Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

CONCELHO DE MAFRA CELEBRA O NATAL

image003.jpg

 

 

“O Natal chegou à Vila” está de regresso ao Concelho de Mafra de 1 a 23 de dezembro de 2017, trazendo um programa variado em que a música e as tradições desta quadra assumem lugar de destaque. No âmbito deste programa organizado pela Câmara Municipal, a tradicional “Feira de Natal” decorre em Mafra, no Terreiro D. João V, e também na Ericeira, na Praça da República (Jogo da Bola), sendo que a edição de 2017 traz mais expositores e atividades de animação. A sessão de abertura realiza-se no dia 1 de dezembro às 18 horas em Mafra e às 19h30 na Ericeira.

 

Em 2017, a “Feira de Natal” regista, nos dois locais, 58 participações de artesãos e de produtores regionais, para além de 13 instituições locais de solidariedade social, contribuindo para fazer, desta época festiva, um duplo momento de promoção da solidariedade e da identidade cultural local.

A iniciativa será complementada com atividades de animação: no Terreiro D. João V, em Mafra, os mais pequenos poderão brincar no Carrossel e na Oficina do Pai Natal, bem como desfrutar das diversas atividades de animação, sendo que o programa foi enriquecido, para além das atuações dos cavalinhos das bandas filarmónicas e orquestra do Concelho, com animações de rua, jogos de Natal e oficinas infantis. Também na Praça da República, na Ericeira, a animação inclui música, jogos e oficinas.

 

A par destes locais, a programação é descentralizada, contemplando sessões de contos no Claustro Sul do Palácio Nacional de Mafra e na Biblioteca Municipal da Ericeira, espetáculos de teatro infantil nos auditórios municipais de Mafra e da Ericeira, assim como exposições temáticas: “Peças de Alma feitas com o coração”, na Loja do Cidadão, em Mafra; e “A Árvore que dava olhos”, no Claustro Sul do Palácio Nacional de Mafra.

 

300 anos do Real Edifício de Mafra celebrados a 17 de novembro

O dia 17 de novembro ficou, para a História de Portugal, marcado pelo início da construção do Real Edifício de Mafra. Numa celebração solene, de carácter simultaneamente sacral e profano, com a presença do Primeiro Patriarca de Lisboa, de toda a corte e de numeroso povo, lançou D. João V a fundação do maior monumento do Barroco português. Volvidos três séculos, no dia 17 de novembro de 2017 e culminando um ano de intensas comemorações, o Real Edifício de Mafra assinala o seu aniversário com arte, terminando com um concerto a seis órgãos e coro, organizado pela Câmara Municipal, e que, devido à elevada afluência registada, é igualmente transmitido, em direto e partir das 22 horas, através de ecrã gigante instalado no exterior da Basílica.

 

image002.jpg

 

O programa do concerto, sob a coordenação de João Vaz, foi criteriosamente selecionado para evocar este momento histórico, evidenciando-se um conjunto de secções do ordinário da missa, de um autor anónimo do século XVIII, cujo manuscrito se encontra na Biblioteca Nacional de Portugal e tendo sido composto propositadamente para a Real Basílica de Mafra. Da escrita sobressai a utilização única que o autor faz do espaço litúrgico, tirando partido da relação entre os órgãos e a disposição do coro. Do programa fazem igualmente parte melodias de Cantochão, com os acompanhamentos escritos por Frei José de Santo António, em 1761, para esta Basílica, bem como a Sinfonia para a Real Basílica de Mafra de António Leal Moreira, composta por ocasião da conclusão do atual conjunto organístico em 1807.

 

Este concerto conta com a participação do Coro Voces Caelestes e dos organistas Sérgio Silva, Inês Machado, David Paccetti Correia, Margarida Oliveira, Diogo Rato Pombo e Daniela Moreira, sob a direção de Sérgio Fontão.

Além do referido concerto, as comemorações englobam, no dia 17 de novembro, um conjunto de eventos promovidos pelo Palácio Nacional de Mafra. A conferência “Do Tratado à Obra: Génese da Arte e da Arquitetura no Palácio de Mafra”, com início às 9h15m, conta com a presença de diversos investigadores nacionais e estrangeiros. Às 18 horas será apresentada a revista Monumentos’35, cuja edição é integralmente dedicada ao Real Edifício de Mafra nas suas vertentes histórica, artística e arquitetónica. Pelas 19 horas é inaugurada a exposição “Do Tratado à Obra: Génese da Arte e da Arquitetura no Palácio de Mafra” que evoca a génese do pensamento e da cultura artística e arquitetónica Barroca, que estão na base da construção da Real Obra de Mafra, o desenho do arquiteto João Frederico Ludovice, a competência construtiva de Custódio Vieira, engenheiro-mor do reino, e a arte presente na construção.

 

As comemorações do tricentenário do lançamento da primeira pedra do Real Edifício de Mafra, que têm vindo a decorrer entre 17 de novembro de 2016 e 17 de novembro de 2017, são uma organização conjunta das entidades com responsabilidades na gestão deste conjunto patrimonial: Direção Geral do Património Cultural/ Palácio Nacional de Mafra, Câmara Municipal de Mafra, Escola das Armas, Paróquia de Mafra e Tapada Nacional de Mafra.

Dia do Município

image003.jpg

 

A Câmara Municipal de Mafra assinala o Dia do Município (Quinta-feira da Ascensão ou da Espiga), no dia 25 de maio de 2017, com a realização do seguinte programa de atividades:

 

9h00 – Hastear das bandeiras no Terreiro D. João V, Mafra

9h15 – Missa solene na Basílica de Mafra, presidida por Sua Excelência Reverendíssima o Bispo D. Nuno Brás

10h00 – Sessão solene no Claustro Sul do Palácio Nacional de Mafra

12h00 – Inauguração do Parque Intermodal do Alto da Vela

 

18h00 – Apresentação do livro “Órgãos Históricos Mafra” no Claustro Sul do Palácio Nacional de Mafra

21h00 – Concerto de apresentação das obras distinguidas com o “Prémio Internacional de Composição Órgãos do Palácio Nacional de Mafra” na Basílica do Palácio Nacional de Mafra

 

Dia do Município

image003.jpg

 

A Câmara Municipal de Mafra assinala o Dia do Município (Quinta-feira da Ascensão ou da Espiga), no dia 25 de maio de 2017, com a realização do seguinte programa de atividades:

 

9h00 – Hastear das bandeiras no Terreiro D. João V, Mafra

9h15 – Missa solene na Basílica de Mafra, presidida por Sua Excelência Reverendíssima o Bispo D. Nuno Brás

10h00 – Sessão solene no Claustro Sul do Palácio Nacional de Mafra

12h00 – Inauguração do Parque Intermodal do Alto da Vela

 

18h00 – Apresentação do livro “Órgãos Históricos Mafra” no Claustro Sul do Palácio Nacional de Mafra

21h00 – Concerto de apresentação das obras distinguidas com o “Prémio Internacional de Composição Órgãos do Palácio Nacional de Mafra” na Basílica do Palácio Nacional de Mafra

 

Museu do Oriente celebra Dia da Família com flores e música

 

13 e 14 de Maio

 

Museu do Oriente celebra Dia da Família com flores e música

 

Em antecipação ao Dia Internacional da Família, o Museu do Oriente enche-se de atividades no fim-de-semana de 13 e 14 de Maio, com oficinas para todas as idades e um concerto dos Solistas da Metropolitana.

 

A manhã de sábado inicia-se com “Espelho Meu”, uma oficina dramatizada. Quem é aquela pessoa que nos mira do outro lado do espelho? Parece-se connosco! Na sua companhia, traçamos um mapa das nossas características, para melhor nos conhecermos. Dirigido a famílias com bebés de 1 e 2 anos, esta actividade alia a componente teatral à diversidade de estímulos e ao desafio à participação.

 

Já a tarde, é dedicada aos agradáveis aromas dos perfumes. Pensada para crianças dos 6 aos 12 anos, a oficina “Perfumes e Companhia” sugere uma viagem olfativa pela sua história e usos, do Oriente ao Ocidente. Das perucas aromatizadas no Antigo Egipto aos incensos votivos dos templos budistas no Japão, até às cortes europeias, onde se destaca a francesa, percorremos de nariz afiado um mosaico de odores, entre especiarias, resinas, plantas e flores.

 

No domingo, às 11.00, a oficina “D. Manuel e o elefante” convida famílias com crianças a partir dos 5 anos a descobrir o exótico presente que o rei português ofereceu, a quem se destinou e a sensação que causou na sua época. No final, cada família terá nas suas mãos, para levar para casa, um colorido paquiderme.

 

Às 15.00, a oficina “Brincando com o Belo” desafia pais e filhos (dos 6 aos 12 anos) a interrogar o que entendemos por beleza e onde a encontrar. No espaço privilegiado do Museu, recheado de coisas belas, vamos procurar flores e outras formas naturais de inegável beleza e criar arranjos florais, inspirados no princípio da cultura japonesa de unir o belo da natureza com o belo da arte.

 

Um pouco mais tarde, pelas 17.00, sobe a palco a mestria dos Solistas da Metropolitana com interpretações de trios de Beethoven e Brahms para clarinete, piano e violoncelo, num espectáculo para toda a família, de entrada gratuita.

Oficina Espelho Meu

Espelho Meu.jpg

 

Ateliês Primeiros Passos

13 ou 27 de Maio

Horário: 10.00-10.30 ou 11.00-11h30

Público-alvo: bebés de 1 e 2 anos, acompanhados por um adulto

Preço: € 4/participante [adulto ou criança]

Participantes: mín. 10, máx. 20

 

Oficina Perfumes e Companhia

Perfumes e Companhia.jpg

 

Sábados em Oficina

13 ou 27 de Maio

Horário: 15.00-17.00

Público-alvo: 6-12 anos

Preço: € 5/ participante

Participantes: mín. 8, máx. 15

 

Oficina D. Manuel e o Elefante

Ateliês Domingos em Família

14 ou 28 de Maio

Horário: 11.00-12.30

Público-alvo: Para famílias (crianças a partir dos 5 anos)

Preço: € 4/participante [adulto ou criança]

Participantes: mín. 10, máx. 24

 

Brincando com o Belo

Brincando com o Belo.jpg

 

Oficina para Pais e Filhos

em comemoração do Dia Internacional da Família [15 Maio]

14 de Maio

Horário: 15.00-17.00

Público-alvo: Famílias [crianças dos 6 aos 12 anos]

Preço: € 6/participante (adulto ou criança)

Participantes: mín. 10, máx. 12

Em parceria com a Fundação Moa

 

Solistas da Metropolitana

Beethoven, Brahms

Solistas da Metropolitana.jpg

 

14 de Maio

Horário: 17.00

Entrada gratuita [mediante levantamento do bilhete no próprio dia]

Programa:

  1. v. Beethoven Trio Op. 11, Gassenhauer
  2. Brahms Trio Op. 114

Solistas: Nuno Silva (clarinete), Carolina Ferreira (violoncelo), Anna Tomasik (piano)

 

Instalação monumental de Chaimite | 23 de abril, 10h30 - Pinhal Novo

Chaimite é símbolo do 25 de Abril

Instalação monumental nasce em Pinhal Novo

 

 

No âmbito das comemorações do 43.º aniversário do 25 de Abril, a Câmara Municipal de Palmela vai proceder, no dia 23 de abril, domingo, às 10h30, à instalação da viatura militar Chaimite V-200, símbolo da Revolução de 1974, na Rua Infante D. Henrique, em Pinhal Novo. Esta instalação, que surge de uma parceria estabelecida com o Exército Português, faz parte, também, de um objetivo mais amplo de requalificação urbana da zona sul da vila.

O Chaimite V-200 assumiu protagonismo histórico no 25 de Abril, sendo parte integrante da sua imagética. O Capitão Salgueiro Maia saiu num chaimite de Santarém para Lisboa, onde tomou os ministérios do Terreiro do Paço e o quartel da Guarda Nacional Republicana, no Carmo. O veículo «Bula», numa operação liderada, também, por Salgueiro Maia, transportou o Presidente do Conselho de Ministros, Professor Marcello Caetano, do Quartel do Carmo, onde se rendeu ao Movimento dos Capitães, antes de partir para o exílio – rendição que marcou a queda do Estado Novo.

Fabricado em série, em Portugal, a partir de 1966, tendo por modelo o V-100 americano, o Chaimite V-200 é uma viatura auto-blindada porta metralhadora, que se destinava ao transporte de tropas e tinha capacidade para 11 pessoas. Após o PREC, os Chaimite voltaram a ser usados em exercícios e instrução e, nos anos 90, estiveram ao serviço no Kosovo e na Bósnia. Um veículo análogo ao que passará a estar em Pinhal Novo encontra-se em exposição no Museu do Combatente, em Belém.

 

19º Aniversário do grupo de Cantares "Cantar Alentejo"

cantares.jpg

 

Integrado na Associação de Reformados, Pensionistas e Idosos de Mora

 

19º ANIVERSÁRIO DO GRUPO DE CANTARES “CANTAR ALENTEJO”

 

O Grupo de Cantares “Cantar Alentejo”, integrado na Associação de Reformados, Pensionistas e Idosos de Mora (ARPI), comemora dia 13 de Novembro o seu 19º aniversário com um festival de Cante Alentejano.

 

A Casa da Cultura de Mora acolhe a partir das 13h00 as actuações dos Grupos de Cantares da Misericórdia de Pavia, de Cabeção, Alentejanos de Brotas, de Fronteira e “As Cachopas” dos Reformados de pavia, além Grupo Coral da 3ª Idade dos Foros de Vale Figueira e, naturalmente, o Grupo anfitrião e aniversariante.

 

“Cantar Alentejo” é um grupo de cantares integrado na associação que lhe deu o nome e, entre os quatro grupos de cantares que existem actualmente no concelho de Mora, este foi o que iniciou a actividade mais cedo, a 25 de Maio de 1997.

 

Do grupo "Cantar Alentejo" da ARPI de Mora fazem parte cerca de 20 elementos e o seu principal objectivo é manter vivas as canções populares Alentejanas.

 

Adoptou algumas das mais interessantes indumentárias domingueiras, de ver a Deus, arremediadas, lavradora, noiva, viúva, fidalga e traje de lavrador de homem, fielmente reproduzidas da época situada entre finais do século XIX e princípios do século XX, que dão colorido e identificam o estrato social a que cada pessoa pertencia.

 

O repertório é composto por músicas recolhidas pelo próprio grupo, sendo as canções tipicamente Alentejanas.

 

Sessão inaugural das comemorações dos 300 anos do Palácio Nacional de Mafra

image002.jpg

 

300 ANOS DO PALÁCIO NACIONAL DE MAFRA:

SESSÃO INAUGURAL É JÁ NO DIA 17 DE NOVEMBRO

 

O monumento de Mafra que é, simultaneamente, um palácio real, uma basílica, um convento, um jardim e uma tapada celebra o tricentenário do lançamento da primeira pedra. As entidades com responsabilidades na gestão deste conjunto organizam um diversificado programa, cuja sessão inaugural se realiza no dia 17 de novembro de 2016: começa com uma conferência e termina com um espetáculo que alia música, pirotecnia e iluminação, numa das performances mais distintas apresentadas à escala nacional.

 

Esta sessão inicia-se às 21h30, na Basílica do Palácio Nacional de Mafra, com uma conferência por Sua Excelência Reverendíssima o Bispo Auxiliar de Lisboa, D. Nuno Brás da Silva Martins, dedicada ao tema “O Templo Cristão”.

 

A partir das 23h00, no Terreiro D. João V, mesmo em frente à Basílica, cerca de 70 músicos da Banda Sinfónica do Exército interpretarão obras de diversos compositores, como Strauss, Haendel, Tchaikovsky ou Verdi, que serão sincronizadas com fogo de artifício, lançado do monumento. Som, luz e cor, lado a lado com 300 anos de história.

 

As comemorações prosseguem até 17 de novembro de 2017, numa organização da Direção Geral do Património Cultural/ Palácio Nacional de Mafra, Câmara Municipal de Mafra, Escola das Armas, Paróquia de Mafra e Tapada Nacional de Mafra.

 

O programa está disponível em: 

www.cm-mafra.pt/municipio/300-anos-do-palacio-de-mafra

S. Martinho em Pavia (Mora)

A antiquíssima Vila de Pavia, em Mora, tem a sua festa de S. Martinho há décadas e, este ano, a 10 de Novembro, promete petiscos, cultura e muita animação musical.

 

Os festejos começam no Salão Nobre da Junta de Freguesia às 18h00 com a inauguração da exposição “Quadras de S. Martinho”, com a participação dos alunos da Escola de 1º Ciclo da localidade.

 

Às 18h305, inicia-se o baile com a animação do duo Fábio e André.

 

Os petiscos derivam do porco, o qual se apresentará assado no espeto e, obviamente com muitas castanhas assadas. A não faltar, está também a bebida típica desta época, a água-pé para acompanhar a degustação.

 

  1. Martinho em Pavia é, todos os anos, alvo de romaria.

S. Martinho comemora-se no concelho de Palmela



As tradicionais comemorações de S. Martinho voltam a animar a aldeia de Poceirão, com uma noite de animação e convívio no Centro Cultural, a 10 de novembro. O Município de Palmela, a União de Freguesias e o movimento associativo local, com o apoio da adega Filipe Palhoça, promovem o programa comemorativo, com início às 20h30 e entrada gratuita. A música estará a cargo dos Gaiteiros da Bardoada e do grupo musical da Associação "Os Amigos das Lagameças".
No dia 12, o S. Martinho inspira uma manhã diferente no Mercado Municipal de Pinhal Novo, numa iniciativa do Município e da Comissão de Operadores. Entre as 7h00 e as 14h00, quem visitar as dezasseis lojas de frescos ou o Mercado de Produtores, que decorre no exterior, poderá desfrutar, também, de momentos de animação musical com grupos locais e da oferta de castanhas, batatas doces e vinho novo.
Época de água pé e de provar o vinho novo, o S. Martinho é, também, assinalado em várias adegas do concelho, com programas especiais de visita e degustação de produtos regionais, no âmbito das comemorações do Dia Europeu do Enoturismo.