Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

SILÊNCIO no Cine Teatro de Estarreja

image004.jpg

 

De Martin Scorsese com Andrew Garfield, Liam Neeson, Adam Driver, Issei Ogata

Cinema

Sexta, 14 de abril  às 21h30

Martin Scorsese, demorou cerca de 25 anos para levar ao grande écran, a obra do

escritor católico japonês Shusaku Endo, SILÊNCIO, que nos reporta detalhadamente, e

com requintes estéticos, a história em meados do século XVII, das purgas anti-cristãs

em terras nipónicas, num “Thriller” espiritual centrado nas figuras de três padres

jesuítas portugueses.

Premiados 10ª Festa do Cinema Italiano

1f40b69b-497b-4c36-80cc-5541fbf3c6cc.png

Fiore premiado pelo júri e Un bacio premiado pelo público

na 10ª Festa do Cinema Italiano

 

Fiore, de Claudio Giovannesi, é o grande vencedor do Prémio do Júri da 10ª Festa do Cinema Italiano, havendo ainda uma menção honrosa para La ragazza del mondo, de Marco Daniele.

Premiados de forma unânime, o júri - composto por Cláudia Varejão, João Braz e Rita Blanco - justifica esta escolha sublinhando que “ambos os filmes tecem-se a partir de forças muito idênticas que moldam os gestos das suas protagonistas: a procura de uma identidade e a conquista da liberdade. As batalhas interiores das personagens criam um forte laço de intimidade com o nosso olhar e, sem nunca nos desampararem, guiam-nos pelas sucessivas lutas a que são expostas. São, mais do que tudo, filmes sobre o rigor e a dedicação das suas actrizes, remetendo-nos para a longa tradição do trabalho da representação no cinema italiano”.

Fiore foi apresentado e nomeado, em 2016, na Quinzena dos Realizadores do Festival de Cannes, no Festival de Munique, com uma nomeação para melhor filme internacional e seis nomeações nos prémios David di Donatello (entre eles, melhor filme, melhor realizador, melhor argumento original e melhor atriz principal), tendo recebido ainda o prémio especial do Sindicato Italiano de Jornalistas de Cinema.

Claudio Giovannesi mostra-nos o dia a dia numa prisão juvenil, captando a rotina das personagens, onde Dafne vive como um gato selvagem e, ao apaixonar-se por Josh, começa a sonhar com um final feliz, bem diferente daquilo que sempre acreditou. É neste cenário que acontece uma grande cumplicidade criada com os atores, na sua grande maioria não-profissionais, como o jovem protagonista, Josh Algeri, que faleceu tragicamente no passado mês de março.

Vencedor de três prémios no último Festival de Veneza (Brian Award para o realizador Marco Danieli e Prémios Pasinetti para Melhor Ator – Michele Riondino - e Melhor Atriz – Sara Serraiocco), La ragazza del mondo, de Marco Danieli retrata uma história de amor que implica uma escolha difícil relacionada com o mundo onde a protagonista se move, regido pelos textos sagrados e pelos princípios das Testemunhas de Jeová.

Un bacio, de Ivan Cotroneo venceu o Prémio do Público Canais TVCine&Séries. O filme preferido dos espectadores desta 10ª Festa do Cinema Italiano - onde foi apresentado em ante-estreia nacional -  é um conto com cores pop, sobre exclusão, preconceito e amizade. Um filme enérgico e musical sobre as difíceis etapas da adolescência e a aceitação da própria sexualidade, com interpretações que valeram aos seus protagonistas o prémio Guglielmo Biraghi - atribuído pelo Sindicato Italiano de Jornalistas de Cinema - que distingue atores revelação o cinema italiano. 

Balanço

A 10ª Festa do Cinema Italiano aconteceu, pela primeira vez, simultaneamente em cinco cidades – Lisboa, Porto, Coimbra, Almada e Setúbal – com excelente adesão de público, com várias sessões esgotadas no Cinema São Jorge, na Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema, no UCI El Corte Inglés e no Teatro Rivoli. Em Lisboa, mais de 10 mil pessoas visitaram o festival, ultrapassando os 13 mil espectadores nas cinco cidades.

Um dos filmes com lotação esgotada foi a antestreia de Se Deus Quiser (Si Dio Vuole), de Edoardo Falcone, já em exibição comercial nos cinemas UCI El Corte Inglés e UCI Arrábida 20, pelo menos, até 19 de abril.

A Festa continua agora em várias cidades: Aveiro (19 a 21 de abril) Loulé e Caldas da Rainha (12 a 14 de maio), Viana do Castelo (16 e 17 de maio) e Tomar (25 a 27 de maio), seguindo depois para Angola, Moçambique e Brasil.

A Festa do Cinema Italiano é organizada pela Associação Il Sorpasso, com o apoio da Embaixada de Itália, do Instituto Italiano de Cultura de Lisboa, da Câmara Municipal de Lisboa e da EGEAC. Os patrocinadores principais deste ano são a FIAT e a Garofalo, contando ainda com o patrocínio de Intimissimi, MSC Cruzeiros/Viagens El Corte Inglés, TVCine & Séries e o apoio da TNT, TAP, Campari, Cabify e a Pizzaria Mezzogiorno.

OS 10 MANDAMENTOS no CCB

phpThumb_generated_thumbnailjpg.jpg

 

14 de abril | 16:00 | Grande Auditório

Este ano a Páscoa será celebrada com a exibição do clássico e icónico filme Os Dez Mandamentos, realizado por um dos mais influentes cineastas da história do cinema norte-americano, Cecil B. DeMille. O filme será apresentado numa versão restaurada digitalmente em alta definição, assinalando-se os 60 anos desde a estreia desta obra.

Curtas da secção Silvestre reorganizadas

scaredhearts.jpg

 

Nesta edição do IndieLisboa, a secção Silvestre - Curtas Metragens tem alterações na organização dos seus programas. Como forma de garantir mais atenção para os filmes seleccionados, o IndieLisboa vai dividir as sessões por temas e géneros.

Haverá, assim, um programa dedicado à animação, um radar para as melhores curtas vistas ao longo do ano, mas que por diversos critérios não puderam integrar a competição internacional. Os dois programas dedicados ao documentário vão abordar a política nos nossos dias e as obsessões de vários cineastas em torno do seu trabalho (Jan Soldat, Johan Grimonprez, Lucille Chaufour e Mark Rappaport).

Os dois programas de ficção conjugarão autores consagrados com estreantes: a dupla Valérie Mréjen/Bertrand Schefer escolhe dois actores de referência de Paul Vecchiali: Jacques Nolot e Pascal Cervo, trabalhando um filme que poderia ser obra do seu mentor. Tom Shoval (em competição no IndieLisboa com Justification) volta ao festival com uma curta que acompanha uma mulher em permanente deambulação. O filipino Carlo Francisco Manatad, o brasileiro Gustavo Vinagre e o espanhol Chema Garcia Ibarra estreiam-se no IndieLisboa depois da sua obra ter sido apresentada em múltiplos festivais de cinema.

Um último programa da Silvestre, a ser apresentado na Cinemateca Portuguesa - Museu do Cinema, apresentará os últimos trabalhos de realizadores consagrados no cinema experimental: Bertrand Mandico, Robert Todd, Robert Cambrinus e Friedl Von Groml, conhecida fotógrafa e companheira de sempre de Peter Kubelka, entre outros.

A programação da secção dedicada à mostra de obras que sejam demonstrativas da singularidade da visão de jovens e consagrados cineastas apresentará ainda as novas obras de Alex Ross Perry (Golden Exits), Matías Piñeiro (Hermia & Helena), Radu Jude (Inimi Cicatrizate), Vitaly Mansky (Rodnye (Close Relations) ) e Michael Glawogger (Untitled). O foco Silvestre estará na dupla Gusztáv Hámos e Katja Pratschke, realizadores e curadores que têm dedicado o seu trabalho à exploração do fotofilme e das múltiplas relações entre a imagem, fotografia e cinema.

 

Longas Metragens

A Cidade do Futuro/The City of the Future , Cláudio Marques, Marí´lia Hughes, (Brasil, fic., 2016)

Belinda, Marie Dumora (França, doc., 2017)

City of the Sun, Rati Oneli, Geórgia, (EUA, Qatar, Holanda, doc., 2017)

Der traumhafte Weg/The Dreamed Path , Angela Schanelec (Alemanha, fic., 2016)

Elon Não Acredita na Morte/ Elon Doesn’t Believe in Death , Ricardo Alves Jr, (Brasil, fic., 2016)

Fra balkongen/From the Balcony , Ole Giæver (Noruega, fic., 2017)

Golden Exits, Alex Ross Perry (EUA, fic., 2017)

Hermia & Helena, Matías Piñeiro (EUA, Argentina, fic., 2016)

Inimi cicatrizate/Scarred Hearts, Radu Jude (Roménia, Alemanha, fic., 2016)

Le Parc/The Park, Damien Manivel (França, fic., 2016)

Lumie`res d’e´te´/Summer Lights , Jean-Gabriel Périot (França, fic., 2016)

Mister Universo, Tizza Covi, Rainer Frimmel (A´ustria, Itália, fic., 2016)

Rodnye (Close Relations), Vitaly Mansky (Letónia, Alemanha, Estónia, Ucrânia, doc., 2016)

Untitled, Michael Glawogger, Monika Willi (Áustria, Alemanha, doc., 2017)

Venus, Lea Glob, Mette Carla Albrechtsen (Dinamarca, Noruega, doc., 2016) 

 

Silvestre – Curtas: On Politics

Borders, Damjan Kozole (Eslovénia)

Corps, Benjamin d'Aoust (Bélgica)

Green Screen Gringo, Douwe Dijkstra (Holanda)

Jokinen, Laura Horelli (Finlândia)

Nunca é Noite no Mapa, Ernesto Carvalho (Brasil)

 

Silvestre – Curtas: Animation Spotlight

Anatomy, Patrik Eklund (Suécia)

Batfish Soup, Amanda Bonaiut (EUA)

Books on Books, Lei Lei (China)

Les animaux domestiques, Jean Lecointre (França)

Löss, Yi Zhao (Bélgica)

Penelope, Heta Jäälinoja (Estónia)

Six God Alphabet, Peter Millard (Reino Unido) 

 

Silvestre – Curtas: Obsessions

115 DB, Lucile Chaufour (França)

Protocols, Jan Soldat (Alemanha)

Raymond Tallis | On Tickling, Johan Grimonprez (Bélgica)

Serguei / Sir Gay, Mark Rappaport (França)

 

Silvestre – Curtas: Fiction I

Enfant Chéri, Valérie Mréjen e Bertrand Schefer (França)

Gallo Rojo, Zamo Mkhwanazi e Alejandro Fadel (África do Sul)

La Disco Resplandece, Chema García Ibarra (Espanha)

Les incapables, Roxanne Gaucherand (Bélgica)

Justification, Tom Shoval (Israel)

Youth, Shanti Masud (França)

 

Silvestre – Curtas: Fiction II

Les Incapables, Roxanne Gaucherand (Bélgica)

Fatima Marie Torres and the Invasion of Space Shuttle Pinas 25, Carlo Francisco Manatad (Filipinas)

Os Cuidados que se tem com o Cuidado que os Outros Devem ter Consigo Mesmos, Gustavo Vinagre (Brasil)

When you love, Süheyla Schwenk (Alemanha) 

 

Silvestre – Curtas: Autores

A Dad, Robert Cambrinus (Áustria)

Atelier d'expression, Friedl Von Groml (Áustria)

Colombi, Luca Ferri (Itália)

Depressive Cop, Mandico Bertrand (França)

Phases of Noon, Robert Todd (USA)

Stampede – eine gestempelte Geschichte vom Zirkus, Franz Winzentsen e Tobias Sandberger (Alemanha)

Stella 50.4N1.5E, Elsa Brés (França)

 

 

O IndieLisboa 2017 by Allianz é organizado pela IndieLisboa - Associação Cultural, com o apoio financeiro do Ministério da Cultura/ICA - Instituto do Cinema e do Audiovisual, da CML - Câmara Municipal de Lisboa, do Programa Creative Europe da União Europeia e da Allianz; em co-produção com a Culturgest e o Cinema São Jorge e em parceria estratégica com a EGEAC - Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural, EEM.

 

GUARDIÕES DA GALÁXIA VOL. 2 | PETER QUILL E GAMORA | NOS CINEMAS A 27 DE ABRIL

image001.jpg

 

 

À medida que o elenco volta a dar vida às personagens coloridas, únicas e disfuncionais de Guardiões, existe uma nova dinâmica. O primeiro filme foi sobre como se tornaram numa família e "Guardiões da Galáxia Vol. 2" foca-se em como serem uma família. Como explica James Gunn, o realizador do filme "este filme é sobre todas as personagens serem uma família. E serem uma família é muito mais difícil do que se tornarem numa. É uma história muito mais complicada. No primeiro filme, existe um conjunto de personagens que são estranhas e que se juntam. Mas onde é que isso os leva?”

E é exatamente isso que o público vai descobrir à medida que os relacionamentos das personagens se vai desenvolvendo, a começar com Peter Quill, também conhecido como Star-Lord, que enfrenta uma questão familiar que se vê obrigado a resolver – descobrir quem é o seu verdadeiro pai.

Segundo James Gunn: "É uma continuação do primeiro filme. Agora, Peter Quill tem mais o papel de líder e uma maior responsabilidade, desde que assumiu o título de Star-Lord no fim do último filme." O realizador acrescenta: "O primeiro filme foi sobre a relação de Peter com a mãe e conseguir ficar em paz com isso. O segundo filme é sobre a relação de Peter Quill com o pai e outras figuras paternas da sua vida".

Zoe Saldana regressa ao papel da assassina mortal de pele verde, Gamora, outra personagem que lida com questões familiares, relacionadas com o facto do seu pai adotivo ser Thanos e a sua irmã Nebula. "No primeiro filme, parecia que Gamora era uma boa pessoa e Nebula era má, uma quase vilã", explica o produtor executivo Louis D' Esposito. "Neste filme, aprendemos que é um relacionamento muito mais complexo do que isso. Gamora está a começar a aceitar os seus próprios pecados, os seus próprios medos e a sua maneira de afastar as pessoas."

GUARDIÕES DA GALÁXIA VOL. 2 chega aos cinemas portugueses a 27 de abril de 2017.

 

IndieLisboa abre com filme de Teresa Villaverde e encerra com Raoul Peck

head-2017il.jpg

 

170501.jpg

 


Colo, de Teresa Villaverde, é o filme de abertura do 14.º IndieLisboa e será exibido no dia 3 de Maio no Cinema São Jorge. Colo teve estreia mundial no Festival de Cinema de Berlim. I Am Not Your Negro, o documentário de Raoul Peck sobre James Baldwin, é a sessão de encerramento do festival, a 14 de Maio no Grande Auditório da Culturgest. [+]