Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Casa da Cultura de Setúbal - 14 de Outubro

Casa da Cultura.jpg

 

A partir de dia 14 de Outubro, a Casa da Cultura, em Setúbal, vai receber as “Conversas de Ponta”, um ciclo de debates que se propõe lançar a discussão sobre temas tão diversos como a teoria da relatividade, os paradoxos matemáticos, as vacinas, as fronteiras da arte e a inteligência artificial, a sexualidade na antiguidade clássica ou a justiça ambiental.

A iniciativa conta com a participação de artistas, escritores, professores e cientistas. Alexandra Lopes, Alexandra Sousa, António Galrinho, Carla Gomes, Fayaz Bahadurali, Fernando Alpiarça, João Paulo Maia, Mónica Pina e Pedro Lima são alguns dos nomes que darão corpo a esta série de eventos. 

O objetivo dos debates, abertos à participação de todos os interessados, é estimular a reflexão e o pensamento crítico em áreas ‘de ponta’ com implicações sociais profundas, que têm passado por mudanças rápidas ao longo das últimas décadas. 

A primeira conferência, dedicada ao tema da “Literatura e Ética”, conta com a participação de Alexandra Lopes e a moderação de João Paulo Maia, e terá lugar no dia 14 de Outubro (15h00). Alexandra Lopes – licenciada em Línguas e Literaturas Modernas (FL-ULisboa) e Mestre em Estudos Portugueses (FCSH-UNL) – dedica-se à investigação e ao ensino da literatura. Nesta primeira “conversa de ponta”, intitulada “Propaganda, autoconvencimento e outras malevolências discursivas”, a análise de um conto de Rui Zink, “Amanhã chegam as águas”, é o mote para uma reflexão sobre polémicas mediáticas e as diversas formas de propaganda que estas projetam, incluindo as mais subtis.

Segue-se, a 16 de Dezembro, João Paulo Maia, que nos desafia a refletir sobre os limites éticos da liberdade de expressão, na era da internet e dos media sociais. A partir do próximo ano, as “Conversas de Ponta” vão realizar-se todos os meses, estando previsto que o ciclo se prolongue até ao Verão de 2018.

"Palavras na Nossa Terra" Teixeira de Pascoaes | Biblioteca Municipal de Pinhal Novo - 29 de setembro

“Palavras na Nossa Terra” recorda Teixeira de Pascoaes

 

Teixeira de Pascoaes.jpg

 

A vida e obra de Teixeira de Pascoaes é destacada num encontro a realizar no dia 29 de setembro, à noite, na Biblioteca de Pinhal Novo, no âmbito do projeto municipal “Palavras na Nossa Terra”.Nesta tertúlia poética do projeto, agendada para as 21h00, e de entrada livre, as/os participantes são convidadas/os a ouvir, escrever, ler ou dizer poesia.

O homenageado, Teixeira de Pascoaes - pseudónimo literário de Joaquim Pereira Teixeira de Vasconcelos - nasceu em Amarante a 8 de novembro de 1877 e foi responsável pela doutrina do Saudosismo, porque entendia ser esta caraterística, a saudade, o principal traço da alma portuguesa.Licenciou-se em Direito na Universidade de Coimbra em 1901, regressando nesse mesmo ano à sua cidade natal, para exercer advocacia. Em 1906, mudou-se para o Porto, onde conheceu os escritores Leonardo Coimbra, Raul Brandão, Jaime Cortesão e António Patrício.Cinco anos depois, em 1911, foi nomeado juíz substituto em Amarante, cargo que exerceu durante dois anos. Mais tarde, abandonou a carreira judicial, refugiando-se na Casa de Pascoaes, um solar do século XVII, pertencente ao avô paterno, para procurar uma vida solitária, em sintonia com a Natureza.Esta mudança decorreu num período de grandes alterações políticas em Portugal, com o fim da monarquia e a revolução de 1910, data em que o poeta e pensador, admirador confesso de Guerra Junqueiro (próximo homenageado de “Palavras na Nossa Terra”, no dia 27 de outubro) viria a lançar a revista Águia, publicação que suportava os ideais do movimento cultural “Renascença Portuguesa”.Com a poesia sempre presente, dedicou a última fase de produção  literária a construir uma série de biografias romanceadas de personalidades históricas, como Camilo Castelo Branco, Napoleão Bonaparte, Santo Agostinho, São Jerónimo e São Paulo. Pascoaes morreu aos 75 anos, vítima de tuberculose, na extinta freguesia de Gatão, no concelho de Amarante, meses depois da morte da mãe, em 1952. 

Esta sessão do projeto “Palavras na Nossa Terra” dá continuidade ao projeto de promoção da poesia e da leitura, iniciado em 2015 pela Câmara Municipal de Palmela. Sophia de Mello Breyner, Florbela Espanca e Pedro Tamen são alguns dos nomes a quem já foram dedicados encontros, este ano.

 

"Palavras na nossa terra" - Encontro sobre Pedro Tamen | 28 de julho, 21h00

 

 

“Palavras na nossa terra” propõe

viagem pela poesia de Pedro Tamen na Biblioteca Municipal de Pinhal Novo

 

 

A vida e obra de Pedro Tamen está em destaque no encontro a realizar no serão de dia 28 de julho, na Biblioteca Municipal de Pinhal Novo, no âmbito do projeto “Palavras na Nossa Terra”.

Nesta tertúlia poética do projeto promovido pela Câmara Municipal de Palmela, agendada para as 21h00, com entrada livre, as/os participantes são convidadas/os a ouvir, escrever, ler ou dizer poesia.

O poeta homenageado, Pedro Mário Alles Tamen, nascido em Lisboa a 1 de dezembro de 1934, é um poeta e tradutor, tendo ocupado, também, a função de administrador da Fundação Calouste Gulbenkian.

Licenciado em Direito pela Universidade de Lisboa, Pedro Tamem codirigiu as revistas Anteu e Flama. Lecionou no ensino secundário, fez crítica literária no semanário Expresso e foi presidente do PEN Clube Português, entre 1987 e 1990.

Como poeta, escreveu “Poema para Todos os Dias”, “O Sangue, a Água e o Vinho”, “Escrito de Memória”, “Os Quarenta e Dois Sonetos”, “Horácio e Coriáceo”, “Princípio de Sol”, “Guião de Caronte”, “Retábulo das Matérias”, “Analogia e Dedos” e “Teatro às Escuras”.

O poeta já recebeu diversas distinções, como o Prémio da Crítica e o Grande Prémio Inapa de Poesia, ambos em 1991, e o Prémio PEN Clube, em 2000.

Esta sessão do projeto “Palavras na Nossa Terra” dá continuidade ao projeto de promoção da poesia e da leitura, iniciado em 2015. Sophia de Mello Breyner e Florbela Espanca são alguns dos nomes a que já foram dedicados encontros, este ano.

 

 

Lixo marinho em debate no próximo Dia C

Ecra-DiaC_2017-Junho-convite.png

 

 

 

Que medidas estão a ser tomadas para lidar com o lixo marinho?

Esta quinta-feira, 29 de Junho, às 19.30, no Pavilhão do Conhecimento - Centro Ciência Viva, Limpar o oceano: redução do lixo marinho é o ponto de partida para a conversa do Dia C do mês de Junho. São as oradoras convidadas Paula Sobral, da Associação Portuguesa do Lixo Marinho, e Sandra Castro, da Extruplás.

O lixo marinho é uma das principais ameaças à saúde dos oceanos: alastra pela cadeia alimentar contaminando organismos com compostos tóxicos; causa a morte de animais, sufocados por partículas ou enredados em objectos maiores; interfere com a biodiversidade, prejudicando a sobrevivência de algumas espécies e fomentando o crescimento de outras populações; pode inviabilizar pescas, transportes, turismo, lazer e outras actividades humanas.

Nesta edição do Dia C discutiremos o que pode ser feito para reduzir ou gerir o lixo de origem humana, acumulado no oceano e nas zonas costeiras. Que medidas exequíveis permitirão conter este problema? O que pode ser feito a montante, na produção e consumo de massa? Como estão a ser envolvidas a população e as diferentes partes interessadas?

Os participantes terão ainda a oportunidade de visitar a exposição Um Oceano sem Plástico e ficar a conhecer os efeitos dos plásticos no oceano.

O Dia C: Desafios para a sustentabilidade é um ciclo de conversas inspiradas nos objectivos para o crescimento sustentável da ONU.

A entrada na conferência é gratuita mediante inscrição prévia em www.cienciaviva.pt.

Esta iniciativa tem como media partner o jornal Público.

Atividades no Convento Madre de Deus da Verderena

 

Exposições no Claustro do Convento

 

- Embarcações Tradicionais do Tejo no Concelho do Barreiro

19 de junho a 31 de agosto

 

- Álvaro Velho do Barreiro

  2 de outubro a 29 de dezembro de 2017

 

 

Horário: dias úteis, das 9h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30.

 

Entrada Livre

 

 

Tertúlias no Convento

Ao Encontro de…

 

Cartaz Tertulias Poéticas 7.jpg

 

24 abril | 15h00 | “Memórias de África”

Integrada nas comemorações do 25 de Abril

Convidado – José Espadeiro

 

22 maio | 15h00 | “Os Poetas do meu livro de escola”

Comemorativa do Dia do Autor Português

Convidada – Paula Leite

Participação de alunos da disciplina de Cante Alentejano da UTIB

 

26 junho | 15h00 | “Património Cultural do Barreiro”

Convidada – Carla Marina Santos

Integrada nas comemorações do Dia da Cidade

 

Capela Grande do Convento da Madre de Deus da Verderena

 

Mais informações 21 206 8654

 

CMB

(Quase) Toda uma vida - A conversar como quem canta, Celeste Rodrigues e Anabela Mota Ribeiro

phpThumb_generated_thumbnailjpg.jpg

 CCB

3 de junho | 17:00 | Sala Sophia de Mello Breyner Andresen


Podia não ter sido artista de variedades, como dantes se usava na carteira profissional, não podia não cantar. Em casa, cantavam, muito, desde sempre. Cantavam como quem partilha, comunica, está. Mais do que a irmã, Amália, é a voz da mãe que elogia como a mais bonita do mundo.
Entrada Livre

Sara Prata, Sílvia Rizzo, Margarida Rebelo Pinto, Chef Rui Paula e Gany Ferreira partilham histórias no “Conta-me Tudo”

Evento de storylistening com edição especial Masterchef

 

Conta-mejpg.jpg

 


 

Esta sexta-feira, dia 26 a partir das 22h o Fontória Club recebe uma edição especial do “Conta-me Tudo” com convidados vindos directamente do Masterchef Celebridades. Sara Prata, Sílvia Rizzo, Margarida Rebelo Pinto, Chef Rui Paula e Gany Ferreira vão partilhar as suas histórias mais emocionantes numa noite conduzida por David Cristina.

 

Histórias emocionantes, das lágrimas ao riso, histórias de alegria e de tristeza, feitos heróicos ou momentos embaraçosos. Histórias de superação ou de simples parvoíce. Histórias genuínas. Assim é o "Conta-me Tudo", o espaço de storylistening da cidade de Lisboa que é também um podcast e um programa de televisão no Canal Q.

 

Os bilhetes custam €10 e podem ser adquiridos no Ticketline aqui.

 

“Conta-me Tudo” é um projecto de storytelling desenvolvido por David Cristina, João Dinis e Pedro Górgia. Todos os meses 4 a 5 convidados partilham as suas histórias com a audiência e durante as semanas seguintes as histórias são partilhadas em formato de podcast. Os podcasts do “Conta-me Tudo” ultrapassam já os 20 mil downloads por mês.

Risco sísmico e costeiro em debate no próximo Dia C

DiaC_Maio_2017_PavConhecimento-convite.png

 

 


O que está a ser feito para gerir o risco sísmico ou o risco costeiro? Em que medida está a comunidade envolvida na antecipação, mitigação e resposta a estes riscos?

Esta quinta-feira, 25 de Maio, às 19.30, Esperar o pior: a gestão do risco vai estar em debate no Pavilhão do Conhecimento, na edição deste mês do Dia C. São oradores convidados Mário Lopes, do Instituto Superior Técnico, e José Luís Zêzere, da Universidade de Lisboa.

Os riscos de origem natural podem ser agravados ou diminuídos conforme a qualidade do ordenamento territorial e urbanístico, da preparação da população e das medidas de limitação de danos.

A faixa costeira de Portugal Continental está sujeita a vários riscos - erosão costeira, inundações e galgamentos, maremotos, acidentes de poluição, degradação ambiental com impacto na qualidade das águas, etc. Podemos esperar que todos estes riscos se intensifiquem com a crescente concentração de populações no litoral e com o agravamento das alterações climáticas.

Devido à sua localização, o nosso território tem sofrido os efeitos de sismos de magnitude moderada a forte, com danos significativos em cidades e vilas do país. Para os sismólogos, é quase certo que o território volte a sofrer um sismo de magnitude como o de 1755 - mas não é possível dizer quando.

O Dia C: Desafios para a sustentabilidade é um ciclo de conversas inspiradas nos objectivos para o crescimento sustentável da ONU.

A entrada na conferência é gratuita mediante inscrição prévia em www.cienciaviva.pt.

Esta iniciativa tem como media partner o jornal Público.

(Quase) Toda uma Vida - Anabela Mota Ribeiro conversa com Eduardo Lourenço - CCB

phpThumb_generated_thumbnailjpg.jpg

 

7 de maio | 17:00 | Pequeno Auditório
(Quase) Toda uma vida
Anabela Mota Ribeiro conversa com Eduardo Lourenço
Eduardo Lourenço é um homem que lida com as ideias, um homem que se interessa por tudo, que se espanta com o mundo a acontecer. A heterodoxia é uma marca sua, na forma original como pensa o mundo, como nos pensa a nós, Portugal, e não só. Por motivos alheios à Fundação CCB o Arquiteto Siza Vieira não poderá estar presente, conforme foi anunciado, sendo antecipada assim a conversa com o Professor Eduardo Lourenço.
Entrada Livre

CTE vai na Conversa...CARLOS ALBERTO MONIZ | SÁB 29 ABR | 22H00

image002.jpg

 

 

 

O Café-Concerto do Cine-Teatro de Estarreja acolhe conversas descontraídas, sobre os mais diversos temas,

por oradores descontraídos, para a partilha de ideias com um denominador comum de uma força invulgar:

a palavra.

 

Carlos Alberto Moniz é o senhor que se segue. No próximo sábado, dia 29 de abril pelas 22h00, o Café-Concerto

do Cine-Teatro de Estarreja acolhe o músico, compositor, maestro, apresentador, um artista cujo talento não cabe

nas páginas deste post’it. Um conversador bem-humorado, que pintalga as suas palavras com grandes canções.

Uma história de vida cativante, que ilustra o percurso cultural de um povo.

 

Deixe-se ir na conversa… não se vai arrepender!