Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Projecto #filocri

 
Cafés Filosóficos (online)

14 de Setembro - Café Filosófico (online) - Bertrand Livreiros (18h30-20h)

"Podemos todos fazer tudo o que queremos?"


28 de Setembro - Café Filosófico (online) - Bertrand Livreiros (18h30-20h) 

"O que é uma pessoa?"

 

Tudo começa com uma pergunta, seguida de uma proposta de exercício de pensamento crítico.

É natural que, ao princípio, os participantes sintam algum desconforto, tal como acontece no primeiro dia do ginásio; só que aqui são os músculos do pensamento que vão sentir-se incomodados. Só com a persistência e a insistência será possível superar este desconforto, focando no objectivo final: um pensamento flexível, resistente, adaptável, capaz de traduzir ideias em palavras, de defender uma posição e/ou de mudar de ideias.

Para pessoas que, independentemente dos seus conhecimentos no âmbito da filosofia, aceitam o desafio para praticar o parar para pensar

 

 

Formação  (para não filósofos) na área da filosofia


17 de Setembro - início da oficina A perguntar é que a gente se entende (online)

Mais info: https://joanarssousa.blogs.sapo.pt/novas-datas-oficina-a-perguntar-e-que-a-597931 


18 de Setembro - #FilosofiaAoVivo no instagram e no twitter, às 12h30, com o convidado Jean-Paul Sartre

O que é a #FilosofiaAoVivo? 

artigo MAGG 

https://magg.sapo.pt/cultura/artigos/em-tempos-de-pandemia-joana-usa-as-redes-sociais-para-por-o-pais-a-filosofar

artigo Público

https://www.publico.pt/2020/05/21/p3/noticia/sextafeira-joana-tira-filosofia-livros-levaa-redes-sociais-1915585 

 

SNBA comunica a abertura da exposição João da Silva (1880-1960) o escultor animalista

A SNBA informa que a exposição João da Silva: o escultor animalista, apresentada no Salão, de 28 de julho até 26 de setembro, encontra-se inserida na programação da Lisboa Capital Verde Europeia 2020 e é de entrada gratuita, de segunda a sexta-feira entre as 12h00 e as 19h00 e aos sábados, entre as 14h00 e as 19h00. Encerra aos domingos e dias feriados.

João da Silva (1880-1960), expoente da escultura simbolista, é também o grande inovador da medalha cunhada em Portugal. Esta exposição apresenta a sua vertente animalista, peças surpreendentes em que os jovens animais se suspendem no gesto, nos movimentos ágeis e momentâneos: patos, cabritos, gamos, perus, burritos, entre tantos outros, fazendo quase esquecer o exigente rigor do seu cinzelador, trabalho que tornou João da Silva tão apreciado tanto em Portugal, como no Brasil e em França, onde foi reconhecido no Salon de Paris de 1908, ou na Alemanha, onde foi editado pela casa Rosenthal.

Na primeira quinzena do mês de setembro, será apresentado um livro com a chancela SNBA, alusivo à exposição e ao trabalho do escultor João da Silva, em particular.

 

Câmara Municipal de Palmela | Programa Vindimas 2020 evoca festa emblemática de Palmela

 

Festa Vindimas.png

 

O Programa Vindimas 2020, iniciativa da Associação das Festas de Palmela – Festa das Vindimas, evoca, este ano, a festa emblemática de Palmela, que não se realizará nos moldes habituais devido ao contexto de pandemia.

 

Com o mote “Por Amor a Palmela”, celebra-se, deste modo, a essência destes festejos, com 57 anos de história – o vinho, o trabalho da terra que dá origem a néctares tão qualificados e generosos e as gentes que os produzem.

 

Tendo por base as normas de segurança relativas à saúde pública, a organização recriou algumas das iniciativas que compõem o programa - espectáculos, animação itinerante, provas desportivas, provas de vinho comentadas, sunsets, com o espumante da região em destaque, um curso de iniciação à prova de vinhos, um concerto em formato “drive-in” com Miguel Azevedo ou o Talk Show “A Rainha Não Vem Sozinha”, com Jorge Serafim, Toy e The Peakles, entre outras atividades. Na vertente mais tradicional e simbólica do certame, destaque para a realização da Pisa da Uva e da Benção do 1º Mosto.

 

O encerramento da Festa da Vindimas acontecerá no dia 27, no Cineteatro S. João, com o espectáculo “Novo TANGO Velho”, pelos Terra.

 

O Município de Palmela apoia este programa com a atribuição de um comparticipação financeira no valor de 25 mil euros, além do apoio logístico, estimado em 1.500 euros e utilização do Cineteatro S. João e outros equipamentos municipais estimada em 2.050 euros.

 

Mais informações em www.festadasvindimas.pt e www.facebook.com/festadasvindimas.

 

Programa:

 

 

4 de Setembro | Sexta-feira

21h30 – Sessão Solene

Lançamento da Revista “Vindimas 2020” e apresentação da Marcha das Vindimas

Local: Cineteatro S. João

 

1ª. Rampa Virtual “Vindimas 2020”

A decorrer entre os dias 4 e 8

Inscrições: https://forms.gle/B3vB2SamHkG2Liw96

Informações: desporto.festadasvindimas@gmail.com

 

 

5 de Setembro | Sábado

 

17h00 – FUNPARRA

Desfile

Local: Ruas de Palmela

 

21h30 – Talk Show “A Rainha Não vem Sozinha”

Com: Jorge Serafim|The Peakles|Toy

Local: Cineteatro S. João

Bilhetes: Cineteatro S.João e BOL – Bilheteira online

 

 

6 de Setembro | domingo

 

11h00 – Pisa da Uva e Benção do 1.º Mosto

Local: Largo do Município

 

12h00 – Missa de Ação de Graças

Local: Igreja Matriz de São Pedro

 

17h00 – Grupode Animação Itinerante

 

 

18h00 – New Music Collective

Local: Anfiteatro do Parque Venâncio Ribeiro da Costa

Bilhetes: Cineteatro S. João e BOL – Bilheteira online

 

 

11 de Setembro | sexta-feira

 

Btt Paper Virtual

A decorrer entre os dias 11 e 14 

Informações: desporto.festadasvindimas@gmail.com

 

 

21h30 – Concerto pela Banda da Sociedade Filarmónica Humanitária

Local: Coreto do Largo de S. João

 

 

12 de Setembro | sábado

 

21h30 – Drive-In com Miguel Azevedo

Local: Parque de estacionamento detrás de S. Pedro

Bilhetes: Cineteatro S. João e BOL – Bilheteira online

Traga também um alimento para pessoa ou animal (reverte para o Banco Solidário de Alimentos e/ou Quintinha ABC)

 

 

13 de Setembro | domingo

 

17h00 – Prova Comentada

Vinhos Monocasta vs. Multicasta

Local: Biblioteca Municipal de Palmela

Bilhetes: Cineteatro São João e BOL – Bilheteira online

 

17h00 – Grupo de Animação Itinerante

Desfile

 

 

18 de Setembro | sexta-feira

 

19h00 – Sunset Dinner

Espumantes de eleição, as novas pérolas da região

Local: Casa do Castelo

Informações: geral@festadasvindimas.pt

 

 

 

19 de Setembro | sábado

 

08h30 – Mini Torneio de Futebol Vindimas 2020

Local: Campo Cornélio Palma

 

15h00 / 19h00 – 15ª. Prova de Orientação

Local: Vila de Palmela - recolha de mapa no Largo de S. João

 

20h00 – Adiafa no Castelo

Animação Musical: Diana Cravo Duo

Local: Bobo da Corte

Informações: geral@festadasvindimas.pt

 

  

20 de Setembro | domingo

 

17h00 – Prova comentada

Combate de Castelões –Areias vs. Calcários

Local: Biblioteca Municipal de Palmela

Bilhetes: Cineteatro S. João e BOL - Bilheteira online

Informações: geral@festadasvindimas.pt

 

 

18h00 – Grupo de Animação Itinerante

 

18h00 – Coral Loureiros - Concerto à Janela

Local: Largo do Touril

 

 

25 de Setembro | sexta-feira

 

19h00 – Sunset

Espumantes de eleição, as novas pérolas da região

Local: WineLove

Informações: geral@festadasvindimas.pt

 

 

21h30 – Grupo de Guitarras da S.I.M.

Com Carmen Matos,Carolina Matos e Vanessa Cabral

Local: Cineteatro S. João

 

26 de Setembro | sábado

 

14h30 –Curso de Iniciação à Prova de Vinhos

Por Gonçalo Patraquim

Local: Biblioteca Municipal de Palmela

Informações: geral@festadasvindimas.pt

 

15h00 – Festival de Natação Virtual

Inscrições: geral@palmeladesporto.pt

Local: Piscina Municipal de Palmela

 

 

20h00 – Rally Paper

Informações: desporto.festadasvindimas@gmail.com

Local: Concelho de Palmela

 

20h00 – Jantar Vínico

Animação Musical: David Piçarra

Local: Foyer do Cineteatro S. João

Informações: geral@festadasvindimas.pt

 

27 de Setembro | domingo

19h00 – Sessão de Entrega de Prémios

Local: Cineteatro S. João

 

21h30 – Espetáculo de Encerramento com os TERRA

"novo TANGO velho"

Pedro Santos - acordeão

João Pedro Silva - saxofone

Romeu Santos - contrabaixo

YanMikirtumov - piano

Graciana Romeo & Juan Capriotti - Bailarinos convidados

Local: Cineteatro S. João

Bilhetes: Cineteatro S. João e BOL Bilheteira online

 

 

 

Data por definir:

Concerto Vindimas com Orquestra Loureiros

Local: Cineteatro S. João - Palmela

 

 

 

A cultura não para: FNAC Live Box Edition com 2 palcos, 7 concertos e entrada gratuita

443b2083-73e0-4a4e-82c0-49879dce14cb.jpg

 

No dia 1 de outubro, Dia Mundial da Música, o Coliseu dos Recreios vai encher-se de talento para um festival único, o FNAC Live Box Edition. Num ano marcado pela suspensão dos festivais de verão, a FNAC mantém o seu compromisso em promover a cultura portuguesa, numa iniciativa que combina, entre dois palcos, nomes consagrados da música e talentos emergentes do panorama musical nacional. 

O FNAC Live Box Edition arranca às 21h no palco principal do Coliseu com o vencedor do concurso Novos Talentos FNAC 2020, Castilho, seguindo-se a atuação de Grand Sun no palco Novos Talentos. Às 21h45, é a vez dos Clã subirem ao palco principal. Segue-se a atuação de David Fonseca e, a fechar esta noite memorável, Lena D’Água. Entre as atuações destes grandes nomes da música portuguesa, Neon Soho e Maudito atuam no palco Novos Talentos. 
 
Ao longo da noite, Salvador Martinha e Inês Lopes Gonçalves vão também fazer um acompanhamento especial do festival. 
 
Para garantir a segurança de todos e seguindo as normas atuais, não haverá circulação de pessoas entre palcos, mas cada plateia terá acesso ao que se está a passar no outro palco através de uma projeção em direto. 
 
A entrada, como habitualmente, será gratuita e o Coliseu terá uma lotação de 1300 pessoas. Em breve serão divulgados todos os detalhes sobre quando e onde poderão ser levantados os bilhetes de acesso ao festival. 
 
O FNAC Live Box Edition conta com o patrocínio da Repsol, com os apoios do Sapo, Antena 3, Radar | Oxigénio, Hipnose e com o parceiro de bilheteira FNAC, o Coliseu dos Recreios.
 

Está quase a chegar o Lisboa na Rua

011d725e-16df-4712-993a-02c8b7f3665b (1).jpg

 

Lisboa na Rua está de regresso, animando a cidade com cinema, música, teatro e dança, mas este ano com um programa um pouco diferente e com algumas regras.
 
Escolhemos espaços e locais da cidade que permitam manter a devida distância e com acesso limitado para podermos, assim, regressar devagar à cidade, e celebrar a cultura ao ar livre e em segurança, através de uma programação multidisciplinar entre 13 de agosto e 27 de setembro. A entrada é gratuita em todos os eventos, mas sujeita, obrigatoriamente, a inscrição ou levantamento prévio de bilhete.
 
Abrimos o programa com o Festival Política (que normalmente acontece em abril) no Cinema São Jorge que apresenta propostas variadas durante 4 dias (entre 13 e 16 de agosto), num convite à reflexão sobre a temática do Ambiente e do desenvolvimento sustentável, no ano em que Lisboa é a Capital Verde Europeia.
 
Celebramos também a Capital Verde com a estreia de “Outro Olhar”, uma instalação artística da dupla de artistas Luke Egan e Pete Hamilton (do Reino Unido), que se destacou pela sua inovação no panorama internacional de arte urbana e que durante um mês dará vida às árvores um pouco por toda a cidade
 
Em setembro assinalamos um aniversário muito especial, os 70 anos de Jorge Palma, com um concerto exclusivo que será transmitido online no Facebook da Câmara Municipal de Lisboa e EGEAC – Cultura na Rua, no dia 12, pelas 21h30. Neste espetáculo, intitulado “70 Voltas ao Sol”, o cantor, compositor e músico estará ao piano, acompanhado por uma pequena orquestra e com Cristina Branco e Dead Combo, como convidados.
 
Ainda antes, nos primeiros dias de setembro, continuamos a celebrar Amália, dando voz à diva maior do Fado, desta vez no grande ecrã com “Amália no Cinema”, um ciclo de cinema no jardim do Museu de Lisboa - Palácio Pimenta. Quatro filmes protagonizados por Amália e comentados, ao vivo, por vários convidados.
 
O jardim do Museu de Lisboa, será igualmente palco para o Dançar a Cidade. Um desafio para experimentar vários estilos de dança, ao ar livre e a solo, que se estende ao Palácio Baldaya (em Benfica), todos os domingos de setembro.
 
Na Estufa Fria apresentamos, especialmente para os mais novos, mais uma das Antiprincesas, dando a conhecer, desta vez, a médica feminista Beatriz Ângelo em histórias dramatizadas com sessões de manhã e à tarde, durante todos os fins de semana também do mês de setembro.
 
Ainda no âmbito da Capital Verde Europeia, o festival Lisboa Soa (24 a 27 de setembro) ocupará vários locais da cidade com esculturas sonoras, e a comunidade de leitura em espaços verdes Ecotemporâneos instala-se na Quinta da Alfarrobeira (em São Domingos de Benfica), para mais duas sessões à volta dos livros, desta vez protagonizadas por Jorge Silva Melo (29 de agosto) e Gisela João (27 de setembro).
 
Nesta edição do Lisboa na Rua reservamos música clássica para todos, com a Orquestra Gulbenkian e os seus Solistas a interpretarem obras intemporais em três concertos de entrada gratuita. Continuamos também a aliar a cultura à descoberta de novos lugares e é a isso mesmo que convida a Open House, este ano num novo formato, com um programa de passeios sonoros realizado apenas no exterior.
 
Entre agosto e setembro o Lisboa na Rua convida ainda a ver Cinema no Estendal, a desfrutar dos festivais Bairro em FestaFUSOLisboa Mágica e Chapéus na Rua ou a ouvir música experimental nas Noites de Verão da Galeria Quadrum (em Alvalade) e também no espaço O’Culto da Ajuda com Formações Extraordinárias.
 
Este ano a ilustração do programa tem a assinatura de AKA Corleone (alter ego de Pedro Campiche), numa combinação original de cores, personagens e formas que caracterizam este artista visual natural de Lisboa.
 
Toda a programação em www.culturanarua.pt 

Exposição ORDEM MILITAR DA TORRE E ESPADA - 80 ANOS DO GRANDE-COLAR

OrdemTE_3.JPG

 

Por ocasião dos 80 anos do Grande-Colar da Ordem Militar da Torre e Espada (2019), o Museu organiza uma exposição evocativa da condecoração mais alta do Estado português. 
O Presidente da República é por inerência o Grão-Mestre das Ordens Honoríficas Portuguesas, que se constituem como um dos núcleos permanentes do Museu e, portanto, uma área de interesse e investigação da colecção.
Na exposição, pode acompanhar a evolução e história da condecoração, conhecer o seu valor simbólico e todos os agraciados, bem como, o seu valor artístico e os experientes artífices que lhe dão forma.
EXPOSIÇÃO - ORDEM MILITAR DA TORRE E ESPADA - 80 ANOS DO GRANDE-COLAR
LOCAL - Museu da Presidência da República
DATA - 1 de agosto a 1 de novembro
HORÁRIO - 10h00 às 13h00 e 14h00 às 18h00
Entrada incluída no bilhete do Museu
Contactos - 21 361 46 60 | museu@presidencia.pt | sítio web | facebook

No Centro de Experimentação Artística - Vale da Amoreira: Município da Moita implementa projeto multidisciplinar “Sons, Ritmos e Cores”

No Centro de Experimentação Artística - Vale da Amoreira

CEA.jpg

 

O Município da Moita viu aprovada a candidatura ao Programa Operacional Portugal 2020 (Fundos Europeus Estruturais e de Investimento - PorLisboa2020), Prioridade de Investimento 9.1 do programa Cultura para Todos, com o projeto "Sons, Ritmos e Cores”. Com áreas de intervenção na música, dança e imagem, este projeto multidisciplinar visa a capacitação dos participantes nestas vertentes artísticas e o desenvolvimento de competências pessoais e sociais.

A definição destas três áreas partiu do reconhecimento da sua centralidade no campo das práticas artísticas com expressão no território do concelho da Moita, tendo como duplo objetivo alcançar membros da comunidade mais afastados dos circuitos habituais das práticas culturais, mas também aprofundar a participação daqueles que, formal ou informalmente, mantêm algum tipo de ligação.

 

Com esta candidatura, a autarquia pretende assim promover a inclusão social através das práticas artísticas, contribuindo para a aquisição de competências no domínio social, pessoal e técnico, com vista à promoção da igualdade de oportunidades, à participação ativa e à melhoria da empregabilidade. Por considerar que as artes e a cultura são condições essenciais para o desenvolvimento pessoal e participação plena dos indivíduos na sociedade contemporânea, o Município da Moita pretende, com este projeto, em particular, que esses sejam recursos privilegiados de capacitação e empoderamento social.

 

O projeto “Sons, Ritmos e Cores”, que será desenvolvido no Centro de Experimentação Artística, no Vale da Amoreira, irá incluir a instalação de um Estúdio Comunitário e a realização de Oficinas de Captação, Mistura e Masterização, Produção Musical, Escrita Criativa, Voz, Teoria Musical, Dança e Vídeo, e tem como destinatários jovens e adultos a partir dos 14 anos, sem limite de idade.

A participação é gratuita.

Mais informações podem ser obtidas pelo T. 211 810 030 ou 936 866 903 ou email cea@mail.cm-moita.pt.

 

Teatro no Fórum Cultural - Baixa da Banheira

ermelinda do rio crédito Vitorino Coragem (2).jpg

 

“Ermelinda do Rio, Noturno Para Voz e Concertina”

 

Com encenação e interpretação de Maria João Luís e texto de João Monge, “Ermelinda do Rio, Noturno Para Voz e Concertina”, pelo Teatro da Terra, sobe ao palco do Fórum Cultural José Manuel Figueiredo, na Baixa da Banheira, no dia 26 de setembro, pelas 21:30h.

 

“Noturno para Voz e Concertina é o subtítulo do testemunho dorido de quem perdeu grande parte da família na maior catástrofe natural em Portugal, desde o terramoto de 1755. As cheias do Tejo a 26 de novembro de 1967, no Ribatejo e arredores de Lisboa, serviram de inspiração para João Monge escrever, na primeira pessoa, um poema narrativo pelos olhos de uma menina e de sua mãe que vivem a tragédia de sobreviver para assistir impotentes ao desaparecimento da sua família, de amigos, de conhecidos. Bastou uma noite de chuva, como tantas outras, para que, de madrugada, o mundo estivesse virado do avesso. “A noite do fim do mundo”, como alguém lhe chamou, 50 anos depois, é ainda hoje uma história mal contada. O Portugal de Salazar não quis que a tragédia falasse da sua real dimensão. Maria João Luís, naquele dia com 4 anos, é uma dessas pessoas que juntamente com o pai, a mãe e irmão, sobreviveram àquela noite de novembro. Ermelinda do Rio é assim um poema vivido por Maria João Luís, que ela própria encena, numa auto expiação dos seus fantasmas que ainda hoje a visitam, de tempos a tempos.

Texto: João Monge | Encenação: Maria João Luís | Com Maria João Luís e os músicos Miguel Leiria Pereira, Sofia Pires e Sofia Queiroz Ôre-ibir | Música para três contrabaixos: José Peixoto | Cenografia: José Carretas | Desenho de luz: Pedro Domingos | Produção executiva: Rita Costa | Assistência de encenação e design gráfico: Clarisse Ricardo | Pintura do cartaz: Soledad Lagruta | Fotografia de cena: Vitorino Coragem | Assistência de produção: Filipe Gomes | Direção de produção: Pedro Domingos | Produção: Teatro da Terra 2019.

 

 

Destinatários: Geral | M/12 anos

Duração: 55 min.

Bilhete: 3,56 euros

Lotação limitada, sendo periodicamente avaliada de acordo com as indicações da DGS.

 

 

Reserva de Bilhetes (a partir de 16 de setembro):

Fórum Cultural José Manuel Figueiredo

Rua José Vicente, Baixa da Banheira

Tel. 210888900


Horário da Bilheteira: terça-feira a sábado, das 14:30h às 19:30h. Dias de espetáculo e cinema: uma hora antes do início do espetáculo ou sessão; encerra aquando do início do espetáculo ou sessão.

As reservas têm que ser levantadas até à véspera do espetáculo/sessão, com um limite de cinco bilhetes por reserva.

 

O Fórum Cultural José Manuel Figueiredo cumpre todas as normas da Direção-Geral de Saúde para o sector da Cultura.

“O NOSSO REINO” NO FESTIVAL NOUVEAU CINEMA

 

23 de setembro, 2020 – Vila do Conde – Agência da Curta Metragem

O Nosso Reino”, última curta-metragem de Luís Costa, terá a sua estreia internacional na 49ª edição do Festival du Nouveau Cinema de Montreal que irá decorrer de 7 a 18 de outubro, no Canadá.
 
Com produção da Bando À Parte e distribuição da Agência da Curta Metragem, “O Nosso Reino” é o segundo filme do realizador Luís Costa a integrar a competição internacional do Festival du Nouveau Cinema de Montreal e conta com a participação dos atores Afonso Lobo e António Júlio Duarte. O filme, que terá estreia mundial no próximo Curtas Vila do Conde – Festival Internacional de Cinema, é inspirado no romance homónimo de Valter Hugo Mãe e tem como pano de fundo uma aldeia onde o espaço e o tempo se esgotam.
 
“Criar um filme a partir de uma obra anterior pressupõe sempre um desafio natural de gerir a referência e o afastamento dela.” – explica Luís Costa – “Ainda que não siga formalmente a estrutura narrativa do livro do Valter, "O Nosso Reino" tenta compor uma espécie de poema visual que transporta o peso da obra literária, trabalhando a ideia de um tempo e espaço suspensos através das personagens e do universo que as rodeia.”
 
Na sua 49ª edição, o festival irá decorrer numa versão mista: presencial e online. O Festival du Nouveau Cinema, é o maior festival de cinema internacional do Quebec e o mais antigo do Canadá, conhecido pela sua programação de qualidade. Mais informações sobre o festival aqui.


​Biografia de Luís Costa:
​Luís Costa nasceu em 1993, no Porto. Em 2014 conclui a Licenciatura de Som e Imagem, na Escola das Artes da Universidade Católica do Porto. Trabalhou em diversos projectos na área audiovisual, tendo as suas duas curtas-metragens de contexto académico sido reconhecidas em vários festivais nacionais e internacionais. Tem também desenvolvido projectos paralelos de fotografia e videoclips, entre outros. É co-fundador e realizador do projecto Pinehouse Concerts e em 2017 estreou “O Homem Eterno”, onde se destaca o prémio Sophia de melhor curta-metragem documental pela Academia Portuguesa de Cinema.

Museu Nacional da Música: Próximos eventos no Museu Nacional da Música

lotação da sala será restringida às primeiras 20 pessoas que fizerem uma reserva pelo email extensao.cultural@mnmusica.dgpc.pt ou, das 11h às 17h, pelo telefone 217710990. APENAS as reservas efectuadas através destes dois contactos serão consideradas válidas.
O uso de máscara é obrigatório e garantiremos todas as normas de distanciamento social e higienização do espaço.
Excertos dos recitais serão gravados e apresentados online, no instagram e facebook do museu.   
 
Estas regras seguirão sempre as recomendações da DGS à data dos concertos estando, por isso, sujeitas a alterações de última hora.
PRÓXIMOS CONCERTOS:
 

QUINTA-FEIRA, 27 DE AGOSTO ÀS 16:00 – 17:00

Entre 1 Sopro -  O bilhete do museu dá acesso ao concerto

 

QUINTA-FEIRA, 3 DE SETEMBRO DE 2020 ÀS 18:00 – 19:00

A Associação dos Amigos do Museu Nacional da Música apresenta:Recital de guitarra clássica | Yuri Marchese - Bilhete: 5 ♪ | Sócios: 3 ♪ 

 

SEXTA-FEIRA, 4 DE SETEMBRO DE 2020 ÀS 17:00 – 18:00

Pianista Fernanda Canaud - Música no Museu - Entrada Livre

SEXTA-FEIRA, 11 DE SETEMBRO DE 2020 ÀS 17:00 – 18:00

 

 

Trio de Harpas - Música no Museu / XV RioHarpFestival - Entrada Livre

QUINTA-FEIRA, 24 DE SETEMBRO DE 2020 ÀS 16:00 – 17:00

 

 

Recital de piano | Anne Kaasa - O bilhete do museu dá acesso ao concerto

 
____________________________________________________________________
 

QUINTA-FEIRA ÀS 16:00 – 17:00

Entre 1 Sopro

Entre 1 Sopro.jpg
 
Entre 1 Sopro é um grupo constituído por três músicos instrumentistas – clarinete, guitarra e percussão – que procura recriar, dentro da sua própria visão musical, um ambiente dirigido principalmente à música lusófona, nomeadamente música popular e tradicional portuguesa, brasileira e luso-africana.
Oriundos de diferentes pontos do país – Figueira da Foz, Cadaval e Alcobaça – os músicos interagem a partir de diferentes experiências culturais adquiridas durante o seu percurso musical e artístico.
https://www.facebook.com/Entre-um-Sopro-164549480911286/
O bilhete do museu dá acesso ao concerto.
 
_____________________________________________________________________________________________
 

QUINTA-FEIRA, 3 DE SETEMBRO DE 2020 ÀS 18:00 – 19:00

A Associação dos Amigos do Museu Nacional da Música apresenta:Recital de guitarra clássica | Yuri Marchese

yuri russo.jpg

 

https://www.yurimarchese.com/
https://www.youtube.com/user/Yuriclassicalguitar
https://www.instagram.com/yurimarchese/

 

Bilhete: 5 ♪ | Sócios: 3 ♪ |

 

Yuri Marchese nasceu em Vitória, capital do estado brasileiro do Espirito Santo. Realizou o Mestrado em Música pela Universidade de Aveiro e é Licenciado em Música pela Universidade Estadual de Londrina Paraná, Brasil. Estudou com Paulo Vaz de Carvalho (UA), Fabio Zanon (SP), Inácio Rabaioli (UEL) e Natanael Fonseca. Realizou sua primeira turnê no exterior aos 22 anos e já se apresentou em importantes cidades no Brasil, em Portugal, na Espanha e na República Tcheca.
Conquistou diversos prémios, com destaque para o 1º Lugar no IX Concurso Jovens Músicos-Música no Museu (Rio de Janeiro, 2017), 1º Lugar e melhor intérprete de música portuguesa no Concurso Internacional de Guitarra de Leiria (Portugal, 2017), 1º lugar no VII concurso FITO (SP, 2012), 2º lugar no X Concurso Nacional Villa-Lobos (Vitória, 2013), 2º lugar no I Concurso Terras de Santo Estevão (Portugal, 2015), entre outros. Entre 2010 e 2014 foi bolsista do Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão, São Paulo.
Participou de vários festivais e séries internacionais de concerto como o Música no Museu (Rio de Janeiro), Violão no Brincante (São Paulo), Toriba Musical (Campos do Jordão), Festival de Música de Londrina, Série Palcos Musicais, Young Prag Festival (CZ), Festival Ponto de Guitarra (Vila Real), Irmão Violão (Aveiro, Porto e Vila Real) e Zêzere Arts Festival (Tomar).
Atua como professor há mais de dez anos priorizando o ensino em regime particular, mas em Portugal colaborou com o Conservatório Regional de Coimbra, Conservatório de Música de Coimbra, Conservatório David de Souza em Figueira da Foz e com a Escola de Música Nossa Senhora do Cabo.
Reside atualmente em Lisboa e iniciará em outubro o doutoramento em Música pela Universidade de Évora.

 

PROGRAMA:


Fernando Sor (1778 - 1839) - Introdução e Variações sobre um tema de Mozart, Op. 9

Mauro Giuliani (1781 - 1829) - Sonata Op. 15
I. Allegro Spiritoso
II. Adagio
III. Finale

Francisco Tárrega (1852 - 1909) - Capricho Árabe

Joaquin Turina (1882 - 1949) - Fandanguillo

Manuel Ponce (1852 - 1909) - Sonatina Meridional
I. Campo
II. Copla
III. Fiesta

 

Fotografia: José Manuel Russo

_____________________________________________________________________________________

 

 

SEXTA-FEIRA, 4 DE SETEMBRO DE 2020 ÀS 17:00 – 18:00

Pianista Fernanda Canaud - Música no Museu

fernanda.jpg

Entrada livre

Projecto MÚSICA NO MUSEU
Organização e direcção: Sérgio da Costa e Silva

 

Programa

Beethoven, Bach e compositores brasileiros



FERNANDA CANAUD, pianista brasileira, é Doutora em Música pela UNIRIO. Trabalhou na organização e fundação da Escola Superior de Música da Universidade Cândido Mendes (Nova Friburgo) e foi sua primeira diretora de 2001 até 2004. Leccionou piano nas Universidades: UNIRIO (RJ) e UNINCOR em Leopoldina (MG) UCAM (NF). Desde 2000, é professora de piano e música de câmara nos cursos Técnico e Básico da Escola de Música Villa-Lobos (RJ).
Paralelamente às suas actividades académicas, actua intensamente como solista, camerista e concertista, sempre interessada na divulgação da música brasileira clássica e popular. Realizou concertos com diversas orquestra brasileiras. No exterior, através do projeto brasileiro Música no Museu, apresentou recitais de piano em Paris, Amsterdão, Todi, Londres, Leeds, Lisboa, Alcobaça, Coimbra, Madrid, Bilbao, Bogotá e diversas cidades dos EUA. Tem 8 CD lançados, por diversas editoras, entre os quais três pela editora Biscoito Fino, além da Obra completa para violoncelo e piano de Radamés Gnattali, pela editora Rádio MEC/ IMS. Em 2016 lançou um DVD nos Estados Unidos pela editora Majestic Mews (EUA): gravação de um recital ao vivo em Las Vegas, com repertório de Música clássica brasileira.
Tem extenso material publicado em vídeo na sua página Fernanda Canaud do YouTube.
Em 2012, recebeu a Medalha da Ordem do Mérito Cultural Carlos Gomes (SP, 2012).
Além de suas atividades como mestre e intérprete, desde Abril de 2017 que actua como directora artística do Projecto de concertos “Domingos Clássicos Internacionais” da Sala Municipal Baden Powell – Rio de Janeiro.
Em 2018 fez a sua estreia no cinema, tocando na banda sonora da longa metragem ANTES QUE EU ME ESQUEÇA, de Tiago Arakilian (filme premiado em diversos Festivais Internacionais, com música original de Caio Márcio Santos).
Em 2019, após uma bem sucedida digressão pela Europa e Líbano, com o projecto MÚSICA NO MUSEU, estabelece-se em Portugal, como pianista acompanhadora e professora da Escola Profissional de Artes da Covilhã - EPABI. Em Julho de 2020, realizou quatro apresentações de concertos clássicos pedagógicos para as famílias nos JARDINS DA COVILHÃ, com o apoio da Câmara Municipal.  



SEXTA-FEIRA, 11 DE SETEMBRO DE 2020 ÀS 17:00 – 18:00

Trio de Harpas - Música no Museu / XV RioHarpFestival

 

triohar.jpg

 

Entrada Livre

 

Projecto MÚSICA NO MUSEU
Organização e direcção: Sergio da Costa e Silva e colaboração do XV RioHarpFestival

 

Trio de Harpas de CLAIRE LE FUR, FLORENCE VIGNER e ALESSANDRA MAGRINI 

PROGRAMA


Haendel, Vivaldi, Bach, Gretry, Tchaikovky

 

CLAIRE LE FUR: harpa
Trabalhou na École Normale de Musique de Paris com Micheline KAHN, Marie-Claire JAMET e Catherine MICHEL: em 1983, para obter o diploma de melhor desempenho (por unanimidade com parabéns do júri) e, em 1984, o diploma de Música de Câmara, o mais alto de Concertist. Trabalhou simultaneamente com Lily LASKINE e Elisabeth FONTAN-BINOCHE em Nice. Desde 1993 que organiza o "Harp Days no Caribe e na Guiana", a cada ano reunindo diferentes artistas em torno deste instrumento.
Participou como harpista clássica em muitos recitais e concertos de música de câmara, por todo o mundo. Gosta de misturar a harpa com disciplinas artísticas de origens muito diferentes (cinema, teatro, poesia, etc.).

FLORENCE VIGNER: harpa
Tem tido profícua convivência com outras culturas musicais, tocando com intérpretes tradicionais de origens diversas: bretões, irlandeses, sul-americanos, africanos, etc.
Em 2007, ingressou no grupo Riituya Shamani, cujas composições são povoadas por sons inspirados nas culturas actuais e ancestrais, onde harpas, percussão e vozes abrem as portas para um universo onírico.
Toca em ensembles de música de câmara, harpa, música antiga ou tradicional e trabalha compositores contemporâneos.

ALESSANDRA MAGRINI: harpa
Nascida em Génova, Itália, Alessandra iniciou oss estudos musicais no Conservatório de Música "Nicolo Paganini" de Génova, onde recebeu um Diploma em Harpa. Continuou os estudos musicais em França com as harpistas Catherine Michel (solista de harpa na Ópera de Paris) e Elisabeth Fontan-Binoche, obtendo, com honras, um diploma em Harp Performance no Conservatório de Música de Antibes
Paralelamente, formou-se com distinção em Literatura Moderna pela Universidade de Génova.
Obteve o primeiro prémio em música de câmara no Conservatório de Paris-Boulogne.
Alessandra é especialista no método Suzuki no Instituto Internacional Suzuki de Turim (Itália) e obteve, recentemente, o primeiro prémio no concurso internacional de harpas da Ufam em Paris.
Actualmente é chefe de estudos de harpa no Conservatório de Música Grasse, em França.
Alessandra colabora regularmente com a Orquestra Filarmónica de MonteCarlo, a Orquestra Filarmónica da Ópera de Nice e com a região de Orchester de Cannes. Gravou dois CDs de música contemporânea (selos Dynamic & Arts) com diferentes conjuntos e participou da gravação das obras-primas de Debussy com a Orchester Philharmonique de Monte Carlo.
Actua regularmente como músico de câmara e faz parte do Artemisia Trio com a flautista colombiana Tânia Castro e a violista espanhola Inès Lopez,
Toca também num ensemble de harpa e quinteto. Como artista convidada em importantes festivais e temporadas, apresenta-se regularmente na Europa, EUA, Canadá, Líbano, Martinica, Guadalupe, Dominique, China, com destaque para o Festival Mundial de Harpa em Hong Kong em 2017 e o XVII Festival do Rio de Janeiro com o Trio Artemisia.
É a directora artística do Festival Internacional de Harpa da Riviera Francesa e membro de um júri regularmente convidado para concursos e conservatórios de música em todo o país. Lecciona aulas de Mestrado em França e na Itália

 

______________________________________________________________________________________

 

QUINTA-FEIRA, 24 DE SETEMBRO DE 2020 ÀS 16:00 – 17:00

 

 

 

Recital de piano | Anne Kaasa

Anne Kaasa Foto cores 8 © Duarte Amaral Netto.jpg
 
O bilhete do museu dá acesso ao concerto.
BEETHOVEN E CHOPIN
Anne Kaasa, piano
 
PROGRAMA
LUDWIG VAN BEETHOVEN
(1770-1827)

Sonata em Ré Maior, op. 10, nº 3
Presto
Largo e mesto
Menuetto, Allegro
Rondo, Allegro
 
FRÉDÉRIC CHOPIN
(1810-1849)
Improviso em Sol bemol Maior, op 51
Fantasia-Improviso em Dó sustenido menor, op. 66
Estudo em Mi Maior, op. 10, nº 3
Estudo em Dó sustenido menor, op. 10 nº 4
Polaca-Fantasia em Lá bemol Maior, op. 61
 
Anne Kaasa, pianista
Pianista norueguesa, radicada em Portugal, Anne Kaasa é caracterizada pela revista musical francesa Le Monde de la Musique como “uma pianista que se destaca no abundante mundo de solistas pela profundidade das suas interpretações, pela fluidez do seu discurso musical e pela delicadeza do seu toucher”.
A sua actividade de solista levou-a a tocar em salas como Wigmore Hall (Londres), Grande Auditório da Fundação Gulbenkian e de CCB (Lisboa), Auditorio Nacional (Madrid), Ateneu Romano (Bucareste), Palácio Sheremetev (S. Petersburgo), Bartók Memorial, Museu Liszt (Budapest) Troldhaugen Grieg Museum (Bergen) e em festivais internacionais como Ljubliana Festival, Nuits pianistiques de Aix-en-Provence, Festival de Maputo, Vestfold Festspillene, Festival da Costa do Estoril, Festival da Madeira, Festival de Coimbra e Dias de Música no CCB.
Apresentou-se como solista com orquestras entre as quais a Orquestra Gulbenkian, Orquestra de la Comunidad de Madrid, Orquestra Sinfónica Portuguesa, Orquestra Nacional do Porto, Orquestra de Craiowa, Orquestra de Granada, Orquestra de Timisoara, e Orquestra de Câmara de Florença.
Anne Kaasa colaborou com muitos compositores actuais e estreou várias obras dos mesmos, entre os quais: António Pinho Vargas, Philippe Fénelon, Clotilde Rosa, Sérgio Azevedo, Amilcar Vasques Dias, Pedro Faria Gomes, e Kjell Mørk Karlsen. Com a Orquestra Gulbenkian e o Maestro José Ramon Encinar fez a estreia absoluta do Concerto nº 2 para piano e orquestra do compositor francês Philippe Fénelon, que lhe foi dedicado. Estreou também “...von fremden ländler...” para piano solo e orquestra de António Pinho Vargas, com a Orquestra Gulbenkian e o Maestro Yu Feng.
Mantém uma grande actividade de música de câmara, tendo colaborado com imensos músicos, entre os quais os violoncelistas Truls Mørk e Maria José Falcão e os violinistas Arve Tellefsen e Ragnhild Hemsing. É professora de piano na Escola de Música do Conservatório Nacional de Lisboa.
As suas gravações de obras de Grieg e Ravel para as editoras EMI Classics, Grave e Saphir foram muito elogiadas pela crítica musical internacional. Na área da música contemporânea gravou obras de Clotilde Rosa para La má de Guido e MISO Records. O seu CD Debussy (Saphir 2011) recebeu também excelentes críticas na imprensa musical francesa e na Radio France, inclusive a distinção de 5 Diapasons na prestigiada revista Diapason.