Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

APOM:Prémio Comunicação Online museu e três prémios para Vale do Varosa + Livro "A Diocese de Lamego em três Histórias"

canvas.png

 

O Museu de Lamego vem por este meio solicitar a melhor divulgação das notas de imprensa em anexo, duas das quais relativas aos Prémios APOM, que premiaram o museu na categoria "Melhor Comunicação Online" e o projeto Vale do Varosa, da responsabilidade da Direção Regional de Cultura do Norte, sob gestão de proximidade do Museu de Lamego, nas categorias "Melhor Intervenção em Conservação e Restauro" e "Melhor Informação Turística". O Vale do Varosa contou ainda com a atribuição de uma menção honrosa, na categoria "Melhor Museografia", para o Centro Interpretativo do Mosteiro de São João de Tarouca.
 
Por fim, remetemos ainda nota sobre um extraordinário contributo para a História de Lamego e da sua Diocese, com a publicação da obra “A Diocese de Lamego em Três Histórias”. Da autoria de Joaquim Correia Duarte, a apresentação decorreu no Museu de Lamego, integrada nas comemorações do Centenário, e esteve a cargo da Presidente da Academia Portuguesa da História, Professora Doutora Manuela Mendonça.
 

XIª edição PRÉMIO SEIVA | Estreia peça de teatro "O Sr. Ibrahim e as Flores do Alcorão", de Eric-Emmanuel Schmitt

PRÉMIO SEIVA

 

O Prémio Seiva, um dos mais representativos Prémios da cidade do Porto e que tem por finalidade distinguir as individualidades que, através das suas obras ou das suas actividades mais tenham contribuído para o progresso, dignificação e prestígio das Artes, das Letras e das Ciências do Porto, foi agora atribuído pela XIª vez.

O Júri, composto pelo Pintor Armando Alves, pela Profª. Doutora Maria de Sousa, pela Profª. Doutora Maria João Reynaud e pelo actor António Reis (em representação da Seiva Trupe), após a ratificação de uma Comissão composta pelos jornalistas Adriano Miranda (Sindicato dos Jornalistas), Amílcar Correia (Jornal Público), Sérgio Almeida (Jornal de Notícias) e Tiago Dias (Agência Lusa), atribuiu o Prémio às seguintes personalidades:

 

- Pintor Jorge Pinheiro – nas Artes

- Professora Doutora Fátima Carneiro – nas Ciências

- Prof. Doutor Arnaldo Saraiva – nas Letras

 

No próximo dia 20 de Junho, pelas 21h30, terá lugar na Casa das Artes, Porto, a cerimónia pública de entrega da XIª edição do Prémio Seiva, bem como a estreia da peça de teatro “O Sr. Ibrahim e as Flores do Alcorão”, de Eric-Emmanuel Schmitt.

*********************

“O Senhor Ibrahim e as Flores do Alcorão”,  de Eric-Emmanuel Schmitt

 

Estreia: 20 de Junho,às 21h30 (logo após a entrega do Prémio Seiva)

               21 e 22 de Junho, às 21h45

 

Local: Casa das Artes, Porto

 

SINOPSE

 

Numa linguagem simples mas profundamente filosófica e humanista, desaguando numa emocionante história condimentada com humor, Eric-Emmanuel Schmitt, filósofo e dramaturgo, um dos mais prolíficos e premiados escritores do nosso tempo, narra um caso de um jovem judeu e de um velho merceeiro árabe. O jovem vive só e com um pai frio e distante.

O Senhor Ibrahim, o merceeiro árabe, é acolhedor e simpático. Juntos vivem uma série de aventuras e edificam uma amizade que ultrapassa todas as fronteiras. Uma obra de sabedorias, de tolerância, bondade e fraternidade, numa temática bem actual.

 

Autor | Eric-Emmanuel Schmitt

Cenografia | José Carlos Barros

Desenho de Luz | Júlio Filipe

Assistente Encenação e Direcção de Cena | Rita Reis

Direcção| Júlio Cardoso

 

Interpretação| Fernando Soares
                            Miguel Batista

 

Realização| Seiva Trupe

 

Roca Lisboa Gallery junta profissionais e estudantes na entrega de prémios Ecohut

image007.png

 

O Roca Lisboa Gallery acolhe, no próximo dia 16 de junho às 16h00 (sexta-feira), a entrega de prémios aos vencedores do concurso para estudantes de arquitetura e engenharia - Ecohut.

Lançado no passado mês de janeiro com o apoio da Roca, o desafio passava pela criação de um alojamento pensado para festivais de Verão, que suportasse um dormitório para jovens, até 4 px, com WC e chuveiro com água quente e ainda zona de preparação de alimentos. O espaço deverá ter ainda ter um local no exterior para um grelhador portátil, sendo o layout e distribuição do espaço interior da responsabilidade da equipa concorrente.

 

Este módulo deveria ser completamente autónomo no seu funcionamento, sendo da responsabilidade da equipa a colocação de cisternas para reaproveitamento de águas, “mini- estações” de tratamento para gestão das águas residuais dos banhos e cozinhas e sistemas de captação e armazenamento de energia elétrica (painéis fotovoltaicos e baterias).

 

O concurso contou com 11 candidaturas e 6 propostas entregues, provenientes de diversos pontos do país. As equipas foram na sua maioria multidisciplinares, integrando pelo menos um estudante de Arquitetura (coordenador) e um estudante de Engenharia Civil. Fizeram parte do Júri arquitetos de renome, bem como engenheiros civis e ainda um representante da ADENE, para avaliar a certificação energética do modelo.

 

O apoio da Roca a esta iniciativa faz parte da sua estratégia de apoio e divulgação de iniciativas destinadas a profissionais e estudantes do setor, sobretudo as relacionadas com o tema da sustentabilidade e da eficiência energética. 

 

Esta aposta é materializada, não apenas através deste tipo de apoios, mas da organização de eventos em parceria com as mais diversas entidades, desde concursos a tertúlias, passando por debates ou ações de sensibilização.

 

 

 

 

Conheça o painel completo de jurados que analisou os diferentes projetos:

 

  • Arqª Aline Guerreiro Delgado;
  • Arqª Cindy Marquez;
  • Arqº Paulo Mendonça;
  • Arqº Dante de Macedo;
  • Arqº José Pedro Sousa
  • Engº Bento Machado Aires;
  • Engº Marco Correia

 

 

 

Sobre o Roca Lisboa Gallery

 

Os Roca Galleries são parte da estratégia internacional da Roca e um conceito que expressa a realidade atual e as suas metas de futuro. O design, a inovação, a sustentabilidade e o bem-estar são valores Roca transmitidos pelos Galleries, manifestando assim a vontade da marca líder em espaços de banho em manter um diálogo constante com a sociedade, e especialmente com os profissionais com quem partilha a preocupação e o interesse em evoluir os espaços de banho. Os diferentes Roca Galleries Londres, Shangai, Barcelona, Madrid, São Paulo e Lisboa veiculam esta vontade, oferecendo um ponto de encontro e um espaço de diálogo aberto à comunidade interessada, a designers e decoradores de interiores, e arquitetos de todo o mundo.  

O Roca Lisboa Gallery é o resultado da colaboração com o estúdio Ferruz Decoradors e foi inaugurado em junho de 2011. O Roca Lisboa Gallery, localizado num antigo palacete de 1909 no início da extensa Avenida da Liberdade, na Praça dos Restauradores nº46, é um espaço fundamental e flexível onde a exposição de produtos do portefolio  Roca partilha o mesmo espaço de forma natural com o Espaço Cultura, onde exposições, apresentações, encontros de profissionais e eventos de interesse, dinamizam a oferta sociocultural de Lisboa.

 

www.rocalisboagallery.com

 

NOVOS CRIADORES | Concurso e Mostra Nacional | Inscrições até 30 de Junho

 
O concurso é aberto a todos os criativos de qualquer nacionalidade, país, idade (maiores de 16 anos) e background (que ainda não sejam profissionais na área em que se apresentam) e que se queiram dar a conhecer à comunidade profissional e ao público em geral.
 
As áreas comtempladas são: Animação; Artes Performativas; Cross Media; Design de Moda; Design Gráfico; Design Interativo; Fotografia; Ilustração, Street Art e BD; Literatura; Música; Vídeo; Videojogos; Outras áreas criativas.

Em qualquer das categorias anteriores, serão ainda entregues prémios especiais de: Intervenção social; Menos de 18 anos; Mais de 40 anos.
 
O NOVOS CRIADORES é uma iniciativa da World Academy que pretende estimular novos talentos a produzirem e mostrarem o seu trabalho e, desta forma valorizar a criatividade e criar uma rede de profissionais e parceiros que ajudem a renovar o ecossistema criativo com novas propostas e pessoas.
 
A World Academy é um centro de formação profissional nas áreas da comunicação, conteúdos e criatividade. Para esta iniciativa a escola convidou para júri um leque de 42 profissionais das diferentes áreas a concurso e angariou várias entidades parceiras que apoiam e promovem o concurso e o seu objetivo de dinamização da comunidade criativa.
 
Os participantes para além de darem a conhecer o seu trabalho, habilitam-se a ganhar diversos prémios atribuídos pela World Academy e pelas várias entidades parceiras do concurso.
 
As inscrições estão abertas até dia 30 de Junho, e a 10 de Julho serão divulgados os projetos premiados.
A entrega dos prémios e a inauguração da Mostra dos trabalhos realiza-se a 22 de Julho, integradas no Festival World Academy, sendo que a exposição permanecerá patente nas instalações da World Academy até 31 de Setembro.
 
Uma oportunidade para todos os criativos se darem a conhecer e promoverem o seu trabalho.

Prazo de candidaturas aos Prémios Literários da Estoril Sol termina a 31 de Maio

Fernando Namora 2.jpg

 

Expira, já no próximo dia 31 de Maio, o prazo de recepção de obras originais para a 10ª edição do Prémio Literário Revelação Agustina Bessa-Luís e das obras de ficção (romance ou novela) candidatas à 20ª edição do Prémio Literário Fernando Namora. Trata-se de uma das mais prestigiadas iniciativas que integram o calendário de eventos com relevância cultural. O júri comum aos dois Prémios será presidido por Guilherme D `Oliveira Martins.

 

Em relação ao Prémio Revelação Agustina Bessa-Luís, é de registar que, desde o ano passado, foi abolido do seu Regulamento o limite dos 35 anos de idade, cláusula que o Júri considerou estar a condicionar o aparecimento de novos valores.

 

Com a extinção dessa norma considerada restritiva, a Estoril Sol corresponde, assim, aos pedidos manifestados por numerosos candidatos que estavam impossibilitados de participar no concurso. Mantém-se, contudo, a obrigatoriedade do romance concorrente ser inédito, e de autor português, “sem qualquer obra publicada no género”.

 

A 10ª edição do Prémio Revelação Agustina Bessa-Luís terá o valor de 10 mil euros e, nos termos do Regulamento, será publicado pela Editora Gradiva, de acordo com o protocolo existente com a Estoril Sol.

 

Juntamente com o Prémio Literário Revelação, mantém-se aberto o período de candidaturas ao Prémio Literário Fernando Namora, instituído regularmente desde 1988, e cujo Júri foi presidido, durante vários anos, por Agustina Bessa-Luís e, posteriormente, por Vasco Graça Moura.

 

Com periodicidade anual, o Prémio Literário Fernando Namora tem o valor de 15 mil euros e distingue uma obra de ficção (romance ou novela), de autor português, editada em 2016, desde que o escritor não tenha sido premiado nas três edições anteriores.

 

 Recorde-se que, Afonso Cruz, foi o vencedor no ano passado com o seu romance "Flores”. Nas anteriores edições, foram distinguidos, ainda, João de Melo, Maria Isabel Barreno, Urbano Tavares Rodrigues, Manuel Alegre, Armando Silva Carvalho, António Lobo Antunes, Nuno Júdice, Miguel Real, Mário Cláudio, Luísa Costa Gomes, Gonçalo M. Tavares, Paulo Castilho e José Eduardo Agualusa. ". É de registar que Mário de Carvalho (1996 e 2008) e Teolinda Gersão (2001 e 2015) bisaram o prémio.

TRONOS DE SANTO ANTÓNIO | INSCRIÇÕES ABERTAS ATÉ 28 DE MAIO

ecard-email+facebook-3.png

 

Exposição dias 3 e 4 de junho

 

Está aberta a 3ª edição dos Tronos de Santo António!

A EGEAC e o Museu de Lisboa - Santo António voltam a convidar os lisboetas (de gema ou de coração) para recriar a tradição dos Tronos de Santo António, cujas origens remontam ao século XVIII. Pensa-se que a tradição teve origem no século XVIII quando, após o Terramoto de 1755, a população e, principalmente, as crianças se empenharam na angariação de fundos para a reconstrução da igreja de Santo António. 

 

O entusiasmo com que as duas primeiras edições dos Tronos foram recebidas pela população mostraram que os lisboetas são incapazes de deixar o seu Santo ficar mal: cerca de 65 tronos inscritos no primeiro ano e mais de 200, no segundo, de Juntas, paróquias, escolas, coletividades ou organizações, até vizinhos, amigos, netos e avós.

Aqui, todos os Tronos são vencedores – desde que os seus criadores os exponham pelas ruas, portas e janelas da cidade nos dias 3 e 4 de junho, durante as Festas de Lisboa. À semelhança dos anos anteriores, será disponibilizado um roteiro com a localização dos tronos inscritos para possam ser visitados, e ainda uma publicação com o registo fotográfico dos Tronos de Santo António 2017.  

O Museu de Lisboa – Santo António oferece as estruturas ou bases, bastando para isso que os interessados se inscrevam e se dirijam ao museu.

Informações e inscrições (até 28 de maio) através de msantoantonio@egeac.pt ou no Museu de Lisboa – Santo António (Largo de Santo António da Sé, 22), onde poderá levantar o seu trono até 28 de maio.


Conheça as normas de participação AQUI.

Ficha de inscrição AQUI.

 

Prémio Literário Revelação Agustina Bessa-Luís acolhe candidaturas até 31 de Maio

A recepção de obras originais para a 10ª edição do Prémio Literário Revelação Agustina Bessa-Luís expira no próximo dia 31 de Maio, de acordo com o respectivo Regulamento. Recorde-se que, o júri do Prémio Literário Revelação aboliu, desde o ano passado, o limite de idade de 35 anos para os autores que pretendam candidatar-se.

 

Agustina Bessa-Luís.jpg

 

Com a eliminação dessa norma considerada restritiva, a Estoril Sol procura corresponder às pretensões de numerosos candidatos, que se viam impossibilitados de participarem. Mantém-se, contudo, a obrigatoriedade do romance concorrente ser inédito, e de autor português, “sem qualquer obra publicada no género”.

 

Lançado em 2008, o Prémio Literário Revelação, tem o valor de 10 mil euros e, nos termos do Regulamento, será publicado pela Editora Gradiva, conforme o protocolo existente com a Estoril Sol. O júri será presidido por Guilherme D `Oliveira Martins.

 

Juntamente com o Prémio Literário Revelação, a Estoril Sol mantém ainda o Prémio Literário Fernando Namora, instituído regularmente desde 1988, bem como o Prémio Cidadania Cultural Vasco Graça Moura homenageando a sua memória.

 

 

Dia 20 de Maio, os Monstros invadem o Cinema São Jorge.

image4367971.jpg

 

MONSTROS DO ANO - 9ª edição

Dia 20 de Maio, os Monstros invadem o Cinema São Jorge.

16 categorias, mais de 80 nomeados, a 9ª edição dos monstros do ano, tem tudo para ser uma das mais embaraçosas da história.

Passou um ano desde a passada edição dos Monstros e o facto de se terem passado vários dias desde essa data - que é o que acontece quando passa um ano - fez com que as pessoas falassem, fizessem coisas e no fundo, surpreendentemente, vivessem. E isso é o melhor que pode acontecer, porque é a vida das pessoas, o lado mais bizarro, insólito e inesperado de cada uma delas, que faz com que os Monstros, de ano para ano, se ergam e mostrem de forma cabal, que são a cerimónia mais divertida e inclusiva que este país poderá ver.

Entre as categorias que serão reveladas, algumas se estreiam - Monstro Thug Life, Monstro WTF, Amor Monstro, Monstro da PUB e outras que voltam a destacar-se: Monstro do Ano, Música do Ano, Frase do Ano, Monstros Por Trás, Duelo do Ano, Monstro em Directo.

De recordar que os Monstros do Ano, já revelaram e premiaram nomes como : Paulo Parreira (Adepto possuído do Benfica), Manuel Almeida (o Ninja Político), João Araújo (Advogado de José Sócrates), deputado madeirense Manuel Coelho, Pedro Arroja, Abel Xavier, João Malheiro, Dias Loureiro, Duarte Lima, entre tantos outros.

A edição de 2017, realiza-se dia 20 de Maio, às 22 horas, no cinema São Jorge em Lisboa. Os bilhetes já estão à venda.
 
Ticketline:  https://ticketline.sapo.pt/evento/monstros-do-ano-2017-19670
Mais informações: 
monstrosdoano@gmail.com

A edição deste ano tem o patrocínio do Licor Beirão. O apoio da Antena 3 e do CANAL Q

Terras sem Sombra distinguido com o selo EFFE para os melhores festivais

22ee7056-8980-409c-acf2-f588634d2692.jpg

d4a6af52-5a09-438a-8000-c7a83666e9cb.jpg

 

 

Bruxelas anunciou a atribuição ao Terras sem Sombra do selo EFFE (Europe Festivals – Festivals de l’Europe) para 2017-2018. Esta prestigiosa marca, criada pela European Festivals Association (EFA) por iniciativa da Comissão Europeia, distingue os festivais que se destacam, no espaço comunitário, pela excelência da programação, pelo carácter inovador e pela criação de novos públicos. É considerado o mais importante “label” do sector, só outorgado, de acordo com a EFA, a um “núcleo cimeiro” de projectos artísticos.

A decisão foi tomada na última semana, sob a presidência do britânico Sir Jonathan Mills, antigo director do Edinburgh Festival, por um júri internacional constituído pelos responsáveis dos festivais europeus: Tamar Brüggeman (Holanda), Peter Florence (Reino Unido), Haris Pašović (Bósnia e Herzegovina), Pavel Potoroczyn (Polónia), Renato Quaglia (Itália), Irene Rossi (Bélgica) e Fruzsina Szép (Hungria). É de salientar ainda a presença de Keng Sen Ong, director do Festival Internacional de Arte de Singapura, referência mundial do sector.

O júri considerou o festival alentejano “uma criação única, que forjou laços pouco usuais entre uma instituição religiosa e um sólido programa artístico e, ao mesmo tempo, desenvolve um particular conjunto de acções para a promoção do património artístico e do património natural”. Salientou igualmente que, “não obstante ter lugar numa região periférica”, apresenta “uma programação cuidada e coerente”. Pôs ainda em evidência a “cooperação com regiões vizinhas de Espanha e o forte envolvimento das comunidades”.

Surgido em 2003, o Terras sem Sombra é organizado pelo Departamento do Património Histórico e Artístico da Diocese de Beja e pela Associação Pedra Angular, assentando numa parceria estratégica da sociedade civil da região com municípios, serviços descentralizados do Estado, instituições do sector social, empresas, etc. Tem como director José António Falcão, historiador de arte. A orientação artística corre a cargo de Juan Ángel Vela del Campo, crítico musical e professor da Universidad Carlos III, de Madrid.

Prazo de candidaturas ao prémio Literário Fernando Namora expira a 31 de Maio

Fernando Namora 2.jpg

 

Expira a 31 de Maio o prazo de recepção das obras candidatas à 20ª edição do Prémio Literário Fernando Namora. Instituído pela Estoril Sol, em 1988, este prestigiado galardão tem o valor pecuniário de 15 mil euros..Trata-se de uma referência maior entre iniciativas congéneres no meio literário nacional. 

 

Recorde-se que, com periodicidade anual, o Prémio Literário Fernando Namora distingue  uma obra de ficção (romance ou novela), de autor português, editada em 2016, desde que o escritor não tenha sido premiado nas três edições anteriores. 

 

Afonso Cruz, foi o vencedor no ano passado com o seu romance "Flores. Nas anteriores edições, foram distinguidos, ainda, João de Melo, Maria Isabel Barreno, Urbano Tavares Rodrigues, Manuel Alegre, Armando Silva Carvalho, António Lobo Antunes, Nuno Júdice, Miguel Real, Mário Cláudio, Luísa Costa Gomes, Gonçalo M. Tavares, Paulo Castilho e José Eduardo Agualusa. ". É de registar que Mário de Carvalho (1996 e 2008) e Teolinda Gersão (2001 e 2015) bisaram o prémio.

 

Com um Júri qualificado, o Prémio Literário Fernando Namora ocupa um espaço próprio nas Letras portuguesas. Presidido por Guilherme D`Oliveira Martins,  em representação do CNC – Centro Nacional de Cultura, o Júri integra, ainda, José Manuel Mendes, pela Associação Portuguesa de Escritores; Maria Carlos Gil Loureiro, pela Direcção Geral do Livro e das Bibliotecas; Manuel Frias Martins, pela Associação Portuguesa dos Críticos Literários; e, ainda, Maria Alzira Seixo e Liberto Cruz, convidados a título individual e Nuno Lima de Carvalho e Dinis de Abreu, em representação da Estoril Sol.