braga do ano de 1099 a 1108. Morreu em Bornes, Concelho de Vila Pouca de Aguiar, no dia 5 de Dezembro 1108, durante uma visita pastoral que realizava por aquelas terras. É o padroeiro da cidade de Braga. Na Sé foi responsável por várias reformas e mandou construir uma Capela que dedicou a S. Nicolau e onde está sepultado.

O Serviço Educativo do Tesouro-Museu da Sé de Braga, em colaboração com a Escola EB1 da Sé, organiza, mais uma vez, a representação “S. Geraldo e o Milagre da Fruta”. Esta actividade, além do seu interesse educativo, dá a conhecer uma lenda com longa tradição na Catedral.

O Tesouro-Museu da Sé de Braga convida, assim, todas as escolas e a comunidade em geral a participarem nesta iniciativa que se realizará na Sé de Braga, no dia 5 de Dezembro (3ª feira), pelas 10h30 horas.

 

IMG_9034_2.JPG

 

PROGRAMA DIA DE S. GERALDO  Dia 5 de Dezembro

 

08h30 – Abertura da Capela de S. Geraldo

10h00 – Largo D. João Peculiar - Distribuição da Fruta (CMB)

10h30 – “S. Geraldo e o Milagre da Fruta” – representação teatral, pela Escola EB1 da Sé

17h30 – Missa Solene em honra de S. Geraldo, presidida pelo Arcebispo Primaz, D. Jorge Ortiga, com a presença do Cabido da Sé de Braga, Presidente do Município e Vereação

18h30 – Visita das entidades à Capela de S. Geraldo

21h30 – Teatro Circo: Concerto Comemorativo do Dia de S. Geraldo, pela Orquestra do Norte

 

A Capela de S. Geraldo estará aberta ao público a partir de Domingo até Terça-feira, mostrando o magnífico retábulo ornamentado com a fruta da época, uma alusão ao suposto milagre de S. Geraldo.

 

 

Galeria shairart: Exposição de Alexandre Rola explora cultura do consumo e do desperdício | Entrada Gratuita

 

galeria shairart dst.jpg

 

Coleção “LOOK BACK, GO AHEAD” para visitar na galeria shairart dst

EXPOSIÇÃO DE ALEXANDRE ROLA EXPLORA

CULTURA DO CONSUMO E DO DESPERDÍCIO

* 134 obras de arte e uma instalação site-specific do artista para ver gratuitamente

“LOOK BACK, GO AHEAD” é o nome da coleção de Alexandre Rola, em exposição na galeria shairart, em Braga. O artista português apresenta, até 4 de novembro, uma mostra com mais de 130 obras e uma instalação site-specific, através da qual explora o aproveitamento de materiais provenientes do desperdício quotidiano.

Com um vasto currículo, em que se incluem vários prémios nacionais e internacionais, dos quais se destacam “Personalidade do Ano em Artes Plásticas” (Portugal) e “Prémio Internacional de Pintura Desigual” (Espanha), Alexandre Rola evidencia, nesta exposição com curadoria de Helena Mendes Pereira, a sua desvinculação dos suportes tradicionais da criação artística, sendo evidentes as muitas referências à cultura do consumo, ao desperdício e à degradação da sociedade pós-moderna.

Para Helena Mendes Pereira, chief curator da shairart, “o aproveitamento de materiais provenientes do desperdício quotidiano e a apropriação de imagens provenientes da cultura de massas é uma tendência crescente dos nossos dias, que tem o seu histórico numa reinterpretação de conceitos da pop art, da art povera e dos movimentos de pendor conceptual.”

As obras de arte da exposição “LOOK BACK, GO AHEAD” encontram-se disponíveis para aquisição na shairart, plataforma online de arte contemporânea, sediada na galeria shairart dst.

Horário galeria shairart dst
Segunda-feira a sábado: 14h às 19h
Encerra em feriados nacionais.
Outros horários mediante marcação.
Entrada livre

Um, dois, três dias: é um Black Weekend no Braga Parque

BRAGA PARQUE COM TRÊS DIAS DE DESCONTOS, PRÉMIOS E ANIMAÇÃO

 

UM, DOIS, TRÊS DIAS: É UM BLACK WEEKEND NO BRAGA PARQUE

 

 

Black Weekend Braga Parque 2017.jpg

 

A Black Friday é sinónimo de descontos incríveis, promoções ímpares e milhares de produtos a preços acessíveis, tudo num só dia. O Braga Parque sugere multiplicar a emoção deste evento por três e convida para o Black Weekend. De 24 a 26 de novembro, o centro comercial da cidade minhota vai ser palco da maior festa das compras do país, com descontos, animação e prémios.

 

São cerca de 180 lojas com promoções únicas e imperdíveis num vasto leque de artigos. Há produtos para todos os gostos, quer sejam shopaholics, fashion victims, geeks ou procurem o presente de Natal ideal.

 

Como em todas as festas, há algo que não pode faltar – os presentes ou, neste caso, prémios – e o Braga Parque volta a não desiludir. Durante os três dias de Black Weekend, o centro de referência do Minho tem  5.000 prémios para oferecer, bastando apresentar um dos Black Cards – distribuídos de 23 a 26 de novembro – e faturas de compras no valor de 40 euros, feitas no Braga Parque num destes três dias, no balcão da ação junto à escadaria central.

 

“O Black Friday é um dia incontornável do calendário comercial em todo o mundo, e por esta razão decidimos assinalá-lo, não com um dia, mas com três dias de descontos e oportunidades únicas em praticamente todas as lojas do centro. Por outro lado, ao comprar, os nossos clientes vão ainda ter a hipótese de ganhar prémios. Tudo isto em ambiente de festa e principalmente numa altura em que o Braga Parque já se encontra decorado a preceito para receber o Natal. Motivos não vão faltar para visitar o Braga Parque no Black Weekend.” refere Ana Rodrigues, responsável de Marketing do Braga Parque

 

Mas as surpresas não se ficam por aqui. Os visitantes do Black Weekend do Braga Parque serão recebidos num ambiente de pura diversão, com momentos musicais e com a oferta de uma seleção de deliciosos e revitalizantes chás.

 

De 24 a 26 de novembro, grandes compras e grandes descontos no Braga Parque.

 

UHF ao vivo nas FNAC Guimarães, Braga e NorteShopping

UHF ao vivo apresentam “A Herança do Andarilho”

UHF.jpg

 

A banda portuguesa de rock UHF vai estar nas FNAC Guimarães, Braga e NorteShopping para apresentar ao vivo o seu novo álbum “A Herança do Andarilho”.

 

Os show cases gratuitos acontecem durante este fim de semana: sábado, dia 18 de novembro, vão tocar as suas novas músicas na FNAC Guimarães a partir das 17h00. No mesmo dia, às 22h00, é possível ouvir a mítica banda portuguesa na FNAC Braga e no Domingo, 19 de novembro, vão estar na FNAC NorteShopping, a partir das 17h00.

 

O álbum “A Herança do Andarilho” é um tributo a uma das maiores referências da música portuguesa, Zeca Afonso. O disco, lançado 30 anos após a morte do cantor e compositor português, homenageia a sua obra, dando continuidade à sua herança musical. 

 

 

Calendário

UHF apresenta: “A Herança do Andarilho”

18/11, sábado, 17H00, FNAC GUIMARÃES

18/11, sábado, 22H00, FNAC BRAGA
19/11, domingo, 17H00, FNAC NORTESHOPPING

 

 

Este e outros eventos em: www.culturafnac.pt

 

Grupo dst e Universidade do Minho inauguram "Artes, Humanidades e Engenharia" | Escultura com novos materiais representa pensamento estratégico

Escultura Artes, Humanidades e Engenharia - por Ra

 

Escultura "Artes, Humanidades e Engenharia " assinada por Raúl Ferreira

GRUPO DST E UNIVERSIDADE DO MINHO HOMENAGEIAM 

PROFESSOR VÍTOR AGUIAR E SILVA

*Escultura de três metros foi executada com materiais inovadores desenvolvidos pelo IB-S

O grupo dst, a Universidade do Minho, o Instituto de Letras e Ciências Humanas (ILCH) e o Instituto de Ciência e Inovação para a Bio-Sustentabilidade (IB-S), inauguraram a obra de arte “Artes, Humanidades e Engenharia”, uma escultura da autoria de Raúl Ferreira, em homenagem ao Professor Vítor Aguiar e Silva, docente catedrático do ILCH. A cerimónia inaugural aconteceu no Complexo Pedagógico II do Campus de Gualtar da Universidade do Minho, em Braga, com a presença do ministro da Cultura Luís Filipe Castro Mendes.

A escultura, com cerca de três metros de altura, um de profundidade e peso estimado de três toneladas, envolveu as equipas do IB-S e do grupo dst, sob coordenação da shairart e do artista convidado que, em pouco mais de um mês, “construíram” uma peça única e ambiciosa. A peça escultórica “que exalta o livro e a sua importância civilizacional”, como refere António M. Cunha, Reitor da Universidade do Minho, pode ser apreciada no campus de Gualtar, em Braga, em frente ao ILCH.

A convite do grupo dst, mecenas da obra de arte, Raúl Ferreira, artista plástico representado pela shairart, projetou esta escultura com recurso a um resíduo novo material, desenvolvido pelo IB-S, em parceria com o grupo dst. O resultado deste desafio é a escultura “Artes, Humanidades e Engenharia”, estrutura que remete para uma loggia à maneira da arquitetura clássica, em arco de volta perfeita, encerrada com um livro aberto, numa sugestão ao fac-simile d’Os Lusíadas, publicado sob coordenação do Professor Vítor Aguiar e Silva, que dedicou grande parte da sua vida ao estudo d’Os Lusíadas e de Camões.

Para José Teixeira, presidente do Conselho de Administração do grupo dst, esta escultura “é uma justa homenagem da Universidade do Minho e dos seus Institutos de Letras e de Bio-Sustentabilidade que, numa parceria entre a ciência e as humanidades, se juntam em tributo ao Professor Vítor Aguiar e Silva, personalidade eminente da cultura e das universidades portuguesas e presidente do júri do Grande Prémio de Literatura dst desde a sua génese. Mas é, também, um símbolo permanente e evidente de pensamento estratégico que se quer ambicioso, inovador, arrojado, rigoroso e entusiasmado”. Neste tributo “estão envolvidas instituições que têm no seu ADN a multidisciplinaridade de saberes, o investimento no conhecimento e na inovação”, acrescentando que “são instituições que afirmam os princípios de uma economia circular em detrimento da tradicional economia linear e com profunda ligação à investigação, às artes e às humanidades. Neste contexto, para nós, fez todo o sentido traduzir nesta peça-tributo a amplitude de saberes, entre as quais as mais recentes descobertas no campo da engenharia”, conclui o presidente do grupo dst.

Vídeo sobre a escultura "Artes, Humanidades e Engenharia", de Raúl Ferreira

Feira das Viagens muda de espaço em Lisboa e estreia em Braga

FV2018.png

 

 

Em 2018 a Feira das Viagens estreia na Sociedade Nacional de Belas Artes, em Lisboa e no Museu de Arqueologia D. Diogo de Sousa, em Braga, estando ambos os certames agendados para os dias 13,14 e 15 de abril.

A passagem do Campo Pequeno para a Sociedade Nacional de Belas Artes (SNBA) prende-se com o facto das datas da Feira terem sido antecipadas para abril e do espaço do Campo Pequeno já estar comprometido para outros eventos, não havendo hipótese de encontrar datas compatíveis em qualquer dos fins-de-semana de abril.

Segundo Rosário Louro, diretora da Jervis Pereira e uma das promotoras do evento “As alterações introduzidas em 2018 contribuem para refrescar a imagem da Feira e captar novos públicos-alvo. Em Lisboa a Feira das Viagens vai decorrer num espaço recentemente renovado na SNBA, em simultâneo com uma exposição de pintura, oferecendo ao visitante um “três em um” já que enquanto compra viagens pode também visitar uma exposição e o belíssimo Salão Nobre de um dos mais emblemáticos edifícios do Estado Novo, localizado na Rua Barata Salgueiro, mesmo junto á Avenida da Liberdade. Em Braga a escolha do local seguiu a mesma filosofia que temos vindo a promover noutras cidades: espaço central, junto da zona histórica, com bons acessos e estacionamento, num edifício emblemático, que é um polo de atração turístico e cultural na região.”

Também as datas e o horário de funcionamento da Feira das Viagens foram adaptados a um formato “menos pesado” para os expositores. Haverá coincidência de datas na Feira de Lisboa e Braga (13,14 e 15 de abril) e na Feira do Porto e Coimbra (20,21 e 22 de abril). Em todos os locais a Feira funcionará das 10 às 20 horas, em qualquer dos dias.

As inscrições para os expositores já estão abertas em https://feiradasviagens.campopequeno.com/Inscricoes-Feira-de-Viagens, sendo confirmadas por ordem de chegada.

Em 2017 a Feira das viagens contou com a presença de 150 expositores e 17 mil visitantes. Este número deverá sofrer um acréscimo para 170 expositores e pelo menos 23.000 visitantes em 2018, com a entrada de Braga no circuito e o novo fôlego do espaço na Sociedade de Belas Artes em Lisboa.

A Feira das Viagens do próximo ano continua a contar com o patrocínio da Halcon, do Turismo Centro de Portugal e do Turismo da Tailândia e com o apoio institucional da Associação Comercial do Porto, Da Camara Municipal de Coimbra e, pela primeira vez, da Sociedade Nacional de Belas Artes.

 

Sexta-feira, 12h00, Braga | Grupo dst e Universidade do Minho inauguram escultura com presença do Ministro da Cultura

Homenagem ao Professor Vítor Aguiar e Silva

GRUPO DST, UNIVERSIDADE DO MINHO, ILCH E IB-S INAUGURAM

ESCULTURA “ARTES, HUMANIDADES E ENGENHARIA”

 *Obra de arte tem assinatura de Raúl Ferreira, artista representado pela shairart

*Escultura de três metros foi executada com materiais inovadores desenvolvidos pelo IB-S

O grupo dst, a Universidade do Minho, o Instituto de Letras e Ciências Humanas (ILCH) e o Instituto de Ciência e Inovação para a Bio-Sustentabilidade (IB-S), inauguram na próxima sexta-feira, dia 20, a obra de arte “Artes, Humanidades e Engenharia”, uma escultura da autoria de Raúl Ferreira, em homenagem ao Professor Vítor Aguiar e Silva, docente catedrático do ILCH. A cerimónia inaugural realiza-se às 12 horas, no Complexo Pedagógico II do Campus de Gualtar da Universidade do Minho, em Braga, com a presença do Ministro da Cultura Luís Filipe Castro Mendes.

A escultura, com cerca de três metros de altura, um de profundidade e peso estimado de três toneladas, envolveu as equipas do IB-S e do grupo dst, sob coordenação da shairart e do artista convidado que, em pouco mais de um mês, “construíram” uma peça única e ambiciosa. A partir de sexta-feira, a peça escultórica “que exalta o livro e a sua importância civilizacional”, como refere António M. Cunha, Reitor da Universidade do Minho, poderá ser apreciada no campus de Gualtar, em Braga, em frente ao ILCH.

“É a simbiose dos tempos de aprender, ensinar e investigar que assinalaremos com a peça escultórica que será inaugurada no dia 20 de outubro” assinala o Reitor, acrescentando, ainda, a propósito da homenagem ao Professor Vítor Aguiar e Silva: “é também o vínculo entre pessoas e saberes que singularizaremos no reconhecimento de um dos atores da nossa Comunidade Académica que melhor sabe falar com os livros, escrever sobre eles e ensinar-nos como isso deve ser feito.”

“Artes, Humanidades e Engenharia” – obra de arte e ideia de futuro assente na economia circular

A convite do grupo dst, mecenas da obra de arte, Raúl Ferreira, artista plástico representado pela shairart, projetou esta escultura com recurso a um resíduo que ganhará uma nova vida numa função em que é o ator principal, através da investigação e desenvolvimento pelo IB-S, em parceria com o grupo dst. Habituado a utilizar ligante tradicional na sua produção artística, Raúl Ferreira foi desafiado a recorrer a um material que corresponde a uma lógica de sustentabilidade, descartando o anterior.

O resultado deste desafio é a escultura “Artes, Humanidades e Engenharia”, estrutura que remete para uma loggia à maneira da arquitetura clássica, em arco de volta perfeita, encerrada com um livro aberto, numa sugestão ao fac-simile d’Os Lusíadas, publicado sob coordenação do Professor Vítor Aguiar e Silva, que dedicou grande parte da sua vida ao estudo d’Os Lusíadas e de Camões.

O livro é esbelto e de geometria muito complexa, demasiado exigente para um betão convencional. Para além do resíduo, que nesta nova vida será o material do futuro, o escultor recorreu à utilização do ECC, um betão especial reforçado com fibras e desenhado à microescala, com capacidades autorregenerativas, o que o torna num material bastante avançado e de comportamento complexo. A peça é, por isso, uma criação artística única e inovadora. Mais do que uma imponente homenagem ao Professor Vítor Aguiar e Silva, é um símbolo de uma ideia de futuro, como destacam Helena Mendes Pereira, curadora da shairart, e Tiago Miranda, diretor do IB-S. “Artes, Humanidades e Engenharia é também a afirmação de uma ideia de futuro: um futuro de trabalho multidisciplinar e em rede, um futuro de cruzamento de saberes, um futuro em que o conhecimento e a inovação são fatores de crescimento económico e sustentável, ambiental, social e cultural. Esta homenagem consubstancia o sonho de uma geração que se quer ínclita e sem medo do desconhecido”, sublinham.

Para José Teixeira, presidente do Conselho de Administração do grupo dst, esta escultura “é uma justa homenagem da Universidade do Minho e dos seus Institutos de Letras e de Bio-Sustentabilidade que, numa parceria entre a ciência e as humanidades, se juntam em tributo ao Professor Vítor Aguiar e Silva, personalidade eminente da cultura e das universidades portuguesas e presidente do júri do Grande Prémio de Literatura dst desde a sua génese. Mas é, também, um símbolo permanente e evidente de pensamento estratégico que se quer ambicioso, inovador, arrojado, rigoroso e entusiasmado”. Neste tributo “estão envolvidas instituições que têm no seu ADN a multidisciplinaridade de saberes, o investimento no conhecimento e na inovação”, acrescentando que “são instituições que afirmam os princípios de uma economia circular em detrimento da tradicional economia linear e com profunda ligação à investigação, às artes e às humanidades. Neste contexto, para nós, fez todo o sentido traduzir nesta peça-tributo a amplitude de saberes, entre as quais as mais recentes descobertas no campo da engenharia”, conclui o presidente do grupo dst.