Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Biografia do mítico treinador do Benfica, Béla Guttmann, editada pela Oficina do Livro na próxima terça-feira

 

Guttmann.jpg

 

A Oficina do Livro edita na próxima terça-feira, dia 20, a biografia "Béla Guttmann, de Sobrevivente do Holocausto a Glória do Benfica", da autoria do jornalista britânico David Bolchover, obra repleta de curiosidades sobre o treinador que lançou a famosa maldição sobre o Benfica.

Antes de Mourinho e de Pep Guardiola, havia Béla Guttmann: o primeiro treinador superstar de futebol, e o homem que abriu caminho aos famosos treinadores da era moderna com as suas cláusulas milionárias. O treinador que conseguiu duas Ligas dos Campeões pelo Benfica terá roubado o jovem Eusébio ao Sporting após uma conversa num barbeiro em que ouviu falar das qualidades excepcionas do jovem moçambicano de 19 anos.

Guttmann (27 de Janeiro 1899 – 28 de Agosto 1981) fez fortuna a vender álcool ilegal nos Estados Unidos, foi professor de dança e sobreviveu ao Holocausto escondido no sótão de um salão de cabeleireiro situado perto de Budapeste, antes de se tornar o lendário treinador da década de 60 do Benfica, cuja “maldição” ainda perdura, mesmo depois de inaugurada uma estátua no estádio e do próprio Eusébio ter rezado na campa do treinador, em 1990, pouco antes de mais um final perdida, em Viena, no Prater.

Antigo jogador de futebol (era um extraordinário médio) chegou a representar a selecção húngara nos Jogos Olímpicos de Antuérpia, em 1924. Enriqueceu a jogar à bola e na roleta, mas perdeu tudo em 1929, na famosa sexta-feira negra na bolsa nova-iorquina. Na II Guerra Mundial, ainda enviado para um campo de trabalhos forçados, de onde conseguiu fugir em Dezembro de 1944, pouco antes de ser enviado para Auschwitz. O pai, irmã, e muitos outros familiares, morreram nesse campo de concentração.

Antes do Benfica conseguira ser campeão nacional pelo Porto, em 1959, mas, é, em 1961, como treinador do Benfica, que consegue a proeza de vencer a Taça dos Campeões Europeus – um feito que repetiu no ano seguinte. Saiu do clube da Luz logo de seguida, após a recusa de um aumento de 65 por cento por parte do clube, e de Salazar o ter feito comendador: “Nem daqui a 100 anos uma equipa portuguesa será bicampeã europeia e o Benfica jamais ganhará uma Taça dos Campeões sem mim...” O Benfica nunca mais ganhou, apesar de ter estado por mais cinco vezes na final da Taça dos Campeões. Conhecido pelas tácticas inovadoras e pelas mudanças frequentes de clube foi eleito, em 2013, por jogadores e treinadores, o nono melhor treinador de todos os tempos. "Um trabalho notável",  escreveu o jornal "L’Équipe".

David Bolcher é autor e comentador. Publicou três livros, nomeadamente o «bestseller» O Gestor de 90 Minutos, que explora os vários estilos de gestão dos grandes treinadores de futebol. Colaborou com diversos jornais, entre os quais o The Times, The Telegraph e Financial Times. Trabalhou durante três anos na investigação deste livro. Conversou com António Simões, que foi treinado por Béla Guttmann na década de 60.

“Autobiografia”, de John Stuart Mill: as memórias de um pensador incontornável

67_Autobiografia_frente (1).jpg.png

 

 

 

A Edições 70 publicou “Autobiografia”, de John Stuart Mill, um dos pensadores liberais mais influentes do século XIX. Neste livro de memórias escrito num tom ensaístico Mill reflete muito em particular sobre o legado educacional deixado pelo pai e sobre o modo como a sua vida e as suas relações pessoais influenciaram diretamente os temas transversais ao seu trabalho: filosofia, ética, educação e política. 

 

A “Autobiografia” de John Stuart Mill foi publicada pela Edições 70, uma chancela do Grupo Almedina. O autor descreve neste livro a pressão que o pai colocou sobre ele na infância, a depressão que sofreu quando jovem, a sua luta para entender um mundo de sentimentos e emoções muito distantes do rigoroso ensino do pai, a relação amorosa com a sua mulher, cuja incontornável influência intelectual Mill admite francamente, e o desenvolvimento posterior das suas próprias convicções. Relato tocante de uma vida extraordinária, esta autobiografia revela um homem de profunda integridade, constantemente em busca da verdade

 

“Autobiografia”, de John Stuart Mill, está já disponível nas livrarias portuguesas pelo PVP de 16,90€.

 

Sobre o autor:

 

John Stuart Mill nasceu em Londres, em 1806, e morreu em Avinhão em 1873. Filósofo e economista inglês, foi um dos pensadores liberais mais influentes do século XIX. Foi defensor do utilitarismo, a teoria ética proposta inicialmente pelo seu padrinho Jeremy Bentham e segundo a qual as ações são boas quando promovem o maior bem para o maior número de pessoas.

Apresentação do livro “As Palavras Que a Memória Conta” de Idalina Cassito

Apresentação do livro “As Palavras Que a Memória Conta” de Idalina Cassito
15 de fevereiro | 19h00 | Biblioteca Municipal de Beja

primage_21971.png.jpg

 

Integrado no Programa de Leitura em Meio Rural, a Biblioteca Municipal de Beja - José Saramago - promove há já alguns anos conversas com grupos de idosos das freguesias rurais do concelho. “Conversas Andarilhas” é por isso um projeto de continuidade que, entre outros objetivos, trabalha a função social da leitura.
Recentemente foram editadas duas recolhas de poesia de autor, feitas no seio das comunidades onde intervimos, e neste ano em que o trabalho desenvolvido nas freguesias rurais é em torno da Oralidade, esse grande património, tornou-se imperativo a edição de um novo título da Coleção Vozes que Perduram. 


Amanhã, dia 15 de fevereiro, pelas 19h00, na Biblioteca Municipal de Beja, será apresentado o livro “As Palavras Que a Memória Conta” de Idalina Cassito. Um trabalho de recolha com uma informante privilegiada que é uma transcrição descomprometida cientificamente, mas com o legado de uma mulher que tem tanto para partilhar.


Escutar Idalina Cassito é ouvir um repertório ora humorístico, ora dramático, em que de uma palavra brota uma história e estende-se no horizonte da espontaneidade, porque sempre esteve envolvida no trabalho do campo, na lida da casa, nas tarefas, mas também nas conversas as mulheres mais velhas ora no campo, ao poial da porta ou na casa da velha vizinha que contava coisas de mulheres, romances, modas, ou contos maravilhosos.
Dar voz a alguém que guardou tantas palavras que a sua memória conta é o objetivo desta apresentação que contará com alguns apontamentos musicais pelas “Rosinhas de Santa Clara do Louredo”.

Manuela Parreira apresenta livro de poesia em Pinhal Novo

 

Manuela Parreira 2017.jpg

 

“Amor e Vida – Poemas da Minha Vida”

Manuela Parreira apresenta livro de poesia em Pinhal Novo

 

O livro “Amor e Vida – Poemas da Minha Vida”, de Manuela Parreira, é apresentado no dia 17 de fevereiro, no Auditório Municipal de Pinhal Novo.

A sessão, organizada pela Câmara Municipal de Palmela, com início agendado para as 18h00, é de entrada gratuita e conta com a participação de Gonçalo Filipe Parreira, que fará a apresentação.

Manuela Parreira é professora aposentada das escolas secundárias do Pinhal Novo e da Amadora e fundadora e diretora pedagógica do Centro de Línguas do Pinhal Novo.

 

 

Um ano de sabedoria sobre Gestão, tudo num só volume.

 

 

image002.jpg

 

Acaba de chegar a Portugal, através da Actual Editora, a mais recente obra sobre Gestão da Harvard Business Review. “Ideias decisivas sobre gestão do ano 2017” é o nome do livro, que reúne as melhores ideias e boas práticas de gestão dos últimos tempos. Com autores como Clayton M. Christensen, Ram Charan e Adam Grant, e exemplos das empresas que vão desde a Intel à Uber, o volume dedicado ao ano de 2017 vai deixá-lo na vanguarda da gestão.

 

A Actual Editora acaba de lançar em Portugal “HBR – Ideias Decisivas sobre gestão do ano 2017”, uma obra da autoria de Clayton M. Christensen, Ram Charan e Adam Grant, entre outros.

 

A Harvard Business Review, revista da mais prestigiada faculdade de gestão e economia do mundo, analisou centenas de ideias e selecionou os artigos mais importantes de 2017 para o ajudar a maximizar o seu desempenho e o da sua organização.

 

Com os exemplos de empresas que vão desde a Intel à Uber, o volume dedicado ao ano de 2017, pretende deixar os leitores na vanguarda da gestão, inspirando-os a:

 

- Repensar a forma como trabalham perante o avanço da automatização;

- Transformar os seus negócios através de uma estratégia de plataforma;

- Criarem produtos inovadores através do design thinking;

- Identificarem as situações em que o excesso de colaboração constitui um entrave;

- Verem a teoria da inovação disruptiva com um novo olhar;

- Reconhecerem os sinais das falhas de comunicação nas situações de negociação multicultural;

 

De realçar que o livro “HBR – Ideias Decisivas sobre gestão do ano 2017”, da Actual Editora, uma chancela do Grupo Almedina, já está disponível para venda nas livrarias portuguesas pelo PVP de 17,90€.

Oficina do Livro edita biografia póstuma do actor João Ricardo, Dias que (Não) Contam

Convite_altadefinicao_Os_dias_que_n_contam.jpg

 

Três meses após a morte do actor, a Oficina do Livro edita as memórias, "Os Dias que (Não) Contam", biografia que João Ricardo escrevia na altura em que perdeu a batalha contra o cancro. “Sou actor há 40 anos, mas já o era muito antes de o ser”, escreve no início deste livro no qual admite que teve uma vida difícil e que a sua maior paixão foi o filho, Rodrigo Ricardo, que apresenta a obra no dia 22 de fevereiro, às 18h30, em conjunto com os actores Paulo Oom e Custódia Gallego, no Bar do Teatro A Barraca. Nas livrarias na próxima quarta-feira.

Ao longo das páginas conta a infância difícil. Aos 9 anos, o pai obrigou-o a trabalhar numa fábrica de caixas, depois numa pastelaria, aos 12 anos, era ajudante de motorista, e depois ajudou nas obras na construção das Amoreiras..”Era um adolescente de 16 anos, frustrado, magoado, carente, vazio."  Não esconde que foi sem-abrigo, mas recusa que tenha sido um “coitado”. “Sim, houve alturas em que não tive nada. Mas também houve outras em que tive tudo. Sim, a vida tirou-me muito. Mas tirou tudo o que devia tirar na altura certa e deu-me tudo o que eu queria na altura certa. Fez de mim quem sou. Um homem que tem tanto de bom como de mau embora goste de acreditar que tenho um bocadinho mais de bom que de mau.”

Autodidacta na representação, adnite em "Os Dias que (Não) Contam" que quis recusar o papel de Armando Coutinho, na novela “Laços de Sangue”, a sua personagem mais conhecida. Em outubro de 2017, sentiu-se mal durante as gravações da novela "Rainha Das Flores", da SIC, canal no qual trabalhou em exclusividade desde 2010. Foi internado no Hospital de Santa Maria e operado a um tumor no cérebro. Voltou ao trabalho para integrar uma novela da SIC, «Espelho d'Água». Morreu a 23 de Novembro de 2017, sem concretizar o sonho de atravessar a nado o estreito de Gibraltar.

“Como pode morrer alguém que ainda nos comove e nos faz sorrir, alguém que sentimos, que amamos? Talvez seja isso a imortalidade. Enquanto nos lembrarem, não podemos morrer. Somos parte de quem fica, até que a última memória de nós desapareça. E um dia, muito depois disso, alguém poderá passar pela nossa campa, notar por acaso o nosso nome, e garantir que não desaparecemos. Até lá, tudo o que podemos fazer é lembrar-nos, todos os dias, de que é este o maior espectáculo do mundo: a vida. E garantir que, neste palco, damos tudo de nós, sem rede, até a última gargalhada se transformar em pó de estrelas.”

 

Esta semana na FNAC Colombo - Luís Maia, Cátia Antunes e Paulo Sousa

De 6 a 9 de fevereiro na FNAC Colombo

 

Esta semana na FNAC Colombo...

 

Lançamento – O Meu Filho Não Dorme – 6 de fevereiro – 18h30

Luís Maia.jpg

 

Luís Maia, repórter da SIC, lança-se novamente no mundo da literatura com o livro, O Meu Filho Não Dorme, que retrata uma história trágico-cómica sobre os temas da parentalidade dos nossos tempos. A não perder hoje, ao fim da tarde.

 

 

Lançamento – Fast Food, Fast Life, Fast Cancer – Uma Vida sem Cancro – 7 de fevereiro – 18h30

Cátia Antunes.jpg

 

 


Fast Food, Fast Life, Fast Cancer – Uma Vida Sem Cancro, é o título do livro onde Cátia Antunes partilha a sua visão de naturopatia, e aconselha a adoção de um estilo de vida mais saudável na prevenção do aparecimento do cancro. O lançamento terá lugar esta quarta-feira.

 

 

Música Ao Vivo – Paulo Sousa, Teu – 9 de fevereiro – 18h30

Paulo Sousa.jpg

 

 


Paulo Sousa, o ex-concorrente dos programas da SIC, Factor X e Ídolos, apresenta o seu primeiro álbum, Teu, que inclui temas já bem conhecidos do público, como Somos Eu e Tu e Não me Deixes Ir. Depois da sua passagem pelas cidades de Coimbra e Leiria, o artista marcará presença em Lisboa, esta sexta-feira.

 

"Mulheres de Ditadores" regressa às livrarias portuguesas

mulheres_de_ditadores.jpg

 

LeYa/Casa das Letras /Fevereiro de 2018

A edição portuguesa do livro da historiadora francesa Diane Ducret, que foi retirada do mercado em 2012, pouco depois de ter sido editada pela Casa das Letras, regressa às livrarias na próxima semana. Ultrapassada a questão legal que a impedia de ser vendida em Portugal, "Mulheres de Ditadores", o livro sobre a intimidade de homens como Lenine, Mussolini, Estaline, Hitler ou Salazar, é colocado de novo nas livrarias pelo Grupo Leya.

Chamavam-se Inessa, Clara, Nadia, Magda,, Jiang Qing, Elena, Catherine… E eles Lenine, Mussolini, Estaline, Hitler,, Mao, Ceausescu, Bokassa. Prostitutas ou mulheres da alta burguesia intelectual, paixões fugazes ou amores intensos, eles maltratavam ou adoravam-nas, mas, sistematicamente, voltavam para os seus braços. Esposas, companheiras, musas, admiradoras, todas têm em comum o facto de terem sido vencedoras, enganadas e sacrificadas. Aos seus homens cruéis, violentos, tiranos e infiéis, faziam crer que eram belos, charmosos e todo-poderosos. Sendo a virilidade um dos alicerces do poder absoluto, os ditadores sentiam a necessidade de juntar figuras femininas ao imaginário de poder e domínio que criaram. E assim controlando-os na sombra, por vezes, até à morte, como se vivessem sob a égide de um Pigmaleão.Diane Ducret relata em detalhe os momentos, as estratégias de sedução, os casos amorosos, as intervenções políticas e os destinos diversos, ocasionalmente trágicos, das mulheres que cruzaram o caminho ou passaram pelo leito dos ditadores.

Antiga aluna da Université de Sorbonne e da École Normale Supérieure, Diane Ducret é historiadora, filósofa e jornalista. Apresentou o «Forum de l’Histoire», no canal História, realiza documentários culturais e é radialista de programas dedicados à História."Mulheres de Ditadores" é o seu primeiro livro.

364 páginas | Casa das Letras | 19,90€

3 Fevereiro - 15h - Grupo Coral Alentejano "Os Amigos dos Sadinos" e Sessão de Apresentação de livro de Francisco do Ó Pacheco

b16219a4-7bfb-4d2a-91e8-d1febc2b9480.jpg

 

3 Fevereiro - 15h00
Tarde Cultural com Grupo Coral "Os Amigos dos Sadinos"
e
Sessão de Apresentação do Livro 
"O Despontar do Elefante com Pés de Barro", de Francisco Do Ó Pacheco

Este sábado, dia 3 de Fevereiro, pelas 15h00, a Casa do Alentejo promove uma Tarde Cultural de Cante Alentejano, ao som do Grupo Coral Alentejano "Os Amigos dos Sadinos"

Em simultâneo, na Biblioteca, poderá também participar na Sessão de Apresentação do livro "O Despontar do Elefante com Pés de Barro", de Francisco do Ó Pacheco, com a presença do autor.

Não perca!