Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Após um hiato de sete anos, Nuno da Camara Pereira regressa aos discos com o álbum "Belmonte Em Cantos Mil".

Nuno da Camara Pereira | BELMONTE Em CANTOS MIL
Edição a 20 de Outubro

79c5ce6d-2103-49a7-92b8-b8e37753e849.jpg

 

Nuno da Camara Pereira, recria-se após quarenta anos dedicados à renovação do fado do qual foi pioneiro na procura de tons e sons por terras de aquém e além-mar; por onde andou e se foi recolhendo numa incessante e vibrante busca de razões plenas de música e poesia; aonde apenas o fado, expressão máxima da lusitana língua portuguesa não permitiu deixar esquecer em toda a sua vertente, bem para lá de sua matriz única e soberana; nunca se deixando corromper por insidiosas modulações musicais, de fusão ou não, soube emprestar ao Fado todo o seu talento, toda a sua experiencia e toda a sua nobreza que conseguiram de forma única, e no decorrer de sua longa carreira, influenciar e ser ponto de partida para a modernização deste modo musical, hoje polarizado por todos os cantos do mundo.
 
São os novos valores do fado que hoje a ele, até mesmo sem saber, vêm buscar a partida para novos pontos de chegada.
 
Soube dar textura ao fado quer através de novos instrumentos musicais, através de novas sonoridades, movimentos ou mesmo através do reencontro com matrizes transcontinentais que apenas o coloriram; sem nunca se deixar levar nas modernas condições de mercado, lançou-se para caminhos mais cosmopolitas, mais comerciais, e soube manter intrinsecamente a matriz que o fazendo diverso, lhe inculcam “devaneios “ e comparações que não lhe retiram a sua genuinidade.
 
Com este álbum “Belmonte, Em Cantos mil”, Nuno Cabral da Camara Pereira relança o tema do “achamento do Brasil “por temas dedicados à viagem, no tempo e no espaço, de uma língua e de um povo que apenas a diáspora entende e justifica através da poesia e música de poetas e intérpretes de aquém e além-mar.
 
Cantando Caetano, Saulo Fernandes ou Doryval Cayme, Nuno com Luiz Caldas lança novamente o desafio, através de sete originais a par e passo dos temas popularizados por aqueles, como “Os Argonautas”, ”Raiz de todo o bem”, ”Saudade da Bahia”, ”É doce morrer no mar”, aonde repõe sentimentos e impressões que a música e seu talento fazem sentir indiferenciadamente na música brasileira e portuguesa, que sem se misturarem a tornam original e própria sem sequer se fundirem.

É o Fado em toda a dimensão da palavra que tão exemplarmente se pretende fazer transmitir neste disco que ora relança a consanguinidade e dimensão transatlântica da língua portuguesa.

 
"Belmonte Em Cantos Mil”
 

Consegue geminar a urbana guitarra portuguesa com a rural viola caipira, ao mesmo tempo que junta a afro-brasileira percussão com o hispânico “carron “; a viola clássica em sua peculiar forma lusa de tocar à volta do fado, com o baixo elétrico e o brasileiro cavaquinho.
São duas formas aparentemente difusas de abordar o mesmo tema, apenas geminadas pela voz de Nuno da Camara Pereira que de forma uníssona e única, as torna cúmplices e surpreendentemente sós e nostálgicas, perante um movimento modernista e fascinante pleno de poesia e utopia. 

Belmonte, de onde partiu Cabral, que uniu pela primeira vez os dois continentes é agora testemunha ímpar da consanguinidade luso-brasileira no domínio cultural que apenas a música é cúmplice e testemunha.

 
 
 
 

Assim é que se divide por temas diversos e unidos pelo passado e pelo amanhã, cada vez mais presente e fundamentalmente justificativos num movimento interpretativo não apenas contemplativo, a citar:
 

Originais de Luiz Caldas e Nuno da Camara Pereira:

Belmonte “Em Cantos Mil” |Perdão |Nau Catrineta |Mãe |Se te chamasses saudade |Amor maior |Amor

Clássicos Portugueses: Coimbra| Rio azul |Fado xu-xu

Clássicos baianos: É doce morrer no mar |Saudade da Bahia |Argonautas |Raiz de todo o bem

Novo disco de Octavio Cardozzo chega às lojas nesta sexta

Nesta quinta-feira chega às lojas físicas o novo disco do cantor e compositor Octavio CardozzoÂmago, que conta com as participações de Luiz Gabriel Lopes (Graveola), Thales Silva (Minimalista) e Marcelo Veronez.

 

OCTÁVIO CARDOZZO LANÇA NOVO ÁLBUM ÂMAGO

O disco conta com as participações de Luiz Gabriel Lopes, Minimalista, Marcelo Veronez e Alexandre Andrés

 

O

novo álbum do
 ​
cantor e compositor Octavio Cardozzo
​chega às lojas físicas​
​nesta sexta
, dia
​20
, o seu novo álbum

 

Destaque da cena mineira desde 2012, quando lançou o seu primeiro projeto autoral, Octavio convida outros três nomes importantes do estado: Luiz Gabriel Lopes (vocalista da banda Graveola), Thales Silva (do projeto Minimalista, e que lançou recentemente o álbum Banzo), Marcelo Veronez e Alexandre Andrés.

 

“Neste disco eu quis cantar mais e compor menos. Fiz um disco bem brasileiro, que remete aos grandes intérpretes da nossa música, como Ney, Bethânia e Elis. Por isso não incluí nenhuma música de minha autoria. O meu desejo era interpretar, criar uma narrativa ao longo do disco, com uma dramaturgia por trás, orgânica como alguns clássicos da MPB, mas ao mesmo tempo moderno e arrojado”, contextualiza o cantor, que ganhou canções de Tom Custódio da Luz, Gustavito, Minimalista, entre outros, com letras críticas, irônicas e irreverentes.

 

Âmago é um reencontro do cantor com seus desejos e vontades, para si e  para as pessoas que o cercam, e também para o mundo. “A narrativa, ao longo do disco, vai ao encontro do âmago, do que está enraizado em mim, procurando compreender o que me move, o que me faz querer ser artista”, completa.

 

O disco sai pelo selo Casazul (O fazedor de rios, de Luiz Gabriel Lopes; Quilombo oriental, de Gustavito e a bicicleta; A toada vem é pelo vento, de Luiza Brina, entre outros), com distribuição da Tratore.
 

A.M.A. apresentam o single “Noite” em formato digital a 27 de Outubro

image002.jpg

 

Noite”!

O novo tema dos A.M.A, o oitavo single da banda, que desta vez, chega com um ar bastante sedutor e original. 

 

As duas vozes em uníssono, aliadas a uma sonoridade quente, faz crescer a vontade de ouvir o tema repetidamente.

 

Preparam o vídeo “Noite” em formato ao vivo, onde irão apresentar pela primeira vez, o cenário da banda em palco.

 

Oito meses, oito singles… continuam a prometer a não ficar por aqui! 

F O Q U E - NEON Sessions!

NEON Sessions é o palco que direciona as luzes dos seus holofotes para projetos musicais que ainda estão na sombra. Os showcases musicais, sob a forma de recorded live acts, pretendem ser uma experiência inédita que impulsione a descoberta de artistas e bandas emergentes, cujo trabalho merece ser (re)conhecido. Através de jogos de luz e cor, a música sairá da penumbra para ocupar o lugar principal que lhe é devido.
 
Aqui fica o link da primeira música, sairá em breve mais música e mais novidades.
 
F O Q U E - Yes, Sir!

 


 
NEON Sessions:
https://www.facebook.com/theneonsessions/

Valéria Carvalho canta Rui Veloso em Rui em Jeito de Bossa | Disco de estreia

VALERIA CARVALHO
 
 "RUI EM JEITO DE BOSSA" | 20 de Outubro
 
SINGLE / VIDEO: "PRIMEIRO BEIJO"
participação de Mafalda Veiga
 

A obra do Rui marcou todo meu percurso de vida aqui... Como actriz, o seu trabalho sempre me fascinou...

O Rui é uma espécie de compositor encenador, ele cria um cenário musical para as letras...

Depois de fazer o espectáculo Chico em Pessoa, não resisti em fazer o "Rui Veloso, em Jeito de Bossa".

(Valéria Carvalho)

 
 
Valéria Carvalho, actriz e cantora Brasileira do estado de Minas Gerais, tem um enorme reconhecimento em Portugal, onde se radicou em 1991, pelo seu desempenho no teatro, televisão e cinema. Na televisão portuguesa, trabalhou em várias novelas, séries e talk shows. É ainda criadora e directora da Casa da Língua Portuguesa. Porém, foi graças ao seu trabalho no teatro, e ao êxito formidável dos seus espectáculos, que ganhou a atenção e a admiração dos meios culturais: Chico em Pessoa (2012), em torno da obra de Pessoa e Chico Buarque de Holanda, que esteve presente na Casa Fernando Pessoa e em vários festivais. Em 2014 apresentou o espectáculo musical "Rui Veloso em Jeito de Bossa" no Centro Cultural Olga Cadaval. É na sequência deste espectáculo que surge o álbum "Rui em Jeito de Bossa".
O single de apresentação "Primeiro Beijo" conta com a participação de Mafalda Veiga. 
"Rui em jeito de Bossa" estará à venda no próximo dia 20 de Outubro.
 

Alinhamento:

1 – Primeiro Beijo

2 – Todo o Tempo do Mundo

3 – Porto Sentido

4 – Jura

5 – Canção de Alterne

6 – Regras da Sensatez

7 – Fado do Ladrão Enamorado

8 – Não queiras saber de mim

9 – Pequena Dor

10 – Fado Pessoano

 

* * *

 

Comunicação:
Clara António (+351961825453)
e
Paula Casanova (+351919899683)

 

DJ LYCOX "Sonhos & Pesadelos" - novo disco na Príncipe

 

LYCOX Cover.jpg

 

o disco de debute a solo do DJ Lycox intitulado “Sonhos & Pesadelos" será publicado pela Príncipe a 17 de Novembro em Vinil EP e digital. 
 
Está desde hoje em streaming no soundcloud Príncipe o single de avanço “Solteiro":
 
 
Membro da crew Tia Maria Produções, que viu o seu disco “Tá Tipo Já Não Vamos Morrer” editado pela Príncipe no Verão de 2014, Lycox nasceu em Portugal e viveu em Mira Sintra até ao início da adolescência, quando se mudou com família para território suburbano de Paris, onde ainda reside. É um jovem produtor de 19 anos profícuo e talentoso, e seguramente um dos pontas de lança de uma nova geração da diáspora afro-lusófona espalhada pelo Velho Continente que tem contribuído para a renovação deste Som em fluxo, trabalhando Kuduro, Trap e House no seu léxico estilístico caleidoscópico já vincadamente reconhecido. Este ano despontou também a tocar sets de Dj com mais regularidade, destacando-se a celebrada actuação na passada semana no festival Unsound em Cracóvia, ou a inclusão na festa Príncipe no Säule/Berghain em Julho último.
 
Alinhamento do disco:
 
A1. Weekend  
A2. Galinha  
A3. Domingo Abençoado  
A4. Virgin Island  
A5. Nichako  
 
B1. La Java  
B2. Parabens Moh Baba  
B3. Quarteto Fantástico (feat. PuTo NeLo, Puto WilsoN & MIX-BwÉ)  
B4. Sky  
B5. Solteiro 
 
Ferrero *Digital bonus track*  
2855 *Digital bonus track*  
 
 

Fique a conhecer um pouco do novo álbum de Ana Laíns "Portucalis", que tem edição marcada para 3 de Novembro

f6312cfc-1786-4442-ae92-2cd32f475bfe.jpg

 

Este disco é dedicado a todos que gostam de pessoas!
Este disco é dedicado a todos que gostam de ser pessoas do seu país!
Este disco é dedicado a todos que compreendem que a Vida é uma Missão!
E que desta Missão faz parte o lugar onde nascemos!
Portucalis é o país dos meus sonhos.
É o país que existe entre margens.
Existe entre as margens das minhas dualidades.
Mas ser dual é existir.
Ninguém “É” totalmente.
Todos “SOMOS” parcialmente.
Se não em permanência... em muitos momentos das nossas Vidas!
Porque todos “EXISTIMOS” tal qual moedas ou folhas de papel, com cara e coroa, com frente e verso.
O Escritor e Poeta Mia Couto, escreveu o poema “Identidade” em 1977, que escancara sem rodeios a sua Dualidade:
“ Existo onde me desconheço,
aguardando pelo meu passado,
ansiando a esperança do futuro.
No Mundo que combato, morro.
No Mundo por que luto, vivo. “
Ser dual é viver permanentemente entre a realidade social e o sonho do estado puro da nossa Natureza.
“Preciso ser outro para ser eu mesmo”
Mia Couto no mesmo poema “Identidade”.
Ser dual é viver a incerteza de uma decisão.
Ser dual é calar a boca à verdade em prol de uma mentira reconfortante.
Ser dual é sorrir ao Mundo dos outros, enquanto grita e chora o nosso Mundo interior.
Ser dual é viver na linha que separa as expectativas do Mundo sobre nós e quem somos realmente.
Por isso existe a Arte!
Porque é na Arte que procuramos (e encontramos muitas vezes) o conforto na nossa verdade pessoal (e colectiva).
O Artista é um canalizador de “Verdades”.
E o Poeta é um fingidor.
E assim o é o Cantor.
Neste disco pretendo revelar todas as minhas verdades, e ir de encontro às Verdades dos Outros.
Preciso de ser fadista e não ser.
Preciso de viver em pleno o meu amor a este país, que é, concomitantemente, a minha maior Paixão e Desalento. O brilho nos meus olhos e as minhas lágrimas.
O Espelho onde vejo reflectidos todos os meus sonhos e desejos.
Numa Era de subversão de valores, prioridades, e de profunda artificialidade, eu quero ser uma portuguesa “missionária”, que encara a sua carreira como “Missão”.
Porque “Deus” me atribuiu a “Condição” de nascer aqui!
Porque me sinto em constante contra-ciclo.
Porque esta “Missão” me mata e renova todos os dias.
E é aqui que reside toda a minha dualidade!
 
Falta cumprir-se Portugal.
Este é o meu pequenino (mas genuíno) contributo.
Portucalis é o país (e o disco) onde me encontro, onde me equilibro, onde sorrio e sou feliz!
Sejam muito bem-vindos!
                                                                                                       Ana Laíns

 "PORTUCALIS" ao vivo:

18 Novembro | Museu Nacional de Arqueologia ao
 Mosteiro dos Jerónimos

23 Novembro | Casa da Música | Porto

24 Novembro | Casino da Figueira da Foz

 

 

Sopa De Pedra - Bate, Bate é novo single de "Ao longe já se ouvia"

42733f43-770b-4f1a-9783-a2d342c3c389.png

 

 

SOPA DE PEDRA

 

"Bate, Bate" é o segundo single de
"Ao Longe já se Ouvia"

 Depois do lançamento de "Ao Longe já se Ouvia" na passada sexta-feira , chega agora "Bate, Bate", segundo single do álbum que terá apresentação já no próximo dia 28, na Casa da Música, no Porto.
 

É com o disco recém-lançado que as Sopa de Pedra voltam a dar o ar da sua (calorosa) graça, desta vez com o sumptuoso single “Bate, Bate”, outrora interpretado pela voz atemporal e mítica de Amélia Muge, uma das principais referências das 10 meninas que têm encantado o país.

Poucos se podem gabar de ser admirados por quem tanto admiram e já depois de terem trabalhado com Amélia Muge, a talentosa cantora teceu algumas palavras sobre as Sopa de Pedra: “Juntas, são sabores diferentes misturados na mesma sopa, numa pertença comum que sabe bem e que se ouve como quem come. Por isto tudo, aqui, o tempo do canto é o espaço de uma viagem de encontros que traz este sabor à sopa da avó à sopa fria das tardes quentes, ao caldo de inverno, à do gosto desconhecido de quem está longe da terra mas também ao agridoce da que se come pela primeira vez e que, sabendo a sopa, não se iguala a mais nenhuma outra.”

O video de “Bate, Bate”, que pode já ser visto, em baixo, faz-se acompanhar de paisagens propícias e tão únicas como as vozes que as preenchem, num vídeo idealizado por Pedro Santasmarinas.

O concerto de apresentação de "Ao Longe Já Se Ouvia", lançado no dia 6, é no Porto, na Casa da Música, no próximo dia 28 de Outubro e o disco já pode ser escutado nas principais plataformas de streaming e comprado em turbina.org.

 

 Arranjo : Sopa de Pedra | Sara Yasmine | António Serginho
Realização : Pedro Santasmarinas
Participação : Joana Africano
Assistente de Imagem : Joana Baptista
Assistente de Produção : Natacha Oliveira
Edição : Joana Baptista | Pedro Santasmarinas
Agradecimentos Especiais : Associação Ida & Volta | Cristina Manhete | Escola Artística de Soares dos Reis | Grupo Minas de Barqueiros | Inês de Castro | Quirino Sousa Lima | Sofia Alexandra

Já disponível em formato digital o álbum “Fénix” de Ciro Cruz

image006.jpg

 

“Fénix” é o título do quarto álbum do baixista Ciro Cruz. Conta mais uma vez com convidados ilustres, como o grande acordeonista João Barradas, o génio do Hip Hop brasileiro MC Big Papo Reto e o super talentoso Raphael Lopes, com a sua voz inconfundível. 

 

O tema que dá nome ao álbum “Fénix”, expressa a força do renascer para a vida, interpretado pela força do baixo elétrico de Ciro Cruz. 

 

"Wyza" é o single de apresentação do álbum, e é um tema tributo ao músico Angolano Wyza Kendy. Uma homenagem ao amigo!

 

"One minute" tema  produzido a partir de uma gravação solo autorizada pelo lendário baterista americano Bernard Purdie, dá um toque de jazz ao álbum.

 

"O Meu Maracatú" e "Rio de Janeiro" também são destaques e contam com o contributo dos grandes músicos Ricardo Branco, Nanã Sousa Dias, Pedro Azevedo, Nuno Tavares, Jeff Negreiros e Ivo Martins. 

Já disponível em formato digital o novo tema do Professor Jorge | Valsa dos Alimentos

 

image006.jpg

 

Jorge Courela é músico, educador musical e autor dos livros e álbuns, “As Canções do Professor Jorge“, “Zé Maria Catatua” e “Capitão Miau Miau”, que têm encantado as crianças. 

 

“As Canções do Professor Jorge” é um trabalho temático em que as canções acompanham as principais datas festivas e que serão comemoradas pelas escolas.

 

O Professor Jorge para celebrar o “Dia da Alimentação” no dia 16 de Outubro, apresenta aos mais pequenos a “Valsa dos Alimentos”.