Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

RECITAL DE HARPA E PERCUSSÃO

 

 

 


26 Novembro
17.00
Auditório
RECITAL DE HARPA E PERCUSSÃO
SOLISTAS DA METROPOLITANA

Stéphanie Manzo (harpa), Fernando Llopis (vibrafone)
Concerto comentado por Rui Campos Leitão

Imagine-se numa tarde de domingo, em pleno Outono, à hora do lusco-fusco, escutando os sons de uma harpa, de uma marimba e de um vibrafone. Uma hora de música à mistura com uma amena conversa em torno de três instrumentos muito especiais, que nos transportam para «longe daqui», como se um poder mágico possuíssem. Para ajudar, junta-se uma mão cheia de música escrita por quatro grandes compositores franceses e espanhóis cujas melodias têm igualmente encantando tanta gente desde há mais de um século. É o caso de Panis Angelicus, de César Franck, original para tenor, órgão, harpa, violoncelo e contrabaixo. «O pão dos anjos que se tornará no pão dos homens» dá assim início a este recital tão propício a estados contemplativos. É o que garantem Recuerdos de la Alhambra, de Granados, fazendo recordar na marimba os trémulos da guitarra, e algumas das mais belas peças para piano de Debussy, em versão adaptada ao dedilhado da harpa e a quatro baquetas nas mãos de um percussionista.

PROGRAMA
César Franck, Panis Angelicus
Claude Debussy, Três prelúdios
Claude Debussy,
Clair de Lune
Francisco Tárrega,
Recuerdos de la Alhambra
Enrique Granados, Excertos das
Valsas poéticas

Preço: Entrada livre
Duração: 75’, sem intervalo
M/3

 

Passatempo Nilton e Danilo (Portugal - Brasil)

O Blog Cultura de Borla em parceria com a COMPANHIA TEATRAL DO CHIADO tem bilhetes duplos para NILTON - DANILO (PORTUGAL - BRASIL)  no Teatro MÁRIO Viegas para o dia 26 de Novembro às 22h aos primeiros leitores que enviarem um mail para culturadeborla@sapo.pt com a frase "Eu quero ver NILTON E DANILO com o Cultura de Borla" com nome, BI, contacto.

 

 

Nilton & Danilo
 
 
Ficha Técnica ß
 
(Portugal - Brasil)
de Danilo, Nilton

A comédia Portuguesa volta a cruza-se com a do Brasil numa noite em que se prova que o humor tem mais que uma pátria.
Nilton, o artista português com mais seguidores no Facebook junta-se a Danilo Gentili o humorista no Brasil que tem mais de dois milhões e duzentos mil seguidores no Twitter, e que apresenta também um talk show, o "Agora é tarde".
Nilton e Danilo Gentili ao vivo no teatro Estúdio Mário Viegas nos dias 26 e 27 de Novembro para duas noites de stand up comedy na mesma língua mas com sotaques diferentes.
Nilton & Danilo
 

Interpretação: Danilo, Nilton
Produção: Nilton tv
Acolhimento: Companhia Teatral do Chiado
Bilheteira: Buzico - Produções Artísticas

Local: Teatro-Estúdio Mário Viegas
Em cena de 2011-11-26 a 2011-11-27
Horário: 26 e 27 de Novembro pelas 22h00

Classificação: M/16

Stand Up Comedy: Portugal - Brasil - Dois espectáculos únicos
26 e 27 de Novembro

Nota: Os contemplados que, por motivos de força maior, não possam assitir ao espectáculo e usufruir do convite que lhes foi atribuído devem informar atempadamente o Cultura de Borla. Reservamo-nos o direito de excluir de futuros passatempos todos os que não procederem desta forma.

Passatempo Um Shot Radiofónico

 

O Blog Cultura de Borla em parceria com a COMPANHIA TEATRAL DO CHIADO tem 7 bilhetes duplos para oferecer para a peça UM SHOT RADIOFÓNICO para as sessões de 27 de Novembro pelas 19h no TEATRO MÁRIO VIEGAS aos primeiros leitores que enviarem um mail para culturadeborla@sapo.pt com a frase "Eu quero ver UM SHOT RADIOFÓNICO com o Cultura de Borla" com nome, BI, contacto telefónico e sessão a que pretendem assistir ao espectáculo.

"Um shot radiofónico"
Teatro-Estúdio Mário Viegas | sábados e domingos de Outubro | 19h00

SINOPSE

A rádio é, talvez, o meio de comunicação que mais valoriza a palavra. Até mais do que a imprensa. Na rádio, a palavra tem de chegar ao ouvinte de forma clara, na sua primeira forma. Não se "relê", como num jornal ou num livro. Diz-se e ouve-se. Pronto.

A primeira edição de "Contos do Gin-Tonic" viu a luz do dia no início dos anos 70. Mário Viegas foi o grande divulgador destes textos de Mário-Henrique Leiria - o actor e o autor são quase indissociáveis. A decisão de nos atrevermos neste universo prende-se com o facto de me ter deparado muitas vezes com a pergunta "Mário, quê?", quando me referia ao autor. E também com o facto de, infelizmente, os seus textos continuarem a fazer todo o sentido. São um hino de ironia e de humor negro. Uma sátira às instituições e ao quotidiano.

Como não somos "nêsperas", aqui estamos.

Trazendo as palavras para a rádio e a rádio para o palco. Rádio ao vivo. Um "shot" de gin. Tónico. Para fazer cócegas à inteligência e às consciências. Para "ouver". Uma Leitura radiofónica nos anos 70. Hoje.

Sempre que for necessário (re)lembrar.

Disfrutem.

 

FICHA TÉCNICA
Interpretação:
Cristina Cavalinhos, Helena Veloso, Inês Oneto, Luísa Ortigoso
Direcção: Luísa Ortigoso
Música: João Balão
Desenho de Luz: Tiago Peralta
Produção: Teatro Livre
Acolhimento: Companhia Teatral do Chiado 

Mostra de Espanha 2011

Até 16 de Dezembro de 2011

 

 

Instituto Cervantes

Rua de Sta Marta 43 FR RC

Lisboa

 

Sabes aquela senhora que vive no andar de baixo há uns bons anos, mas o máximo que podes dizer a respeito dela é o nome? Um dia ela abre a porta e pede para que consertes uma torneira e no momento, em que já estás no mundo da “sua-vizinha-que-pouco-conhecia” e que pensas em responder – Não sei arrumar uma torneira – percebes que embaixo de ti sempre houve um museu e uma história que, a excluir as partes evidentes e imaginadas, pouco sabias? Pois então, é um pouco o que acontece com a senhora que vive cá ao lado, que por mais que a conheçamos, por vezes falta algo. A Mostra Espanha veio apresenta-te o que podias saber, mas que pouco conhecia, ou o muito que conhecias, mas pouco podias apreciar. A exposição “La escena cotidiana” traz o olhar de Óscar Fernandez Orengo, sobre a vida do actor Jorge Sanz, em um trabalho que busca suprir e questionar o voyeur do espectador sobre o ídolo. / Marcelo Valadares

 

Fonte: leCool

Nightmare Before Christmas

 

29 de Novembro de 2011

22h

 

Sou

Rua Maria nº73 (à Forno do Tijolo)

 

 

Todos os anos é sempre a mesma coisa para Jack, o Rei das Abóboras, na cidade do Halloween. Entre várias travessuras e algumas doçuras envenenadas, a vida desta cidade vive a lúgubre alegria da morte e todo o seu colorido monosaturado da Noite das Bruxas. Nesta angústia pela cor viva e luz intermitente Jack descobre a cidade do Natal e num rápido rapto natalício decide que este Natal será obra dos monstros e freaks do Halloween. Romance, canções e um visual de fazer despertar os mortos e ressuscitar os mais incautos. Num pesadelo directo do imaginário de Tim Burton, 'Nightmare Before Christmas' é uma obra prima da animação stop motion e uma ode aos Natais Disney que se querem com presentes para todos, até para os mais travessos. / Francisco Pinheiro

Fonte: LeCool

Shot Stories

26 de Novembro de 2011

23h

 

Bar A Barraca

Teatro A Barraca

Largo de Santos 2

 

 

Se estás sedento de histórias cuja criatividade a crise ainda não afectou e achas que a melhor maneira de combater a austeridade é afogando as mágoas, então o melhor é atirares-te a uma rodada de shotstories servidas pela destreza mental e o arguto sentido de humor do “barmanarrador” Francisco Gomes.  Vai ser bar aberto de histórias até fartar vilanagem, sem perigo de, no final, ficares com a boca a saber a papel de música. Não és homem não és nada, se não conseguires beber todas de penalti! / Francisca Carvalho

Hora do Conto

26 de Novembro de 2011

das 11 às 12h30

 

Instituto Francês de Portugal, Av. Luís Bivar 91

 

 

 

Era uma vez um reino em que não existiam segundas-feiras, horários e chapéus de chuva. Havia chuva e galochas com pinta, isso sim, mas os chapéus de chuva é que eram considerados aberrações pouco práticas quando um dos pontos altos do dia era chapinhar em poças. As manhãs começavam muito mais tarde e os parquímetros estavam sempre enferrujados. Estar despenteada era sinal de sabedoria e vivacidade e era um comportamento francamente apreciado. Era uma vez um reino em que os bróculos engordavam ou eram pecado ou outra coisa qualquer que não valia assim tanto a pena. As pessoas eram barulhentas e caóticas e os pontuaizinhos eram olhados de lado, como convém. Era uma vez uma reino em que se perdia imenso tempo e as pessoas encolhiam os ombros e riam e piscavam um olho e diziam “Vou fazer o quê com ele?”. / Inês Alvim

Fonte: LeCool

...

25 de Novembro

12h-22h

 

26 de Novembro

11h-22h 

 

 

Palácio Foz

Praça dos Restauradores

Lisboa

 

 

No fundo dos baús, caixas de cartão e valises em pele abandonadas no sótão daquele ente querido mais velho, sempre uma surpresa. Se não é em casa da avó, uma tia distante tem sempre aquele que pode ser o presente especial a dar neste Natal que se avizinha. Como os sótãos familiares se enchem de , e as tias moram longe, a solução é vir às compras natalícias antecipadas no Palácio Foz. festa no Palácio, e pelo segundo ano consecutivo além de presentearmos alguém especial, ajudamos a associação Responsabilidade Social entre Amigos. Uma festa feita de avós, tias, amigos e toda as surpresas desses sótãos lisboetas. / Francisco Pinheiro

Fonte: LeCool

Encontros de Estética

24 a 26 de Novembro

Instituto Francês de Portugal, Av. Luís Bivar 91

 

Três dias a debater a arte contemporânea. Coordenação científica de José Gil e Ana Godinho. Um tema preciso: que arte contemporânea? Yves Michaud, Brian Massumi, Nicolas Bourriaud, Marc Jimenez e outros. António Guerreiro a desenvolver as suas vinhetas semanais, sem data e com aspas: «Todos aqueles que criticam o sistema em que vivemos, hoje à beira do colapso, parecem querer salvá-lo, incapazes de dar o salto que lhes permitiria pôr a questão de um recomeçoesse recomeço que já Walter Benjamin, no início dos 30 do séc. XX, dizia ser a atitude própria dos grandes construtores, daqueles que, fazendo tábua rasa do que vigorava antes, são induzidos a construir a partir do pouco que têm, sem olhar à direita nem à esquerda. Para essa atitude dos construtores capazes de fazer tábua rasa reservou Benjamin o conceito de barbárie positiva. Onde estão estes bárbaros?» Reflexão em tempo de greve

Fonte: LeCool