Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Exposição de Ilustrações de Nuno Saraiva “As Festas e Festinhas”

Inauguração no dia 27 de janeiro, pelas 17h00, no AMAC

Exposição de Ilustrações de Nuno Saraiva “As Festas e Festinhas”

O Auditório Municipal Augusto Cabrita (AMAC) recebe, de 27 de janeiro a 24 de março, a Exposição de Ilustrações de Nuno Saraiva “As Festas e Festinhas”. A mostra, patente na galeria vermelha (Piso 0) inaugura no dia 27 de janeiro, pelas 17h00.

 

Como Ilustrador Editorial, é colaborador em praticamente toda a imprensa escrita portuguesa, com destaque para os semanários O Independente, Expresso, Sol, Record, Público e Time Out Lisboa. É autor das ilustrações para as FESTAS DE LISBOA'14, '15, ’16 e ’17.

Autor, com Júlio Pinto, da série em banda desenhada "Filosofia de Ponta" (editora Contemporânea e Circulo de Leitores), "Arnaldo o Pós Cataléptico" e "A Guarda Abília" (editora Contemporânea) e, a solo, de "Zé Inocêncio, as aventuras Extra Ordinárias de Um Falo Barato" (Editora Baleia Azul), "GNR", série pop-rock português (Edição A Bela e o Monstro), entre outros livros.

Nos últimos anos, publicou com João Miguel Tavares "A Crise explicada às crianças" (Esfera dos Livros), com recente versão grega (Patakis Publications); foi autor, com Paula Cardoso, da coleção de cromos da caderneta "Eusébio - a vida e a carreira"; ilustrou o livro "Caríssimas 40 canções - Sérgio Godinho e as canções dos outros" (edições Abysmo); ilustrou o conteúdo do jogo de tabuleiro "Vem aí a Troika", com versões em português (Tabletip Games), espanhol (Devir Ibéria) e grego (CDC); "Isto é um Assalto", com Francisco Louçã e Mariana Mortágua (editora Bertrand), e “Aníbal Milhais - o soldado Milhões”, texto de José Jorge Letria (Editora Pato Lógico).

O seu livro "Tudo isto é Fado!", uma coprodução Sol, CML/EGEAC e o Museu do Fado, foi galardoado com o prémio “Melhor livro de BD 2016” atribuído pelo Festival internacional de BD Amadora.


É Jurado dos Programas de Apoio ao Cinema, no Subprograma de Apoio à Produção, na modalidade de Apoio à Produção de Obras Cinematográficas – Categoria de Curtas-Metragens de Animação de 2015; Subprograma de Apoio à Escrita e ao Desenvolvimento de Obras Cinematográficas 2016; Subprograma de Apoio à
coprodução com países de língua portuguesa 2016.

 

Na Ar.Co, escola de artes e comunicação, leciona desde 2001, no curso de Ilustração/Banda Desenhada, várias disciplinas relacionadas.


Por iniciativa da Junta de Freguesia de Santa Maria Maior, tem pintado vários murais em Alfama e Mouraria.


Participa na coleção “Sardinha by Bordallo” com a sua Sardinha do Golaço, comemorativa do feito campeão da nossa seleção no Euro 2016.


O seu mais recente trabalho individual, "Fado do Malhoa, o pintor fino da Mouraria" (EGEAC e Museu do Fado), será lançado ainda este ano.

 

Vencedor do Concurso Bolsas de Criação Literária 2018, DGLB/MC.

CMB

exposição de Pintura, desenho, instalação, bijuteria, vídeo de Ludgero Rolo e Pedro Carvalho - De 18 janeiro a 02 de março

cartaz_redes_sociais_-_1.png

cartaz_redes_sociais_-_3.png

 

 

No dia 18 de janeiro inaugura na Galeria Beltrão Coelho  uma exposição mista, de dois artistas de personalidades artísticas, idades e influências muito diferentes. O Ludgero Rolo nasceu nos anos 60, é de uma  geração  que deu origem  a grandes mestres da arte plástica e da escultura  e de uma época em que ocorreram muitos  momentos de euforia cultural. O Pedro Carvalho é mais novo e recebeu outras  influências,  as mais  ligadas à net, ao digital, à globalização, a um periodo de tempo  em que ocorreu uma fusão muito  intensa entre as artes.  No  dia da inauguração  haverá um “mix”, um casamento entre  o video, a instalação de tendências industriais, a bijuteria  feita de restos mortais de  matérias  tornadas  recicláveis, a pintura e o desenho de tendência surrealistas.

 

De 18 de janeiro a 02 de março 2018

 

PEDRO  CARVALHO (Instalação, Bijuteria, Video)

 

“Iniciei o meu percurso profissional em 1992 onde comecei a exercer trabalhos de tecelagem manual. Pouco tempo depois, e ao longo de 7 anos, desenvolvi funçõesna área da cenografia e adereços. Ao longo desse tempo ganhei e aperfeiçoei competências em diversas técnicas relacionadas com trabalhos em madeira e de forma abrangente. Ao nível da construção, realizei inúmeros projectos conciliando a madeira com o metal, o têxtil e a pedra. Apurei a minha sensibilidade estética no que diz respeito à complexidade de cada material e ao resultado da fusão dos mesmos.

Nos 11 anos seguintes tive também oportunidade de desempenhar funções de assistente no áudio, vídeo, iluminação e realização em produções de televisão. Foi nesta altura que comecei a interessar-me e a desenvolver aptidões pela parte técnica do audio e do som. Essa experiência permitiu que me tornasse

autonomo e independente na produção de música, uma paixão que tinha desde novo.

Em 2010 comecei uma nova etapa da minha vida e abri um estúdio de gravação áudio. Desde essa altura que trabalho a tempo inteiro na produção musical de trabalhos de autor e originais e como técnico de áudio.

Dedico-me igualmente aos trabalhos de pintura, escultura, joalharia artesanal, e outras áreas ligadas às manualidades.”

 

 

LUDGERO ROLO (Pintura, Desenho)

 

“Nascido em Lisboa nos anos 60 do seculo passado.

Profissionalmente esteve ligado ás artes gráficas desde muito novo como maquetista criativo e designer gráfico. 

Acompanhou a tecnologia expecializando-se em arte digital, ilustração e ambientes virtuais 3d.

É autodidata em desenho e pintura apesar de ter frequentado a aula de desenho artistico da Sociedade Nacional de Belas Artes por um ano na decada de 90.

Desde novo que o seu gosto por desenho era notório porém a pintura veio depois,  primeiro numa experiência a oleo com a artista Marina Santos ainda na altura do liceu, depois o contacto com artistas como Artur Bual, Relógio,  Antonio Galvão com quem trabalhou directamente, entre outros, fez desenvolver o seu gosto pela pintura.Desde o final da década de oitenta tem exposto quer individual quer coletivamente, não só em Portugal como em Espanha e França. Salientando-se como referencia as suas participações em mostras artisticas como; Bienal de Vendas novas;  Mertolarte; Feira de arte contemporânea da Amadora;  FIARTE Granada;

Coletivas do Círculo Artur Bual; UTOPIA, surrealismo e arte fantástica;  International Surrealism Now.”

 

 

Comissão Diocesana de Arte Sacra inaugura exposição de fotografia “Rezar A Cidade”

image001.png

 

 

 

A exposição “Rezar A cidade”, organizada pela Comissão Diocesana de Arte Sacra de Setúbal, com a colaboração da Câmara Municipal de Setúbal, integra-se na 4.ª Jornada Diocesana de Arte Sacra, e será inaugurada no primeiro domingo da quaresma, dia 18 de fevereiro, na Galeria Municipal de Setúbal.

 

A exposição, projetada pela Comissão Diocesana de Arte Sacra, partiu de um convite, desta Comissão, a 15 fotógrafos amadores e profissionais, com o objetivo de inaugurar uma exposição de fotografia que “interpele cada um dos visitantes e que os convide a rezar com a cidade, na cidade.” Cada fotógrafo teve como mote inspirador um dos 15 Passos da Via Sacra de Jesus Cristo e os vestígios urbanos da religiosidade da cidade: “Setúbal, por exemplo, guarda na sua malha urbana, a memória desta história. Ainda se podem observar algumas capelas dos antigos passos, ou o calvário do Bonfim, as capelas das confrarias e oratórios junto às antigas portas das muralhas da urbe.”

 

Antes da inauguração da exposição, e juntamente com a Paróquia de Santa Maria da Graça e São Julião, é aberto ao público o seu Tesouro. De acordo com o Presidente da Comissão Diocesana de Arte Sacra de Setúbal, “este é o corolário de um trabalho digno de registo, pois nesta mostra dão-se a conhecer peças de relevo artístico, além de se colocar em evidência a preocupação pela salvaguarda do património sacro”.

 

Programa:

 

15h00 – Abertura da 4ª Jornada Diocesana de Arte Sacra de Setúbal, Igreja São Julião: P. Casimiro Henriques;

15h15 – Inauguração do TESOURO DA PARÓQUIA DE SANTA MARIA DA GRAÇA E SÃO JULIÃO: P. Rui Rosmaninho / Dr. André Afonso;

16h15 – “Rezar Setúbal”, conferência com percurso pedestre entre a Igreja São Julião e Galeria Municipal, conduzida pelo Dr. José Luís Catalão;

17h15 – Apresentação da Exposição de Fotografia “Rezar a Cidade”; P. Casimiro Henriques;

17h30 – Encerramento da 4ª Jornada Diocesana de Arte Sacra de Setúbal, pela Presidente da Câmara Municipal de Setúbal, Dr.ª Maria das Dores Meira e pelo Bispo de Setúbal, D. José Ornelas;

18h00 – Moscatel de Honra.

 

Leia todas as informações em: http://diocese-setubal.pt/2018/02/09/arte-sacra-inaugura-exposicao-rezar-a-cidade-a-18-de-fevereiro/.

Exposição de fotografia "Uma Casa Habitada" de Luís Ferreira Alves

Exposição de fotografia no NorteShopping

de 18 de fevereiro a 24 de março

 

 

Vai inaugurar no sábado, dia 17 de fevereiro, no Silo-Espaço Cultural no NorteShopping, a exposição de fotografia “Uma Casa Habitada” do prestigiado fotógrafo Luís Ferreira Alves.

 

A exposição, composta por 14 imagens de grande formato, é o resultado de uma visita que o fotógrafo fez com o arquiteto Siza Vieira a uma das casas emblemáticas projetadas pelo arquiteto: a Casa Beires.

 

Somos apresentados a uma fotografia de arquitetura profundamente sensível a tudo o que envolve a concretização de um projeto de arquitetura numa casa de família, e que reflete sobre a liberdade com que o tempo age ao passar.

 

Trata-se de um projeto absolutamente original na obra de Luis Ferreira Alves e uma oportunidade de ver a obra de Siza Vieira de uma perspetiva muito invulgar.

 

Este projeto resultou num livro intitulado "Casa Beires" com a assinatura de Siza Vieira e Luis Ferreira Alves e que foi editado em 2017 pela editora A.mag Editorial Sl.

 

Exposição “A PIDE em Pinhal Novo” | Centro Cultural de Poceirão

Itinerância pelo concelho

Exposição “A PIDE em Pinhal Novo” patente no Poceirão

 

Expo PIDE em Pinhal Novo.jpg

 

Está patente, até 15 de fevereiro, no Centro Cultural de Poceirão, a exposição “A PIDE em Pinhal Novo – Para que a memória não esmoreça”, numa organização da Câmara Municipal de Palmela.

Inaugurada em 2017, em Pinhal Novo, aquando do lançamento do livro com o mesmo nome, da autoria de José António Cabrita (Coleção Estudos Locais – Câmara Municipal de Palmela), esta mostra encontra-se em itinerância pelo concelho, procurando levar mais longe esta homenagem aos presos políticos de Pinhal Novo, vítimas da ditadura fascista ao longo de 48 anos.  

É objetivo da autarquia dar continuidade a este trabalho de parceria com José António Cabrita, aprofundando o estudo e a divulgação do que foi o empenho, a dedicação e a abnegação de quem lutou e sofreu, em nome da justiça e dos direitos sociais e políticos e da melhoria das condições de vida.

José António Cabrita estudou e ensinou Sociologia, tendo-se dedicado, também, à investigação de diversos temas, entre os quais, a cultura caramela e a historiografia de Pinhal Novo. O livro sobre a ação da PIDE explora o arquivo documental da Polícia política e dá voz a vários testemunhos de quem passou pelas prisões do Tarrafal ou de Peniche, bem como dos seus familiares e amigos.

O livro “A PIDE em Pinhal Novo – Para que a Memória não esmoreça” está à venda no Centro Cultural de Poceirão.

 

EXPOSIÇÃO DE ELISABETE JACINTO NO ALGARVE

Forum-Algarvel_Elisabete-Jacinto.png

 

“ELISABETE JACINTO, EM MOMENTOS DE COMPETIÇÃO”

NO FORUM ALGARVE

 

A exposição de fotografias que mostra o dia-a-dia de Elisabete Jacinto e do seu camião numa prova de todo-o-terreno está no Forum Algarve de 9 a 13 de fevereiro.

 

 

De 9 a 13 de fevereiro, a Piloto Portuguesa de todo-terreno, Elisabete Jacinto, marca presença no Forum Algarve, centro gerido pela Multi Portugal, junto do camião com o qual participa nos mais diversas provas de todo-o-terreno em África e da exposição fotográfica intitulada “Elisabete Jacinto, Momentos em Competição”.

 

Todos os visitantes do centro podem ver as 28 fotografias da autoria do fotógrafo Jorge Cunha, que retratam algumas das vivências da equipa de Elisabete Jacinto nas corridas em que participa. O programa conta ainda com a presença do camião de competição que irá estar presente na Praça Central do centro.

 

Casino Lisboa inaugura exposição de Alba Simões

2 - Emoções - Óleo sobre tela - 1,10m x 2m - 7.

 

O Casino Lisboa inaugura, na próxima Segunda-Feira, 5 de Fevereiro, às 18h30, a exposição de Pintura “Constelação de Afectos” da autoria de Alba Simões. Trata-se de uma original mostra individual que poderá ser observada na Galeria de Arte, localizada na área circundante ao Arena Lounge. A entrada é livre.

 

Alba Simões nasceu em Lisboa onde frequentou vários cursos de Belas Artes. Participou em mais de duas centenas de exposições colectivas e individuais em Portugal e no Estrangeiro e encontra-se representada em Espanha, França, Bélgica, Suíça, Inglaterra, Holanda, Estados Unidos, Brasil, Macau e Angola tendo sido galardoada com Menções Honrosa e Primeiros Prémios ao longo dos seus 30 anos de carreira. 

 

Tem a sua biografia inserida no Guia d’Arte 95/96/97, Arteguia Directório de Arte Espanha e Portugal, Anuário de Artes Plásticas, Pintura em Portugal 2001 da Universitária Editora e Aspectos das Artes Plásticas em Portugal, Arte 98, Anuário Internacional de Arte 2003 de Fernando Infante do Carmo e Antiquários e Arte da Editora Estar e Livro de Ouro 2007. 

 

Alba Simões é sócia da Sociedade Portuguesa de Autores, do Circulo Artístico e Cultural Artur Bual, da ANAP - Associação Nacional de Artistas Plásticos. A sua principal obra é um painel com 80 m2 intitulado “Vista sobre a Cidade de Lisboa”. 

 

Com um assinalável prestígio, a artista plástica é mencionada em várias revistas e jornais Portugueses e Estrangeiros e encontra-se representada em inúmeros Museus e Instituições particulares e Oficiais nos quatro Continentes.

 

A Galeria de Arte do Casino Lisboa acolhe, de 5 a 25 de Fevereiro, a exposição de Pintura “Constelação de Afectos” da autoria de Alba Simões. Esta mostra individual estará patente ao público, entre as 15 e as 3 horas da madrugada, excepto às Sextas-Feiras e aos Sábados, cujo horário será das 16 às 4 horas da madrugada.

 

Por imperativo legal, o acesso aos espaços do Casino Lisboa é reservado a maiores de 18 anos.