Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

IV ANIVERSÁRIO FADO PATRIMÓNIO A HUMANIDADE | 27-28-29 NOV 2015

Comemorações%20FADO_Unesco.jpg

 

No dia 27 de Novembro de 2011, em Bali, a UNESCO consagrou o Fado Património Cultural Imaterial da Humanidade e a canção de Lisboa tornou-se universal.

Quatro anos depois são muitos os motivos de celebração: o crescimento exponencial do número de concertos em Portugal e no estrangeiro; Festivais de Fado em inúmeras cidades do mundo; exposições temporárias em Paris, Madrid, Sevilha, Rio de Janeiro, São Paulo, Buenos Aires, Bogotá, Seul; um Roteiro Virtual de Fado acessível em todo o mundo a partir do site do Museu do Fado e uma novidade: muito em breve estará disponível o Arquivo Digital de Fado, uma base de dados online integrando o maior arquivo histórico sonoro nacional.

 

Por tudo isto e pelo tanto que ainda fica por dizer o Museu do Fado assinala com uma programação muito especial o IV Aniversário da Consagração do Fado como Património Imaterial da Humanidade. Todas as iniciativas são de entrada livre.

 

Andam Guitarras a Gemer de Mão em Mão

17 e 30 de Novembro de 2011

19h

 

Museu do Fado

Largo do Chafariz de Dentro 1

Lisboa

 

Andam Guitarras a Gemer de Mão em Mão é o ciclo de concertos instrumentais que vai animar o Museu do Fado até ao final do ano. Ao mesmo tempo que apresenta a exposição Óscar Cardoso – Guitarreiro sobre a Guitarra Portuguesa, o Museu do Fado convida vários artistas que utilizam guitarras construídas por Óscar Cardoso para animar os finais de tarde no Museu.

Camané

18 de Maio de 2011
21h30

 

Museu do Fado

Largo do Chafariz de Dentro, 1

Lisboa

 

 Encerramento da exposição "Camané".

Apresentação de "Do Amor e dos Dias".

 

Nos últimos tempos, Camané tem estado no centro de todas as atenções no Museu do Fado, em Lisboa, graças a uma exposição sobre a sua vida e voz. Ela encerra, naturalmente, com um concerto do fadista, no dia 18 de Maio.

 

O espectáculo deverá centrar-se no mais recente trabalho de Camané, "Do Amor e dos Dias". Mas a envolvência dos vários episódios do seu percurso promete levá-lo a visitar também os maiores momentos dos álbuns anteriores.

 

A emoção, o deslumbramento e a tradição enriquecida com a dose certa de risco têm sido responsáveis pelo sucesso de um fadista que nos habituámos a reconhecer como um dos melhores - e mais versáteis, se lembrarmos projectos como os Humanos da sua geração.

 

PÚBLICO

Homens no Fado

Imagem:
#
#
  #   #
#

#

 

 

#
 
#
 
#
#
# # #   #
#
# # #
#
# #   #
#
# # #  

7 a 28 de Outubro de 2010

 

Fonoteca Municipal de Lisboa
Dolce Vita Monumental, Lj. 17

Praça Duque de Saldanha
Lisboa

 

Ao longo da primeira metade do século XX vários homens foram cultores do género fadista mas mais vaiadas formas, desde o tradicional ao fado canção. Homens que foram primeira figura de cartazes, encheram plateias, e desta forma marcaram a história do fado. Alguns terão ido além fronteiras, outros tentaram a composição. A cada um está pelo menos ligado um êxito da história da música portuguesa. Dar a conhecer as suas carreiras, descobrir factos novos ou pistas, são as propostas deste ciclo de palestras.

 

14 de Outubro de 2010

18h

Carlos Ramos
Guitarrista, começou por se evidenciar como intérprete de excepção. Figura assídua na televisão e com uma legião de fãs, fundou no Bairro Alto a casa de fados A Toca. Entre os vários êxitos refira-se Não venhas tarde.
Por Eduardo Ramos de Morais

 

21 de Outubro de 2010

18h

Manuel Fernandes
Cantou em vários retiros fadistas e voz frequente na rádio, nomeadamente do programa Os Companheiros da Alegria, assinou o seu primeiro contrato internacional em 1951. Foi também compositor. Em 1962 completou 25 anos de carreira com uma grande festa no Pavilhão dos Desportos. A Vassourinha é o seu principal sucesso.
Por Julieta Estrela de Castro

28 de Outubro de 2010

18h

António Mourão
Foi um dos mais populares fadistas da década de 1960. Cabeça de cartaz do teatro de revista, tendo actuado várias vezes além fronteiras. Na década de 1970 abandonou a cena artística, encontrando-se actualmente na Casa do Artista. Ó tempo volta para trás foi o seu principal sucesso.
Por Maria de Lourdes Carvalho