Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

SERRALVES EM FESTA RECEBE MERCADO DE AUTOR

 

 

Dias 2 e 3 de Junho a 9.ª Edição de SERRALVES EM FESTA recebe o Mercado de Design e Artesanato Contemporâneo, que estará a funcionar das 10hh00 às 20h00. A organização está a cargo de Arquitexturas® - Organização de Eventos responsável por eventos como Mercado Crafts & Design (Jardim da Estrela, Casa da Cerca, Chiado) ou Mercado Texturas e Cores ambos com apoio da Câmara Municipal de Lisboa.

 

Esta iniciativa reúne cerca de quatro dezenas de criadores oriundos de diversos pontos do país com projetos constituídos por peças de autor em áreas como a moda, decoração, ilustração, design, joalharia, entre outras.

 

Os criadores presentes são o espelho das mais recentes tendências do artesanato urbano e do design. Os projectos que apresentam refletem criatividade e qualidade com o objetivo de proporcionar, ao público visitante, propostas diferenciadoras, arrojadas e que se integrem no espírito do SERRALVES EM FESTA.

 

 

Chafariz D. Maria I

 

 

Classificação como Monumento de Interesse Público em audiência prévia

 

O Projeto de Decisão relativo à classificação do Chafariz D. Maria I, na vila de Palmela, como Monumento de Interesse Público (MIP) e à fixação da respetiva Zona Especial de Proteção (ZEP) foi publicado em Diário da República no dia 29 de maio. Este documento dá início ao período de consulta pública, que terá a duração de 30 dias úteis.

A definição da ZEP tem como objetivo assegurar a proteção do Chafariz e da sua envolvente imediata. O monumento foi alvo, em 2011, de uma intervenção profunda no âmbito do Programa de Recuperação e Dinamização do Centro Histórico de Palmela, cofinanciada pelo QREN, através do PORLisboa, regulamento específico Política de Cidades – Parcerias para a Regeneração Urbana. Mandado construir por D. Maria I no século XVIII, o Chafariz é uma peça de grande valor arquitetónico que marca, de forma emblemática, uma das entradas da vila sede de concelho.

As observações dos interessados deverão ser apresentadas junto da DRCLVT – Direção Regional de Cultura de Lisboa e Vale do Tejo, que se pronunciará no prazo de 15 dias úteis. Caso não sejam apresentadas observações, a classificação e a ZEP serão publicadas em Diário da República, tornando-se efetivas e abrangendo, a partir dessa data, os imóveis aí incluídos.

O processo administrativo original está disponível para consulta na DRCLVT, situada na Avenida Infante Santo, n.º 69, 1º, em Lisboa. Informação em www.cm-palmela.pt, www.drclvt.pt e www.igespar.pt.

 

 

 

Finisterra – Arrábida Film, Art & Tourism Festival

 

Exposições e sessões diárias no Auditório Municipal

 

Palmela é palco, durante esta semana, de um conjunto de atividades integradas no programa do Finisterra – Arrábida Film, Art & Tourism Festival. O Festival, que aposta fortemente na divulgação de filmes de promoção turística, pretende dar a conhecer ao mundo a Arrábida, Candidata a Património Mundial, ao mesmo tempo que se constitui como ponto de encontro para mostrar outros países, regiões e culturas.

Além de diversas sessões de filmes a concurso, em exibição no Auditório Municipal de Pinhal Novo, Palmela recebe um conjunto de iniciativas, com destaque para as exposições "Fé nos Burros" - fotografias de grande formato de Alfandega da Fé, pelo fotógrafo João Pedro Marnoto – patente no Largo de S. João até 3 de junho, e a exposição “O Cabo Espichel Escondido – a Gruta do Meio”, da Associação Arrábida Antiga, que viu o seu prazo alargado e estará, agora, disponível na Galeria da Biblioteca Municipal de Palmela até 30 de junho.

No dia 2 de junho, sábado, um conjunto de produtores e realizadores internacionais, acompanhados por uma comitiva de jornalistas estrangeiros, realizam uma visita à Arrábida, que chega a Palmela ao início da tarde, com passagem pelo Castelo e pelo Festival do Moscatel. Está confirmada a presença, entre outros, de Guido Cerasuolo, Concha Pelayo, Hervé Timarche, Carlos Alberto Henriques, Annita Grispou, Piotr Owczarski, Vladimir Kaylowic, Elvis Veiguinha, Carlos Coelho da Silva, Mário Patrocínio, José Duarte, Carlos Araújo, Eduardo Pinto, Jacques Mer, Eloísa Silva, Pedro Carvalho, Carlos Rodrigues e Paulo Fajardo.

 

 

Largo de S. João

Exposição "Fé nos Burros"

Fotografias de grande formato de Alfandega da Fé - fotógrafo João Pedro Marnoto

Projeto Faith in Donkeys - www.faithindonkeys.com

Patente até 3 de junho

 

Galeria da Biblioteca Municipal de Palmela

Exposição fotográfica "O Cabo Espichel Escondido" - A Gruta do Meio (Cabo Espichel)

Topografia e descrição por Rui Francisco, AAA – Associação Arrábida Antiga

Patente até 30 de junho


Filmes em exibição nos próximos dias, no Auditório Municipal, em Pinhal Novo:

 

            30 de maio

            16h00  The Forgotten District

                        The Icon of Uros Predic

                        Flamenco Espiritual – Segóvia

                        Enconter the Unexpected

                        Arrábida (candidatura)

 

            21h30  Berlenga, a Ilha do Farol

                        Convenção de Lisboa 2013

                        Prince Gong’s Mansion

                        Arte Xávega – o Chamamento do Mar

 

            31 de maio

            16h00  “Alcaxete”, a Outra Margem

                        Aegialis Hotel

                        Anthia – Paraíso Atlântico

                        Atrás das Pedras

                        Beauty of Simplicity

                        Mau Rei

                        Live in Aldeia da Baía

 

            21h30  Palmela, Cidade Europeia do Vinho 2012

                        My Cross

                        Escape to Nature

                        Landscape China’s Horizons

                        Pronzan

                        Sesimbra, Mar de Muitas Emoções

                        Tierra de Cáceres

                        Desertas Aquáticas

 

            1 de junho

            16h00  Monsaráz – Águaterracante

                        The Tourist

                        The Unusual Case of a First Grader

                        Dunguang Flying Apsaras

           

            21h30  Berlenga, A Ilha do Farol

                        Convenção de Lisboa 2013

                        Prince Gong’s Mansion

                        Arte Xávega – O Chamamento do Mar

                       

 

O Festival Finisterra decorre, em simultâneo, em Palmela, Sesimbra, Setúbal, Lisboa e Tróia, entre 22 de maio e 3 de junho. Mais informação em http://www.ipa.univ.pt/finisterra/

 

 

“Info Parques de Sintra” inaugura para incentivar percursos pedestres na Serra de Sintra

4 de Junho, 18h30


 

  • Antiga casa de cantoneiros totalmente recuperada
  • À entrada do centro histórico de Sintra
  • Informação sobre percursos pedestres, exposições, venda de bilhetes
  • Investimento aproximado de 170.000 Euros na recuperação

 

Sintra, 30 de maio 2012 – A Parques de Sintra inaugura, no próximo dia 4 de junho (Segunda-feira), pelas 18h30, na estrada entre S. Pedro e o centro histórico de Sintra, a casa que foi recuperada pela empresa para prestação de informação e apoio aos visitantes que pretendam saber mais sobre os percursos pedestres na área Património da Humanidade em Sintra.

 

Este edifício, antiga casa da ex-Junta Autónoma de Estradas, que se encontrava em ruína, foi em 2011 arrendado pela Direção Geral do Tesouro e Finanças à Parques de Sintra. A recuperação da casa teve como finalidade a sua adaptação a centro de apoio a percursos pedestres na Serra de Sintra, tendo em conta a sua óptima localização em termos viários e pedonais, que a torna um local privilegiado para ponto de partida. A recuperação, com um investimento de aproximadamente 170.000 Euros, respeitou a volumetria, características e elementos decorativos do imóvel, de modo a preservar a sua imagem original.

Foi também beneficiada a área envolvente, incluindo arranjos exteriores da parcela de terreno, a reativação do sistema de águas, a criação de acessos pedonais, a recuperação do muro existente e a delimitação da propriedade.

 

No local será possível encontrar mapas sobre os percursos pedestres, bem como assistir a uma projeção sobre as várias opções aconselhadas, adquirir bilhetes para as áreas sob tutela da Parques de Sintra, ou simplesmente obter mais informações sobre a Paisagem Cultural de Sintra.

 

No âmbito do projeto Bio+Sintra (co-financiado pelo programa Life+ da União Europeia) a Parques de Sintra colocou sinalética de madeira gravada ao longo dos percursos pedestres aconselhados, no sentido de facilitar o percurso sem, no entanto, interferir demasiado com a paisagem.

 

 

 

 

Sobre a Parques de Sintra - Monte da Lua

A Parques de Sintra - Monte da Lua SA (PSML) é uma empresa de capitais exclusivamente públicos, criada em 2000, no seguimento da classificação pela UNESCO da Paisagem Cultural de Sintra como Património da Humanidade. A sua criação teve como objetivo reunir as instituições com responsabilidade na salvaguarda e valorização da Paisagem Cultural de Sintra, e o Estado Português entregou-lhe a gestão das suas principais propriedades na zona.

Em 2011, os valores naturais e culturais que a PSML salvaguardou e valorizou (Parque e Palácio da Pena, Chalet da Condessa d’Edla, Castelo dos Mouros, Palácio e Jardins de Monserrate e Convento dos Capuchos) receberam aproximadamente um milhão e setenta mil visitas, cerca de 90% das quais por parte de estrangeiros. São acionistas da PSML o Instituto da Conservação da Natureza e Florestas, a Direção Geral do Património Cultural, o Turismo de Portugal e a Câmara Municipal de Sintra.

www.parquesdesintra.pt ou www.facebook.com/parquesdesintra

A segunda residência da Red Bull House of Art em 2012

 

 


 

Na segunda residência do ano na Red Bull House of Art, quem manda é a imaginação de Lúcia Prancha. “o sol que emite uma luz negra” é o seu projecto, que combina referências ao imaginário romântico – especialmente ao simbolismo da sombra – e a personagens da cultura brasileira numa elaborada composição de ambientes soturnos, que remetem para a obscuridade. Estes temas indiciam-se num conjunto de esculturas e numa série de encontros com personalidades brasileiras e apresentações de filmes de terror organizados pela artista.

 

A primeira mulher a ocupar a casa mais criativa de Lisboa é uma verdadeira cidadã do mundo: a artista, nascida em 1985, estudou na Universidade de Lisboa mas vive há alguns anos em São Paulo, aí fazendo múltiplas coisas. Por exemplo, estudou da Universidade de São Paulo, recebeu uma bolsa da 2ª edição do programa INOV-Art para realizar um estágio profissional no departamento de Pesquisa e Curadoria da Pinacoteca do Estado de São Paulo. Integrando a mais recente geração de artistas portugueses, Lúcia Prancha distingue-se pela irreverência e a ironia.

 

Lúcia Prancha adopta o evento como objecto de trabalho e a vivência de situações como prática, interceptando acontecimentos, ficções, figuras e períodos históricos nos seus projectos. Este processo de transferência de um ponto para outro caracteriza-se por um conjunto de conexões invisíveis – réplicas de objectos, articulações de sentidos – que constroem imagens, assim tornando material a relação da artista com tais ideias.

 

Lúcia Prancha explora as fronteiras entre desenho, instalação e performance, bem como a tradução destas disciplinas em publicação. Desde o ano passado que desenha uma série de objectos relacionados com os dois países onde vive: Portugal e Brasil. Numa análise acerca destes dois lugares, realiza obras que reflectem a contradição entre o optimismo económico brasileiro e uma Europa eclipsada pela crise.

 

“o sol que emite uma luz negra” é um projecto comissariado por Miguel Amado, cuja biografia assenta às mil maravilhas na Red Bull House of Art. Formado em Curating Contemporary Art no Royal College of Art, em Londres, o seu engenho já se manifestou em instituições tão emblemáticas como a Tate St Ives, no Reino Unido, e a Rhizome no New Museum de Nova Iorque ou, por cá, a Fundação PLMJ e o Museu Colecção Berardo. A sua reconhecida colaboração com jovens artistas, marcada por um gosto pelo risco e uma fuga ao convencionalismo, encontra na Red Bull House of Art um local de eleição.

 

Os audazes e os curiosos estão convidados para as Open House que decorrem a 15, 22 e 29 de Junho e a 6 de Julho (consultar o programa em www.redbull.pt/houseofart). São oportunidades perfeitas para espreitar o work in progress de um projecto que promete agitar os alicerces do conformismo.

 

Residência artística: 21 de Maio a 11 de Julho de 2012

Inauguração: 12 de Julho

Exposição: 13 de Julho a 11 de Agosto, de terça-feira a sábado, das 14h às 19h

 

O que é a Red Bull House of Art? http://www.redbull.pt/cs/Satellite/pt_PT/Video/Sabe-mais-sobre-a-Red-Bull-House-of-Art-021243158207350

 

Mapa de localização: http://maps.google.pt/maps/ms?ie=UTF8&hl=pt-PT&msa=0&msid=200876475708978656112.00049dbb8c82ccf64c287&t=h&z=19

Espetáculo “Da Cor da Água” assinala Dia do Concelho

Gala Cidade Europeia do Vinho 2012


 

Na noite de 1 de junho, Palmela assinala o Dia do Concelho com a realização da Gala Cidade Europeia do Vinho 2012, que celebra, também, a distinção atribuída ao Município pela RECEVIN, a Rede Europeia das Cidades do Vinho.

O programa tem início às 21 horas, no Largo de S. João, com a inauguração da Exposição de Fotografia IN OUT, que ficará patente no Paredão do Largo durante todo o verão. Na abertura desta mostra, que retrata alguns dos melhores momentos do ciclo criativo com o mesmo nome, desenvolvido pela DançArte desde 2008, a companhia apresenta Dança no Ar e música ao vivo.

Já no Cineteatro S. João, o espetáculo “Da Cor da Água: do Tempo em que as Mulheres Não Entravam nas Tabernas”, composto e dirigido pelo Maestro Jorge Salgueiro, tem início às 21h30. A partir das cinco canções e árias de ópera mais populares que falam de vinho, Jorge Salgueiro construiu cinco prelúdios e a ideia de um espetáculo alicerçado nos próprios músicos como intérpretes, não só do seu instrumento, mas também da dramaturgia. Jorge Salgueiro nasceu em Palmela em 1969. Músico e compositor, compõe regularmente desde os 14 anos, sendo autor de cerca de 190 obras, entre óperas, sinfonias, fábulas sinfónicas e música para orquestra, banda, coro, de câmara, teatro, cinema, bailado e para crianças. Entre 2000 e 2010, foi compositor residente da Banda da Armada Portuguesa. É membro da direção artística do grupo de teatro O Bando e compositor residente da Foco Musical.

Entrada livre, mediante levantamento na bilheteira do Cineteatro (levantamento máximo de dois bilhetes por pessoa).

 

Composição, direção artística e conceção global: Jorge Salgueiro

Dramaturgia e encenação: Miguel Jesus

Figurinos e adereços: Clara Bento

Canto: Leila Moreso

Violinos: António Barbosa e Jorge Vinhas

Violeta: Cátia Santadreu

Violoncelo: Genoveva Dimitrova

Contrabaixo: Diogo Dias

Piano: Paulo Tavares

Género: Concerto encenado

M/6

Org.: Câmara Municipal de Palmela

 

 

 

 

 

 

VIAGEM AOS BASTIDORES DAS MARCHAS POPULARES DE LISBOA

 

Dias 2 e 3 às 21h00, na RTP2




É um documentário em dois episódios resultado de um acompanhamento durante mais de 3 meses dentro dos bastidores das Marchas Populares de Lisboa.

É uma viajem por quatro bairros de Lisboa: Madragoa, Alfama, Castelo e Marvila na qual se partilharam as emoções de quem neles constrói as Marchas Populares de Lisboa, do primeiro ensaio até ao dia do Desfile na Avenida da Liberdade.

Desta vivência nasceu este documentário que se divide em duas partes com cerca de uma hora: a primeira, mais intimista, acompanha o secreto processo de preparação das quatro marchas escolhidas; a segunda, sai à rua e segue as Marchas nos ensaios e exibições no Pavilhão Atlântico e Avenida da Liberdade.

Os personagens que nos guiam foram selecionados no seio de cada marcha, dos quatro bairros rivais, com ricas histórias de vida. Seguimo-los nos meandros dos bairros e no interior das coletividades, acompanhando-os no seu dia-a-dia, até à privacidade das suas casas.

Os testemunhos dos personagens protagonistas, responsáveis, artesãos, ensaiadores, marchantes, costureiras, contagiaram-nos com o pulsar dos seus corações.

Este documentário é uma produção para a RTP2 com o apoio da EGEAC.
 
Produção: Livremeio
Realização: Carlos Fraga
 

Milhares de peças LEGO em exposição dedicada à 7.ª Arte

 

 

Alegro Alfragide e Alegro Castelo Branco

 


 

De 25 de Maio a 3 de Junho, os centros comerciais Alegro Alfragide e Alegro Castelo Branco recebem a primeira exposição oficial da LEGO em Portugal dedicada ao cinema. A entrada é gratuita e permite a crianças e adultos explorar o imaginário através do famoso brinquedo que atravessou gerações. Será ainda sorteada uma viagem à Legolândia, em parceria com a agência Abreu.

 

A 7.ª Arte revisitada através de um dos brinquedos mais famosos do mundo é o desafio que os centros comerciais Alegro lançam aos seus visitantes. “Star Wars”, “Harry Potter” ou “Indianas Jones” são apenas alguns exemplos.

 

A iniciativa conta também com workshops de construções onde as crianças podem largar à imaginação e criar diferentes combinações com as famosas peças de plástico. Dia 2 de Junho, no Alegro Alfragide, Pedro Nascimento, um fã incondicional da marca, estará presente durante todo o sábado a fazer construções, às 15h00, realiza-se um workshop.

 

Fabricado desde meados da década de 50, o LEGO tornou-se popular em todo o mundo, permitindo a miúdos e graúdos construir com imaginação inúmeros cenários diferentes.

 

Exposição LEGO CINEMA

25 de Maio a 3 de Junho

Alegro Alfragide e Alegro Castelo Branco

 

Alfragide: de 2.ª a 6.ª :: 17h as 21h, fim‑de‑semana :: 11h as 21h

Castelo Branco: fim‑de‑semana :: 15h as 18h

 

Entrada gratuita

Apresentação de livro e DVD, dia 2 às 11h00, na Basílica do Palácio Nacional de Mafra

 

"OS SEIS ÓRGÃOS DA BASÍLICA DE MAFRA"


No próximo dia 2 de junho, em concerto de entrada livre integrado no Congresso Europa Nostra, será apresentado ao público o livro com DVD «Os Seis Órgãos da Basílica de Mafra», uma edição da “Althum.com” em parceria com a RTP e o IMC (Instituto dos Museus e Conservação).  

O livro conta com textos do musicólogo Rui Vieira Nery, presidente da Comissão Científica de acompanhamento, do organista João Vaz, consultor permanente do restauro e de Mário Pereira, atual diretor do Palácio Nacional de Mafra, assim como imagens dos instrumentos e explicações detalhadas sobre os mesmos. Todos os textos são apresentados em inglês e português.  

O DVD disponibiliza o registo do concerto inaugural do restauro do monumental conjunto, que teve lugar no dia 15 de maio de 2010. Nesse dia, os seis órgãos voltaram a soar juntos pela primeira vez em 200 anos, um acontecimento há muito aguardado e possibilitado por um processo de mais de uma década de recuperação. O exemplar restauro de que foram alvo foi galardoado, este ano, com o Prémio Europeu para o Património – Europa Nostra, na categoria Conservação.  

Para além do registo do concerto, o DVD inclui o programa «Câmara Clara», da RTP2, de 9 de maio do mesmo ano, inteiramente dedicado aos órgãos de Mafra: «Os Seis Órgãos da Basílica de Mafra».      

Lançamento
Concerto no dia 2 de junho, entre as 11h00 e as 11h30, na Basílica do Palácio Nacional de Mafra. Entrada livre mediante marcação através do 261 817 550.  
 

V FESTIVAL DAS COMPANHIAS DA DESCENTRALIZAÇÃO

 

DE 5 a 9 de JUNHO

TEATRO GARCIA DE RESENDE

ÉVORA

 

 

O Cendrev – Centro Dramático de Évora, acolhe este ano, a 5.ª edição do Festival das Companhias da Descentralização, que irá decorrer de 5 a 9 de Junho, no Teatro Garcia de Resende.

 

 

Enviamos em anexo a apresentação do espectáculo de abertura e poderá consultar todo o Programa do Festival no link que se segue:

http://issuu.com/cendrev/docs/prog_issue?mode=window&backgroundColor=%23222222

 

ou através do nosso site:

www.cendrev.com

 

 

A organização do Festival, reúne em Évora espectáculos de seis companhias sediadas fora dos principais centros urbanos do país: A Escola da Noite de Coimbra; Teatro das Beiras da Covilhã; Teatro do Montemuro de Campo Benfeito, Castro Daire; ACTA – A Companhia de Teatro do Algarve; Companhia de Teatro de Braga e Centro Dramático de Évora - Cendrev.

 

Estes encontros anuais já decorreram em Faro (2005), Braga (2008), Montemuro (2009), Coimbra (2010) e agora em Évora. As suas duas últimas edições, Évora e Coimbra, integram a rede CULTURBE, um projecto de programação organizado a partir de um quadro de relação que se foi estruturando ao longo dos anos entre o Teatro Circo em Braga, O Teatro da Cerca de São Bernardo em Coimbra e o Teatro Garcia de Resende em Évora, espaços de residência de três companhias. Este projecto, que integra também a circulação de produções internacionais nos três teatros, foi acolhido positivamente no âmbito do QREN através de um financiamento estabelecido pelas CCDR do Norte, Centro e Alentejo. 

 

Este processo de trabalho, cujo primeiro ciclo concluiremos na Covilhã, tem como objectivo: «valorizar a criação artística no desenvolvimento das cidades médias e das suas regiões (dando consistência prática ao desenvolvimento integrado de todo o território nacional) e valorizar a figura da companhia de teatro como elemento essencial à estruturação e à sustentabilidade do sector artístico em Portugal».

 

O Centro Dramático de Évora – Cendrev, enquanto companhia anfitriã da 5ª edição do Festival das Companhias da Descentralização, deixa mais este desafio ao estimado público, porque acreditamos que o teatro é, pela sua natureza, uma actividade profundamente ligada à vida dos homens. Apesar dos dias difíceis que vivemos, o teatro continuará a representar a sua importante função na vida dos povos. Contamos convosco para fazer deste encontro também uma festa de celebração do teatro.

 

“Hamlet da Silva” de Miguel Morrilo


em cena no Teatro-Estúdio Mário Viegas

em Junho passa das Segundas para os Sábados

 

Buzico! vem por este meio comunicar que a comédia “Hamlet da Silva” de Miguel Morillo, que está em cena no Teatro Estúdio Mário Viegas (ao Chiado, em Lisboa), desde 27 de Fevereiro, passará a partir de Junho das Segundas para os Sábados às 21h00.


A peça apresenta-se como “uma comédia negra adaptada ao quotidiano Português", encenada por Eduardo Condorcet. Alexandra Sargento, Augusto Portela, Catarina Matos e Marco Costa, interpretam com humor e inteligência este inquietante quanto humorado acto teatral, onde ficção e realidade são elementos convergentes para o resultado inovador desta comédia urbana.  O ditado popular castelhano “hoje é um dia perfeito, mas espera um bocado que já vem aí um gajo e lixa-te” ilustra sobremaneira este acutilante espectáculo. São quatro histórias de quatro pessoas comuns, carregadas de humor e ironia, que insinuam a impossibilidade de comunicação e a solidão a que se está sujeito. O espectador acaba por rever-se nas peripécias montadas, ao mesmo tempo que participa na comédia e ajuda a desvendar o final.