Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

SINTRA APRESENTA ESPECTÁCULOS DE TEATRO QUINTA DA REGALEIRA 2017

 

 

imagem1.jpg

 

SINTRA APRESENTA ESPECTÁCULOS DE TEATRO | QUINTA DA REGALEIRA 2017

A Fundação Cultursintra FP, responsável pela gestão e dinamização cultural da Quinta da Regaleira, preparou para 2017, num plano de actividades diversificado e ambicioso que inclui, de entre outras, música, dança e teatro.

Ocupando os vários espaços da Quinta da Regaleira, as actividades concentram-se sobretudo nos meses de verão, com um calendário específico.

ORIANA, a partir de Sophia de Mello Breyner Andersen
de 27 de Maio a 23 de Julho | Sáb 17h | Dom: 11h e 17h
Preço: €5.00 | M/6 | pela MUSGO Produção Cultural | Página Oficial
Entre 27 de Maio e 23 de Julho, a companhia de teatro MUSGO encontrou na Quinta da Regaleira o palco ideal para contar a história da fada ORIANA, personagem saída da pena da poetisa Sophia de Mello Breyner Andersen. Lugar mágico que remete imediatamente para contos de fadas, será aqui que este ser imaginário ganhará vida, nesta versão cénica.

Os espectáculos decorrem aos sábados, às 17.00h e aos domingos, às 11.00h e às 17.00h, no Patamar do Ténis, e tem classificação de M/6. Preço dos bilhetes: 5 euros

 

PEREGRINAÇÃO
de 2 de Junho a 29 de Junho | Sex e Sáb 21h30
Preço: €10.00 | M/12 | pelo Teatro Tapafuros | Página Oficial
Entre 2 de Junho e 29 de Julho, o TEATRO TAPAFUROS regressa em PEREGRINAÇÃO ao espaço mítico e de enorme valor simbólico da Quinta da Regaleira, após um interregno de cerca de seis anos. A partir do texto de Fernão Mendes Pinto, o grupo criou um espectáculo itinerante de grande impacto estético onde o público será convocado a participar e igualmente ser surpreendido por alguns acontecimentos.

Os espectáculos decorrem às Sextas e Sábados, às 21.30. Preço dos bilhetes: 10 euros

 

SER OU NÃO SER SHAKESPEARE
de 4 de Junho a 28 de Agosto | Dom e Seg 15h
Acesso incluído no bilhete de visita à Quinta da Regaleira | M/16 | pelos Instantâneos | Página Oficial
Entre 4 de Junho e 28 de Agosto, os visitantes da Quinta da Regaleira serão surpreendidos pelo grupo de teatro OS INSTANTÂNEOS, uma das maiores referências da improvisão teatral em Portugal. SER OU NÃO SER SHAKESPEARE transporta-nos ao século XVI, numa hilariante viagem improvisada e na qual o próprio espectador será fonte de inspiração.

Os espectáculos decorrerão aos Domingos e Segundas, às 15.00h. O acesso está incluído no bilhete de visita à Quinta da Regaleira.

 

AS AVENTURAS DE TOM SAWYER
de 5 de Agosto a 30 de Setembro | Sáb 16h | Dom: 11h e 16h
Preço: €5.00 | M/6 | pela bYfurcação teatro | Página Oficial
Entre 5 de Agosto e 30 de Setembro, o público terá a oportunidade de assistir às AVENTURAS DE TOM SAWYER, um dos mais rebeldes rapazes da literatura clássica infantil, criado pelo escritor norte americano Mark Twain .

Os espectáculos decorrem aos sábados, às 16.00h e aos domingos, às 11.00h e às 16.00h, no Patamar do Ténis, e tem classificação de M/6. Preço dos bilhetes: 5 euros

 

A FLAUTA MÁGICA
de 6 de Agosto a 24 de Setembro | Dom: 20h20
Preço: €33.00 | M/12 | pelos FATIAS DE CÁ | Página Oficial
Entre 6 de Agosto e 24 de Setembro, o grupo de teatro FATIAS DE CÁ leva à cena nos jardins da Regaleira , a teatralização da ópera de Mozart e de Schikaneder A FLAUTA MÁGICA . Num espectáculo itinerante que percorre os locais mais icónicos da Regaleira, será ainda oferecido aos espectadores um bodo, no final.

Os espectáculos decorrerão aos Domingos, às 20h20m e tem classificação para M/12. O preço dos bilhetes é de 33 euros (com bodo incluído).

 

O FEITICEIRO DE OZ
de 1 de Outubro a 17 de Dezembro | Sáb 16h | Dom: 11h e 17h
Preço: €5.00 | M/6 | pela bYfurcação teatro | Página Oficial
Entre 1 de Outubro e 17 de Dezembro , as personagens Dorothy e o seu cão, o homem de lata, o espantalho e até o leão medroso criadas por L. Frank Baum em O FEITICEIRO DE OZ, estarão na Quinta da Regaleira levados à cena pela companhia BYFURCAÇÃO TEATRO.

Os espectáculos decorrem aos sábados, às 16.00h e aos domingos às 11.00h, na Oficina das Artes, e tem classificação de M/6. Preço dos bilhetes: 5 euros

 

O CONSTRUTOR, a partir de Jaime Rocha
de 7 de Outubro a 16 de Dezembro | Sex e Sáb 21h30
Preço: €10.00 | M/16 | pela MUSGO Produção Cultural | Página Oficial
Entre 7 de Outubro e 16 de Dezembro, a companhia de teatro MUSGO apresentará a peça O CONSTRUTOR, a partir de Jaime Rocha, no Auditório da Quinta da Regaleira em Sintra. O CONSTRUTOR é uma peça de grande crueza e mordacidade, cujas personagens se movem num quotidiano absurdo, lutando pelo poder, pela felicidade, pela fama e pelo consumo.

Os espectáculos serão apresentados às Sextas e Sábados, às 21.30h. Classificação M/16. Preço dos bilhetes: 10 euros.

Sobre a Quinta da Regaleira

A Quinta da Regaleira constitui um dos mais surpreendentes e enigmáticos monumentos da Paisagem Cultural de Sintra.

Situada no elegante percurso que liga o Palácio Nacional de Sintra e o Palácio de Seteais, a quinta foi adquirida em 1893 pelo filantropo António Carvalho Monteiro (1848-1820) para residência de Verão da sua família.

Entre 1898 e 1913, sob o traço do arquitecto e cenógrafo italiano Luigi Manini, transformou os seus domínios numa ambiciosa obra de Arte Total, obedecendo a um complexo programa paisagístico, arquitectónico e artístico. Actualmente, é considerada a obra-prima da Arte Neo-Manuelina do último período do Romantismo, em Sintra.

Mais do que um passeio turístico, visitar a Quinta da Regaleira é viajar num universo de símbolos e metáforas. Aqui, nada é apenas o que parece, é sempre indício de algo mais intenso, transcendente, misterioso…

Passatempo - O PRINCIPEZINHO

O Blog Cultura de Borla em parceria com a BYFURCAÇÃO tem bilhetes duplos para a peça O PRINCIPEZINHO para o dia 16 de Junho no PARQUE DA LIBERDADE - SINTRA aos primeiros leitores que de 5 em 5 participações:

 

 Enviem um email para o culturadeborla@sapo.pt com a frase "Eu quero ver O PRINCIPEZINHO com o Cultura de Borla" com nome, BI e nº de telefone.

 

18922662_10154883233096715_4681599826614994713_o.j

 

 O PRINCIPEZINHO

   
  PARQUE DA LIBERDADE - SINTRA
  
  Espectáculo ao ar livre para toda a família
   
  Sextas-feiras às 21h30

 

 

SER OU NÃO SER SHAKESPEARE estreia na QUINTA DA REGALEIRA

imagem1.jpg

 

Os INSTANTÂNEOS apresentam, a sua mais recente produção SER OU NÃO SER SHAKESPEARE, nos jardins da Quinta da Regaleira em Sintra.

Os INSTANTÂNEOS são uma companhia profissional de teatro de improviso, que ao longo do seu percurso, tem procurado aprofundar esta linguagem artística, nas suas mais variadas vertentes e potencialidades.

É nesta procura, que surge o conceito de explorar o universo do poeta inglês, William Shakespeare. SER OU NÃO SER SHAKESPEARE transporta-nos ao século XVI, numa hilariante viagem improvisada, na qual o próprio espectador será fonte de inspiração.

Dizem que a morte lhe roubou o corpo, mas que foi incapaz de lhe levar a alma. Por essa razão, muitos acreditam que o seu fantasma ainda por aí vagueia, procurando inspiração para escrever a obra final.

Sob o olhar do público, a premissa é a de criar uma obra inédita, ambientada no imaginário shakesperiano, respeitando a sua linguagem e os costumes da época.

A cenografia natural e quase onírica, da Quinta da Regaleira, é o espaço perfeito para acolher este espectáculo, no qual as personagens, a dramaturgia e a encenação, são criados no momento, com base em sugestões dadas pelo próprio público.

É a primeira vez em Portugal, que uma companhia de improvisação teatral explora este conceito, que tem provado ser uma fórmula de sucesso, em cidades como Londres ou Chicago.

SER OU NÃO SER SHAKESPEARE é um espectáculo classificado para maiores de 16 anos, tem a duração de 60 minutos e estará em cena nos Jardins da Regaleira até 28 de Agosto, aos Domingos e Segundas, às 15.00h , excepto no dia 25 de Junho em que não haverá sessão. O preço está incluído no bilhete de visita à Quinta da Regaleira.

Os INSTANTÂNEOS nasceram em 2012 e são hoje uma das referências da improvisação teatral em Portugal. Para além da concepção de diversos espectáculos originais, são também os criadores do ESPONTÂNEO, o único festival internacional de improvisação, em território nacional.

"Vila Sassetti regista mais de 20.000 passagens pedestres por mês"

 

 

 

Villa_Sassetti_aerea_creditos_PSML-Wilson_Pereira.

 

 

O percurso pedestre gratuito da Vila Sassetti, propriedade adquirida e recuperada pela Parques de Sintra, tem registado um elevado interesse por parte dos visitantes da Serra de Sintra, contabilizando uma média de mais de 20.000 passagens por mês.

Este percurso é utilizado não só por quem passeia na Serra de Sintra, mas também pelos que pretendem aceder ao Parque e Palácio da Pena e ao Castelo dos Mouros, a partir do centro de Sintra, a pé, sem convívio com os automóveis, e com passagem por uma cafetaria e pontos com amplas vistas sobre a Serra.

Entre setembro de 2016 (quando a Parques de Sintra deu início à contagem permanente das passagens pelo local) até maio de 2017, foram registadas cerca de 200.000 passagens, com uma média mensal superior a 20.000.

Estes valores atingiram máximos diários durante o fim de semana da Páscoa e o 1º de maio deste ano, altura em que chegaram a registar-se perto de 3.000 passagens por dia.

 

Confirma-se desta forma o interesse crescente dos visitantes de Sintra em percorrer a Serra a pé e aceder aos parques e monumentos através de percursos pedestres, distantes dos automóveis. Conseguem desta forma desfrutar melhor do passeio, convivendo com a natureza que caracteriza o local e descobrindo as vistas sobre a paisagem.

O percurso pedestre da Vila Sassetti permite o acesso ao Palácio Nacional da Pena e ao Castelo dos Mouros, desde o Centro Histórico de Sintra. A sua abertura faz parte de um projeto global de recuperação, da Parques de Sintra, que incluiu a intervenção no exterior do edifício principal da Vila Sassetti (desenhado pelo arquiteto Luigi Manini), a adaptação dos edifícios anexos a instalações sanitárias, a adaptação da Casa do Caseiro a cafetaria, e a recuperação dos jardins, designadamente de caminhos, muros, infraestruturas, sistema de águas, portões e gradeamentos, bem como a valorização da vegetação existente e novas plantações, e ainda nova sinalética de orientação.

 

A Vila Sassetti está integrada na Paisagem Cultural de Sintra, classificada como Património da Humanidade pela UNESCO. Desenvolve-se na vertente norte da Serra numa faixa de terreno estreito, com uma área de aproximadamente 12.000m2, dos quais cerca de 200m2 correspondem ao conjunto edificado composto pelo edifício principal, a Casa do Caseiro e os edifícios anexos. O jardim, concebido por Luigi Manini, procura obedecer a uma estética naturalista, sendo estruturado por um caminho sinuoso que é atravessado por uma linha de água artificial. O jardim expressa a relação de harmonia entre a arquitetura e a paisagem, que assim parecem fundir-se naturalmente.

 

Victor Carlos Sassetti (1851-1915), proprietário do Hotel Braganza, em Lisboa, e do Hotel Victor, em Sintra, foi o proprietário original dos terrenos onde se localiza atualmente a Vila Sassetti. O projeto foi encomendado ao amigo, arquiteto e cenógrafo Luigi Manini (1848-1936), sendo o edifício principal casa de recreio revivalista concebida para habitação estival, construída entre 1890 e 1894. Após a morte do proprietário, a vila esteve arrendada a Calouste Gulbenkian, entre 1920 e 1955, que a ocupou esporadicamente até ao ano da sua morte. Entre 1955 e 1958, a então proprietária construiu a Casa do Caseiro, aumentou o edifício principal, acrescentando o atual corpo nascente e as instalações sanitárias. Em 1984 a nova proprietária desenvolveu algumas obras de requalificação da vila e do jardim.

 

Em 2011 a Parques de Sintra comprou a Vila Sassetti e a propriedade adjacente, com o intuito de preservar o seu valor patrimonial e disponibilizar um novo percurso pedestre desde o Centro Histórico até ao Palácio Nacional da Pena/Castelo dos Mouros, em alternativa à rampa da Pena (na qual circulam os automóveis).

 

O percurso encontra-se aberto diariamente, de forma gratuita, entre as 10h00 e as 18h00 durante a época alta, e entre as 9h00 e as 17h00 na época baixa.

 

Sobre a Parques de Sintra - Monte da Lua

A Parques de Sintra - Monte da Lua, S.A. (PSML) é uma empresa de capitais exclusivamente públicos, criada em 2000, no seguimento da classificação pela UNESCO da Paisagem Cultural de Sintra como Património da Humanidade. Não recorre ao Orçamento do Estado, pelo que a recuperação e manutenção do património que gere são asseguradas pelas receitas de bilheteiras, lojas, cafetarias e aluguer de espaços para eventos.

Em 2016, as áreas sob gestão da PSML (Parque e Palácio Nacional da Pena, Palácios Nacionais de Sintra e de Queluz, Chalet da Condessa d’Edla, Castelo dos Mouros, Palácio e Jardins de Monserrate, Convento dos Capuchos e Escola Portuguesa de Arte Equestre) receberam 2.625.011 visitas, cerca de 83% das quais por parte de estrangeiros. Recebeu, em 2013, 2014, 2015 e 2016, o World Travel Award para Melhor Empresa em Conservação.

São acionistas da PSML a Direção Geral do Tesouro e Finanças (que representa o Estado), o Instituto da Conservação da Natureza e Florestas, o Turismo de Portugal e a Câmara Municipal de Sintra.

 

Mais informação: www.parquesdesintra.pt / www.facebook.com/parquesdesintra / www.instagram.com/parquesdesintra

 

Parques de Sintra inaugura Jardim Botânico do Palácio Nacional de Queluz

JardimBotanico_PNQueluz_creditos_PSML_Wilson_Perei

 

A Parques de Sintra inaugura no próximo dia 5 de junho, pelas 16h00, o Jardim Botânico do Palácio Nacional de Queluz, numa cerimónia que contará com a presença da secretária de Estado do Ordenamento do Território e da Conservação da Natureza, Célia Ramos.

 

A reabilitação deste espaço faz parte do projeto global de recuperação dos Jardins e do Palácio Nacional de Queluz e tinha como premissa restituir o traçado da cartografia de 1865, sendo que a construção original remonta ao século XVIII. A obra representou um investimento de 815 mil euros.

 

O Jardim Botânico do Palácio Nacional de Queluz foi construído entre 1769 e 1780, sendo contemporâneo das grandes realizações setecentistas do período barroco-rococó nos Jardins de Queluz. De pequena escala, quando comparado com outros jardins botânicos desta época, Queluz assume uma natureza de entretenimento e recreio.

 

Sucessivamente destruído por fenómenos naturais e abandonado, o Jardim Botânico perdeu a sua função original, tendo sido transformado em roseiral em 1940. Em 1984, na sequência das cheias de 1983 que afetaram fortemente esta zona, o jardim foi desmontado e transformado numa área ampla para picadeiro da Escola Portuguesa de Arte Equestre.

Já em 2012, a Parques de Sintra iniciou um processo de investigação histórica e sondagens arqueológicas que possibilitou o restauro deste Jardim. Suportado por um vasto conjunto documental, onde ganha particular relevo a listagem da coleção botânica original, o projeto ganhou ânimo com a descoberta e identificação de diversas cantarias - das fundações das estufas, do lago central e de estatuária - que tinham sido desmontadas em 1984 e entretanto integradas, ou esquecidas, noutros pontos dos Jardins de Queluz.

 

Trabalhos de recuperação

 

A recuperação do Jardim Botânico consistiu na reposição das quatro estufas, de acordo com a interpretação dos desenhos históricos, dos resultados das sondagens arqueológicas realizadas no local e dos regulamentos atualmente em vigor, incluindo a incorporação das cantarias originais das fundações.

 

A intervenção contemplou ainda o restauro dos elementos pré-existentes, nomeadamente as balaustradas que delimitam os diferentes espaços do Jardim, os alegretes e respetivos bancos e painéis azulejares, as cantarias do lago central e a estatuária, com vista à restituição do desenho oitocentista do Jardim.

 

Foram também executados caminhos em saibro granítico, sob os quais foram instaladas as infraestruturas de abastecimento de água, drenagem, energia e comunicações, que dão resposta às necessidades funcionais das estufas e jardins, tendo sido igualmente adaptada e reformulada a drenagem superficial.

 

Esta rede de caminhos delimita 24 canteiros, representando os espaços necessários às plantações representativas das 24 ordens de plantas de Carlos Lineu (botânico, zoólogo e médico sueco que classificou hierarquicamente as espécies de seres vivos). Nas bordaduras dos canteiros foram plantadas aproximadamente 10 mil plantas de murta.

 

O Index de Manuel de Moraes Soares datado de 1789, que reúne as espécies existentes na época no Jardim Botânico de Queluz, serviu de base para a constituição da coleção botânica. A partir desta listagem foram contactadas várias instituições a nível mundial que forneceram plantas e sementes para o local.

 

No interior das estufas, e de acordo com os registos históricos encontrados, foram plantados ananases, produzidos em tempos para os banquetes de Queluz.

PEREGRINAÇÃO estreia na Quinta da Regaleira

 

de 2 de Junho a 29 de Julho | Sex e Sáb 21h30
Preço: €10.00 | M/12 | pelo Teatro Tapafuros | Página Oficial | Quinta da Regaleira, Sintra | como chegar?

 

Sobre o Teatro TapaFuros

Fundado em 1990, com 26 anos de actividade ininterrupta, o grupo de Teatro TapaFuros tem desde sempre procurado a versatilidade que julga imprescindível face ao panorama cultural contemporâneo. O trabalho colectivo marca-se por uma estratégia bem definida de sensibilização de públicos e da sua recepção, sendo os espectáculos apresentados na rua a prova dessa aposta, ao fazer com que os espectadores se sintam integrados nos seus espectáculos, participando como figurantes num jogo teatral que se pretende, antes de mais comunicante - conforme sucedeu no largo fronteiro ao Palácio Nacional de Sintra, Quinta da Regaleira, Casa Mantero ou Parque da Liberdade.

 

No próximo dia 2 de Junho, às 21h30, a Quinta da Regaleira vai acolher a estreia da produção teatral que o Teatro TapaFuros preparou a partir do texto de Fernão Mendes Pinto, PEREGRINAÇÃO.

Seis anos volvidos, o Teatro TapaFuros regressa ao misterioso espaço mítico e de enorme valor simbólico, que servirá como nenhum outro esta “viagem”. PEREGRINAÇÃO é um espectáculo itinerante de grande impacto estético que no contexto específico dos Jardins da Quinta da Regaleira, encontra uma comunhão com o espaço fazendo deste um dos seus intérpretes, em conjunto com os actores e músicos.

Espectáculo transdisciplinar de carácter volante, pretende-se que a experiência seja total, como o Teatro. Durante o percurso nocturno, os espectadores serão convocados a integrar partes do espectáculo bem como serão surpreendidos por vários acontecimentos.

Uma experiência marcante que perdurará na memória é a recompensa a todos os que aguardaram o regresso do Teatro TapaFuros em PEREGRINAÇÃO. Aventuras cheirando a mar e incenso, em terras só d’imaginação fabricada, e que Fernão Mendes Pinto e a sua fiel trupe revelarão aos olhos de quem teve o dom de esperar. Ter o Mundo todo no olhar. E sonhar.

A adaptação do texto e dramaturgia é de Jorge Telles de Menezes, a encenação é de Rui Mário e a música original de Pedro Hilário. A interpretação é de Bernardo Souto, Filipe Araújo, Inês Carvalho, Margarida Coelho, Miguel Moisés, Susana João e Vera Fontes. Júlio Almas assina a cenografia e adereços e Aida Afonso os figurinos.

 

PEREGRINAÇÃO estará em cena até 29 de Julho, às Sextas e Sábados, às 21h30. Tem classificação de M/12. Os bilhetes estão à venda na bilheteira da Quinta da Regaleira e nos postos de venda da TicketLine, pelo preço de 10 euros.

Ai!aDança em Festa no Centro Cultural Olga Cadaval

image004.jpg

 

24 junho 2017 | 15h, 18h e 21h30

 

É já no próximo dia 24 de junho de 2017, no Centro Cultural Olga Cadaval, em Sintra, que cerca de 800 alunos das Academias Ai!aDança sobem a palco para transmitir a sua paixão pela dança. Ai!aDança em Festa  é o título do espetáculo que assinala os 16 anos das Academias Ai!aDança e que celebra tanto o caminho percorrido como os momentos que ainda estão por vir.

 

Ballet Clássico, Dança Espanhola, Dança Contemporânea, Hip Hop, Dança Oriental, Ritmos Latinos são algumas das técnicas que entrarão em cena. Interpretadas por bailarinos amadores, mas com a “raça” de grandes profissionais, os alunos das Academias Ai!aDança irão exprimir-se com toda a sua essência.

 

As Academias pertencem à produtora Ai!aDança, cujo principal objetivo é massificar e democratizar a arte em geral e a dança em particular. Na área do Ensino Contínuo, o Ai!aDança tem sob a sua responsabilidade as Academias de Sintra I, II, Loures I, II, Santa Iria I, II e Pontinha.

 

O espetáculo Ai!aDança em Festa será apresentado em três sessões: 15h, 18h e 21h30.

Os bilhetes podem ser adquiridos a partir do dia 24 de maio na Ticketline (www.ticketline.sapo.pt), Fnac, Worten e na Bilheteira do Centro Cultural Olga Cadaval.

 

Informações | Reservas: 219 107 110 (Centro Cultural Olga Cadaval)

 

 

 

 

teatromosca | junho a setembro

 
 
 

deb58154-7b3b-434a-a6c6-987e3a0e3eca.jpg

 

 
 
MODOS DE VER: Sintra
18 agosto a 3 setembro

sextas e sábados às 20h e domingos às 19h
novo audiowalk criado pelo teatromosca para as ruas de Sintra

A companhia regressa a Sintra para criar uma nova versão do audiowalk MODOS DE VER: Sintra, com novos percursos e novos conteúdos. Uma forma inovadora e invulgar de explorar os caminhos secretos da Capital do Romantismo...
 

555d6a92-1872-4860-bbf4-6c873deb1761.jpg