Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Conta-me estórias com coração

10 de Fevereiro de 2012

Das 19 às 22h

 

Café Tati

Rua da Ribeira Nova 36, R/c

Lisboa

 

 

No Café Tati dizem que o amor anda no ar por isso convidaram a lua para se refletir nas águas do tejo, o vento para soprar de mansinho nas árvores ao redor e as estrelas para brilharem no céu. O ambiente está criado, por isso pedem-vos que entrem, se aconcheguem, bebam um chocolate quente, e, de mãos dadas com a vossa cara metade ouçam histórias na voz de Bruno Batista, que vos levarão à terra dos apaixonados. A noite é de encantamento e a “Estórias de se tirar do chapéu” em conjunto com a escritora Fátima Effe prometem contos originais e inéditos, mas sempre com o amor como tema, por isso se estás apaixonado vem sonhar connosco, senão estás, junta-te à festa, e talvez saias bem acompanhado. / Marg Martins

Fonte: LeCool

Shot Stories

26 de Novembro de 2011

23h

 

Bar A Barraca

Teatro A Barraca

Largo de Santos 2

 

 

Se estás sedento de histórias cuja criatividade a crise ainda não afectou e achas que a melhor maneira de combater a austeridade é afogando as mágoas, então o melhor é atirares-te a uma rodada de shotstories servidas pela destreza mental e o arguto sentido de humor do “barmanarrador” Francisco Gomes.  Vai ser bar aberto de histórias até fartar vilanagem, sem perigo de, no final, ficares com a boca a saber a papel de música. Não és homem não és nada, se não conseguires beber todas de penalti! / Francisca Carvalho

Hora do Conto

26 de Novembro de 2011

das 11 às 12h30

 

Instituto Francês de Portugal, Av. Luís Bivar 91

 

 

 

Era uma vez um reino em que não existiam segundas-feiras, horários e chapéus de chuva. Havia chuva e galochas com pinta, isso sim, mas os chapéus de chuva é que eram considerados aberrações pouco práticas quando um dos pontos altos do dia era chapinhar em poças. As manhãs começavam muito mais tarde e os parquímetros estavam sempre enferrujados. Estar despenteada era sinal de sabedoria e vivacidade e era um comportamento francamente apreciado. Era uma vez um reino em que os bróculos engordavam ou eram pecado ou outra coisa qualquer que não valia assim tanto a pena. As pessoas eram barulhentas e caóticas e os pontuaizinhos eram olhados de lado, como convém. Era uma vez uma reino em que se perdia imenso tempo e as pessoas encolhiam os ombros e riam e piscavam um olho e diziam “Vou fazer o quê com ele?”. / Inês Alvim

Fonte: LeCool

Espelho meu, em que conto me vejo eu?


SERÃO de CONTOS  com Silvia Romero e Bruno Batista




Centro Cultural de Carnide, dia 18 de Novembro, 21.30 horas

Organização: Estorias de se Tirar do chapeu


Um conjunto de contos, essencialmente de autor, onde se reflectem sonhos,
memórias, emoções e fragmentos de vida
que, inevitavelmente, narram também as nossas próprias  histórias.

  Um convite a percorrermos variados cenários e perspectivas para que, no final,
possamos encontrar o caminho mais próximo para nós mesmos.



 

 
Entrada Livre. Mais Informações: estoriasdochapeu@gmail.com / 93 659 95 08 / Centro Cultural de Carnide: 93 614 07 27

 

“Castelos no Ar” em Palmela

Castelo de Palmela recebe contadores de contos

Fantasia e boa-disposição dominam próximo fim-de-semana

 

Nos dias 23 e 24 de Julho, o programa “Castelos no Ar” é dedicado ao tema Contos, com iniciativas para todos os públicos. Ao percorrer os diversos espaços do Castelo de Palmela, cruzamo-nos com pequenas estórias do quotidiano, que nos divertem e emocionam, e surpreendemo-nos com as novas roupagens dos contos milenares, que nos têm encantado ao longo dos tempos.

“Estórias de Engraxar” pela FIAR, Associação Cultural, “Cantadora de Contos” por Genoveva Faísca e uma sessão de “Contos Populares” com o humorista Jorge Serafim animam o próximo fim-de-semana no Castelo de Palmela, numa organização da Câmara Municipal. Entrada livre.

 

 

23 e 24 Julho | 16h30 | Vários Locais do Castelo

“Estórias de Engraxar” pela Fiar

Estreado no FIAR em 2010, “Estórias de Engraxar” situa-se no território das linguagens performativas, cruzando a escrita, o teatro e a arte de contar. Esta proposta valoriza um encontro de proximidade entre a cena e o público, de forma a privilegiar um tom intimista, uma partilha de vivência e
confidências.

 

23 e 24 Julho | 18h00 | Igreja de Santiago

“Cantadora de Contos” por Genoveva Faísca

M/3

A “Cantadora de Contos” tem sempre novas histórias para contar, umas acabadinhas de fazer (há 500 anos ou mais), outras tão velhas como o ser humano (estas nascerão dentro em pouco).
Saindo quer dos labirintos dos cérebros da “Cantadora” e do público, quer dos mil livros, livrinhos e livrões que não a largam nem para dormir, estes contos cantados (serão cantos contados?) são inúmeros.

 

23 Julho | 22h00 | Igreja de Santa Maria (espaço ao ar livre)

Jorge Serafim

M/12

Narrador de histórias rocambolescas, onde habitam personagens pitorescos em situações que não lembram nem ao diabo, Jorge Serafim gosta de as temperar com uma pitada de absurdo e mais duas de imprevisto. Depois de elas lhe tomarem o gosto, refoga-as com muita sátira aos bons e maus costumes, não se lhe escapando nada nem ninguém nem pelo buraco de uma agulha. Arremata o suculento, cozinhando com um polvilhado de Stand Up, mais uns baguinhos de non-sense e finalmente, confeccionadas que estão as supostas gargalhadas, é favor rir a bandeiras despregadas...

 

"Há Monstros no Fórum": Cocas e Dragões

23 de Maio de 2010

11h

 

Fórum Cultural José Manuel Figueiredo
Baixa da Banheira

Há muitos e muitos anos, S. Jorge, valoroso cavaleiro de coração puro, lutou e venceu um terrível dragão. Pequenos Cavaleiros preparem-se! Novos dragões invadiram os nossos domínios e precisamos de toda a vossa força, inteligência e coragem para o vencermos.

Gratuito mediante inscrição prévia

CONTA-ME HISTÓRIAS

29 de Maio

CASA DAS HISTÓRIAS PAULA REGO
Av. da República, 300 – Cascais
214 826 970

A partir da obra de Paula Rego evocam-se as histórias que inspiraram a artista.
 
Branca de Neve
A partir dos contos de fadas ou filmes da Walt Disney, Paula Rego cria obras de forte teor narrativo, ligando-se a tradições artísticas antigas. Das grotescas Avestruzes Dançarinas que não conseguem voar à narrativa familiar e da história da Branca de Neve e os Sete Anões descobrimos novas histórias recontadas pela artista.
 
Nesta sessão do Conta-me histórias será contada pelo actor e professor Raul Oliveira a história da Branca de Neve.
 
Trata-se de um conto de fadas, compilado pelos irmãos Grimm num livro intitulado Kinder-und Hausmaërchen (Contos de Fada para Crianças e Adultos), publicado entre 1812 e 1822.

16h