Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Deolinda, teatro e visitas guiadas na apresentação de novo projecto cultural em Ílhavo

2f51fae5-64ca-4f84-a84c-1fb95f82fa84.jpg

 

No próximo dia 12 de novembro, o Município de Ílhavo apresenta um novo projeto cultural que se vai distinguir pelo seu âmbito policêntrico e multidisciplinar. O projeto contempla os quatro edifícios culturais – Centro Cultural de Ílhavo, Centro Cultural da Gafanha da Nazaré, Teatro da Vista Alegre e Centro Sociocultural da Costa Nova – e engloba também os grandes eventos do município.
 
Pretende-se criar um novo papel para estas estruturas e traçar uma nova rota nacional e internacional para a cultura no concelho. A apresentação do projecto é feita através de um programa aberto a todos que engloba cinco momentos distintos que passam pela arquitetura, pelo teatro e pela música.

68b0c7b0-c6b7-486f-8259-cb4428b56543.jpg

 

O programa começa por “Olhar por dentro” os edifícios culturais, cujas construções vão desde a  época industrial à contemporânea. Às 11 e as 14 horas, realizam-se duas visitas guiadas pela Talkie Walkie que dão a conhecer  os traços, as motivações e influências dos arquitectos que pensaram estes espaços, a sua contextualização no município, os seus segredos e o potencial de cada um nesta nova fase da cultura no concelho de Ílhavo. Em duas horas, quatro espaços. Pelo caminho, que é feito em autocarros gratuitos cedidos pela Câmara Municipal de Ílhavo, o olhar também escapa para algumas das casas modernas que têm ajudado a tornar a paisagem ilhavense ainda mais memorável.

Às 16 horas, o encontro é no Teatro da Vista Alegre, onde o Departamento de Comunicação e Arte (DeCA) da Universidade de Aveiro irá apresentar um concerto com dois quartetos de saxofone, dos seus grupos de formação, espetáculo que marca a nova parceria entre o novo projeto cultural de Ílhavo e a Universidade de Aveiro.
Os autocarros seguem para a Costa Nova, onde a partir das 18 horas António Bastos e a You Band acertarão contas com a música eletrónica. Jazz, tecnologia e música clássica, um cocktail de luxo que promete embriagar o público de emoções, num dos lugares mais admiráveis da região.

Depois das 21 horas, três pancadas secas na madeira. "A Constituição” de Mickaël de Oliveira pisa o palco da Gafanha da Nazaré, num espetáculo em que quatro jovens, novos heróis da sociedade, tentam reescrever o documento mais importante do Estado da forma mais moderna de sempre.

A noite termina ao ar livre, a partir das 23 horas, debaixo da pala do atual Centro Cultural de Ílhavo, com a atuação e “Outras histórias” dos Deolinda. Uma das bandas mais acarinhadas do público português que fecha o dia da mudança no concelho de Ílhavo. “Se é para acontecer, pois que seja agora”.

 

Programa

 

Sábado, 12 de novembro
 

11:00 - Abertura dos espaços / roteiro “Olhar por Dentro” (Arquitetura)

14:00 - Roteiro “Olhar por Dentro” (Arquitetura)

16:00 - Quarteto de Saxofone DeCA, Teatro da Vista Alegre

18:00 - António Bastos & You Band, Centro Sociocultural da Costa Nova

21:00 - “A Constituição” de Mickaël de Oliveira, Centro Cultural da Gafanha da Nazaré

23:00 - Deolinda, largo do Centro Cultural de Ílhavo

Todo o programa é gratuito, mas os espetáculos em sala fechada requerem a reserva de lugar. Os bilhetes estão disponíveis nos Centros Culturais de Ílhavo e da Gafanha da Nazaré, via telefone ou através do endereço eletrónico centrocultural.bilhe@cm-ilhavo.pt e são limitados à lotação das salas.
Durante todo o dia, a partir das 10 da manhã, há autocarros gratuitos a circular entre os quatro espaços culturais, com partida nas traseiras da Estação da CP, em Aveiro, de hora a hora. Os horários podem ser consultados em www.centrocultural.cm-ilhavo.pt.

 

 

 

 

Estreia peça de teatro "Hamlet, Talvez" em Ílhavo

Companhia João Garcia MiGuel estreia haMlet, talvez

 

Hamlet representa o príncipe negro que não se liberta das suas pulsões mais violentas, personificando a destruição e a barbárie: a tensão entre o consciente e o inconsciente humano,debatendo-se com o abismo e a incerteza (...) Dois actores trazem para a cena o príncipe da Dinamarca e a sua sombra, um miscigenado de homem e mulher que carregam em ombros a sua extrema incerteza sobre a vida humana, a humanidade.         ― João Garcia Miguel No dia 7 de Maio a Companhia João Garcia Miguel estreia em Ílhavo a peça Hamlet, Talvez. E no dia 28 de maio, a mesma peça tem lugar no Theatro Circo de Braga. Esta é a 4ª parte da série As Bacantes.  Parte da exploração do clássico de Shakespeare, reinterpretado com a expressão e linguagem próprias, já habituais da companhia.

 

 

Fundada há 13 anos, em 2003, a Companhia João Garcia Miguel é uma companhia de criação artística contemporânea que pesquisa o desenvolvimento artístico e criativo em artes performativas, exploradas no teatro.
João Garcia Miguel iniciou a sua carreira profissional na década de 80 e foi um dos fundadores dos coletivos Canibalismo Cósmico, Galeria Zé dos Bois e OLHO – Associação Teatral que dirigiu entre 1991 e 2002. Em 2008 abraça o cargo de diretor artístico do Teatro-Cine de Torres Vedras.
As suas criações foram por várias vezes distinguidas e premiadas, sendo a mais recente em 2014 com o Prémio SPA para o Melhor Espetáculo de Teatro, com a peça Yerma.
MAiS iNFOrMAçõES SOBE A PEçA: Texto  William Shakespeare Direcção, Translation, Light Design  João Garcia Miguel Actores  Sara ribeiro, Frederico Barata, rita Barbita, Pedro J ribeiro, António Pedro Lima Diretor Assistente e Translation Support  Sérgio Coragem Guarda-Roupa  Ana Luena Light Design  Luís Bombico Director de Som  Manuel Chambel Comunicação  Pedro Caetano Produção  raquel Matos Produção  TCTVD - Teatro Cine Torres Vedras, CCVF - Centro Cultural Vila Flor e CCi - Centro Cultural de Ílhavo and has the support of rui Viola Productions, Caldeirada Alternativa - Espaço de Criação Artística A Cia Jgm é uma estrutura financiada pelo Governo De Portugal; Secretário de Estado da Cultura; Direção Geral Das Artes