Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Prazo de candidaturas aos Prémios Literários da Estoril Sol termina a 31 de Maio

Fernando Namora 2.jpg

 

Expira, já no próximo dia 31 de Maio, o prazo de recepção de obras originais para a 10ª edição do Prémio Literário Revelação Agustina Bessa-Luís e das obras de ficção (romance ou novela) candidatas à 20ª edição do Prémio Literário Fernando Namora. Trata-se de uma das mais prestigiadas iniciativas que integram o calendário de eventos com relevância cultural. O júri comum aos dois Prémios será presidido por Guilherme D `Oliveira Martins.

 

Em relação ao Prémio Revelação Agustina Bessa-Luís, é de registar que, desde o ano passado, foi abolido do seu Regulamento o limite dos 35 anos de idade, cláusula que o Júri considerou estar a condicionar o aparecimento de novos valores.

 

Com a extinção dessa norma considerada restritiva, a Estoril Sol corresponde, assim, aos pedidos manifestados por numerosos candidatos que estavam impossibilitados de participar no concurso. Mantém-se, contudo, a obrigatoriedade do romance concorrente ser inédito, e de autor português, “sem qualquer obra publicada no género”.

 

A 10ª edição do Prémio Revelação Agustina Bessa-Luís terá o valor de 10 mil euros e, nos termos do Regulamento, será publicado pela Editora Gradiva, de acordo com o protocolo existente com a Estoril Sol.

 

Juntamente com o Prémio Literário Revelação, mantém-se aberto o período de candidaturas ao Prémio Literário Fernando Namora, instituído regularmente desde 1988, e cujo Júri foi presidido, durante vários anos, por Agustina Bessa-Luís e, posteriormente, por Vasco Graça Moura.

 

Com periodicidade anual, o Prémio Literário Fernando Namora tem o valor de 15 mil euros e distingue uma obra de ficção (romance ou novela), de autor português, editada em 2016, desde que o escritor não tenha sido premiado nas três edições anteriores.

 

 Recorde-se que, Afonso Cruz, foi o vencedor no ano passado com o seu romance "Flores”. Nas anteriores edições, foram distinguidos, ainda, João de Melo, Maria Isabel Barreno, Urbano Tavares Rodrigues, Manuel Alegre, Armando Silva Carvalho, António Lobo Antunes, Nuno Júdice, Miguel Real, Mário Cláudio, Luísa Costa Gomes, Gonçalo M. Tavares, Paulo Castilho e José Eduardo Agualusa. ". É de registar que Mário de Carvalho (1996 e 2008) e Teolinda Gersão (2001 e 2015) bisaram o prémio.

TRONOS DE SANTO ANTÓNIO | INSCRIÇÕES ABERTAS ATÉ 28 DE MAIO

ecard-email+facebook-3.png

 

Exposição dias 3 e 4 de junho

 

Está aberta a 3ª edição dos Tronos de Santo António!

A EGEAC e o Museu de Lisboa - Santo António voltam a convidar os lisboetas (de gema ou de coração) para recriar a tradição dos Tronos de Santo António, cujas origens remontam ao século XVIII. Pensa-se que a tradição teve origem no século XVIII quando, após o Terramoto de 1755, a população e, principalmente, as crianças se empenharam na angariação de fundos para a reconstrução da igreja de Santo António. 

 

O entusiasmo com que as duas primeiras edições dos Tronos foram recebidas pela população mostraram que os lisboetas são incapazes de deixar o seu Santo ficar mal: cerca de 65 tronos inscritos no primeiro ano e mais de 200, no segundo, de Juntas, paróquias, escolas, coletividades ou organizações, até vizinhos, amigos, netos e avós.

Aqui, todos os Tronos são vencedores – desde que os seus criadores os exponham pelas ruas, portas e janelas da cidade nos dias 3 e 4 de junho, durante as Festas de Lisboa. À semelhança dos anos anteriores, será disponibilizado um roteiro com a localização dos tronos inscritos para possam ser visitados, e ainda uma publicação com o registo fotográfico dos Tronos de Santo António 2017.  

O Museu de Lisboa – Santo António oferece as estruturas ou bases, bastando para isso que os interessados se inscrevam e se dirijam ao museu.

Informações e inscrições (até 28 de maio) através de msantoantonio@egeac.pt ou no Museu de Lisboa – Santo António (Largo de Santo António da Sé, 22), onde poderá levantar o seu trono até 28 de maio.


Conheça as normas de participação AQUI.

Ficha de inscrição AQUI.

 

Prémio Literário Revelação Agustina Bessa-Luís acolhe candidaturas até 31 de Maio

A recepção de obras originais para a 10ª edição do Prémio Literário Revelação Agustina Bessa-Luís expira no próximo dia 31 de Maio, de acordo com o respectivo Regulamento. Recorde-se que, o júri do Prémio Literário Revelação aboliu, desde o ano passado, o limite de idade de 35 anos para os autores que pretendam candidatar-se.

 

Agustina Bessa-Luís.jpg

 

Com a eliminação dessa norma considerada restritiva, a Estoril Sol procura corresponder às pretensões de numerosos candidatos, que se viam impossibilitados de participarem. Mantém-se, contudo, a obrigatoriedade do romance concorrente ser inédito, e de autor português, “sem qualquer obra publicada no género”.

 

Lançado em 2008, o Prémio Literário Revelação, tem o valor de 10 mil euros e, nos termos do Regulamento, será publicado pela Editora Gradiva, conforme o protocolo existente com a Estoril Sol. O júri será presidido por Guilherme D `Oliveira Martins.

 

Juntamente com o Prémio Literário Revelação, a Estoril Sol mantém ainda o Prémio Literário Fernando Namora, instituído regularmente desde 1988, bem como o Prémio Cidadania Cultural Vasco Graça Moura homenageando a sua memória.

 

 

Prazo de candidaturas ao prémio Literário Fernando Namora expira a 31 de Maio

Fernando Namora 2.jpg

 

Expira a 31 de Maio o prazo de recepção das obras candidatas à 20ª edição do Prémio Literário Fernando Namora. Instituído pela Estoril Sol, em 1988, este prestigiado galardão tem o valor pecuniário de 15 mil euros..Trata-se de uma referência maior entre iniciativas congéneres no meio literário nacional. 

 

Recorde-se que, com periodicidade anual, o Prémio Literário Fernando Namora distingue  uma obra de ficção (romance ou novela), de autor português, editada em 2016, desde que o escritor não tenha sido premiado nas três edições anteriores. 

 

Afonso Cruz, foi o vencedor no ano passado com o seu romance "Flores. Nas anteriores edições, foram distinguidos, ainda, João de Melo, Maria Isabel Barreno, Urbano Tavares Rodrigues, Manuel Alegre, Armando Silva Carvalho, António Lobo Antunes, Nuno Júdice, Miguel Real, Mário Cláudio, Luísa Costa Gomes, Gonçalo M. Tavares, Paulo Castilho e José Eduardo Agualusa. ". É de registar que Mário de Carvalho (1996 e 2008) e Teolinda Gersão (2001 e 2015) bisaram o prémio.

 

Com um Júri qualificado, o Prémio Literário Fernando Namora ocupa um espaço próprio nas Letras portuguesas. Presidido por Guilherme D`Oliveira Martins,  em representação do CNC – Centro Nacional de Cultura, o Júri integra, ainda, José Manuel Mendes, pela Associação Portuguesa de Escritores; Maria Carlos Gil Loureiro, pela Direcção Geral do Livro e das Bibliotecas; Manuel Frias Martins, pela Associação Portuguesa dos Críticos Literários; e, ainda, Maria Alzira Seixo e Liberto Cruz, convidados a título individual e Nuno Lima de Carvalho e Dinis de Abreu, em representação da Estoril Sol.

 

Prémio Literário Revelação Agustina Bessa-Luís deixou de impor limite de idade aos candidatos

O júri do Prémio Literário Revelação Agustina Bessa-Luís aboliu, desde o ano passado, o limite de idade de 35 anos para os autores que pretendam candidatar-se. Trata-se de uma decisão que visa dinamizar o aparecimento de novos valores. O prazo de recepção das obras expira no próximo dia 31 de Maio.

 

Agustina Bessa-Luís.jpg

 

Com a eliminação  dessa norma considerada restritiva, a Estoril Sol vai ao encontro do desejo manifestado por numerosos candidatos, que se viam impossibilitados de  participarem. Mantém-se, contudo, a obrigatoriedade do romance concorrente ser inédito, e de autor português, “sem qualquer obra publicada no género”. 

 

A 10ª edição do Prémio Literário Revelação Agustina Bessa-Luís tem o valor de 10 mil euros e, nos termos do Regulamento, será publicado pela Editora Gradiva, conforme o protocolo existente com a Estoril Sol. O júri será presidido por Guilherme D `Oliveira Martins.

 

Juntamente com o Prémio Literário Revelação, a Estoril Sol mantém ainda o Prémio Literário Fernando Namora, instituído regularmente desde 1988, bem como o Prémio Cidadania Cultural Vasco Graça Moura homenageando a sua memória. 

 

 

Estoril Sol lança 20ª edição do Prémio Literário Fernando Namora

Fernando Namora 2.jpg

 

Está aberto o concurso para atribuição do Prémio Literário Fernando Namora que, este ano, realiza a sua 20ª edição. Instituído pela Estoril Sol este prémio, no valor de 15 mil euros, ocupa um espaço único no panorama das Letras portuguesas. O prazo de recepção das obras concorrentes termina a 31 de Maio.

 

O Prémio Literário Fernando Namora destina-se a galardoar uma obra de ficção (romance ou novela), de autor português, editada em 2016, desde que o escritor não tenha sido premiado nas três edições anteriores. O Júri será presidido por Guilherme D`Oliveira Martins. 

 

Com periodicidade anual, o Prémio Literário Fernando Namora consolida uma tradição prestigiada nos meios literários. Afonso Cruz, com o seu romance "Flores", foi o vencedor no ano passado.

 

O Júri, além de Guilherme D`Oliveira Martins, que preside, em representação do CNC – Centro Nacional de Cultura, integra, ainda, José Manuel Mendes, pela Associação Portuguesa de Escritores; Maria Carlos Gil Loureiro, pela Direcção Geral do Livro e das Bibliotecas; Manuel Frias Martins, pela Associação Portuguesa dos Críticos Literários; e, ainda, Maria Alzira Seixo e Liberto Cruz, convidados a título individual e Nuno Lima de Carvalho e Dinis de Abreu, em representação da Estoril Sol.

 

Recorde-se que, expira a 31 de Maio o prazo de recepção dos romances publicados para a 20ª edição do Prémio Literário Fernando Namora e das obras originais para a 10ª edição do Prémio Literário Revelação Agustina Bessa-Luís.

 

Estoril Sol lança 10ª edição do Prémio Literário Revelação Agustina Bessa-Luís

Agustina Bessa-Luís.jpg

 

No intuito de dinamizar a ficção portuguesa, a Estoril Sol instituiu, novamente, o Prémio Literário Revelação Agustina Bessa-Luís, em homenagem à grande escritora. É de registar que, desde o ano passado, foi abolido do seu Regulamento o limite dos 35 anos de idade, cláusula que o Júri considerou estar a condicionar o aparecimento de novos valores.

 

Com a abolição dessa norma considerada restritiva, a Estoril Sol vai ao encontro do desejo manifestado por numerosos candidatos ao concurso, que se viam impossibilitados de nele participarem. Mantém-se, contudo, a obrigatoriedade do romance concorrente ser inédito, e de autor português, “sem qualquer obra publicada no género”.

 

 A 10ª edição do Prémio Literário Revelação Agustina Bessa-Luís terá o valor de 10 mil euros e, nos termos do Regulamento, será publicado pela Editora Gradiva, que mantém uma parceria com a Estoril Sol, desde o início deste projecto. O júri será presidido por Guilherme D `Oliveira Martins.

 

O Júri, além de Guilherme D`Oliveira Martins, que preside, em representação do CNC – Centro Nacional de Cultura, integra, ainda, José Manuel Mendes, pela Associação Portuguesa de Escritores; Maria Carlos Gil Loureiro, pela Direcção Geral do Livro e das Bibliotecas; Manuel Frias Martins, pela Associação Portuguesa dos Críticos Literários; e, ainda, Maria Alzira Seixo e Liberto Cruz, convidados a título individual e Nuno Lima de Carvalho e Dinis de Abreu, em representação da Estoril Sol.

 

Juntamente com o Prémio Literário Revelação, a Estoril Sol mantém o Prémio Literário Fernando Namora, instituído regularmente desde 1988, e a cujo Júri presidiu, durante vários anos, Agustina Bessa-Luís.

Estoril Sol relança Prémios Literários em homenagem a Agustina Bessa-Luís e Fernando Namora

 

Agustina Bessa-Luís.jpg

 

Fernando Namora 2.jpg

 

A Estoril Sol volta a instituir, este ano, o Prémio Literário Revelação Agustina Bessa-Luís e o Prémio Literário Fernando Namora, em homenagem aos dois grandes escritores de Língua Portuguesa. Em relação ao Prémio Revelação, é de registar que, desde o ano passado, foi abolido do seu Regulamento o limite dos 35 anos de idade, cláusula que o Júri considerou estar a condicionar o aparecimento de novos valores.

 

Com a extinção dessa norma considerada restritiva, a Estoril Sol corresponde, assim, aos pedidos manifestados por numerosos candidatos que estavam impossibilitados de participar no concurso.

 

Mantém-se, contudo, a obrigatoriedade do romance concorrente ser inédito, e de autor português, “sem qualquer obra publicada no género”.

 

A 10ª edição do Prémio Revelação Agustina Bessa-Luís terá o valor de 10 mil euros e, nos termos do Regulamento, será publicado pela Editora Gradiva, de acordo com o protocolo existente com a Estoril Sol.

 

Guilherme D `Oliveira Martins preside ao júri, comum aos dois Prémios Literários da Estoril Sol, uma das mais prestigiadas iniciativas que integram o calendário de eventos com relevância cultural.

 

Juntamente com o Prémio Literário Revelação, é mantido o Prémio Literário Fernando Namora, instituído regularmente desde 1988, e cujo Júri foi presidido, durante vários anos, por Agustina Bessa-Luís e, posteriormente, por Vasco Graça Moura.

 

O Prémio Literário Fernando Namora, reservado a romances publicados, e com periodicidade anual, tem o valor de 15 mil euros. Recorde-se que foi Afonso Cruz, com o seu romance "Flores", o vencedor no ano passado.

 

O Júri, além de Guilherme D`Oliveira Martins, que preside, em representação do CNC – Centro Nacional de Cultura, integra, ainda, José Manuel Mendes, pela Associação Portuguesa de Escritores; Maria Carlos Gil Loureiro, pela Direcção Geral do Livro e das Bibliotecas; Manuel Frias Martins, pela Associação Portuguesa dos Críticos Literários; e, ainda, Maria Alzira Seixo e Liberto Cruz, convidados a título individual e Nuno Lima de Carvalho e Dinis de Abreu, em representação da Estoril Sol.

 

Entretanto, expira a 31 de Maio o prazo de recepção das obras originais para a 10ª edição do Prémio Literário Revelação Agustina Bessa-Luís e dos romances publicados para a 20ª edição do Prémio Literário Fernando Namora.

FESTA NO CHIADO 2014

 

 

 

A Associação 25 de Abril, em parceria com o escritor Samuel Pimenta, organiza a iniciativa "Um poema para o amanhã" integrada no dia de arranque da Festa no Chiado 2014, 11 de Outubro, pelas 16h, no Largo do Carmo, em Lisboa.

 

“Todas as pessoas podem participar e estão convidadas a partilhar um ou mais poemas que as inspirem para o amanhã, que as façam acreditar na continuidade da humanidade e dos seus valores mais elevados. Poemas que nos tragam esperança para o futuro.”, explica Samuel Pimenta.

 

O encontro, também integrado nas comemorações dos 40 anos da Revolução de Abril, será moderado por Samuel Pimenta, galardoado este mês com o Prémio Liberdade de Expressão 2014, no Brasil, e contará com a participação de outros poetas e declamadores já confirmados, como Maria Dovigo (Galiza), Leonora Rosado (Portugal), Goretti Pina (São Tomé e Príncipe) e João Batista (Portugal).

 

Caso as condições meteorológicas não permitam a realização do encontro no Largo do Carmo, a sessão decorrerá na sede da Associação 25 de Abril, na Rua da Misericórdia, n.º 95, à hora agendada.

 

Sessão literária com Hernán Vargas Carreño e Jorge Eliécer Pardo

O poeta Hernán Vargas Carreño e o romancista Jorge Eliécer Pardo vão ser os protagonistas, com a moderadora Lauren Mendinueta, de uma sessão literária na Casa da América Latina. A sessão com os autores colombianos está marcada para as 18h30 do dia 8 de Outubro.

http://casamericalatina.pt/2014/09/29/vargas-carreno-e-eliecer-pardo-leem-poesia-na-cal/