Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Nando Reis ganha grammy e actua em Portugal com o projecto Trinca de Ases

Nando Reis,
Vencedor de Grammy para Melhor Álbum Rock em Língua Portuguesa


ACTUA EM PORTUGAL EM MARÇO COM PROJECTO MUSICAL - TRINCA DE ASES

14d5ce92-74b4-4a95-988a-cc4f831cf086.jpeg

 

Nando Reis, Ex- Titãs. Vencedor de um Grammy!

Nando Reis venceu o 18° Grammy Latino na categoria Melhor Álbum de Rock ou de Música Alternativa em Língua Portuguesa, com o disco “jardim-pomar”.

Integra juntamente com Gal Costa e Gilberto Gil o recente projecto Musical  - Trinca de Ases!

Nando Reis é o menino impetuoso e viril. Gilberto Gil, o rapaz maduro calejado pela idade, Gal Costa, a moça. Gil compôs a canção "Trinca de Ases". “Trinca de Ases” é a música inédita de Gil, que batizou o trio, são assim “Três mosqueteiros, três patetas, três poetas da canção”, como descritos no verso da mesma, juntaram-se não só para celebrar a história de cada um, como também para cantarem os novos temas que nasceram deste feliz encontro.

O projecto musical nasceu no ano passado como uma homenagem ao centenário de Ulysses Guimarães (um dos principais opositores à ditadura militar brasileira), idealizada pelo jornalista brasileiro Jorge Bastos Moreno, nasceu apenas com as vozes do trio e os violões. Deste encontro nasce um espetáculo intimista que ganhou uma nova cara e que também encorpou, houve desde o início uma identificação musical e uma química que funcionou entre os três artistas. Depois de se estrear-se em São Paulo e Rio de Janeiro em agosto de 2017, foram várias as cidades por onde passou, chega finalmente a Portugal em Março para dois concertos inéditos com um repertório de músicas inéditas e sucessos.  Dia 9 de Março no Campo Pequeno e dia 11 de Março no Coliseu Porto.

76d83d85-334c-4efc-968c-520deb15f146.jpeg

 


“Trinca de ases” ganha não só quando lança as antigas e infalíveis canções dos repertórios dos três craques da música popular, como também, a base são as obras sólidas de Gil e Nando, revividas com as tramas dos violões dos artistas. A audácia de três mosqueteiros, a leveza de três patetas, e a grandeza de três poetas – “Trinca de Ases", em concerto, chega  finalmente a Portugal já em Março.


 



 

 

Iberdrola arranca com segunda fase do Programa Românico Atlântico, em Boticas e Guimarães

As iniciativas têm como objetivo conservar, restaurar e valorizar o património cultural do Norte de Portugal

 

 

A Fundação Iberdrola Espanha, o Ministério da Cultura Português e os autarcas de Boticas e Guimarães assinaram hoje o protocolo de colaboração para a restauração das igrejas românicas em Covas do Barroso (Boticas) e a Igreja de Serzedelo (Guimarães). Esta colaboração surge no âmbito do Plano Românico Atlântico, uma iniciativa que nasceu em 2010, como resultado do acompanhamento do Sistema Eletroprodutor do Tâmega, o maior projeto hidroelétrico levado a levado a cabo na Europa, desde os últimos 25 anos, da Iberdrola.

 

Este plano tem como objetivo conservar, restaurar e valorizar o património cultural, de forma a estabelecer as bases para um crescimento sustentável e para o desenvolvimento do território, através da criação de emprego, dinamização socioeconómica, promoção do turismo e a redistribuição do investimento nas áreas rurais em que é implementado.

 

Desta forma, nesta segunda fase de execução do projeto, a Fundação Iberdrola Espanha, o Ministério da Cultura Português e municípios de Boticas e Guimarães irão disponibilizar um financiamento total de 180.000€, dos quais 60.000€ serão destinados para o restauro da Igreja de Covas do Barroso, em Boticas, e os restantes 120.000€ ao restauro da Igreja de Serzedelo, em Guimarães.

 

O Plano Românico Atlântico é um projeto de cooperação transfronteiriça para a Cooperação do Património Cultural, que surgiu em setembro de 2010, e que inclui projetos de restauração de edifícios religiosos românicos situados nas províncias espanholas de Zamora e Salamanca e nas regiões portuguesas do Porto, Vila Real e Bragança.

 

Esta iniciativa público-privada pressupõe uma estreita colaboração, desde 2010, entre distintas entidades de ambos os países: Consejería de Cultura y Turismo de la Junta de Castilla y León, o Ministério da Cultura Português, a Fundação Iberdrola Espanha, a Igreja Católica de Portugal e as dioceses espanholas de Ciudad Rodrigo, Salamanca, Zamora e Astorga.

 

Com um investimento inicial total de 4,5M €, este programa assiste, desde 2015, a uma nova fase, que consiste na difusão cultural e no desenvolvimento de novos modelos de gestão para a dinamização cultural e económica do território, e que irá prolongar-se até 2018.

 

Além disso, a Iberdrola, com este tipo de iniciativas, consolida o seu compromisso para com a Responsabilidade Social e Preservação Patrimonial, ao apostar no desenvolvimento de ações conjuntas com as autarquias e entidades de administração envolvidas na iniciativa.

 

 

Nas imagens: Ramón Castresana, Diretor da Fundação Iberdrola Espanha, António Ponte, Diretor Regional de Cultura do Norte de Portugal, e os Presidentes das Câmaras Municipais de Boticas, Fernando Queiroga, e Guimarães, Domingos Bragança.

LX Connect é uma aplicação dedicada aos serviços de carácter social, cultural, educativo e desportivo existentes em Lisboa.

 

916a3783-5d18-4c60-a9c9-85b388120986.jpg

 

O Centro Social da Musgueira (CSM) e o Banco Social de Comunicação (BSC) em parceria desenvolveram dentro do âmbito do programa municipal BIP/ZIP, uma plataforma digital que visa reforçar a operacionalidade, a notoriedade e o impacto dos projetos desenvolvidos pelas instituições sociais que operam na cidade de Lisboa.
 
Em formato mobile e web, com parceria da Carbon do grupo tecnológico português BOLD International, foi desenhada a melhor arquitetura e estrutura para a aplicação LxConnect que visa promover e facilitar o acesso à informação sobre as instituições e serviços que rodeiam os cidadãos, numa óptica de reciprocidade e cooperação entre pessoas e instituições.
 
O projeto que, inicialmente incidiu na freguesia do Lumiar, estendeu-se rapidamente às freguesias limítrofes, tais como a Ameixoeira, Carnide e Benfica, bem como a outras zonas da cidade. Atualmente, estão presentes 130 instituições, prevendo-se um trabalho de permanente actualização até cobrir a cidade toda.

Através desta ferramenta, é possível descobrir e reavivar laços de vizinhança, participar em ações de voluntariado e eventos, conhecer os apoios, as acções de formação e as atividades de ocupação de tempos livres disponíveis, ou ficar a par do trabalho comunitário que é desenvolvido.

LxConnect é um exemplo do que se consegue quando a intervenção social anda de mãos dadas com a tecnologia, na optimização e facilitação do acesso à informação sobre as instituições e serviços que rodeiam os cidadãos.
 
Foi concebida com um design simples e uma interface intuitiva, a pensar no conforto dos utilizadores, sejam eles os cidadãos ou as instituições. A nova aplicação está disponível para os sistemas operativos iOS e Android e pode ser descarregada nas respectivas lojas de aplicações.

 

Como funciona? 

É muito fácil de utilizar. São 4 botões que integram toda a informação sobre as instituições sociais em Lisboa: quem são, que serviços prestam, de que necessitam e que eventos comunitários desenvolvem. 
Se quer ajudar, carregue no botão azul - dar - e fica a saber quais são as instituições que necessitam de bens materiais, como fazer donativos materiais ou doar o seu tempo. 
 
Para saber quais são os serviços que as instituições têm para oferecer, carregue no botão cor de laranja - receber - e descubra um pouco mais sobre a sua missão, que serviços prestam e em que projectos estão envolvidas. Aqui também tem acesso aos contactos destas instituições e pode visualizar no mapa a sua localização.
 
Se pretende conhecer a agenda de eventos na sua comunidade, carregue no botão cor de rosa - agenda - e fique a par dos eventos, formações ou atividades de ocupação de tempos livres, para todas as idades e gostos, que se realizam no seu bairro.
 
Por fim, se carregar no botão verde, fica a conhecer as associações que actuam na sua vizinhança, ou seja, as que estão mais perto de si.
 
Crie elos mais fortes com a sua comunidade ao fazer o download da aplicação:

iOS: http://bit.ly/LXConnect

GPlay: http://bit.ly/LXConnectGPlay

LxConnect. A cidade solidária.

Sobre nós:
 
Centro Social da Musgueira
O Centro Social da Musgueira (CSM) é uma IPSS – Instituição Particular de Solidariedade Social que responde às necessidades educativas, sociais, culturais e recreativas dos moradores do antigo bairro da Musgueira Norte, hoje residentes na Alta de Lisboa. Aposta na promoção social e humana, na capacitação, desenvolvimento e integração na comunidade através das valências Jardim de Infância, ATL – Actividades de Tempos Livres, Centro de Dia, Serviço de Apoio Domiciliário, Mediateca, Salas de Estudo, TPC Media e Formação continuando a adaptar as suas respostas sociais às necessidades de cada momento. Fomenta junto da sociedade em geral, um espírito de solidariedade social.
 
Site: http://www.csmusgueira.org/
Facebook: https://www.facebook.com/csmusgueira/
 
Banco Social de Comunicação
O Banco Social de Comunicação é um parceiro das instituições sociais que desenvolve projectos de comunicação que acredita que podem fazer deste mundo um local melhor para todos. Apresentam e constroem soluções sociais que beneficiam as Associações.
 
Facebook: https://www.facebook.com/bancosocialcomunicacao/
 
Carbon
Nasceu em 2008 em Portugal e tem como core business criar aplicações mobile (apps) e consultoria tecnológica às empresas que conciliam a estratégia de negócio com a mobilidade digital. Atualmente com uma equipa de cerca de 30 colaboradores, a Carbon foi adquirida, em 2012, pela BOLD International, passando a ser um centro de competência especializado e fazendo desde então parte deste grupo tecnológico português que atua globalmente.

Site: http://www.carbonbybold.com
Facebook: https://www.facebook.com/carbonbybold
LinkedIn: https://www.linkedin.com/company/carbon-by-bold

Entrega do III Prémio Literário Nortear para Jovens Escritores

 

 

A entrega do III Prémio Literário Nortear para Jovens Escritores está agendada para o próximo dia 22 novembro, pelas 12h00, no Museu do Mar, em Vigo. Na mesma ocasião será lançada a convocatória da 4ª edição do Prémio Literário Nortear.

O conto ‘34, Rue Saint Jacques’, da escritora Cecilia Fernández Santomé, de Lugo, é o vencedor do III Prémio Literário Nortear para Jovens Escritores, promovido pela Consellería de Cultura da Xunta de Galicia, pela Direção Regional de Cultura do Norte de Portugal e pelo Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial Galiza – Norte de Portugal.

«34, Rue Saint Jacques» foi eleito entre 31 trabalhos de autores e de autoras, de Portugal e da Galiza, com idades compreendidas entre os 16 e os 36 anos.

Presidido por Carla Sofia Amado, Diretora do Instituto Camões e integrado por Carlos Árias, em representação da Secretaría Xeral de Cultura, pela escritora galega Inma López Silva, o escritor português João Pedro Mésseder, a editora Edita-Me, representada por Carlos Lopes e Celeste Pereira, o júri valorizou no conto a estrutura com base sólida e coerência na escrita, a base muito humana e a tradução das emoções.

Desta votação, resultou como vencedor o conto "34, Rue de Saint Jacques”, de um grupo de finalistas do qual fizeram parte também os originais: "Eu, o supremo”, "O desejado” e "De passo em passo”.

Dotado com 2.000 euros e a publicação da obra, o prémio tem como principais objetivos distinguir anualmente obras literárias originais de ambas as margens do Minho, incentivar a produção literária entre a juventude galega e portuguesa e favorecer a circulação e distribuição de obras literárias entre a Galiza e Portugal, para reforçar o diálogo cultural entre os dois territórios. 

Comunicado Prémios Bea World

Bea World.png

 

Elefante de Ouro para o Melhor Evento Público do Mundo do Bea World Festival veio para Portugal, para o The Presidential, um projeto desenvolvido em parceria entre o Museu Nacional Ferroviário e a empresa Trajetorias & Melodias.

O restauro do Comboio Presidencial foi uma aposta da Fundação Museu Nacional Ferroviário na criação de condições para a Valorização do Património Ferroviário Nacional enquanto potenciador do desenvolvimento cultural e económico do país, aposta que se torna agora mundialmente reconhecida.

 

Ana Galvão reforça equipa da Renascença

image001.jpg

 

 

A partir de 27 de novembro, Ana Galvão está na Renascença. O prime time do fim do dia será conduzido por Ana Galvão.

 

No ar de 2ª a 6ªfeira, das 16h00 às 20h00, num registo de conversa, Ana Galvão vai ajudar a identificar os grandes temas do dia: quais as notícias, as histórias, os protagonistas que são essenciais ter presente no regresso a casa e que marcaram a história do dia?

 

Diariamente, Ana Galvão conta com a companhia do jornalista José Pedro Frazão, nas notícias, e de Pedro Azevedo no desporto.

 

A entrada de Ana Galvão na Renascença pretende reforçar a opção iniciada há um ano quando a Carla Rocha assumiu a condução das manhãs.  Com esta aposta, sublinhamos que a Renascença é uma rádio de confiança, contemporânea, que está a par com o mundo, através de uma linguagem simples e direta e que passa a música que tem memória na vida das pessoas.

 

O programa de Ana Galvão vai olhar para o país, destacando o que temos de melhor, para as redes sociais e ao fim da tarde vai ajudar a sintetizar a informação essencial no momento de regresso a casa.

 

Entre outros temas e entrevistas, ao fim da tarde, a Renascença vai olhar para o desporto, com a Tertúlia Bola Branca, sempre às 2ªs feiras; vai analisar os grandes temas da atualidade e o comportamento dos principais atores políticos, sempre às 5ªs feiras, com o Conselho de Diretores.  E às 6ªs feiras, a semana termina com muita ironia, gargalhadas e alguma deferência: é esperar por e ouvir “A semana do Comendador Marques Correia”.

 

ACREDITE. A PARTIR DE 27 DE NOVEMBRO. ANA GALVÃO NA RENASCENÇA.

 

Este é também o mote da nova campanha da Renascença, desenvolvida pela NOSSA, que parte do conceito de que os ouvintes podem confiar na Renascença. Já em outdoor e redes digitais com o layout da rádio e a mensagem:

 

ACREDITE. NA RENASCENÇA NÃO TEMOS FAKE NEWS.

 

ACREDITE.

Esta é a frase que assenta no capital de credibilidade da marca. Assume a responsabilidade e confirma a confiança das pessoas na rádio que está a par com o mundo – a Renascença..

 

 

 

Vencedores Festival Muvi 2017 - Cinema São Jorge

885a8b4a-6911-4aa6-8b8d-0dbe4dad643a.jpg

 

 

“Diálogos”, “Kho Ki Pa Lu” e “Eu, Meu Pai e Os Cariocas” vencem festival Muvi
 
 “Diálogos ou como o teatro e a ópera se encontram para contar a morte de 16 carmelitas e falar do medo”, de Catarina Neves (Doc, 2016, 70’, Portugal), venceu duplamente o 4.º Muvi – Festival Internacional de Música no Cinema, respetivamente os prémios do Público e do Júri do Palco Nacional das Odisseias Musicais. O festival termina segunda-feira com a exibição dos vencedores no Cinema São Jorge, em Lisboa.
 
O documentário, igualmente premiado no DocLisboa em outubro de 2017, acompanha o processo criativo de Luís Miguel Cintra, no regresso do diretor e encenador do Teatro da Cornucópia ao trabalho, lado a lado, com o maestro João Paulo Santos, no Teatro Nacional de São Carlos. O filme mostra como se podem lançar pontes entre teatro e ópera, numa celebração que comove tanto como quando ouvimos aquelas mulheres, no final, cantarem “Salve Regina, mater misericordiae”.
 
A Menção Honrosa no Palco Nacional das Odisseias Musicais foi atribuída a Fantasma Lusitano, de David Francisco e Nuno Calado, sobre a vida e obra de Jorge Bruto, um ícone da cena rock'n'roll underground nacional. Jorge deu a cara pelos Emílio e a Tribo do Rum, Capitão Fantasma, Bruto and the Cannibals e Club sin. Acerca de uma década foi-lhe diagnosticado Parkinson.
 
Na mesma competição, mas no Palco Internacional, o júri composto pelo produtor João Abreu, pelo assessor de imprensa João Pinho e pela jornalista Margarida Caetano premiou o documentário “Kho Ki Pa Lü/Up Down & Sideways”, de Anushka Meenakshi & Iswar Srikumar.
 
Perto da fronteira com a Índia - Mianmar é a aldeia de Phek, em Nagaland. Cerca de 5000 pessoas vivem ali, quase todas do cultivo do arroz para consumo próprio. À medida que trabalham em grupos cooperativos - preparando os campos, plantando ou colhendo o grão e levando-o por percursos incrivelmente íngremes - os cultivadores de arroz de Phek cantam. As estações mudam, assim como a música, transformando o mundano em hipnótico. O amor que eles cantam também é uma metáfora para a necessidade do outro - o amigo, a família, a comunidade, para construir uma polifonia de vozes. Histórias de amor, histórias do campo, histórias de canção, histórias em canções.
 
Duplamente premiado com uma Menção Honrosa e com o Prémio do Público, Eu, Meu Pai e os Cariocas”, de Lúcia Veríssimo, foi o filme sensação da presente edição do festival. A realizadora e atriz brasileira esteve presente na sala Manoel de Oliveira, onde deixou carinhosas palavras de apreço por Portugal, pelo festival In-Edit em Barcelona onde também apresentou o filme, com uma receção fora de série. O filme volta a ser exibido esta segunda-feira.
 
A partir da afirmação de Tom Jobim de que toda música é o reflexo de sua época, o filme expõe como a cultura dessa nação extremamente musical foi sendo escrita com as influências sociopolíticas desde 1946 a 2016. Foram captados mais de 60 depoimentos com os mais influentes artistas, musicólogos, escritores, maestros, compositores e historiadores para relatar uma história que até hoje não foi contada no cinema, a forma como a música é influenciada pela política. O documentário foi idealizado, dirigido, produzido e narrado pela atriz Lúcia Veríssimo, filha do Maestro Severino Filho, o que a torna testemunha direta de grande parte dessa trajetória. O documentário conta com um rico acervo entre fotos, filmes, vídeos, além de 134 músicas.
 
“Alacrán soy yo - Una comparsa de familia centenária”, de Juan Sebastián Alvarez, teve a estreia mundial no Muvi e ganhou o Prémio da Crítica e Parceiros.
Santos, o atual diretor artístico, esconde-se atrás da atmosfera do carnaval, enquanto luta contra todas as probabilidades para manter vivo o veneno de El Alacrán. O ‘escorpião’ é um lendário grupo de dança em Havana fundado em 1908 pelo seu bisavô levado a Cuba como escravo durante o colonialismo espanhol. Personagens e danças representam uma síntese da cultura cubana. Atualmente, os fundadores idosos reclamam e criticam porque o nível artístico de El Alacrán está em declínio. A odisseia de Santos é reviver e restaurar a glória anterior do grupo. Que reserva o futuro para o centenário grupo de dança El Alacrán?

 

Na competição Sonetos Cantados – Palco Nacional, foi premiado “Tu”, de Hugo Pinto, “78.4: Rádio Plutão”, de Tiago Amorim, ganhou a Menção Honrosa, e “Pôr a Minha Vida no Teu Ouvido”, de André C. Santos, venceu o Prémio do Público.
 
Este terceiro filme desvenda a verdadeira história por detrás do grupo de hip hop português Wet Bed Gang (Kroa, Gson, Zizzy e Zara G). Após a morte de Rossi, fundador deste movimento, os 4 ‘’putos’’ de vialonga decidem encarar o projeto de forma séria e dar continuidade ao legado que lhes foi deixado.
 
No Palco Internacional da mesma competição venceu L'Accompagnante, The Accompanying Dancer”, de Johel (Karleener) Miteran, a Menção Honrosa foi atribuída a “Misimpressions”, de Sinead Lau, e Music. Coffee. Vinyl.”, de Mike Dobosh, venceu o Prémio do Público.
 
“Bülbül”, de Işıl Karataş, venceu o prémio da crítica/Parceiros. Neste filme três músicos viajam de Berlim a Istambul apresentam-se nas ruas, florestas e lugares desertos que encontram no percurso. A música evolui com os cenários peculiares e a audiência - de crianças a animais, passando por árvores intemporais.
 
Nas Canções Com Gente Dentro, Palco Nacional, o vencedor foi “On The Sand By The Sea”, de Casota Collective, vídeo musical dos Nice Weather For Ducks. Dos mesmos realizadores, “Nagmani”, vídeo dos First Breath After Coma (ft. Andre Barros) e “Crime Scene”, vídeo dos Mirror People, de Vasco Mendes, obtiveram Menções Honrosas. “Start a Revolution”, do coletivo Terra Livre, realizado por Catarina Severino, ganhou o Prémio do Público.
 
Nas Canções Com Gente Dentro, Palco Internacional, o vencedor foi “Changing”, da banda Adina E, realizado pelo israelita Yoni Goodman, o mesmo da multipremiada longa metragem “Valsa Com Bashir”. “The Boy”, de Obe Dve, foi duplamente premiado com o Prémio do Público e com uma Menção Honrosa do júri composto pelo fotojornalista José Goulão, pela jornalista Lia Pereira e pelo realizador Paulo Prazeres. “Better Men”, dos Duquesa, ganhou o Prémio da Crítica/Parceiros.

 

Ao todo foram praticamente 200 filmes, de mais de 25 países, com premieres europeias e, por vezes, até mundiais – entre longas, curtas, vídeos musicais e sessões especiais, algumas com a presença de convidados especiais –, seis concertos, um cine-concerto, três exposições e oito sessões ou apresentações gratuitas.
 
O único festival de cinema específico sobre música em Portugal ‘habitou’ novamente o Cinema São Jorge, em Lisboa, durante seis dias, prometendo regressar em novembro de 2018.
 
 
 
4.º MUVI – FESTIVAL INTERNACIONAL DE MÚSICA NO CINEMA
PROGRAMAÇÃO DE SEGUNDA-FEIRA/MONDAY, 20.11.2017
 
 
 
SALA MANOEL DE OLIVEIRA - 18:30
- Obe Dve - “The Boy” (Rússia, 2017, 10’, Pavlo Buryak, Legendas EN)
CANÇÕES COM GENTE DENTRO - PALCO INTERNACIONAL - PRÉMIO DO PÚBLICO; CANÇÕES COM GENTE DENTRO - PALCO INTERNACIONAL - MENÇÃO HONROSA (JÚRI)
SONGS WITH PEOPLE INSIDE - INTERNACIONAL STAGE - AUDIENCE AWARD
SONGS WITH PEOPLE INSIDE - INTERNATIONAL STAGE – SPECIAL MENTION (JURY)

+ Music. Coffee. Vinyl, de Mike Dobosh (Doc, 2017, 28’, Ucrânia, Legendas EN)
SONETOS CANTADOS - PALCO INTERNACIONAL - PRÉMIO DO PÚBLICO
SHORT SONNETS - INTERNATIONAL STAGE - AUDIENCE AWARD
 
+ Eu, Meu Pai e os Cariocas, de Lúcia Veríssimo (Doc, 2017, 116’, Brasil, Legendas EN)
ODISSEIAS MUSICAIS - PALCO INTERNACIONAL - PRÉMIO DO PÚBLICO
ODISSEIAS MUSICAIS - PALCO INTERNACIONAL – MENÇÃO HONROSA (JÚRI)
MUSICAL ODYSSEYS - INTERNATIONAL STAGE - AUDIENCE AWARD
MUSICAL ODYSSEYS - INTERNATIONAL STAGE - SPECIAL MENTION (JURY)
 
 
SALA MANOEL DE OLIVEIRA - 21:30
- Terra Livre – “Start a Revolution (Portugal, 2017, 5’27, Catarina Severino, Legendas N/A)
CANÇÕES COM GENTE DENTRO - PALCO NACIONAL - PRÉMIO DO PÚBLICO
SONGS WITH PEOPLE INSIDE - PORTUGUESE STAGE - AUDIENCE AWARD
 
+ Pôr a Minha Vida no Teu Ouvido (Doc, 2017, 28’, Portugal, Legendas N/D)
SONETOS CANTADOS - PALCO NACIONAL - PRÉMIO DO PÚBLICO
SHORT SONNETS - PORTUGUESE STAGE - AUDIENCE AWARD

 

+ Diálogos ou como o teatro e a ópera se encontram para contar a morte de 16 carmelitas e falar do medo, de Catarina Neves (Doc, 2016, 70’, Portugal, Legendas PT)
ODISSEIAS MUSICAIS - PALCO NACIONAL - PRÉMIO DO JÚRI
ODISSEIAS MUSICAIS - PALCO NACIONAL - PRÉMIO DO PÚBLICO
MUSICAL ODYSSEYS - PORTUGUESE STAGE - JURY AWARD
MUSICAL ODYSSEYS - PORTUGUESE STAGE - AUDIENCE AWARD
 
 
SALA 3 - 16:00
- Duquesa - “Better Men” (Portugal, 2017, 04’28, Miguel Filgueiras)
CANÇÕES COM GENTE DENTRO - PRÉMIO DA CRÍTICA/PARCEIROS
SONGS WITH PEOPLE INSIDE - CRITICS/PARTNERS AWARDS
 
+ Bülbül, de Işıl Karataş (Doc, 2016, 20’44’’, Turquia/Alemanha, Legendas EN)
SONETOS CANTADOS - PRÉMIO DA CRÍTICA/PARCEIROS
SHORT SONNETS - CRITICS/PARTNERS AWARDS

+ Alacrán soy yo - Una comparsa de familia centenária, de Juan Sebastián Alvarez (Doc, 2016, 95’, Colômbia/Itália/Cuba, Legendas PT/EN)
ODISSEIAS MUSICAIS - PRÉMIO DA CRÍTICA/PARCEIROS
MUSICAL ODYSSEYS - CRITICS/PARTNERS AWARDS
 
 
SALA 3 - 18:15 – Adina E - “Changing” (Israel, 2017, 03’56’’, Yoni Goodman)
CANÇÕES COM GENTE DENTRO - PALCO INTERNACIONAL - PRÉMIO DO JÚRI
SONGS WITH PEOPLE INSIDE - INTERNATIONAL STAGE - JURY AWARD
 
+ Misimpressions, de Sinead Lau (Fic, 2016, 9’45’’, Nova Zelândia, Legendas N/D)
SONETOS CANTADOS - PALCO INTERNACIONAL - MENÇÃO HONROSA (JÚRI)
SHORT SONNETS - INTERNATIONAL STAGE - SPECIAL MENTION (JURY)
 
+ L'Accompagnante, The Accompanying Dancer, de Johel (Karleener) Miteran (Fic, 2017, 24’25’’, França, Legendas ES) 
SONETOS CANTADOS - PALCO INTERNACIONAL - PRÉMIO DO JÚRI
SHORT SONNETS - INTERNATIONAL STAGE - JURY AWARD
 
+ Kho Ki Pa Lü/Up Down & Sideways, de Anushka Meenakshi & Iswar Srikumar (Doc, 2017, 83’, Índia, Legendas EN)
ODISSEIAS MUSICAIS - PALCO INTERNACIONAL - PRÉMIO DO JÚRI
MUSICAL ODYSSEYS - INTERNATIONAL STAGE - JURY AWARD

 

SALA 3 - 21:15 – Nice Weather For Ducks - “On The Sand By The Sea” (Portugal, 2017, 03’39’’, Casota Collective)
CANÇÕES COM GENTE DENTRO - PALCO NACIONAL - PRÉMIO DO JÚRI
SONGS WITH PEOPLE INSIDE - PORTUGUESE STAGE - JURY AWARD
 
- Tu, de Hugo Pinto (Fic/Exp, 2017, 10’42’’, Portugal, Legendas EN)
SONETOS CANTADOS - PALCO NACIONAL - PRÉMIO DO JÚRI
SHORT SONNETS - PORTUGUESE STAGE - JURY AWARD
 
- 78.4: Rádio Plutão, de Tiago Amorim (Fic, 2017, 15’16, Portugal)
SONETOS CANTADOS - PALCO NACIONAL - MENÇÃO HONROSA (JÚRI)
SHORT SONNETS - PORTUGUESE STAGE - SPECIAL MENTION (JURY)
 
- Fantasma Lusitano, de David Francisco e Nuno Calado (Doc, 2017, 57’, Portugal)
ODISSEIAS MUSICAIS - PALCO NACIONAL - MENÇÃO HONROSA (JÚRI)
MUSICAL ODYSSEYS - PORTUGUESE STAGE - SPECIAL MENTION (JURY)

Comemorações dos Direitos da Criança e Direitos Humanos | Município de Palmela disponibiliza recursos pedagógicos à comunidade educativa

Município disponibiliza recursos pedagógicos à comunidade educativa

Comemorações dos Direitos da Criança e Direitos Humanos

 

A Câmara Municipal de Palmela assinala, uma vez mais, o Dia Universal dos Direitos da Criança, o 28.º aniversário da Convenção sobre os Direitos da Criança, a 20 de novembro, e o 69.º aniversário da Declaração Universal dos Direitos Humanos, a 10 de dezembro, este ano com a disponibilização de materiais pedagógicos para a comunidade educativa.

O “Calendário 2018 – Direitos da Criança e Direitos Humanos” é especialmente dirigido a crianças em idade pré-escolar e 1.º ciclo do ensino básico do concelho, famílias e corpo docente, assim como, a todas as turmas dos 2.º e 3.º ciclos do ensino básico e suas Direções de Turma. Além de conter as datas celebradas ao longo do ano, no que respeita a dias nacionais e internacionais, esta ferramenta pedagógica permite que as/os alunas/os assinalem a respetiva data de aniversário.

O Município de Palmela disponibiliza, ainda, o dossiê “Educação em Direitos e Cidadania Democrática”, com diversas fichas de atividades, no sentido de contribuir para o trabalho do corpo docente em sala de aula e na escola. “A nossa cidadania em sala de aula”, “Passo a Passo nos direitos…dos direitos humanos aos direitos da criança”, “O Jardim dos Direitos”, “A árvore dos Direitos Humanos” e o “Calendário 2018 – Direitos da Criança e Direitos Humanos” são alguns dos elementos que fazem parte do dossiê.

O trabalho desenvolvido com o público infanto-juvenil em torno destas temáticas insere-se numa política mais vasta de promoção da participação cidadã junto da comunidade. As atividades de participação infantil e juvenil contemplam oficinas temáticas relacionadas com os Direitos Humanos Universais, Democracia e Poder Local, junto das escolas do 1.º ciclo do ensino básico de Batudes, Palhota, Lagoa da Palha, Águas de Moura, EB de Aires e EB António Matos Fortuna, destinado a cerca de 450 crianças. De salientar, ainda, que a autarquia continua a desenvolver outros projetos no âmbito do “Eu participo”. A título de exemplo, a coluna “Eu Participo” num jornal local, onde as crianças exercem o seu direito de opinião e contribuem para o seu direito à informação sobre o que se passa no mundo. A EB 2, 3 Hermenegildo Capelo, de Palmela, envolve no seu Clube “Eu Participo” cerca de quinze crianças, onde numa cogestão com as crianças/escola/Câmara Municipal, se consolida a consciência de que a democracia e os direitos humanos começam em cada um/a com as ações que se promovem e desenvolvem.

 

 

 

 

A ciência ao serviço da floresta: especialistas e sociedade civil em grande debate no Pavilhão do Conhecimento DIVULGAÇÃO IMEDIATA

A_Guerra_do_Fogo_convite.png

 

 

Na Semana da Ciência e da Tecnologia, entre 20 e 26 de Novembro, a Rede Nacional de Centros Ciência Viva dá voz a instituições científicas e aos cidadãos para discutir os contributos da ciência e da tecnologia na valorização da floresta e na prevenção dos incêndios florestais.

Em Lisboa, o debate A Guerra do Fogo* terá lugar no dia 25 de Novembro, sábado, às 16.00, e pretende ser uma reflexão sobre de que forma o conhecimento científico tem respostas contra os incêndios, podendo garantir ao mesmo tempo o reequilíbrio da floresta e a sua sustentabilidade.

A participação neste evento é gratuita mas requer inscrição em www.cienciaviva.pt. As perguntas podem ser feitas presencialmente ou através do Twitter para #cienciaviva durante a Semana da Ciência e da Tecnologia.

Após o debate os participantes poderão continuar a esclarecer dúvidas e trocar impressões com os especialistas enquanto degustam produtos da floresta.

A Guerra do Fogo* é uma iniciativa da Ciência Viva - Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica e da Unidade de Missão para a Valorização do Interior.

Programa detalhado aqui.