Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

6ª Sessão da Poesia no Museu | 17 de Maio, pelas 19h | José Carlos Araújo sobre Plínio-o-Moço e a Poesia

 

SINOPSE DA SESSÃO

"Gaio Plínio Cecílio Secundo (62? – ca. 113), que a História da Literatura conhece como Plínio-o-Moço, está presente no imaginário colectivo como autor das cartas sobre a erupção do Vesúvio, em 79 – de que foi testemunha e onde Plínio-o-Velho, seu tio-avô e um dos primeiros mártires da Ciência, morreu –, da história admirável sobre o golfinho africano, das cartas a Trajano sobre os Cristãos, das primeiras cartas de amor conjugal do Mundo Antigo, exemplo de humanitas na preocupação que dispensava aos escravos, no tratamento dos libertos e na generosidade para com todos os que, entre o seu vasto círculo de relações sociais, se encontravam em situação mais frágil, bem como fonte primordial de informações diversificadas sobre a vida da elite senatorial no final do séc. I. Tão numerosos são os aspectos da actividade intelectual e política de Plínio, cuidadosamente apresentados numa persona epistolar ao longo de 247 cartas reunidas em dez livros, que o contexto da sua produção poética – que cultivou intensamente, mas que nos chegou apenas em escassos fragmentos – é objecto de menor atenção.
Plínio, todavia, talvez se reconhecesse com dificuldade na imagem que a voracidade da História – o tempus edax rerum, no dizer ovidiano – dele nos permitiu conceber, pois, se era sobretudo como orador que teve intenção de ser admirado e recordado, a atenção para com a escrita da Poesia no âmbito do otium cum studiis característico da intelectualidade romana está amplamente documentada no epistolário. Dezanove séculos depois da publicação dos Hendecasyllabi de Plínio, é lícito que restituamos também ao grande prosador e ao orador que todos conhecemos um lugar entre os poetas do seu beatissimum saeculum." JCA

José Carlos Araújo licenciou-se pela Universidade de Lisboa, onde estudou Filologia Clássica e onde conclui um Mestrado em Literatura Latina com uma tese sobre as Epístolas de Plínio. É investigador do Centro de Estudos Clássicos da Unversidade de Lisboa desde 2010, onde se tem dedicado ao estudo da Epistolografia Latina e à primeira tradução em português de Plínio, mas também (em parceria) a outros autores da Antiguidade, como Diógenes Laércio (Vitae Philosophorum) e Valério Máximo (Facta et Dicta Memorabilia). Publicou estudos sobre Filologia Clássica e apresentou comunicações a congressos de Estudos Clássicos e Literatura Comparada. Colabora regularmente em Euphrosyne — Revista de Filologia Clássica.

 

plinio o jovem.jpg

 

Legenda: Caio Plínio Cecílio Segundo, na Catedral de Como

POSTER POESIA (1).jpg

 

Poesia no Museu é um ciclo organizado pelo Museu Nacional da Música e comissariado por Helena Miranda e Tomás Castro. Consiste em várias conferências, habitualmente ilustradas com leitura de poemas, sobre poetas ou assuntos relacionados com poesia. As sessões duram aproximadamente 60 minutos e decorrem no Museu Nacional da Música às quartas-feiras, sempre às 19:00 h, com entrada livre. O ciclo vai já no seu quinto ano.
 
Siga-nos em

instagram/museunacionaldamusica

fb/museunacionaldamusica

twitter/mnacionalmusica

museunacionaldamusica.pt
 
__________________________________________________________________________
MUSEU NACIONAL DA MÚSICA
Estação do Metropolitano Alto dos Moinhos
Rua João de Freitas Branco
1500-359 LISBOA
T. (351) 21 771 09 90 / F. (351) 21 771 09 99

POESIA HOMÓNIMA no Cine Teatro de Estarreja

image004.jpg

 

 

Júlio Resende e Júlio Machado Vaz

 

Multidisciplinar

Sábado, 01 de abril às 21h30

Júlio Machado Vaz disse a Júlio Resende que ele devia compor alguma música da poesia do seu amor literário, Eugénio de Andrade. Júlio Resende disse a Júlio Machado Vaz que só juntava Música a Poesia se fosse o próprio psiquiatra a dizer essa poesia. O sexólogo, não temendo tabus, aceitou. E depois dos ensaios e desconcertos fez-se um disco. E do disco fez-se um concerto.

 

Chama-se "Poesia Homónima" e versa sobre poemas de Eugénio de Andrade e Gonçalo M. Tavares.O (des)Concerto vai explorar dois olhares distintos sobre a Poesia e a Música, que inspiraram o pianista e o psiquiatra com o mesmo nome.

 

Dia Mundial da Poesia - Tributo a Mário Cesariny - CCB

phpThumb_generated_thumbnailjpg.jpg

 

25 de março | 10.00 às 19:00 | Vários espaços

 

No CCB o Dia Mundial da Poesia comemora-se a 25 de março. Os espaços vão ser vividos num ambiente de festa com muita poesia, para todas as idades. Neste dia terão lugar várias iniciativas, desde leituras de poesia em voz alta a concertos da Big Band Júnior, dos alunos da Casa Pia e da Orquestra Sinfónica Juvenil, passando por uma maratona de leitura, o concurso de poesia Faça lá um poema, conversas e debates sobre Mário Cesariny, a exibição do documentário Autografia, ou a exposição Mário Cesariny: De cor e salteado.

Dia Mundial da Poesia no CCB

phpThumb_generated_thumbnailjpg.jpg

 

25 março | 14:00 às 19:00 | Vários Espaços

Tributo a Mário Cesariny
No CCB o Dia Mundial da Poesia comemora-se a 25 de março. Os espaços vão ser vividos num ambiente de festa com muita poesia, para todas as idades. Neste dia terão lugar várias iniciativas: Feira do Livro de Poesia; Exposição Mário Cesariny: De cor e salteado; Diga lá um poema – espaço aberto para leituras de poesia em voz alta; programação para os mais novos; concertos da Big Band Júnior e da Orquestra Sinfónica Juvenil, num tributo a Mário Cesariny.
Entrada Livre

 

Dia Mundial da Poesia no Barreiro

poema.jpg

 

 

Hoje, 21 de março, o Município do Barreiro comemora o Dia Mundial da Poesia. No âmbito do Concurso de Poesia nas Escolas, promovido pela Câmara Municipal do Barreiro, o Presidente da CMB, Carlos Humberto de Carvalho, a Vice-Presidente Sofia Martins e a Vereadora Regina Janeiro entregaram os prémios aos vencedores. São cheques-brinde da 'Livraria Bertrand', no valor de 40€ (1º prémio), 30€ (2º prémio) e 20€ ( 3º prémio) para aquisição de livros.

Recorde-se que participaram neste Concurso, dedicado aos “80 anos de Abastecimento Público de Água no Barreiro”, alunos das Escolas do 1º, 2º e 3º ciclos e ensino secundário do Concelho.

 

Esta edição envolveu os seguintes estabelecimentos de ensino: do Agrupamento de Escolas Alfredo da Silva:  Escola Básica José Joaquim Rita Seixas; do Agrupamento de Escolas de Santo André: Escola Básica Telha Nova, Escola Básica 2+3 Quinta da Lomba e Escola Secundária de Santo André e do Agrupamento de Escolas de Santo António: a Escola Básica da Vila Chã.

 

Premiados:

Agrupamento Alfredo da Silva: Escola Básica Rita Seixas: 2º A – 1º prémio e 4º B – Menção Honrosa;

Agrupamento de Escolas de santo André: Escola Básica Telha Nova 1 – 2º prémio e 3 menções honrosas

- Escola Básica 2+3 Quinta da Lomba – 1º prémio – Rafael – 6º ano, 2º prémio – Mariana – 6º ano e 3º prémio – Inês – 6º ano;

 

- Escola Secundária de Santo André: 1º prémio – Filipe Fagundo - 12º D e 2º prémio – Marta Silva – 12º D;

Agrupamento de Escolas de Santo António - Escola Básica da Vila Chã – 3º prémio – 4º E. 

Exposição itinerante

A partir de hoje e até ao dia 3 de abril, estará patente ao público a Exposição dos Trabalhos das escolas concorrentes, no Mercado Municipal 1º de Maio.

 

De referir que a exposição dos trabalhos será itinerante e estará, ainda, nos seguintes mercados municipais:

Mercado Municipal do Lavradio» de 4 a 14 de abril;

Mercado Municipal de Santo André» de 18 de abril a 29 de abril;

Mercado Municipal de Coina» de 2 de maio a 13 de maio. 

 

Consulte as fotos em: https://www.facebook.com/pg/municipio.barreiro/photos/?tab=album&album_id=1859932114257706

 

 

CMB

Concurso de Poesia | Entrega de Prémios

poema.jpg

 

Hoje, 21 de março, o Município do Barreiro comemora o Dia Mundial da Poesia. No âmbito do Concurso de Poesia nas Escolas, promovido pela Câmara Municipal do Barreiro, o Presidente da CMB, Carlos Humberto de Carvalho, a Vice-Presidente Sofia Martins e a Vereadora Regina Janeiro entregaram os prémios aos vencedores. São cheques-brinde da 'Livraria Bertrand', no valor de 40€ (1º prémio), 30€ (2º prémio) e 20€ ( 3º prémio) para aquisição de livros.

Recorde-se que participaram neste Concurso, dedicado aos “80 anos de Abastecimento Público de Água no Barreiro”, alunos das Escolas do 1º, 2º e 3º ciclos e ensino secundário do Concelho.

 

Esta edição envolveu os seguintes estabelecimentos de ensino: do Agrupamento de Escolas Alfredo da Silva:  Escola Básica José Joaquim Rita Seixas; do Agrupamento de Escolas de Santo André: Escola Básica Telha Nova, Escola Básica 2+3 Quinta da Lomba e Escola Secundária de Santo André e do Agrupamento de Escolas de Santo António: a Escola Básica da Vila Chã.

 

Premiados:

Agrupamento Alfredo da Silva: Escola Básica Rita Seixas: 2º A – 1º prémio e 4º B – Menção Honrosa;

Agrupamento de Escolas de santo André: Escola Básica Telha Nova 1 – 2º prémio e 3 menções honrosas

- Escola Básica 2+3 Quinta da Lomba – 1º prémio – Rafael – 6º ano, 2º prémio – Mariana – 6º ano e 3º prémio – Inês – 6º ano;

 

- Escola Secundária de Santo André: 1º prémio – Filipe Fagundo - 12º D e 2º prémio – Marta Silva – 12º D;

Agrupamento de Escolas de Santo António - Escola Básica da Vila Chã – 3º prémio – 4º E. 

Exposição itinerante

A partir de hoje e até ao dia 3 de abril, estará patente ao público a Exposição dos Trabalhos das escolas concorrentes, no Mercado Municipal 1º de Maio.

 

De referir que a exposição dos trabalhos será itinerante e estará, ainda, nos seguintes mercados municipais:

Mercado Municipal do Lavradio» de 4 a 14 de abril;

Mercado Municipal de Santo André» de 18 de abril a 29 de abril;

Mercado Municipal de Coina» de 2 de maio a 13 de maio. 

 

Consulte as fotos em: https://www.facebook.com/pg/municipio.barreiro/photos/?tab=album&album_id=1859932114257706

 

 

CMB

Maratona da Palavra assinala Dia Mundial da Poesia no concelho de Palmela | 21 de março - Biblioteca Municipal de Pinhal Novo

maratona da poesia.jpg

 

A Câmara Municipal de Palmela assinala o Dia Mundial da Poesia no dia 21 de março, entre as 10h00 e as 24h00, na Biblioteca Municipal de Pinhal Novo, com a Maratona de Poesia.

No período da manhã, entre as 10h00 e as 12h00, a festa da palavra poética conta com as participações do Bardoada – Grupo do Sarrafo, da poetisa Alexandrina Pereira, do rapper Edy Shine e das/os alunas/os da ESE, Escola Superior de Educação de Setúbal.

A tarde juvenil decorre entre as 14h00 e as 18h00 e integra participações da Escola Secundária de Pinhal Novo, da Escola Básica José Maria dos Santos e de Io Appolloni, a realização do ateliê de escrita criativa “O Meu País é o Meu Corpo” pelo professor José Gil, com alunos da ESE, e a atuação do rapper Edy Shine.

A Noite dos Poetas, com início às 21h00, será um encontro com as/os poetisas/poetas Fernando Pinto, Maria do Rosário Pedreira, Gastão Cruz e Isabel Ruth.

Esta iniciativa, com entrada livre, é aberta à participação de quem quiser juntar-se à festa, dizendo um poema, e integra, ainda, a realização de uma Feira do Livro de Poesia, entre os dias 21 e 25 de março.

 

 

“Palavras na nossa terra” | Sophia de Mello Breyner em destaque na Biblioteca Municipal de Pinhal Novo - 27 de janeiro

Sophia-de-Mello-Breyner.jpg

 

A sala de leitura da Biblioteca Municipal de Pinhal Novo recebe, no dia 27 de janeiro, às 21 horas, mais um serão de tertúlia poética, no âmbito do projeto “Palavras na nossa terra”. Sophia de Mello Breyner é a poetisa que abre o terceiro ano de vida deste projeto, que tem celebrado e incentivado a produção poética e apresentará novidades ao longo de 2017.

Nascida no Porto, em 1919, Sophia de Mello Breyner Andresen passou a infância na Invicta e estudou Filologia Clássica na Universidade de Lisboa. Os seus primeiros versos foram publicados em 1940, pouco tempo depois de concluir os estudos, nos Cadernos de Poesia. Seria o início de uma carreira preenchida - até 1997, viria a publicar catorze livros de poesia, bem como uma vasta coleção de contos, artigos, ensaios, histórias infantis e peças de teatro. A tradução para português de clássicos como Eurípedes, Dante, Claudel ou Shakespeare, e de vários poetas portugueses para a língua francesa, faz parte, também, de uma carreira distinguida com o Prémio Camões 1999, o Prémio Rainha Sofia de Poesia Ibero-Americana ou o Prémio Poesia Max Jacob 2001, entre outros.

Politicamente, foi uma ativa opositora ao Estado Novo e foi eleita deputada à Assembleia Constituinte a seguir ao 25 de Abril. Casada com Francisco Sousa Tavares, foi mãe de cinco filhos. Faleceu em 2004, encontrando-se sepultada no Panteão Nacional.

A participação dos serões de poesia na Biblioteca Municipal de Pinhal Novo é livre e aberta a todas as pessoas que gostem de ouvir, escrever, ler ou dizer poesia. Em fevereiro, continuamos no feminino, com um encontro dedicado à poetisa alentejana Florbela Espanca.