Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cultura de Borla

A Cultura que não tem preço.

RETHINKING THE ROLE OF THE STATE: THE REFORM OF THE PUBLIC SECTOR AND THE ROLE OF WELFARE

16 Fevereiro
17.00 às 18.30
MUSEU DO ORIENTE


Entrada livre sujeita a inscrição
CONFERÊNCIA (em inglês, sem tradução simultânea)

 O papel do Estado tem-se tornado central quer na teoria política, económica e jurídica, quer em termos de política prática. Isto deve-se sobretudo ao impacto da crise financeira e ao papel que os governos a nível nacional, europeu e internacional têm desempenhado na tentativa de lidar com a crise. Por detrás destes problemas atuais encontram-se amplos debates de filosofia política e jurídica sobre o alcance e a função das ideias do Estado, que se refletem em diferentes respostas políticas e sociais à crise atual. A conferência irá focar-se em diferentes abordagens sobre o papel do Estado a fim de se cruzar a filosofia política e jurídica com questões da atual política prática.
Esta conferência visa ainda cobrir abordagens sociais-democratas, socialistas, liberais e conservadoras do papel do estado, refletindo sobre os seus diferentes entendimentos de liberdade individual, igualdade, coesão social e de solidariedade e sobre como esses pontos de vista gerais podem ou não resolver a crise atual na Europa. Tratando de questões de política prática, iremos olhar para o papel da união fiscal e monetária no contexto da soberania do Estado, para reforma e alcance do Estado Social e do setor público em geral e para o papel do Estado na "gestão" da economia. Estas questões vão levantar problemas sobre o que o Estado deveria fazer e sobre o que, de facto, é competente para fazer.
Em colaboração com o Instituto de Estudos Políticos da Universidade Católica Portuguesa.

Raymond Plant é atualmente professor de Jurisprudência e Filosofia Política na Dickson Poon School of Law. Anteriormente, lecionou no St. Catherine's College de Oxford e na Universidade de Southampton. Trabalhista, é membro da Câmara dos Lordes em cuja Comissão de Direitos Humanos exerce funções. Em 2010, Lord Plant recebeu o Prémio Sir Isaiah Berlin pelo seu longo contributo para os estudos políticos. Filósofo de formação, tem uma vasta obra no campo da filosofia política, social e jurídica.

A PORCELANA DA CHINA E AS COMPANHIAS DAS ÍNDIAS ORIENTAIS

 

 

15 Fevereiro
Conferencista: Luís Mendes da Graça
Horário: 18.00 às 20.00

MUSEU DO ORIENTE

Entrada livre sujeita a inscrição
 
Porcelana da china e a sua comercialização pelas Companhias das Índias e pelos privados. Primeiras encomendas europeias no século XVI (legendas e brasões portugueses). A companhia holandesa (VOC) e a companhia britânica (Honourable East India Company). Feitorias em Cantão. Encomendas europeias: formatos e temas decorativos ocidentais. O importante papel do comércio privado da porcelana de encomenda e dos tipos mais sofisticados de porcelana. O processo de venda da porcelana na Europa. Sete temas que vão ser abordados por Luís Mendes da Graça, médico e coleccionador de porcelana da China.
 
Professor catedrático de Obstetrícia e Ginecologia da Faculdade de Medicina de Lisboa desde 2001, Luís Mendes da Graça colecciona porcelana da China dos séculos XVII e XVIII, desde que relacionada com o chá. Possuidor de uma vasta colecção tem, ao longo dos anos desenvolvido alguma investigação bibliográfica sobre o assunto. Já expôs a sua colecção no Centro Científico e Cultural de Macau (CCCM) em 2005, e na Casa Ásia (Barcelona), em 2006. Para além disso, emprestou algumas peças da sua colecção para outras exposições. É ainda autor de diversos artigos sobre porcelana da China, publicados pelo CCCM em 2005 e pelo Museu do Oriente em 2012 e concluiu recentemente um livro intitulado: Porcelana da China: Do Oriente para o Ocidente.

MACAU. MEMÓRIAS A TINTA-DA-CHINA

 

1 Fevereiro a 30 Junho
MUSEU DO ORIENTE


A exposição Macau. Memórias a Tinta-da-China  reúne várias obras do pintor Charles Chauderlot, as quais tentam memorizar, através dos seus pincéis, o glorioso passado marítimo de Macau, neste ano em que se comemoram 500 anos de relações luso-chinesas reproduzindo, em pintura, os edifícios que recordam que a cidade foi, em tempos, um próspero entreposto comercial para Portugueses e Chineses.

A 20 DE NOVEMBRO E PALÁCIO DO FIM


  
 

A 20 DE NOVEMBRO de Lars Norén

Traducão Francis Seleck Com João Pedro Mamede Direcção Francis Seleck Produção Cena Múltipla/Associação Cultural O Mundo do Espectáculo Apoio Câmara Municipal de Almada Fotografias Jorge Gonçalves Agradecimentos Catarina Pé Curto, André Pais e Fábio Pereira M16

DUAS REPRESENTAÇÕES ADICIONAIS no Teatro da Politécnica a 22 e 23 de Janeiro
ATENÇÃO AOS HORÁRIOS | 3ª22 e 4ª23 às 21h00

Reservas
| 961960281 | 213916750 (dias úteis 10h às 18h)
As reservas devem ser levantadas até 1 hora antes do início do espectáculo




PALÁCIO DO FIM de Judith Thompson

Tradução Pedro Marques Com Ana Lázaro, Maria José Paschoal, António Filipe Cenografia e Figurinos Rita Lopes Alves Fotografias Jorge Gonçalves Luz Pedro Domingos Assistência Sara Moura e Ana Lázaro Encenação Pedro Carraca M16

No Teatro da Politécnica até 23 de Fevereiro
3ªf e 4ª às 19h00 | 5ª e 6ª às 21h00 | sáb às 16h00 e às 21h00
ATENÇÃO: Não se realiza sessão na 3ªf12 e 4ªf13 de Fevereiro

Reservas | 961960281 | 213916750 (dias úteis 10h às 18h)
As reservas devem ser levantadas até 1 hora antes do início do espectáculo


KOLME | 27 de Janeiro | 17h30 @ Centro de Experimentação Artística - CPAI (Fábrica da Polvora)


27 JANEIRO

17:30


 

Os Kolme são o resultado de uma ideia tão entusiasmante como ambiciosa: juntar três dos melhores músicos portugueses para se criar algo verdadeiramente novo.

 

E de facto, as composições de Ruben Alves trazem uma abordagem inédita de harmonização, contendo inúmeras influências e linguagens musicais. Para a interpretação das mesmas, Miguel Amado contribui com uma sonoridade de baixo marcante e flexível, e Carlos Miguel completa as paisagens sonoras através da sua rítmica complexa e intensa.

 

Assim, temos um trio que se caracteriza por uma técnica instrumental muito desenvolvida, mas que a transforma em paisagens simples, vibrantes, permitindo-nos a sensação de a qualquer instante podermos viajar para os lugares mais distintos e inesperados. Assim é no álbum de estreia, um dos grandes discos de 2012 - uma colecção de imagens vastas mas íntimas, sempre pautadas por uma intensidade emocional pouco habitual.

 

Verdade que Kolme, em finlandês, significa três. Mas muito para além disso, significa também uma nova luz no panorama musical nacional. Que é como quem diz, jazz como nunca o ouvimos.

 

J M

 

 

 

KOLME: https://www.facebook.com/trio.KOLME

 

 

 

Entrada: 5€

 

 

 

Informações e Reserva de bilhetes:

 

Centro de Experimentação Artística do Clube Português de Artes e Ideias

 

Phone 939 245 561/ 919 175 069

 

Email cea@artesideias.com ; cea.fabricadapolvora@gmail.com


A Menina do Mar era bailarina, sabiam?

Leonor Barata apresenta no próximo domingo a leitura encenada A Menina do Mar, no Cine-Teatro de Estarreja. Inspirado na obra de Sophia de Mello Breyner, este espetáculo/oficina destina-se aos mais novos e encontra-se inserido no Projeto Educativo do CTE.




 

DOM 27 JAN 16H00 | SEG 28 JAN 10H00 | 11H00 [ESCOLAS]
A Menina do Mar

Leonor Barata/Companhia ProjetoD criação e interpretação
Sophia de Mello Breyner Andresentexto
PROJETO EDUCATIVO CTE 3€
*[ESCOLAS 1,5€]

Leonor Barata, mulher da dança como a própria se define, é diretora da Companhia ProjetoD e trabalha essencialmente a pedagogia artística.

Responsável pela criação e interpretação do espetáculo/oficina A Menina do Mar, que no próximo dia 27 de janeiro sobe ao palco do Cine-Teatro de Estarreja, Leonor Barata refere que esta criação para o público infantil “ pretende ser uma abordagem ao clássico de Sophia de Mello Breyner de uma forma diferente da tradicional. É uma leitura partilhada com o público, aliando à palavra contada uma fisicalidade própria que posteriormente será explorada na oficina”.

A utilização desta obra, com ambientes de maresia e repleta de aventuras protagonizadas pelo rapaz que adorava conhecer o mar, pela Menina que almejava conhecer a terra, pelo peixe, pelo polvo e pelo caranguejo, tem uma motivação muito pessoal para Leonor Barata. Além de reconhecer Sophia de Mello Breyner Andresen como grande referência na literatura infantil, Leonor Barata lembra que “quando me contaram esta história eu era menina e sonhei sempre dançar como a Menina do Mar.”

A Menina do Mar está em cena no Cine-Teatro de Estarreja no próximo domingo às 16 horas. Um espetáculo/oficina com uma hora de duração no total, destinado a crianças dos 4 aos 6 anos, que volta a subir ao palco no dia 28 de janeiro com duas sessões para grupos escolares agendadas para as 10 e 11 horas.

+

http://www.cineteatroestarreja.com
http://www.facebook.com/cinestarreja
http://twitter.com/CTE__


‘Teatro por alimentos' no Teatro D. Maria

O TNDM II associa-se à Comunidade Vida e Paz com a iniciativa ‘Teatro por alimentos', a decorrer nos dias 26 e 27 de janeiro (sáb. e dom.), no âmbito da apresentação do espetáculo Condomínio da rua, na Sala Garrett.

Nestes dois dias, o espectador poderá contribuir para esta campanha entregando 1 embalagem de manteiga, marmelada, compota, atum ou salsichas, alimentos mais solicitados pela instituição de solidariedade social, em troca de 1 bilhete para assistir ao Condomínio da rua, um espetáculo sobre a complexidade da exclusão social e da pobreza, com encenação de João Mota.

A troca do bilhete por alimentos (máx. 4 bilhetes/pessoa) realizar-se-á junto da bilheteira do TNDM II, nos dias 26 e 27 de janeiro, a partir das 14h. Entrada sujeita à lotação da sala.

Os alimentos recolhidos farão parte das ceias distribuídas pelos voluntários da instituição.

Constituída por cerca de seis centenas de voluntários, a Comunidade Vida e Paz pretende ir ao encontro e acolher pessoas sem-abrigo, ou em situação de vulnerabilidade social, ajudando-as a recuperar a sua dignidade e a (re)construir o seu projeto de vida, através de uma ação integrada de prevenção, reabilitação e reinserção.


Ainda no decorrer desta iniciativa, o TNDM II exibe no dia 26 de janeiro às 16h, Ruas da Amargura, de Rui Simões. Um documentário sobre a vida de homens e mulheres, de todas as idades, com carências afetivas, financeiras, problemas mentais, alcoolismo, toxicodependência, ou simplesmente pessoas que chegaram a Portugal à procura de uma vida um pouco melhor. A entrada é livre.

Parques de Sintra convida Voluntários para apoio na limpeza do Parque da Pena

Na sequência do temporal que assolou Sintra no passado fim de semana, a Parques de Sintra – Monte da Lua convida agora à inscrição de Voluntários para colaborarem numa campanha de limpeza a ter lugar no próximo Sábado (26 de janeiro), no Parque da Pena (com inscrição prévia*).

 

Conforme divulgado, a tempestade causou a queda de mais de 2000 árvores e inúmeros ramos e, consequentemente, toda a área de parques e jardins necessita agora de ser limpa - as valetas precisam de ser desentupidas para que a água volte a circular, os muitos ramos e folhas têm que ser varridos e, no geral, são necessários grandes esforços para permitir o regresso do Parque à sua normalidade, reabrindo-o à circulação de visitantes por todas as áreas (apesar de já se encontrar aberto o acesso aos Palácios da Pena e de Monserrate).

 

Durante esta semana os profissionais da Parques de Sintra estão a avançar com a maior rapidez possível no corte e remoção das árvores, bem como nas limpezas mas, este Sábado, será possível receber voluntários (sob coordenação da Parques de Sintra) para apoio nas limpezas que não envolvem riscos de segurança.

 

Assim, a Parques de Sintra convida todos os que quiserem colaborar, para que participem ou durante a manhã ou durante a tarde de Sábado, na resposta àquela que foi uma situação única na História da Serra de Sintra, e que ficará certamente na memória de todos.

 

Indicações:

Parque da Pena (encontro no portão dos Lagos – primeiro estacionamento ao subir para Pena)

Horários: Manhã 10h – 13h / Tarde 14h30 – 17h30

Recomenda-se a utilização de roupa e calçado confortáveis e adequados às condições meteorológicas.

 

*Condições de participação

É obrigatória a inscrição prévia através do npa@parquesdesintra.pt ou o +351 21 923 73 00.

Serão disponibilizadas ferramentas de trabalho e coletes refletores para cada participante.

Crianças apenas a partir dos 12 anos e sempre acompanhadas de um adulto.