Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

SERVIÇO DE CHÁ DE NAPOLEÃO BONAPARTE EM EXPOSIÇÃO NA CASA-MUSEU MEDEIROS E ALMEIDA

 

Após ser derrotado na Batalha de Waterloo em 1815, Napoleão Bonaparte (1769-1821) foi enviado para o exílio na ilha de Santa Helena. Na viagem até ao Atlântico sul, a fragata inglesa Northumberland fez uma paragem para encomendar mantimentos e objetos de caráter pessoal para o exilado, ancorando ao largo do Funchal, na Madeira. Na Sala das Pratas da Casa-Museu Medeiros e Almeida pode agora ver o serviço de chá português de Napoleão encomendado há quase 197 anos, a 22 de agosto de 1815.

 

O serviço de chá em prata é composto por um bule e sua taça de pingos, cafeteira, leiteira e açucareiro. Estas cinco peças são da autoria do ourives António Firmo da Costa (1767-1824) e têm gravado o monograma de Napoleão, rodeado de coroa de louros.

 

Após a morte de Napoleão Bonaparte em 1821, todo o espólio presente na sua residência em Longwood, na ilha de Santa Helena, foi leiloado, sendo este serviço adquirido pelo avô do Coronel J. H. Gideon, que pertenceu ao regimento de infantaria inglesa que se distinguiu nas guerras napoleónicas.

 

António de Medeiros e Almeida adquiriu o serviço de chá de Napoleão em leilão da Sotheby's, em Londres, a 9 de outubro de 1969, por £1450, vindo assim a integrar o espólio da Casa-Museu.

 

A exposição, permanente, está aberta ao público entre as 13H00 e as 17H30 de segunda a sexta-feira e das 10H00 às 17H30 aos sábados, estando encerrada aos domingos. A entrada tem o preço de 5 € no caso dos adultos, 3 € para mais de 65 anos e entrada livre até aos 18 anos. Para visitas guiadas é necessário fazer uma reserva antecipadamente através do número 21 354 78 92 e terá um custo de 6 € por pessoa. Aos sábados, das 10H00 às 13H00, a entrada é gratuita.

 

Mais informações em www.casa-museumedeirosealmeida.pt   

Informações e Reservas:

Tel. (+351) 21 354 78 92

Local da Exposição:

Rua Rosa Araújo, 41 - Lisboa

 

Alegro Alfragide transforma-se em galeria de arte

PROJETO MONTRA

 


 

O Alegro Alfragide e a Associação P28 lançam o pro­jeto MONTRA  que consiste em transformar as monstras das lojas do Alegro Alfragide em “telas” gigantes, espaços expositivos que espelhem a visão artística, livre e criativa, dos seus autores.

 

O desafio foi dirigido a jovens artis­tas, fina­lis­tas de cur­sos de arte e design, e tem como obje­tivo apoiar a cri­a­ção artís­tica naci­o­nal e a dina­mi­za­ção do espaço público, num diá­logo entre as artes e o meio urbano enquanto cenário.

 

O projeto MONTRA surge na sequência do posicionamento do Alegro Alfragide que, desde a sua génese, apostou em cruzar o espaço comercial com o espaço cultural, democratizando e facilitando o acesso à cultura.

 

É ainda uma forma de criar uma maior aprendizagem artística entre os jovens alunos e alguns artistas já consagrados, convidados também a marcar presença no MONTRA, como por exemplo: Pedro Cabral Santo, os emergentes Bruno Pereira e David Rosado e o designer Fernando Mendes.

 

A inauguração decorre no dia 20 de Agosto, os trabalhos ficam expostos nas repetivas montras até ao dia 20 de Setembro. Estes trabalhos já fazem parte de um processo de seleção que culmina com a atribuição de um trabalho vencedor. Esta avaliação é feita por um júri  com­posto por Filomena Conceição (diretora do Alegro Alfragide), Sandro Resende (dire­tor P28), Luísa Santos (cura­dora), Bruno Pereira (dire­tor cri­a­tivo Magnética Magazine) e Fernando Mendes (CEO CoworkLisboa).

 

 

Rui Miguel Abreu

9 de Agosto de 2012

19h30

Jardim das Esculturas, Museu do Chiado

A tarefa de um Dj - à parte da etiquetagem entre ser selector, passa-discos ou produtor - é a de criar o ambiente levantando paredes de música. É um animal de palco - de plataforma, vá - que saca o seu melhor sorriso ao partilhar com a sua audiência este ou aquele disco, arqueólogo musical em constante escavação de pérolas. Rui Miguel Abreu não é diferente, mas será ainda melhor. Ativo participante na rádio e jornalista musical - musicólogo? - é ele que alimenta o Jardim das Esculturas de música esta quinta-feira. Espera-se mobilidade da malta, em profundo contraste com as Vénus de Milo lá do sítio. / La Cucarafa

Fonte: LeCool