Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

Festival i


Todo o Festival i, hora por hora!
http://www.dorfeu.pt/i
http://issuu.com/dorfeu/docs/i2012

A 19 e 20 de Maio, Águeda é palco de mais um Festival i. Nesta 4ª edição, a d’Orfeu propõe nova série de fascinantes propostas artísticas para o público infantil: desde a descoberta da música barroca até à animação circense, passando por histórias de encantar, teatro de pasmar e baile sem parar! Durante todo o fim-de-semana, o festival cria um roteiro por vários locais: Espaço d’Orfeu, Auditório do CEFAS, Biblioteca Municipal Manuel Alegre, Auditório Ana Paula Silva e pelas ruas da cidade. A produção nacional preenche na totalidade o programa deste Festival i, um evento non-stop dedicado à infância enquanto público, não só do futuro, mas já do presente. Em Águeda, as artes do espectáculo são trocadas por miúdos!

PROGRAMA COMPLETO
[foto Pedro Tochas em anexo]

SÁBADO 19 MAIO

14h30, Auditório Ana Paula Silva
No Tempo em que os Instrumentos Falavam
É sempre a mesma coisa! Charles nunca chega a horas! O público já está inquieto e as duas instrumentistas (flauta e cravo) têm que começar o espectáculo sem ele. É quando Charles irrompe pela sala, ofegante, para um espectáculo interactivo sobre... música barroca! Para crianças curiosas e adultos divertidos.

15h30, Auditório do CEFAS
O Nabo Gigante (Partículas Elementares)
Num pequeno e lindo quintal, onde vive um simpático casal de velhinhos, nasceu um nabo. Não um nabo qualquer, mas um nabo gigante! Tão gigante que ninguém o conseguia arrancar. O que fazer? Isso é o que vamos descobrir nesta história simples e visual em que mesmo o mais pequeno pode ter uma importância... gigante.

16h30, Espaço d’Orfeu - Latada
O Elefante não entra na Jogada (Companhia do Jogo)
Dois actores desdobram-se numa quantidade incrível de personagens. Tudo começa quando um guarda-redes teimoso se recusa a jogar e o presidente do Soquetes de Alpercatas tem que arranjar substituto para o jogo com o rival Riscadinhos FC, que também tem lacunas no plantel. As contratações são bizarras, a bicharada é toda contratada!

17h30, Espaço d’Orfeu - Quintal
Mimo’s Dixie Band
Grupo de animação de rua que conjuga as artes circenses com a alegria da música Dixie dos anos vinte tocada ao vivo. Uma dezena de músicos muito bem caracterizados e um malabarista com fogo, massas, bolas e outros adereços, para a animação permanente do sábado do Festival i.

18h30, Espaço d’Orfeu - Tenda
O Palhaço Escultor (Pedro Tochas)
Um malabarista entra no palco onde vai apresentar o seu espectáculo. Ao sentir o público, as suas emoções alteram-se. Apaixona-se, zanga-se, fica contente, fica triste, esquecendo-se que está ali para fazer malabarismo. Começa a utilizar balões para mostrar o que sente. O palhaço escultor vai reinventar o seu espectáculo com a ajuda do público do i!


DOMINGO 20 MAIO

10h30, Biblioteca Municipal Manuel Alegre
Borbolino (d’Orfeu)
Borbolino é um grilo de grande talento, que canta para Doiralina, uma estrela bailarina. A d’Orfeu orgulha-se de apresentar esta obra infantil (livro + CD) de Odete Ferreira. Antes da apresentação, um atelier de artes plásticas pelo ilustrador do livro, Ricardo Falcão, vai fazer pais e filhos partirem à descoberta das personagens da história.

14h30, Auditório Ana Paula Silva (Orfeão de Águeda)
P de Poesia (Trigo Limpo teatro ACERT)
Com textos do imaginário infantil, a Poesia chega aos mais novos de forma lúdica e descontraída. As histórias escondidas em cada Poema, conjugadas com o cenário, criam um enredo divertido para o Público de Palmo e meio. Ah, o P não é só de Poesia, há muitas outras Possibilidades!

15h30, Auditório do CEFAS
Há Lobos sem ser na Serra (BAAL 17)
Um avô até percebe que o neto se farta de só poder viajar na imaginação. Mas um avô também sabe o que é seguro. Um já é velho e usa a experiência. Outro é muito novo e muito curioso. Um espectáculo que fala, com ternura, da relação entre crianças e idosos perante as ameaças que podem muito bem ter a forma de um lobo.

16h30, Espaço d’Orfeu - Latada
As Viagens do Ferro-Velho (ZunZum)
O Zé Latão adora renovar tudo aquilo em que mexe mas, na sua aldeia, todos acham disparatadas as suas ideias. Um dia resolve visitar um sábio para lhe pedir ajuda. Acaba por partir em viagem, para conhecer novos mundos, ao volante do seu triciclo Zé Latinha e do seu atrelado Zé Latada. As surpresas vão suceder-se.

17h30, Espaço d’Orfeu - Quintal
Irmãos Esferovite
Família de palhaços musicais que recorre ao humor e ao novo circo. A interacção com o público é uma das suas armas de diversão, com números de malabarismo, equilibrismo, acrobacia e um reportório musical que passa pelo universo da banda desenhada e do circo. A animação de domingo no i!

18h30, Espaço d’Orfeu - Tenda
Bail’i (Toques do Caramulo)
O baile do i, este ano, é animado pelos Toques do Caramulo, que descem da carrinha das tournées e se instalam no palco do quintal. São muitas as músicas (re)conhecidas dos Toques que partiram de modinhas tradicionais infantis. Essas e outras vão proporcionar um baile alegre e interactivo para toda a família, no fecho deste 4º Festival i!






Concurso de Fogaça de Palmela

 

Vencedores são conhecidos no sábado

 

Convidamos os Senhores Jornalistas a estarem presentes na entrega de prémios do Concurso de Fogaça de Palmela, a decorrer no dia 19 de maio, sábado, às 17 horas, na Casa Mãe da Rota de Vinhos da Península de Setúbal/ Costa Azul, no Largo de S. João, em Palmela.

 

O Concurso decorre no âmbito do Mês da Fogaça, iniciativa inserida no projeto “Palmela – Experiências com Sabor!”, numa organização da Câmara Municipal de Palmela e da Confraria Gastronómica de Palmela, com o apoio da Associação da Rota de Vinhos da Península de Setúbal/ Costa Azul e da Junta de Freguesia de Palmela.

A promoção da Fogaça de Palmela, a principal “estrela” da doçaria regional, é um dos objetivos centrais do concurso, aberto à participação de todos os interessados, tanto a nível pessoal como em representação de empresas. Cada concorrente deverá apresentar a concurso um mínimo de duas fogaças, acompanhadas da respetiva receita.

            A apresentação e avaliação das fogaças tem início às 16 horas, seguindo-se a deliberação do júri, composto por Nuno Gil, da Confraria Gastronómica de Palmela (Presidente de Júri), pelo Vereador Luís Miguel Calha, da Câmara Municipal de Palmela, pelo Presidente da Junta de Freguesia de Palmela, Fernando Baião, pelo Chef Nelson Félix, da Escola Superior de Hotelaria e Turismo do Estoril, e por Maria de Lourdes Machado, vencedora do Concurso de Fogaça de Palmela 2011.

 

CONFERÊNCIAS “SPECTRUM” NA CASA-MUSEU MEDEIROS E ALMEIDA

A 23 e a 30 de maio




 

Nos dias 23 e 30 de maio realizam-se na Casa-Museu Medeiros e Almeida, em Lisboa, duas conferências no âmbito da exposição temporária Spectrum – Novos modos do funcionamento da Imagem na Arte Contemporânea. A primeira conferência é em torno da imagem e conta com Pascal Krajewski, José Quaresma e Hugo Ferrão, enquanto a segunda foca-se na exposição patente na Casa-Museu, com os artistas Pedro Cabral Santo, Helena Ferreira, Jorge Catarino e Joana Gomes. Esta iniciativa tem início sempre às 18h00 e, tal como a exposição, é aberta ao público, com entrada gratuita.

 

«O primeiro painel, a 23 de maio, centra-se na própria imagem enquanto problema, nas suas dimensões presenciais e percetivas e as relações com a arte», explica Fernando Rosa Dias, comissário científico de Spectrum. «Um dos intervenientes é Pascal Krajewski, formado em engenharia e doutorado em Ciências da Arte em torno de questões sobre as novas tecnologias e o estatuto da imagem, tendo conceptualizado sobretudo sobre a sua dimensão phasmica», acrescenta o responsável.

 

A segunda conferência, no dia 30, apresenta uma amostra dos próprios artistas presentes na exposição Spectrum, agora enquanto investigadores. «Constituem o painel Pedro Cabral Santo, que tem pesquisado como a imagem em movimento tem afetado os modos expositivos das artes plásticas; Helena Ferreira, que tem trabalho a imagem especular de várias fontes num cruzamento atento ao espaço e à memória dos reflexos; Joana Gomes, que tem investigado em torno das relações entre a imagem em movimento e a imagem fixa e como estas se podem influenciar mutuamente; e Jorge Catarino, que tem investigado em torno do híbrido, enquanto figura e enquanto imagem, atento à sua exploração na arte», informa o comissário científico.

 

Sobre Spectrum

Spectrum – Novos modos do funcionamento da Imagem na Arte Contemporânea, apresenta obras de 17 autores contemporâneos, que vão desafiar os visitantes da Casa-Museu Medeiros e Almeida a abandonar ideias feitas e a observar as peças com um olhar livre. Trata-se de uma iniciativa em tripla parceria entre a Escola Superior de Belas Artes de Lisboa, a gAD – Galeria Antiks Design e a Casa-Museu Medeiros e Almeida. Entre 8 de maio e 14 de julho de 2012, de segunda a sexta-feira, das 13h00 às 17h30, e aos sábados das 10h00 às 17h30 na Casa-Museu Medeiros e Almeida, na Rua Rosa Araújo, 41. A entrada na Casa-Museu será gratuita durante esta exposição. As visitas guiadas têm o preço de 6 euros por pessoa (necessária marcação através do 21 354 78 92 ou info@casa-museumedeirosealmeida.pt).

 

Os artistas em acervo: Ana Rebordão, Ana Vieira, Carlos Heinrich, Helena Ferreira, Inês Teles, Joana Gomes, Jorge Catarino, Júlio Almas, Magda Delgado, Margarida Mateiro, Maria Sassetti, Paulo Lourenço, Pedro Cabral Santo, Pedro Henriques, Sara Bichão, Tiago Batista e Xana Sousa.

 

 

O Cultura de Borla Aconselha:

No Teatro Municipal do Barreiro
dias 12 e 19 Maio 2012
Sábados às 16h

A Companhia Animateatro http://www.animateatro.org 

Num jardim comum a todos, uma menina brinca, uma mosca surge……


A mosca indignada com a falta de zelo por parte dos humanos com os seus animais de estimação, pretende alertar para os perigos dos dejectos animais deixados em espaços públicos….encontra nessa criança uma aliada….no final deste grande dia, não existirá ninguém que consiga parar o esquadrão pró animal!!!


O Espectáculo
O contacto com a arte teatral estimula, desde a infância, a imaginação e a criatividade, possibilitando um desenvolvimento psicomotor mais expressivo na relação com as pessoas e com o meio envolvente.
A Animateatro aprofundando mais uma vez a sua relação e linguagem com as crianças, criou este espectáculo a fim de sensibilizar o público infantil e Juvenil de uma forma divertida para a problemática dos dejectos caninos deixados em espaços públicos, fomentando assim o dever cívico e a consciência ambiental.



Ficha técnica e artística
Texto: Ricardo G. Santos
Concepção/ Direcção: Lina Ramos e Ricardo G. Santos
Elenco: João Zhoraide/ Cláudia Palma
Cenografia/Adereços e Figurino: João Graça
Costureira: Lurdes Almeida
Composição Musical: Ricardo G. Santos
Imagem: César Duarte
Desenho de Luz: Paulo Couto/ Ricardo G. Santos
Técnico de Luz e Som: Ricardo G. Santos
Produção: Lina Ramos
Espectáculo com duração de 50 min., classificado para maiores de 4 anos.

Cinema no Barreiro

 

 

 

18 maio | 21h30 | Biblioteca Municipal do Barreiro | com a presença do realizador, José Filipe Costa

De: José Filipe Costa
Género: Documentário
Classificação: M/12
POR, 2011, Cores, 1h22 min.
Prémio 'Melhor Filme Português', Festival IndieLisboa 2011

Linha Vermelha
recua a 1975, quando o alemão Thomas Harlan filmou o documentário Torre Bela, sobre a ocupação de uma grande herdade no Ribatejo, propriedade dos duques de Lafões. Torre Bela transformou-se num ícone do período revolucionário português: a discussão acalorada sobre a quem pertence uma enxada da cooperativa, a ocupação do palácio, o encontro dos ocupantes com os militares em Lisboa e o processo de formação de uma nova comunidade… Trinta e seis anos depois, José Filipe Costa revisita esse filme emblemático, reencontrando os seus protagonistas e a sua equipa. Qual foi o impacto da presença da câmara sobre os acontecimentos? Que influência teve o filme sobre a memória dessa experiência? Linha Vermelha mostra como Torre Bela continua hoje a marcar a história de um período conturbado do país.

Linha Vermelha

De: José Filipe Costa
Género: Documentário
Classificação: M/12
POR, 2011, Cores, 1h22 min.
Prémio 'Melhor Filme Português', Festival IndieLisboa 2011

Linha Vermelha
recua a 1975, quando o alemão Thomas Harlan filmou o documentário Torre Bela, sobre a ocupação de uma grande herdade no Ribatejo, propriedade dos duques de Lafões. Torre Bela transformou-se num ícone do período revolucionário português: a discussão acalorada sobre a quem pertence uma enxada da cooperativa, a ocupação do palácio, o encontro dos ocupantes com os militares em Lisboa e o processo de formação de uma nova comunidade… Trinta e seis anos depois, José Filipe Costa revisita esse filme emblemático, reencontrando os seus protagonistas e a sua equipa. Qual foi o impacto da presença da câmara sobre os acontecimentos? Que influência teve o filme sobre a memória dessa experiência? Linha Vermelha mostra como Torre Bela continua hoje a marcar a história de um período conturbado do país.

Finisterra – Arrábida Film, Art & Tourism Festival

 

Palmela recebe mostra de filmes promocionais e exposições

 

Palmela recebe, entre 24 de maio e 1 de junho, um conjunto de atividades integradas no programa do Finisterra – Arrábida Film, Art & Tourism Festival. O Festival, que aposta fortemente na divulgação de filmes de promoção turística, pretende dar a conhecer ao mundo a Arrábida e o seu património, ao mesmo tempo que se constitui como ponto de encontro para mostrar outros países, regiões e culturas.

Além de diversas sessões de filmes a concurso, em exibição no Auditório da Biblioteca Municipal de Palmela (25, 28, 30 e 31 de maio, às 16 horas) e no Auditório Municipal de Pinhal Novo (25 de maio a 1 de junho, às 16 e às 21h30), Palmela é palco, no dia 24 de maio, de um conjunto de iniciativas, de acordo com o seguinte programa:

 

15h00 | Largo de S. João

Inauguração da exposição "Fé nos Burros"

Fotografias de grande formato de Alfandega da Fé - fotógrafo João Pedro Marnoto

 

15h30 | Galeria da Biblioteca Municipal de Palmela

Inauguração da exposição fotográfica "O Cabo Espichel Escondido" - A Gruta do Meio (Cabo Espichel). Topografia e descrição por Rui Francisco, AAA - Associação Arrábida Antiga


16h30 | Auditório da Biblioteca Municipal de Palmela

Abertura do Festival Finisterra Arrábida Film Festival em Palmela

 

16h45 | Auditório da Biblioteca Municipal de Palmela

1º Sessão de filmes - filme "A Fé nos Burros", seguida de conferência pelo autor

 

Os filmes em exibição e concurso integram-se nas categorias Filme Publicitário (duração até 2 minutos), Filme de Divulgação/ Promoção (duração até 15 minutos) e Filme Documentário ou Reportagem (duração até 65 minutos).O Festival Finisterra decorre, em simultâneo, em Palmela, Sesimbra, Setúbal, Lisboa e Tróia, entre 22 de maio e 3 de junho.

Mais informação em http://www.ipa.univ.pt/finisterra/