Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

ESTREIA PEÇA "O ESTRANHO CASO DO BIGODE IRÓNICO" (26 MAIO) :: CASA DA AMÉRICA LATINA

headerbigode.jpg

 

A peça de teatro “O estranho caso do bigode irónico: Investigação sentimental sobre a vida e obra de Mario Benedetti” estreia na Casa da América Latina (Av. da Índia 110, Lisboa)a 26 de maio, pelas 21h30.A entrada é livre,mediante lotação da sala.

O espetáculo concebido por Francisco Gomes, no âmbito da Passado e Presente – Lisboa Capital Ibero-americana de Cultura 2017, é uma viagem pessoal pela personagem real e fictícia do escritor, poeta, ensaísta, jornalista e crítico uruguaio.

Este é um relato encenado de uma obra pouco conhecida em Portugal, com paragens pelo universo cómico, insólito, irónico, romântico e comovente do autor e do seu bigode. Integrante da Geração de 45, Mario Benedetti (1920-2009) escreveu 80 livros e foi traduzido em 25 idiomas, sendo considerado um dos principais autores latino-americanos. Em Portugal, só há poucos anos o começaram a traduzir.

Passatempo “À BOLEIA PARA HOLLYWOOD” - Cine Teatro de Estarreja

O Blog Cultura de Borla em parceria com o CINE TEATRO DE ESTARREJA tem bilhetes duplos para a peça “À BOLEIA PARA HOLLYWOOD”  para dia 27 de Maio às 21h30, no CINE TEATRO DE ESTARREJA aos primeiros leitores que de 5 em 5 participações:

 

 Enviem um email para o culturadeborla@sapo.pt com a frase "Eu quero ir ver “À BOLEIA PARA HOLLYWOOD”  com o Cultura de Borla" com nome, BI e nº de telefone.

 

image003.jpg

 

No próximo dia 27 de maio, sábado, pelas 21h30, o Cine-Teatro de Estarreja irá receber a peça de teatro“À BOLEIA PARA HOLLYWOOD”, com  um elenco de luxo com caras bem conhecidas da televisão e do teatro: os atores Cláudia Vieira, João Lagarto e Sofia de Portugal, e com  encenação de Cucha Carvalheiro.

 “À boleia para Hollywood” é um espetáculo cheio de emoção que irá despertar o público para um tema sempre atual: as relações. Libby, Herb e Steffy, lutam do princípio ao fim com as suas barreiras emocionais, mas acabam por encontrar sempre um sentido, mesmo nos seus desequilíbrios.

 

"A Fuga dos Instrumentos" no Centro Cultural do Cartaxo

CARTAZAFDICCCJUNHOnet.jpg

 

“A FUGA DOS INSTRUMENTOS”

de Vânia Calado

Encenação de Frederico Corado

Centro Cultural do Cartaxo

Cartaxo 

Dia 4 de JUNHO às 16.00

 

Depois da estreia no Centro Cultural do Cartaxo em duas sessões esgotadas, exclusivas para as escolas do concelho do Cartaxo, e da ida a Santarém, regressa agora novamente ao Cartaxo para uma sessão para o público em geral, "A Fuga dos Instrumentos". 

Continuando o trabalho direccionado para o público mais jovem, a Área de Serviço estreou este novo espectáculo de Vânia Calado. 

Depois de “A Trisavó de Pistola à Cinta” de Alice Vieira, "A Volta ao Mundo em 80 Dias” a partir do romance de Jules Verne e“A Princesa de Galochas” de Vânia Calado, autora nascida no Cartaxo (Vale da Pinta) voltamos a levar à cena um original desta autora, desta vez "A Fuga dos Instrumentos".

É já dia 4 de Junho no Centro Cultural do Cartaxo com encenação de Frederico Corado e as interpretações de Carolina Seia Viana, Sara Margarida, Carlos Ramos, Catarina Carmo e Gabriel Silva. 

Vânia Calado propõe com esta “A Fuga dos Instrumentos” um aproximar dos mais novos à música, aos instrumentos, às notas musicais, às colectividades e associações tão habituais nas terras e bairros, às tradições, à amizade e ao trabalho em grupo.

Numa colectividade igual a tantas outras, os instrumentos ganham vida depois do ensaio terminar. Felismina Flautim, Tomásia Trombone, Baltazar Bombo e Serafina Saxofone já estão naquela banda há muito tempo, Fausto Ferrinhos acabou de chegar e já se percebeu que não faz muito mais do que dormir e reclamar com fome. É essa fome que faz com o que os cinco amigos partam em busca de comida seguindo o aroma delicioso do arroz-doce da Tia Antonieta. Mas para lá chegar têm de arranjar maneira de sair da colectividade sem que ninguém os veja. Ninguém pode saber que os instrumentos podem falar e andar quando ninguém está a ver, mas será que eles conseguem ser discretos até chegar ao arroz-doce? E será que sobrevivem a todos os percalços que vão aparecendo? Ou será que se arma uma confusão de notas e instrumentos desafinados?

 

Texto de Vânia Calado | Encenação: Frederico Corado | Cenografia: Frederico Corado e Mário Júlio |  Produção da Área de Serviço: Frederico Corado, Mário Júlio, Florbela Silva e Vânia Calado com a assistência de Carolina Seia Viana e Sara Margarida |  Ilustração e Grafismo: Raquel Carvalho | Assistente de Encenação: Carolina Seia Viana  | Técnica: Miguel Sena | Uma Produção da Área de Serviço com o Centro Cultural do Cartaxo e a Câmara Municipal do Cartaxo 

 

Com Carolina Seia Viana, Gabriel Silva, Sara Margarida, Catarina Carmo e Carlos Ramos

Fuga 02net.jpg

 

 

Parceiros Institucionais: Câmara Municipal do Cartaxo | Centro Cultural do Cartaxo | Apoios: Casa das Peles | Crédito Agricola | J.M.Fernandes - Vidreira e Alumínio | Negócio de Família | E.Nove | Tejo Rádio Jornal | Revista Dada | Jornal de Cá | TV Cartaxo | Guia dos Teatros

 

Facebook: https://www.facebook.com/AreadeServicoTeatroInfantil/ 

Centro Cultural do Cartaxo

Rua 5 de Outubro | 2070-059 Cartaxo, Portugal

Teatro . M/3

Bilhetes: 5€ 

Info e reservas:

CCC - 243 701 600 

Área de Serviço - 914 338 893 

teatromosca | junho a setembro

 
 
 

deb58154-7b3b-434a-a6c6-987e3a0e3eca.jpg

 

 
 
MODOS DE VER: Sintra
18 agosto a 3 setembro

sextas e sábados às 20h e domingos às 19h
novo audiowalk criado pelo teatromosca para as ruas de Sintra

A companhia regressa a Sintra para criar uma nova versão do audiowalk MODOS DE VER: Sintra, com novos percursos e novos conteúdos. Uma forma inovadora e invulgar de explorar os caminhos secretos da Capital do Romantismo...
 

555d6a92-1872-4860-bbf4-6c873deb1761.jpg

 

Cendrev | “Sozinho”, em palco até dia 28 | Maio

Maio2_2017.jpg

 

“Sozinho”, uma produção do Cendrev

“Sozinho”, a nossa 184º produção, entra na última semana em cena no Teatro Garcia de Resende. Se ainda não viu, venha ver. Vale bem a pena marcar presença neste que é mais um espectáculo para afirmar o nosso contributo no esclarecimento do papel do Homem na sociedade. 
O texto de Börje Lindström, autor sueco, surpreendeu-nos pela força de uma prosa ao mesmo tempo poética e bem humorada em que a palavra provoca o jogo. Uma pequena homenagem a August Strindberg num espectáculo para todos, onde a brincar se fala de coisas sérias.


SINOPSE
O senhor Strindberg no seu quarto de pensão espera com impaciência que soem as dez da noite para se deitar. Clara a criada chega para o levar a comer a sandes da ceia. Esta questão vem pôr em causa todo o funcionamento da vida solitária do muito solitário senhor Strindberg. Quem levará a melhor? A calorosa e divertida Clara ou o senhor Strindberg de humor agreste e gelado pela solidão?

 “Sozinho” 

 Em cena até 28 de Maio 
 . De quarta a sábado às 21h30 
 . Domingos às 16h00 


FICHA TÉCNICA
autor Börje Lindström |  versão portuguesa Rosário Gonzaga a partir da tradução francesa de Anne Barlind | encenação Rosário Gonzaga | cenografia e figurinos Leonor Serpa Branco | assistente de cenografia e adereços Victor Zambujo | música António Bexiga | iluminação e direcção técnica António Rebocho | actores Maria Marrafa e Rui Nuno | construção e montagem Paulo Carocho, Tomé Baixinho e Tomé Antas | arranjos de guarda-roupa Marta Ricardo | secretariado Ana Duarte | produção Cláudia Silvano | comunicação Alexandra Mariano e José Neto | fotografia Paulo Nuno Silva | design gráfico Milideias | participação especial Joaquim Matesanz e Uriel Ireland - alunos estagiários do Institut del Teatre de Barcelona | agradecimentos Pierre-Etienne Heymann, Margarida Morgado, Álvaro Corte-Real, Laura Charneca e António Velez.


ESPECTÁCULOS EM DIGRESSÃO

bonecos.jpg

Bonecos de Santo Aleixo

O advertimento não pára. Estamos na estrada com estes pícaros e divertidos títeres de varão para levar alegria aos cantos e recantos do nosso país e do mundo. 
Estes títeres tradicionais do Alentejo parece terem tido a sua origem na aldeia que lhes deu o nome.
São títeres de varão, manipulados por cima, à semelhança das grandes marionetas do Sul de Itália e do Norte da Europa, mas diminutos – de vinte a quarenta centímetros.
Vemo-nos num palco perto de si!


Bonecos de Santo Aleixo

 São Gregório -  Carrascal 
 Dia 21 de Maio às 17h30 

 Teatro Garcia de Resende 
 De 30 de Maio a 4 de Junho às 18h30 

 

“ÑAQUE, ou sobre piolhos e actores”, de José Sanchis Sinisterra

Dois actores em palco e uma série de peripécias capazes de surpreender o público.
ÑAQUE… Dois homens que apenas trazem consigo uma barba de samarra, que tocam tamborim e cobram a meio-vintém… Que vivem satisfeitos, dormem vestidos, caminham nus, comem esfomeados, despiolham-se no verão nas searas, e no inverno, com o frio, não sentem os piolhos…
Esta é a premissa que desta peça sobre a condição do actor, da sua posição na sociedade e desenvolve-se na relação que este vai construindo com o público.

 

NAQUE.jpg

 

 


“ÑAQUE, ou sobre piolhos e actores”

 Teatro do Montemuro 
 Dia 28 de Maio –  às 16h00 

FICHA TÉCNICA 
autor José Sanchis Sinisterra | tradução José Carlos González | interpretação e encenação José Russo e Jorge Baião | cenografia e guarda-roupa Helena Calvet | desenho musical Domingos Galésio | iluminação António Rebocho | construção Tomé Baixinho e Paulo Carocho | secretariado Ana Duarte | produção Cláudia Silvano | fotografia Paulo Nuno Silva | comunicação Alexandra Mariano e José Neto | design gráfico Milideias | duração 75 min. | classificação etária M/12
 

 


BILHETEIRA
Informações e Reservas: 266 703 112 | Email: geral@cendrev.com

"Alguém Terá de Morrer" - Clube da Sertã "A.Com.Te.Ser" | 27 de maio - Auditório Municipal de Pinhal Novo

No Auditório Municipal de Pinhal Novo

Grupo do Clube da Sertã apresenta “Alguém Terá de Morrer”

 

O Auditório Municipal de Pinhal Novo apresenta, no dia 27 de maio, às 21h30, a peça “Alguém Terá de Morrer”, pelo grupo de teatro do Clube da Sertã “A.Com.Te.Ser”.

Trata-se de uma iniciativa do ATA – Ação Teatral Artimanha com o apoio da Câmara Municipal de Palmela, inserida na II edição do Amar-Teatro – Mostra de Teatro da FPTA – Federação Portuguesa de Teatro. Nesta peça, da autoria de Luís Francisco Rebello, “a vida revela um jogo violento e sem tréguas. Em apenas uma noite, os segredos e os ressentimentos que cada um guarda pelo outro correm o sério risco de serem revelados. Conseguirá esta família manter-se unida ou será cada um por si? Afinal, perante a morte ninguém quer ficar calado”.

Destinado ao público, em geral, a peça tem um valor de bilheteira de 3 euros.

 

Teatro de amadores de boa saúde no concelho de Palmela | Programa Municipal de Teatro

 

Município apoia atividade

Teatro de amadores de boa saúde no concelho de Palmela

 

 

Na reunião pública realizada a 10 de maio, a Câmara Municipal de Palmela aprovou, por unanimidade, a atribuição de apoios financeiros, no valor global de 5.500 euros, aos grupos de teatros de amadores do concelho com os quais não existem protocolos de cooperação. São contemplados com este apoio o TELA – Teatro Extremamente Louco e Absurdo, o Grupo de Teatro Ensaiarte, o Teatro Sem Dono, o Grupo de Teatro “As Avózinhas”, a Associação Teatro da Vila e o Teatro dos Barris – Associação.

A atividade teatral dinamizada por grupos amadores apresenta grande dinamismo e qualidade no concelho de Palmela, com a estreia regular de produções e o nascimento de novos grupos. Consciente da sua importância e responsabilidade na criação artística e fidelização de públicos, o Município de Palmela mantém uma relação próxima com estas estruturas, parceiras em diversas iniciativas, ao longo do ano, e procura apoiar a sua atividade, no âmbito do Programa Municipal de Teatro.

 

 

Últimas representações - JOGO DOS TRONOS – TEMPORADA II

image002.jpg

 

 

 

Uma paródia onde as semelhanças são puro improviso

 

 

O espectáculo onde o público decide quem será soberano no Reino de Portugal está de volta! A Temporada II de “Jogo dos Tronos – Uma paródia medieval improvisada”, dos Improvio Armandi, estará em cena no Auditório Carlos Paredes, em Benfica, nos dias 13, 18, 19 e 20 de Maio, às 21h30.

 

Inspirado numa conhecida saga, o Jogo dos Tronos – Uma paródia medieval improvisada foi o primeiro espectáculo nacional de improviso a ter um formato inteiramente baseado numa série de televisão e estreia agora a sua segunda temporada.

Nesta temporada, quatro nobres famílias portuguesas criadas na hora e inspiradas em elementos do público, disputam o direito de se sentarem no trono, recorrendo a todo o tipo de meios para o fazer: assassinatos, casamentos, batalhas e frágeis alianças, que a qualquer momento podem desmoronar ou sair fortalecidas com a intervenção dos espetadores.

Durante uma hora o público vai conhecer e ajudar a compor os protagonistas desta intriga medieval, sejam eles nobres guerreiros, conselheiros maquiavélicos, belas princesas ou assassinos sem escrúpulos, que poderão ver o seu destino mudado de um momento para o outro, mas sempre com uma garantia, no final… só um será rei. 

Depois do sucesso da primeira temporada em Lisboa e Porto, os Improvio Armandi apresentam a “season II” de Jogo dos Tronos – Uma paródia medieval improvisada, que vai estar em cena nos dias 13, 18, 19 e 20 de Maio no Auditório Carlos Paredes, em Benfica, às 21h30. 

 

O Jogo dos Tronos – Uma paródia medieval improvisada, Temporada II
Com: André Sobral, Hugo Rosa, João Cruz, Juan Pereira e Ricardo Karitsis
Guião e Realização: Público e Improvio Armandi
Bilhetes: 7€
Reservas: armandi.improvio@gmail.com

Henrique IV no CCB

phpThumb_generated_thumbnailjpg.jpg

 

30 e 31 de maio | 21:00 | Pequeno Auditório

Teatro Comuna
Espetáculo comemorativo do 45.º aniversário do Teatro da Comuna. Como em quase toda a sua obra, em Henrique IV Pirandello trabalha de forma brilhante a tensão entre realidade e fantasia, deixando implícita a impossibilidade do estabelecimento de uma verdade absoluta.
Comprar

Faltam 3 semanas| Estreia de “Terra dos Sonhos – O Musical” marcada para 8 de junho

DESTAQUE(1000x1450px).jpg

 

Estreia a 8 de junho no Teatro Tivoli BBVA em Lisboa

Terra dos Sonhos celebra 10 anos com um Musical

Lisboa, 16 de maio de 2017 – Faltam exactamente 3 semanas para a estreia da “Terra dos Sonhos – O Musical”, peça criada e encenada por Matilde Trocado, autora e encenadora dos projetos ‘Eusébio’ e ‘Godspell’, em co-autoria com Artur Guimarães. 

Criado para celebrar o 10º aniversário da Terra dos Sonhos, o musical, com músicas originais de Artur Guimarães e letras de Matilde Trocado, estreia a 8 de junho e conta a história de Marta e Daniel – dois meninos de 10 e 14 anos, respetivamente – enquanto procuram a Terra dos Sonhos numa sala de espera de um hospital.

 

Alda Gomes e Rúben Madureira, entre outros, fazem parte do elenco da peça, cujo enredo foca a busca pela esperança depositada nos sonhos - sendo a mensagem-chave o valor que tem nunca desistirmos de lutar pelos nossos sonhos.

 

Os bilhetes para “Terra dos Sonhos - O Musical” estão à venda na Ticketline. O musical estará em cena de 8 a 11 de junho no Teatro Tivoli BBVA, em Lisboa. Os preços variam entre os 5€ e os 30€. Todas as receitas revertem integralmente para a missão da Terra dos Sonhos.

 

 

 

 

 

 

Sobre a Terra dos Sonhos:

A Terra dos Sonhos é uma organização social, sem fins lucrativos, focada na promoção da saúde emocional de crianças, jovens e idosos, que pretende sensibilizar e inspirar a sociedade para a importância do bem-estar emocional e mental na qualidade de vida e saúde física das pessoas. A realização dos sonhos mais “impossíveis” trabalha o impacto na saúde emocional dos beneficiários no curto prazo e a Unidade de Felicidade procura desenvolver a capacidade que as crianças, jovens e idosos têm de gerir a sua saúde emocional no médio e longo prazo.

 

 

EQUIPA TÉCNICA:

  • Pedro Castro – produtor
  • Carolina Rio - produção
  • Juliana Madeira – produção
  • Sofia Castro – produção
  • Matilde Trocado - criadora/encenadora
  • Artur Guimarães - Diretor musical
  • António Andrade Santos - Assistente. Direção musical
  • Rodolfo Cardoso - sound designer e operação de som
  • Diana Castro e Pi Vieira - cenografia
  • Filipe Rico – coreografia
  • Paulo Sabino - desenho de luz
  • Teresa Braga – figurinos
  • Pi Vieira - direção de cena

 

ELENCO:

  • Alda Gomes  
  • Diana Castro   
  • Joana Brito Silva   
  • João Sá Coelho
  • José Lobo  
  • Ruben Madureira  
  • Sissi Martins  
  • Soraia Tavares 
  • Marta Leite
  • Ana Cortes

 

ENSEMBLE:

  • Ana Constantino
  • André Tavares
  • Benedita Pinto Gonçalves
  • Carlos Coelho
  • Constança Lobo Machado
  • Francisca Castro
  • Frederico Silva
  • Ignez Pereira da Silva
  • Joana Oliveira
  • João Pedro Palma
  • João Gamory
  • Margarida Garcez
  • Margarida Portela
  • Maria do Carmo Gaivão
  • Teresa Silveira Machado