Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Noites de Queluz encerram com duas estreias | 27 e 29 outubro

 

A edição 2017 das “Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie” encerra este fim de semana, com dois concertos em que a música portuguesa está em destaque: na sexta-feira, a pianofortista espanhola Laura Fernández Granero atua pela primeira vez em Portugal e, dois dias depois, no domingo, o concerto de encerramento apresenta a estreia mundial moderna da serenata “Il Natal di Giove”, de João Cordeiro da Silva.

 

image004.png

 

Foi fora dos seus países de origem que João Domingos Bomtempo (1775-1842) e Muzio Clementi (1752-1832) conheceram a fama. O português alcançou prestígio em Paris e em Londres, e o italiano em terras de Sua Majestade, para onde cedo foi morar, mais tarde se naturalizando inglês. Compositores, pianistas virtuoses e pedagogos, ambos, foram igualmente grandes amigos, amizade essa revisitada no concerto de 27 de outubro, às 21h30, cujo subtítulo é “Os alvores do Romantismo em Portugal” e que tem lugar na Sala da Música do Palácio Nacional de Queluz. Um programa de sonatas, danças, variações e pequenas peças de Bomtempo e Clementi, que será interpretado pela jovem pianofortista espanhola Laura Fernández Granero, naquela que é a sua primeira atuação em Portugal.

 

Uma outra estreia está reservada para o concerto de encerramento das “Noites de Queluz”. Referimo-nos à serenata “Il Natal di Giove”, de João Cordeiro da Silva (c. 1735-c. 1808), estreada no Palácio de Queluz a 21 de agosto de 1778, para celebrar o 17.º aniversário do infante José Francisco, filho de D. Pedro III e da rainha D. Maria I. Esquecida desde então, tem no domingo, 29 de outubro, a sua estreia mundial moderna. O concerto “Uma serenata para o aniversário do príncipe herdeiro” acontece às 21h30, na Sala do Trono, e conta com a direção musical de Riccardo Doni, à frente da orquestra barroca Divino Sospiro.

 

As “Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie” regressam ao Palácio Nacional de Queluz, com sete concertos distribuídos entre 27 de setembro e 29 de outubro. Estes espetáculos, que acontecem na Sala do Trono e na Sala da Música, propõem repertórios criteriosamente ajustados ao contexto histórico do Palácio, numa viagem pelas sonoridades do período Setecentista e do 1.º Romantismo.

 

“Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie” é uma iniciativa conjunta da Parques de Sintra e do Centro de Estudos Musicais Setecentistas em Portugal / Divino Sospiro, com direção artística do maestro Massimo Mazzeo. Este ciclo de concertos assinala o início da 4.ª Temporada de Música da Parques de Sintra.

 

Preço de bilhete por concerto: 10 euros

 

Locais de venda:

Bilheteiras da Parques de Sintra

FNAC, Worten, El Corte Inglés, MEO Arena, Media Markt, lojas ACP, rede PAGAQUI e Postos de Turismo de Sintra e Cascais.

Online em www.parquesdesintra.pt e em www.blueticket.pt

M/6

 

Após o início do espetáculo, apenas no intervalo será permitida a entrada na sala. Poderá haver concertos sem intervalo.

Falta de comparência ou atraso não dão direito a reembolso do valor do bilhete.

 

“Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie” conta com a Antena 2 como ‘media partner’.

 

 

Programação

 

Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie

 

 

27 de outubro | 21h30 | Sala da Música

 

“Os alvores do Romantismo em Portugal”

 

Laura Fernández Granero                        pianoforte

 

João Domingos Bomtempo (1775-1842) e Muzio Clementi (1752-1832) adquiriram ambos fama fora dos seus países de origem: o português em Paris e em Londres, o italiano na Inglaterra onde cedo se fixou. Conheceram-se entre uma e outra dessas capitais e, quando Bomtempo se mudou para Londres, uma sincera amizade nasceu entre estes dois compositores, virtuoses do piano e pedagogos. Um face-a-face musical, na estreia portuguesa da jovem pianofortista espanhola Laura Fernández Granero.

 

 

29 de outubro | 21h30 | Sala do Trono

 

“Uma serenata para o aniversário do príncipe herdeiro”

 

Melite                        Eduarda Melo | soprano

Adrasto                    Patrycja Gabrel | soprano

Amaltea                    Giuseppina Bridelli | mezzosoprano

Temide                     Mariana Castello-Branco |soprano

Cassandro              Pedro Matos | tenor

 

Divino Sospiro

Riccardo Doni                     cravo e direção

 

João Cordeiro da Silva foi um dos principais compositores do período que medeia entre o Terramoto de 1755 e a fuga da Corte para o Brasil. Escreveu a serenata ‘Il Natal di Giove’ (‘O nascimento de Júpiter’), sobre libreto de Pietro Metastasio, para o 17.º aniversário do infante José Francisco, primogénito de D. Pedro III e da rainha D. Maria I. A obra foi ouvida no Palácio de Queluz a 21 de agosto de 1778. Esquecida desde então, é agora recuperada e dada em estreia moderna.

 

 

Neste link poderá consultar a programação completa do evento: http://www.parquesdesintra.pt/programacao-cultural/noites-de-queluz-tempestade-e-galanterie-2017/

 

 

Noites de Queluz | Concerto de 22 outubro é dedicado à figura do compositor Domenico Scarlatti

O 5.º concerto das “Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie” tem por figura central o italiano Domenico Scarlatti (1685-1757), que passou em Lisboa dez anos da sua vida. Música sua, mas também da Roma que ele deixou por Lisboa, preenche o programa que Il Sogno Barocco, dirigido por Paolo Perrone, traz no dia 22 à Sala da Música do Palácio Nacional de Queluz.

 

image001.jpg

 

Quando o italiano Domenico Scarlatti (1685-1757) chegou a Lisboa, em 1719, já era um compositor conceituado, ocupando desde 1715 o cargo de mestre da Capella Giulia, da Basílica de São Pedro. O rei D. João V (1689-1750), o Magnânimo, contratou-o para exercer as funções de mestre de capela e de professor de cravo da família real, nomeadamente dos infantes e em particular da princesa Maria Bárbara de Bragança, que se viria a revelar a mais dotada.

 

No dia 22 de outubro, por sinal a data de aniversário de D. João V, o agrupamento italiano Il Sogno Barroco, liderado pelo virtuose do violino Paolo Perrone, apresentará um programa que, sob o título “Domenico Scarlatti e a Roma que ele trocou por Lisboa”, aborda várias composições de Scarlatti, com particular destaque para as únicas obras suas não destinadas a instrumento de tecla solo, as quais foram recentemente gravadas por Perrone. Mas também se escutarão obras de Georg Friedrich Händel, Arcangelo Corelli e Carlo Ambrogio Lonati, três compositores marcantes da Roma de inícios do século XVIII.

 

O alemão Händel esteve por três períodos em Roma, no início da sua carreira, e logo fez furor na cidade papal. Já Corelli era um dos mais prestigiados compositores europeus do tempo, nomeadamente no que ao violino diz respeito. Quanto a Lonati, figura de excêntrico e aventureiro, era um genial virtuose do violino, instrumento ao qual dedicou obras de grande originalidade.

 

As “Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie” regressam ao Palácio Nacional de Queluz, com sete concertos distribuídos entre 27 de setembro e 29 de outubro. Estes espetáculos, que acontecem na Sala do Trono e na Sala da Música, propõem repertórios criteriosamente ajustados ao contexto histórico do Palácio, numa viagem pelas sonoridades do período Setecentista e do 1.º Romantismo.

 

“Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie” é uma iniciativa conjunta da Parques de Sintra e do Centro de Estudos Musicais Setecentistas em Portugal / Divino Sospiro, com direção artística do maestro Massimo Mazzeo. Este ciclo de concertos assinala o início da 4.ª Temporada de Música da Parques de Sintra.

 

 

Informações úteis

 

Preço de bilhete por concerto: 10 euros

 

Locais de venda:

Bilheteiras da Parques de Sintra

FNAC, Worten, El Corte Inglés, MEO Arena, Media Markt, lojas ACP, rede PAGAQUI e Postos de Turismo de Sintra e Cascais.

Online em www.parquesdesintra.pt e em www.blueticket.pt

M/6

 

Após o início do espetáculo, apenas no intervalo será permitida a entrada na sala. Poderá haver concertos sem intervalo.

Falta de comparência ou atraso não dão direito a reembolso do valor do bilhete.

 

“Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie” conta com a Antena 2 como ‘media partner’.

 

Programação

 

Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie

 

 

22 de outubro | 21h30 | Sala da Música

 

“Domenico Scarlatti e a Roma que ele trocou por Lisboa”

 

Il Sogno Barocco

Paolo Perrone                           violino barroco e direção

 

Quando em 1719 troca Roma por Lisboa, chamado por D. João V para ser Compositor régio, Domenico Scarlatti já era um prestigiado músico, ocupando desde 1715 o cargo de mestre da Capella Giulia, da Catedral de São Pedro. Em Lisboa passaria dez anos, também como professor dos infantes, mormente da primogénita e mais dotada, Maria Bárbara. Das suas mais de 550 sonatas e ‘essercizi’, apenas oito não são para tecla solo. Um concerto que viaja entre a Lisboa que fez sua e a Roma que deixou.

 

 

27 de outubro | 21h30 | Sala da Música

 

“Os alvores do Romantismo em Portugal”

 

Laura Fernández Granero         pianoforte

 

João Domingos Bomtempo (1775-1842) e Muzio Clementi (1752-1832) adquiriram ambos fama fora dos seus países de origem: o português em Paris e em Londres, o italiano na Inglaterra onde cedo se fixou. Conheceram-se entre uma e outra dessas capitais e, quando Bomtempo se mudou para Londres, uma sincera amizade nasceu entre estes dois compositores, virtuoses do piano e pedagogos. Um face-a-face musical, na estreia portuguesa da jovem pianofortista espanhola Laura Fernández Granero.

 

 

29 de outubro | 21h30 | Sala do Trono

 

“Uma serenata para o aniversário do príncipe herdeiro”

 

Melite                        Eduarda Melo | soprano

Adrasto                    Patrycja Gabrel | soprano

Amaltea                    Giuseppina Bridelli | mezzosoprano

Temide                     Mariana Castello-Branco |soprano

Cassandro                Pedro Matos | tenor

 

Divino Sospiro

Riccardo Doni                     cravo e direção

 

João Cordeiro da Silva foi um dos principais compositores do período que medeia entre o Terramoto de 1755 e a fuga da Corte para o Brasil. Escreveu a serenata ‘Il Natal di Giove’ (‘O nascimento de Júpiter’), sobre libreto de Pietro Metastasio, para o 17.º aniversário do infante José Francisco, primogénito de D. Pedro III e da rainha D. Maria I. A obra foi ouvida no Palácio de Queluz a 21 de agosto de 1778. Esquecida desde então, é agora recuperada e dada em estreia moderna.

 

 

Neste link poderá consultar a programação completa do evento: http://www.parquesdesintra.pt/programacao-cultural/noites-de-queluz-tempestade-e-galanterie-2017/

 

Feira Setecentista de Queluz 2017


De 14 a 17 de Setembro – Largo do Palácio de Queluz

FSQueluz2017_I.jpg

 

Viajar até ao século das luzes acompanhado por marquesas de longas cabeleiras, marialvas com tricórnios emplumados e poder provar algumas iguarias, quer sejam conventuais ou não, é uma das propostas da Feira Setecentista de Queluz- 2017.

A edição deste ano contará com a presença de 130 vendedores vindos de diferentes pontos do país e do estrangeiro que trazem consigo outros saberes e sabores característicos das suas regiões nesta época.

A animação a cargo da Câmara dos Ofícios recriará o ambiente do séc. XVIII, altura em que o Palácio de Queluz era um espaço de lazer. Mas como estas festas atraíam sempre uma grande quantidade de povo , este fará a festa à sua maneira com danças, música, malabarismos e divertimentos vários. Poderemos assistir às diferentes formas de namorar, fazer um penteado à época, saber das últimas novidades da corte e das grandiosas festas ocorridas no interior do palácio, assim como aprender uma dança da época.

Com Organização da Câmara Municipal de Sintra e produção da Câmara dos Ofícios o evento conta com o apoio da União de Freguesias de Queluz -Belas, Parques de Sintra- Monte da Lua e do Regimento de Artilharia Antiaérea Nº1.

Entrada Livre

Horário:

14 e 15 de setembro - 17h00 às 24h00
16 e 17 de setembro - 13h00 às 24h00

contactos: camara.oficios@mail.telepac.pt

Câmara dos Ofícios - 21 916 4550

Palácio Nacional de Queluz - Parques de Sintra inicia recuperação do Jardim de Malta

Intervencao_Jardim_de_Malta_creditos_PSML_Wilson_P

 

A Parques de Sintra iniciou no final de fevereiro o projeto de recuperação do Jardim de Malta, no Palácio Nacional de Queluz. A intervenção visa reconstituir e requalificar esta área, devolvendo-lhe o traçado setecentista e o caráter lúdico e interpretativo original. O projeto deverá estar concluído em dezembro e representa um investimento de meio milhão de euros.

 

Construído entre 1758 e 1765, este jardim de aparato desenvolve-se no ângulo da fachada interior do Palácio, entre a Sala do Trono, a Sala da Música e a ala dos Aposentos da Princesa D. Maria Francisca Benedita, e é uma peça fundamental para a leitura integrada dos Jardins de Queluz. Projetado, provavelmente, por Jean Baptiste Robillion, segue os preceitos de composição dos jardins formais setecentistas, refletindo os valores de ordem, clareza, proporção e harmonia.

 

É um jardim de estilo formal, em parterre (superfície plana) de buxo, composto por desenho geométrico ou em broderie, como se fosse um bordado ou um tapete, e pensado para ser apreciado como uma peça de arte. Assim, as linhas e os ornamentos de buxo eram talhados a um nível baixo e o jardim tinha vários degraus para permitir um ponto de observação mais elevado. As peças de água, as balaustradas e a estatuária, esculpida em pedra e em chumbo, completavam o traçado do jardim, cujo programa é de entretenimento, evocando a alegria pueril.

 

A partir de 1807, com a ida da família real para o Brasil perante as Invasões Francesas, e mais tarde com a guerra civil, as propriedades reais foram votadas a um longo período de abandono e incerteza. Só no final do séc. XIX há notícias consistentes de permanência e usufruto de Queluz através das obras de conservação levadas a cabo pelo rei D. Carlos, que converte o jardim ao gosto da época, o Romantismo. Nesta fase, introduziram-se palmeiras e outras plantas exóticas, conferindo ao jardim um registo naturalista.

 

Ao longo do século XX, sucedem-se várias intervenções. Em 1918, introduzem-se quatro estátuas provenientes do Mosteiro de São Vicente de Fora e, por volta de 1938/39, no decorrer de uma campanha de obras realizada pela Direcção-Geral dos Edifícios e Monumentos, removem-se os quatro lagos angulares ali existentes. A topiária – a arte de talhar e confinar as árvores e os arbustos a formas específicas – não foi executada com a rotina e rigor necessários e o buxo, bem como outras espécies ali plantadas (murta e azereiros), foram crescendo de forma natural, o que levou à perda do formalismo original.

 

Recuperação do traçado setecentista

 

A intervenção agora em curso, que se iniciou com a remoção dos quatro ciprestes plantados no Jardim de Malta já nos anos 40, visa reconstituir e requalificar este espaço, devolvendo-lhe a leitura e carácter setecentista do traçado.

 

O projeto foi precedido de uma longa investigação, que permitiu levantar a documentação histórica sobre a construção e evolução do jardim e sobre as regras definidas pelos Tratados de Jardinagem do século XVIII para os parterres, sustentando de forma consistente as tomadas de decisão.

 

A situação atual caracteriza-se pela degradação da estrutura verde, já que o buxo cresceu demasiado, sendo hoje impossível conformá-lo ao tamanho adequado. Um estudo fitossanitário realizado pelo Laboratório de Patologia Vegetal “Veríssimo de Almeida”, do Instituto Superior de Agronomia, da Universidade de Lisboa, revelou ainda a existência de pragas e doenças, como o míldio do buxo, um fungo para o qual não existe cura e que tem dizimado os jardins de buxo por toda a Europa, obrigando ao levantamento integral dos parterres e à substituição do buxo por outras espécies com comportamento semelhante. Um outro estudo efetuado pelo Laboratório de Dendrocronologia da Universidade de Coimbra demonstrou também que a grande maioria do buxo é jovem (idade inferior a 50 anos), havendo alguns exemplares notáveis.

 

Na sequência deste diagnóstico, a Parques de Sintra irá proceder ao transplante do buxo jovem para recuperação da topiária noutras zonas dos Jardins de Queluz, enquanto os exemplares antigos e notáveis serão transplantados para os talhões do bosquete onde poderão crescer naturalmente. Um estudo encomendado ao Royal Botanic Gardens de Kew concluiu, de resto, que a taxa de sobrevivência do buxo a ser transplantado será elevada, tendo sido definidos os métodos de proteção, de movimento das plantas, os recursos materiais e as recomendações adequadas para garantir a sobrevivência dos exemplares transplantados.

 

Tal como acontece nos jardins europeus e de acordo com as recomendações internacionais, que desaconselham a introdução de exemplares de buxo como medida de prevenção contra o míldio, a replantação do traçado setecentista no Jardim de Malta será feita com murta.

 

No que diz respeito à estrutura decorativa, o projeto prevê o restauro e conservação da estatuária, das balaustradas, do lago central, dos degraus e cantarias, bem como o restauro e regresso ao Jardim de Malta dos quatro lagos angulares e respetivos grupos escultórios. Manter-se-ão as estátuas vindas do Mosteiro de São Vicente de Fora.

 

Proceder-se-á ainda à escavação arqueológica do local, à reconstituição do efeito cénico e dinâmico das peças de água do jardim, à execução de novas infraestruturas hidráulicas e de energia e à execução de pavimentos.

 

Com o propósito de conciliar questões de segurança com a política de “Aberto para Obras” da Parques de Sintra, a área de intervenção está delimitada por um conjunto de painéis que conta graficamente a história do Jardim de Malta desde o seu planeamento até ao presente e antecipa o resultado futuro após a concretização do projeto. Ao percorrer os painéis, os visitantes encontrarão vários pontos de observação, nomeadamente janelas, através dos quais poderão acompanhar a evolução da obra. Neste recinto, dentro de um pequeno pavilhão, será exibido um filme de animação alusivo aos mesmos temas.

Helianthus Ensemble e La Gaia Scienza encerram terceira edição do ciclo “Noites de Queluz”

Sala_da_Musica_lowres_creditos_PSML_Wilson_Pereira

 

A terceira edição do ciclo “Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie” chega ao fim no próximo sábado, dia 29 de outubro. Os agrupamentos Helianthus Ensemble e La Gaia Scienza serão os últimos a subir ao palco da Sala da Música, no Palácio Nacional de Queluz.

 

“Um passeio pelo Classicismo europeu” é a proposta para o concerto da noite de sexta-feira, 28 de outubro, pelas 21h30. O Helianthus Ensemble – composto por Laura Pontecorvo (flauta), Iskrena Yordanova (violino), Marco Ceccato (violoncelo) e Guido Morini (pianoforte) - interpretará obras de Tommaso Giordani, Giovanni Battista Costanzi, Joseph Haydn, Franz Danzi e Wolfgang Amadeus Mozart.

 

O concerto de encerramento do ciclo, intitulado “Três trios da trindade vienense”, tem lugar a 29 de outubro, às 21h30. Federica Valli (pianoforte), Stefano Barneschi (violino) e Paolo Beschi (violoncelo) formam o trio La Gaia Scienza, considerado um dos mais invulgares e interessantes grupos da cena musical italiana. O ensemble apresentará obras das três grandes figuras do Classicismo vienense: Joseph Haydn, Mozart e Beethoven.

 

Organizado em parceria com o Divino Sospiro - Centro de Estudos Musicais Setecentistas de Portugal, o ciclo “Noites de Queluz” tem a direção artística de Massimo Mazzeo e propõe uma viagem pela música erudita que se ouviu na Europa entre o Barroco e o Romantismo, contando com a participação de muitos dos mais conceituados intérpretes europeus especializados na música Setecentista. O ciclo integra a Temporada de Música Erudita da Parques de Sintra, que inclui também os “Serões Musicais no Palácio da Pena” e o ciclo “Reencontros – Memórias musicais de um Palácio”, no Palácio Nacional de Sintra

 

 

Informações úteis

Bilhetes à venda nas bilheteiras da Parques de Sintra, online, e na FNAC, Worten, El Corte Inglés, MEO Arena, Media Markt, Turismo do Aeroporto, ABEP (Agência de bilhetes para espetáculos) e Turismo de Sintra.

 

O projeto “Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie” conta com o apoio da Direção Geral das Artes e da Antena 2 como media partner.

 


“Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie” – Palácio Nacional de Queluz

 

Um passeio pelo Classicismo europeu

Sexta-feira, 28 de outubro, 21h30, Sala da Música

Helianthus Ensemble/ Guido Morini (pianoforte e direção)

Bilhetes à venda nos locais habituais ou online

 

Três trios da trindade vienense

Sábado, 29 de outubro, 21h30, Sala da Música

La Gaia Scienza (trio com piano)

Bilhetes à venda nos locais habituais ou online

 

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 

BILHETES:

10 Euros por concerto

À venda nas bilheteiras da Parques de Sintra, online, e na FNAC, Worten, El Corte Inglés, MEO Arena, Media Markt, Turismo do Aeroporto, ABEP (Agência de bilhetes para espetáculos) e Turismo de Sintra.

M/6 anos

 

INFORMAÇÕES (PÚBLICO):

Email: info@parquesdesintra.pt

Website: www.parquesdesintra.pt

Facebook: www.facebook.com/parquesdesintra

Telefone: +351 21 923 73 00

 

 

 

Ciclo “Noites de Queluz” prossegue com dois concertos de Giuliano Carmignola

De 1 a 29 de outubro no Palácio Nacional de Queluz

 

Ciclo “Noites de Queluz” prossegue com dois concertos de Giuliano Carmignola

Giuliano Carmignola, um dos grandes violinistas da atualidade e notável intérprete do repertório do Barroco e do Classicismo, é o grande protagonista do quarto fim de semana do ciclo “Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie”, que se inicia já na próxima quinta-feira, no Palácio Nacional de Queluz.

 

No dia 20 de outubro, às 21h30, na Sala do Trono, Giuliano Carmignola, apresenta “Um virtuose italiano na Inglaterra georgiana”, acompanhado pela orquestra Accademia dell’Annunciata, dirigida a partir do cravo por Riccardo Doni. O programa integra obras de Johann Christian Bach, Carl Philipp Emanuel Bach, Felice Giardini e Carl Friedrich Abel.

 

Já no sábado, 22 de outubro, às 21h30, o violinista italiano regressa a solo à Sala do Trono para “Um serão com Beethoven”, interpretando o famoso Concerto para violino do compositor alemão. A orquestra a acompanhá-lo será a junção da Accademia dell’Annunciata e do Divino Sospiro, sob a direção musical de Massimo Mazzeo. O programa completa-se com a Quarta Sinfonia de Beethoven.

 

No dia anterior, 21 de outubro, às 21h30, na Sala do Trono, a pianista Gabriela Canavilhas e a orquestra Concerto Moderno, com direção de César Viana, apresentam o concerto-palestra extraordinário “Um compositor português no tempo de Napoleão”, dedicado a João Domingos Bomtempo, o mais importante músico português do seu tempo.

 

Organizado em parceria com o Divino Sospiro - Centro de Estudos Musicais Setecentistas de Portugal, o ciclo “Noites de Queluz” tem a direção artística de Massimo Mazzeo e propõe uma viagem pela música erudita que se ouviu na Europa entre o Barroco e o Romantismo.

 

 “As Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie” prosseguem até 29 de outubro, no Palácio Nacional de Queluz, e contam com a participação de muitos dos mais conceituados intérpretes europeus especializados na música Setecentista. O ciclo integra a Temporada de Música Erudita da Parques de Sintra, que inclui também os “Serões Musicais no Palácio da Pena” e o ciclo “Reencontros – Memórias musicais de um Palácio”, no Palácio Nacional de Sintra

 

 

Informações úteis

Bilhetes à venda nas bilheteiras da Parques de Sintra, online, e na FNAC, Worten, El Corte Inglés, MEO Arena, Media Markt, Turismo do Aeroporto, ABEP (Agência de bilhetes para espetáculos) e Turismo de Sintra.

 

O projeto “Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie” conta com o apoio da Direção Geral das Artes e da Antena 2 como media partner.

 

“Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie” – Palácio Nacional de Queluz

 

Um virtuose italiano na Inglaterra georgiana

Sábado, 20 de outubro, 21h30, Sala do Trono

Giuliano Carmignola (violino), Accademia dell’Annunciata (orquestra), Riccardo Doni (cravo e direção musical)

Bilhetes à venda nos locais habituais ou online

 

Um compositor português no tempo de Napoleão

Gabriela_ Canavilhas.JPG.png

 

Sexta-feira, 21 de outubro, 21h30, Sala do Trono

Gabriela Canavilhas (piano), Concerto Moderno (ensemble de cordas), César Viana (direção)

Bilhetes à venda nos locais habituais ou online

 

Um serão com Beethoven

Sábado, 22 de outubro, 21h30, Sala do Trono

Giuliano Carmignola (violino), Accademia dell’Annunciata + Divino Sospiro (orquestra),  Massimo Mazzeo (direção musical)

Bilhetes à venda nos locais habituais ou online

 

Um passeio pelo Classicismo europeu

Sexta-feira, 28 de outubro, 21h30, Sala da Música

Helianthus Ensemble/ Guido Morini (cravo e direção)

Bilhetes à venda nos locais habituais ou online

 

Três trios da trindade vienense

Sábado, 29 de outubro, 21h30, Sala da Música

La Gaia Scienza (trio com piano)

Bilhetes à venda nos locais habituais ou online

 

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 

BILHETES:

10 Euros por concerto

À venda nas bilheteiras da Parques de Sintra, online, e na FNAC, Worten, El Corte Inglés, MEO Arena, Media Markt, Turismo do Aeroporto, ABEP (Agência de bilhetes para espetáculos) e Turismo de Sintra.

M/6 anos

 

INFORMAÇÕES (PÚBLICO):

Email: info@parquesdesintra.pt

Website: www.parquesdesintra.pt

Facebook: www.facebook.com/parquesdesintra

Telefone: +351 21 923 73 00

Compagnia di Punto e Rogério Rodrigues atuam no terceiro fim de semana do ciclo “Noites de Queluz”

De 1 a 29 de outubro no Palácio Nacional de Queluz

 

A terceira edição do ciclo “Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie” prossegue nos próximos dias 14 e 15 de outubro, com os concertos do agrupamento alemão Compagnia di Punto e do português Rogério Rodrigues.

 

Compagnia_di_Punto_lowres.jpg

 

Na sexta-feira, dia 14, às 21h30, a Compagnia di Punto apresenta “Dois grandes e um pequeno mestre” na Sala da Música. Sob esse título, incluem-se obras do redescoberto Antonio Rosetti (a quem o ensemble já dedicou um CD) e de dois expoentes da música de todos os tempos: Joseph Haydn e Wolfgang Amadeus Mozart.

Rogerio_Rodrigues_lowres.jpg

 

No dia seguinte, sábado, às 21h30, Rogério Rodrigues, um jovem português especialista em teclados históricos radicado na Holanda, toca o pianoforte Clementi do Palácio Nacional de Queluz, também na Sala da Música. O seu recital, intitulado “Dois virtuoses do pianoforte e um lusitano em Paris”, marca a sua primeira apresentação profissional na área de Lisboa. O programa será preenchido com obras de Mozart, Muzio Clementi e João Domingos Bomtempo.

 

Organizado em parceria com o Divino Sospiro - Centro de Estudos Musicais Setecentistas de Portugal, o ciclo “Noites de Queluz” tem a direção artística de Massimo Mazzeo e propõe uma viagem pela música erudita que se ouviu na Europa entre o Barroco e o Romantismo.

 

“As Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie” prosseguem até 29 de outubro, no Palácio Nacional de Queluz, e contam com a participação de muitos dos mais conceituados intérpretes europeus especializados na música Setecentista. O ciclo integra a Temporada de Música Erudita da Parques de Sintra, que inclui também os “Serões Musicais no Palácio da Pena” e o ciclo “Reencontros – Memórias musicais de um Palácio”, no Palácio Nacional de Sintra

 

 

Informações úteis

Bilhetes à venda nas bilheteiras da Parques de Sintra, online, e na FNAC, Worten, El Corte Inglés, MEO Arena, Media Markt, Turismo do Aeroporto, ABEP (Agência de bilhetes para espetáculos) e Turismo de Sintra.

 

O projeto “Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie” conta com o apoio da Direção Geral das Artes e da Antena 2 como media partner.

 

 

“Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie” – Palácio Nacional de Queluz

 

Dois grandes e um pequeno mestre

Sábado, 14 de outubro, 21h30, Sala da Música

Compagnia di Punto/ Christian Binde (trompa e direção)

Bilhetes à venda nos locais habituais ou online

 

Dois virtuoses do pianoforte e um lusitano em Paris

Sábado, 15 de outubro, 21h30, Sala da Música

Rogério Rodrigues (pianoforte)

Bilhetes à venda nos locais habituais ou online

 

Um virtuose italiano na Inglaterra georgiana

Sábado, 20 de outubro, 21h30, Sala do Trono

Giuliano Carmignola (violino), Accademia dell’Annunciata (orquestra), Riccardo Doni (cravo e direção musical)

Bilhetes à venda nos locais habituais ou online

 

Um compositor português no tempo de Napoleão

Sexta-feira, 21 de outubro, 21h30, Sala do Trono

Gabriela Canavilhas (piano), Concerto Moderno (ensemble de cordas), César Viana (direção)

Bilhetes à venda nos locais habituais ou online

 

Um serão com Beethoven

Sábado, 22 de outubro, 21h30, Sala do Trono

Giuliano Carmignola (violino), Accademia dell’Annunciata + Divino Sospiro (orquestra),  Massimo Mazzeo (direção musical)

Bilhetes à venda nos locais habituais ou online

 

Um passeio pelo Classicismo europeu

Sexta-feira, 28 de outubro, 21h30, Sala da Música

Helianthus Ensemble/ Guido Morini (cravo e direção)

Bilhetes à venda nos locais habituais ou online

 

Três trios da trindade vienense

Sábado, 29 de outubro, 21h30, Sala da Música

La Gaia Scienza (trio com piano)

Bilhetes à venda nos locais habituais ou online

 

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 

BILHETES:

10 Euros por concerto

À venda nas bilheteiras da Parques de Sintra, online, e na FNAC, Worten, El Corte Inglés, MEO Arena, Media Markt, Turismo do Aeroporto, ABEP (Agência de bilhetes para espetáculos) e Turismo de Sintra.

M/6 anos

 

INFORMAÇÕES (PÚBLICO):

Email: info@parquesdesintra.pt

Website: www.parquesdesintra.pt

Facebook: www.facebook.com/parquesdesintra

Telefone: +351 21 923 73 00

 

Ciclo “Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie” prossegue com concerto de Vittorio Ghielmi

De 1 a 29 de outubro no Palácio Nacional de Queluz

 

Ciclo “Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie” prossegue com concerto de Vittorio Ghielmi

Palacio_de_Queluz_Sala_do_Trono_lowres_creditos_PS

 

A terceira edição do ciclo “Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie” prossegue este sábado, 8 de outubro, com um concerto de Vittorio Ghielmi, um dos maiores intérpretes atuais de viola da gamba. Acompanhado ao pianoforte por Florian Birsak, o músico italiano apresenta “O crepúsculo da viola da gamba”, às 21h30, na Sala da Música.

 

Organizado em parceria com o Divino Sospiro - Centro de Estudos Musicais Setecentistas de Portugal, o ciclo “Noites de Queluz” tem a direção artística de Massimo Mazzeo e propõe uma viagem pela música erudita que se ouviu na Europa entre o Barroco e o Romantismo.

 

Vittorio Ghielmi e Florian Birsak interpretam obras de Carl Friedrich Abel, um dos últimos expoentes da arte da viola da gamba, e também de Johann Christian Bach, Andreas Lidl, Muzio Clementi e Carl Philipp Emanuel Bach, este últimoprovavelmente a maior figura da música europeia nos estilos de transição que mediaram entre o Barroco tardio e o pleno Classicismo vienense. “A viola da gamba tem um repertório tão vasto e importante, de tantos estilos diferentes, como poucos instrumentos têm. É sempre um ‘prato riquíssimo’ para o intérprete e para o público”, destaca Vittorio Ghielmi.

 

“As Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie” prosseguem até 29 de outubro, no Palácio Nacional de Queluz, e contam com a participação de muitos dos mais conceituados intérpretes europeus especializados na música desta época. O ciclo integra a Temporada de Música Erudita da Parques de Sintra, que inclui também os “Serões Musicais no Palácio da Pena” e o ciclo “Reencontros – Memórias musicais de um Palácio”, no Palácio Nacional de Sintra

 

Informações úteis

Bilhetes à venda nas bilheteiras da Parques de Sintra, online, e na FNAC, Worten, El Corte Inglés, MEO Arena, Media Markt, Turismo do Aeroporto, ABEP (Agência de bilhetes para espetáculos) e Turismo de Sintra.

 

O projeto “Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie” conta com o apoio da Direção Geral das Artes e da Antena 2 como media partner.

 “Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie” – Palácio Nacional de Queluz

 

O crepúsculo da viola da gamba Sábado, 8 de outubro, 21h30, Sala da Música

Vittorio_Ghielmi_creditos_L_Montesdeoca.jpg

 

Florian_Birsak.jpg

 

Vittorio Ghielmi (viola da gamba), Florian Birsak (pianoforte)

Bilhetes à venda nos locais habituais ou online

 

Dois grandes e um pequeno mestre

Sábado, 14 de outubro, 21h30, Sala da Música

Compagnia di Punto/ Christian Binde (trompa e direção)

Bilhetes à venda nos locais habituais ou online

 

Dois virtuoses do pianoforte e um lusitano em Paris

Sábado, 15 de outubro, 21h30, Sala da Música

Rogério Rodrigues (pianoforte)

Bilhetes à venda nos locais habituais ou online

 

Um virtuose italiano na Inglaterra georgiana

Sábado, 20 de outubro, 21h30, Sala do Trono

Giuliano Carmignola (violino), Accademia dell’Annunciata (orquestra), Riccardo Doni (cravo e direção musical)

Bilhetes à venda nos locais habituais ou online

 

Um compositor português no tempo de Napoleão

Sexta-feira, 21 de outubro, 21h30, Sala do Trono

Gabriela Canavilhas (piano), Concerto Moderno (ensemble de cordas), César Viana (direção)

Bilhetes à venda nos locais habituais ou online

 

Um serão com Beethoven

Sábado, 22 de outubro, 21h30, Sala do Trono

Giuliano Carmignola (violino), Accademia dell’Annunciata + Divino Sospiro (orquestra),  Massimo Mazzeo (direção musical)

Bilhetes à venda nos locais habituais ou online

 

Um passeio pelo Classicismo europeu

Sexta-feira, 28 de outubro, 21h30, Sala da Música

Helianthus Ensemble/ Guido Morini (cravo e direção)

Bilhetes à venda nos locais habituais ou online

 

Três trios da trindade vienense

Sábado, 29 de outubro, 21h30, Sala da Música

La Gaia Scienza (trio com piano)

Bilhetes à venda nos locais habituais ou online

 

 

BILHETES:

10 Euros por concerto

À venda nas bilheteiras da Parques de Sintra, online, e na FNAC, Worten, El Corte Inglés, MEO Arena, Media Markt, Turismo do Aeroporto, ABEP (Agência de bilhetes para espetáculos) e Turismo de Sintra.

M/6 anos

 

INFORMAÇÕES (PÚBLICO):

Email: info@parquesdesintra.pt

Website: www.parquesdesintra.pt

Facebook: www.facebook.com/parquesdesintra

Telefone: +351 21 923 73 00

 

 

Ciclo “Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie” abre com estreia mundial moderna da serenata “L’Endimione”

De 1 a 29 de outubro no Palácio Nacional de Queluz

 

Palacio_de_Queluz_Sala_do_Trono_lowres_creditos_PS

 

O ciclo “Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie” está de volta ao Palácio Nacional de Queluz para a terceira edição. De 1 a 29 de outubro, ao longo de nove concertos, as “Noites de Queluz” propõem uma viagem pela música erudita que se ouviu na Europa entre o Barroco e o Romantismo.

 

Organizado em parceria com o Divino Sospiro - Centro de Estudos Musicais Setecentistas de Portugal, o ciclo tem a direção artística de Massimo Mazzeo e conta com a participação de muitos dos mais conceituados intérpretes europeus especializados na música desta época.

 

“Este ciclo de música, na terceira edição, é uma pequena contribuição, uma luz aparentemente escondida que atravessa a cortina, onde a interpretação de grandes obras da cultura ocidental é complementada com a apresentação moderna de mais uma obra recuperada do património musical associado ao Palácio de Queluz: a serenata “L’Endimione” de N. Jommelli”, sublinha Massimo Mazzeo.

 

O concerto de abertura, “Uma serenata redesperta para a vida”, tem lugar a 1 de outubro, às 21h30, na Sala do Trono, e celebra o Dia Internacional da Música precisamente com a estreia moderna mundial da serenata “L’Endimione”, de Niccolò Jommelli, sobre libreto de Pietro Metastasio. A obra, ouvida em Queluz em 1780, regressa agora ao Palácio com Lucia Napoli (mezzosoprano), Milena Georgieva (soprano), Bárbara Barradas (soprano), Margarida Pinheiro (soprano) e o Divino Sospiro, sob a direção musical de Massimo Mazzeo.

 

Já no dia 8 de outubro, Vittorio Ghielmi, um dos maiores intérpretes atuais de viola da gamba, e Florian Birsak (pianoforte) apresentam o concerto “O crepúsculo da viola da gamba”, às 21h30, na Sala da Música, com a interpretação de obras de Carl Friedrich Abel, Johann Christian Bach, Andreas Lidl, Muzio Clementi e Carl Philipp Emanuel Bach.

 

No dia 14 de outubro, às 21h30, na Sala da Música, tem lugar o concerto “Dois grandes e um pequeno mestre”, pelo agrupamento alemão Compagnia di Punto que interpreta obras de Antonio Rosetti, Franz Joseph Haydn e Wolfgang Amadeus Mozart.

 

Rogério Rodrigues, um jovem português radicado na Holanda, especialista em pianos históricos, apresenta a 15 de outubro, às 21h30, na Sala da Música, o recital “Dois virtuoses do pianoforte e um lusitano em Paris”, com obras de Mozart, Muzio Clementi e João Domingos Bomtempo.

 

O italiano Giuliano Carmignola, um dos grandes violinistas da atualidade, é o protagonista do fim de semana que se inicia a 20 de outubro, pelas 21h30, na Sala do Trono. Com a Accademia dell’Annunciata (orquestra) e Riccardo Doni (cravo e direção musical), Carmignola apresenta o concerto “Um virtuose italiano na Inglaterra georgiana”, com obras de Johann Christian Bach, Carl Philipp Emanuel Bach, Felice Giardini e Carl Friedrich Abel.

 

No dia 22, o violinista regressa à Sala do Trono, às 21h30, para “Um serão com Beethoven”, acompanhado pela Accademia dell’Annunciata e pelo Divino Sospiro e sob a direção musical de Massimo Mazzeo. Como o nome do concerto sugere, o programa é preenchido com obras de Beethoven.

 

A 21 de outubro, às 21h30, na Sala do Trono, Gabriela Canavilhas (piano) e o Concerto Moderno (orquestra), com direção de César Viana, apresentam o concerto-palestra extraordinário “Um compositor português no tempo de Napoleão”, dedicado a João Domingos Bomtempo.

 

“Um passeio pelo Classicismo europeu” é a proposta para o concerto da noite de 28 de outubro, na Sala da Música, pelas 21h30. O Helianthus Ensemble – composto por Laura Pontecorvo (flauta), Iskrena Yordanova (violino), Marco Ceccato (violoncelo) e Guido Morini (cravo) - interpretará obras de Tommaso Giordani, Giovanni Battista Costanzi, Joseph Haydn, Franz Danzi e Mozart.

 

O concerto de encerramento do ciclo de Queluz, “Três trios da trindade vienense”, tem lugar a 29 de outubro, às 21h30, na Sala da Música. Federica Valli (pianoforte), Stefano Barneschi (violino) e Paolo Beschi (violoncelo) formam o trio La Gaia Scienza, que apresenta obras de Joseph Haydn, Mozart e Beethoven.

 

Informações úteis

Bilhetes à venda nas bilheteiras da Parques de Sintra, online, e na FNAC, Worten, El Corte Inglés, MEO Arena, Media Markt, Turismo do Aeroporto, ABEP (Agência de bilhetes para espetáculos) e Turismo de Sintra.

 

O projeto “Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie” conta com o apoio da Direção Geral das Artes e da Antena 2 como media partner.

 

 

“Noites de Queluz – Tempestade e Galanterie” – Palácio Nacional de Queluz

 

Uma serenata redesperta para a vida

Sábado, 1 de outubro, 21h30, Sala do Trono

Lucia Napoli (mezzosoprano), Milena Georgieva (soprano), Bárbara Barradas (soprano), Margarida Pinheiro (soprano), Divino Sospiro (orquestra), Massimo Mazzeo (direção musical)

Bilhetes à venda nos locais habituais ou online

 

O crepúsculo da viola da gamba Sábado, 8 de outubro, 21h30, Sala da Música

Vittorio Ghielmi (viola da gamba), Florian Birsak (pianoforte)

Bilhetes à venda nos locais habituais ou online

 

Dois grandes e um pequeno mestre

Sexta-feira, 14 de outubro, 21h30, Sala da Música

Compagnia di Punto/ Christian Binde (trompa e direção)

Bilhetes à venda nos locais habituais ou online

 

Dois virtuoses do pianoforte e um lusitano em Paris

Sábado, 15 de outubro, 21h30, Sala da Música

Rogério Rodrigues (pianoforte)

Bilhetes à venda nos locais habituais ou online

 

Um virtuose italiano na Inglaterra georgiana

Quinta-feira, 20 de outubro, 21h30, Sala do Trono

Giuliano Carmignola (violino), Accademia dell’Annunciata (orquestra), Riccardo Doni (cravo e direção musical)

Bilhetes à venda nos locais habituais ou online

 

Um compositor português no tempo de Napoleão

Sexta-feira, 21 de outubro, 21h30, Sala do Trono

Gabriela Canavilhas (piano), Concerto Moderno (ensemble de cordas), César Viana (direção)

Bilhetes à venda nos locais habituais ou online

 

Um serão com Beethoven

Sábado, 22 de outubro, 21h30, Sala do Trono

Giuliano Carmignola (violino), Accademia dell’Annunciata + Divino Sospiro (orquestra), solista), Massimo Mazzeo (direção musical)

Bilhetes à venda nos locais habituais ou online

 

Um passeio pelo Classicismo europeu

Sexta-feira, 28 de outubro, 21h30, Sala da Música

Helianthus Ensemble/ Guido Morini (cravo e direção)

Bilhetes à venda nos locais habituais ou online

 

Três trios da trindade vienense

Sábado, 29 de outubro, 21h30, Sala da Música

La Gaia Scienza (trio com piano)

Bilhetes à venda nos locais habituais ou online

 

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 

BILHETES:

10 Euros por concerto

À venda nas bilheteiras da Parques de Sintra, online, e na FNAC, Worten, El Corte Inglés, MEO Arena, Media Markt, Turismo do Aeroporto, ABEP (Agência de bilhetes para espetáculos) e Turismo de Sintra.

M/6 anos

 

INFORMAÇÕES (PÚBLICO):

Email: info@parquesdesintra.pt

Website: www.parquesdesintra.pt

Facebook: www.facebook.com/parquesdesintra

Telefone: +351 21 923 73 00

 

Feira Setecentista de Queluz 2016

FB_Banner_setecentista_2016_02.jpg

 

De 8 a 11 de setembro será possível viajar até ao século XVIII na Feira Setecentista de Queluz. Com entrada livre, tem  como principal objetivo a recriação histórica de um mercado da segunda metade do século XVIII.
 
Para além de diferentes mercadores estarão representados com os seus trabalhos artesãos nacionais e estrangeiros. Nesta feira será igualmente possível degustar a irresistível doçaria conventual assim como a gastronomia de diferentes regiões do país.
 
A animação será realizada pela equipa da Câmara dos Ofícios, sendo recriadas diferentes situações em interação com o público, enquadrando-o na história quotidiana do século XVIII em Portugal. Os atores desenvolvem personagens características da época, tais como: aguadeiros, criadas do paço, carvoeiro, lavadeiras, barbeiro sangrador, saltimbancos e gaiteiros. A nobreza far-se-á notar pelo esplendor característico da época de setecentos - marqueses, duques e duquesas participam na festa com os seus trejeitos, leques e cabeleiras empoadas.
 
Do programa de animação consta ainda duelos de esgrima e apresentações de jogo do pau. Nas tardes de sábado e domingo haverá teatro de marionetas com a apresentação do Entremez – “Guerras de Manjericão e Vergamota ou o Oiteiro Noturno”. Na noite de sábado a nobreza tomará conta do recinto e presenteará o público com um espetáculo de canto, música e poesia barroca.
 
A Feira Setecentista de Queluz é organizada pela Câmara Municipal de Sintra com produção da empresa Câmara dos Ofícios e conta com o apoio das seguintes entidades: União de Freguesias de Queluz-Belas, União das Freguesias de Sintra, Regimento de Artilharia Antiaérea Nº 1 (RAAA1) e Pousada Rainha D. Maria I.
 
A empresa Parques de Sintra Monte da Lua associa-se ao evento com a abertura noturna dos jardins superiores do Palácio Nacional de Queluz, entre as 19h00h e as 24h00 mediante a aquisição de bilhete.
 
 
A feira terá o seguinte horário:
 
8 e 9 de Setembro das 17h00 às 24h00
10 e 11 de Setembro das 13h00 às 24h00