Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Semana da Cultura Coreana no Museu do Oriente | Programa gratuito de 15 a 20 de Outubro

Programa gratuito de 15 a 20 de Outubro

Semana da Cultura Coreana no Museu do Oriente

Ganggangsullae.jpg

 

 

Workshops de caligrafia e de estilos instrumentais, artes marciais, danças tradicionais e espectáculos são algumas das actividades gratuitas que fazem parte da Semana da Cultura Coreana, a decorrer no Museu do Oriente de 15 a 20 de Outubro.

 

A programação arranca no domingo, dia 15, com o workshop de Tambor Nanta, uma das danças com instrumentos musicais mais populares da Coreia. O traje tradicional da Coreia, o Hanbok, que se caracteriza pelas cores vibrantes, protagoniza um desfile com a assinatura do estilista Youngjin Jin. No mesmo dia decorre também uma Experiência de Hanbok, na qual os participantes podem trajar a rigor e tirar uma fotografia como recordação da sua “viagem à Coreia”. Esta experiência estará disponível durante toda a semana.

 

Um encontro entre a música tradicional coreana e o K-Pop, no workshop de Pansori, e a exibição do aclamado filme “Primavera, Verão, Outono, Inverno … e Primavera”, do realizador sul-coreano Kim Ki-Duk, são outras sugestões para esta tarde.

 

Já no dia 16, destaca-se o espectáculo lírico e coreográfico “Flor da Alma - Li-Tsi”, interpretado pelo Grupo Oulime e com direcção da coreógrafa Jae Hyun Na. É retratada a história do trágico amor entre Li-Tsin, uma dançarina da corte e o seu amante francês, misturando história, lenda e o encontro de duas culturas, ao som de instrumentos tradicionais coreanos e clássicos ocidentais.

 

Ao longo da semana há ainda muitas outras sugestões para descobrir do Museu do Oriente, como os workshops de Bojagui (patchwork tradicional da Coreia), de Dança, de Caligrafia Hangeul, Máscaras Talchum, as técnicas artísticas de Hanji Gongye, Taekwondo, Flauta de Bambu Danso ou Dança de Ganggangsullae (Património Oral e Imaterial da Humanidade).

 

A Semana da Cultura Coreana termina na sexta-feira, dia 20, com uma conferência pelo embaixador da República da Coreia em Portugal, Chul Min Park. Com o tema “A Minha Coreia”, irá abordar o passado e presente do país e também a sua visão para o futuro do território.

 

As actividades que integram a Semana da Cultura Coreana são de participação gratuita, mediante inscrição, excepto a Experiência de Hanbok e os workshops de dia 15 de Outubro, que são organizados por ordem de chegada.

 

SEMANA DA CULTURA COREANA

15 a 20 de Outubro

Gratuito, mediante inscrição

(excepto Experiência Hanbok e workshops de dia 15 de Outubro, com entrada por ordem de chegada)

 

 

 

 

 

Serviço Educativo [UMA DANÇA POR MÊS] OUTUBRO Ballet Contemporâneo do Norte

46a8b312-9a76-4fae-9319-57dfa8a4a16e.jpg

 

21 Outubro
Authentic Solo Jazz
com Pedro Vieira
10h - 12h30
Sala de Ensaio do Cineteatro António Lamoso

 

Público alvo: 12 aos 65 anos
Entrada livre mediante inscrição
Inscrição através do email: bcnproducao@gmail.com
Limitado a 30 participantes


Uma Dança por Mês é um ciclo de encontros de experimentação de uma determinada técnica de movimento ou prática da dança.
Este ciclo  visa promover a construção de um lugar comunitário para a experimentação e entendimento do movimento.

O Authentic Jazz Dance tem como raizes as danças Afro-Americanas surgidas nos finais de 1800. A modalidade teve o seu auge a partir de 1920, na época das Big Bands, tendo contado com alguns grandes nomes como Albert ’Al’ Minns e Leon James para a sua divulgação internacional. Pode ser dançado a pares ou a Solo e inclui passos do Charleston e outros que lembram um pouco o Sapateado. Usa-se o termo Authentic Jazz por constituir as raízes do Jazz, diferenciando-se bastante de danças Jazz modernas como a dança Contemporânea e o Ballet.

Pedro Vieira, nascido em Lisboa em 1995, reside no Porto desde 2004. Iniciou-se nas danças Swing em 2012, recebendo formação na escola de danças vintage SwingStation. Começou a dar aulas de Lindy Hop durante o ano de 2013 e de Authentic Jazz em 2014, dando atualmente aulas de ambas as modalidades na escola Hop Dance Studio. Participou em festivais de dança em Portugal e Espanha, tendo sido convidado para dar aulas de Lindy Hop em festival internacional na Polónia.

 

DançArte: Projeto Eira 2017 | Estreia 14 e 15 de outubro - Cine-teatro S. João

DançArte: Projeto Eira 2017

Património, folclore e etnografia misturam-se na dança

 

Searar.jpg

 

 

A DançArte/Passos e Compassos apresenta, a 14 e 15 de outubro, no Cine-teatro S. João, em Palmela, um espetáculo de dança contemporânea baseado no património, na etnografia e no folclore, no âmbito do projeto Eira – criação 2017. “Se…arar” é o título do espetáculo a apresentar pela companhia residente no Cine-teatro S. João, nos dias 14, às 21h30, e 15, às 17h00.

A produção da DançArte - uma espécie de diálogo entre o presente e o futuro, com direção de António Machado e Sofia Belchior, figurinos de Zé Nova e interpretação por Inês Maló, Ivanoel Tavares, José Lobo, Ricardo Mondim e Rita Pinto – conta, ainda, com a participação de ranchos folclóricos do concelho.

O espetáculo, organizado com os apoios do Município de Palmela, do Secretário de Estado da Cultura, da DGArtes – Direção-Geral das Artes e da Fundação Buehler-Brockhaus, tem o preço de 5 euros, sendo que as/os menores de 25 anos e as/os maiores de 65 beneficiam de um desconto de 1 euro. Os ingressos podem ser adquiridos na bilheteira do Cine-teatro S. João, a funcionar das 09h00 às 12h00 e das 13h30 às 16h00, e com o telefone 212 336 630. Informações em www.passosecompassos.pt.

“Se...arar” é o primeiro momento deste espetáculo, que regressa em novembro com “Se...mentes”.

 

Ficha artística:

 

Ideia e Direção: António Machado e Sofia Belchior

Coreografia: Sofia Belchior e intérpretes

Composição e interpretação musical: António Machado

Figurinos: Zé Nova

Design: Utopia Designers

Design web: João Belchior

Interpretação: José Lobo, Inês Maló, Ivanoel Tavares, Ricardo Mondim e Rita Pinto

Registo fotográfico: Carlos Teixeira

 

 

DançArte: Projeto Eira 2017 | Estreia 14 e 15 de outubro - Cine-teatro S. João

DançArte: Projeto Eira 2017

Património, folclore e etnografia misturam-se na dança

 

 

Searar.jpg

 

A DançArte/Passos e Compassos apresenta, a 14 e 15 de outubro, no Cine-teatro S. João, em Palmela, um espetáculo de dança contemporânea baseado no património, na etnografia e no folclore, no âmbito do projeto Eira – criação 2017. “Se…arar” é o título do espetáculo a apresentar pela companhia residente no Cine-teatro S. João, nos dias 14, às 21h30, e 15, às 17h00.

A produção da DançArte - uma espécie de diálogo entre o presente e o futuro, com direção de António Machado e Sofia Belchior, figurinos de Zé Nova e interpretação por Inês Maló, Ivanoel Tavares, José Lobo, Ricardo Mondim e Rita Pinto – conta, ainda, com a participação de ranchos folclóricos do concelho.

O espetáculo, organizado com os apoios do Município de Palmela, do Secretário de Estado da Cultura, da DGArtes – Direção-Geral das Artes e da Fundação Buehler-Brockhaus, tem o preço de 5 euros, sendo que as/os menores de 25 anos e as/os maiores de 65 beneficiam de um desconto de 1 euro. Os ingressos podem ser adquiridos na bilheteira do Cine-teatro S. João, a funcionar das 09h00 às 12h00 e das 13h30 às 16h00, e com o telefone 212 336 630. Informações em www.passosecompassos.pt.

“Se...arar” é o primeiro momento deste espetáculo, que regressa em novembro com “Se...mentes”.

 

Ficha artística:

 

Ideia e Direção: António Machado e Sofia Belchior

Coreografia: Sofia Belchior e intérpretes

Composição e interpretação musical: António Machado

Figurinos: Zé Nova

Design: Utopia Designers

Design web: João Belchior

Interpretação: José Lobo, Inês Maló, Ivanoel Tavares, Ricardo Mondim e Rita Pinto

Registo fotográfico: Carlos Teixeira

Aulas regulares de dança oriental, Tai-Chi e violino no Museu do Oriente

Ritmo, movimento e harmonia durante o mês de Outubro

 

Aulas regulares de dança oriental, Tai-Chi e violino no Museu do Oriente

 

Violinos (3).jpg

 

Dança oriental e Tai-Chi são as duas referências da cultura e tradição asiáticas que se destacam na programação do Museu do Oriente para o próximo mês de Outubro. Também neste mês têm início aulas regulares de violino para adultos, “Para quem nunca tocou violino!” mas sempre o desejou fazer.

 

Logo a 1 de Outubro, a aula aberta de dança oriental, de participação gratuita, antecipa o que se pode esperar das aulas seguintes dedicadas a esta arte, e que arrancam a 12 de Outubro, com periodicidade semanal. Aliando a música a uma sinuosidade corporal que lembra uma serpente, este tipo de dança tem como característica principal o movimento rítmico das ancas e dos músculos do ventre. Além dos benefícios para a auto-estima, resistência, flexibilidade, coordenação e equilíbrio, a dança oriental é considerada uma terapia para o corpo e para a mente.

 

Iniciam também no dia 1 de Outubro, em formato bimensal, as aulas de Tai Chi, uma prática corporal e meditativa, oriunda da tradição clássica chinesa, que cultiva o equilíbrio e a harmonia. Exercitar o alinhamento corporal, o relaxamento e a meditação, através de um conjunto de práticas que envolve o corpo e a mente são os objetivos definidos para estas sessões.

 

Especialmente dirigido a quem ainda sonha aprender a tocar violino, um instrumento que se pensa ter “nascido” na China, iniciam-se a 3 de Outubro as aulas semanais “Para quem nunca tocou violino!”. Os participantes têm assim a oportunidade de se iniciar neste instrumento sem necessidade de o adquirir, uma vez que a cada aluno é facultado um violino. As aulas prolongam-se até 19 de Dezembro.

  

Aula aberta de Dança Oriental

1 de Outubro

10.30-11.30

Gratuito

M/16

Participantes: mín. 5, máx. 12

 

Aulas regulares de Dança Oriental

12 de Outubro a 28 de Dezembro

13.00-14.00

Preço: € 23/ participante/ mês ou € 10/ aula avulsa

M/16

Participantes: mín. 5, máx. 12

 

Aulas bimensais Tai Chi

1 de Outubro a 17 de Dezembro

10.30-12.30

Preço: € 20/ participante/ mês ou € 15/ aula avulsa

M/16

Participantes: mín. 5, máx. 12

 

Aulas semanais para adultos “Para quem nunca tocou violino!”

3 de Outubro a 19 de Dezembro

Nível I: 12.30-13.30

Nível II: 13.30-14.30

Preço: € 40/ participante/ mês

M/16

Participantes: mín. 10, máx. 25 (por nível)

YOUNG BOY DANCING GROUP | Rua das Gaivotas 6

YOUNG BOY
DANCING GROUP

2 out | seg | 21h30 | 4€

Banner-mail.jpg

 

A Rua das Gaivotas 6 tem o prazer de receber o colectivo YOUNG BOY DANCING GROUP.

YOUNG BOY DANCING GROUP é um colectivo livre de performance cujo trabalho aborda a sexualidade, a era digital, fetiches, dança contemporânea e a cultura pop.

As cenas são muitas vezes improvisações estruturadas com uma abordagem estética que visam criticar as performances institucionalizadas, alterando o seu elenco, título e cenas de acordo com o espaço em que irão apresentar a performance.

A tour europeia do colectivo começou no Festival Hyperlocal, em Londres, seguindo depois para Berlim, Basel, Milão e a Lisboa, na Rua das Gaivotas 6, na próxima segunda, dia 2 de Outubro.



+ info sobre o colectivo:
facebook  |  instagram  |  website

Casino Estoril recebe Festival Flamenco em Setembro

Flamenco 1.jpg

 

Com um assinalável êxito registado em anteriores edições, o “Festival Flamenco Casino Estoril” regressa, em Setembro, ao Lounge D. Trata-se de um ciclo de espectáculos que será protagonizado por exímios intérpretes de flamenco. Com entrada livre, a não perder, às Quintas-Feiras, a partir das 22 horas.

 

Ursula Lopez será a protagonista, no próximo dia 7 de Setembro, da Grande Gala de Abertura do renovado ciclo de “Festival Flamenco Casino Estoril”. Em noite de Baile, Ursula Lopez sobe ao palco do Lounge D para assegurar um genuíno espectáculo de Flamenco.

 

Ursula Lopez.jpg

 

Graduada em dança contemporânea e clássica, Ursula Lopez iniciou-se no flamenco pela mão de Manolo Marin e, mais tarde, por Carlos  Saura na Opera “Carmen”. Entre os seus espectáculos dintingue-se “Bodas de Sangre” com António Gades. Entrou, em 2004, no Ballet Nacional de Espanha e participou em diversos espectáculos com a sua própria Companhia a “Flamenco Danza Estudio de Sevilla”.

 

O maestro Jose Luis Ortiz Nuevo sublinha que Ursula Lopez: “É o culto à beleza simples do natural com artifício de lamento. É uma excursão às praias da memória. Flamenco de cristal transparente que mostra brilhos nas esquinas da tristeza ou da alegria. É aprender e paixão. É ternura”.

 

O ciclo flamenco prossegue, a 14 de Setembro, com a inédita actuação de El Mawi no Lounge D. Em noite de “Tablao Flamenco”, o bailarino e cantor espanhol assegura um original espectáculo de flamenco.

 

El Mawi nasceu em Cádiz, tendo começado, muito jovem, cantar e a bailar flamenco nos teatros e festivais mais importantes da cidade. Estudou dança clássica, contemporânea e interpretação e participou em espetáculos do Ballet Nacional de Mónaco com Javier Latorre e Los Ulen de Paco Tous. Mais tarde, integrou a Companhia de Charo Cruz onde actuou em festivais europeus. É professor de baile flamenco e dá cursos em vários países, nomeadamente, no Japão, na Finlândia ou em França.

 

 

Para a noite de 21 de Setembro, está agendado um novo espectáculo de “Tablao Flamenco” que será, desta vez, protagonizado pelo bailarino, coreógrafo e maestro Victor Bravo. 

 

Victor Bravo.jpg

 

Victor Bravo é um artista flamenco e director de baile do museu de baile flamenco de Sevilha. Actuou em Companhias de dança clássica e moderna como, por exemplo, a de Maria Pagés e Joaquin Cortés. Começou os estudos de dança clássica e flamenca com, apenas, quatro anos na Escola Superior de Dança Matilde Coral. Passou pelo Japão onde começou a sua etapa como coreógrafo e director. Hoje, em dia, dirige a sua própria Companhia.

 

 

 

A conceituada bailarina La Choni protagoniza, a 28 de Setembro, a “Grande Gala de Encerramento” do ciclo de “Festival Flamenco Casino Estoril”.

 

Artista titulada pelo Conservatório Superior de Dança de Sevilha, teve aulas com artistas como Manolo Marín, Manolete, Javier Baron e Israel Galvan, entre muitos outros. O seu baile é caracterizado pela elegância, feminilidade, domínio de braços, mãos e pés e pela maestria com a bata de cola. 

 

Participou no filme “Sevillanas” de Carlos Saura e em espectáculos como De Cádiz a Cuba (Mario Maya,1988), Colores (Rafael de Carmen,2000) A Cuatro voces y el uso de la memória (Eva Yerbabuena 2004 e 2006) entre outros. Criou a sua própria Companhia, em 2007, com a qual tem recebido vários prémios como, por exemplo, o Giraldillo Revelación da bienal de flamenco de Sevilha.

 

 

Programa “Festival Flamenco”:

- 07 de Setembro: Grande Gala de Abertura, com Ursula Lopez

- 14 de Setembro: Gala Tablao Flamenco, com El Mawi

- 21 de Setembro: Gala Tablao Flamenco, com Victor Bravo

- 28 de Setembro: Grande Gala de Encerramento, com La Choni

 

 

O Lounge D acolhe o “Festival Flamenco Casino Estoril”. Trata-se de um ciclo de espectáculos agendado para as noites de Quinta-Feira, a partir das 22h00. A entrada é livre.

 

Por imperativo legal, o acesso aos espaços do Casino Estoril é reservado a maiores de 18 anos. 

 

Festival Flamenco Casino Estoril encerra a 28 de Setembro

La Choni.jpg

 

A conceituada bailarina La Choni protagoniza, na próxima Quinta-Feira, 28 de Setembro, a partir das 23 horas, a “Grande Gala de Encerramento” do ciclo de “Festival Flamenco Casino Estoril”. Com uma expressiva afluência de público, desde a Gala de Abertura, o Lounge D do Casino Estoril encerra, da melhor forma, este dinâmico Festival, assegurando mais um genuíno espectáculo de flamenco. A entrada é livre

 

Artista titulada pelo Conservatório Superior de Dança de Sevilha, La Choni teve aulas com artistas como Manolo Marín, Manolete, Javier Baron e Israel Galvan, entre muitos outros. O seu baile é caracterizado pela elegância, feminilidade, domínio de braços, mãos e pés e pela maestria com a bata de cola. 

 

La Choni participou no filme “Sevillanas” de Carlos Saura e em espectáculos como De Cádiz a Cuba (Mario Maya,1988), Colores (Rafael de Carmen,2000) A Cuatro voces y el uso de la memória (Eva Yerbabuena 2004 e 2006) entre outros. 

 

Recorde-se que, La Choni criou a sua própria Companhia, em 2007, com a qual tem recebido vários prémios como, por exemplo, o Giraldillo Revelación da bienal de flamenco de Sevilha.

 

 

O Lounge D acolhe o “Festival Flamenco Casino Estoril”. Trata-se de um ciclo de espectáculos agendado para as noites de Quinta-Feira, a partir das 23h00. A entrada é livre.

 

Por imperativo legal, o acesso aos espaços do Casino Estoril é reservado a maiores de 18 anos. 

Espetáculo "Dançando por Outros Caminhos" - APPACDM | Dança incluisva no Cine-teatro S. João, Palmela - 29 de setembro

Espetáculo das/os utentes da APPACDM

Dança inclusiva viaja pelo Cine-teatro S. João, Palmela

 

Dança APPACDM.jpg

 

Palmela é palco de uma noite de danças do mundo num espetáculo dinamizado pelos grupos “Momentos de Talento” e “Espiral”, da Associação Portuguesa dos Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental (APPACDM) de Setúbal, a realizar no dia 29 de setembro, às 21h00, no Cine-teatro S. João.

A música e a dança são o fio condutor de “Dançando Por Outros Caminhos”, suportado pela interpretação de cerca de trinta utentes dos centros de atividades ocupacionais (CAO 2 e CAO 3) da APPACDM de Setúbal, e integrados nos grupos “Momentos de Talento” e “Espiral”, que procuram transportar o público numa viagem pelos cinco continentes.

O espetáculo, apoiado pelo Município de Palmela, pretende valorizar as potencialidades da população com deficiência ao nível da expressão artística. As receitas obtidas revertem a favor dos centros de atividades ocupacionais 2 e 3 da APPACDM de Setúbal.

Mais informações e reservas através dos telefones 910 783 975 ou 913 763 071 ou do endereço appacdmset@sapo.pt.

 

Estreia | Ballet // Contemporâneo // Norte

O Ballet Contemporâneo do Norte estreia a sua mais recente produção no Cineteatro António Lamoso no próximo dia 29 de setembro.

 

 

Ballet Contemporaneo Norte_ divulgaçaõ.jpg

 

Ballet // Contemporâneo // Norte - BCN
Duas peças curtas respondem, coreografias de Rebecka Stillman (SE) e Litó Walkey (CA/DE),
questionam e reformulam os campos dos três conceitos de Técnica, Contemporaneidade e Geografia.
Interpretação Susana Otero, Jorge Gonçalves e Dinis Machado.
Cineteatro António Lamoso, Rua Egas Moniz, 11, Santa Maria da Feira, 256 337 060
Entrada: 3€