Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Passeio de Barco pelo Rio Mira e estreia do ensemble Polyphõnos em Odemira

22ee7056-8980-409c-acf2-f588634d2692.jpg

 O Terras sem Sombra parte agora à descoberta, em Odemira, dos segredos do rio Mira (com destaque para os habitats das lontras, que aí encontram um santuário, e para as pradarias marinhas), apresenta o concerto de estreia do ensemble Polyphōnos e abre as portas da igreja da Misericórdia e de outros monumentos e sítios de referência, para uma visita guiada nos dias 4 e 5 de Março.

Este festival tem a particularidade de associar a cada concerto uma acção de voluntariado para a salvaguarda da biodiversidade dos diversos concelhos que o Terras percorre, a qual acontece aos domingos de manhã, congregando músicos, espectadores, membros das comunidades locais, autarcas e técnicos. E, também, uma visita, na tarde de sábado, à vila de Odemira, o que representa uma magnífica oportunidade para conhecer o património edificado mais representativo do Baixo Alentejo.

 

672e175f-f62d-46bc-b2bb-d5e6265ba21e.jpg

 

O Terras sem Sombra parte agora à descoberta, em Odemira, dos segredos do rio Mira (com destaque para os habitats das lontras, que aí encontram um santuário, e para as pradarias marinhas), apresenta o concerto de estreia do ensemble Polyphōnos e abre as portas da igreja da Misericórdia e de outros monumentos e sítios de referência, para uma visita guiada nos dias 4 e 5 de Março.

Este festival tem a particularidade de associar a cada concerto uma acção de voluntariado para a salvaguarda da biodiversidade dos diversos concelhos que o Terras percorre, a qual acontece aos domingos de manhã, congregando músicos, espectadores, membros das comunidades locais, autarcas e técnicos. E, também, uma visita, na tarde de sábado, à vila de Odemira, o que representa uma magnífica oportunidade para conhecer o património edificado mais representativo do Baixo Alentejo.

6f5b3eb0-87f4-42b6-bb49-3f156ae414a1.jpg

 

De barco, pelos meandros do rio Mira
 

Na manhã de domingo, o percurso dedicado à biodiversidade explorará, numa viagem a bordo de barcos, os meandros do Mira, propondo um olhar renovado sobre os gradientes do grande rio do Sudoeste. Este tem a particularidade de, tal como o Sado, empreender um curso de sul para norte. Nascendo na serra do Mú, percorre cerca de 150 km, ao longo dos quais se podem encontrar habitats muito distintos.

É precisamente no troço inferior do rio, já próximo do estuário, que se localizam algumas das características únicas deste curso de água: as pradarias marinhas e uma população de lontra peculiar muito. As pradarias marinhas representam alguns dos habitats mais ameaçados a nível mundial. 


Ao longo de um percurso de barco, serão reconhecidos, os pontos mais relevantes deste rio, que se caracterizam pela sua espectacular cenografia, e analisadas as principais ameaças que se fazem sentir sobre eles. A iniciativa, organizada com a colaboração do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas e da Câmara Municipal de Odemira, conta com a presença de investigadores das universidades de Lisboa e Algarve.

 

De entrada livre, o Festival é organizado pela Pedra Angular (Associação dos Amigos do Património da Diocese de Beja) e pelo Departamento do Património desta Diocese e prolonga-se até  2 de Julho, seguindo para Ferreira do Alentejo, Santiago do Cacém, Castro Verde, Serpa, Sines e Beja, sob o título Do Espiritual na Arte Identidades e Práticas Musicais na Europa dos Séculos XVI-XX.
Um hino ao Baixo Alentejo: à beleza dos seus espaços naturais e ao prazer da descoberta cultural.

Programa Odemira
4 de Março

Património
14:30 – 17:30 – Visita ao Centro Histórico
Ponto de encontro: Igreja de São Salvador
Local em destaque – Igreja da Misericórdia
 
Música
21H30 – Polyphōnos
De Beata Virgine Maria: Música Portuguesa de Invocação Mariana
Local: Igreja de São Salvador
 
Soprano Raquel Alão
Alto Carolina Figueiredo
Tenor Marco Alves dos Santos
Baixo Tiago Mota
Violoncelo barroco Ana Raquel Pinheiro
Órgão Sérgio Silva
Mónica Antunes, Rosa Caldeira, Manon Marques, Patrícia Mendes, Rui Miranda
Direcção musical José Bruto da Costa
 
5 de Março
Salvaguarda da Biodiversidade
Pelos meandros do Mira – um olhar sobre os gradientes do grande rio do Sudoeste
10:00 – Saída – Cais de Vila Nova de Milfontes

Teatro culinário: Pasta e Basta - um mambo italiano em Odemira

Teatro culinário chega a Odemira

Pasta e Basta - um mambo italiano

 

 

O teatro culinário chega a Odemira. O espectácu-lo/jantar Pasta e Basta – um mambo italiano, apre-senta-se nos dias 5 e 6 de Maio pelas 19h, no Salão dos Bombeiros Voluntários de Odemira e a entrada é livre mediante reserva. Da autoria do encenador Giacomo Scalisi, em co-criação com o actor Miguel Fragata e o escritor Afonso Cruz, o espectáculo des-tina-se a “todos os que gostam muito de cozinhar”, propondo ao público por, literalmente, as mãos na massa enquanto recupera o acto colectivo do fazer e do comer em conjunto.

Pasta e Basta – um mambo italiano nasceu do desejo de trazer a mesa para o teatro e de reflectir sobre a actual interculturalidade das cidades. Propõe um en-contro de culturas através de uma “experiência culi-nária bastarda”, que justapõe ingredientes e modos de confecção de várias origens (no caso, de Portugal, Itália, Cabo Verde e Índia), para criar pratos que contêm em si o mundo inteiro. Pretende, segundo o autor, "desenhar uma metáfora da sociedade através da culinária, onde se cruzam diversos modos de pen-sar, falar e nutrir.”
O criador afirma-o mesmo como um espectáculo de teatro culinário interculturalinguístico. Giacomo Scalisi acrescenta ainda que “a mistura de todas estas culturas pode criar uma nova cultura, novas linguagens, novos sabores. Pasta e Basta é um bom momento, em que compartilhamos uma parte das nossas vidas com os outros. Juntos fazemos massa, ouvimos uma história que fala da vida, e comemos as culturas do mundo que entram dentro de nós, para não sair nunca mais.”
Afonso Cruz, autor do texto que suporta a peça, conduz o público por um universo de amor cheio de aromas e comidas mestiças. Os pratos que o público prepara e come em conjunto correspondem à última refeição do protagonista, o último desejo de um homem condenado à morte.
As apresentações de Pasta e Basta – um mambo italiano em Odemira são promovidas pelo Município de Odemira e pelo Programa ODETE (Odemira Território Educativo), no âmbito do projecto MIRAGEM!, com direcção artística de Madalena Victorino.  

A lotação é limitada a 60 pessoas por sessão. Reservas para o email: odemiraterritorioeducativo@cm-odemira.pt ou através do número: 963 363 204

 

PASTA E BASTA
um mambo italiano
um espectáculo de Giacomo Scalisi
em co-criação com Miguel Fragata e Afonso Cruz
 
Textos Afonso Cruz
Intérpretes Giacomo Scalisi e Miguel Fragata 
Participação especial Escola Profissional de Odemira, alunos de Restauração e Serviço de Bar, com coordenação pedagógica do Chefe Cruz e Professor Sandro Martins
Desenho de luz
Joaquim Madaíl
Vídeo
Tiago Leão & João Manso
Produção COSANOSTRA
Produção e difusão
Clara Antunes
Produção e acompanhamento
Sara Palácios
Co-produção Festival TODOS – Caminhada de Culturas
Duração 3h30min aprox.