Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Plataforma NAU disponibiliza curso gratuito sobre Património Arquitetónico na Área Metropolitana de Lisboa

Aberto a toda a população, o curso Património Arquitetónico e Arte Urbana da plataforma NAU visa dar a conhecer a história de espaços e monumentos icónicos dos 18 municípios da área metropolitana de Lisboa. As inscrições são gratuitas e estão abertas até 23 de março de 2023 em www.nau.edu.pt/pt/

 

Desenvolvido pela Área Metropolitana de Lisboa, este curso propõe uma viagem por alguns dos mais icónicos monumentos da região, revisitando episódios da história de Portugal que contribuíram para o seu grande valor arquitetónico e artístico. No final, o curso lança ainda um olhar contemporâneo para uma das formas de arte emergente na região, a arte urbana, ajudando a reconhecer diferentes murais e distinguindo-a da ideia de vandalismo.

 

Identificar aspetos históricos e arquitetónicos inerentes aos monumentos e saber em que condições, quando e como visitar os monumentos abordados são alguns dos componentes do curso que tem uma duração total de 5 horas e pode ser feito ao ritmo do estudante.

 

A plataforma NAU é um projeto pioneiro em Portugal dedicado ao ensino e formação online à distância para grandes audiências, dinamizado pela Unidade da Computação Científica (FCCN) da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT). É uma plataforma de MOOC com conteúdos gratuitos e lecionados maioritariamente em português, promovidos em conjunto com entidades de relevo dos sectores público, ensino superior e privado, disponíveis no site https://nau.edu.pt/.

 

Lançada em 2019, a plataforma procura incentivar a requalificação, a aprendizagem ao longo da vida e o desenvolvimento pessoal dos portugueses, enquanto contribui de forma significativa para a promoção da língua portuguesa como veículo de transmissão de conhecimento. Num contexto online e através de um conjunto de serviços digitais partilhados, que visam apoiar o desenvolvimento do ensino e da ciência em Portugal, a NAU conta com mais de 190 mil utilizadores e mais de 420.000 inscrições nas cerca de 322 edições dos 172 cursos já disponibilizadas. Atualmente, estão disponíveis cursos de acesso aberto em parceria com 45 entidades de referência nacional.

 

O financiamento inicial do projeto NAU, proveniente do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional da União Europeia e do Programa Operacional Comunitário COMPETE 2020, no âmbito do Quadro Portugal 2020, com o número de projeto 02/SAMA2020/2016, foi reforçado com financiamento proveniente do Fundo Social Europeu no âmbito do Programa Competitividade e Internacionalização para a concretização do projeto FAN – Ferramentas Avançadas NAU, com o número de projeto POCI-05-5762-FSE-000266.

 

Este projeto consiste na futura disponibilização de ferramentas, serviços e documentação para a plataforma NAU, nomeadamente ferramentas de avaliação online; inclusão de um chatbot de inteligência artificial; disponibilização de uma ferramenta anti-plágio; certificados mais robustos do ponto de vista de segurança; integração de ferramentas de colaboração via LTI (Learning Tools Interoperability); a possibilidade de acesso pelas entidades promotoras dos cursos a ferramentas de reporting e analítica mais complexas; possibilidade de limitar as inscrições em cursos através de processos de autenticação exclusivos; e a possibilidade de ter instâncias privadas de formação.

 

Sobre a FCT  

A Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) é a agência pública nacional de apoio à investigação em ciência, tecnologia e inovação em todas as áreas do conhecimento. Tutelada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES), a missão da FCT é promover continuadamente o avanço do conhecimento científico e tecnológico em Portugal, atingir os mais elevados padrões internacionais de qualidade e competitividade em todos os domínios científicos e tecnológicos, e estimular a sua difusão e contribuição para a sociedade e o tecido produtivo.

 

Sobre a Unidade FCCN  

A FCCN é a Unidade de Computação Científica da FCT, que tem como propósito contribuir para o desenvolvimento da Ciência, Tecnologia e Conhecimento em Portugal, disponibilizando conectividade de alta velocidade à Internet e serviços de TI para o sistema de ensino superior e investigação português. Estes serviços digitais inserem-se numa infraestrutura de investigação - a Rede RCTS - Rede Ciência, Tecnologia e Sociedade e estão acessíveis para todas as entidades aderentes.

Esta Rede é transversal a todas as áreas do conhecimento e cobre todo o território nacional. Assegura a colaboração entre os diversos utilizadores das entidades, através de uma única conta institucional.
Todos os dias, mais de 600 mil alunos, investigadores e funcionários contam com a nossa rede nacional de educação e respetivos serviços digitais.

 

Exposição | A Narrativa São Os Outros | Inês Pargana e Gonçalo M. Tavares | Inaugura dia 11 fevereiro

EXPOSIÇÃO | INÊS PARGANA e GONÇALO M. TAVARES

A NARRATIVA SÃO OS OUTROS

... quando a pintura e a literatura se abraçam

 

IP_AViuva.jpg

 

Os contos de “O Senhor Brecht e o Sucesso” (Gonçalo M. Tavares, Relógio D’Água, 2018) são a génese inspiradora das telas pintadas por Inês Pargana

Gonçalo M. Tavares apresenta um conjunto de textos inéditos, escritos a partir das pinturas da artista. 

 

Deste inefável abraço entre a literatura e a pintura nasceu A NARRATIVA SÃO OS OUTROS, uma mostra de 12 obras a que se juntam os respetivos textos base e os inéditos, escritos propositadamente para este evento.

 

 

De 11 fevereiro a 26 março

Galeria Casa d’Avenida, Setúbal

4ª a domingo das 11h às 18h

Entrada gratuita 

Exposição de Sofia Areal no BAG em Leiria

 

DIÁLOGOS VISUAIS

 

de SOFIA AREAL

 

no BAG - Banco das Artes Galeria em Leiria

 

Inauguração: dia 11 de Fevereiro às 16h00

 

Patente de 12.02.23 a 22.05.23

 

 

 

 

Sofia Areal inaugura no Banco das Artes Galeria (BAG) em Leiria, no Sábado, dia 11 de Fevereiro às 16h00 a exposição, “Diálogos Visuais” com a curadoria de Martim Brion.

 

A exposição conta com cerca de 50 obras em tela e papel de diversos anos, com principal foco nos trabalhos a partir de 2010. Sendo que a grande maioria dos trabalhos pertence à colecção Areal de Brion.

 

Esta exposição foca-se na cor e nas suas interacções entre os diferentes conjuntos de cores, os materiais utilizados para produzir a cor, o material que absorve a cor, a forma como as diferentes obras interagem entre si e as diferentes salas. Pois este espaço tem um lado particular; é composto por várias salas de diversos tamanhos. Isto abre o espaço para vários diálogos visuais, que são depois parte de um maior. Em última análise, tudo isto se relaciona então com o espectador, como, ao vaguear pelas várias salas com as suas diferentes configurações e obras, o espectador se irá sentir e o que irá pensar. Um diálogo multifacetado. Tal como na vida, assim como na arte, tudo é sempre composto por múltiplas camadas influenciadas por inúmeros factores e é a partir desta situação aparentemente caótica que tudo é trazido à tona de água.

As obras escolhidas representam uma secção do trabalho de Areal ao longo dos anos, com um maior foco nas obras realizadas a partir dos anos 2000. A selecção é também baseada em dois pontos principais. Na novidade, uma parte importante das obras presentes, nunca foram apresentadas publicamente. Por outro lado, a ideia era utilizar estas várias salas para criar diferentes diálogos visuais entre as obras dentro de cada sala, utilizando também obras com tons e formas que possivelmente estão menos frequentemente associadas ao conjunto principal de trabalho de Areal. Pode-se pensar que cada sala é por si só uma mini-exposição, que depois leva à outra e assim por diante, uma cadeia de exposições ou diálogos múltiplos.

Outra ligação que é procurada e trabalhada é a extensão deste diálogo a outros campos visuais como o cinema/teatro, ou campos, tais como a literatura, que influenciaram Areal com a sua capacidade para gerar visualizações destas aproximações não visuais. Em termos de cinema/teatro uma ligação com o trabalho de Jorge Silva Melo, um dos grandes do campo visual em Portugal, que faleceu recentemente, e ao qual gostaríamos de prestar homenagem. Areal e Silva Melo tinham uma amizade muito forte de vários anos e trabalharão juntos por diversas vezes. O ponto culminante da sua relação foi o filme realizado por Silva Melo sobre a obra de Areal, que faz parte de uma série de filmes sobre artistas portugueses. Mas a parte mais importante desta relação foram os encontros habituais, as conversas, as ideias trocadas, que é o que cria uma base para os picos de visualização. Do lado da literatura, acrescentaram-se várias citações ao espaço expositivo, citações de autores como Cesare Pavese, ou Cesário Verde, e também de artistas, como Pablo Picasso. Todos participantes muito importantes neste diálogo do próprio que é depois traduzido numa expressão gestual da cor. O diálogo é uma parte inegável da vida e uma das bases da sociedade, da compreensão ou da falta dela.

 

Santa Casa apresenta Programação Cultural para fevereiro

Para o mês mais pequeno do ano, o Serviço de Públicos e Desenvolvimento Cultural da Direção da Cultura da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa preparou uma agenda cultural repleta de atividades gratuitas. Desde oficinas para famílias, passando por vistas temáticas e workshops, a oferta é variada e imperdível.

 

 

1 Fev (Qua) | 13h30

1 Mês, 1 Peça – Santa Ana e a Virgem

Visita temática

Ao longo de 2023, iremos analisar em detalhe 12 peças da coleção do Museu de São Roque.

Esta escultura portuguesa da 1ª metade do século XVII, de notável qualidade, promove a importância que a Companhia de Jesus teve em aproximar os fiéis de Santa Ana, destacando-lhe a sua importância na educação e pureza enquanto mãe de Maria. De madeira dourada e policromada, vem referida no Inventário da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML) como estando situado na “Casa da Fazenda”, espaço contíguo à Sacristia da Igreja de São Roque.

Ponto de encontro: Museu de São Roque

Participação gratuita mediante marcação prévia. Máx. 30 participantes.

 

 

4 Fev (Sáb) | 10h

Itinerários em Lisboa - O Bairro da Prodac

Percurso pedestre

Ciclo de itinerários que visa dar a conhecer o património e a ação que a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa tem desenvolvido ao longo da sua história com as populações da cidade. Em cada itinerário percorremos um território com uma identidade única, resultado da ação conjunta de vários agentes, um dos quais a SCML.

Outrora local de quintas e palácios de veraneio, Marvila recebeu, a partir da segunda metade do século XIX, vários tipos de indústria. No século XX, o crescimento demográfico levou ao aumento de bairros desordenados, mas também a experiências pioneiras na entreajuda entre moradores e projetos de autoconstrução. Surgiu assim a PRODAC (Associação de Produtividade de Autoconstrução). 

Ponto de encontro: Praça David Leandro da Silva, Lisboa.

Participação gratuita mediante marcação prévia. Máx. 30 participantes.

 

 

4 e 11 Fev (Sáb) | 10h

Se Eu Fosse… Engenheiro de Estruturas

Visita e oficina para famílias com crianças dos 6 aos 12 anos

Museu de Engenharia Civil, Instituto Superior Técnico (4 fev) | Museu e Igreja de São Roque (11 fev).

Os edifícios podem ser construídos para resistir aos sismos? Sim! Para tal, é necessário intervir nos edifícios antigos antes que ocorra um sismo, para evitar danos graves, e projetar os novos de uma forma inteligente. A atividade está dividida em dois momentos e em dois espaços. Começaremos no Instituto Superior Técnico, para perceber como se comportam as estruturas, quais os efeitos de um sismo e o que podemos fazer para minorar os danos. No sábado seguinte vamos até à Igreja de São Roque, espaço construído no século XVI, que resistiu ao terramoto de 1755 graças ao seu projeto de engenharia.

Ponto de encontro nos museus indicados, às horas indicadas.

Participação gratuita mediante marcação prévia. Máx. 20 participantes. Inscrição exclusivamente para as duas sessões.

 

 

4 Fev (Sáb)| 15h 

Expedição por Lisboa - O Bairro da Prodac

Caminhada-atelier para famílias com crianças e jovens a partir dos 8 anos

Nesta expedição, vamos descobrir lugares, histórias e segredos de uma zona da cidade de Lisboa desconhecida para muitas pessoas. Caminhando por Lisboa, equipados com máquina fotográfica ou telemóvel e um caderno de campo, vamos observar e registar o que te parecer mais interessante e especial.

Ponto de encontro: Praça David Leandro da Silva, Lisboa.

Participação gratuita mediante marcação prévia. Máx. 20 participantes

 

 

5 Fev (Dom) | 10h

Património ao Domingo - Igreja e Museu de São Roque

Visita guiada

Ao domingo, é possível conhecer melhor o património histórico e artístico da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, em contexto de visita guiada.

Edificada na segunda metade do século XVI, a antiga Casa Professa de São Roque foi o principal edifício jesuíta em solo português, até 1759. Obra-prima da História da Arte, destaca-se o conjunto de pintura, azulejaria, talha dourada e relicários, bem como a célebre Capela de São João Batista.

Ponto de encontro: Museu de São Roque

Participação gratuita mediante marcação prévia. Máx. 30 participantes.

 

 

11 Fev (Sáb) | 10h e 14h30

Museálogos - A comunicar é que a gente se entende

Visita temática ao Museu de São Roque (10h) e ao Museu das Comunicações (14h30)

Um tema, dois museus.

Ciclo de visitas que tem como objetivo colocar em diálogo as diferentes perspetivas que podemos ter de um mesmo tema, consoante o contexto em que nos encontramos.

Ao longo dos últimos cinco séculos, muitos foram os meios utilizados para promover e divulgar grandes eventos, impor ideias ou promover efemérides utilizando múltiplos suportes, tais como panegíricos, angiológicos, gazetas, jornais, selos, cartas de jogar, pósteres ou mesmo bilhetes da Lotaria Nacional. Neste Museálogos, entre o Museu de São Roque e o Museu das Comunicações, venha conhecer connosco algumas das histórias e suportes empregues na informação nacional.

Ponto de encontro nos museus indicados, às horas indicadas. Inscrição exclusivamente válida para as duas partes da visita.

Participação gratuita mediante marcação prévia. Máx. 30 participantes.

 

 

11 Fev (Sáb) | 15h

Desenhar no Museu - Museu e Igreja de São Roque

Workshop de desenho para adultos e jovens com mais de 12 anos

Workshop intensivo de desenho para aqueles que, com ou sem experiência, procuram na prática do desenho outra forma de entender a realidade circundante e que querem descobrir, através da observação e registo, segredos e pormenores desconhecidos do Museu de São Roque.

Ponto de encontro: Museu de São Roque

Participação gratuita mediante marcação prévia. Máx. 20 participantes

 

 

12 Fev (Dom) | 10h

Património ao Domingo - Convento de São Pedro de Alcântara

Visita guiada

Ao domingo, é possível conhecer melhor o património histórico e artístico da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa em contexto de visita guiada. Fundado em 1670 pelo Marquês de Marialva, em cumprimento de um voto feito 5 anos antes, na Batalha dos Montes Claros, o Convento de São Pedro de Alcântara preserva um importante conjunto de azulejaria e pintura. Destaca-se a Capela dos Lencastres, obra-prima da pedraria barroca.  

Ponto de encontro: Convento de S. Pedro de Alcântara (Rua Luísa Todi, 1).

Participação gratuita mediante marcação prévia. Máx. 30 participantes.

 

 

15 Fev (Qua) | 10h e 11h30

Museálogos – Museus guardiães de memórias

Visita temática ao Museu de São Roque (10h) e ao Museu da Guarda Nacional Republicana (11h30)

Um tema, dois museus.

Ciclo de visitas que tem como objetivo pôr em diálogo as diferentes perspetivas que podemos ter de um mesmo tema, consoante o contexto em que nos encontramos.

O Museu de São Roque e o Museu da Guarda Nacional Republicana estão situados em edifícios históricos de grande valor patrimonial, por onde passaram figuras incontornáveis da História de Portugal, como D. Nuno Álvares Pereira ou o Padre António Vieira.

Os dois museus conservam também nas suas coleções o património material e imaterial das missões das instituições que os tutelam. Da proteção e defesa dos cidadãos, da guarda de crianças e enfermos, à defesa nacional, muitas são as memórias que neles se guardam. Neste Museálogos, venha descobrir estes dois guardiães de memórias.

Ponto de encontro: Museu de São Roque, às 10h

Participação gratuita mediante marcação prévia. Máx. 30 participantes.

 

 

16 Fev (Qui) | 10h

Os Jogos Sociais

Visita guiada

O tema dos Jogos Sociais, pela sua abrangência, permite uma abordagem muito rica da história da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, que recebeu em 1783, por decreto régio da Rainha D. Maria I, a concessão das Lotarias. Este jogo de carácter social constituía, e continua a constituir, um suporte fundamental do cuidado prestado pela instituição em prol dos mais desprotegidos.

Serão visitadas a primeira e a atual Sala de Extrações da Lotaria e apresentados documentos históricos relacionados com o jogo.

Ponto de encontro: Museu de São Roque

Participação gratuita mediante marcação prévia. Máx. 30 participantes.

 

 

18 Fev (Sáb) | 10h

Santa Casa Abre Portas - Hospital de Sant’Ana

Visita guiada

O antigo Sanatório de Sant’Ana foi fundado no início do século XX, para apoiar crianças com tuberculose. Totalmente financiado pelas famílias Chamiço e Biester, foi legado à Santa Casa em 1913, assegurando-se assim a continuação do seu funcionamento até aos nossos dias.

Ponto de encontro: Porta principal da Capela do Hospital de Sant’Ana

Participação gratuita mediante marcação prévia. Máx. 30 participantes.

 

 

18 Fev (Sáb) | 15h

Palácio dos Condes de Tomar/Brotéria

Visita guiada

O Palácio dos Condes de Tomar foi construído na segunda metade do século XIX sobre estruturas pré-existentes, como residência de António Bernardo da Costa Cabral, primeiro Marquês de Tomar. Em 1970, foi adquirido pela Câmara Municipal de Lisboa, que ali instalou a Hemeroteca.

Desde 2020, alberga a Comunidade Brotéria, da Companhia de Jesus, uma casa que é também um centro cultural aberto ao público, com uma biblioteca com cerca de 150.000 monografias e mais de 200 publicações periódicas, particularmente valiosa no campo da Teologia, Filosofia, Literatura e História, com destaque para a história da Companhia de Jesus.

Ponto de encontro: Brotéria - R. São Pedro de Alcântara 3, Lisboa

Participação gratuita mediante marcação prévia. Máx. 30 participantes.

 

 

19 Fev (Dom) | 10h

Património ao Domingo - Arquivo Histórico, Biblioteca e Sala de Extrações

Visita guiada

Ao domingo, é possível conhecer melhor o património histórico e artístico da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa em contexto de visita guiada. Nesta visita, iremos conhecer três importantes espaços diretamente ligados ao funcionamento da Santa Casa: o Arquivo Histórico, que garante o funcionamento e a guarda dos arquivos da instituição; a Biblioteca, que tem à sua guarda coleções bibliográficas dos séculos XIX, XX e XXI, essencialmente sobre as áreas de atuação da SCML, e a Sala de Extrações da Lotaria Nacional, instalada num dos pátios seiscentistas da Casa Professa de São Roque, desde 1903, data a partir da qual “anda a roda”.

Ponto de encontro: Museu de São Roque

Participação gratuita mediante marcação prévia. Máx. 30 participantes.

 

 

25 Fev (Sáb) | 10h

Itinerários da Fé - Percurso do Chiado

Percurso pedestre

Esta iniciativa, organizada pelo Quo Vadis – Turismo do Patriarcado de Lisboa em colaboração com a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, visa estabelecer o diálogo entre a fé e a herança cultural da cidade. Os participantes são convidados a fazer um percurso pedestre na zona nobre da capital, atentos à dimensão arquitetónica e monumental da fé cristã. O passeio proporcionar-lhes-á conhecer as igrejas de São Roque, do Loreto, da Encarnação e dos Mártires.

Ponto de encontro: Museu de São Roque

Participação gratuita mediante marcação prévia. Máx. 30 participantes.

Marcações: Quo Vadis - Turismo do Patriarcado de Lisboa | 21 887 95 49 / turismo@quovadislisboa.com

 

 

25 Fev (Sáb) | 10h

A Brincar Construímos o Passado

Visita e oficina para famílias com crianças dos 6 aos 12 anos

Museu e Igreja de São Roque

De uma forma participativa e divertida, esta oficina dá a conhecer a Capela de São João Batista, da Igreja de São Roque, e as suas coleções de ourivesaria e têxteis que se conservam no museu. Com materiais recicláveis, vamos construir as nossas próprias obras de arte, inspiradas nas peças desta coleção.

Ponto de encontro: Museu de São Roque

Participação gratuita mediante marcação prévia. Máx. 20 participantes.

 

 

26 Fev (Dom) | 10h

Património ao Domingo - Quinta Alegre

Visita guiada

Esta quinta de recreio do século XVIII, mandada construir por Manuel Telles da Silva, 1.º Marquês de Alegrete, está classificada como Imóvel de Interesse Público. O edifício e a sua envolvente de jardim e mata configuram o exemplo de uma das mais requintadas quintas de recreio barrocas dos arredores de Lisboa, sendo que no seu interior se destaca um notável conjunto de pintura mural.

Reabilitado pela Santa Casa, o palácio assumiu funções lúdico-recreativas, tendo também sido construída uma Estrutura Residencial para Pessoas Idosas.

Ponto de encontro: Campo das Amoreiras, n. 94, Charneca do Lumiar

Participação gratuita mediante marcação prévia. Máx. 30 participantes.

 

 

28 Fev (Ter) | 10h

Quinta Alegre

Visita guiada

Esta quinta de recreio do século XVIII, mandada construir por Manuel Telles da Silva, 1.º Marquês de Alegrete, está classificada como Imóvel de Interesse Público. O edifício e a sua envolvente de jardim e mata configuram o exemplo de uma das mais requintadas quintas de recreio barrocas dos arredores de Lisboa, sendo que no seu interior se destaca um notável conjunto de pintura mural.

Reabilitado pela Santa Casa, o palácio assumiu funções lúdico-recreativas, tendo também sido construída uma Estrutura Residencial para Pessoas Idosas.

Ponto de encontro: Campo das Amoreiras, n. 94, Charneca do Lumiar

Participação gratuita mediante marcação prévia. Máx. 30 participantes.

 

 

 

As marcações para qualquer uma destas atividades, ou pedidos de informações, deverão ser feitas através dos contactos do Serviço de Públicos e Desenvolvimento Cultural
Direção da Cultura da SCML: Tel.: 21 324 08 69/87/89 ou E-mail: culturasantacasa@scml.pt

A exceção é a programação dos “Itinerários da Fé - Percurso do Chiado” (25 de fevereiro),cujos contactos estão na respetiva nota.

 

VII Ciclo de Órgão de Torres Vedras celebra o património e a música

descarregar (4).jpg

A sétima edição do Ciclo de Órgão de Torres Vedras decorre entre 15 de janeiro e 27 de março, na Igreja da Misericórdia de Torres Vedras. O ciclo contará com quatro grandes concertos e mini concertos “à la carte”.

Na conferência de apresentação, que teve lugar naquela igreja a 10 de janeiro, a presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras, Laura Rodrigues, referiu que nesta edição, tal como em anteriores, “o órgão é naturalmente o instrumento central, mas teremos aqui um cruzamento com outros instrumentos e com outras formas artísticas”.

“Torres Vedras tem neste momento um ecossistema artístico, educativo e cultural que favorece a prática, a fruição e a criação no domínio da música”, sublinhou a vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Torres Vedras, Ana Umbelino, acrescentando que o Ciclo de Órgão de Torres Vedras contribuiu para este ecossistema e, também, beneficia do mesmo.

Música por todos e para todos

O diretor artístico do Ciclo de Órgão, Daniel Oliveira, apresentou o programa da sétima edição, cujos concertos são de entrada livre e comentados. “É um ciclo para todos os públicos, que se preocupa com a formação de novos públicos, com a sensibilização para a arte e com a sensibilização para o património”, referiu.

O primeiro concerto do VII Ciclo de Órgão de Torres Vedras realiza-se dia 15 de janeiro, domingo, pelas 16h30. Neste concerto, intitulado Mater Dei, serão apresentadas óperas de caráter mariano, interpretadas pelo grupo Mosaico Espiritual, composto por Patrycja Gabrel (soprano), Carolina Figueiredo (mezzo soprano) e Daniel Oliveira (órgão).

No dia 4 de fevereiro, sábado, pelas 11h00, terá lugar o concerto pedagógico A Aldeia do Dó Mi Sol, que é dirigido a um público infantojuvenil. Este concerto com interpretação da organista Inês Machado, parte da história com o mesmo nome da autoria de Renato Gonçalves.

Improvisos e vocalizos espirituais é o nome do concerto à luz das velas que se realiza dia 25 de fevereiro, sábado, pelas 21h30. Será protagonizado pelo organista inglês Jonathan Ayerst, que irá "improvisar" em pleno concerto versos que irão dialogar com o coro Corteto Ensemble Vocal, dirigido pela maestrina torriense Alexandra Neves Fortes.

O último concerto será Bach and friends, no dia 25 de março, sábado, pelas 21h30. Este recital,apresentado pelos alunos e professores do Conservatório Nacional de Lisboa e do Conservatório de Música da Física de Torres Vedras, será composto por peças de Johann Sebastian Bach e de outros compositores do período barroco.

O programa desta edição do Ciclo de Órgão fica completo com os mini concertos “à la carte”, que decorrem todas as segundas-feiras de março (dias 6, 13, 20 e 27), pelas 13h15. Tratam-se de recitais, com a duração máxima de 15 minutos, onde o público tem a oportunidade de escolher o que quer ouvir, desde peças específicas para órgão até temas bem atuais.

O Ciclo de Órgão de Torres Vedras é uma organização da Câmara Municipal de Torres Vedras, com o apoio da Santa Casa da Misericórdia de Torres Vedras. A propósito da apresentação da iniciativa, o provedor daquela instituição, Carlos Reis, referiu que a “Santa Casa da Misericórdia sente-se muito ufana de vos poder receber, de poder contribuir para estas iniciativas”.

Este ciclo conta, ainda, com a parceria do Patriarcado de Lisboa, das Paróquias de Torres Vedras e da Cultur'Canto - Associação Cultural.

 
Agenda

Até 27 de março

VII Ciclo de Órgão de Torres Vedras

A Câmara Municipal de Torres Vedras, com o apoio da Santa Casa da Misericórdia, organiza, entre janeiro e março de 2023, a sétima edição do Ciclo de Órgão. O VII Ciclo de Órgão de Torres Vedras é composto por 4 grandes concertos, onde o Órgão histórico, construído em 1773 por Bento (...)

Saber Mais

Museu Fora de Si arranca com exposição em Belas 

 

 

A Câmara Municipal de Sintra apresenta a primeira exposição do projeto “O Museu Fora de Si”. Com curadoria de Victor dos Reis, “Bestiário” estará em exibição de 11 de novembro a 26 de fevereiro 2023, na Quinta Nova da Assunção, em Belas. 

 

Bestiário é a primeira de exposição d'O Museu Fora de Si, destinado a mostrar obras da Coleção Municipal de Arte e das restantes coleções artísticas e científicas do Município de Sintra em diferentes locais do concelho e em espaços inusitados num conceito inovador e focado numa política de descentralização. 

 

Nesta primeira fase, o projeto concretizar-se através de três exposições a realizar em 2022 e 2023 em lugares e espaços diferentes. Cada exposição será ao mesmo tempo singular e parte de um todo maior. 

 

A singularidade será procurada num diálogo entre o lugar geográfico, o espaço arquitetónico onde a exposição se realiza e as obras que integram a Coleção Municipal de Arte. Em conjunto (locais, espaços e obras) procurarão contar uma história, iluminar determinadas relações ou, tão somente, chamar a atenção para a recorrência, variação e metamorfose de certas formas, temas ou ideias visuais. 

 

Ao mesmo tempo, a escolha do local e do espaço conduzirá à escolha de um conjunto de escolas e bibliotecas, situadas nas áreas geográficas onde decorrerão as exposições, estendendo até elas as obras selecionadas e, por via desta proximidade, propondo um envolvimento mais direto com as exposições e com os seus conteúdos, conceitos, ideias e imagens. 

 

A exposição Bestiário, como o nome indica, é constituída por obras da Coleção Municipal de Arte e das restantes coleções artísticas e científicas do Município que, direta ou indiretamente, representam, registam ou evocam animais reais ou imaginários, que existem hoje ou que, extintos, sabemos terem existido no passado. 

 

Nesse sentido, a exposição, entendida como uma narrativa visual de caráter ficcional, constrói uma espécie de bestiário sintrense – não porque se refira a um conjunto de animais expressamente relacionados com Sintra, mas porque ficciona a própria ideia de bestiário a partir de uma seleção muito alargada e diversificada de imagens de animais que, de forma tanto propositada como acidental, convivem hoje nas coleções municipais.  

 

A exposição decorrerá na Adega da Quinta Nova da Assunção, em Belas, com uma área de cerca 250 metros quadrados, cuja construção foi iniciada em 1860 por José Maria da Silva Rego. 

 

O tema escolhido para esta primeira exposição relaciona-se com um dos motivos principais da vasta decoração azulejar, da autoria de Luís António Ferreira (conhecido por Ferreira das Tabuletas), dos muros, tanques, mirantes, pavilhões, casas de fresco e lagos do parque da Quinta (e até da pintura de paredes e tetos das salas do seu palacete): a representação híbrida de vistas, personagens e animais de paragens longínquas – ora na Europa, ora no Extremo Oriente, ora na América do Sul. 

 

A exposição Bestiário será constituída por 102 obras, das quais 5 são mostradas em 4 escolas (Escola E.B. 2,3 Ruy Belo, Escola Secundária Miguel Torga, Escola Secundária Padre Alberto Neto, Escola Secundária Stuart Carvalhais) e na Biblioteca Ruy Belo.  

 

A exposição integra obras de Paula Rego, de Susan Norrie, representante da Austrália na Bienal de Veneza de 2007, de Cruzeiro Seixas, de Camila Loureiro, de Cristina Reis, de Pedro Proença, de Fátima Mendonça, de Eva Armisén, de Isabelle Faria e de Nuno Viegas, entre outros artistas da Coleção Municipal de Arte de Sintra. 

 

A estas juntam-se obras de Tomás Leal da Câmara, da Casa-Museu de Leal da Câmara, de Artur Anjos Teixeira e de Pedro Anjos Teixeira, do Museu Anjos Teixeira, bem como peças das coleções do Museu de História Natural de Sintra e do Museu Arqueológico de São Miguel de Odrinhas.  

 

www.facebook.com/camaradesintra
www.twitter.com/camaradesintra

Em fevereiro há “Conversas à volta do Jazz” em Palmela

Notícia.jpg

 

O Cine-Teatro S. João, em Palmela, vai acolher a primeira “Conversas à volta…”, com uma sessão dedicada ao Jazz, que decorrerá dia 8 de fevereiro, às 19h00.

Com participação livre, esta iniciativa, promovida pelo Município de Palmela, será moderada por Nuno Catarino, crítico de jazz e colaborador do Jornal Público, desde 2007. Criou o primeiro blog português de jazz (A Forma do Jazz), colaborou com sites e revistas e em 2019 publicou o livro “Improvisando – a nova geração do jazz português”, em coautoria com Márcia Lessa. É responsável, desde janeiro de 2022, pela coordenação editorial da revista Jazz.pt.

As “Conversas à volta…” constituem um espaço participativo que visa a promoção de uma plataforma de debate e de aproximação entre os três vértices da relação cultural – instituição cultural, artistas e espetadoras/es.

a partir de 19 janeiro: Taguspark recebe Passado-Presente da fotojornalista Patrícia de Melo Moreira

Inauguração a 19 de janeiro, às 18H00, no Núcleo Central

 

 

Taguspark recebe Passado-Presente da fotojornalista Patrícia de Melo Moreira

 

©Patricia_de_Melo_Moreira01.jpg

Passado-Presente é a primeira exposição de fotografia a título individual, em Portugal, da fotojornalista Patrícia de Melo Moreira e vai estar em exposição no Núcleo Central do Taguspark, de 19 de janeiro a 18 de fevereiro. A entrada é gratuita.

 

A exposição que retrata o percurso feito pela fotojornalista, desde 2010 até ao presente, enquanto correspondente da Agence France Presse em Portugal, tem curadoria de Mário Cruz e é apresentada em parceria com a CC11 e Narrativa.

 

Nas palavras de Patrícia, o facto de Portugal não estar nas notícias da atualidade mundial permite-lhe focar-se em histórias com mais profundidade e que são menos mediáticas. Muitas, acabam por revelar um presente menos visível, não deixando de mostrar tradições e o legado histórico do país. A recente pandemia de Covid-19 evidenciou os pontos fortes e fracos da sociedade portuguesa: um povo unido e resiliente, mas que vive num país que ainda tem muito a evoluir no panorama europeu.

 

O curador da exposição Passado-Presente, Mário Cruz, refere que “as 31 fotografias nesta exposição ultrapassam a sua utilidade e função noticiosa na medida em que perduram no tempo, tendo, por isso, uma leitura intemporal e desprendida de acontecimentos noticiosos. Um dos desafios maiores que a fotografia enfrenta é o de permanecer na memória e dessa forma ser parte da história. Aqui, Patrícia de Melo Moreira dá o seu contributo através de fotografia cuidada, atenta e distinta”.

 

De entrada gratuita, a exposição insere-se na programação do MAU – Mudei de Arte Urbana, que tem por objetivo promover o pensamento crítico e contribuir para o bem-estar de quem visita e trabalha na Cidade no Conhecimento.

 

Notas biográficas: Patrícia de Melo Moreira nasceu em 1983, em Lisboa. Estudou fotojornalismo na ETIC. Em 2006 começou a trabalhar para revistas e jornais nacionais como freelancer e pouco depois tornou-se colaboradora da Agence France Presse (AFP). Em 2018 foi a primeira mulher a receber o Prémio Estação Imagem com o trabalho “Verão Negro”. Dois anos mais tarde foi nomeada para Fotógrafa do Ano de Agência pelo The Guardian e em 2021 apresentou no festival de fotojornalismo “Visa Pour l’Image, Perpignan, França, a exposição individual “My Portugal”. Passado-Presente é a sua primeira exposição individual em Portugal.

 

FICHA TÉCNICA

Título da exposição: Passado-Presente

Autora: Patrícia de Melo Moreira

Local: Núcleo Central do Taguspark

Data da Exposição: 19 de janeiro a 18 de fevereiro (de segunda-feira a sábado, entre as 9H00 e as 19H00)

Curador: Mário Cruz

Observações: Entrada gratuita

Plataforma NAU disponibiliza curso gratuito sobre Património Arquitetónico na Área Metropolitana de Lisboa

Aberto a toda a população, o curso Património Arquitetónico e Arte Urbana da plataforma NAU visa dar a conhecer a história de espaços e monumentos icónicos dos 18 municípios da área metropolitana de Lisboa. As inscrições são gratuitas e estão abertas até 23 de março de 2023 em www.nau.edu.pt/pt/

 

Desenvolvido pela Área Metropolitana de Lisboa, este curso propõe uma viagem por alguns dos mais icónicos monumentos da região, revisitando episódios da história de Portugal que contribuíram para o seu grande valor arquitetónico e artístico. No final, o curso lança ainda um olhar contemporâneo para uma das formas de arte emergente na região, a arte urbana, ajudando a reconhecer diferentes murais e distinguindo-a da ideia de vandalismo.

 

Identificar aspetos históricos e arquitetónicos inerentes aos monumentos e saber em que condições, quando e como visitar os monumentos abordados são alguns dos componentes do curso que tem uma duração total de 5 horas e pode ser feito ao ritmo do estudante.

 

A plataforma NAU é um projeto pioneiro em Portugal dedicado ao ensino e formação online à distância para grandes audiências, dinamizado pela Unidade da Computação Científica (FCCN) da Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT). É uma plataforma de MOOC com conteúdos gratuitos e lecionados maioritariamente em português, promovidos em conjunto com entidades de relevo dos sectores público, ensino superior e privado, disponíveis no site https://nau.edu.pt/.

 

Lançada em 2019, a plataforma procura incentivar a requalificação, a aprendizagem ao longo da vida e o desenvolvimento pessoal dos portugueses, enquanto contribui de forma significativa para a promoção da língua portuguesa como veículo de transmissão de conhecimento. Num contexto online e através de um conjunto de serviços digitais partilhados, que visam apoiar o desenvolvimento do ensino e da ciência em Portugal, a NAU conta com mais de 190 mil utilizadores e mais de 420.000 inscrições nas cerca de 322 edições dos 172 cursos já disponibilizadas. Atualmente, estão disponíveis cursos de acesso aberto em parceria com 45 entidades de referência nacional.

 

O financiamento inicial do projeto NAU, proveniente do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional da União Europeia e do Programa Operacional Comunitário COMPETE 2020, no âmbito do Quadro Portugal 2020, com o número de projeto 02/SAMA2020/2016, foi reforçado com financiamento proveniente do Fundo Social Europeu no âmbito do Programa Competitividade e Internacionalização para a concretização do projeto FAN – Ferramentas Avançadas NAU, com o número de projeto POCI-05-5762-FSE-000266.

 

Este projeto consiste na futura disponibilização de ferramentas, serviços e documentação para a plataforma NAU, nomeadamente ferramentas de avaliação online; inclusão de um chatbot de inteligência artificial; disponibilização de uma ferramenta anti-plágio; certificados mais robustos do ponto de vista de segurança; integração de ferramentas de colaboração via LTI (Learning Tools Interoperability); a possibilidade de acesso pelas entidades promotoras dos cursos a ferramentas de reporting e analítica mais complexas; possibilidade de limitar as inscrições em cursos através de processos de autenticação exclusivos; e a possibilidade de ter instâncias privadas de formação.

 

Sobre a FCT  

A Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) é a agência pública nacional de apoio à investigação em ciência, tecnologia e inovação em todas as áreas do conhecimento. Tutelada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES), a missão da FCT é promover continuadamente o avanço do conhecimento científico e tecnológico em Portugal, atingir os mais elevados padrões internacionais de qualidade e competitividade em todos os domínios científicos e tecnológicos, e estimular a sua difusão e contribuição para a sociedade e o tecido produtivo.

 

Sobre a Unidade FCCN  

A FCCN é a Unidade de Computação Científica da FCT, que tem como propósito contribuir para o desenvolvimento da Ciência, Tecnologia e Conhecimento em Portugal, disponibilizando conectividade de alta velocidade à Internet e serviços de TI para o sistema de ensino superior e investigação português. Estes serviços digitais inserem-se numa infraestrutura de investigação - a Rede RCTS - Rede Ciência, Tecnologia e Sociedade e estão acessíveis para todas as entidades aderentes.

Esta Rede é transversal a todas as áreas do conhecimento e cobre todo o território nacional. Assegura a colaboração entre os diversos utilizadores das entidades, através de uma única conta institucional.
Todos os dias, mais de 600 mil alunos, investigadores e funcionários contam com a nossa rede nacional de educação e respetivos serviços digitais.

 

Programação cultural e de lazer gratuita MAR Shopping Food Experience regressa em 2023 com música, magia e espetáculos infantis

Programa estará em palco entre fevereiro e agosto

 

image002 (1).jpg

image004.jpg

PROGRAMAÇÃO CULTURAL E DE LAZER GRATUITA MAR SHOPPING FOOD EXPERIENCE REGRESSA EM 2023 COM MÚSICA, MAGIA E ESPETÁCULOS INFANTIS

Programa inclui concertos de Berg e André Sardet, noites mágicas com Daniel Guedes e Nuno Rodrigues, e espetáculos infantis como “Masha e o Urso”, “Super Wings”, “Ovelha Choné” ou “Heidi e a Abelha Maia”

 

 

O MAR Shopping Food Experience regressa ao palco do espaço de restauração do MAR Shopping Matosinhos, servindo de novo à mesa uma programação cultural e de lazer gratuita, que inclui concertos, noites de magia e tardes divertidas em família, com os melhores espetáculos!

 

O duo pop Andor Violeta estreia o palco do MAR Shopping Food Experience a 10 de fevereiro. O casal, que marcou o programa “The Voice” (RTP) em 2020, lançou recentemente o seu primeiro EP “Oito”. Esta será a primeira noite musical do programa, mas não a única. Berg, a 31 de março,  Curt Davis, a 14 de abril, Flor Batom, a 19 de maio, Pela Estrada com Elis, a 16 de junho, e Trio Pagú, a 14 de julho, são os músicos que se seguem numa banda sonora eclética, que vai da música ligeira ao R&B, sem esquecer a Bossa Nova e a MPB. O programa musical fica completo com o concerto de André Sardet a 26 de agosto.

 

A magia e o ilusionismo atraem cada vez mais fãs e as noites com alguns dos melhores mágicos portugueses enchem o espaço de restauração do MAR Shopping Matosinhos. Daniel Guedes, no sábado 25 de fevereiro, a Escola de Magia do Porto, a 29 de abril, e Nuno Rodrigues, a 29 de julho, são os magos de serviço na arte de “tirar coelhos” da cartola para entreter e divertir o público.

 

Os momentos em família a assistir a espetáculos que trarão mais animação aos domingos das crianças também fazem parte do cartaz, sempre com duas sessões. “Masha e o Urso”, “Super Wings”“Ovelha Choné” e “Heidi e a Abelha Maia”, a 19 de março (Dia do Pai), 7 de maio (Dia da Mãe), 4 de junho e 13 de agosto, respetivamente, vão fazer todos cantar, dançar e soltar muitas gargalhadas!

 

Fins de semana animados, num ambiente trendy e a pensar em momentos memoráveis em família e com amigos são no meeting place de sempre. O MAR Shopping Matosinhos serve mais um programa gratuito de “comer e chorar por mais”…

 

PROGRAMAÇÃO

Espaço de Restauração, Piso 1 – Palco interior

 

Dia

Hora

Programa

FEVEREIRO

Sexta, 10

21h00

Concerto de Andor Violeta

Sábado, 25

21h00

Noite Mágica com Daniel Guedes

MARÇO

Domingo, 19

14h30

Espetáculo Infantil “Masha e o Urso”

16h30

Sexta, 31

21h00

Concerto de Berg

ABRIL

Sexta, 14

21h00

Concerto de Curt Davis

Sábado, 29

21h00

Noite Mágica com Escola de Magia do Porto

MAIO

Domingo, 7

14h30

Espetáculo Infantil “Super Wings”

16h30

Sexta, 19

21h00

Concerto de Flor Batom

JUNHO

Domingo, 4

14h30

Espetáculo Infantil “Ovelha Choné”

16h30

Sexta, 16

21h00

Concerto de Pela Estrada com Elis

JULHO

Sexta, 14

21h00

Concerto de Trio Pagú

Sábado, 29

21h00

Noite Mágica com Nuno Rodrigues

AGOSTO

Domingo, 13

14h30

Espetáculo Infantil “Heidi e a Abelha Maia”

16h30

Sábado, 26

21h00

Concerto de André Sardet