Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

O Blog Cultura de Borla aconselha:

JULIETA

UM ESPECTÁCULO DE MÁRIO GONZALEZ

com Elsa Valentim

Uma produção Act-Escola de Actores

 

Diferente a cada dia, este jogo com o tempo apresenta não um monólogo mas um diálogo com o público, até que passados exactamente sessenta minutos, o gongo volte a soar, levando consigo o som e a luz dessa clown que se encontra sempre de passagem.

 

12 a 15 de Abril – Teatro O Bando

Quinta a Sábado – 21h30

Domingo – 16h

 

+ informações : 21 233 68 50

 

 

 

 

Act - Escola de Actores

Complexo LxFactory

Rua Rodrigues Faria, 103

Edificio I - 0.2

1300-501 Lisboa

 

Tel:  21 301 01 68 Telm: 93 785 25 55

workshop@act-escoladeactores.com

www.act-escoladeactores.com

 

14 de abril - 27 de maio (inauguração a 13 de abril, 18h30) “10 CIDADES MEXICANAS PATRIMÓNIO MUNDIAL” EXPOSTAS EM FOTOGRAFIA EM MONSERRATE

 

 

Sintra, 3 de abril de 2012 – A partir do próximo dia 14 de abril (sábado), e até 27 de maio, a Parques de Sintra terá patente, no Palácio de Monserrate, em Sintra, a exposição de fotografia “10 Cidades Mexicanas Património Mundial”, com imagens das cidades reconhecidas pela UNESCO, no México, como Património Mundial: Campeche, Cidade do México e Xochimilco, Guanajuato, Morelia, Oaxaca, Puebla, Querétaro, San Miguel de Allende, Tlacotalpan e Zacatecas.

 

Esta exposição, iniciativa da Associação Nacional de Cidades Mexicanas Património Mundial (ANCMPM) através da Embaixada do México em Portugal, pretende ultrapassar fronteiras para dar a conhecer uma parte do México, apresentando a riqueza cultural e patrimonial destas cidades.

 

Sendo Sintra também área listada como Património Mundial pela UNESCO, e tendo em conta a recente recuperação e reabertura do Jardim do México no Parque de Monserrate, a Parques de Sintra considerou ser este o momento e local certos para a exposição, com 40 imagens a cores fortemente representativas da cultura e património mexicanos.

 

Assim, será possível aos visitantes observarem fotografias de locais como o Templo Maior (centro cerimonial mais importante da vida religiosa e económica dos Aztecas), a Catedral de Nossa Senhora da Imaculada Conceição, o Palácio das Belas Artes, a Mina de Guadalupe, a Cúpula do Santuário de Guadalupe, as Bailarinas de danças regionais e o Santo Enterro (cerimónia realizada na sexta-feira da Paixão no templo do oratório de São Felipe Néri), bem como a Catedral de Zacatecas, entre muitas outras.

 

A exposição “10 Cidades Mexicanas Património Mundial” já percorreu todo o México, bem como várias cidades dos Estados Unidos da América (como New York, Washington e São Francisco, entre outras), Canadá, Brasil, Chile, Argentina, Equador, República Dominicana, Áustria, Hungria e Quénia, chegando agora também a Portugal, no Palácio de Monserrate.

 

A Associação Nacional de Cidades Mexicanas do Património Mundial é um organismo sem fins lucrativos constituído em 1996 que tem como missão a preservação, a divulgação e a promoção do rico património cultural destas cidades.

www.ciudadesmexicanaspatrimonio.org

 

 

 

Contactos para imprensa:

Maria Alcaparra

Comunicação Parques de Sintra - Monte da Lua

219 237 300 / 92 549 55 41

maria.alcaparra@parquesdesintra.pt

 

 

Sobre a Parques de Sintra - Monte da Lua

A Parques de Sintra - Monte da Lua SA (PSML) é uma empresa de capitais exclusivamente públicos, criada em 2000, no seguimento da classificação pela UNESCO da Paisagem Cultural de Sintra como Património da Humanidade. A sua criação teve como objetivo reunir as instituições com responsabilidade na salvaguarda e valorização da Paisagem Cultural de Sintra, e o Estado Português entregou-lhe a gestão das suas principais propriedades na zona.

Em 2011, os valores naturais e culturais que a PSML salvaguardou e valorizou (Parque e Palácio da Pena, Chalet da Condessa, Castelo dos Mouros, Palácio e Jardins de Monserrate e Convento dos Capuchos) receberam aproximadamente um milhão e setenta mil visitas, cerca de 90% das quais por parte de estrangeiros. São acionistas da PSML o Instituto da Conservação da Natureza e Florestas, a Direção Geral do Património Cultural, o Turismo de Portugal e a Câmara Municipal de Sintra.

www.parquesdesintra.pt ou www.facebook.com/parquesdesintra

LER EM TODO LADO.

 

 

Abril é o mês dos Livros e da Leitura por excelência e, como não podia deixar de ser, as Bibliotecas Municipais de Lisboa convidam, pelo segundo ano consecutivo, a LER EM TODO LADO.

 

De 30 de março a 27 de abril, as bibliotecas promovem diversas iniciativas para celebrar o Dia Internacional do Livro Infantil e o Dia Mundial do Livro, dias 2 e 23 de abril, respetivamente.

 

As estórias despontam, a imaginação floresce e surgem as ações, para crianças, jovens, adultos e famílias. Do programa destacamos Noites de Encantar, com contadores de histórias e muita música, iremos recordar Christian Andersen e os seus contos mágico e promover uma Maratona de Leitura.

 

O ponto alto irá acontecer dia 21 de abril com Leitores e Livros em festa, do Chiado até ao Rossio - é a Arruada de Leitura.
Escritores assomam às varandas para lançar os seus poemas, que nos acompanham ao longo do percurso. Os grupos de percussão Paradiddle e Bombrando, dão música à festa e os alunos do Curso de Interpretação da escola EPI, irão interpretar escritores de língua portuguesa. A Livraria Gatafunho apresenta uma performance com personagens do imaginário infantil e o ator Manuel Coelho (gentilmente cedido pelo Teatro Nacional D. Maria II) fará a apresentação pública do Manifesto de Leitura, de José Fanha.

Ana Malhoa anima Páscoa do Alegro Castelo Branco

 

 

 

Este ano o Alegro Castelo Branco vai ter uma Páscoa ainda animada. Para além das amêndoas, ovos de chocolate e folares, o Alegro recebe Ana Malhoa, num concerto para animar miúdos e graúdos, no dia 7 de Abril, pelas 16h30.

 

O espetáculo tem lugar no CrazyBowling, a que se segue uma sessão de autógrafos na Praça da Restauração.

 

Ana Malhoa conta já com uma vasta carreira, que teve início aos 6 anos, em conjunto com o seu pai, José Malhoa. É uma das artistas portuguesas mais requisitadas, não só a nível nacional, mas é também uma presença assídua nas comunidades lusófonas espalhadas pelo globo, desde a América, passando pela Europa até à Austrália. Os seus trabalhos apelam a um vasto público, mais juvenil, que recorda os seus êxitos do tempo do “Super Buéréré”, até ao mais adulto, que segue os seus álbuns mais recentes.

 

Mas porque as tradições pascais também são importantes, de 6 a 8 de abril, o Jardim da Páscoa está no Alegro Castelo Branco. A animação dos mais pequenos está garantida com o ateliê de pintura de ovos e com a caça aos doces escondidos, que farão também as delícias dos mais crescidos.

 

 

AGENDA:

 

6 a 8 de abril - Jardim da Páscoa

Das 15h30 às 17h30 :: Praça de Eventos

 

7 de abril - Ana Malhoa no Alegro Castelo Branco

16h30 :: Concerto no CrazyBowling

17h30 :: Sessão de autógrafos na Praça da Restauração

MOÇAMBIQUE, Viagem de Regresso à Minha Infância

 







Estórias do Chapéu apresentam mais uma edição de CONTOS em LISBOA, na GERALDINE.
MOÇAMBIQUE, Viagem de Regresso à Minha Infância.
 

 

Paula Afonso, Narradora e Moçambicana regressou há pouco de uma viagem de retorno à Terra onde nasceu.
Consigo trouxe (re)encontros, memórias e os sentidos repletos de fortes sensações com que prenche o seu ( e os nossos corações).
Tudo isto nos traduzirá de viva voz, em narrativas e palavras inspiradas no próximo serão de Contos da Geraldine Lisboa,
organizado pelas Estórias de se Tirar do Chapéu.


" Os adultos também gostam de ouvir estórias e histórias.
Na viagem às minhas origens ouvi contadores e fazedores de histórias.
E o tempo ia passando, sem o relógio, só com o tempo das palavras.
Embrulhei-as em capulanas secretamente!
E quero partilhá-las convosco. Apareçam!"

Paula Afonso


É já amanhã,  dia 5,  primeira quinta feira de Abril , às 21 horas
3 euros c/ direito a bebida e "outros mimos" de inspiração moçambicana.

Reservas e mais informações : 93 659 95 08 ( Silvia Romero)

As reservas não são obrigatórias mas as entradas são limitadas à capacidade da sala.