Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Mês da Fotografia 2017 - Concurso de Fotografia | Normas de Participação

nota.png

 

Estão abertas as inscrições para o Concurso de Fotografia, no âmbito da 4ª edição do Mês da Fotografia, promovido pela Câmara Municipal do Barreiro. O objetivo deste concurso consiste na procura de novos valores, fomentar, reconhecer, premiar e difundir a criatividade e sentido estético da produção fotográfica contemporânea. Pretende-se, ainda, incentivar a produção fotográfica proporcionando a sua apresentação pública.

A entrega de candidaturas decorre até dia 6 de outubro de 2017, devendo as candidaturas ser enviadas por correio registado ou entregues presencialmente durante o horário de funcionamento do Auditório Municipal Augusto Cabrita (3ª a domingo, das 14h às 20h – encerra à 2ª feira). O tema do Concurso é livre.

 

De acordo com as Normas de Participação (consulte em www.cm-barreiro.pt):

  1. a) A inscrição é gratuita. As fotografias apresentadas devem ser inéditas, nunca tendo sido avaliadas por um júri.
  2. b) Este concurso está aberto a qualquer tendência, abordagem e linguagem fotográfica, sem exceção, permitindo assim que se revelem novos valores e novas perspetivas da Fotografia.
  3. c) A participação está aberta a todos aqueles que tenham idade igual ou superior a 18 anos ou que complete 18 anos até ao final de 2017.
  4. d) Os trabalhos a concurso devem fazer-se acompanhar de Memória Descritiva do projeto a concurso, Biografia do Autor, Identificação Pessoal e a Ficha de Inscrição, devidamente preenchida e assinada. Todos os materiais solicitados devem ser entregues também em formato digital. O não envio destes documentos compromete a participação no concurso.
  5. e) Só serão aceites trabalhos em suporte papel, a cores ou a preto e branco, com número mínimo de três e um máximo de cinco fotografias por concorrente, do mesmo formato e com a mesma qualidade de impressão.
  6. f) Só serão aceites suportes fotográficos com as dimensões mínimas de 20x30/20x20 cm e máximas de 30x40/40x40 cm.
  7. g) As fotografias a concurso, bem como a memória descritiva, não devem vir identificadas com o nome do autor.
  8. h) Não deverão ser entregues obras originais. A Câmara Municipal do Barreiro não se responsabiliza por qualquer deterioração, roubo ou perda dos documentos entregues.
  9. i) Cada concorrente deverá declarar na ficha de inscrição a autoria dos trabalhos e que autoriza a sua publicação e exibição, não estando a Câmara Municipal do Barreiro obrigada a atribuir-lhe qualquer remuneração.
  10. j) As obras devem ser enviadas dentro de envelope fechado, devidamente identificados no verso com o respetivo título e nome do autor.

 

Durante o Mês da Fotografia 2017, que terá lugar em novembro, realizar-se-á uma exposição constituída por 10 projetos fotográficos, previamente selecionados pelo júri do concurso, composto por três profissionais da área da Fotografia.

O Júri avaliará os trabalhos a concurso segundo os seguintes critérios:

  1. a) Inovação, criatividade e características estéticas do trabalho
  2. b) Coerência e qualidade global do conjunto, assim como a originalidade

do assunto abordado.

 

CMB 2017-04-28

 

Últimos dias para concorrerem ao 11º Encontros de Fado no Auditório Fernando Lopes-Graça, em Almada

 

unspecified.jpg

 

Para se inscreverem os concorrentes têm de preencher e enviar dois fados gravados  com as suas próprias vozes para a organização do evento (em MP3 ou CD/DVD) e os dados do concorrente (nome, idade, contacto e morada) até ao próximo dia 8 de Maio (data de correio). As gravações podem ser entregues em mão ou enviadas via CTT para:

Câmara Municipal de Almada

FÓRUM MUNICIPAL ROMEU CORREIA

Praça da Liberdade – 2800 648 – Almada

Horário de 3ª a Sábado das 10h às 18h

Tel. 21 272 4920 ou 21 272 49 27
As gravações também podem ser enviadas em mp3 via e-mail para:  fadoalmada@gmail.com

Link inscrição: http://www.malmada.pt/xportal/xmainxpid=cmav2&xpgid=cmaform&id=encontrosfado2017

Até dia 8 de Maio pode concorrer ao 11º Encontros de Fado de Almada. Inscreva-se já!

92399322-e4d9-46c3-ad09-3e51052432b5.jpg

 

Encontros de Fado de Almada

Inscrições Abertas para a Décima Primeira Edição até dia 8 de Maio.


Os Fadistas Duarte, Maria Amélia Proença e José da Câmara são os convidados e juris do 11º Encontros de Fado de Almada a realizar no Auditório Fernando Lopes-Graça em Almada.

O Júri será constituído pelos músicos residentes e o Fadista convidado de cada noite.
Todos os concorrentes serão acompanhados pelos músicos residentes e terão assim a possibilidade de se apresentar em palco, num auditório profissional com uma casa repleta de amantes de Fado e acompanhados por músicos profissionais com vários anos de experiência.

Como prémios os 3 primeiros classificados darão um concerto em nome próprio no mesmo auditório no mês de Outubro e o primeiro classificado terá direito à gravação de um EP com 5 Fados, gravado em estúdio profissional e acompanhado pelos músicos residentes do festival.
 

Link inscrição: http://www.malmada.pt/xportal/xmainxpid=cmav2&xpgid=cmaform&id=encontrosfado2017

 

 

5d7b5058-7df4-488c-a6f2-4d35d40bf8a6.jpg

 

1ª  Eliminatória dos Encontros de Fado de Almada - 27 de Maio - Duarte

Psicólogo de profissão, Duarte tem como amante o Fado, uma paixão antiga na vida.
A formação musical permite-lhe viver a sua arte de diferentes formas. Duarte é autor, compositor e intérprete (na voz e na guitarra), caso raro entre os fadistas. Mas talvez seja esse o segredo para tanta alma nas palavras, na voz, na música.
O seu sentir, criado no Alentejo, é alimentado pelas histórias de vida com que contacta enquanto psicólogo e que veste ora com novas composições, ora com fados tradicionais. Um privilégio, assume. E é na intimidade e no aconchego da casa de fados Senhor Vinho, em Lisboa, que regularmente ensaia e experimenta artisticamente essas vivências.
Para Duarte, o respeito pelo legado do fado é essencial na construção de um objecto artístico único, que deve ser encarada como uma reabilitação arquitectónica. Com base na tradição, cria-se um trabalho artístico contemporâneo.
Duarte tem-se apresentado em palco um pouco por todo o mundo – Espanha, Grécia, Polónia, Goa, Macau, Estados Unidos da América, Guiné-Bissau, entre tantos outros territórios. Mas é de França que lhe chegam rasgados elogios, da parte da crítica e do público, que se deixa seduzir por este fadista da contemporaneidade, cuja imagem lembra a de um jovem poeta-filósofo-anarco-sindicalista do início do século XX.

Ficha técnica:
Duarte - Fadista convidado
André M. Santos - Viola de Fado
Hugo Edgar - Guitarra Portuguesa
Rodrigo Serrão – Contrabaixo

e125d935-22b1-4b18-afed-687440870664.jpeg

 

2ª  Eliminatória dos Encontros de Fado de Almada - 9 de Junho - Maria Amélia Proença

Maria Amélia Marques Proença nasceu em Lisboa, no bairro de Campo de Ourique, no dia 21 de Outubro de 1938. Com apenas 8 anos ganhou a "Taça Amália" no  "Grande Concurso Portugal" organizado pelo jornal "Ecos de Portugal".  Maria Amélia Proença passou pelos mais variados locais de actuação desde que se estreou no teatro Casablanca, do Parque Mayer, com apenas nove anos, em 1948.
Na década de 1970 faz as suas primeiras digressões ao estrangeiro, chegando a permanecer 7 meses em Macau e a fazer apresentações na Tailândia, Japão e Singapura. Desde então apresentou-se em espectáculos na Alemanha, França, Holanda, Inglaterra, Angola e Cabo Verde. A nível nacional, participou nos espectáculos organizados pela Lisboa Capital Europeia da cultura, em 1994 ou pela EXPO' 98.
Em 2005 Maria Amélia Proença foi distinguida com o prémio "Carreira" no concurso "Grande Noite do Fado". Em 2014 foi homenageada pelo Café Luso pelos seus 68 anos de Carreira num espectáculo comemorativo integrado nas celebrações do 3 aniversário do Fado como Património Imaterial da Humanidade.
 

Maria Amélia Proença - Fadista
Hugo Edgar - Guitarra portuguesa
Miguel Gonçalves - Viola de Fado
Vasco Sousa - Baixo

 

b31eed29-6ddb-4cd1-91d7-44b76cc30d74.jpg

 

Final Encontros de Fado de Almada - 16 de Junho - José da Câmara

Sendo o mais novo de seis irmãos, José da Câmara é filho de Maria Augusta de Melo de Novais e Ataíde da Câmara e de D. Vicente Maria do Carmo de Noronha da Câmara, tendo nascido em Lisboa no ano de 1967. José da Câmara começou a cantar muito novo, influenciado pelo pai e pelos irmãos, pois todos tocavam viola e cantavam, traduzindo um forte ambiente musical familiar extremamente aliciante. Por graça, começa a cantar uns fadinhos em festas familiares e entre os colegas. Em 1984 canta pela primeira vez no Teatro da Trindade ao que se segue em 1985, o Festival de Música dos Açores, na Ilha Terceira, onde canta com o pai. Em 1986 estreia-se como profissional, ao ser convidado para atracção nacional na revista "Lisboa, Tejo e Tudo", no Teatro Maria Vitória, de César de Oliveira, Fialho Gouveia e Raúl Solnado. José da Câmara ganha, em 1986, o Troféu Nova Gente, Prémio Revelação de Fado. Nesse mesmo ano, pela mão de Mário Martins, assina contrato com a EMI Valentim de Carvalho e em 1988 lança o primeiro registo “José da Câmara”. José da Câmara é autor de vários fados, nomeadamente "À Sombra da Lua", que deu o título ao primeiro disco de Mico da Câmara Pereira. Ao longo do seu percurso, o fadista já contabilizou espectáculos em Espanha, França, Bélgica, Luxemburgo, Itália, Alemanha, Holanda, Áustria, Inglaterra, Moçambique, Marrocos, Canadá, Macau, Coreia do Sul e considera que as mais importantes actuações aconteceram na Europália, na Bélgica e no Festival de Música Clássica de Macau. Actualmente faz parte do grupo “Quatro Cantos”, um modelo diferente de espectáculo de fado e que junta os nomes de António Pinto Basto, Maria Armanda e Teresa Tapadas.

 
Ficha Técnica:
José da Câmara - Fadista convidado
André M. Santos - Viola de Fado
Hugo Edgar - Guitarra Portuguesa
Vasco Sousa – Baixo

 
 

Estoril Sol lança 10ª edição do Prémio Literário Revelação Agustina Bessa-Luís

Agustina Bessa-Luís.jpg

 

No intuito de dinamizar a ficção portuguesa, a Estoril Sol instituiu, novamente, o Prémio Literário Revelação Agustina Bessa-Luís, em homenagem à grande escritora. É de registar que, desde o ano passado, foi abolido do seu Regulamento o limite dos 35 anos de idade, cláusula que o Júri considerou estar a condicionar o aparecimento de novos valores.

 

Com a abolição dessa norma considerada restritiva, a Estoril Sol vai ao encontro do desejo manifestado por numerosos candidatos ao concurso, que se viam impossibilitados de nele participarem. Mantém-se, contudo, a obrigatoriedade do romance concorrente ser inédito, e de autor português, “sem qualquer obra publicada no género”.

 

 A 10ª edição do Prémio Literário Revelação Agustina Bessa-Luís terá o valor de 10 mil euros e, nos termos do Regulamento, será publicado pela Editora Gradiva, que mantém uma parceria com a Estoril Sol, desde o início deste projecto. O júri será presidido por Guilherme D `Oliveira Martins.

 

O Júri, além de Guilherme D`Oliveira Martins, que preside, em representação do CNC – Centro Nacional de Cultura, integra, ainda, José Manuel Mendes, pela Associação Portuguesa de Escritores; Maria Carlos Gil Loureiro, pela Direcção Geral do Livro e das Bibliotecas; Manuel Frias Martins, pela Associação Portuguesa dos Críticos Literários; e, ainda, Maria Alzira Seixo e Liberto Cruz, convidados a título individual e Nuno Lima de Carvalho e Dinis de Abreu, em representação da Estoril Sol.

 

Juntamente com o Prémio Literário Revelação, a Estoril Sol mantém o Prémio Literário Fernando Namora, instituído regularmente desde 1988, e a cujo Júri presidiu, durante vários anos, Agustina Bessa-Luís.

2º Grande Prémio Música Lions

Lions Clubs International
                                     Distrito Múltiplo 115
                  anuncia a realização do 2º Grande Prémio de Música Lions

gpm.png

 


 
Dia 1 de Abril, às 14H00, realiza-se nas instalações da Escola Superior de Música de Lisboa (ESML), a final do 2ª Grande Prémio de Música Lions, que este ano tem como instrumento o Trompete.
 
Dez jovens finalistas – André Santos, Bruno Almeida, Bruno Silva, Carlos Leite, Francisco Carneiro, Inês Pinto, João Carreiras, José Ribeiro, Nuno Pinho e Vasco Moreira – todos estudantes de música, de nacionalidade portuguesa e com idades compreendidas entre os 17 e os 23 anos, irão interpretar a peça obrigatória “ Concerto em Ré menor 1º movimento (10"), da autoria do compositor russo Vladimir Peskin (1905-1988), perante um conceituado Júri composto por Trompetistas reconhecidos internacionalmente e Professores (Orquestra Gulbenkian, Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música e Orquestra Sinfónica Portuguesa - Escola Superior de Música de Lisboa, Academia Nacional Superior de Orquestra) – Stephen Mason, David Burt, Sérgio Pacheco, Pedro Monteiro e Tiago Neto.  
 
O Vencedor irá receber um prémio no valor de 1.500 Euros e representará Portugal no Concurso Europeu de Música Lions, Prémio Thomas Kuti, que este ano se realiza em Montreux, Suiça, em Setembro próximo.   
 
Inovar, Agir, e Trabalhar para o Bem-Estar e desenvolvimento intelectual do Homem, são Ideais do Compromisso Lions. Para os Jovens, o Lions tem uma abordagem adaptada que facilita o acesso à cultura, promovendo a Juventude e os Jovens talentos.
 
Sobre Lions Clubs International
Lions Clubs International é a maior organização de clubes de serviço no mundo. Os nossos 1,400 milhões de associados em mais de 46.000 clubes, servem comunidades de mais de 200 países e regiões geográficas de todo o mundo. Desde 1917, os Lions clubes auxiliam cegos e deficientes visuais, defendem iniciativas voltadas aos jovens e fortalecem as comunidades locais através de serviços práticos e projectos humanitários. Atualmente, o foco dos Lions está na comemoração do Centenário que se prolonga até Junho de 2018 – celebramos os 100 anos que mudaram vidas a nível global por meio do Serviço humanitário; é uma época para apreciar esse marco, comemorar o legado Lions e aguardar o próximo século de Serviço, rumo do Serviço a 200 milhões de pessoas por ano até 2021, através da nova estrutura de Serviços globais que direciona os nossos esforços para cinco áreas de serviço: Visão, Fome, Meio Ambiente, Cancro Pediátrico e Diabetes. 

Estoril Sol relança Prémios Literários em homenagem a Agustina Bessa-Luís e Fernando Namora

 

Agustina Bessa-Luís.jpg

 

Fernando Namora 2.jpg

 

A Estoril Sol volta a instituir, este ano, o Prémio Literário Revelação Agustina Bessa-Luís e o Prémio Literário Fernando Namora, em homenagem aos dois grandes escritores de Língua Portuguesa. Em relação ao Prémio Revelação, é de registar que, desde o ano passado, foi abolido do seu Regulamento o limite dos 35 anos de idade, cláusula que o Júri considerou estar a condicionar o aparecimento de novos valores.

 

Com a extinção dessa norma considerada restritiva, a Estoril Sol corresponde, assim, aos pedidos manifestados por numerosos candidatos que estavam impossibilitados de participar no concurso.

 

Mantém-se, contudo, a obrigatoriedade do romance concorrente ser inédito, e de autor português, “sem qualquer obra publicada no género”.

 

A 10ª edição do Prémio Revelação Agustina Bessa-Luís terá o valor de 10 mil euros e, nos termos do Regulamento, será publicado pela Editora Gradiva, de acordo com o protocolo existente com a Estoril Sol.

 

Guilherme D `Oliveira Martins preside ao júri, comum aos dois Prémios Literários da Estoril Sol, uma das mais prestigiadas iniciativas que integram o calendário de eventos com relevância cultural.

 

Juntamente com o Prémio Literário Revelação, é mantido o Prémio Literário Fernando Namora, instituído regularmente desde 1988, e cujo Júri foi presidido, durante vários anos, por Agustina Bessa-Luís e, posteriormente, por Vasco Graça Moura.

 

O Prémio Literário Fernando Namora, reservado a romances publicados, e com periodicidade anual, tem o valor de 15 mil euros. Recorde-se que foi Afonso Cruz, com o seu romance "Flores", o vencedor no ano passado.

 

O Júri, além de Guilherme D`Oliveira Martins, que preside, em representação do CNC – Centro Nacional de Cultura, integra, ainda, José Manuel Mendes, pela Associação Portuguesa de Escritores; Maria Carlos Gil Loureiro, pela Direcção Geral do Livro e das Bibliotecas; Manuel Frias Martins, pela Associação Portuguesa dos Críticos Literários; e, ainda, Maria Alzira Seixo e Liberto Cruz, convidados a título individual e Nuno Lima de Carvalho e Dinis de Abreu, em representação da Estoril Sol.

 

Entretanto, expira a 31 de Maio o prazo de recepção das obras originais para a 10ª edição do Prémio Literário Revelação Agustina Bessa-Luís e dos romances publicados para a 20ª edição do Prémio Literário Fernando Namora.

Open Call: Música / Sound Art @ Reservatório do Alto da Paiva, Barreiro

OPEN CALL.jpg

 

A OUT.RA - Associação Cultural associa-se ao Município do Barreiro nas comemorações que assinalam, em 2017, os 80 Anos da Rede Pública de Abastecimento de Água do Concelho. 
 
Neste contexto, e inserido num programa de actividades mais vasto construído na relação entre a Água e o Som, convocamos artistas portugueses e internacionais a submeter propostas de performance de música e/ou arte sonora a serem apresentadas no Reservatório de Água do Alto da Paiva, no final do mês de Maio (dias 27 e 28).
 
O reservatório é uma estrutura vertical com 4 pisos circulares, com capacidade para aproximadamente 30 pessoas, sendo que a cada artista será atribuído um piso para a sua performance específica, com uma duração máxima de 25min. Cada performance será repetida 3 a 4 vezes, ao longo de dois dias.
 
Os artistas podem apresentar propostas que façam uso do arquivo sonoro construído em captações nos vários locais que compôem a Rede de Abastecimento (que disponibilizaremos a pedido), ou podem utilizar exclusivamente as suas próprias fontes sonoras ou instrumentos.
 
Será atribuída a cada artista uma bolsa no valor de 500€ (que inclui apoio à criação, produção e apresentação da performance, deslocações e refeições), bem como alojamento até um máximo de 5 dias (inclui preparação, montagens e actuações) e refeições nos dias das performances.

 


ECOart | Inscrições até 31 de março

Cartaz_concurso_EcoArt.jpg

 

 

No âmbito do evento Eco Fashion, que terá lugar a 27 de maio, a Câmara Municipal do Barreiro, em parceria com a AMARSUL, organiza um concurso dirigido a artistas plásticos, com o objetivo de desenvolver uma escultura, com material reciclado, relacionado a questões ambientais. O Concurso ECOart é aberto a todos os artistas nacionais e estrangeiros, sendo aceites trabalhos individuais ou coletivos.

 

Os projetos/ maquetes devem ser entregues no Posto de Turismo, sito no Mercado Municipal 1º de Maio, Avenida Alfredo da Silva, Barreiro, até dia 31 de março de 2017, de acordo com o horário de funcionamento: de terça-feira a sábado das 9h30 às 13h00 e das 14h30 às 18h00.

 

O júri será composto por:

  • Um representante da Câmara Municipal do Barreiro;
  • Um representante da AMARSUL;
  • Um artista plástico.

 

 

As Normas de Participação do Concurso de Esculturas Recicladas podem ser consultadas em http://www.cm-barreiro.pt/frontoffice/pages/792?news_id=6206.

 

CMB

Concurso Grande Marcha de Lisboa 2017

image004.jpg

 

A EGEAC apresenta o Concurso Grande Marcha de Lisboa

O prazo de entrega termina a 22 de fevereiro

 

Estão abertas as candidaturas para a composição da letra da Grande Marcha de Lisboa 2017, cujo vencedor ganhará um prémio no valor de €5.500 (Cinco mil e quinhentos euros).

 

A EGEAC convida, assim, todos os autores a comporem a letra e a música da Grande Marcha de Lisboa que este ano deverá incluir os temas «Lisboa» e ainda «Atlântico, mar de encontros», no âmbito de Passado e Presente - Lisboa, Capital Ibero-americana de Cultura.

 

Como já vem sendo tradição, a canção vencedora, que animará a cidade nas Festas de Lisboa, será interpretada por todas as marchas participantes, quer na exibição no Meo Arena, quer na noite de 12 de junho, na Avenida da Liberdade.

Os candidatos devem entregar as suas propostas até ao próximo dia 22 de fevereiro.

 

Todas as informações e condições de participação no Concurso da Grande Marcha de Lisboa 2017 devem ser consultadas no regulamento em anexo ou em http://www.egeac.pt/concurso-grande-marcha-de-lisboa-2017/.

 

 

 

ConcursoINATEL_TeatroNovosTextos2016_2017

image001.jpg

 

Concurso Inatel | Teatro Novos Textos 2016/2017

 

A Fundação INATEL com o intuito de estimular a escrita dramatúrgica e aparecimento de novos autores, criou em 1991 o Concurso INATEL | Teatro Novos Textos.

 

Em 2016/2017 decorre a XX Edição deste concurso que é um dos mais antigos na área da escrita para teatro e que tem duas vertentes, Grande Prémio INATEL e Prémio Miguel Rovisco, destinado a jovens dramaturgos até aos 25 anos.

 

O Júri é constituído pela atriz e encenadora Natália Luiza, a escritora Dulce Maria Cardoso e o crítico teatral João Carneiro.

 

A entrega dos originais decorre até ao dia 13 de janeiro de 2017 e poderá ser feita na sede da Fundação INATEL ou nas suas Unidades Orgânicas Locais.