Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Turismo Religioso tem roteiro inédito em Portugal

"Percursos de São Roque: itinerários de peregrinação e devoção" é uma aposta inédita, à escala nacional, por parte da Irmandade da Misericórdia e de São Roque de Lisboa. Esta iniciativa tem duas vertentes: a difusão electrónica dos Percursos na página oficial da Irmandade (http://www.irmandadesaoroque.pt/) e, com base em sinergias com as comunidades locais e autárquicas do Continente e das Regiões Autónomas, a futura visitação programada por todo o País e a participação nas manifestações festivas regulares.

 

A concepção e a coordenação desta iniciativa pertencem à historiadora Helena Gonçalves Pinto, que identificou e estruturou uma rota de peregrinação a partir dos locais de devoção a São Roque. O projecto contou, igualmente, com o contributo de investigadores, párocos e entidades autárquicas, que forneceram elementos documentais e iconográficos para o registo dos locais associados à devoção de São Roque.

 

Em "Percursos de São Roque: itinerários de peregrinação e devoção" são identificadas ermidas, capelas, igrejas dedicadas, atestando os primórdios das manifestações devocionais no território nacional, em lugares que Roque (nascido em Montpellier entre 1345/1350 e falecido em Voghera, entre 1376/1379) não terá conhecido, mas que foram percorridos pelas suas Sagradas Relíquias e pela fama dos seus milagres, libertando da peste, santificando, protegendo e convertendo com a força e do seu exemplo de vida.

 

Os Percursos estão estruturados num levantamento geohistórico, no qual são igualmente identificados outros locais de interesse, associados às manifestações populares, comunidades de devotos, confrarias, irmandades e comissões fabriqueiras, que, desde 1506 – chegada das Sagradas Relíquias de São Roque a Lisboa, construção da Ermida e instituição da Irmandade – até à actualidade, se colocaram sob a protecção do Santo.

 

Dando uma nova expressão ao culto de São Roque, considera-se que a devoção não tem fronteiras, sendo que as comunidades estão unidas em torno de um património material e imaterial e de uma matriz identitária em comum. Assim se dão a conhecer a amplitude da devoção e o fenómeno da popularidade de São Roque em Portugal, concretizadas na diversidade das festas e dos momentos celebrativos, da materialidade dos objectos ligados às procissões, confrarias e irmandades e da simbologia e rituais (litúrgicos, processionais e festivos) dos fiéis e dos peregrinos.

 

Esta iniciativa portuguesa, de âmbito nacional mas com ligações internacionais, é um passo decisivo para a definição de um Roteiro Internacional de São Roque, com o objectivo de se criar uma nova dinâmica ligada ao Turismo Cultural e Religioso, com acções que poderão favorecer o diálogo intercultural que cada uma das comunidades realiza. Este Roteiro e respectivos itinerários divulgam a viagem aos lugares, às instituições associadas a Roque (as relações espirituais e os milagres que concretizou), como peregrino de Montpellier ao lugar sagrado (Roma).