Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Embaixador António Monteiro apresenta livro do embaixador de Portugal em Dublin, Bernardo Futscher Pereira, terça, 20, às 18h30, em Lisboa

conv_crepusculo_colonialismo.jpg

 

O embaixador António Monteiro e o professor Tiago Moreira de Sá apresentam na terça-feira, dia 20, às 18h30, no Salão Nobre da Câmara de Comércio e Indústria de Lisboa, o livro Crepúsculo do Colonialismo - A Diplomacia do Estado Novo (1949-19619), escrito pelo actual embaixador de Portugal em Dublin, Bernardo Futscher Pereira.

Crepúsculo do Colonialismo é a continuação de A Diplomacia de Salazar, publicado em 2012, também pela Dom Quixote. O volume anterior cobriu o período entre a ascensão de Salazar ao Governo e a adesão de Portugal à Nato. O atual culmina com a invasão de Goa em Dezembro de 1961, mas aborda as visitas de Eisenhower e Isabel II a Portugal,a candidatura de Humberto Delgado à presidência,o sequestro do Santa Maria e os massacres em Angola, entre muitos outros assuntos.

Biblioteca Municipal | Empréstimo de verão

Logo Biblioteca.jpg

 

Empréstimo de verão até 15 de setembro

 

 

A Biblioteca Municipal do Barreiro disponibiliza, até ao dia 15 de setembro, o Empréstimo de Verão de diversos livros.

 

As obras podem ser requisitadas num período de 30 dias seguidos, permitindo a todos os seus utilizadores “levar os livros de férias”.

 

A Biblioteca Municipal do Barreiro está situada na Rua da Bandeira, Urbanização do Palácio do Coimbra, 2830-330 Barreiro, Telefone: 21 206 86 56 (Receção), e-mail: biblioteca.municipal@cm-barreiro.pt .

 

 

 

 

A reprodução textual da informação implica a referência da sua autoria: CMB

“Yoga com Histórias” apresenta “A Charada da Bicharada”

Cartaz_biblioteca.jpg

 

Inserida na programação da Biblioteca Júnior, no dia 17 de junho, sábado, pelas 11h00, terá lugar ‘Yoga com Histórias’ dedicada ao livro ‘A Charada da Bichada’, de Alice Vieira. A atividade será dinamizada por Marta Teixeira, no Auditório da Biblioteca Municipal do Barreiro.

 

Faixa etária – crianças dos 3 aos 10 anos

Entrada livre, mediante inscrição.

Limite de inscrições: 12 famílias

Inscrições – 21 206 86 59.

 

  CMB

"A Dança da Vida", romance de Gustavo Santos

500_9789897417405_a_danca_da_vida.jpg

 

A Oficina do Livro relançou este mês o terceiro romance de Gustavo Santos, A Dança da Vida. A nova capa remete para o ambiente do romance, que, bem ao estilo do autor, nos fala da importância do agora, de como devemos valorizar o presente. A Dança da Vida é uma história comovente de uma família, dos seus conflitos e de como ela se reconstrói, um livro sobre segundas oportunidades e primeiras escolhas e que nos questiona: e se o amanhã não fizer parte do destino de quem mais ama? Na sessão de lançamento do livro, realizado esta semana na Feira do Livro de Lisboa, o autor não escondeu que há no livro uma forte componente autobiográfica.

 

Sobre o livro

João é o filho mais velho de Jaime e Magali, portenha, amante de milongas. Em Sintra, onde vive com a família, João manifesta desde menino o gosto pela dança. O sonho de ser bailarino envergonha o pai, que quer ver o filho seguir-lhe os passos na engenharia. Para a mãe, a vocação do filho é motivo de orgulho, uma extensão da sua própria paixão pelo tango. Como todos os sonhadores, João não tem a vida facilitada. Entre lutar pelo seu sonho ou abandoná-lo definitivamente, opta por ouvir o coração. E é quando o faz que descobre o verdadeiro amor ao lado de Íris, com quem cria uma relação de cumplicidade eterna. Esta é uma história que ilustra a falta de entendimento e comunicação entre filhos – o eterno conflito de gerações –, a distância entre as expectativas de uns e os desejos de outros e o poder do perdão na hora de acordar para a vida. É um romance sobre a importância do «agora», que ajuda a compreender como é fundamental viver o presente, sem adiar os sonhos e o amor. Em A Dança da Vida, Gustavo Santos revela-se um escritor corajoso que explora, numa escrita acessível e dinâmica, a profundidade de muitas vidas, conduzindo o leitor entre a acção e o medo, o infortúnio e a redenção, com a perícia de um bailarino experiente.

 

Sobre o autor

Gustavo Santos nasceu em 1977, na cidade de Lisboa. Define-se como um homem de pessoas, palavras e afectos. Ao longo da vida, tem-se dedicado a diversas áreas profissionais, desde a representação à escrita, passando pela dança e, mais recentemente, pelo coaching. Na TV, participou em novelas como Floribella, Chiquititas, Vingança, Rebelde Way e Espírito Indomável; nas séries juvenis Morangos com Açúcar e Clube das Chaves, entre outras, e em programas de humor, como Camilo, o Presidente, Os Malucos do Riso, Câmara Café e Maré Alta. Estreou-se na peça “Aqui Há Fantasmas”, encenada por Rita Ribeiro. Foi campeão mundial de hip-hop, como bailarino, com o grupo Hexa, na cidade de Los Angeles (2001). Um ano depois, sagrou-se campeão nacional como coreógrafo, com o grupo UBK. Em 2009, concluiu o Certificado em Coaching Life & Business, na International Coach Federation. Actualmente apresenta o programa Querido, Mudei a Casa!, na TVI. No ano passado lançou Ama-te. Na Oficina do Livro editou Carta Branca e Os Laços Que nos Unem. A Dança da Vida foi o seu terceiro romance.

 

“A Dança da Vida”

Editora: Oficina do Livro

224 páginas

PVP 15,50€

Apresentação do livro “Do Ocidente para o Oriente” pinturas de Natália Gromicho

 

17 de Junho de 2017, 15H00, Feira do Livro de Lisboa, Stand Edições Vieira da Silva, Stand C12

 

A Edições Vieira da Silva apresenta, pelas 15h do dia 17 de Junho de 2017, o primeiro livro da artista plástica Natália Gromicho – “Do Ocidente para o Oriente” pinturas de Natália Gromicho - na Feira do Livro de Lisboa no Stand C12

A apresentação do livro conta com a presença da autora e de convidados, estando aberto ao publico em geral.

 

 

 

 

Sobre o livro: 

Índia, Timor-Leste, China e Singapura, inspiraram as várias obras de grande formato, pintadas entre 2012 e 2016 pela artista plástica portuguesa Natália Gromicho, agora reunidas no seu primeiro livro Do Ocidente para o Oriente – pinturas de Natália Gromicho, que será apresentado ao publico no próximo dia 17 de Junho pelas 15h na Feira do Livro de Lisboa, no stand C12 da Edições Vieira da Silva.

 

 

 

 

Sobre o Autor: 

Natália Gromicho estudou pintura na Faculdade de Belas Artes e na Escola ArCo, em Lisboa. Com 20 anos de carreira, assinalados em 2015, tem representado Portugal em várias mostras internacionais, colectivas bem como individuais, num total de mais de 100 exposições. A sua obra integra colecções particulares e institucionais em todo o mundo, com destaque para Portugal, Austrália, EUA, Brasil, Itália, Rússia, França, Reino Unido, Timor-Leste, Singapura, Índia e Macau. Natália Gromicho pinta em regime de “open studio”, permitindo ao público observar o 

APOM:Prémio Comunicação Online museu e três prémios para Vale do Varosa + Livro "A Diocese de Lamego em três Histórias"

canvas.png

 

O Museu de Lamego vem por este meio solicitar a melhor divulgação das notas de imprensa em anexo, duas das quais relativas aos Prémios APOM, que premiaram o museu na categoria "Melhor Comunicação Online" e o projeto Vale do Varosa, da responsabilidade da Direção Regional de Cultura do Norte, sob gestão de proximidade do Museu de Lamego, nas categorias "Melhor Intervenção em Conservação e Restauro" e "Melhor Informação Turística". O Vale do Varosa contou ainda com a atribuição de uma menção honrosa, na categoria "Melhor Museografia", para o Centro Interpretativo do Mosteiro de São João de Tarouca.
 
Por fim, remetemos ainda nota sobre um extraordinário contributo para a História de Lamego e da sua Diocese, com a publicação da obra “A Diocese de Lamego em Três Histórias”. Da autoria de Joaquim Correia Duarte, a apresentação decorreu no Museu de Lamego, integrada nas comemorações do Centenário, e esteve a cargo da Presidente da Academia Portuguesa da História, Professora Doutora Manuela Mendonça.
 

1975: O RETORNO A PORTUGAL

Retornar.jpg

 

 

 

Acaba de chegar às livrarias portuguesas a obra “Retornar: Traços de memória do fim do Império”, escrita sob a coordenação de Elsa Peralta, Bruno Góis e Joana Oliveira. Este livro, que junta testemunhos pessoais, registos imagéticos e contribuições de vários investigadores, pensadores, artistas e escritores, pretende refletir sobre o processo de descolonização através do cruzamento de diferentes olhares críticos sobre este retorno.

 

O processo de descolonização teve início em 1974, quando ainda apenas tinha sido formalmente reconhecida a independência a Guiné Bissau. Um ano mais tarde, em 1975, os restantes territórios africanos como Cabo Verde, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Angola reconheceram também a sua independência, fazendo com que muitos portugueses retornassem ao seu país de origem.

 

A obra “Retornar: Traços de memória do fim do Império”, das Edições 70, relata precisamente este regresso dos nacionais à antiga metrópole. A obra, que surge na sequência da exposição “Retornar - Traços de Memória” produzida, em 2015, pela EGEAC para assinalar os 40 anos do processo de descolonização, cruza diferentes perspetivas disciplinares e olhares críticos sobre este retorno.

 

Este livro pretende inscrever, em lugar próprio, um debate sobre a dimensão simbólica do fim do império português e sobre a escala humana das experiências de deslocação e desapossamento que acompanharam esse fim. O seu propósito é o de fornecer linhas cruzadas de pensamento que permitam olhar e refletir sobre este fenómeno, a partir do seu lastro num tempo presente através de fontes históricas, testemunhos pessoais, registos imagéticos e conceitos artísticos, contando, para tal, com contribuições de vários investigadores, pensadores, artistas e escritores.

 

A obra, escrita sob a coordenação de Elsa Peralta, Bruno Góis e Joana Oliveira está à venda nas livrarias portuguesas pelo pvp de 29.90€.

 

 

Sobre os coordenadores:

 

Elsa Peralta é doutorada em Ciências Sociais (na especialidade de Antropologia Cultural) pelo ISCSP-UTL, em 2006. Licenciou-se em Antropologia no ISCP-UTL em 1997 e fez o Master 1999 em Património Cultural na Universidade Complutense de Madrid (com reconhecimento do grau de Mestre pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra). A sua pesquisa tem incidido sobre processos de ativação e materialização de memórias coletivas. Assumindo uma orientação interdisciplinar que emerge da intersecção entre a antropologia, a história e os estudos culturais, tem-se interessado particularmente pela forma como as noções de identidade e pertença são construídas e articuladas na esfera pública por recurso à fixação de imagens selectivas do passado. Tem também focado a sua investigação nas temáticas do património, da cultura material e dos estudos de museus.

 

Bruno Góis é investigador e ativista político, mestre em Relações Internacionais pelo ISCSP (2012), doutorando em Antropologia e bolseiro de investigação no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa no projeto O Império Colonial Português e a Cultura Popular Urbana: Visões Comparativas da Metrópole e das Colónias (1945-1974), coordenado por Nuno Domingos. Foi membro da comissão científica da exposição "Retornar - Traços de Memória". Atualmente desenvolve o projeto de tese "Memória e cultura popular urbana da população colonial de origem portuguesa em Angola e Moçambique (1945-1975)", sob orientação de Elsa Peralta.

 

Joana Oliveira fez a sua formação académica em Antropologia na Universidade de Coimbra e na Universidade de Lisboa. Atualmente é doutoranda em Antropologia no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa com o tema "A Vida e a Morte: As Histórias das Fotografias no Contexto Português Pós-Colonial", sob orientação de Elsa Peralta. Foi cocuradora da exposição "Retornar - Traços de Memória". 

 

Sexta-feira l 9 de junho l 18h30 l Praça Leya l Feira do Livro de Lisboa l Sessão de autográfos de Alberto João Jardim

AUTOGRAFOS_relatorio_combate.jpg

 

Alberto João Jardim estará esta sexta-feira, às 18h30, na Praça Leya, no Parque Eduardo VII, em Lisboa, para uma sessão de autógrafos do seu livro Relatório de Combate, as memórias de 41 anos de actividade política.

Presidente do Governo Regional da Madeira durante 37 anos, Alberto João Jardim é uma das figuras marcantes da democracia portuguesa. Fundou o PSD/Madeira aos 31 anos, foi eleito seu presidente aos 34, e ganhou dez vezes, sempre com maioria absoluta, as eleições regionais. No seu estilo directo e franco começa por contar o seu trajecto político, desde a madrugada do 25 de Abril, e conduz o leitor por entre os corredores do poder até à actualidade. Nestas suas memórias políticas percorre todas as fases por que o regime português passou – o PREC, os primeiros Governos constitucionais, a estabilização do Regime, a entrada para a Comunidade Europeia e enfim a maturidade democrática. E partilha o que esta cronologia de acontecimentos significou para a luta pela Autonomia da Madeira, bem como definiu a sua acção política.

VIII Feira do Livro "Festas com Livros" - Festas Populares de Pinhal Novo | 6 a 11 de junho

Na Biblioteca e no stand de Festas

Município promove VIII Feira do Livro em Pinhal Novo

 

 

A Câmara Municipal de Palmela promove, de 6 a 11 de junho, a VIII Feira do Livro “Festas com Livros”, na Biblioteca Municipal de Pinhal Novo e no stand próprio, nas Festas Populares de Pinhal Novo.

Do programa da Feira - que conta com o apoio da Livraria Ronda das Letras e integra, entre outras atividades, exposições, oficinas e encontros com escritores, com entrada livre – destaca-se o workshop “Pé ante pé, pedra sobre pedra: construindo histórias à volta do Castelo de Palmela”, no dia 6, com quatro sessões; as iniciativas “Ouvir um Conto”, no dia 7, às 14h30; a “Sessão de dinamização da leitura e oficina criativa | Livro – Grãozinho de Areia”, no dia 8, com três sessões, e “Museu da Música Mecânica – o Museu vai à Biblioteca!”, no dia 9, às 21h30, na Biblioteca Municipal de Pinhal Novo. Luísa Ferreira e Isabel Caetano são as escritoras convidadas a participar nas “Conversas de Literatura sobre a Vida”, no dia 10, às 21h30, na Biblioteca Municipal de Pinhal Novo. Destaque, ainda, para as oficinas a realizar no stand de festas, entre os dias 6 e 10, às 21h30.

A Feira do Livro funcionará no seguinte horário: Biblioteca, nos dias 6, 8 e 9, das 10h30 às 00h00; no dia 7, das 14h00 às 00h00 e nos dias 10 e 11, das 19h00 às 00h00;  no stand, entre os dias 6 e 9, das 19h00 às 00h00, e nos dias 10 e 11, das 15h00 às 00h00.

 

 

Programa:

 

ESPAÇO DO BAR

 

Exposição “Ler+@doça a Vida”– Castelo de Palmela

Trabalhos realizados pelas Bibliotecas Escolares do concelho no âmbito do Projeto Ler+@doça a Vida, que teve como tema central o Castelo de Palmela.

 

Exposição – Casinhas da Cláudia

Trabalhos realizados por Ana Cláudia Neto. Utiliza diversos materiais para a construção de casas em miniatura.

 

Exposição – Algumas memórias e recordações da Vila de Pinhal Novo

Pequena mostra de objetos e materiais que trazem à memória o passado e o presente da Vila de Pinhal Novo.

 

 

BIBLIOTECA MUNICIPAL DO PINHAL NOVO

 

6 junho | 10h30-11h15, 11h30-12h15, 14h00-14h45, 15h00-15h45

Workshop Pé ante pé, pedra sobre pedra: construindo histórias à volta do Castelo de Palmela

Sabias que há centenas de castelos que podemos visitar no nosso país? Será que havia muitas princesas nessa época? Para que serviam, afinal, os castelos? Vem descobrir a verdadeira razão para se terem construído castelos e conhecer um pouco de como seria a vida das pessoas nessa época.

Promovido por Entre Memórias – Educação Patrimonial Itinerante – Patrícia Azevedo Godinho

Inscrições prévias obrigatórias: bibliotecas@cm-palmela.pt (indicar nome da atividade, horário e n.º de participantes).

 

7 junho| 10h30-12h00

Oficina: Envio-te uma mensagem

O Castelo de Palmela foi ocupado por militares desde meados do século XIX até aos finais do século XX. Através da observação e manuseamento de materiais de comunicação, esta oficina promove a descoberta das funções dos militares instalados no castelo, bem como a importância deste monumento na transmissão de mensagens.

Promovido por Museu Municipal de Palmela – Serviço Educativo

Inscrições prévias obrigatórias: bibliotecas@cm-palmela.pt (indicar nome da atividade, n.º de participantes e contacto telefónico)

 

 

7 junho | 14h30-15h30

Ouvir um Conto

Momento de descoberta e prazer da literatura quando se ouve contar um conto.

Por: Margarida Costa

Inscrições prévias obrigatórias: bibliotecas@cm-palmela.pt (indicar nome da atividade, n.º de participantes e contacto telefónico)

 

8 junho | 10h30-11h15, 11h30-12h15 e 14h30-15h30

Sessão de dinamização da leitura e oficina criativa | Livro – Grãozinho de Areia

Com a escritora Joana Maurício e a ilustradora Cristina Arvana

Inscrições prévias obrigatórias: bibliotecas@cm-palmela.pt (indicar nome da atividade, horário, n.º de participantes e contacto telefónico)

 

8 junho| 21h30

À Música e à Conversa com os Gaiteiros da Bardoada

Por: Gaiteiros da Bardoada – Pinhal Novo

9 junho | 21h30

Museu da Música Mecânica – O Museu vai à Biblioteca!

Oportunidade para conhecer o Museu da Música Mecânica pela voz do seu criador e ouvir peças ao vivo.

Por: Museu da Música Mecânica – Pinhal Novo

 

10 junho | 16h00

Atelier de construção de casas em miniatura

Por: Ana Cláudia Neto

Inscrições prévias obrigatórias: bibliotecas@cm-palmela.pt (indicar nome da atividade e contacto telefónico)

 

10 junho |  21h30

Conversas de literatura sobre a Vida

Partilha de experiências em que o que somos, o que fazemos, pensamos, decidimos… expressam-se na literatura e a literatura faz parte desse ser, fazer, pensar, decidir…

Pelas escritoras: Luísa Ferreira e Isabel Caetano

 

STAND DE FESTAS

 

6 a 10 junho | a partir das 21h30

Todos os dias, a partir das 21h30, disponibilizam-se atividades.

 

Dia 6: Oficina de grafia antiga e iluminura– dinamizado pelo Serviço Educativo do Museu Municipal de Palmela

Dia 7: Vem construir a tua casinha – dinamizado por Ana Cláudia Neto

Dia 8: Feira de Trocas – traz um livro que já não queiras troca por outro

Dia 9: Uma história de INcantar… Ilustração de um conto – dinamizado pelo Grupo INdiferentes

Dia 10: A confirmar