Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

"A Diocese de Lamego em Três Histórias" apresentada no Museu de Lamego

DioceseTresHistorias A4.jpg

 

“A Diocese de Lamego em Três Histórias” é o título da obra que é apresentada no Museu de Lamego no próximo dia 10 de junho, pelas 16h00. Integrada nas comemorações do Centenário do Museu, a apresentação, numa edição da Diocese de Lamego, estará a cargo da Presidente da Academia Portuguesa da História, Professora Doutora Manuela Mendonça.

Com pesquisa, leitura, reprodução, organização e anotações de Joaquim Correia Duarte, padre na Diocese de Lamego e membro da Academia Portuguesa da História, ao longo de quase 700 páginas, são transcritos três documentos da maior importância para a História do Bispado de Lamego.

MUSEU NACIONAL DA MÚSICA: Lançamento do livro A LÍNGUA PORTUGUESA NO CANTO LÍRICO de TÂNIA VALENTE | 24 Março, 18h, #EntradaLivre

Na próxima sexta, 24 de Março, pelas 18h, 

Lançamento do livro 

A LÍNGUA PORTUGUESA NO CANTO LÍRICO 

CONTEXTO HISTÓRICO E RELAÇÕES ENTRE TÉCNICA E FONÉTICA 

por TÂNIA VALENTE

 

A apresentação ficará a cargo da Prof. Dra. Ana Mendes (terapeuta da fala e docente do Instituto Politécnico de Setúbal), do Prof. Maria José Borges (docente do Conservatório Nacional) e de Fernando Serafim (cantor e professor de canto).

Segue-se um momento musical com a autora do livro (canto) e o pianista Daniel Godinho. Serão tocadas obras de  Gustavo Romanoff Salvini.

A entrada é livre.

 

A_Lingua_Portuguesa__Cover_for_Kindle (1).jpg

 

Sobre o livro:

Este livro é uma versão concisa da tese de Doutoramento de Tânia Valente*, com actualização de conteúdos, incluindo factos históricos inéditos sobre o percurso do compositor, cantor e professor de canto Gustavo Romanoff Salvini (1825-1894), pioneiro na abordagem musical e científica da questão do Canto em Língua Portuguesa. 

A investigação parte de um preconceito, generalizado entre a comunidade de cantores líricos portugueses e estrangeiros, de que o português é uma língua “difícil” para o Canto. Tânia Valente tentou perceber de onde vem este preconceito e se ele fará algum sentido. 

Tomando Salvini como ponto de partida e fio condutor ao longo de toda a obra, a autora analisa a relação entre canto e fonética portuguesa ao longo de 4 capítulos. Cada capítulo tenta dar resposta a uma questão: 1- De onde vem o preconceito de cantar em português? 2- Como funciona o aparelho fonador? 3- Como funciona a língua portuguesa de um ponto de vista articulatório? 4- Como funciona o canto em língua portuguesa em termos acústicos?

Por fim, utilizando a tecnologia e os conhecimentos sobre fonética e técnica vocal dos séc. XX e XXI, identifica alguns sons potencialmente difíceis para o canto em Língua Portuguesa e sugere estratégias para os ultrapassar.

*Baseado na dissertação de Doutoramento “A Língua Portuguesa no Canto Lírico: um estudo de relações entre técnica vocal e fonética articulatória” apresentada à Universidade de Évora em Junho de 2014.

 

Biografia da autora:

Doutorada em Música e Musicologia, ramo de Interpretação, pela Universidade de Évora, a autora Tânia Valente divide a sua actividade artística de cantora com a de docente da Escola de Música do Conservatório Nacional de Lisboa e investigadora Académica. Iniciou os seus estudos musicais no Instituto Gregoriano de Lisboa. É licenciada em Línguas e Literaturas Modernas: Estudos Ingleses e Alemães pela Faculdade de Letras de Lisboa, e em Canto pela Escola Superior de Música de Lisboa.
Os seus interesses de investigação abarcam as áreas da Ciência Vocal, Pedagogia do Canto e relações entre Música e Literatura. 
Para além de se apresentar regularmente em recitais, é membro do Coro Gulbenkian.

 

Programa do momento musical: 

Gustavo Romanoff Salvini

- Chorei sonhando ( partir de um poema de H. Heine)
- Queres a flor ( texto de Camilo Castelo-Branco)
- Junto ao berço
- Eu não gosto ( poema de Fernando Castiço).

 
 
EVENTOS FUTUROS: 

Gastronomia ‘À Moda do Porto’ fala inglês

05_caldo verde.jpg

 

Apresentação da obra À Moda do Porto – Gastronomia com história ao alcance de todos de Chef Hélio Loureiro

No próximo dia 6 de abril, às 18h30, o Chef Hélio Loureiro apresenta o seu mais recente livro de receitas, À Moda do Porto – Gastronomia com história ao alcance de todos, agora também com versão inglesa. A apresentação será realizada na Casa do Infante, estará a cargo do escritor Mário Cláudio e contará com a presença do Presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Moreira.

Tem lugar no próximo dia 6 de abril, quinta-feira, às 18h30, na Casa do Infante, a apresentação da versão inglesa da obra À Moda do Porto – Gastronomia com história ao alcance de todos, da autoria do Chef Hélio Loureiro. A apresentação da obra estará a cargo do escritor Mário Cláudio e contará também com a presença do autor e do Presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Moreira.

O Chef Hélio Loureiro é desde sempre um amante da sua cidade natal, o Porto, e um grande investigador da sua história e dos seus paladares. Na obra À Moda do Porto são reunidos todos os clássicos da gastronomia portuense, tornando-os acessíveis a todas as mesas. Imbuída de curiosidades históricas sobre a vivência e a tradição de cada prato, esta obra abre as portas para uma viagem fantástica pelos sabores do Porto. Ao Chef Hélio Loureiro juntam-se também alguns dos chefs mais proeminentes desta cidade, como António Vieira, Camilo Jaña, José Cordeiro, Inês Diniz, João Pupo Lameiras, Luís Américo, Marco Gomes e Rui Paula. Todos eles partilham uma receita inspirada nesta terra maravilhosa, criando verdadeiras obras de arte.

Grupo Almedina apresenta nova vaga de literatura de ficção

plasma_apres_serpente.jpg

 

Apresentação da obra A Serpente do Essex

 

A apresentação da primeira obra deste regresso da chancela do Grupo Almedina – Minotauro –, tem lugar no dia 23 de março, pelas 18h30, na Livraria Almedina do Saldanha. A Serpente do Essex, da autoria de Sarah Perry, é a primeira grande aposta do Grupo Almedina para o ano de 2017.

 

Realiza-se no próximo dia 23 de março, pelas 18h30, a apresentação d’ A Serpente do Essex da autora britânica Sarah Perry, livro que bateu o Harry Potter na conquista do Melhor Livro do Ano 2016 pela Waterstones e está atualmente na corrida para o Baileys 2017. Também foi laureado com o Prémio Primeiro Livro, atribuído pelo Guardian, e com o Prémio Livro do Ano de East Anglia. A apresentação, a ter lugar na Livraria Almedina do Saldanha, contará com a participação de Célia Marteniano, autora do blogue Estante de Livros, Cris Rodrigues, autora do blogue Efeito dos Livros, Cristina Delgado, autora do blogue O Tempo Entre os meus Livros, Márcia Balsas, autora do blogue Planeta Márcia e Sara Lutas, editora da Minotauro.

 

O enredo da obra A Serpente do Essex, considerado pelo Guardian como um dos melhores de 2016, conta a história de Cora Seaborne, uma viúva que decide iniciar uma nova vida após a morte do marido e desvendar o mistério que envolve a lenda de um monstro terrível que semeia terror há mais de 200 anos.

 

 

Apresentação “A Serpente do Essex”

  • 23 de março 2017; 18h30
  • Livraria Almedina Saldanha – Atrium Saldanha

Novo Livro De MIGUEL CARVALHO: QUANDO PORTUGAL ARDEU lançado esta terça-feira

CapaPEQ_quando_portugal_ardeu.jpg

 

QUANDO PORTUGAL ARDEU

de Miguel Carvalho

PVP 18,80€ / 560 páginas

A Oficina do Livro publica amanhã, terça-feira, 21 de Março, o livro Quando Portugal Ardeu, novo livro do jornalista Miguel Carvalho, um grande trabalho em torno das histórias e segredos da violência política no pós-25 de Abril.

Histórias e segredos da violência política no pós-25 de Abril é o que nos propõe o jornalista Miguel Carvalho naquele que é o seu segundo livro na Oficina do Livro, depois de A Última Criada de Salazar.

O Grande Repórter da revista Visão procura, em Quando Portugal Ardeu, responder a algumas questões difíceis e, ainda hoje, polémicas: Quem foram as primeiras vítimas mortais da democracia? Por que razão foram assassinados Padre Max, Rosinda Teixeira e Joaquim Ferreira Torres? Quem protegia e que segredos escondia a rede bombista de extrema-direita? Como enfrentou o cônsul dos EUA no Porto o PREC? O que relatam os diários do norueguês baleado no Verão Quente de 1975? Como é que a Igreja mobilizou e abençoou a luta contra o «comunismo»? O que sabia a PJ sobre o terrorismo político e tudo o que nunca chegou a julgamento?

Com recurso a centenas de documentos, entrevistas e testemunhos inéditos, esta investigação jornalística traz à luz do dia histórias secretas ou esquecidas do pós-25 de Abril. Quando Portugal ardeu e esteve à beira da guerra civil.

 

Miguel Carvalho nasceu em 1970, é Grande Repórter da revista Visão desde dezembro de 1999. Em 1989, concluiu o Curso de Radiojornalismo do Centro de Formação de Jornalistas do Porto. Trabalhou ainda no Diário de Notícias e no semanário O Independente. Venceu o Prémio Orlando Gonçalves (Jornalismo), em 2008, e o Grande Prémio Gazeta, do Clube dos Jornalistas, em 2009. Nasceu no Porto, cidade que ama e onde gostaria de viver até ser pó, cinza e nada

 

Grupo Almedina apresenta manual de práticas sobre o sistema financeiro

 

OgrandeReajustamento_frente.jpg

 

 

Apresentação da obra O Grande Reajustamento, de Willem Middelkoop

Grupo Almedina apresenta manual de práticas sobre o sistema financeiro

 

No próximo dia 21 de março, o Grupo Almedina apresentará a obra “O Grande Reajustamento”, da autoria de Willem Middelkoop. A apresentação tem lugar na Livraria Almedina do Arrábida Shopping, pela 18h30. Filipe Garcia, Presidente e Economista da IMF – Informação de Mercados Financeiros, e Paulo Ribeiro, Diretor de Unidade de Negócio da Actual Editora farão parte do painel de oradores.

 

Realiza-se no próximo dia 21 de março, pelas 18h30, a apresentação da obra “O Grande Reajustamento” do autor Willem Middelkoop. A apresentação, a ter lugar na Livraria Almedina do Arrábida Shopping, contará com a participação de Filipe Garcia, Presidente e Economista da IMF – Informação de Mercados Financeiros, e Paulo Ribeiro, Diretor de Unidade de Negócio da Actual Editora.

 

A obra “O Grande Reajustamento” contém mais de 100 perguntas e respostas agrupadas em seis capítulos. Neste livro, o autor leva o leitor a conhecer a origem do dinheiro, recorrendo ao âmago da questão que é o sistema bancário, até ao momento em que o dólar se torna a moeda de reserva mundial e à grande redefinição monetária dos nossos tempos, que ocorreu após a crise financeira de 2008, prevista pelo autor em 2007 num programa de televisão holandesa.

 

Willem Middelkoop propõe um grande reajustamento para dar um novo rumo ao sistema financeiro global, que vê atualmente o dólar como o seu modelo de referência. O autor defende em O Grande Reajustamento que uma de duas medidas deverá ser tomada: "um reajustamento planeado com muita antecedência" ou "um reajustamento que se implemente no seguimento de uma crise monetária"; em qualquer dos casos, os Estados Unidos perderiam a predominância que detêm atualmente e as novas potências viriam a desempenhar um papel cada vez mais importante num sistema financeiro global que contará uma vez mais com a predominância do ouro.

 

CORRA PELA SUA FELICIDADE, de William Pullen

CAPApeq_corra_pela_sua_felicidade.jpg

 

 

CORRA PELA SUA FELICIDADE

de William Pullen

PVP 15,90€ / 232 páginas

Qualquer pessoa que corra, faça jogging ou caminhadas, já experimentou a sensação feliz e energizante de quem chega ao final de cada uma destas actividades. William Pullen ensina-nos a canalizar essa incrível energia para lidarmos com as nossas emoções e problemas, enquanto corremos ou caminhamos.

No livro Corra pela sua Felicidade, demonstra que necessitamos de uma abordagem nova e radical ao mindfulness, que tenha origem no nosso próprio corpo e no seu movimento. O programa de Terapia de Corrida Dinâmica, desenvolvido por Pullen, proporciona precisamente isso. Quer estejamos à procura de formas para lidar com a ansiedade, a raiva, a mudança ou a tomada de uma decisão.

Corra pela sua Felicidade apresenta planos de exercícios mentais apropriados a cada uma das necessidades (tanto para prática individual, em par ou grupo) inspirados no mindfulness e na Terapia Cognitiva de Comportamento, criados especificamente para serem praticados enquanto corremos ou fazemos caminhadas.

O livro foi concebido para poder reflectir, faseadamente e a cada passo, sobre a mudança da sua atitude e analisar o seu progresso enquanto corre pelos altos e baixos da vida. Ao proporcionar planos de exercícios mentais práticos com o objectivo de combinar o seu bem-estar físico com o mental, Corra pela sua Felicidade dá a conhecer a Terapia de Corrida Dinâmica como uma abordagem holística para a sua vida, reunindo, em perfeita harmonia, a mente e o corpo, e combinando o poder de ambos para mostrar como podemos atingir o nosso potencial máximo.

William Pullen criou o programa de Corrida Dinâmica e é psicoterapeuta credenciado pela British Association of Counselling and Psycotherapy. Pratica terapia integrativa e especializou-se no tratamento de depressões, ansiedade, problemas de auto-estima e confiança, e dependência de substâncias.

Despertar da Primavera, uma tragédia Kinder

7021910b-a739-4a3b-b214-da15607dddc9.jpg

 

livro


tradução de 

José Maria Vieira Mendes

Edição da tradução de José Maria Vieira Mendes utilizada no espetáculo Despertar da Primavera que estreou em fevereiro no Pequeno Auditório do Centro Cultural de Belém. Concepção gráfica de Horácio Frutuoso, edição Teatro Praga. 

Em casos muitos discute-se se tradução é para ser mais fidel a originalis ou se deve torcer a modos de encaixar na língua que traduz. As posições ambas partem aos porém da ideia de que há duas línguas, uma + uma, y que o trilho de uma a altra se debuxa em reta linha. Esta tradução não brota de ideia tal, pero de que língua há muita, mesmo que só com nome um. Ou seja, é português lusitano o destino do doc deutsch de Wedekind, mas o que é isso está em aberto. faz-se donc uso de gramática e vocábulo recognescíveis, mixando tempos, geos, origens e por fora aí, esfocinhando-se por tirar tapete de norma, o que é idêntico a intentar ilimitar e dar força à variedade. Em não havendo linha, não se sabe adonde vai aportar a frase que vem após, e assi, ao menos, vive-se menos previsível, move-se o peso de conhecimentos sabidos e queda-se mais leve leve. Népia más que questo. É só apenas poder e aos porque poder assi, crê-se, mais bom é. Com bom, entenda-se livre. 

À venda na Rua das Gaivotas6 
ou encomendado através do email:
producao@teatropraga.com.
5€

apresentação & conversa - Uma coisa não é outra coisa

31496857-72a0-4e52-bc2e-df74ee670f5f.jpg

 

 

 

29 março / 19h30
Café-Teatro TAGV, Coimbra (PT)
entrada livre


Uma conversa com José Maria Vieira Mendes e Fernando Matos Oliveira
 

Em Uma coisa não é outra coisa José Maria Vieira Mendes, dramaturgo e membro do Teatro Praga, persegue uma mitologia, associada às histórias do teatro moderno, que tendencialmente aponta uma tensão ou relação prioritária entre a literatura dramática e o teatro. Demonstrando como essa mitologia afeta e captura objetos artísticos, tanto literários como performativos, Vieira Mendes sugere que se olhe para estas duas artes e para a ideia de relação de uma outra forma.
Esse olhar permitiria deitar fora a ideia de distância entre as duas artes: “As distâncias são fruto de uma proposta de relação que alimenta frustrações e imobiliza identidades. Aquilo que proponho implica reconhecer o outro no encontro e identificar o óbvio: eu não sou tu. A diferença deixa de ser eterna e constante, passa a ser negociável, mutável e não dependente da semelhança. Acontece a cada momento, comportando simultaneamente o que é conhecido, as histórias e as certezas. Nisto participa no jogo da existência, no mundo em movimento.”
Fernando Matos Oliveira, professor da Universidade de Coimbra, irá conversar com José Maria Vieira Mendes sobre algumas das ideias expostas no livro bem como o seu reflexo no trabalho de escrita dramática de Vieira Mendes publicada também em 2016 sob o título Uma coisa.

Um livro para mulheres reais SEJA FELIZ SEM DIETAS de Mafalda Rodiles

CapaPeq_seja_feliz_sem_dietas (1).jpg

 

 

 

 

PVP 16,00€ / 296 páginas

Se as dietas funcionassem, seríamos todas magras, porque esse é o sonho de quase todas as mulheres. Mas, a verdade, é que elas não funcionam e 95% das mulheres que fazem dietas restritivas algum tempo depois voltam a pesar o mesmo ou ainda mais.

O Seja Feliz sem Dietas não é um livro de dietas, é o oposto disso, um livro onde irá aprender a alimentar-se de forma saudável, mas sem restrições, proibições e horários; você vai poder comer as coisas que mais gosta, até pode comer chocolate e, mesmo assim, vai conseguir emagrecer. Precisamos de deixar de ter medo da comida, de pensar que só emagrecemos se fecharmos a boca e frequentarmos um ginásio, e de maltratar o nosso corpo com dietas e comprimidos, porque definitivamente isso não dura muito tempo. É importante aprender a equilibrar a nossa mente e corpo para que eles possam funcionar na perfeição e encontrar o equilíbrio.

Aos 15 anos, Mafalda iniciou um regime de dieta quando lhe disseram que para ser actriz precisava de emagrecer. Durante 15 anos fez dietas e sofreu de anorexia e compulsão alimentar, mas superou e acabou por descobri que comer o que se gosta não significa engordar ou passar fome.

Ao longo do livro irá aprender a ter uma alimentação consciente e intuitiva; compreender porque as dietas não funcionam; o que é a fome emocional e a compulsão alimentar; compreender e aceitar o seu corpo; aprender truques para sobreviver às festas e às férias; a importância da água e o mais principalmente, Seja Feliz com um plano de 31 passos.

Está preparada para ser mais feliz?

Mafalda Rodiles nasceu em 1983, em Lisboa, vive no Rio de Janeiro desde 2010 e é mãe da pequena Mel. Formou-se em Gestão de Empresas, mas a sua paixão desde muito nova sempre foi a representação. Começou a trabalhar como atriz em 2004, nos Morangos com Açúcar, onde deu vida à Carlota e seguiram-se outras quatro novelas, na TVI. Hoje em dia, concilia os trabalhos de atriz no Brasil com o seu projeto online Seja Feliz sem Dietas que nasceu em 2015. Apaixonada por alimentação consciente e intuitiva e por maternidade, Mafalda oferece cursos online e acompanha mulheres que querem libertar-se das dietas e aprender a ser cada dia mais felizes.