Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

MIMICAT apresenta "Back In Town" a 28 de Outubro no C.C.Olga Cadaval em Sintra

MIMICAT APRESENTA NOVO ÁLBUM "BACK IN TOWN" NO CENTRO CULTURAL OLGA CADAVAL A 28 DE OUTUBRO

BILHETES À VENDA NOS LOCAIS HABITUAIS
(Comprar)
 

837f7fce-00e8-4007-9fa7-b38be0522816.jpg

 

Depois do lançamento do seu novo álbum, "Back In Town, no passado dia 22 de Setembro, Mimicat prepara-se para apresentá-lo ao vivo pela primeira vez num espetáculo muito especial no Centro Cultural Olga Cadaval no próximo dia 28 de Outubro. Um concerto intimista que promete captar a atenção de qualquer membro da plateia. 

"Back In Town" marca uma viragem na carreira da artista, agora com uma imagem e sonoridade mais Pop e versátil. Este disco é sobre autoconfiança e autoconhecimento. MIMICAT é agora mais segura, enquanto mulher e enquanto artista, tendo passado por um processo de transformação interior e exterior também.

“Back in Town” é fresco, forte e moderno. Um disco Pop recheado de canções onde se cruzam a alma e carisma inconfundíveis da artista com as influências da música negra  Soul,  Hip-Hop e R&B, tanto na composição e melodias como na produção instrumental, com baladas minimais como “Lord”, temas grandiosos como “Nobody Knows” ou o atrevimento obscuro de “Cold Feet”.
 

Informações:

Centro Cultural Olga Cadaval // Auditório Acácio Barreiros
28 de Outubro // 21:30h
Entrada :: 8€

 

O CONSTRUTOR, a partir de Jaime Rocha, estreia na Quinta da Regaleira

4da68c28-f440-4fd3-870f-231cf6d9c949.jpg

 

13 DE OUTUBRO A 16 DE DEZEMBRO DE 2017
SEXTAS E SÁBADOS | 21H30

 

Numa produção teatral da MUSGO, o espectáculo O CONSTRUTOR, a partir da peça homónima de Jaime Rocha, nunca representada em Portugal, estreia no próximo dia 13 de Outubro, na Quinta da Regaleira, em Sintra.

Para a MUSGO, montar o espectáculo O CONSTRUTOR resulta da mesma vontade de cruzar a dramaturgia do texto de Jaime Rocha com o “espirito” da Regaleira. O “encontro dramatúrgico” com a Quinta, decorre por contraste: fala-se da falência da Europa justamente no lugar onde o seu património cultural é exaltado.

A visão desapaixonada (a um tempo cómica e absurdamente trágica) da peça de Jaime Rocha, escrita em 1998, mantém intacta a sua actualidade, numa Europa a tentar reerguer-se da recessão dos mercados financeiros, do desemprego jovem galopante, do recrudescimento do terrorismo ou, a debater-se com uma crise humanitária sem precedentes, decorrentes do fluxo migratório resultante da chamada Primavera Árabe.

O texto de Jaime Rocha aborda, metaforicamente, todos estes tópicos, que se materializam no espectáculo dirigido por Paulo Campos dos Reis. O resultado é uma “comédia séria”, capaz de conquistar o riso e a reflexão do público. Revisita-se o discurso linguístico e cénico do teatro do Absurdo, sendo o espectador confrontado com um “exemplo extremo”, perante o qual a possibilidade de indiferença é estrategicamente anulada.

Em O CONSTRUTOR , a Europa constrói-se com ossos humanos. Em fundo, lobos, sirenes, raids, apitos. Alex e Judite, ex-emigrantes portugueses, desesperam pela vinda do subsídio e remédios procedentes da Alemanha e Holanda. A chegada destes paliativos é premeditamente retardada pelo vizinho do casal, o Barão de Auvernay, comissário civil destacado para Portugal com o intuito de recolher e enviar ossos de cidadãos para a Europa. O CONSTRUTOR é uma peça de grande crueza e mordacidade, cujas personagens se movem num quotidiano absurdo, lutando pelo poder, pela felicidade, pela fama, pelo consumo. Escravas de uma sobrevivência precária, num mundo em ruína, engendram intrigas, punições, desejos utópicos, assassinatos, num ambiente manchado de abjecção e de malevolência.
 
O CONSTRUTOR é um espectáculo classificado para maiores de 12 anos e está em cena até 16 de Dezembro às sextas e sábados, às 21.30h. Os bilhetes estão à venda na bilheteira da Quinta da Regaleira e nos postos de venda da TicketLine, pelo preço de 10 euros.
 
FICHA ARTÍSTICA E TÉCNICA
Texto e dramaturgia: Jaime Rocha 
Direcção: Paulo Campos dos Reis 
Interpretação: Filipe Araújo, João Brás, Miguel Moisés, Patrícia Cairrão, Ricardo G. Santos, Suzana Branco e Virgínia Brito
Cenografia: Paula Hespanha e Manuel Pedro Ferreira Chaves 
Figurinos: Nuno Barracas
Costureira: Carina Galvão
Fotografia: Nuno Gomes 
Direcção técnica: Carlos Arroja
Produção executiva: Rute Xavier 
Direcção de produção: Ricardo Soares 
Coordenação de projecto: Paulo Campos dos Reis e Ricardo Soares 
Produção: MUSGO Produção Cultural
 

Them Flying Monkeys - "When Pigs Had Wings" é o terceiro single do álbum "Golden Cap"

 

3126debe-af29-414e-b976-afbf2cc3f223.jpg

 

THEM FLYING MONKEYS

 

"When Pigs Had Wings" é o terceiro avanço do álbum "Golden Cap"

O tema que vem acompanhado por um novo vídeo surge depois de um verão recheado de concertos e antecede a participação no MUSCARIUM, no Sábado, no
Centro Cultural Olga Cadaval.

 
Depois de "Molly" e "Halos" os dois primeiros singles de "Golden Cap" e de um 2017 com mais de 40 datas de onde se destacam os concertos no Indie Music Fest ou no Musicbox, os Them Flying Monkeys lançam agora o terceiro single do álbum que saiu em Fevereiro. "When Pigs Had Wings" vem acompanhado de um novo videoclip, realizado por Francisco Mineiro.

No video, o tempo parou, mas não para todos. Enquanto alguns contemplam desnorteadamente os céus, outros reencontram-se por trilhos familiares. "When Pigs Had Wings" é uma viagem incerta às lembranças de quem não parou no tempo. 

O tema está já disponível no youtube no VEVO dos Them Flying Monkeys 
 

 

Júlio Pereira | concerto 15 de Setembro, C.C. Olga Cadaval | Novo disco "Praça do Comércio"

JÚLIO PEREIRA
 
Novo disco "PRAÇA DO COMÉRCIO" | 22 de Setembro
 
15 DE SETEMBRO | C.C. OLGA CADAVAL, 22h00

view.php.jpg

 

 

"Praça do Comércio" é o 22º disco de autor, de Júlio Pereira. Trata-se de um disco instrumental – enérgico e livre, urbano e sem fronteiras – tendo como solista o Cavaquinho e também, pela primeira vez, o Braguinha onde a voz humana inesperadamente emerge em vários momentos.

A maioria dos arranjos foi criada a partir dos instrumentos tocados por Júlio Pereira: Cavaquinho, Braguinha, Viola Braguesa e Bouzouki contracenando com o Violoncelo e a Viola (Sandra Martins e Miguel Veras, músicos que habitualmente o acompanham) a que se juntaram outros instrumentistas e cantores convidados entre os quais: António Zambujo, James Hill (Canadá), Olga Cerpa (Espanha), Cheny Wa Gume (Moçambique), Pedro Jóia, José Manuel Neto, Norberto Gonçalves da Cruz e ainda com as participações nos coros de Luanda Cozetti, Mariana Abrunheiro e Teresa Melo Campos.

De realçar a participação de um dos mais prestigiados tocadores de Ukulele – o canadiano James Hill decorrente do concerto conjunto com Júlio Pereira em Newark – New Jersey Performing Arts Center, no ano passado, onde o Cavaquinho e o Ukulele tocaram juntos.

Será o primeiro disco profissional que deixará o registo do encontro destes dois instrumentos constituindo o arranque para eventos futuros no estrangeiro.

Mais um passo na longa vida do Cavaquinho e do seu autor naquele que na opinião do seu editor se trata do melhor disco de Júlio Pereira.

Ah…boa nova! Todos os temas serão ilustrados por Carlos Zíngaro!

"Praça do Comércio" estará à venda a partir de 22 de Setembro e conta, também, com uma edição especial, de 1000 exemplares em vinyl, numerada e autografada pelo autor, que inclui capa em formato de gatefold - um objecto de arte, sem texto, apenas contendo as ilustrações originais que Carlos Zíngaro criou para todos os temas do álbum. Uma edição limitada em pré-venda até dia 23 de Setembro no site da Tradisom.

Dia 15 de Setembro, Júlio Pereira apresenta "Praça do Comércio" no Centro Cultural Olga Cadaval, pelas 22h00.

Bilhetes à venda em Ticketline.

Mais sobre Júlio Pereira no site oficial

teatromosca | festival MUSCARIUM#3 | 18 set - 1 out

 

 

47d93480-910b-4346-b167-1d6b487bbf9b.jpg

 

O MUSCARIUM#3 arranca já no dia 18 de setembro com um concerto singular de B Fachada no jardim de uma casa privada em Cabriz (Sintra). Uma casa de família. Um jardim de 30 ou 40 m2. Ambiente descontraído, registo informal, autêntico. A campainha tocará várias vezes, os convidados serão recebidos por entre bebidas frescas e petiscos. Fumam um cigarro no alpendre virado para a Serra de Sintra. Dirigem-se ao quintal e assistem a um concerto. Um fim de tarde diferente… entre amigos.

Após o sucesso das duas primeiras edições deste festival de artes performativas organizado pelo teatromosca em Agualva-Cacém-Sintra, a edição de 2017 manterá o critério de programar espetáculos, os quais, em conjunto com as suas estruturas e criadores, possam estabelecer um diálogo com a linha de criação ou de produção da companhia. Alguns destes espetáculos são mesmo resultado de afinidades artísticas, as quais têm resultado, por exemplo, em permutas e intercâmbios. Por último, o objetivo do teatromosca enquanto promotor do festival, em conjunto com outras estruturas artísticas locais e a Câmara Municipal de Sintra, é de dotar o concelho de uma oferta de qualidade, diversificada e intensa, tentando criar um fluxo de espetadores locais e regionais que reconheçam a marca MUSCARIUM.

Na primeira semana serão apresentados espetáculos de teatro (Instantâneos, Dobrar Núcleo Artístico e Um Coletivo) e dança (a mais recente coreografia de Elson Marlon Ferreira e Bruno Duarte), para além dos concertos de B Fachada, Homem em Catarse e Them Flying Monkeys. A segunda semana do festival começa com um Workshop de Teatro Físico (25 a 29 de setembro), ministrado pelas encenadoras britânicas Lowri Jenkins e Jennifer Fletcher, continua com espetáculos de teatro do teatromosca e da companhia britânica/espanhola NOVA e concertos de First Breath After Coma (29 setembro, às 23.30h no MU.SA - Museu das Artes de Sintra) e Pupilos do Kuduro (a encerrar o festival no dia 1 de outubro, às 17.30h, no Anfiteatro do Jardim da Anta de Agualva).

 

festival de artes performativas em agualva.cacém.sintra

MUSCARIUM#3

 

 

Liliana Martins | Centro Cultural Olga Cadaval |09 de Setembro

LILIANA MARTINS
"MEU TEMPO"
09 de Setembro | 21:30
Centro Cultural Olga Cadaval

d2933912-56c2-45be-b944-84cca1173f14.jpg

 

LILIANA MARTINS apresenta "MEU TEMPO" no CENTRO CULTURAL OLGA CADAVAL a 09 de Setembro

LOCAL: Centro Cultural Olga Cadaval, Sintra

DATA: Sábado, 09 de Setembro | 21:30
 


Fado, música tradicional popular e contemporânea em perfeita fusão na voz de Liliana Martins.

O Centro Cultural Olga Cadaval recebe no próximo dia 9 de Setembro “Meu Tempo”, o espetáculo de Liliana Martins onde a artista, natural de Sintra, cruza as suas raízes de fadista com as suas fortes influências de música tradicional portuguesa. 

Meu Tempo” é também o título do seu segundo disco que nos leva numa viagem no tempo, onde a artista passa por um processo de maturação.

O seu disco de estreia "Corpo-Fado" foi premiado pela The Akademia Music Awards como melhor álbum "world beat" (Junho/2016).

Mais recentemente o seu novo single “Toma conta de mim” esteve nomeado nos prémios International Portuguese Music Awards 2017, na categoria de Fado.

As suas origens vêm do Fado, tal como a sua maior inspiração, mas Liliana não é apenas fadista, é isso e muito mais. A sua voz e interpretação trazem uma nova sonoridade onde se junta a música tradicional, popular e contemporânea.

 

AS AVENTURAS DE TOM SAWYER na Quinta da Regaleira

 
 
 

imagem1.jpg

 


De 5 de AGOSTO a 30 de SETEMBRO | Sábados às 16, Domingos às 11h e às 16h
Bilhete: 5€ | M/6 | espectáculo produzido pela bYfurcação teatro | Página Oficial
Quinta da Regaleira, Sintra | como chegar?

 

No próximo dia 5 de Agosto, a companhia de teatro BYFURCAÇÃO apresenta, em estreia, o espectáculo infantil AS AVENTURAS DE TOM SAWYER, nos jardins da Quinta da Regaleira, em Sintra.

Personagem da literatura clássica infantil, criada pelo escritor norte-americano Mark Twain, Tom Sawyer é um rapaz rebelde que, cansado das obrigações e rotina do dia a dia, prefere estar nas margens do rio Mississipi, a pescar ou a sonhar grandes aventuras com barcos de piratas ou lutas entre índios e cowboys. O que Tom não espera é que o seu sonho seja realizado tão depressa, pois um acontecimento extraordinário marcará a sua vida.

A encenação desta produção da bYfurcação Teatro é de Paulo Cintrão que é também responsável pela adaptação do texto. A interpretação está a cargo de Joana Lobo, João Parreira e José Frutuoso e os figurinos, cenografia e adereços são de Flávio Tomé. O espectáculo tem música original de Nuno Cintrão.

O espectáculo, classificado para maiores de 6 anos e com uma duração de 50 minutos, está em cena até 30 de Setembro, sábados às 16.00h e domingos às 11.00 e às 16.00h, no Patamar do Ténis. O bilhete pode ser adquirido na bilheteira da Quinta da Regaleira e na Ticketline, pelo preço de 5 euros.

 

Sobre a bYfurcação teatro

A bYfurcação é uma companhia de teatro profissional com sede Sintra, nascida em 31 Julho de 1998. O objetivo da bYfurcação Teatro é criar e levar ao público diferentes formas de arte, com destaque para o teatro. Desde a sua criação, a bYfurcação tem apostado em propostas vanguardistas, num registo estético assumidamente minimalista. O destaque vai para a dramaturgia clássica com grande ênfase nos textos clássicos infantis.

Caprichos de Goya em Sintra | Exposição

CAPRICHOS DE GOYA
MU.SA até 10 de Setembro

563_2555_1.jpg

 

Uma crítica social em 80 gravuras!
Francisco de Goya y Lucientes (1746-1828), pintor e gravador espanhol, fundador do movimento Romântico e percursor do Impressionismo, foi um dos mais importantes artistas plásticos do final do século XVIII. Embora pintor oficial da corte de Carlos IV, de Espanha, foi um crítico feroz à sociedade em que viveu, como demonstrou em CAPRICHOS, uma colecção de 80 gravuras onde censurou os vícios humanos e as instituições políticas, denunciou as injustiças sociais e satirizou os comportamentos da sociedade, sobretudo das classes da nobreza e clero. Passados quase duzentos anos, a necessidade de justiça social manteve-se pelo que a UNESCO, em paralelo com o plano Objectivos de Desenvolvimento do Milénio (ONU), promove o projecto Dancing for the Millennium Goals (A Dançar pelos Objectivos do Milénio), no qual a presente exposição se insere.

Apresentada pela Câmara Municipal de Sintra e Fundação Cultursintra FP, é um projecto UAU, em parceria com o Museo Casa Palácio e conta com o apoio da UNESCO e da Fundació Fórum Universal de les Cultures.

Até 10 Setembro
3ª a 6ª | 10h às 20h
Sábados e Domingos | 14h às 20h

 

teatromosca | estreia audiowalk MODOS DE VER: Sintra + MUSCARIUM#3

deb58154-7b3b-434a-a6c6-987e3a0e3eca.jpg

 

 
MODOS DE VER: Sintra
18 agosto a 3 setembro

sextas e sábados às 20h e domingos às 19h
novo audiowalk criado pelo teatromosca para as ruas de Sintra

Depois do sucesso da internacionalização deste projeto, a companhia regressa a Sintra para criar uma nova versão do audiowalk MODOS DE VER: Sintra, com novos percursos e novos conteúdos. Uma forma inovadora e invulgar de explorar os caminhos secretos da Capital do Romantismo...

O projeto consiste de visitas realizadas em grupo a alguns dos mais emblemáticos lugares (e não-lugares) de Sintra, guiadas por uma banda sonora original concebida pela equipa do teatromosca. A primeira versão deste projeto decorreu durante os meses de julho e agosto de 2016 em Sintra, no âmbito da evocação dos 20 anos da elevação de Sintra a Património Mundial. Trata-se de uma forma inovadora e invulgar de explorar os caminhos secretos de Sintra, em que cada espetador-caminhante assume o papel de um flâneur contemporâneo. Espetáculo em que os espetadores são os atores e as ruas de Sintra, os trilhos da Serra, as estradas, os edifícios, são o cenário e os habitantes, os turistas, as gentes que por aqui passam e que aqui habitam são personagens de um projeto teatral que se joga na tensão entre o real e a ficção, entre o público e o privado... Uma experiência singular!

O audiowalk terá sempre o seu início na Casa das Cenas, junto ao edifício do Turismo no centro da Vila de Sintra. Será sempre aí o ponto de encontro e também o local onde funcionará a bilheteira. A cada espetador será entregue um kit, que inclui um leitor MP3 com auscultadores. O espetáculo-percurso terá a duração aproximada de 2 horas.

É aconselhada a reserva de bilhetes através dos telefones 91 461 69 49 | 96 340 32 55 | ou do email teatromosca@gmail.com | A reserva só será considerada após pagamento antecipado dos bilhetes, através de transferência bancária | Contacte-nos para mais informações...

PREÇO DOS BILHETES| 10 € (preço único)

PONTO ENCONTRO/BILHETEIRA| Casa das Cenas, Rua Gil Vicente 5, 2710-568 Sintra

CLASSIFICAÇÃO ETÁRIA| Maiores 16 anos

NOTA| O audiowalk tem um grau de dificuldade baixo e não será cancelado ou adiado por razões meteorológicas. Recomenda-se o uso de roupa confortável. Cada participante deverá trazer uma garrafa de água e um pequeno snack. Durante a performance não será permitida a utilização de telemóveis ou máquinas fotográficas.
 

555d6a92-1872-4860-bbf4-6c873deb1761.jpg

 

 
 
MUSCARIUM#3
18 setembro a 1 outubro

festival de artes performativas em Agualva-Cacém-Sintra

+ Auditório Municipal António Silva - AMAS [Cacém]
+ Casa da Cultura Lívio de Morais [Mira Sintra]
+ Casa da Marioneta [Agualva]
+ MU.SA [Sintra]
+ Centro Cultural Olga Cadaval [Sintra]
+ Anfiteatro do Jardim da Anta [Agualva]
+ Comboios CP da Linha de Sintra
+ Jardim de uma casa privada em Cabriz [Sintra]

 
12 espetáculos | 2 produções para o público infanto-juvenil | 5 concertos |
1 workshop | 1 espetáculo internacional em estreia mundial |
4 artistas-companhias sintrenses

MUSCARIUM#1 teve a sua primeira edição entre 16 e 27 de setembro de 2015, no âmbito das comemorações dos 15 anos do teatromosca. Na edição de 2016, no MUSCARIUM#2, a companhia procurou integrar espetáculos de dança e música e imprimir uma dinâmica ainda mais forte em toda a programação, potenciando o sentimento de festa, celebração, encontro e diálogo nas três semanas que durou o festival.

Para a edição de 2017, o MUSCARIUM#3 manterá o critério de programar espetáculos, os quais, em conjunto com as suas estruturas e criadores, estabelecem um diálogo com a linha de criação ou de produção do teatromosca. Alguns destes espetáculos são mesmo resultado de afinidades artísticas, as quais têm resultado, por exemplo, em permutas de espetáculos. Por último, o objetivo do teatromosca enquanto promotor do festival, em conjunto com outras estruturas artísticas locais e a Câmara Municipal de Sintra, é de dotar o concelho de uma oferta de qualidade, diversificada e intensa, tentando criar um fluxo de espetadores locais e regionais que reconheçam a marca MUSCARIUM.

Na área da música, a programação do MUSCARIUM#3 inclui concertos de B Fachada, Them Flying Monkeys, Homem em Catarse ou First Breath After Coma. Na área do teatro, destaca-se a estreia mundial da próxima criação da companhia britânica NOVA, que estará em residência artística no Centro Cultural Olga Cadaval. Na área da dança, será apresentada a mais recente coreografia de Bruno Fernandes e Elson Marlon Ferreira e um espetáculo dos Pupilos do Kuduro a fechar o evento. Mas haverá muito mais, em distintos espaços do concelho de Sintra, incluindo o Auditório António Silva [Cacém], a Casa da Cultura Lívio de Morais [Mira Sintra], a Casa da Marioneta [Agualva], o MU.SA e o Centro Cultural Olga Cadaval  [Sintra], para além dos Comboios CP da Linha de Sintra ou o Jardim de uma casa privada em Cabriz [Sintra], entre outros.

BILHETES
5€ “mosca” (Preço unitário espetáculos de teatro e dança) | 2,5€ “mosca às compras” (Valor do desconto com cupão do Shopping – no caso de fazer uma compra no Shopping do Cacém) | 3€ “moscas em grupo” (Preço unitário para grupos de 5 pessoas ou mais) | 10€ "musicarium" (Preço unitário espetáculos de música) | 10€ “mosca na sopa” (Valor do jantar Open House @ AMAS – inclui prato principal, bebida, sobremesa, café e conversa) | 10€ “mosca solitária” (Bilhete unitário com jantar. Válido para 1 apresentação no AMAS) | 15€ “duas moscas” (Jantar para 2 pessoas e 2 bilhetes para 1 apresentação no AMAS) | 25€ Formação de Teatro Físico | 50€ “às moscas” (Passe de acesso a todos as atividades)
 

NOTAS| Os bilhetes promocionais ou com desconto implicam a reserva prévia dos bilhetes e o seu levantamento até 30 minutos antes de cada sessão.
 
O concerto do HOMEM EM CATARSE no comboio da CP das 17.31h, no dia 19 de setembro, é de entrada-livre, mediante a aquisição de um bilhete de comboio (Lisboa-Sintra). O concerto dos PUPILOS DO KUDURO, no Anfiteatro do Jardim da Anta, em Agualva, é de entrada-livre. O concerto inaugural de B FACHADA tem uma lotação limitadíssima.