Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

CILT promove entradas gratuitas ao domingo

 

Centro de Interpretação das Linhas de Torres abre portas ao público

 

foto CILT.jpg

 

O Centro de Interpretação das Linhas de Torres (CILT), espaço museológico, em Sobral de Monte Agraço, promove entradas gratuitas em todos os domingos do ano. 

 

Sabia que os portugueses foram apelidados de "os galos de combate" na luta contra os franceses, pelo General Wellington? Com uma visita ao Centro de Interpretação das Linhas de Torres pode ficar a saber porque foi tão famoso o exército português. Sobral de Monte Agraço conta as histórias da Guerra Peninsular.

 

Esta é uma forma diferente de conhecer a região de Sobral de Monte Agraço, as suas histórias desde construção, estratégia e operacionalidade militar das Linhas de Torres enquanto sistema defensivo erguido a norte de Lisboa para proteger a capital da 3.ª Invasão Francesa, aos episódios, personagens, sítios e edifícios que marcaram a vivência neste território numa época tão marcante para a história portuguesa e europeia. 

 

Os visitantes podem conhecer o CILT, de forma gratuita, aos domingos e experimentar os áudio-guias disponíveis para uma visita ao património histórico-cultural.

 

Para mais informações cilt@cm-sobral.pt  ou através do (+351) 261 942 296

 

 

 

Ler e decifrar “A Ópera Chinesa” no Museu do Oriente | Visitas temáticas mensais a partir de 26 de Maio

Ópera Chinesa_SE_visitas.jpg

 

Os enredos, os tipos de personagens, os códigos gestuais e simbologia das cores são algumas das chaves de leitura através das quais o Museu do Oriente propõe decifrar o universo da exposição “A Ópera Chinesa”, em visitas temáticas mensais, de Maio a Dezembro.

 

Combinando a melodia dos instrumentos tradicionais chineses, canto, dança, acrobacias e artes marciais, a ópera chinesa destaca-se pela caracterização única das suas personagens e pela riqueza do seu repertório. De entre os diferentes tipos de óperas chinesas destaca-se a ópera de Pequim, reconhecida pela UNESCO, em 2010, como Património Cultural Intangível da Humanidade e um dos tesouros a descobrir no Museu do Oriente.

 

A primeira visita tem lugar no dia 26 de Maio, às 17.00, e é dedicada aos enredos da ópera chinesa que integram as narrativas fundadoras da Ásia, tais como relatos históricos e mitológicos.

 

Visitas orientadas “A Ópera Chinesa”

Sextas-feiras

Horário: 17.00-18.00

Preço: € 5

Público-alvo: M/16

Participantes: mín. 5-máx. 25

Necessária inscrição

 

Informações adicionais para a Comunicação Social:

Margarida Pereira

Casa da Memória de Guimarães inaugura programa "Espalha Memórias" (maio a setembro)

image001.jpg

 

De maio a setembro, Guimarães descobre-se ou redescobre-se através de um programa de visitas a partir da Casa da Memória

Em maio, a Casa da Memória de Guimarães (CDMG) inaugura o “Espalha Memórias”, um programa de visitas que tem na Casa o ponto de partida mas que daqui sairá para a cidade convidando os participantes a descobrir diferentes percursos, com histórias, tradições, novidades e pessoas, que são a força viva do que este projeto simboliza e materializa. De maio a setembro, Guimarães descobre-se ou redescobre-se através deste programa: do Património Industrial ao Mundial, das Gualterianas a D. Afonso Henriques, por trás das portas, para beber um copo ou para folhear um álbum de retratos. Sempre em boa companhia e muita partilha. No mês da sua estreia, o programa é composto por duas datas e dois temas. O primeiro “Espalha Memórias” acontece no próximo dia 01 de maio, às 10h30, e irá explorar um conjunto de espaços fabris. No dia 20, à mesma hora, há nova saída, desta vez para uma viagem pela arquitetura vimaranense.

 

A primeira sessão do “Espalha Memórias” está agendada para o dia 01 de maio, às 10h30. Numa alusão ao Dia do Trabalhador terá como mote a Indústria Moderna e Contemporânea e propõe um percurso orientado pelo historiador vimaranense Miguel Teixeira a um conjunto de espaços fabris ativos e abandonados. O trajeto, por vezes escondido da ribeira de Couros, os têxteis e os curtumes, a Exposição Industrial de 1884, os quotidianos dos operários serão alguns dos assuntos e lugares a abordar na visita que pretende ser uma conversa sobre a memória coletiva construída a partir de memórias individuais partilhadas.

 

O segundo “Espalha Memórias” acontece no dia 20 de maio, também às 10h30. Ao longo de um percurso pela cidade orientado por João Rosmaninho, vamos visitar, através do olhar da Arquitetura, alguns dos edifícios emblemáticos da contemporaneidade vimaranense: da presença vincada dos mais institucionais à subtil discrição de habitações, sem esquecer os pormenores das recuperações do Centro Histórico. Este é o caminho para conhecer ou reconhecer o olhar dos arquitetos e arquitetas que conceberam estes projetos. 

 

De maio a setembro, a Casa da Memória propõe, assim, (re)descobrir Guimarães, levando os participantes à rua e convidando-os a serem parte ativa na exploração e disseminação da memória individual e coletiva desta histórica cidade.

 

As descobertas pela cidade já têm dias marcados até setembro. No dia 10 de junho, Eduardo Brito propõe uma deriva pela memória da cidade através da memória das fotografias. No dia 24 de junho, Raul Pereira deslinda a história de Guimarães e o dia 01 de Portugal. No dia 15 de julho, o “Espalha Memórias” organiza uma visita à Associação Artística da Marcha Gualteriana onde haverá ainda tempo para construir uma figura alegórica. No dia 05 de agosto, Samuel Silva será o guia convidado de um percurso pelas tascas de Guimarães. A 09 de setembro, o “Espalha Memórias” está a cargo de Ricardo Rodrigues que vai desvendar Guimarães Património Mundial, pela obra de Fernando Távora. A última sessão está agendada para 16 de setembro, com Maria Manuel Oliveira a mostrar o “Toural: antes e agora”. O “Espalha Memórias” é uma atividade gratuita e terá sempre como ponto de encontro a Casa da Memória.

 

 

Visita à cidade templária de Tomar por Paulo Loução | Sábado, 20 de Maio

d0ea2442-ecb6-4294-81db-c7445cd485a5.jpg

 

Sábado, 20 de Maio | 8h às 21h

                                             VISITA À CIDADE TEMPLÁRIA DE TOMAR

                                     O Mistério Templário desde a Formação de Portugal
                                                     ao Projecto dos Descobrimentos


                                                       por Paulo Alexandre Loução
                                        Autor de «Os Templários na Formação de Portugal»
 

Programa:
. 8h00 – Saída Espaço Arkhé, Algés-Miraflores;
. 8h30 – Paragem em Lisboa, junto à Faculdade de Direito, na Cidade Universitária;
. 10h30 – Visita à igreja templária de Santa Maria do Olival, primitivo templo da Ordem em Tomar, panteão dos seus mestre, e no tempo da Ordem de Cristo foi igreja matriz de todas as paróquias de além-mar.
. 12h30 – Visita à Igreja de São João Baptista, onde se encontra o enigmático óleo de Gregório Lopes, «Melquisedeque e Abraão»;
. 13h30 – Almoço;
. 15h00 – Visita ao Castelo templário e ao Convento de Cristo. Destaca-se explicação do simbolismo do Pórtico Sul, da Charola, da famosa janela manuelina, dos enigmáticos símbolos das estelas templárias e da Ordem de Cristo (a maior colecção de estelas templárias do mundo), e da pedra de fundação da Torre de Menagem, de origem romana e dedicada ao espírito do lugar;
. 18h00 – regresso a Lisboa e Algés. Chegada prevista por volta das 20h30-21h00.

Paulo Alexandre Loução é o autor das obras «Os Templários na Formação de Portugal», «Portugal – Terra de Mistérios» e «Dos Templários à Nova Demanda do Graal» e é um dos investigadores convidados pelo Canal História para diversos documentários, entre eles o dedicado aos Templários na Península Ibérica. Algumas referências nos media:

Revista UP da TAP sobre a visita a Tomar,
http://upmagazine-tap.com/pt_artigos/tomar-cidade-templaria/

no Público sobre o Portugal a (re)descobrir, com alma:
http://fugas.publico.pt/Viagens/299147_ha-um-portugal-magico-para-redescobrir?pagina=-1

e no ABC de Espanha:

http://www.abc.es/internacional/20131117/abci-templarios-portugal-tomar-201311152016.html

 

Valor da participação: 60 € (45 € para Membros da Nova Acrópole), inclui transporte, almoço, entradas nos monumentos e envio de documentação sobre o tema da viagem. Valor sem transporte: 45 € (encontro às 10h30 junto à entrada da Igreja de Santa Maria do Olival, em Tomar); Pagamento antecipado por transferência.


                                                        Informações e inscrições:
                                                   oeiras-cascais@nova-acropole.pt
                                                             Tlm. 963 925 758

                                                         Inscrições até 16 de Maio

Castelos de Palmela e Lisboa unidos por visita encenada Almenara | Dia Internacional dos Monumentos e Sítios

Castelo de Palmela - interior.jpg

 

 

 

No dia 18 de abril, o Município de Palmela, em parceria com a EGEAC – Serviço Educativo do Castelo de S. Jorge, promove a iniciativa “Em Família no Museu”, com a realização da visita encenada Almenara.

            Esta visita, que assinala o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, tem início no Castelo de Palmela, às 10h30, seguindo-se almoço piquenique e visita ao Castelo de S. Jorge, em Lisboa, durante a tarde, com regresso a Palmela às 17 horas.

            A iniciativa evoca o episódio em que, após a vitória na batalha dos Atoleiros, em 1384, o Condestável D. Nuno Álvares Pereira acendeu grandes fogueiras – Almenaras - no Castelo de Palmela para alertar o Mestre de Avis, cercado em Lisboa pelos castelhanos, de que a ajuda estava próxima.

            O Dia Internacional dos Monumentos e Sítios é celebrado, este ano, sob o tema “Património Cultural e Turismo Sustentável”. A ligação histórica entre os dois monumentos nacionais dá o mote para este projeto de parceria, que contribui para o desenvolvimento cultural e turístico da região, favorecendo o fluxo de visitantes entre as duas margens do Tejo.

De armazém portuário a Museu do Oriente | Visita guiada assinala o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios

De armazém portuário a Museu do Oriente

Visita guiada assinala o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios

 

O Museu do Oriente associa-se às celebrações do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, este ano subordinado ao tema “Património Cultural e Turismo Sustentável”, com a organização de uma visita orientada ao seu edifício, classificado como Monumento de Interesse Público, no dia 18 de abril, terça-feira, às 11.00, com entrada livre.

 

Desenhado pelo arquitecto João Simões, em 1939, o edifício Pedro Álvares Cabral, onde está instalado o museu, albergava [até 1992] os Armazéns Frigoríficos da Comissão Reguladora do Comércio do Bacalhau do Porto de Lisboa. De traça modernista, conotada com o estilo e iconografia do Estado Novo, esta construção portuária enquadrava-se no espírito racionalista que representava a tendência da época e que levaria à construção das gares marítimas de Alcântara e da Rocha do Conde de Óbidos.

 

Anteriormente dividido em 50 câmaras frigoríficas, zonas de tratamento dos alimentos, armazéns, casa das máquinas e um ginásio para os trabalhadores, o edifício caracteriza-se pela ausência de fenestrações e pelos painéis exteriores com baixos-relevos do escultor Barata Feyo.

 

Respeitando a essência arquitectónica do edifício, mas adaptando-o interiormente ao novo uso, a requalificação é assinada pelos arquitectos João Luís Carrilho da Graça e Rui Francisco, com enquadramento paisagístico de Gonçalo Ribeiro Telles, passando actualmente a dividir-se por seis pisos, compostos por áreas expositivas, Reservas, Serviço Educativo, Centro de Documentação, Restaurante, Auditório e Centro de Reuniões.

 

A transformação deste edifício industrial num equipamento cultural moderno enquadra-se na tendência que se observa nas grandes cidades portuárias europeias, onde antigos pólos de actividade comercial foram reabilitados para fins culturais, contribuindo para a revitalização dos respectivos tecidos urbanos.

 

“Um espaço. Vários projectos.”

Visita orientada ao edifício Pedro Álvares Cabral

18 de Abril – Dia Internacional dos Monumentos e Sítios

Horário: 11.00-12.00

Público-alvo: M/16

Participantes: máx. 30

Gratuito (é necessária inscrição)

 

Museu do Oriente, Avenida Brasília | Doca de Alcântara (Norte) | 1350-362 Lisboa

www.museudooriente.pt

 

Castelos de Palmela e Lisboa unidos por visita encenada Almenara | Dia Internacional dos Monumentos e Sítios

Castelo de Palmela - interior.jpg

 

 

 

No dia 18 de abril, o Município de Palmela, em parceria com a EGEAC – Serviço Educativo do Castelo de S. Jorge, promove a iniciativa “Em Família no Museu”, com a realização da visita encenada Almenara.

            Esta visita, que assinala o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, tem início no Castelo de Palmela, às 10h30, seguindo-se almoço piquenique e visita ao Castelo de S. Jorge, em Lisboa, durante a tarde, com regresso a Palmela às 17 horas.

            A iniciativa evoca o episódio em que, após a vitória na batalha dos Atoleiros, em 1384, o Condestável D. Nuno Álvares Pereira acendeu grandes fogueiras – Almenaras - no Castelo de Palmela para alertar o Mestre de Avis, cercado em Lisboa pelos castelhanos, de que a ajuda estava próxima.

            O Dia Internacional dos Monumentos e Sítios é celebrado, este ano, sob o tema “Património Cultural e Turismo Sustentável”. A ligação histórica entre os dois monumentos nacionais dá o mote para este projeto de parceria, que contribui para o desenvolvimento cultural e turístico da região, favorecendo o fluxo de visitantes entre as duas margens do Tejo.

Próxima semana, no MAAT: Programação Especial, Visitas Orientadas e Oficinas Criativas

image012.png

 

17 de abril de 2017

Inscrição obrigatória

 

No âmbito do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, oMAAT tem preparada uma programação especial para o dia 17 de abril. Com vista a comemorar o património português e a contribuir para uma maior consciência da necessidade de conservação e proteção, o mais recente museu de Lisboa preparou três visitas guiadas, gratuitas para os visitantes do museu. Inscrição obrigatória.

 

- Espaços Legíveis – Visita Temática Arquitetura

12h30

Crianças maiores de 11 anos e adultos

 

- Visita Percurso Secreto – Visita às zonas da Central que estão habitualmente fechadas ao público

15h00

Crianças maiores de 12 anos e adultos

 

- Visita à exposição Utopia/Distopia, a primeira ‘exposição-manifesto do novo edifício do MAAT

16h00

Crianças maiores de 7 anos e adultos

 

Mais informações aqui.

 

 

VISITA ORIENTADA

 

Memórias da democracia

Visita orientada

image013.jpg

 

22 de abril de 2017

17H00

Preço: 5€

 

Nesta visita, propõe-se descobrir as estratégias, os processos criativos e os "pontos de vista" que José Maçãs de Carvalho registou sobre uma comunidade de mulheres filipinas em Hong Kong, os seus hábitos coletivos e a sua relação com o espaço público. Através de um olhar distanciado (geograficamente) mas simultaneamente próximo de todos nós, o artista questiona a cidade como metáfora da condição humana. Uma visita com Renato Santos.

 

Mais informações aqui.

 

 

OFICINAS CRIATIVAS

 

O Amarelo Escondido na Mão

Oficina Criativa

image014.jpg

 

22 de abril de 2017

16H00-17H00

Bebés dos 18 aos 36 meses

Preço: 5€ por criança + 1 adulto, com 50% de desconto na inscrição do segundo filho

 

Oficina sensorial para bebés dos 18 aos 36 meses que pretende ser um lugar de descoberta e de criação em família a partir da exposição Dimensões Variáveis, patente no MAAT. Um lugar para a construção coletiva a partir de cores, formas, sons, texturas, cheiros e volumes.

Mais informações aqui.

 

 

A Magia do Eletroíman

Oficina Criativa

image015.jpg

 

23 de abril de 2017

14h30 – 15h30

Maiores de 9 anos

Preço: 5€

 

Uma viagem pelo mundo da eletricidade onde os participantes são desafiados a descobrir o que é um eletroíman, como se constrói e qual a sua utilizada. No fim, os mais pequenos aplicam o que aprenderam num jogo.

Mais informações aqui.

 

 

 

Dia Nacional dos Moinhos e Dia Internacional dos Monumentos e Sítios

Dia Nacional dos Moinhos e Dia Internacional dos Monumentos e Sítios

 

A Câmara Municipal do Barreiro associa-se às comemorações do Dia Nacional dos Moinhos e do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios com as seguintes iniciativas, abertas à população:

 

Flyer Moinhos (3).jpg

 

- Dia Nacional dos Moinhos | 7, 8 e 9 abril | das 10h30 às 12h30 e das 14h30 às 16h30 – Moinho Nascente de Alburrica aberto para visitas

 

Flyer Monumentos 17.jpg

 

- Dia Internacional dos Monumentos e Sítios | 18 de abril | 10h30 – Visita acompanhada às Igrejas de Santa Cruz e Nossa Senhora do Rosário

Local de Encontro: Praça de Stª Cruz

Limite de inscrições: 20 pessoas

Data limite para inscrições: 13 de abril

 

Mais informações e inscrições:

Posto de Turismo, Mercado Municipal 1º de Maio

Telefone 21 206 82 87

Email: postodeturismo@cm-barreiro.pt

 

 

CMB