Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

RETHINKING THE ROLE OF THE STATE: THE REFORM OF THE PUBLIC SECTOR AND THE ROLE OF WELFARE

16 Fevereiro
17.00 às 18.30
MUSEU DO ORIENTE


Entrada livre sujeita a inscrição
CONFERÊNCIA (em inglês, sem tradução simultânea)

 O papel do Estado tem-se tornado central quer na teoria política, económica e jurídica, quer em termos de política prática. Isto deve-se sobretudo ao impacto da crise financeira e ao papel que os governos a nível nacional, europeu e internacional têm desempenhado na tentativa de lidar com a crise. Por detrás destes problemas atuais encontram-se amplos debates de filosofia política e jurídica sobre o alcance e a função das ideias do Estado, que se refletem em diferentes respostas políticas e sociais à crise atual. A conferência irá focar-se em diferentes abordagens sobre o papel do Estado a fim de se cruzar a filosofia política e jurídica com questões da atual política prática.
Esta conferência visa ainda cobrir abordagens sociais-democratas, socialistas, liberais e conservadoras do papel do estado, refletindo sobre os seus diferentes entendimentos de liberdade individual, igualdade, coesão social e de solidariedade e sobre como esses pontos de vista gerais podem ou não resolver a crise atual na Europa. Tratando de questões de política prática, iremos olhar para o papel da união fiscal e monetária no contexto da soberania do Estado, para reforma e alcance do Estado Social e do setor público em geral e para o papel do Estado na "gestão" da economia. Estas questões vão levantar problemas sobre o que o Estado deveria fazer e sobre o que, de facto, é competente para fazer.
Em colaboração com o Instituto de Estudos Políticos da Universidade Católica Portuguesa.

Raymond Plant é atualmente professor de Jurisprudência e Filosofia Política na Dickson Poon School of Law. Anteriormente, lecionou no St. Catherine's College de Oxford e na Universidade de Southampton. Trabalhista, é membro da Câmara dos Lordes em cuja Comissão de Direitos Humanos exerce funções. Em 2010, Lord Plant recebeu o Prémio Sir Isaiah Berlin pelo seu longo contributo para os estudos políticos. Filósofo de formação, tem uma vasta obra no campo da filosofia política, social e jurídica.