Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

“Um bouquet de rosas e outros conflitos” na Biblioteca Municipal

A Biblioteca Municipal do Barreiro irá acolher a 23 de setembro, sábado, a exposição de artes visuais “Um bouquet de rosas e outros conflitos”, de Ana Nogueira e Fernanda Martins. A inauguração está agendada para as 17h00.

A exposição estará patente ao público até 30 de outubro. 

 

Cartaz_exposição_Rosas (004).jpg

 

Inserido no projeto “Conhecer a Guerra Defender a Paz”, “o trabalho apresentado em exposição resulta de um processo de interiorização dos conceitos de guerra e de paz por parte das autoras, mobilizando a perceção destes fenómenos através dos sentidos, da experiência vivida e mobilizando competências de expressão criativa. Sendo um tema abrangente, Ana e Fernanda, exploraram-no em diferentes perspetivas pessoais.

É possível traduzir guerra e paz, em conflito e quietude interiores, na relação do eu com o mundo.

Um bouquet de rosas é um recurso estilístico para melhor revelar a complexidade desta dicotomia guerra/ paz. Tal como no poema de Vinicius, a mais bela flor pode servir para representar a fealdade. O prazer da contemplação, o perfume fresco coexiste na mesma figura metafórica com a dor, a decadência humana. Na verdade, a complexidade reside nesta confluência de todos os males com a realização construtiva do ser humano. Caos e sistema coabitam, por vezes inexplicavelmente articulados. A força criativa da exposição está na expressão desta perplexidade sobre a existência humana: individual e coletiva”.

 

Biografias

Ana I.M. Nogueira – “A sua formação profissional/académica abrange as artes visuais e a educação em arte. O desenho e as artes performativas são áreas que têm despertado interesse, tendo realizado intervenções artísticas neste âmbito, como o projeto Home, patente no Pavilhão do Conhecimento em 2014, Lisboa ou a exposição Variações de um Rio, na galeria de exposições da Câmara Municipal de Palmela, em 2015. Artista e professora: na sua atividade criativa recorre a um processo autobiográfico, porque acredita que o desenvolvimento individual é uma fonte de reflexão e produção artísticas”.

 

 

Maria Fernanda C. Martins – “Com formação profissional e académica em Design e Arquitetura, tem desempenhado funções docentes no âmbito das artes visuais. A expressão artística através do desenho e da pintura são as áreas de realização pessoal. As exposições, individuais e colectivas, em Setúbal, em Palmela, no Barreiro e em Lisboa, como, “As imagens da Alma”, em 1995, no ISPA de Lisboa, constituem pontos marcantes na sua atividade artística. O apelo à realização artística constitui desde sempre, uma forma de se interrogar e de desenvolver competências técnicas e criativas no seu envolvimento pessoal e coletivo com o mundo”.

 

 

 

 

 

1 comentário

Comentar post