Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

The Ratazanas e Dj Milton no Outjazz

7 de Agosto de 2011

17h

 

Torre de Belém

Lisboa

 

Cheguei aqui sem saber para onde ia, qual é o dia, ou, para onde vou. Atravesso os jardins, e, em euforia o meu corpo cede à melodia, e, danço em sintonia com a multidão, que em perfeita harmonia grita “rats”. Os The Ratazanas continuam a actuação com um pouco de soul, mais uma nota de jazz e uns acordes de ska, mas o puro reggae tipo anos 60 é o que lhes corre nas veias. Não se deixem enganar pelo estilo formal de Du, que espremendo a conta gotas a participação do público, leva a que se levantem, cantem, dancem e participem nesta festa que é a união entre banda e público, resultando num cocktail de divertimento e boa disposição, tão ao estilo do Outjazz. DJ Milton também estará e com certeza não ficarão indiferentes a este beat, seja a abanar a cabeça, ou o pezinho, o que interessa é que até à Torre de Belém. / Margarida Martins (Foto por João Henriques)

Fonte: LeCool

Waterwall

5 e 6 de Agosto de 2011

22h

 

Praça do Comércio

Lisboa

 

Esta promete ser uma hora em que ninguém vai passar sede. É água, senhores, muita água. Uma parede deste líquido tão puro que, num ápice, se torna selvagem em fúria. A batalha vai contar com 16 guerreiros/bailarinos/acrobatas que farão as delícias dos nossos olhares. As leis da gravidade serão por eles desafiadas, revelando toda a liberdade e destreza físicas perante o poder da água. Serão anfíbios? De véu transparente a muro quase impenetrável, este elemento natural é hoje o rei da Praça do Comércio. Por isso, rememos e/ou surfemos ao Terreiro, ávidos por puro entretenimento. E brindemos… com água! (Quem se atreve a dizer que azar!?) / Sónia Castro

Calhau!

4 de Agosto de 2011

19h30

Jardim das Esculturas (Museu do Chiado)
Lisboa

 

Marta e Alves Von Calhau são uma família do Porto. Bom, mas como a família está supostamente em crise décadas, agora chama-se colectivo ao agregado. O colectivo produz objectos para viver. E sons. E mistura os sons com os objectos. Barba e fatos de leopardo. O rebento em forma de um recente álbum chamado “Quadrologia Pentacónica”. Os textos são ditos com muito silêncio entre as palavras. uma tenda e jogos de linguagem. Sónico, artesanal, macabro, hilariante. / Pedro Ventura

Fonte:LeCool

Museus à Noite

De 4 a 11 de Agosto de 2011

São 27 os museus e monumentos alfacinhas a deixar na porta o cartãozinho que diz “Aberto” para lá das seis da tarde. É graças ao Festival dos Oceanos que recebemos este presente, em pleno Agosto. Porque Agosto não é sinónimo apenas de férias. É também de cultura, de exposições, de história, de muito para ver e conhecer. Portanto, façam o favor de consultar aqui a lista dos museus abertos fora de horas e escolher. Aproveitem, pois são apenas dois dias. E para aqueles que ainda têm dúvidas e que pensam que os museus são lugares sombrios e que cheiram a mofo, aqui vai uma pergunta: Há quanto tempo não entram num museu? É que hoje eles são espaços interactivos e modernos, com bares e esplanadas, com concertos e gente jovem. E de lá sai-se com uma certeza: a de que se aprendeu alguma coisa nova! / Sónia Castro

http://www.festivaldosoceanos.com/evento/museus+a+noite/20

Fonte: LeCool

Festival dos Oceanos - Veleiro Santa Maria Manuela

5 e 6 de Agosto

11: 10h-23h

 

7 de Agosto

10h-18h

 

O Festival dos Oceanos apresenta mais uma actividade para animar o Verão lisboeta e revelar ao público os segredos do mar português com a
passagem do antigo bacalhoeiro Santa Maria Manuela pela marina do Parque das Nações. O público pode visitar o veleiro e experimentar algumas das técnicas relacionadas com a navegação de uma grande embarcação.

Festival dos Oceanos 2011 - António Zambujo & Roberta Sá

1 de Agosto de 2011
22h00

 

Pátio da Galé

Praça do Comércio

Num verdadeiro encontro transatlântico, como manda o espírito do Festival dos Oceanos, o fadista alentejano António Zambujo - que, diz Caetano Veloso, "é de arrepiar e fazer chorar" - chama à sua companhia a cantora brasileira Roberta Sá, com quem já se encontrou noutros palcos.

Pág. 6/6