Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

I Feira Medieval do Lumiar - 15, 16 e 17 de julho

Vai decorrer de 15 a 17 de julho, no Largo da Igreja de São João Baptista, a I Feira Medieval do Lumiar, que oferece à cidade de Lisboa três dias de recriações históricas, música e animação.

Esta é mais uma iniciativa da Junta de Freguesia do Lumiar, integrada nas Comemorações dos seus 750 Anos, que de sexta a domingo traz ao Lumiar a recriação histórica da lenda da Relíquia de Santa Brígida, que se encontra, desde o século XIII até aos nossos dias, nesta freguesia.

 

FeiraM3.png

 

A I Feira Medieval do Lumiar vai contar ainda com a presença de diversas bancas que recriam o ambiente medieval para a venda de artesanato e uma zona de alimentação. Vão estar a decorrer no largo da feira diversas atividades como música alusiva à época, malabarismo com fogo, animação do recinto, que inclui improvisações, rufos de tambores e cuspidores de fogo, saltimbancos, música moçárabe e danças do ventre, bem como um acampamento militar medieval, com treinos e combates apeados. A arte do encantador de serpentes, a arte da adivinhação, bem como um Cortejo Régio da Família Real e sua Corte pelas Terras do Lumiar, serão outros dos pontos altos destes três dias de regresso ao passado.

 

Como freguesia mais antiga do concelho de Lisboa, o Lumiar ambiciona trazer pessoas de todos os pontos do país, com o objetivo de dar a conhecer a sua história, as suas estórias e os seus 750 anos diversidade.

 

“Pé ante pé… descubro o que a vila é”

28 de Março de 2011

Das 14h30 às 16h30

 

 

Visita guiada a Palmela assinala Dia Nacional dos Centros Históricos

 

No dia 28 de Março, a Câmara Municipal de Palmela assinala o Dia Nacional dos Centros Históricos com uma visita guiada ao núcleo mais antigo da vila de Palmela.

 

Entre as 14h30 e as 16h30, com partida na escadaria da Igreja de S. Pedro, a visita “Pé ante pé… descubro o que a vila é” irá guiar os participantes pelas ruas do Centro Histórico, com o objectivo de divulgar e recuperar memórias, através da abordagem de temas como religiosidade, instituições de poder, comércio tradicional, hábitos e vivências. Trajados a rigor, os guias-personagens irão conduzir-nos a outras épocas, de forma pedagógica e bem-disposta. A visita terminará na Casa-Mãe da Rota de Vinhos, no Largo de S. João, para um Moscatel de Honra, com o apoio da Associação da Rota de Vinhos da Península de Setúbal/ Costa Azul.

Museu do Oriente celebra centenário da República

© Mundo Universitário
5 e 12 de Agosto de 2010
Museu do Oriente
Salão Macau

Durante duas noites os visitantes do Museu do Oriente têm a oportunidade de recuar no tempo, até à noite fria de Inverno, do dia 21 de Dezembro de 1925.

Nesta recriação, os participantes têm a oportunidade ao som de uma velha grafonola, que toca ‘República’ de Mozart ‘conviver’ e conversar com personalidades como Manuel Teixeira Gomes, republicano convicto desde os seus tempos de estudante e que acaba de partir com destino ao Norte de África, após ter renunciado ao cargo de Presidente da República.
Ainda nestas noites faz-se uma análise à conjuntura política de então e a Manuel Teixeira Gomes, que deixou um importante legado resultante da sua paixão por viagens, parte do qual pode ser apreciado no Museu do Oriente.
As sessãos ocorrem dias 5 e 12 de Agosto, no Salão Macau – Museu do Oriente e são gratuitas, mas sujeita, a marcação prévia até dia 29 de Julho (primeira sessão) e 5 de Agosto (segunda sessão).
 
Por Graziela Costa | gcosta@mundouniversitario.pt